SlideShare uma empresa Scribd logo
Projeto Qualidade
• Faculdade: FAENAC – São Caetano do Sul / SP
• Disciplina: Métodos da Qualidade
• Data: 14-junho-2010
• Professor: Marcelo Filadelfo
• Integrantes:

Júlio Gonçalves
RA 147991

Márcio Lopes
RA 148016

Marco Scarpa
RA 147778

Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000

Rodrigo Conceição
RA
147979
Qualidade
Introdução:
Este trabalho tem como objetivo apresentar o sistema de
qualidade, suas características, funcionamento e inserção nos
processos produtivos.
Para tal, serão comentados fundamentos, a história da qualidade e
sua relação com a revolução industrial, conceituando qualidade e
mostrando quais foram seus principais gurus.
Serão relacionadas às ferramentas criadas por eles, as
especialidades de cada um e suas contribuições para a revolução
administrativa da qualidade, bem como sua importância histórica.
Mostrando o funcionamento dessas ferramentas e sua utilização.
Mostraremos ainda exemplos de uso prático dessas ferramentas
na empresa Keiper do Brasil e como isso impacta diretamente na
qualidade do processo produtivo.
Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
Qualidade
Conceito:
Qualidade pode ser definida como o conjunto de atributos que
tornam um bem ou serviço plenamente adequado ao uso para o
qual foi concebido, atendendo a diversos critérios, tais como:
operabilidade, segurança, tolerância a falhas, conforto,
durabilidade, facilidade de manutenção e outros.

Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
Qualidade
A QUALIDADE NO AMBIENTE INDUSTRIAL

 A partir das invenções da imprensa de tipos (séc. XV) e
do tear hidráulico
(séc. XVIII), ficara demonstrada a possibilidade de
mecanizar o trabalho e produzir um bem em série.

Nesse contexto a quantidade de falhas, de desperdício e de acidentes do
trabalho era elevada, em função das limitações das máquinas, do despreparo
dos operários e do precário desenvolvimento das técnicas administrativas.
Começavam, então, a ser implantadas a inspeção final de produto e a
supervisão do trabalho. Mas foi no início do século XX, com os
trabalhos de Fayol e de Taylor, que a moderna administração
de empresas consolidou-se.

Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
Qualidade
GURUS DA QUALIDADE
Pode se dizer que a qualidade teve seus maiores impulsos nas
empresas japonesas durante o pós - segunda guerra, e logo se
espalharam pelo mundo ocidental. O grande objetivo dessas
técnicas é a maximização da eficiência da operação, fazer
certo da primeira vez evitando retrabalho e desperdícios e
trabalhando sempre em cima dos requisitos do produto
gerando consequente satisfação para o cliente, empresas que
atendem bem os seus clientes percebem o aumento das suas
receitas, e grandes gênios contribuíram para essa filosofia.
Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
Qualidade
CROSBY, PHILIP
Americano, nasceu em 1926 e a partir de 1950 começou a
dedicar-se a área de qualidade. Sua principal contribuição foi no
conceito de ZERO DEFEITO, onde o objetivo das operações é
procurar acertar desde o primeiro momento.
DEMING, EDWARDS
Nasceu nos EUA e graduou-se em engenharia teve ainda
mestrado em física e matemática e um ph. D em Física e
Matemática,ficou famoso ao lançar o Livro a Meta em 1984 e
trazer a inovadora teoria das restrições.
Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
Qualidade
FEIGENBAUM, ARMAND
Nascido em 1922, lançou seu famoso livro Total Quality
Control – TQC em 1951. É considerado por muitos como o
“pai da qualidade” já que foi o primeiro a abordar que a
qualidade não depende exclusivamente do departamento de
produção, mas de toda a empresa, como compras, vendas,
pós – vendas, recursos humanos.

Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
Qualidade
ISHIKAWA, KAORU
Nascido no Japão, de uma família de grande tradição industrial,
graduou-se em Química Aplicada em 39, doutorou-se em 1960.
Contribuiu muito tanto para qualidade como para gestão de
empresas, foi o guru que mais enfatizou o lado humano da
qualidade.

Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
Qualidade
JURAN, JOSEPH
Juran nasceu na Romênia e se formou em Engenharia nos
Estados Unidos na década de 20. Com seu livro Quality
control handbook (Manual do Controle da Qualidade) de 1951
virou personalidade mundial e foi trabalhar como consultor
no Japão em 54. Joseph Juran é considerado o primeiro guru
que aplicou a qualidade à estratégia empresarial, em vez de
ligá-la meramente à estatística ou aos métodos de controle
total da qualidade.

Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
Qualidade
TAGUCHI, GENICHI
A filosofia de Taguchi é relativa a todo o ciclo de produção
desde o design até à transformação em produto acabado. Ele
define a qualidade em termos das perdas geradas por esse
produto para a sociedade.Para Genichi Taguchi a chave para
reduzir

as

perdas

não

está

na

conformidade

com

as

especificações, mas na redução da variância estatística em
relação aos objetivos fixados.

Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
Qualidade
WALTER ANDREW SHEWHART
Nasceu em 18 de março de 1891 em New Canton, Illinois, EUA e
faleceu em 11 de março de 1967 em Troy Hills, New Jersey.
Shewhart lecionou e trabalhou com W. E. Deming e é
conhecido pelo desenvolvimento do CEP (Controle Estatístico
de Qualidade), que utiliza métodos estatísticos para alcançar o
estado de controle de um sistema e para julgar quando este
estado foi alcançado. A contribuição mais importante de
Shewhart tanto para a Estatística quanto para a indústria foi o
desenvolvimento do Controle Estatístico de Qualidade.

Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
Qualidade
Fora da lista ficam outros gurus respeitáveis como Massaaki
Imai (criador da filosofia Kaisen, que significa melhoria
contínua); James Harrington (cujos passos para a melhoria
contínua ficaram célebres); Richard Schonberger (que fez a
transição de técnicas japonesas como o just-in-time para o
mundo ocidental); e, por fim, Blanton Godfrey (o atual
presidente do Juran Institute).

Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
Pontos em Comum entre os Gurus
1 - Compromisso da alta direção, demonstrado por ativa
participação gerencial no processo.
2 - Melhoria da qualidade constante e redução dos custos da
qualidade.
3 - Treinamento da base ao topo.
4 - Equipes em todos os níveis para se atingir a melhoria da
qualidade.
5 - Existência de comitês ou conselhos consultivos para a
qualidade.

Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
Diferenças entre os Gurus
Ênfase:

Crosby - Conformidade, Atender as especificações.
Deming – CEP, Atuar no Processo.

Qualidade: Ishikawa – TQC, Revolução do Pensamento
Juran – Adequação ao Uso
Crosby – Grande Valor
Deming – Os erros são gerenciais.

Motivação:

Ishikawa – Satisfação Pessoal, Reconhecimento.
Juran – Necessária

Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
Qualidade
FERRAMENTAS DA QUALIDADE:
●LISTA DE VERIFICAÇÃO SIMPLES
●LISTA DE VERIFICAÇÃO DE FREQUÊNCIA
●DIAGRAMA DE CAUSA E EFEITO
● DIAGRAMA DE PARETO

Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
Qualidade
FERRAMENTAS DA QUALIDADE:
●4Q1POC
●BRAINSTORMING
●FLUXOGRAMA
●MATRIZ DE PREFERÊNCIA
●PDCA

Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
Qualidade
Conclusão:
Concluímos que p ara chegar à qualidade de padrão internacional,
algumas mudanças devem ser feitas na gestão da qualidade, como
treinamento partindo da hierarquia gerencial; a alta gerência deve se
encarregar da gestão da qualidade; o planejamento deve englobar os
objetivos da qualidade; gestão da qualidade deve ser integrada ao
planejamento; a melhoria da qualidade deve se tornar um processo
contínuo; indicadores devem permitir que a gerência acompanhe o
progresso de parâmetros como satisfação, qualidade competitiva; os
funcionários devem receber treinamento; o sistema de recompensas
deve ser revisto.
Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
Bibliografia

●http://qualiblog.wordpress.com/2008/02/29/viagem-no-tempo-%E2%80%93-a-historia-da
●http://www.mbc.org.br/mbc/uploads/biblioteca/1238691478.7955A.ppt
●http://www.renapi.org/qualidade/metodologia/gerencia-de-projetos
●http://www.gerenco.com.br/page4.html
●http://www.tenstep.pt/o-custo-da-qualidade
●http://gqpgunit.blogspot.com/2009/03/historia-da-qualidade.htm
●www.totalqualidade.com.br/2009/10/gurus-da-qualidade-os-gurus-que.html
●www.netwise.com.br/...de_qualidade/gurus_da_qualidade.doc

Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Planejamento Agricultura Natural 2015
Planejamento Agricultura Natural 2015 Planejamento Agricultura Natural 2015
Planejamento Agricultura Natural 2015
Julio Monteiro
 
O Impacto do Aquecimento Global e das Mudanças Climáticas no Agronegócio
O Impacto do Aquecimento Global e das Mudanças Climáticas no AgronegócioO Impacto do Aquecimento Global e das Mudanças Climáticas no Agronegócio
O Impacto do Aquecimento Global e das Mudanças Climáticas no Agronegócio
Instituto Brasileiro de Ética nos Negocios
 
Políticas Públicas que Impactam o Agronegócio
Políticas Públicas que Impactam o AgronegócioPolíticas Públicas que Impactam o Agronegócio
Políticas Públicas que Impactam o Agronegócio
ANCP Ribeirão Preto
 
Desenvolvimento Regional: Desafios para a Ciência, Tecnologia e Inovação.
Desenvolvimento Regional: Desafios para a Ciência, Tecnologia e Inovação.Desenvolvimento Regional: Desafios para a Ciência, Tecnologia e Inovação.
Desenvolvimento Regional: Desafios para a Ciência, Tecnologia e Inovação.
Antônio Diomário de Queiroz
 
CASE Souza Cruz: Sustentabilidade na Cadeia de Valor
CASE Souza Cruz: Sustentabilidade na Cadeia de ValorCASE Souza Cruz: Sustentabilidade na Cadeia de Valor
CASE Souza Cruz: Sustentabilidade na Cadeia de Valor
Instituto Brasileiro de Ética nos Negocios
 
Brasil: “Celeiro do mundo” (?!?!). As Virtudes, os Entraves e as Oportunidade...
Brasil: “Celeiro do mundo” (?!?!). As Virtudes, os Entraves e as Oportunidade...Brasil: “Celeiro do mundo” (?!?!). As Virtudes, os Entraves e as Oportunidade...
Brasil: “Celeiro do mundo” (?!?!). As Virtudes, os Entraves e as Oportunidade...
Instituto Brasileiro de Ética nos Negocios
 
Planejamento da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente de Turvo
Planejamento da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente de TurvoPlanejamento da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente de Turvo
Planejamento da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente de Turvo
Felipe Brugg
 
A situação atual do crédito no agronegócio marcelo fernandes guimarães
A situação atual do crédito no agronegócio   marcelo fernandes guimarãesA situação atual do crédito no agronegócio   marcelo fernandes guimarães
A situação atual do crédito no agronegócio marcelo fernandes guimarães
agro_SEBRAE
 
Estudo de viabilidade econômico financeira
Estudo de viabilidade econômico financeiraEstudo de viabilidade econômico financeira
Estudo de viabilidade econômico financeira
brasiltravel_ri
 
Agronegócio & Pequenos Produtores: De mãos dadas para trilhar o caminho da S...
 Agronegócio & Pequenos Produtores: De mãos dadas para trilhar o caminho da S... Agronegócio & Pequenos Produtores: De mãos dadas para trilhar o caminho da S...
Agronegócio & Pequenos Produtores: De mãos dadas para trilhar o caminho da S...
Instituto Brasileiro de Ética nos Negocios
 
Projeto de aquisição de uma patrulha agrícola mecanizada Parobé 2015
Projeto de aquisição de uma patrulha agrícola mecanizada     Parobé   2015Projeto de aquisição de uma patrulha agrícola mecanizada     Parobé   2015
Projeto de aquisição de uma patrulha agrícola mecanizada Parobé 2015
JORGE LUIZ ZORRER DA SILVA
 
Estimativa de custos de produção de hortaliças
Estimativa de custos de produção de hortaliçasEstimativa de custos de produção de hortaliças
Estimativa de custos de produção de hortaliças
Nirlene Junqueira Vilela
 
Apresentação do agronegócio brasileiro senadora Kátia Abreu - português 05.08...
Apresentação do agronegócio brasileiro senadora Kátia Abreu - português 05.08...Apresentação do agronegócio brasileiro senadora Kátia Abreu - português 05.08...
Apresentação do agronegócio brasileiro senadora Kátia Abreu - português 05.08...
Juliano Hoffmann
 
Apresentação sobre Gestão da Inovação e da Criatividade
Apresentação sobre Gestão da Inovação e da CriatividadeApresentação sobre Gestão da Inovação e da Criatividade
Apresentação sobre Gestão da Inovação e da Criatividade
Levi Tancredo
 
Ninguém progride sem renovar se
Ninguém progride sem renovar seNinguém progride sem renovar se
Ninguém progride sem renovar se
Júlio Cesar Serrão de Araujo
 
Ideias, oportunidades, Canvas e Plano de negócios
Ideias, oportunidades, Canvas e Plano de negóciosIdeias, oportunidades, Canvas e Plano de negócios
Ideias, oportunidades, Canvas e Plano de negócios
josedornelas
 
Renovando atitudes
Renovando atitudesRenovando atitudes
Renovando atitudes
Leonardo Pereira
 
Como fazer um plano de negócios slides módulo i
Como fazer um plano de negócios   slides módulo iComo fazer um plano de negócios   slides módulo i
Como fazer um plano de negócios slides módulo i
Fdtensino
 
Modelo De Plano De Negócio
Modelo De Plano De NegócioModelo De Plano De Negócio
Modelo De Plano De Negócio
Ricardo Martins Neves
 
Como elaborar um plano de marketing 1
Como elaborar um plano de marketing 1Como elaborar um plano de marketing 1
Como elaborar um plano de marketing 1
samita_melo
 

Destaque (20)

Planejamento Agricultura Natural 2015
Planejamento Agricultura Natural 2015 Planejamento Agricultura Natural 2015
Planejamento Agricultura Natural 2015
 
O Impacto do Aquecimento Global e das Mudanças Climáticas no Agronegócio
O Impacto do Aquecimento Global e das Mudanças Climáticas no AgronegócioO Impacto do Aquecimento Global e das Mudanças Climáticas no Agronegócio
O Impacto do Aquecimento Global e das Mudanças Climáticas no Agronegócio
 
Políticas Públicas que Impactam o Agronegócio
Políticas Públicas que Impactam o AgronegócioPolíticas Públicas que Impactam o Agronegócio
Políticas Públicas que Impactam o Agronegócio
 
Desenvolvimento Regional: Desafios para a Ciência, Tecnologia e Inovação.
Desenvolvimento Regional: Desafios para a Ciência, Tecnologia e Inovação.Desenvolvimento Regional: Desafios para a Ciência, Tecnologia e Inovação.
Desenvolvimento Regional: Desafios para a Ciência, Tecnologia e Inovação.
 
CASE Souza Cruz: Sustentabilidade na Cadeia de Valor
CASE Souza Cruz: Sustentabilidade na Cadeia de ValorCASE Souza Cruz: Sustentabilidade na Cadeia de Valor
CASE Souza Cruz: Sustentabilidade na Cadeia de Valor
 
Brasil: “Celeiro do mundo” (?!?!). As Virtudes, os Entraves e as Oportunidade...
Brasil: “Celeiro do mundo” (?!?!). As Virtudes, os Entraves e as Oportunidade...Brasil: “Celeiro do mundo” (?!?!). As Virtudes, os Entraves e as Oportunidade...
Brasil: “Celeiro do mundo” (?!?!). As Virtudes, os Entraves e as Oportunidade...
 
Planejamento da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente de Turvo
Planejamento da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente de TurvoPlanejamento da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente de Turvo
Planejamento da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente de Turvo
 
A situação atual do crédito no agronegócio marcelo fernandes guimarães
A situação atual do crédito no agronegócio   marcelo fernandes guimarãesA situação atual do crédito no agronegócio   marcelo fernandes guimarães
A situação atual do crédito no agronegócio marcelo fernandes guimarães
 
Estudo de viabilidade econômico financeira
Estudo de viabilidade econômico financeiraEstudo de viabilidade econômico financeira
Estudo de viabilidade econômico financeira
 
Agronegócio & Pequenos Produtores: De mãos dadas para trilhar o caminho da S...
 Agronegócio & Pequenos Produtores: De mãos dadas para trilhar o caminho da S... Agronegócio & Pequenos Produtores: De mãos dadas para trilhar o caminho da S...
Agronegócio & Pequenos Produtores: De mãos dadas para trilhar o caminho da S...
 
Projeto de aquisição de uma patrulha agrícola mecanizada Parobé 2015
Projeto de aquisição de uma patrulha agrícola mecanizada     Parobé   2015Projeto de aquisição de uma patrulha agrícola mecanizada     Parobé   2015
Projeto de aquisição de uma patrulha agrícola mecanizada Parobé 2015
 
Estimativa de custos de produção de hortaliças
Estimativa de custos de produção de hortaliçasEstimativa de custos de produção de hortaliças
Estimativa de custos de produção de hortaliças
 
Apresentação do agronegócio brasileiro senadora Kátia Abreu - português 05.08...
Apresentação do agronegócio brasileiro senadora Kátia Abreu - português 05.08...Apresentação do agronegócio brasileiro senadora Kátia Abreu - português 05.08...
Apresentação do agronegócio brasileiro senadora Kátia Abreu - português 05.08...
 
Apresentação sobre Gestão da Inovação e da Criatividade
Apresentação sobre Gestão da Inovação e da CriatividadeApresentação sobre Gestão da Inovação e da Criatividade
Apresentação sobre Gestão da Inovação e da Criatividade
 
Ninguém progride sem renovar se
Ninguém progride sem renovar seNinguém progride sem renovar se
Ninguém progride sem renovar se
 
Ideias, oportunidades, Canvas e Plano de negócios
Ideias, oportunidades, Canvas e Plano de negóciosIdeias, oportunidades, Canvas e Plano de negócios
Ideias, oportunidades, Canvas e Plano de negócios
 
Renovando atitudes
Renovando atitudesRenovando atitudes
Renovando atitudes
 
Como fazer um plano de negócios slides módulo i
Como fazer um plano de negócios   slides módulo iComo fazer um plano de negócios   slides módulo i
Como fazer um plano de negócios slides módulo i
 
Modelo De Plano De Negócio
Modelo De Plano De NegócioModelo De Plano De Negócio
Modelo De Plano De Negócio
 
Como elaborar um plano de marketing 1
Como elaborar um plano de marketing 1Como elaborar um plano de marketing 1
Como elaborar um plano de marketing 1
 

Semelhante a Apresentação qualidade

Aula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da QualidadeAula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da Qualidade
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Conceitos básicos sobre qualidade e iso 90001
Conceitos básicos sobre qualidade e iso 90001Conceitos básicos sobre qualidade e iso 90001
Conceitos básicos sobre qualidade e iso 90001
Ariadne Canedo
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
Thiago Rodrigues
 
02 admg - carlos xavier - anatel
02   admg - carlos xavier - anatel02   admg - carlos xavier - anatel
02 admg - carlos xavier - anatel
Ester Almeida
 
Gestão de qualidade (slides)
Gestão de qualidade (slides)Gestão de qualidade (slides)
Gestão de qualidade (slides)
Roberto Luna Mendes Monteiro Filho
 
Aula g processos 8 2014
Aula g processos 8 2014Aula g processos 8 2014
Aula g processos 8 2014
Celio Placer Almeida
 
AULA 05 - ISO 9001 SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE.pptx
AULA 05 - ISO 9001 SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE.pptxAULA 05 - ISO 9001 SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE.pptx
AULA 05 - ISO 9001 SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE.pptx
JairGaldino4
 
Artigo - A Gestão da Qualidade e suas Ferramentas
Artigo - A Gestão da Qualidade e suas FerramentasArtigo - A Gestão da Qualidade e suas Ferramentas
Artigo - A Gestão da Qualidade e suas Ferramentas
Cleber Chagas
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
Giovana Noskoski Bianchini
 
Tq ferramentas da_qualidade_semana1
Tq ferramentas da_qualidade_semana1Tq ferramentas da_qualidade_semana1
Tq ferramentas da_qualidade_semana1
Daebul University
 
Programa de co gaqual
Programa de co gaqualPrograma de co gaqual
Programa de co gaqual
Agostinho Alberto
 
QUALIDADE.pptx
QUALIDADE.pptxQUALIDADE.pptx
QUALIDADE.pptx
AmarildoJosMorett
 
Ucb quali definições
Ucb quali definiçõesUcb quali definições
Ucb quali definições
Fernando Flessati
 
Anexo 1 Conceitos GestãO Qualidade Sig
Anexo 1   Conceitos GestãO Qualidade SigAnexo 1   Conceitos GestãO Qualidade Sig
Anexo 1 Conceitos GestãO Qualidade Sig
Fregonezi
 
Anexo 1 Conceitos GestãO Qualidade Sig
Anexo 1   Conceitos GestãO Qualidade SigAnexo 1   Conceitos GestãO Qualidade Sig
Anexo 1 Conceitos GestãO Qualidade Sig
guestb3227e
 
A N E X O 1 C O N C E I T O S G E S TÃ O Q U A L I D A D E S I G
A N E X O 1    C O N C E I T O S  G E S TÃ O  Q U A L I D A D E  S I GA N E X O 1    C O N C E I T O S  G E S TÃ O  Q U A L I D A D E  S I G
A N E X O 1 C O N C E I T O S G E S TÃ O Q U A L I D A D E S I G
Fregonezi
 
apresentação de gestao da qualidade em power point
apresentação de gestao da qualidade em power pointapresentação de gestao da qualidade em power point
apresentação de gestao da qualidade em power point
SeleoRH3
 
Qualidade senai
Qualidade senaiQualidade senai
Qualidade senai
Cinthia Frade
 
Mestres da qualidade trabalho james
Mestres da qualidade trabalho jamesMestres da qualidade trabalho james
Mestres da qualidade trabalho james
Pedro Urbano
 
Eras da qualidade
Eras da qualidadeEras da qualidade
Eras da qualidade
Renato Bottini
 

Semelhante a Apresentação qualidade (20)

Aula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da QualidadeAula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da Qualidade
 
Conceitos básicos sobre qualidade e iso 90001
Conceitos básicos sobre qualidade e iso 90001Conceitos básicos sobre qualidade e iso 90001
Conceitos básicos sobre qualidade e iso 90001
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
 
02 admg - carlos xavier - anatel
02   admg - carlos xavier - anatel02   admg - carlos xavier - anatel
02 admg - carlos xavier - anatel
 
Gestão de qualidade (slides)
Gestão de qualidade (slides)Gestão de qualidade (slides)
Gestão de qualidade (slides)
 
Aula g processos 8 2014
Aula g processos 8 2014Aula g processos 8 2014
Aula g processos 8 2014
 
AULA 05 - ISO 9001 SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE.pptx
AULA 05 - ISO 9001 SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE.pptxAULA 05 - ISO 9001 SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE.pptx
AULA 05 - ISO 9001 SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE.pptx
 
Artigo - A Gestão da Qualidade e suas Ferramentas
Artigo - A Gestão da Qualidade e suas FerramentasArtigo - A Gestão da Qualidade e suas Ferramentas
Artigo - A Gestão da Qualidade e suas Ferramentas
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
 
Tq ferramentas da_qualidade_semana1
Tq ferramentas da_qualidade_semana1Tq ferramentas da_qualidade_semana1
Tq ferramentas da_qualidade_semana1
 
Programa de co gaqual
Programa de co gaqualPrograma de co gaqual
Programa de co gaqual
 
QUALIDADE.pptx
QUALIDADE.pptxQUALIDADE.pptx
QUALIDADE.pptx
 
Ucb quali definições
Ucb quali definiçõesUcb quali definições
Ucb quali definições
 
Anexo 1 Conceitos GestãO Qualidade Sig
Anexo 1   Conceitos GestãO Qualidade SigAnexo 1   Conceitos GestãO Qualidade Sig
Anexo 1 Conceitos GestãO Qualidade Sig
 
Anexo 1 Conceitos GestãO Qualidade Sig
Anexo 1   Conceitos GestãO Qualidade SigAnexo 1   Conceitos GestãO Qualidade Sig
Anexo 1 Conceitos GestãO Qualidade Sig
 
A N E X O 1 C O N C E I T O S G E S TÃ O Q U A L I D A D E S I G
A N E X O 1    C O N C E I T O S  G E S TÃ O  Q U A L I D A D E  S I GA N E X O 1    C O N C E I T O S  G E S TÃ O  Q U A L I D A D E  S I G
A N E X O 1 C O N C E I T O S G E S TÃ O Q U A L I D A D E S I G
 
apresentação de gestao da qualidade em power point
apresentação de gestao da qualidade em power pointapresentação de gestao da qualidade em power point
apresentação de gestao da qualidade em power point
 
Qualidade senai
Qualidade senaiQualidade senai
Qualidade senai
 
Mestres da qualidade trabalho james
Mestres da qualidade trabalho jamesMestres da qualidade trabalho james
Mestres da qualidade trabalho james
 
Eras da qualidade
Eras da qualidadeEras da qualidade
Eras da qualidade
 

Último

Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
Giovana Gomes da Silva
 
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
Manuais Formação
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
jbellas2
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 

Último (20)

Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
 
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 

Apresentação qualidade

  • 1. Projeto Qualidade • Faculdade: FAENAC – São Caetano do Sul / SP • Disciplina: Métodos da Qualidade • Data: 14-junho-2010 • Professor: Marcelo Filadelfo • Integrantes: Júlio Gonçalves RA 147991 Márcio Lopes RA 148016 Marco Scarpa RA 147778 Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000 Rodrigo Conceição RA 147979
  • 2. Qualidade Introdução: Este trabalho tem como objetivo apresentar o sistema de qualidade, suas características, funcionamento e inserção nos processos produtivos. Para tal, serão comentados fundamentos, a história da qualidade e sua relação com a revolução industrial, conceituando qualidade e mostrando quais foram seus principais gurus. Serão relacionadas às ferramentas criadas por eles, as especialidades de cada um e suas contribuições para a revolução administrativa da qualidade, bem como sua importância histórica. Mostrando o funcionamento dessas ferramentas e sua utilização. Mostraremos ainda exemplos de uso prático dessas ferramentas na empresa Keiper do Brasil e como isso impacta diretamente na qualidade do processo produtivo. Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
  • 3. Qualidade Conceito: Qualidade pode ser definida como o conjunto de atributos que tornam um bem ou serviço plenamente adequado ao uso para o qual foi concebido, atendendo a diversos critérios, tais como: operabilidade, segurança, tolerância a falhas, conforto, durabilidade, facilidade de manutenção e outros. Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
  • 4. Qualidade A QUALIDADE NO AMBIENTE INDUSTRIAL  A partir das invenções da imprensa de tipos (séc. XV) e do tear hidráulico (séc. XVIII), ficara demonstrada a possibilidade de mecanizar o trabalho e produzir um bem em série. Nesse contexto a quantidade de falhas, de desperdício e de acidentes do trabalho era elevada, em função das limitações das máquinas, do despreparo dos operários e do precário desenvolvimento das técnicas administrativas. Começavam, então, a ser implantadas a inspeção final de produto e a supervisão do trabalho. Mas foi no início do século XX, com os trabalhos de Fayol e de Taylor, que a moderna administração de empresas consolidou-se. Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
  • 5. Qualidade GURUS DA QUALIDADE Pode se dizer que a qualidade teve seus maiores impulsos nas empresas japonesas durante o pós - segunda guerra, e logo se espalharam pelo mundo ocidental. O grande objetivo dessas técnicas é a maximização da eficiência da operação, fazer certo da primeira vez evitando retrabalho e desperdícios e trabalhando sempre em cima dos requisitos do produto gerando consequente satisfação para o cliente, empresas que atendem bem os seus clientes percebem o aumento das suas receitas, e grandes gênios contribuíram para essa filosofia. Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
  • 6. Qualidade CROSBY, PHILIP Americano, nasceu em 1926 e a partir de 1950 começou a dedicar-se a área de qualidade. Sua principal contribuição foi no conceito de ZERO DEFEITO, onde o objetivo das operações é procurar acertar desde o primeiro momento. DEMING, EDWARDS Nasceu nos EUA e graduou-se em engenharia teve ainda mestrado em física e matemática e um ph. D em Física e Matemática,ficou famoso ao lançar o Livro a Meta em 1984 e trazer a inovadora teoria das restrições. Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
  • 7. Qualidade FEIGENBAUM, ARMAND Nascido em 1922, lançou seu famoso livro Total Quality Control – TQC em 1951. É considerado por muitos como o “pai da qualidade” já que foi o primeiro a abordar que a qualidade não depende exclusivamente do departamento de produção, mas de toda a empresa, como compras, vendas, pós – vendas, recursos humanos. Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
  • 8. Qualidade ISHIKAWA, KAORU Nascido no Japão, de uma família de grande tradição industrial, graduou-se em Química Aplicada em 39, doutorou-se em 1960. Contribuiu muito tanto para qualidade como para gestão de empresas, foi o guru que mais enfatizou o lado humano da qualidade. Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
  • 9. Qualidade JURAN, JOSEPH Juran nasceu na Romênia e se formou em Engenharia nos Estados Unidos na década de 20. Com seu livro Quality control handbook (Manual do Controle da Qualidade) de 1951 virou personalidade mundial e foi trabalhar como consultor no Japão em 54. Joseph Juran é considerado o primeiro guru que aplicou a qualidade à estratégia empresarial, em vez de ligá-la meramente à estatística ou aos métodos de controle total da qualidade. Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
  • 10. Qualidade TAGUCHI, GENICHI A filosofia de Taguchi é relativa a todo o ciclo de produção desde o design até à transformação em produto acabado. Ele define a qualidade em termos das perdas geradas por esse produto para a sociedade.Para Genichi Taguchi a chave para reduzir as perdas não está na conformidade com as especificações, mas na redução da variância estatística em relação aos objetivos fixados. Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
  • 11. Qualidade WALTER ANDREW SHEWHART Nasceu em 18 de março de 1891 em New Canton, Illinois, EUA e faleceu em 11 de março de 1967 em Troy Hills, New Jersey. Shewhart lecionou e trabalhou com W. E. Deming e é conhecido pelo desenvolvimento do CEP (Controle Estatístico de Qualidade), que utiliza métodos estatísticos para alcançar o estado de controle de um sistema e para julgar quando este estado foi alcançado. A contribuição mais importante de Shewhart tanto para a Estatística quanto para a indústria foi o desenvolvimento do Controle Estatístico de Qualidade. Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
  • 12. Qualidade Fora da lista ficam outros gurus respeitáveis como Massaaki Imai (criador da filosofia Kaisen, que significa melhoria contínua); James Harrington (cujos passos para a melhoria contínua ficaram célebres); Richard Schonberger (que fez a transição de técnicas japonesas como o just-in-time para o mundo ocidental); e, por fim, Blanton Godfrey (o atual presidente do Juran Institute). Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
  • 13. Pontos em Comum entre os Gurus 1 - Compromisso da alta direção, demonstrado por ativa participação gerencial no processo. 2 - Melhoria da qualidade constante e redução dos custos da qualidade. 3 - Treinamento da base ao topo. 4 - Equipes em todos os níveis para se atingir a melhoria da qualidade. 5 - Existência de comitês ou conselhos consultivos para a qualidade. Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
  • 14. Diferenças entre os Gurus Ênfase: Crosby - Conformidade, Atender as especificações. Deming – CEP, Atuar no Processo. Qualidade: Ishikawa – TQC, Revolução do Pensamento Juran – Adequação ao Uso Crosby – Grande Valor Deming – Os erros são gerenciais. Motivação: Ishikawa – Satisfação Pessoal, Reconhecimento. Juran – Necessária Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
  • 15. Qualidade FERRAMENTAS DA QUALIDADE: ●LISTA DE VERIFICAÇÃO SIMPLES ●LISTA DE VERIFICAÇÃO DE FREQUÊNCIA ●DIAGRAMA DE CAUSA E EFEITO ● DIAGRAMA DE PARETO Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
  • 16. Qualidade FERRAMENTAS DA QUALIDADE: ●4Q1POC ●BRAINSTORMING ●FLUXOGRAMA ●MATRIZ DE PREFERÊNCIA ●PDCA Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000
  • 17. Qualidade Conclusão: Concluímos que p ara chegar à qualidade de padrão internacional, algumas mudanças devem ser feitas na gestão da qualidade, como treinamento partindo da hierarquia gerencial; a alta gerência deve se encarregar da gestão da qualidade; o planejamento deve englobar os objetivos da qualidade; gestão da qualidade deve ser integrada ao planejamento; a melhoria da qualidade deve se tornar um processo contínuo; indicadores devem permitir que a gerência acompanhe o progresso de parâmetros como satisfação, qualidade competitiva; os funcionários devem receber treinamento; o sistema de recompensas deve ser revisto. Campus Rua Amazonas, 2000 – São Caetano do Sul / SP – Tel 4233-6000