SlideShare uma empresa Scribd logo
Valor:
              Centro Educacional BRASIL CENTRAL
              Educando(a):________________________________________________                                 5.0
              Ano/Turma: Turno:Matutino Data:____/____/_____
                                                                                                  Valor Obtido

                                                                                                     ________
                         Avaliação Especifica 4º BIMESTRE
                                                                                                  Educador(a)
                                    (1º Filosofia)
                                                                                                  Felipe Serra


     Instruções Gerais:
Leia atentamente o enunciado de       Estudei e ...
cada questão.




                                                       SEI !
Não rasure e nem amasse.
Não utilize corretivo nas questões
objetivas.
Utilize somente caneta azul para
responder.
Ao utilizar rascunho, entregue-o
junto a prova.
É proibido o uso de aparelho
celular durante a prova, sob pena
de anulação da mesma.                 Simples assim.
          TEXTO 1
                                     Imperfeição
                                                             Poesia de Felipe Serra




A coerência é ser contraditório.
Pois a mudança é permanente.
O silencio ao pensamento é falatório.
E a vida... é adaptação!

Pose pra foto, como modelo, da nossa invenção.
Tiro certeiro, sejam heróis, mas não sejam mocinhos.
Seja honesto, seja malandro, consegue?
Seja, seja, seja... mas não seja.
Alguém sabe o que a gente deseja?

Não somos objetos pra consumo, não viemos prontos e nem com garantia.
Somos construção de múltiplas interações, de erros e acertos, conclusões.
Seguimos... vivendo, sofrendo, ganhando, perdendo, arriscando ou desistindo.
Sendo julgados, julgando, condenando, e também perdoando, seguimos.

Muitas vezes, estaremos sorrindo, e tantas outras sonhando.
Às vezes molhados com frio na chuva, e algumas dançando.
Até os desafinados devem cantar, e se for com emoção podem nos encantar.

Podemos fazer alegria, gerar harmonia, multiplicar tristeza, inventar gargalhadas, dar porrada.
Sabemos espalhar exclusão, dividir calor, planar em poesias, concretizar imaginação.
Não é novo, podemos... sabemos... , mas o que queremos?

Nem todos os dias serão de afagos, tão pouco serão de labutas.
Dias iluminados, dias pálidos, pois assim é a vida, uma variação inconstante.
Mas se houver cumplicidade saiba que há validade.
Deverão ser marcadas em certo (C) ou
errado (E), exceto as questões 5,6 e 7.

Questão 1)(C)(E) Segundo o que estudamos é
preciso saber o que se quer. A auto-reflexão,
ou seja, parar e pensar o que realmente
deseja, é fundamental para ter autonomia de
decisão, e autoestima.

Questão 2)(C)(E) De acordo com o que
estudamos é possível afirmar que a felicidade     pela escolha de fazer parte do todo e ser
está mais no que a pessoa faz de sí mesmo e       aceito pelo outros negando a sí mesmo, levam
menos no que consegue acumular de bens            a sentimentos hostís e rancorosos,
materiais. É claro que dinheiro pode ajudar, se   prinipalmente, contra aqueles que fazem
ela souber o que realmente quer.                  opção pela plena realização de suas
                                                  pontenialidades. Por meio da união da ação
Questão 3)(C)(E) Conforme nossos estudos          com a autorealição.
existe um individualismo egoista no qual a                                  Escrito por Felipe Serra
pessoa só pensa em sí, desconsiderando os
demais. E existe um individualismo                Questão 5) Como Nietzsche chama essa
responsável, no qual se pensa primeiro em sí      felicidade na qual a pessoa abre mão de suas
mas levando em conta os outros. Nesse se          vontades para atender as exigências da
busca atingir seus objetivos sem prejudicar       sociedade, para ser parte do grupo?
ninguém, adquando a realização de suas            ______________________________________
metas ao bem coletivo.

Questão 4)(C)(E) Com base em nossos estudos                   TEXTO III – VERDADE!
somente aquele que tem consciência de que
um dia vai morrer pode realmente aproveitar
a vida, assim sendo, os verdadeiros viventes
são os que “colhem o dia” (CARPE DIEM), pois
sabem que seu tempo de vida é finito, por isso
não se deve desperdiçá-lo.

TEXTO II – Para Nietzsche
os fracos possuem uma
moral    recentida     que
conciste em abandonar
seus     desejos,     suas
vontades, para seguir o
padrão de comportamente aceito pela
sociedade. E esse tipo de “felicidade” gera
amargura e frustração. Sendo traços a                A realidade existe porem temos dificuldade
                     negação da ação, a           em percebê-la, pois cada um enxerga o mundo
                     apatia frente a vida, a      de um ponto de vista diferente. Assim com
                     esolha da tristeza em        suas experiências, com seus medos,
                     paz ao invez da              preconceitos, com suas informações ou
                     felicidade se garantias.     desinformações, buscamos uma realidade
                                                  inalcançável. Porem isso não significa que
                     Contudo os desejos
                                                  devamos deixar de buscá-la, pelo contrario,
                     reprimidos, obstruidos
esse é o fim das ciências e dos seres corretos      fator central e facilitador da implementação
(bem intencionados).                                dos projetos que lhes convém, em outras
    Existe varias teorias sobre a verdade, no       palavras na manutenção e ampliação de seus
final do século XIX e começo do XX, alguns          benefícios. Assim sendo, para manter a
filósofos intensificaram as criticas ao conceito    dominação e manter os trabalhadores
de verdade como representação da realidade,         alienados, os burgueses criam as ideologias
ou seja, verdade como sendo aquilo que              (falsas idéias), que objetivam dar uma
pensamos que é a realidade, ou o que                interpretação da realidade que dificulte a visão
corresponde a realidade, e não a própria            do que realmente existe, mantendo ilusões.
realidade. Esses filósofos acreditavam que era
preciso questionar o que achamos que é
realidade, sendo necessário confrontar o que
pensamos (ou nos é dito) que é a realidade;
com aquilo que vemos (a realidade nua e crua)
sem teorias, crenças ou opiniões, somente o
que vemos; e também com aquilo que poderia
ser (a realidade possível).
    O filósofo francês Paul Ricoeur cunhou a
expressão „mestres da suspeita‟ para se referir
a alguns dos teóricos modernos que dão as
bases para ser questionar aquilo que pensamos
ser a realidade, ou para se aproximar da               Freud contestou a idéia de que o centro das
verdade real. São eles Nietzsche, Marx e            decisões é a consciência, para ele é o contrario,
Freud.                                              existe uma parte ao qual chama de
    Nietzsche em seu livro “Crepúsculo dos          inconsciente que interagem com aquilo que
Ídolos” afirma que o ser humanos jamais             sabemos, e só então agimos. Logo sem saber
                   poderá alcançar a verdade da     os determinantes inconscientes de nossa
                   vida pois é parte interessada,   percepção da realidade não poderemos
                   e assim sendo, não poderá        alcançá-la.
                   olhá-la de forma isenta
                   somente parcial. Contudo
                   isso não significa que não se
                   deva ou não se possa buscar
                   a verdade, pelo contrario, é
imprescindível buscá-la, no entanto, com a
consciência de nossas limitações.
    Marx explicita que a interpretação que se dá
a realidade pode ser conveniente, mesmo não            Mesmo sendo difícil compreender a
sendo real, a uma classe e a outra não. Sendo       realidade é necessário buscá-la, pois só assim
que o interesse da classe explorada é ter           superaremos nossas limitações, somente dessa
melhores condições de vida, ou seja, o fim da       forma é possível fazer escolhas solidas. Quanto
exploração. Já para a classe exploradora o          mais perto do entendimento da realidade mais
interesse é aumentar o lucro, que vem da            possibilidades teremos de optar por um mundo
exploração do trabalho, por conseqüência            melhor para gente, e para os outros também.
aumentar a exploração. Dessa forma fica claro                                   Escrito por Felipe Serra
que os interesses são opostos e inconciliáveis.
E ainda segundo Karl a realidade é                  Questão 6) Qual autor, segundo o texto,
determinada pela luta entre as classes, que por     afirma que existem grupos na sociedade que
meio de sua consciência ou ignorância, de sua       inventam interpretações equivocadas da
organização ou desorganização, irão impor           realidade para difiultar a compreensão de
seus interesses ou terão os mesmos frustrados.      como realmente é o mundo?
Fica perceptível então que para os dominantes       ______________________________________
a desorganização e ignorância dos dominados é
Questão 7) Após ler o texto diga quem são os
mestres da suspeita?
______________________________________

Questão 8)(C)(E) O texto expõe que todos
setores da sociedade, independente da classe,
tem interesse que a interpretação da
realidade mais próxima do que ela
verdadeiramente é, seja um bem comum e
acessível .

Questão 9)(C)(E) Por meio do texto podemos
afirmar ser necessário confrontar o que
pensamos que é a realidade; com aquilo que
vemos, observamos; e também com o que
poderia ser.

Questão 10)(C)(E) É dedutivel do texto que a
verdade deve ser um horizonte, um proposito
humano para a construção de um mundo
melhor. E ainda poderiamos acrecentar, sem
contradizer o texto, que essa busca exige
liberdade de expressão e pensamento, para
que se compartilhem as interpretações do
real.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

1 soc prov. especifica. 2 chamada 3 bimestre
1 soc prov. especifica. 2 chamada 3 bimestre1 soc prov. especifica. 2 chamada 3 bimestre
1 soc prov. especifica. 2 chamada 3 bimestre
Felipe Serra
 
Texto o ninho_ana_felicia ultimo
Texto o ninho_ana_felicia ultimoTexto o ninho_ana_felicia ultimo
Texto o ninho_ana_felicia ultimo
anaguedes44
 
Sentido da Vida
Sentido da VidaSentido da Vida
Sentido da Vida
João Marcelo
 
F O R M AÇÃ O H U M A N A
F O R M AÇÃ O  H U M A N AF O R M AÇÃ O  H U M A N A
Edição n. 39 do CH Noticias - Setembro/2018
Edição n. 39 do CH Noticias - Setembro/2018Edição n. 39 do CH Noticias - Setembro/2018
Edição n. 39 do CH Noticias - Setembro/2018
CH Notícias - Casa dos Humildes - Recife
 
Solidariedade.1 ciclo.31 8-2013
Solidariedade.1 ciclo.31 8-2013Solidariedade.1 ciclo.31 8-2013
Solidariedade.1 ciclo.31 8-2013
Alice Lirio
 
Wenger teoria aprendizagem social
Wenger teoria aprendizagem socialWenger teoria aprendizagem social
Wenger teoria aprendizagem social
Fernanda Ledesma
 
Boletim esperança 46
Boletim esperança 46Boletim esperança 46
Boletim esperança 46
Robervaldu
 
Jornal do Espiritismo Edição Fevereiro/2012
Jornal do Espiritismo Edição Fevereiro/2012Jornal do Espiritismo Edição Fevereiro/2012
Jornal do Espiritismo Edição Fevereiro/2012
Associação Espírita Allan Kardec
 
Augusto Cury Os Segredos do pai nosso 2
Augusto Cury Os Segredos do pai nosso 2Augusto Cury Os Segredos do pai nosso 2
Augusto Cury Os Segredos do pai nosso 2
Gladis Nunes
 

Mais procurados (10)

1 soc prov. especifica. 2 chamada 3 bimestre
1 soc prov. especifica. 2 chamada 3 bimestre1 soc prov. especifica. 2 chamada 3 bimestre
1 soc prov. especifica. 2 chamada 3 bimestre
 
Texto o ninho_ana_felicia ultimo
Texto o ninho_ana_felicia ultimoTexto o ninho_ana_felicia ultimo
Texto o ninho_ana_felicia ultimo
 
Sentido da Vida
Sentido da VidaSentido da Vida
Sentido da Vida
 
F O R M AÇÃ O H U M A N A
F O R M AÇÃ O  H U M A N AF O R M AÇÃ O  H U M A N A
F O R M AÇÃ O H U M A N A
 
Edição n. 39 do CH Noticias - Setembro/2018
Edição n. 39 do CH Noticias - Setembro/2018Edição n. 39 do CH Noticias - Setembro/2018
Edição n. 39 do CH Noticias - Setembro/2018
 
Solidariedade.1 ciclo.31 8-2013
Solidariedade.1 ciclo.31 8-2013Solidariedade.1 ciclo.31 8-2013
Solidariedade.1 ciclo.31 8-2013
 
Wenger teoria aprendizagem social
Wenger teoria aprendizagem socialWenger teoria aprendizagem social
Wenger teoria aprendizagem social
 
Boletim esperança 46
Boletim esperança 46Boletim esperança 46
Boletim esperança 46
 
Jornal do Espiritismo Edição Fevereiro/2012
Jornal do Espiritismo Edição Fevereiro/2012Jornal do Espiritismo Edição Fevereiro/2012
Jornal do Espiritismo Edição Fevereiro/2012
 
Augusto Cury Os Segredos do pai nosso 2
Augusto Cury Os Segredos do pai nosso 2Augusto Cury Os Segredos do pai nosso 2
Augusto Cury Os Segredos do pai nosso 2
 

Destaque

Avaliação bimestral dos 1º anos A e B
Avaliação bimestral dos 1º anos A e BAvaliação bimestral dos 1º anos A e B
Avaliação bimestral dos 1º anos A e B
Marcio Reis
 
Prova de química do 4° bimestre do 1° ano
Prova de química do 4° bimestre do 1° anoProva de química do 4° bimestre do 1° ano
Prova de química do 4° bimestre do 1° ano
JOSÉ ANTÔNIO PEREIRA
 
Perguntas e respostas sobre orientação sexual e identidade de género
Perguntas e respostas sobre orientação sexual e identidade de géneroPerguntas e respostas sobre orientação sexual e identidade de género
Perguntas e respostas sobre orientação sexual e identidade de género
Licínia Simões
 
Apostila do 1º ano 3º e 4º bimestre
Apostila do 1º ano   3º e 4º bimestreApostila do 1º ano   3º e 4º bimestre
Apostila do 1º ano 3º e 4º bimestre
Duzg
 
Plano resgate dos valores etica e cidadania de simone helen drumond
Plano resgate dos valores   etica e cidadania de simone helen drumondPlano resgate dos valores   etica e cidadania de simone helen drumond
Plano resgate dos valores etica e cidadania de simone helen drumond
SimoneHelenDrumond
 
Prova.pb.ciencias.5ano.tarde.3bimestre
Prova.pb.ciencias.5ano.tarde.3bimestreProva.pb.ciencias.5ano.tarde.3bimestre
Prova.pb.ciencias.5ano.tarde.3bimestre
Cláudia Cacal
 
Banco de questões de sociologia
Banco de questões de sociologiaBanco de questões de sociologia
Banco de questões de sociologia
José Luiz Costa
 
UNIVERSO 4°ANO - CIÊNCIAS
UNIVERSO 4°ANO - CIÊNCIASUNIVERSO 4°ANO - CIÊNCIAS
UNIVERSO 4°ANO - CIÊNCIAS
Regina E Franck
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
Prof. Noe Assunção
 
110636565 prova-pb-ciencias-5ano-tarde-1bim
110636565 prova-pb-ciencias-5ano-tarde-1bim110636565 prova-pb-ciencias-5ano-tarde-1bim
110636565 prova-pb-ciencias-5ano-tarde-1bim
NILDA Leite Leite
 
Questões de Sociologia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
Questões de Sociologia - Ensino Médio - Discursiva - ObjetivaQuestões de Sociologia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
Questões de Sociologia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
Darlan Campos
 
Prova.pb.ciencias.5ano.tarde.2bim
Prova.pb.ciencias.5ano.tarde.2bimProva.pb.ciencias.5ano.tarde.2bim
Prova.pb.ciencias.5ano.tarde.2bim
Cláudia Cacal
 
Atividades de sociologia brasil(inclusãox exclusão) (1)
Atividades de sociologia brasil(inclusãox exclusão) (1)Atividades de sociologia brasil(inclusãox exclusão) (1)
Atividades de sociologia brasil(inclusãox exclusão) (1)
Atividades Diversas Cláudia
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
Prof. Noe Assunção
 
Interpretação texto arnaldojabor democracia, cidadania, direitos (1)
Interpretação texto arnaldojabor democracia, cidadania, direitos (1)Interpretação texto arnaldojabor democracia, cidadania, direitos (1)
Interpretação texto arnaldojabor democracia, cidadania, direitos (1)
Atividades Diversas Cláudia
 
3ª atividade avaliativa de ciências 4º ano pdf
3ª atividade avaliativa de ciências 4º ano pdf3ª atividade avaliativa de ciências 4º ano pdf
3ª atividade avaliativa de ciências 4º ano pdf
André Moraes
 
Prova.pb.ciencias.4ano.manha.1bim
Prova.pb.ciencias.4ano.manha.1bimProva.pb.ciencias.4ano.manha.1bim
Prova.pb.ciencias.4ano.manha.1bim
Cláudia Cacal
 
Av 1 cie 4°ano
Av 1 cie 4°anoAv 1 cie 4°ano
Av 1 cie 4°ano
Luzia Ester
 
Avaliação de língua portuguesa sistema solar
Avaliação de língua portuguesa sistema solarAvaliação de língua portuguesa sistema solar
Avaliação de língua portuguesa sistema solar
Atividades Diversas Cláudia
 
Avaliação de ciências
Avaliação de ciênciasAvaliação de ciências
Avaliação de ciências
lyzandra de camargo
 

Destaque (20)

Avaliação bimestral dos 1º anos A e B
Avaliação bimestral dos 1º anos A e BAvaliação bimestral dos 1º anos A e B
Avaliação bimestral dos 1º anos A e B
 
Prova de química do 4° bimestre do 1° ano
Prova de química do 4° bimestre do 1° anoProva de química do 4° bimestre do 1° ano
Prova de química do 4° bimestre do 1° ano
 
Perguntas e respostas sobre orientação sexual e identidade de género
Perguntas e respostas sobre orientação sexual e identidade de géneroPerguntas e respostas sobre orientação sexual e identidade de género
Perguntas e respostas sobre orientação sexual e identidade de género
 
Apostila do 1º ano 3º e 4º bimestre
Apostila do 1º ano   3º e 4º bimestreApostila do 1º ano   3º e 4º bimestre
Apostila do 1º ano 3º e 4º bimestre
 
Plano resgate dos valores etica e cidadania de simone helen drumond
Plano resgate dos valores   etica e cidadania de simone helen drumondPlano resgate dos valores   etica e cidadania de simone helen drumond
Plano resgate dos valores etica e cidadania de simone helen drumond
 
Prova.pb.ciencias.5ano.tarde.3bimestre
Prova.pb.ciencias.5ano.tarde.3bimestreProva.pb.ciencias.5ano.tarde.3bimestre
Prova.pb.ciencias.5ano.tarde.3bimestre
 
Banco de questões de sociologia
Banco de questões de sociologiaBanco de questões de sociologia
Banco de questões de sociologia
 
UNIVERSO 4°ANO - CIÊNCIAS
UNIVERSO 4°ANO - CIÊNCIASUNIVERSO 4°ANO - CIÊNCIAS
UNIVERSO 4°ANO - CIÊNCIAS
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
 
110636565 prova-pb-ciencias-5ano-tarde-1bim
110636565 prova-pb-ciencias-5ano-tarde-1bim110636565 prova-pb-ciencias-5ano-tarde-1bim
110636565 prova-pb-ciencias-5ano-tarde-1bim
 
Questões de Sociologia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
Questões de Sociologia - Ensino Médio - Discursiva - ObjetivaQuestões de Sociologia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
Questões de Sociologia - Ensino Médio - Discursiva - Objetiva
 
Prova.pb.ciencias.5ano.tarde.2bim
Prova.pb.ciencias.5ano.tarde.2bimProva.pb.ciencias.5ano.tarde.2bim
Prova.pb.ciencias.5ano.tarde.2bim
 
Atividades de sociologia brasil(inclusãox exclusão) (1)
Atividades de sociologia brasil(inclusãox exclusão) (1)Atividades de sociologia brasil(inclusãox exclusão) (1)
Atividades de sociologia brasil(inclusãox exclusão) (1)
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
 
Interpretação texto arnaldojabor democracia, cidadania, direitos (1)
Interpretação texto arnaldojabor democracia, cidadania, direitos (1)Interpretação texto arnaldojabor democracia, cidadania, direitos (1)
Interpretação texto arnaldojabor democracia, cidadania, direitos (1)
 
3ª atividade avaliativa de ciências 4º ano pdf
3ª atividade avaliativa de ciências 4º ano pdf3ª atividade avaliativa de ciências 4º ano pdf
3ª atividade avaliativa de ciências 4º ano pdf
 
Prova.pb.ciencias.4ano.manha.1bim
Prova.pb.ciencias.4ano.manha.1bimProva.pb.ciencias.4ano.manha.1bim
Prova.pb.ciencias.4ano.manha.1bim
 
Av 1 cie 4°ano
Av 1 cie 4°anoAv 1 cie 4°ano
Av 1 cie 4°ano
 
Avaliação de língua portuguesa sistema solar
Avaliação de língua portuguesa sistema solarAvaliação de língua portuguesa sistema solar
Avaliação de língua portuguesa sistema solar
 
Avaliação de ciências
Avaliação de ciênciasAvaliação de ciências
Avaliação de ciências
 

Semelhante a 1 fil prov. especifica 4 bimestre

1 filosofia prov. bimestral 4 bimestre
1 filosofia    prov. bimestral  4 bimestre1 filosofia    prov. bimestral  4 bimestre
1 filosofia prov. bimestral 4 bimestre
Felipe Serra
 
ATIVIDADES AVALIATIVAS.pdf
ATIVIDADES AVALIATIVAS.pdfATIVIDADES AVALIATIVAS.pdf
ATIVIDADES AVALIATIVAS.pdf
anapaulagomes140
 
92921633 jiddu-krishnamurti
92921633 jiddu-krishnamurti92921633 jiddu-krishnamurti
92921633 jiddu-krishnamurti
Flavio Fernandes
 
Humanizar a terra
Humanizar a terraHumanizar a terra
Humanizar a terra
Ivan Andrade
 
Material de revisão
Material de revisãoMaterial de revisão
Material de revisão
Felipe Serra
 
Módulo: Como ouvir a voz da sabedoria interior
Módulo: Como ouvir a voz da sabedoria interiorMódulo: Como ouvir a voz da sabedoria interior
Módulo: Como ouvir a voz da sabedoria interior
Jocilaine Moreira
 
Aula 3 a filosofia presente na nossa vida - Prof. Noe Assunção
Aula 3   a filosofia presente na nossa vida - Prof. Noe AssunçãoAula 3   a filosofia presente na nossa vida - Prof. Noe Assunção
Aula 3 a filosofia presente na nossa vida - Prof. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
REFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptx
REFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptxREFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptx
REFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptx
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
Desenvindividual
DesenvindividualDesenvindividual
Desenvindividual
Jean Bartoli
 
Como-Educar-a-Imaginacao-Matheus-Araujo-PDF
Como-Educar-a-Imaginacao-Matheus-Araujo-PDFComo-Educar-a-Imaginacao-Matheus-Araujo-PDF
Como-Educar-a-Imaginacao-Matheus-Araujo-PDF
FernandoFrancoSerpa
 
Qual o Meu Propósito - Leonardo Tavares - Demonstração
Qual o Meu Propósito - Leonardo Tavares - DemonstraçãoQual o Meu Propósito - Leonardo Tavares - Demonstração
Qual o Meu Propósito - Leonardo Tavares - Demonstração
Leonardo Tavares
 
Árvore da vida
Árvore da vidaÁrvore da vida
Árvore da vida
Fabiana Lituana
 
Apostila 1 filosofia cpia
Apostila 1 filosofia   cpiaApostila 1 filosofia   cpia
Apostila 1 filosofia cpia
joaovitorinopolacimatos
 
Annie Besant - O Poder do Pensamento
Annie Besant - O Poder do PensamentoAnnie Besant - O Poder do Pensamento
Annie Besant - O Poder do Pensamento
universalismo-7
 
Annie besant-o-poder-do-pensamento
Annie besant-o-poder-do-pensamentoAnnie besant-o-poder-do-pensamento
Annie besant-o-poder-do-pensamento
VeraBoff
 
1 fil prov. especifica 3 bimestre
1 fil    prov. especifica 3 bimestre1 fil    prov. especifica 3 bimestre
1 fil prov. especifica 3 bimestre
Felipe Serra
 
Filosofia m2 a1
Filosofia m2 a1Filosofia m2 a1
Filosofia m2 a1
Eder Marcondes Rosa
 
Revista Ambiente Condomínio
Revista Ambiente CondomínioRevista Ambiente Condomínio
Revista Ambiente Condomínio
Fabio Ahmed Salomão
 
Jiddu Krishnamurti - A Educação e o Significado da Vida.pdf
Jiddu Krishnamurti - A Educação e o Significado da Vida.pdfJiddu Krishnamurti - A Educação e o Significado da Vida.pdf
Jiddu Krishnamurti - A Educação e o Significado da Vida.pdf
HubertoRohden2
 
Estagios da comunicacao e a pnl
Estagios da comunicacao e a pnlEstagios da comunicacao e a pnl
Estagios da comunicacao e a pnl
Marina Rosa
 

Semelhante a 1 fil prov. especifica 4 bimestre (20)

1 filosofia prov. bimestral 4 bimestre
1 filosofia    prov. bimestral  4 bimestre1 filosofia    prov. bimestral  4 bimestre
1 filosofia prov. bimestral 4 bimestre
 
ATIVIDADES AVALIATIVAS.pdf
ATIVIDADES AVALIATIVAS.pdfATIVIDADES AVALIATIVAS.pdf
ATIVIDADES AVALIATIVAS.pdf
 
92921633 jiddu-krishnamurti
92921633 jiddu-krishnamurti92921633 jiddu-krishnamurti
92921633 jiddu-krishnamurti
 
Humanizar a terra
Humanizar a terraHumanizar a terra
Humanizar a terra
 
Material de revisão
Material de revisãoMaterial de revisão
Material de revisão
 
Módulo: Como ouvir a voz da sabedoria interior
Módulo: Como ouvir a voz da sabedoria interiorMódulo: Como ouvir a voz da sabedoria interior
Módulo: Como ouvir a voz da sabedoria interior
 
Aula 3 a filosofia presente na nossa vida - Prof. Noe Assunção
Aula 3   a filosofia presente na nossa vida - Prof. Noe AssunçãoAula 3   a filosofia presente na nossa vida - Prof. Noe Assunção
Aula 3 a filosofia presente na nossa vida - Prof. Noe Assunção
 
REFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptx
REFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptxREFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptx
REFORMA INTIMA DE QUE FORMA FAZE-LA.pptx
 
Desenvindividual
DesenvindividualDesenvindividual
Desenvindividual
 
Como-Educar-a-Imaginacao-Matheus-Araujo-PDF
Como-Educar-a-Imaginacao-Matheus-Araujo-PDFComo-Educar-a-Imaginacao-Matheus-Araujo-PDF
Como-Educar-a-Imaginacao-Matheus-Araujo-PDF
 
Qual o Meu Propósito - Leonardo Tavares - Demonstração
Qual o Meu Propósito - Leonardo Tavares - DemonstraçãoQual o Meu Propósito - Leonardo Tavares - Demonstração
Qual o Meu Propósito - Leonardo Tavares - Demonstração
 
Árvore da vida
Árvore da vidaÁrvore da vida
Árvore da vida
 
Apostila 1 filosofia cpia
Apostila 1 filosofia   cpiaApostila 1 filosofia   cpia
Apostila 1 filosofia cpia
 
Annie Besant - O Poder do Pensamento
Annie Besant - O Poder do PensamentoAnnie Besant - O Poder do Pensamento
Annie Besant - O Poder do Pensamento
 
Annie besant-o-poder-do-pensamento
Annie besant-o-poder-do-pensamentoAnnie besant-o-poder-do-pensamento
Annie besant-o-poder-do-pensamento
 
1 fil prov. especifica 3 bimestre
1 fil    prov. especifica 3 bimestre1 fil    prov. especifica 3 bimestre
1 fil prov. especifica 3 bimestre
 
Filosofia m2 a1
Filosofia m2 a1Filosofia m2 a1
Filosofia m2 a1
 
Revista Ambiente Condomínio
Revista Ambiente CondomínioRevista Ambiente Condomínio
Revista Ambiente Condomínio
 
Jiddu Krishnamurti - A Educação e o Significado da Vida.pdf
Jiddu Krishnamurti - A Educação e o Significado da Vida.pdfJiddu Krishnamurti - A Educação e o Significado da Vida.pdf
Jiddu Krishnamurti - A Educação e o Significado da Vida.pdf
 
Estagios da comunicacao e a pnl
Estagios da comunicacao e a pnlEstagios da comunicacao e a pnl
Estagios da comunicacao e a pnl
 

Mais de Felipe Serra

3 filo prov. multidiciplinar bc 4bi
3 filo    prov. multidiciplinar  bc 4bi3 filo    prov. multidiciplinar  bc 4bi
3 filo prov. multidiciplinar bc 4bi
Felipe Serra
 
3 filo prov. multidiciplinar bc 3bi
3 filo    prov. multidiciplinar  bc 3bi3 filo    prov. multidiciplinar  bc 3bi
3 filo prov. multidiciplinar bc 3bi
Felipe Serra
 
3 fil prov. esp. bc 3bi
3 fil prov. esp. bc 3bi 3 fil prov. esp. bc 3bi
3 fil prov. esp. bc 3bi
Felipe Serra
 
3 fil prov. esp. bc 4bi
3 fil    prov. esp.  bc 4bi3 fil    prov. esp.  bc 4bi
3 fil prov. esp. bc 4bi
Felipe Serra
 
3 fil prov. esp. 2 cham bc 4bi
3 fil    prov. esp.  2 cham  bc 4bi3 fil    prov. esp.  2 cham  bc 4bi
3 fil prov. esp. 2 cham bc 4bi
Felipe Serra
 
3 fil prov. bimestral bc 4bi
3 fil    prov. bimestral bc 4bi3 fil    prov. bimestral bc 4bi
3 fil prov. bimestral bc 4bi
Felipe Serra
 
3 fil prov. bimestral bc 3bi
3 fil    prov. bimestral  bc 3bi3 fil    prov. bimestral  bc 3bi
3 fil prov. bimestral bc 3bi
Felipe Serra
 
3 fil prov. bimestral 2 cham bc 3bi
3 fil    prov. bimestral  2 cham bc 3bi3 fil    prov. bimestral  2 cham bc 3bi
3 fil prov. bimestral 2 cham bc 3bi
Felipe Serra
 
3 socio prov. esp. bc 3bi
3 socio  prov. esp. bc 3bi 3 socio  prov. esp. bc 3bi
3 socio prov. esp. bc 3bi
Felipe Serra
 
2 socio prov. especifica 3 bimestre
2 socio prov. especifica 3 bimestre 2 socio prov. especifica 3 bimestre
2 socio prov. especifica 3 bimestre
Felipe Serra
 
2 socio prov. multidiciplinar bc 3bi
2 socio    prov. multidiciplinar  bc 3bi2 socio    prov. multidiciplinar  bc 3bi
2 socio prov. multidiciplinar bc 3bi
Felipe Serra
 
2 socio prov. esp. bc 4bi
2 socio    prov. esp.  bc 4bi2 socio    prov. esp.  bc 4bi
2 socio prov. esp. bc 4bi
Felipe Serra
 
2 socio prov. esp. 2 cham bc 4bi
2 socio    prov. esp.  2 cham bc 4bi2 socio    prov. esp.  2 cham bc 4bi
2 socio prov. esp. 2 cham bc 4bi
Felipe Serra
 
2 soc prov. esp. 2 cham bc 3bi
2 soc    prov. esp. 2 cham bc 3bi2 soc    prov. esp. 2 cham bc 3bi
2 soc prov. esp. 2 cham bc 3bi
Felipe Serra
 
2 soc prov. bimestral bc 4bi
2 soc    prov. bimestral bc 4bi2 soc    prov. bimestral bc 4bi
2 soc prov. bimestral bc 4bi
Felipe Serra
 
2 so c prov. bimestral bc 3bi
2 so c    prov. bimestral  bc 3bi2 so c    prov. bimestral  bc 3bi
2 so c prov. bimestral bc 3bi
Felipe Serra
 
2 socio prov. multidiciplinar bc 4bi
2 socio    prov. multidiciplinar  bc 4bi2 socio    prov. multidiciplinar  bc 4bi
2 socio prov. multidiciplinar bc 4bi
Felipe Serra
 
2 soc prov. bimestral 2 chamada 3 bimestre
2 soc prov. bimestral  2 chamada 3 bimestre2 soc prov. bimestral  2 chamada 3 bimestre
2 soc prov. bimestral 2 chamada 3 bimestre
Felipe Serra
 
2 filo prov. multidiciplinar 4bimestre
2 filo prov. multidiciplinar 4bimestre2 filo prov. multidiciplinar 4bimestre
2 filo prov. multidiciplinar 4bimestre
Felipe Serra
 
2 filo prov. multidiciplinar 4 bimestre
2 filo prov. multidiciplinar  4 bimestre2 filo prov. multidiciplinar  4 bimestre
2 filo prov. multidiciplinar 4 bimestre
Felipe Serra
 

Mais de Felipe Serra (20)

3 filo prov. multidiciplinar bc 4bi
3 filo    prov. multidiciplinar  bc 4bi3 filo    prov. multidiciplinar  bc 4bi
3 filo prov. multidiciplinar bc 4bi
 
3 filo prov. multidiciplinar bc 3bi
3 filo    prov. multidiciplinar  bc 3bi3 filo    prov. multidiciplinar  bc 3bi
3 filo prov. multidiciplinar bc 3bi
 
3 fil prov. esp. bc 3bi
3 fil prov. esp. bc 3bi 3 fil prov. esp. bc 3bi
3 fil prov. esp. bc 3bi
 
3 fil prov. esp. bc 4bi
3 fil    prov. esp.  bc 4bi3 fil    prov. esp.  bc 4bi
3 fil prov. esp. bc 4bi
 
3 fil prov. esp. 2 cham bc 4bi
3 fil    prov. esp.  2 cham  bc 4bi3 fil    prov. esp.  2 cham  bc 4bi
3 fil prov. esp. 2 cham bc 4bi
 
3 fil prov. bimestral bc 4bi
3 fil    prov. bimestral bc 4bi3 fil    prov. bimestral bc 4bi
3 fil prov. bimestral bc 4bi
 
3 fil prov. bimestral bc 3bi
3 fil    prov. bimestral  bc 3bi3 fil    prov. bimestral  bc 3bi
3 fil prov. bimestral bc 3bi
 
3 fil prov. bimestral 2 cham bc 3bi
3 fil    prov. bimestral  2 cham bc 3bi3 fil    prov. bimestral  2 cham bc 3bi
3 fil prov. bimestral 2 cham bc 3bi
 
3 socio prov. esp. bc 3bi
3 socio  prov. esp. bc 3bi 3 socio  prov. esp. bc 3bi
3 socio prov. esp. bc 3bi
 
2 socio prov. especifica 3 bimestre
2 socio prov. especifica 3 bimestre 2 socio prov. especifica 3 bimestre
2 socio prov. especifica 3 bimestre
 
2 socio prov. multidiciplinar bc 3bi
2 socio    prov. multidiciplinar  bc 3bi2 socio    prov. multidiciplinar  bc 3bi
2 socio prov. multidiciplinar bc 3bi
 
2 socio prov. esp. bc 4bi
2 socio    prov. esp.  bc 4bi2 socio    prov. esp.  bc 4bi
2 socio prov. esp. bc 4bi
 
2 socio prov. esp. 2 cham bc 4bi
2 socio    prov. esp.  2 cham bc 4bi2 socio    prov. esp.  2 cham bc 4bi
2 socio prov. esp. 2 cham bc 4bi
 
2 soc prov. esp. 2 cham bc 3bi
2 soc    prov. esp. 2 cham bc 3bi2 soc    prov. esp. 2 cham bc 3bi
2 soc prov. esp. 2 cham bc 3bi
 
2 soc prov. bimestral bc 4bi
2 soc    prov. bimestral bc 4bi2 soc    prov. bimestral bc 4bi
2 soc prov. bimestral bc 4bi
 
2 so c prov. bimestral bc 3bi
2 so c    prov. bimestral  bc 3bi2 so c    prov. bimestral  bc 3bi
2 so c prov. bimestral bc 3bi
 
2 socio prov. multidiciplinar bc 4bi
2 socio    prov. multidiciplinar  bc 4bi2 socio    prov. multidiciplinar  bc 4bi
2 socio prov. multidiciplinar bc 4bi
 
2 soc prov. bimestral 2 chamada 3 bimestre
2 soc prov. bimestral  2 chamada 3 bimestre2 soc prov. bimestral  2 chamada 3 bimestre
2 soc prov. bimestral 2 chamada 3 bimestre
 
2 filo prov. multidiciplinar 4bimestre
2 filo prov. multidiciplinar 4bimestre2 filo prov. multidiciplinar 4bimestre
2 filo prov. multidiciplinar 4bimestre
 
2 filo prov. multidiciplinar 4 bimestre
2 filo prov. multidiciplinar  4 bimestre2 filo prov. multidiciplinar  4 bimestre
2 filo prov. multidiciplinar 4 bimestre
 

1 fil prov. especifica 4 bimestre

  • 1. Valor: Centro Educacional BRASIL CENTRAL Educando(a):________________________________________________ 5.0 Ano/Turma: Turno:Matutino Data:____/____/_____ Valor Obtido ________ Avaliação Especifica 4º BIMESTRE Educador(a) (1º Filosofia) Felipe Serra Instruções Gerais: Leia atentamente o enunciado de Estudei e ... cada questão. SEI ! Não rasure e nem amasse. Não utilize corretivo nas questões objetivas. Utilize somente caneta azul para responder. Ao utilizar rascunho, entregue-o junto a prova. É proibido o uso de aparelho celular durante a prova, sob pena de anulação da mesma. Simples assim. TEXTO 1 Imperfeição Poesia de Felipe Serra A coerência é ser contraditório. Pois a mudança é permanente. O silencio ao pensamento é falatório. E a vida... é adaptação! Pose pra foto, como modelo, da nossa invenção. Tiro certeiro, sejam heróis, mas não sejam mocinhos. Seja honesto, seja malandro, consegue? Seja, seja, seja... mas não seja. Alguém sabe o que a gente deseja? Não somos objetos pra consumo, não viemos prontos e nem com garantia. Somos construção de múltiplas interações, de erros e acertos, conclusões. Seguimos... vivendo, sofrendo, ganhando, perdendo, arriscando ou desistindo. Sendo julgados, julgando, condenando, e também perdoando, seguimos. Muitas vezes, estaremos sorrindo, e tantas outras sonhando. Às vezes molhados com frio na chuva, e algumas dançando. Até os desafinados devem cantar, e se for com emoção podem nos encantar. Podemos fazer alegria, gerar harmonia, multiplicar tristeza, inventar gargalhadas, dar porrada. Sabemos espalhar exclusão, dividir calor, planar em poesias, concretizar imaginação. Não é novo, podemos... sabemos... , mas o que queremos? Nem todos os dias serão de afagos, tão pouco serão de labutas. Dias iluminados, dias pálidos, pois assim é a vida, uma variação inconstante. Mas se houver cumplicidade saiba que há validade.
  • 2. Deverão ser marcadas em certo (C) ou errado (E), exceto as questões 5,6 e 7. Questão 1)(C)(E) Segundo o que estudamos é preciso saber o que se quer. A auto-reflexão, ou seja, parar e pensar o que realmente deseja, é fundamental para ter autonomia de decisão, e autoestima. Questão 2)(C)(E) De acordo com o que estudamos é possível afirmar que a felicidade pela escolha de fazer parte do todo e ser está mais no que a pessoa faz de sí mesmo e aceito pelo outros negando a sí mesmo, levam menos no que consegue acumular de bens a sentimentos hostís e rancorosos, materiais. É claro que dinheiro pode ajudar, se prinipalmente, contra aqueles que fazem ela souber o que realmente quer. opção pela plena realização de suas pontenialidades. Por meio da união da ação Questão 3)(C)(E) Conforme nossos estudos com a autorealição. existe um individualismo egoista no qual a Escrito por Felipe Serra pessoa só pensa em sí, desconsiderando os demais. E existe um individualismo Questão 5) Como Nietzsche chama essa responsável, no qual se pensa primeiro em sí felicidade na qual a pessoa abre mão de suas mas levando em conta os outros. Nesse se vontades para atender as exigências da busca atingir seus objetivos sem prejudicar sociedade, para ser parte do grupo? ninguém, adquando a realização de suas ______________________________________ metas ao bem coletivo. Questão 4)(C)(E) Com base em nossos estudos TEXTO III – VERDADE! somente aquele que tem consciência de que um dia vai morrer pode realmente aproveitar a vida, assim sendo, os verdadeiros viventes são os que “colhem o dia” (CARPE DIEM), pois sabem que seu tempo de vida é finito, por isso não se deve desperdiçá-lo. TEXTO II – Para Nietzsche os fracos possuem uma moral recentida que conciste em abandonar seus desejos, suas vontades, para seguir o padrão de comportamente aceito pela sociedade. E esse tipo de “felicidade” gera amargura e frustração. Sendo traços a A realidade existe porem temos dificuldade negação da ação, a em percebê-la, pois cada um enxerga o mundo apatia frente a vida, a de um ponto de vista diferente. Assim com esolha da tristeza em suas experiências, com seus medos, paz ao invez da preconceitos, com suas informações ou felicidade se garantias. desinformações, buscamos uma realidade inalcançável. Porem isso não significa que Contudo os desejos devamos deixar de buscá-la, pelo contrario, reprimidos, obstruidos
  • 3. esse é o fim das ciências e dos seres corretos fator central e facilitador da implementação (bem intencionados). dos projetos que lhes convém, em outras Existe varias teorias sobre a verdade, no palavras na manutenção e ampliação de seus final do século XIX e começo do XX, alguns benefícios. Assim sendo, para manter a filósofos intensificaram as criticas ao conceito dominação e manter os trabalhadores de verdade como representação da realidade, alienados, os burgueses criam as ideologias ou seja, verdade como sendo aquilo que (falsas idéias), que objetivam dar uma pensamos que é a realidade, ou o que interpretação da realidade que dificulte a visão corresponde a realidade, e não a própria do que realmente existe, mantendo ilusões. realidade. Esses filósofos acreditavam que era preciso questionar o que achamos que é realidade, sendo necessário confrontar o que pensamos (ou nos é dito) que é a realidade; com aquilo que vemos (a realidade nua e crua) sem teorias, crenças ou opiniões, somente o que vemos; e também com aquilo que poderia ser (a realidade possível). O filósofo francês Paul Ricoeur cunhou a expressão „mestres da suspeita‟ para se referir a alguns dos teóricos modernos que dão as bases para ser questionar aquilo que pensamos ser a realidade, ou para se aproximar da Freud contestou a idéia de que o centro das verdade real. São eles Nietzsche, Marx e decisões é a consciência, para ele é o contrario, Freud. existe uma parte ao qual chama de Nietzsche em seu livro “Crepúsculo dos inconsciente que interagem com aquilo que Ídolos” afirma que o ser humanos jamais sabemos, e só então agimos. Logo sem saber poderá alcançar a verdade da os determinantes inconscientes de nossa vida pois é parte interessada, percepção da realidade não poderemos e assim sendo, não poderá alcançá-la. olhá-la de forma isenta somente parcial. Contudo isso não significa que não se deva ou não se possa buscar a verdade, pelo contrario, é imprescindível buscá-la, no entanto, com a consciência de nossas limitações. Marx explicita que a interpretação que se dá a realidade pode ser conveniente, mesmo não Mesmo sendo difícil compreender a sendo real, a uma classe e a outra não. Sendo realidade é necessário buscá-la, pois só assim que o interesse da classe explorada é ter superaremos nossas limitações, somente dessa melhores condições de vida, ou seja, o fim da forma é possível fazer escolhas solidas. Quanto exploração. Já para a classe exploradora o mais perto do entendimento da realidade mais interesse é aumentar o lucro, que vem da possibilidades teremos de optar por um mundo exploração do trabalho, por conseqüência melhor para gente, e para os outros também. aumentar a exploração. Dessa forma fica claro Escrito por Felipe Serra que os interesses são opostos e inconciliáveis. E ainda segundo Karl a realidade é Questão 6) Qual autor, segundo o texto, determinada pela luta entre as classes, que por afirma que existem grupos na sociedade que meio de sua consciência ou ignorância, de sua inventam interpretações equivocadas da organização ou desorganização, irão impor realidade para difiultar a compreensão de seus interesses ou terão os mesmos frustrados. como realmente é o mundo? Fica perceptível então que para os dominantes ______________________________________ a desorganização e ignorância dos dominados é
  • 4. Questão 7) Após ler o texto diga quem são os mestres da suspeita? ______________________________________ Questão 8)(C)(E) O texto expõe que todos setores da sociedade, independente da classe, tem interesse que a interpretação da realidade mais próxima do que ela verdadeiramente é, seja um bem comum e acessível . Questão 9)(C)(E) Por meio do texto podemos afirmar ser necessário confrontar o que pensamos que é a realidade; com aquilo que vemos, observamos; e também com o que poderia ser. Questão 10)(C)(E) É dedutivel do texto que a verdade deve ser um horizonte, um proposito humano para a construção de um mundo melhor. E ainda poderiamos acrecentar, sem contradizer o texto, que essa busca exige liberdade de expressão e pensamento, para que se compartilhem as interpretações do real.