SlideShare uma empresa Scribd logo
Se algum fator externo provocar uma perturbação
num sistema químico em equilíbrio, este vai evoluir
no sentido de contrariar essa perturbação até ser
atingido um novo estado de equilíbrio.
a) A concentração
Fatores externos que podem perturbar o
estado de equilíbrio de um sistema reacional
b) A temperatura
c) A pressão
a) A concentração
Perturbação Sentido da reação do sistema
[reagentes] aumentar Direto
[reagentes] diminuir Inverso
[produtos] aumentar Inverso
[produtos] diminuir Direto
b) A temperatura
- Se a T aumentar – o equilíbrio desloca-se no
sentido da R. Endoenergética.
- Se a T diminuir– o equilíbrio desloca-se no sentido
da R. Exoenergética.
R. Exoenergéticas R. Endoenergéticas
T aumenta – Kc diminui T aumenta – Kc aumenta
T diminui– Kc aumenta T diminui– Kc diminui
c) A pressão
Só é significativa quando há componentes gasosos
no sistema e quando a quantidade de matéria
(moles) é diferente nos reagentes e nos
produtos, se não nada acontece.
- Se a P aumenta – o volume diminui – o sistema
evolui no sentido em que ocorre uma diminuição do
nº total de moléculas gasosas.
- Se a P diminui – o volume aumenta – o sistema
evolui no sentido em que ocorre um aumento do nº
total de moléculas gasosas.
)(3)(2)( 2 ggg OHCHHCO
Os catalisadores ou inibidores afetam o
estado de equilíbrio?
Não.
Apenas contribuem para que o equilíbrio seja
acelerado ou retardado, aumentando ou
diminuindo a velocidade da reação e não afeta a
formação ou decomposição dos produtos.
Pág. 92-95
kJHNHHN ggg 6,9223 )(3)(2)(2
1.) Na produção de amoníaco usa-se excesso de N2
porque é mais barato que o H2.
2.) Aumenta-se a pressão para favorecer a reação no
sentido em que ocorre uma diminuição do número de
moléculas. (200atm)
3.) como é uma r. exoenergética, a reação é favorecida
pela diminuição da temperatura. (450ºC)
4.) Utiliza-se um catalisador (óxido de ferro) para aumentar
a taxa de produção do NH3.
ATENÇÃO
No aumento da pressão tem que se ter em conta o
custo de se trabalhar com elevadas pressões e deve
achar-se um equilíbrio entre o custo e a produção.
Na diminuição da temperatura tem que se ter em
atenção que as ligações dos reagentes têm que ser
quebradas e também tem que se ter achar um
equilíbrio entre a temperatura necessária para a
quebra e formação de ligações.
Ver o esquema da página 95

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cinética e equilíbrio químico
Cinética e equilíbrio químicoCinética e equilíbrio químico
Cinética e equilíbrio químico
Marilena Meira
 
Princípio de le châtelier
Princípio de le châtelierPrincípio de le châtelier
Princípio de le châtelier
PauloMaiaCampos
 
Velocidade das reacções químicas
Velocidade das reacções químicasVelocidade das reacções químicas
Velocidade das reacções químicas
Luis Pedro
 
Equilibrio
EquilibrioEquilibrio
Equilibrio
Patrick Cunha
 
Cinética química 2012
Cinética química 2012Cinética química 2012
Cinética química 2012
José Marcelo Cangemi
 
Velocidade das reações químicas
Velocidade das reações químicasVelocidade das reações químicas
Velocidade das reações químicas
Piedade Alves
 
Cinética Química
Cinética QuímicaCinética Química
Cinética Química
Isabel Vitória
 
Velocidade das reacções químicas - FQ
Velocidade das reacções químicas - FQVelocidade das reacções químicas - FQ
Velocidade das reacções químicas - FQ
estudabem
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
Vinicius Bispo Viana
 
Cinetica
CineticaCinetica
Cinetica
rejane moraes
 
Estequiometria
EstequiometriaEstequiometria
Estequiometria
DelPadre
 
Equilíbrio dinâmico
Equilíbrio dinâmicoEquilíbrio dinâmico
Equilíbrio dinâmico
Guilherme Baasch
 
Modelo de transformações químicas rapidez ou velocidade das reações
Modelo de transformações químicas rapidez ou velocidade das reaçõesModelo de transformações químicas rapidez ou velocidade das reações
Modelo de transformações químicas rapidez ou velocidade das reações
Edelcio de Azevedo
 
Termoquímica parte 01
Termoquímica parte 01Termoquímica parte 01
Termoquímica parte 01
Escola Pública/Particular
 
Trabalho de fisica e quimica
Trabalho de fisica e quimicaTrabalho de fisica e quimica
Trabalho de fisica e quimica
Mimih92
 
Aula 2 equilíbrio químico
Aula 2  equilíbrio químicoAula 2  equilíbrio químico
Aula 2 equilíbrio químico
Adrianne Mendonça
 
CINÉTICA QUÍMICA
CINÉTICA QUÍMICACINÉTICA QUÍMICA
CINÉTICA QUÍMICA
eglailima
 
Natural Gas Composition
Natural Gas CompositionNatural Gas Composition
Natural Gas Composition
Đean Moore
 
Termogenese é Antagonico a obesidade
Termogenese é Antagonico a obesidadeTermogenese é Antagonico a obesidade
Termogenese é Antagonico a obesidade
Van Der Häägen Brazil
 
Catálise 1 introdução
Catálise   1 introduçãoCatálise   1 introdução
Catálise 1 introdução
imperador Bruno Lafaeti
 

Mais procurados (20)

Cinética e equilíbrio químico
Cinética e equilíbrio químicoCinética e equilíbrio químico
Cinética e equilíbrio químico
 
Princípio de le châtelier
Princípio de le châtelierPrincípio de le châtelier
Princípio de le châtelier
 
Velocidade das reacções químicas
Velocidade das reacções químicasVelocidade das reacções químicas
Velocidade das reacções químicas
 
Equilibrio
EquilibrioEquilibrio
Equilibrio
 
Cinética química 2012
Cinética química 2012Cinética química 2012
Cinética química 2012
 
Velocidade das reações químicas
Velocidade das reações químicasVelocidade das reações químicas
Velocidade das reações químicas
 
Cinética Química
Cinética QuímicaCinética Química
Cinética Química
 
Velocidade das reacções químicas - FQ
Velocidade das reacções químicas - FQVelocidade das reacções químicas - FQ
Velocidade das reacções químicas - FQ
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 
Cinetica
CineticaCinetica
Cinetica
 
Estequiometria
EstequiometriaEstequiometria
Estequiometria
 
Equilíbrio dinâmico
Equilíbrio dinâmicoEquilíbrio dinâmico
Equilíbrio dinâmico
 
Modelo de transformações químicas rapidez ou velocidade das reações
Modelo de transformações químicas rapidez ou velocidade das reaçõesModelo de transformações químicas rapidez ou velocidade das reações
Modelo de transformações químicas rapidez ou velocidade das reações
 
Termoquímica parte 01
Termoquímica parte 01Termoquímica parte 01
Termoquímica parte 01
 
Trabalho de fisica e quimica
Trabalho de fisica e quimicaTrabalho de fisica e quimica
Trabalho de fisica e quimica
 
Aula 2 equilíbrio químico
Aula 2  equilíbrio químicoAula 2  equilíbrio químico
Aula 2 equilíbrio químico
 
CINÉTICA QUÍMICA
CINÉTICA QUÍMICACINÉTICA QUÍMICA
CINÉTICA QUÍMICA
 
Natural Gas Composition
Natural Gas CompositionNatural Gas Composition
Natural Gas Composition
 
Termogenese é Antagonico a obesidade
Termogenese é Antagonico a obesidadeTermogenese é Antagonico a obesidade
Termogenese é Antagonico a obesidade
 
Catálise 1 introdução
Catálise   1 introduçãoCatálise   1 introdução
Catálise 1 introdução
 

Semelhante a 3.4)fatores influenciam-reacao

Equilibrio quimico
Equilibrio quimicoEquilibrio quimico
Equilibrio quimico
Dhayane22
 
Equilibrio quimico
Equilibrio quimicoEquilibrio quimico
Equilibrio quimico
Dhayane22
 
5 le chatelier
5  le chatelier5  le chatelier
5 le chatelier
daniela pinto
 
aula_8___equilibrio_quimico.educação_2003.ppt
aula_8___equilibrio_quimico.educação_2003.pptaula_8___equilibrio_quimico.educação_2003.ppt
aula_8___equilibrio_quimico.educação_2003.ppt
PauloLopes420972
 
Equilíbrio parte1
Equilíbrio parte1Equilíbrio parte1
Equilíbrio parte1
iqscquimica
 
Equilíbrio químico parte i blog
Equilíbrio químico parte i  blogEquilíbrio químico parte i  blog
Equilíbrio químico parte i blog
iqscquimica
 
Cinética química professora estela
Cinética química professora estelaCinética química professora estela
Cinética química professora estela
Estela Oliveira
 
Cinética química professora estela
Cinética química professora estelaCinética química professora estela
Cinética química professora estela
Estela Oliveira
 
Slidedeslocamentodeequilbrioerevisaodafrente1
Slidedeslocamentodeequilbrioerevisaodafrente1Slidedeslocamentodeequilbrioerevisaodafrente1
Slidedeslocamentodeequilbrioerevisaodafrente1
Carol Anjos
 
Base da química analitica – módulo 2
Base  da química analitica – módulo 2Base  da química analitica – módulo 2
Base da química analitica – módulo 2
Adrianne Mendonça
 
_02-.ppt
_02-.ppt_02-.ppt
5 equilíbrio químico
5   equilíbrio químico5   equilíbrio químico
5 equilíbrio químico
Everson Carabolante
 
Aulas de Equilíbrio Químico - Parte I
Aulas de Equilíbrio Químico - Parte IAulas de Equilíbrio Químico - Parte I
Aulas de Equilíbrio Químico - Parte I
iqscquimica
 
Aula equilíbrio químico com s tampão curso power point
Aula equilíbrio químico com s tampão curso power pointAula equilíbrio químico com s tampão curso power point
Aula equilíbrio químico com s tampão curso power point
Taylon Aguiar
 
Teoria do Equilibrio
Teoria do EquilibrioTeoria do Equilibrio
Teoria do Equilibrio
Cursos Profissionalizantes
 
Aula de equilíbrio quimico
Aula de equilíbrio quimicoAula de equilíbrio quimico
Aula de equilíbrio quimico
Isabele Félix
 
equilibrio quimico e soluções quimicas ppt
equilibrio quimico e soluções quimicas pptequilibrio quimico e soluções quimicas ppt
equilibrio quimico e soluções quimicas ppt
LuisAndreSilva2
 
cinética quimica
cinética quimicacinética quimica
cinética quimica
Jordana De Oliveira Silva
 
Deslocamento de equilíbrio químico
Deslocamento de equilíbrio químicoDeslocamento de equilíbrio químico
Deslocamento de equilíbrio químico
Amadeu Afonso Afonso
 
Ana nery o equilibrio químico
Ana nery   o equilibrio químicoAna nery   o equilibrio químico
Ana nery o equilibrio químico
Joseval Estigaribia
 

Semelhante a 3.4)fatores influenciam-reacao (20)

Equilibrio quimico
Equilibrio quimicoEquilibrio quimico
Equilibrio quimico
 
Equilibrio quimico
Equilibrio quimicoEquilibrio quimico
Equilibrio quimico
 
5 le chatelier
5  le chatelier5  le chatelier
5 le chatelier
 
aula_8___equilibrio_quimico.educação_2003.ppt
aula_8___equilibrio_quimico.educação_2003.pptaula_8___equilibrio_quimico.educação_2003.ppt
aula_8___equilibrio_quimico.educação_2003.ppt
 
Equilíbrio parte1
Equilíbrio parte1Equilíbrio parte1
Equilíbrio parte1
 
Equilíbrio químico parte i blog
Equilíbrio químico parte i  blogEquilíbrio químico parte i  blog
Equilíbrio químico parte i blog
 
Cinética química professora estela
Cinética química professora estelaCinética química professora estela
Cinética química professora estela
 
Cinética química professora estela
Cinética química professora estelaCinética química professora estela
Cinética química professora estela
 
Slidedeslocamentodeequilbrioerevisaodafrente1
Slidedeslocamentodeequilbrioerevisaodafrente1Slidedeslocamentodeequilbrioerevisaodafrente1
Slidedeslocamentodeequilbrioerevisaodafrente1
 
Base da química analitica – módulo 2
Base  da química analitica – módulo 2Base  da química analitica – módulo 2
Base da química analitica – módulo 2
 
_02-.ppt
_02-.ppt_02-.ppt
_02-.ppt
 
5 equilíbrio químico
5   equilíbrio químico5   equilíbrio químico
5 equilíbrio químico
 
Aulas de Equilíbrio Químico - Parte I
Aulas de Equilíbrio Químico - Parte IAulas de Equilíbrio Químico - Parte I
Aulas de Equilíbrio Químico - Parte I
 
Aula equilíbrio químico com s tampão curso power point
Aula equilíbrio químico com s tampão curso power pointAula equilíbrio químico com s tampão curso power point
Aula equilíbrio químico com s tampão curso power point
 
Teoria do Equilibrio
Teoria do EquilibrioTeoria do Equilibrio
Teoria do Equilibrio
 
Aula de equilíbrio quimico
Aula de equilíbrio quimicoAula de equilíbrio quimico
Aula de equilíbrio quimico
 
equilibrio quimico e soluções quimicas ppt
equilibrio quimico e soluções quimicas pptequilibrio quimico e soluções quimicas ppt
equilibrio quimico e soluções quimicas ppt
 
cinética quimica
cinética quimicacinética quimica
cinética quimica
 
Deslocamento de equilíbrio químico
Deslocamento de equilíbrio químicoDeslocamento de equilíbrio químico
Deslocamento de equilíbrio químico
 
Ana nery o equilibrio químico
Ana nery   o equilibrio químicoAna nery   o equilibrio químico
Ana nery o equilibrio químico
 

Mais de Fisica-Quimica

Matriz 28-maio
Matriz 28-maioMatriz 28-maio
Matriz 28-maio
Fisica-Quimica
 
Unidade 2 energia em movimentos
Unidade 2 energia em movimentosUnidade 2 energia em movimentos
Unidade 2 energia em movimentos
Fisica-Quimica
 
6 circuitos-eletricos
6 circuitos-eletricos6 circuitos-eletricos
6 circuitos-eletricos
Fisica-Quimica
 
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo2
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo2Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo2
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo2
Fisica-Quimica
 
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismoGuião trabalhos 9º ano eletromagnetismo
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo
Fisica-Quimica
 
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo3
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo3Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo3
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo3
Fisica-Quimica
 
Convocatória reunião 19 10-2010
Convocatória reunião 19 10-2010Convocatória reunião 19 10-2010
Convocatória reunião 19 10-2010
Fisica-Quimica
 
Reflexão crítica 11º b
Reflexão crítica 11º bReflexão crítica 11º b
Reflexão crítica 11º b
Fisica-Quimica
 
Pag 167 190
Pag 167 190Pag 167 190
Pag 167 190
Fisica-Quimica
 
5 compostos-carbono
5 compostos-carbono5 compostos-carbono
5 compostos-carbono
Fisica-Quimica
 
1 caracteristicas ondas
1 caracteristicas ondas1 caracteristicas ondas
1 caracteristicas ondas
Fisica-Quimica
 
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal5
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal5Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal5
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal5
Fisica-Quimica
 
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal3
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal3Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal3
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal3
Fisica-Quimica
 
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal2
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal2Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal2
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal2
Fisica-Quimica
 
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobalGuião trabalhos 8º ano mudançaglobal
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal
Fisica-Quimica
 
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal4
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal4Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal4
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal4
Fisica-Quimica
 
Painéis fotovoltaicos
Painéis fotovoltaicosPainéis fotovoltaicos
Painéis fotovoltaicos
Fisica-Quimica
 
Matriz 2-maio
Matriz 2-maioMatriz 2-maio
Matriz 2-maio
Fisica-Quimica
 
4 interacoes-moleculares
4 interacoes-moleculares4 interacoes-moleculares
4 interacoes-moleculares
Fisica-Quimica
 
3 geometria-moleculas
3 geometria-moleculas3 geometria-moleculas
3 geometria-moleculas
Fisica-Quimica
 

Mais de Fisica-Quimica (20)

Matriz 28-maio
Matriz 28-maioMatriz 28-maio
Matriz 28-maio
 
Unidade 2 energia em movimentos
Unidade 2 energia em movimentosUnidade 2 energia em movimentos
Unidade 2 energia em movimentos
 
6 circuitos-eletricos
6 circuitos-eletricos6 circuitos-eletricos
6 circuitos-eletricos
 
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo2
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo2Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo2
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo2
 
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismoGuião trabalhos 9º ano eletromagnetismo
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo
 
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo3
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo3Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo3
Guião trabalhos 9º ano eletromagnetismo3
 
Convocatória reunião 19 10-2010
Convocatória reunião 19 10-2010Convocatória reunião 19 10-2010
Convocatória reunião 19 10-2010
 
Reflexão crítica 11º b
Reflexão crítica 11º bReflexão crítica 11º b
Reflexão crítica 11º b
 
Pag 167 190
Pag 167 190Pag 167 190
Pag 167 190
 
5 compostos-carbono
5 compostos-carbono5 compostos-carbono
5 compostos-carbono
 
1 caracteristicas ondas
1 caracteristicas ondas1 caracteristicas ondas
1 caracteristicas ondas
 
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal5
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal5Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal5
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal5
 
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal3
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal3Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal3
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal3
 
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal2
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal2Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal2
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal2
 
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobalGuião trabalhos 8º ano mudançaglobal
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal
 
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal4
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal4Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal4
Guião trabalhos 8º ano mudançaglobal4
 
Painéis fotovoltaicos
Painéis fotovoltaicosPainéis fotovoltaicos
Painéis fotovoltaicos
 
Matriz 2-maio
Matriz 2-maioMatriz 2-maio
Matriz 2-maio
 
4 interacoes-moleculares
4 interacoes-moleculares4 interacoes-moleculares
4 interacoes-moleculares
 
3 geometria-moleculas
3 geometria-moleculas3 geometria-moleculas
3 geometria-moleculas
 

3.4)fatores influenciam-reacao

  • 1.
  • 2. Se algum fator externo provocar uma perturbação num sistema químico em equilíbrio, este vai evoluir no sentido de contrariar essa perturbação até ser atingido um novo estado de equilíbrio.
  • 3. a) A concentração Fatores externos que podem perturbar o estado de equilíbrio de um sistema reacional b) A temperatura c) A pressão
  • 4. a) A concentração Perturbação Sentido da reação do sistema [reagentes] aumentar Direto [reagentes] diminuir Inverso [produtos] aumentar Inverso [produtos] diminuir Direto
  • 5. b) A temperatura - Se a T aumentar – o equilíbrio desloca-se no sentido da R. Endoenergética. - Se a T diminuir– o equilíbrio desloca-se no sentido da R. Exoenergética. R. Exoenergéticas R. Endoenergéticas T aumenta – Kc diminui T aumenta – Kc aumenta T diminui– Kc aumenta T diminui– Kc diminui
  • 6. c) A pressão Só é significativa quando há componentes gasosos no sistema e quando a quantidade de matéria (moles) é diferente nos reagentes e nos produtos, se não nada acontece.
  • 7. - Se a P aumenta – o volume diminui – o sistema evolui no sentido em que ocorre uma diminuição do nº total de moléculas gasosas. - Se a P diminui – o volume aumenta – o sistema evolui no sentido em que ocorre um aumento do nº total de moléculas gasosas. )(3)(2)( 2 ggg OHCHHCO
  • 8. Os catalisadores ou inibidores afetam o estado de equilíbrio? Não. Apenas contribuem para que o equilíbrio seja acelerado ou retardado, aumentando ou diminuindo a velocidade da reação e não afeta a formação ou decomposição dos produtos.
  • 10. kJHNHHN ggg 6,9223 )(3)(2)(2 1.) Na produção de amoníaco usa-se excesso de N2 porque é mais barato que o H2. 2.) Aumenta-se a pressão para favorecer a reação no sentido em que ocorre uma diminuição do número de moléculas. (200atm) 3.) como é uma r. exoenergética, a reação é favorecida pela diminuição da temperatura. (450ºC) 4.) Utiliza-se um catalisador (óxido de ferro) para aumentar a taxa de produção do NH3.
  • 11. ATENÇÃO No aumento da pressão tem que se ter em conta o custo de se trabalhar com elevadas pressões e deve achar-se um equilíbrio entre o custo e a produção. Na diminuição da temperatura tem que se ter em atenção que as ligações dos reagentes têm que ser quebradas e também tem que se ter achar um equilíbrio entre a temperatura necessária para a quebra e formação de ligações.
  • 12. Ver o esquema da página 95