SlideShare uma empresa Scribd logo
Valor:
                Centro Educacional BRASIL CENTRAL
                Educando(a):________________________________________________                  5.0
                Ano/Turma: Turno:MatutinoData:____/____/_____
                                                                                     Valor Obtido

                                                                                        ________
                            Avaliação Bimestral 3º BIMESTRE
                                                                                     Educador(a)
                                       (1º Filosofia)
                                                                                      Felipe Serra


Instruções Gerais:
         Leia atentamente o enunciado
 de cada questão.
     Não rasure e nem amasse.
     Não utilize corretivo nas questões
      objetivas.
     Utilize somente caneta azul para
      responder.
     Ao utilizar rascunho, entregue-o
      junto a prova.
     É proibido o uso de aparelho
      celular durante a prova, sob pena
      de anulação da mesma.


 TEXTO 1
                                                                        dos desejos, de maneira
                                                                        que seja possível chegar a
                                                                        um estado de prazer
                                                                        estável e equilibrado e,
                                                                        consequentemente, a um
                                                                        estado de tranquilidade e
                                                                        a       ausência        de
                                                                        perturbações,         pois,
                                                                        conforme Epicuro, há
                                                                        prazeres maus e violentos,
                                                                        decorrentes do vício e que
                                                    são passageiros, provocando somente
 O hedonismo (do grego hedonê,       "prazer",      insatisfação e dor. Mas também há prazeres
 "vontade") é uma teoria ou doutrina                decorrentes da busca equilibrada da
 filosófico-moral que afirma ser o prazer o         Felicidade.
 supremo bem da vida humana. Surgiu
 na Grécia, e importantes representantes            Questão 1) (    ) A partir do texto podemos
 foram Aristipo   de    Cirene e Epicuro.   O       afirmar que segundo Epicuro o hedonismo é
 hedonismo filosófico moderno procura               um prazer mau e violento.
 fundamentar-se numa concepção mais ampla
 de prazer entendida como felicidade para o         TEXTO 2
 maior número de pessoas. Para Epicuro o            Reflexão filosófica sobre o tema da Morte
 prazer deverá ser regido pela razão, o que         "(...) Entre os gregos humano e mortal dizia-se
 resulta em moderação. Salientando que o            com a mesma palavra, como deveria ser.
 prazer é configurado como total ausência de        As plantas e os animais não são mortais
 dor e domínio sobre as emoções e sobre si          porque não sabem que vão morrer, não
 mesmo. Assim para ele a felicidade é               sabem que têm que morrer: morrem mas sem
 alcançada por meio do controle dos medos e         conhecer nunca o seu vínculo individual, de
cada um deles, com a morte. As feras                            o originou se torna vazia passando a outro
pressentem                                                      querer num ciclo sem fim. É como uma droga
o     perigo,                                                   que cada vez que é consumida leva a
entristecem-                                                    necessidade de mais e mais, e nunca há
se com a                                                        satisfação durável só aumenta o vazio.”
doença ou a
velhice, mas                                                    Questão 4)(      ) A parte grifada no texto 1
                                                                deixa claro que as ideias de Epicuro são
ignoram (ou
                                                                consensuais com a de Siddhartha Gautama
parecem
                                                                expostas no texto 3.
que
ignoram?) o
seu abraço                                                      TEXTO 4 - O problema do homem moderno é
essencial                                                       a falta de sentido da vida e o vazio. O
com         a                                                   indivíduo não sabe o que quer e não sabe o que
necessidade                                                     sente. Vive reclamando e em conflito consigo
da     morte.                                                   mesmo. Por vezes angustiado ou em
Não é mortal                                                    depressão. Sua vida é regular, monótona e
quem                                                            rotineira. A falta de sentido provêm da
morre, mas                                                      incapacidade de auto-conhecer e agir como
quem está                                                       ser pensante e autônomo. Ao não analisar sua
certo de que                                                    existência e seu mundo interior, torna-se
vai morrer. Embora também pudéssemos                            incapaz de dirigir sua própria vida. Hoje é
dizer que nem as plantas nem os animais                         notório que o homem moderno não escolhe
                                                                autenticamente a vida que quer levar. Ele
estão, por esse motivo, vivos no mesmo
                                                                assume compromissos sociais, morais e
sentido     em     que     nós      estamos.
                                                                religiosos que geralmente não pode cumprir.
Os verdadeiros viventes são só os mortais,                       Por escolher mal ele paga um preço muito
porque sabemos que deixaremos de viver e                        alto, pois não consegue se libertar de suas
que é exactamente nisso que a vida consiste."                   escolhas e fica angustiado. Para Sartre a
Fernando Savater, As Perguntas da Vida, pág. 32. Em:
<http://cafedosfilosofos.blogspot.com.br/2007/04/reflexo-       angustia surge da consciência de nossa
filosfica-sobre-o-tema-da-morte.html>.      Acessado      em:   liberdade, surge da responsabilidade por
09/09/2012
                                                                nossos atos. Sartre diagnosticou que a maior
                                                                parte dos seres humanos preferem não ser
As questões a seguir deverão ser
                                                                livres. Eles preferem a não-liberdade sentir
julgadas em certo (C) ou errado (E).
                                                                angústia de escolher. Alguns prendem-se a
                                                                                        riquezas, outros a
Questão 2)( ) A partir da reflexão do texto 2
                                                                                        fama. Uns levam o
podemos entender que os mortais são os
                                                                                        peso de seu orgulho,
verdadeiros viventes, pois a consciência da
                                                                                        outros o peso da
morte lhes possibilita pensar e escolher que
                                                                                        solidão. Uns prende-
tipo de vida querem ter, o que lhes faz feliz.
                                                                                        se ao casamento,
                                                                                        outros a religião. Um
Questão 3)(    ) A imagem do texto 2 de um
                                                                                        curva a cabeça ao seu
velhinho surfando está em consonância com a
                                                                                        chefe, outro a família.
idéia “CARPE DIEM”.
                                                                                        O homem tem medo
                                                                                        da liberdade. Para
                                                                esses a liberdade gera angústia. E não
TEXTO 3: “...segundo essa lógica de
                                                                suportando fogem dela para não assumir a
pensamento seria a busca por essa felicidade
                                                                liberdade, tornando-se incapazes de escolher.
(realização dos desejos, do eu quero eu não
                                                                São homens da má-fé. A má-fé é a atitude
quero no futuro, dos objetivos) a origem do
                                                                característica daquele que não é capaz de
sofrimento, porque após a realização de
                                                                escolher. Este tipo aceita passivamente sua
determinado objetivo (desejo) a felicidade que
situação, pensa que sua vida é assim porque          TEXTO 6
Deus quis e que não pode mudar seu destino.          Para que possamos conseguir um sentimento
Ele aceita os valores, normas e regras da            de satisfação, que em geral a felicidade
tradição passivamente sem nunca refletir             comporta é necessário que reflitamos sobre nós
sobre elas. Engana a si mesmo e pensa que é          mesmos para que possamos saber o que
dono de seus atos. Adaptações do texto “Sartre e a   realmente queremos, o que nos influência e
Origem da Angústia” de Michel Aires de Souza.
                                                     quais são os nossos verdadeiros objetivos. Ou
                                                     seja, projetos que darão sentido as nossas
Questão 5)( ) Sartre observou que o homem            decisões. Caso o contrário poderemos ficar
moderno tem uma vida vazia e sem sentido, e          como “baratas tontas”, perdidos, ou como
conforme aponta o texto, esse é o motivo de          “Maria vai com as outras” fazendo o que os
sua angústia.                                        outros acham melhor para nossa vida.


Questão 6)(      ) No texto 4 o autor apresenta
o problema do homem moderno, na analise de
Sartre. Que é a ausência de escolhas e a
percepção de que não é livre, pois a sociedade
lhe impede. E sentido-se preso e sem escolhas
fica angustiado.

TEXTO 5: “Esta moral causadora da doença e
da degenerescência do animal homem, essa
moral do escravo, torna a coletividade o
instinto fundamental. Se a felicidade do forte
é uma derivação de sua própria constituição e
                                                     Questão 10)(      ) Segundo o texto refletir
se consolida na união da alegria com a ação,
                                                     sobre si mesmo é perca de tempo.
no sentido de plena realização de todas as
suas potencialidades, através de seu sim inicial
                                                     Questão 11)( )Podemos afirmar que a auto-
à vida; no fraco, pelo contrário, chega pela
                                                     reflexão, o autoconhecimento, de que fala o
negação da ação, pela apatia frente à vida,
                                                     texto 6, implicitamente ou explicitamente é
pelo repouso e pela paz: “a felicidade, ao nível
                                                     apontado como condição para felicidade em
dos impotentes, os obstruídos, os de
                                                     todos os teóricos que estudamos.
sentimentos hostis e venenosos, (...) aparece
sob a forma de estupefação, de sonho, de
                                                     TEXTO 7
repouso, de paz, numa palavra, sob a forma           ID: Constitui
passiva”. No forte, a felicidade deriva da           o reservatório
atividade e da auto-afirmação. No fraco, da          de      energia
passividade e da coletividade, da negação do         psíquica, das
outro.”                                              características
                                                     atribuídas ao
Questão 7)( ) O texto 5 expõe a felicidade de        sistema
rebanho criticada por Nietzsche.                     inconsciente,
                                                     e é regido
Questão 8)(    ) A partir do texto 5 podemos         pelo princípio
perceber que Nietzsche é contra a moral do           do       prazer
fraco, também chamada de moral do escravo.           (Psiquê que visa apenas o prazer do indivíduo).
                                                     SUPEREGO: Origina-se da internalização das
Questão 9)(    ) Segundo o texto 5 Nietzsche         proibições, dos limites e da autoridade. (É algo
defende que o interesse coletivo deve sobrepor       além do ego que fica sempre te censurando e
as vontades individuais essa é a atitude do          dizendo: Isso não está certo, não faça aquilo,
forte.
não faça isso, ou seja, aquela que dói quando      encontradas em nossos
prejudicamos alguém, é o nosso "freio".)           padrões de consumo. O
EGO: É o sistema que estabelece o equilíbrio       próprio     significado    e
entre as exigências do id, as exigências da        importância de nossas vidas
realidade e as ordens do superego. A               a partir de hoje deve ser
verdadeira personalidade, que decide se acata      expresso em termos de
as decisões do (Id) ou do (Superego).              consumo. Quanto maiores
                                                   as pressões sobre o
Questão 12)(     ) Às vezes o EGO de uma           indivíduo para estar em
pessoa só dá ouvidos ao ID, e assim ele age        conformidade e seguro a
unicamente por prazer, sendo inconseqüente e       aceitar as regras sociais ,mais ele tenderá a
irresponsável. Ou escuta apenas o SUPEREGO         expressar suas aspirações e sua individualidade
se reprimindo e se culpando excessivamente, o      por meio do que veste, dirige, come – sua casa, seu
que pode levá-la a depressão. Mas é                carro, seu cardápio, os seus “hobbies”.        Nós
                                                   precisamos que as coisas sejam consumidas,
perfeitamente possível que o individuo
                                                   queimadas,      desgastadas,      substituídas    e
estabeleça o equilíbrio sobre o EGO, às vezes
                                                   descartadas em um ritmo cada vez mais intenso.
com ajuda outras sozinho, porém é algo que só
                                                   Precisamos ter pessoas comendo, bebendo,
ele pode fazer. Pois na luta entre o ID e o
                                                   vestido, andando, e vivendo, com cada vez mais
SUPEREGO é o EGO quem decide o que
                                                   complexidade e, portanto, o consumo, sempre será
fazemos.                                           mais caro. “
TEXTO 8: Rompe com esse dualismo (corpo e
                                                   Questão 14)(    ) A partir do texto podemos
alma) com a teoria do paralelismo segundo a
qual quando passivos somos de corpo e alma, e      perceber que a felicidade de consumo é uma
do contrario, quando ativos somos de corpo e       escolha da sociedade moderna, pois atende
alma. Ele ainda concebe a paixão alegre e a        nossas necessidades básicas de sobrevivência.
triste. Sendo que a primeira ocorre quando
nossa força interna aumenta e, por conseguinte,
nosso ser e capacidade de agir. A paixão triste
é quando uma causa externa é mais forte que
nossa força interna assim afasta nossa potência
de agir, por ser geradora de ódio, indagação,
inveja, crueldade, ressentimento, melancolia,
remorso, vingança, etc, sentimentos que
tomam tempo, tornam nebulosa a visão, cegam
o caminho da felicidade. Por isso só uma
paixão alegre pode destruir uma paixão triste.

Questão 13)(       ) O texto acima refere-se a
teoria de Espinosa, segundo a qual a alma é a
razão e o corpo, inferior, concede a ela os
sentimentos. Assim o corpo deve ser passivo e
a alma ativa, e não o contrario. Assim cabe a
alma controlar as paixões que prejudicam a
atividade intelectual e provocam a tristeza.

TEXTO 9: Segundo Lebow “Nossa economia
enormemente produtiva exige que façamos do
consumo o nosso sistema de vida, que
transformemos a compra e uso de bens em rituais,
que busquemos a nossa satisfação espiritual e do
ego no consumo. A medida do status, da aceitação
social, do prestigio, estás agora devem ser
TEXTO 10: O mito é usado no mundo todo
para refletir sobre uma forma de
individualismo na qual a pessoa se perde num
exacerbado amor próprio, que a priva num
sentimento egoísta pelo qual os outros não
importam, e assim, centrada em si mesma e
desconsiderando o coletivo, fere, magoa,
“atropela e passa por cima”, pois perdida em
si não consegue ver os outro, passando a
moral inescrupulosa, isolando-se e criando
inimigos.
Mas existe outro tipo. Nesse a pessoa se
respeita, tem amor próprio e colocando-se em
primeiro lugar, mas não desconsidera os
outros, e nem sua responsabilidade para com
eles. E por meio da auto-reflexão busca se
conhecer, saber o que quer para construir um
projeto de vida, dessa forma exercendo
autonomia de decisão. Pois só estando bem
consigo, ciente de suas qualidades e defeitos,
como de suas expectativas e possibilidades, e
que é possível estar em equilíbrio para lidar
bem com os outros. E assim desenvolver uma
relação interpessoal de sucesso, capaz de
colaborar com seu projeto pessoal e com o
projeto do grupo.

Questão 15)(        ) O texto 9 fala sobre o
individualismo e como ele sempre atrapalha,
fere, magoa, “atropela e passa por cima”. O
individualismo é algo extremamente maléfico
e deve ser rejeitado.



“Apenas quando não houver mais
peixes no mar, animais na fauna
e árvores nas florestas é que o
homem aprenderá que não se
come dinheiro.”




                                                 BOA PROVA!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Transtornos alimentares 2008
Transtornos alimentares 2008Transtornos alimentares 2008
Transtornos alimentares 2008
Marcelo da Rocha Carvalho
 
O ser humano e as organizações
O ser humano e as organizaçõesO ser humano e as organizações
O ser humano e as organizações
João Bittencourt
 
Aula Inaugural Ano Acadêmico 2013 Saúde da Famúlia - Fiocruz - Ser com os outros
Aula Inaugural Ano Acadêmico 2013 Saúde da Famúlia - Fiocruz - Ser com os outrosAula Inaugural Ano Acadêmico 2013 Saúde da Famúlia - Fiocruz - Ser com os outros
Aula Inaugural Ano Acadêmico 2013 Saúde da Famúlia - Fiocruz - Ser com os outros
Julio Alberto Wong Un
 
Juventude e emoção
Juventude e emoçãoJuventude e emoção
Juventude e emoção
Ana Paula Ribeiro de Oliveira
 
Felicidade
FelicidadeFelicidade
Ptgv 05
Ptgv 05Ptgv 05
Astrologia Chinesa
Astrologia ChinesaAstrologia Chinesa
Astrologia Chinesa
RODRIGO ORION
 
Diga não ao suicídio
Diga não ao suicídioDiga não ao suicídio
Diga não ao suicídio
Helio Cruz
 
Luiz Antonio Gasparetto - Curso energética e mediunidade
Luiz Antonio Gasparetto - Curso energética e mediunidadeLuiz Antonio Gasparetto - Curso energética e mediunidade
Luiz Antonio Gasparetto - Curso energética e mediunidade
Fernando Anselmo
 
Revista Grito de Alerta -Tema Suicídio.
Revista Grito de Alerta -Tema Suicídio.Revista Grito de Alerta -Tema Suicídio.
Revista Grito de Alerta -Tema Suicídio.
NEPP- Estudos Em Psicanálise
 
Causas das doencas de acordo com paracelso
Causas das doencas de acordo com paracelso Causas das doencas de acordo com paracelso
Causas das doencas de acordo com paracelso
Fernanda Checchinato
 
Boletim esperança 46
Boletim esperança 46Boletim esperança 46
Boletim esperança 46
Robervaldu
 
Hazrat Inayat Khan Alquimia da Felicidade
Hazrat Inayat Khan  Alquimia da FelicidadeHazrat Inayat Khan  Alquimia da Felicidade
Hazrat Inayat Khan Alquimia da Felicidade
HubertoRohden1
 
090211 desgosto da vida-suicídio – livro iv, cap.1
090211 desgosto da vida-suicídio – livro iv, cap.1090211 desgosto da vida-suicídio – livro iv, cap.1
090211 desgosto da vida-suicídio – livro iv, cap.1
Carlos Alberto Freire De Souza
 
Causas do suicídio - Visão Espírita
Causas do suicídio - Visão EspíritaCausas do suicídio - Visão Espírita
Causas do suicídio - Visão Espírita
Laila Rúbia
 
Destino: A Casa de Hades - um estudo sobre a relação do homem ocidental com a...
Destino: A Casa de Hades - um estudo sobre a relação do homem ocidental com a...Destino: A Casa de Hades - um estudo sobre a relação do homem ocidental com a...
Destino: A Casa de Hades - um estudo sobre a relação do homem ocidental com a...
Simone Elisa Heitor
 

Mais procurados (16)

Transtornos alimentares 2008
Transtornos alimentares 2008Transtornos alimentares 2008
Transtornos alimentares 2008
 
O ser humano e as organizações
O ser humano e as organizaçõesO ser humano e as organizações
O ser humano e as organizações
 
Aula Inaugural Ano Acadêmico 2013 Saúde da Famúlia - Fiocruz - Ser com os outros
Aula Inaugural Ano Acadêmico 2013 Saúde da Famúlia - Fiocruz - Ser com os outrosAula Inaugural Ano Acadêmico 2013 Saúde da Famúlia - Fiocruz - Ser com os outros
Aula Inaugural Ano Acadêmico 2013 Saúde da Famúlia - Fiocruz - Ser com os outros
 
Juventude e emoção
Juventude e emoçãoJuventude e emoção
Juventude e emoção
 
Felicidade
FelicidadeFelicidade
Felicidade
 
Ptgv 05
Ptgv 05Ptgv 05
Ptgv 05
 
Astrologia Chinesa
Astrologia ChinesaAstrologia Chinesa
Astrologia Chinesa
 
Diga não ao suicídio
Diga não ao suicídioDiga não ao suicídio
Diga não ao suicídio
 
Luiz Antonio Gasparetto - Curso energética e mediunidade
Luiz Antonio Gasparetto - Curso energética e mediunidadeLuiz Antonio Gasparetto - Curso energética e mediunidade
Luiz Antonio Gasparetto - Curso energética e mediunidade
 
Revista Grito de Alerta -Tema Suicídio.
Revista Grito de Alerta -Tema Suicídio.Revista Grito de Alerta -Tema Suicídio.
Revista Grito de Alerta -Tema Suicídio.
 
Causas das doencas de acordo com paracelso
Causas das doencas de acordo com paracelso Causas das doencas de acordo com paracelso
Causas das doencas de acordo com paracelso
 
Boletim esperança 46
Boletim esperança 46Boletim esperança 46
Boletim esperança 46
 
Hazrat Inayat Khan Alquimia da Felicidade
Hazrat Inayat Khan  Alquimia da FelicidadeHazrat Inayat Khan  Alquimia da Felicidade
Hazrat Inayat Khan Alquimia da Felicidade
 
090211 desgosto da vida-suicídio – livro iv, cap.1
090211 desgosto da vida-suicídio – livro iv, cap.1090211 desgosto da vida-suicídio – livro iv, cap.1
090211 desgosto da vida-suicídio – livro iv, cap.1
 
Causas do suicídio - Visão Espírita
Causas do suicídio - Visão EspíritaCausas do suicídio - Visão Espírita
Causas do suicídio - Visão Espírita
 
Destino: A Casa de Hades - um estudo sobre a relação do homem ocidental com a...
Destino: A Casa de Hades - um estudo sobre a relação do homem ocidental com a...Destino: A Casa de Hades - um estudo sobre a relação do homem ocidental com a...
Destino: A Casa de Hades - um estudo sobre a relação do homem ocidental com a...
 

Destaque

2 fil prov. especifica 2 chamada 3 bimestre
2 fil prov. especifica 2 chamada 3 bimestre2 fil prov. especifica 2 chamada 3 bimestre
2 fil prov. especifica 2 chamada 3 bimestre
Felipe Serra
 
1 soc prov. especifica. 2 chamada 3 bimestre
1 soc prov. especifica. 2 chamada 3 bimestre1 soc prov. especifica. 2 chamada 3 bimestre
1 soc prov. especifica. 2 chamada 3 bimestre
Felipe Serra
 
1 socio prov. espeifica 2 chamada 4 bimestral
1 socio  prov. espeifica 2 chamada 4 bimestral1 socio  prov. espeifica 2 chamada 4 bimestral
1 socio prov. espeifica 2 chamada 4 bimestral
Felipe Serra
 
3 socio prov. esp. 2 cham bc 4bi
3 socio    prov. esp. 2 cham  bc 4bi3 socio    prov. esp. 2 cham  bc 4bi
3 socio prov. esp. 2 cham bc 4bi
Felipeprofserra
 
3 so c prov. bimestral 2 cham bc 3bi
3 so c    prov. bimestral  2 cham bc 3bi3 so c    prov. bimestral  2 cham bc 3bi
3 so c prov. bimestral 2 cham bc 3bi
Felipeprofserra
 
1 socio prov. multidiciplinar 4 bimestre
1 socio prov. multidiciplinar   4 bimestre1 socio prov. multidiciplinar   4 bimestre
1 socio prov. multidiciplinar 4 bimestre
Felipe Serra
 
3 fil prov. bimestral bc 4bi
3 fil    prov. bimestral bc 4bi3 fil    prov. bimestral bc 4bi
3 fil prov. bimestral bc 4bi
Felipe Serra
 
2 socio prov. especifica 3 bimestre
2 socio prov. especifica 3 bimestre 2 socio prov. especifica 3 bimestre
2 socio prov. especifica 3 bimestre
Felipe Serra
 
2 socio prov. multidiciplinar bc 4bi
2 socio    prov. multidiciplinar  bc 4bi2 socio    prov. multidiciplinar  bc 4bi
2 socio prov. multidiciplinar bc 4bi
Felipe Serra
 
2 filo prov. multidiciplinar 4bimestre
2 filo prov. multidiciplinar 4bimestre2 filo prov. multidiciplinar 4bimestre
2 filo prov. multidiciplinar 4bimestre
Felipe Serra
 
2 so c prov. bimestral bc 3bi
2 so c    prov. bimestral  bc 3bi2 so c    prov. bimestral  bc 3bi
2 so c prov. bimestral bc 3bi
Felipe Serra
 
2 fil prov. bimestral 3 bimestre
2 fil prov. bimestral  3 bimestre2 fil prov. bimestral  3 bimestre
2 fil prov. bimestral 3 bimestre
Felipe Serra
 
2 socio prov. esp. 2 cham bc 4bi
2 socio    prov. esp.  2 cham bc 4bi2 socio    prov. esp.  2 cham bc 4bi
2 socio prov. esp. 2 cham bc 4bi
Felipe Serra
 
1 socio prov. especifica 3 bimestral
1 socio  prov. especifica 3 bimestral1 socio  prov. especifica 3 bimestral
1 socio prov. especifica 3 bimestral
Felipe Serra
 
1 filo prov. multidiciplinar 4bimestre
1 filo    prov. multidiciplinar  4bimestre1 filo    prov. multidiciplinar  4bimestre
1 filo prov. multidiciplinar 4bimestre
Felipe Serra
 
2 soc prov. bimestral bc 4bi
2 soc    prov. bimestral bc 4bi2 soc    prov. bimestral bc 4bi
2 soc prov. bimestral bc 4bi
Felipe Serra
 
1 fil prov. bimestral 2 cham bc 3bi
1 fil    prov. bimestral  2 cham bc 3bi1 fil    prov. bimestral  2 cham bc 3bi
1 fil prov. bimestral 2 cham bc 3bi
Felipe Serra
 
2 socio prov. esp. bc 4bi
2 socio    prov. esp.  bc 4bi2 socio    prov. esp.  bc 4bi
2 socio prov. esp. bc 4bi
Felipe Serra
 
2 fil prov. especifica 3 bimestre
2 fil prov. especifica 3 bimestre2 fil prov. especifica 3 bimestre
2 fil prov. especifica 3 bimestre
Felipe Serra
 
1 soc prov. bimestral 4 bimestre
1 soc    prov. bimestral  4 bimestre1 soc    prov. bimestral  4 bimestre
1 soc prov. bimestral 4 bimestre
Felipe Serra
 

Destaque (20)

2 fil prov. especifica 2 chamada 3 bimestre
2 fil prov. especifica 2 chamada 3 bimestre2 fil prov. especifica 2 chamada 3 bimestre
2 fil prov. especifica 2 chamada 3 bimestre
 
1 soc prov. especifica. 2 chamada 3 bimestre
1 soc prov. especifica. 2 chamada 3 bimestre1 soc prov. especifica. 2 chamada 3 bimestre
1 soc prov. especifica. 2 chamada 3 bimestre
 
1 socio prov. espeifica 2 chamada 4 bimestral
1 socio  prov. espeifica 2 chamada 4 bimestral1 socio  prov. espeifica 2 chamada 4 bimestral
1 socio prov. espeifica 2 chamada 4 bimestral
 
3 socio prov. esp. 2 cham bc 4bi
3 socio    prov. esp. 2 cham  bc 4bi3 socio    prov. esp. 2 cham  bc 4bi
3 socio prov. esp. 2 cham bc 4bi
 
3 so c prov. bimestral 2 cham bc 3bi
3 so c    prov. bimestral  2 cham bc 3bi3 so c    prov. bimestral  2 cham bc 3bi
3 so c prov. bimestral 2 cham bc 3bi
 
1 socio prov. multidiciplinar 4 bimestre
1 socio prov. multidiciplinar   4 bimestre1 socio prov. multidiciplinar   4 bimestre
1 socio prov. multidiciplinar 4 bimestre
 
3 fil prov. bimestral bc 4bi
3 fil    prov. bimestral bc 4bi3 fil    prov. bimestral bc 4bi
3 fil prov. bimestral bc 4bi
 
2 socio prov. especifica 3 bimestre
2 socio prov. especifica 3 bimestre 2 socio prov. especifica 3 bimestre
2 socio prov. especifica 3 bimestre
 
2 socio prov. multidiciplinar bc 4bi
2 socio    prov. multidiciplinar  bc 4bi2 socio    prov. multidiciplinar  bc 4bi
2 socio prov. multidiciplinar bc 4bi
 
2 filo prov. multidiciplinar 4bimestre
2 filo prov. multidiciplinar 4bimestre2 filo prov. multidiciplinar 4bimestre
2 filo prov. multidiciplinar 4bimestre
 
2 so c prov. bimestral bc 3bi
2 so c    prov. bimestral  bc 3bi2 so c    prov. bimestral  bc 3bi
2 so c prov. bimestral bc 3bi
 
2 fil prov. bimestral 3 bimestre
2 fil prov. bimestral  3 bimestre2 fil prov. bimestral  3 bimestre
2 fil prov. bimestral 3 bimestre
 
2 socio prov. esp. 2 cham bc 4bi
2 socio    prov. esp.  2 cham bc 4bi2 socio    prov. esp.  2 cham bc 4bi
2 socio prov. esp. 2 cham bc 4bi
 
1 socio prov. especifica 3 bimestral
1 socio  prov. especifica 3 bimestral1 socio  prov. especifica 3 bimestral
1 socio prov. especifica 3 bimestral
 
1 filo prov. multidiciplinar 4bimestre
1 filo    prov. multidiciplinar  4bimestre1 filo    prov. multidiciplinar  4bimestre
1 filo prov. multidiciplinar 4bimestre
 
2 soc prov. bimestral bc 4bi
2 soc    prov. bimestral bc 4bi2 soc    prov. bimestral bc 4bi
2 soc prov. bimestral bc 4bi
 
1 fil prov. bimestral 2 cham bc 3bi
1 fil    prov. bimestral  2 cham bc 3bi1 fil    prov. bimestral  2 cham bc 3bi
1 fil prov. bimestral 2 cham bc 3bi
 
2 socio prov. esp. bc 4bi
2 socio    prov. esp.  bc 4bi2 socio    prov. esp.  bc 4bi
2 socio prov. esp. bc 4bi
 
2 fil prov. especifica 3 bimestre
2 fil prov. especifica 3 bimestre2 fil prov. especifica 3 bimestre
2 fil prov. especifica 3 bimestre
 
1 soc prov. bimestral 4 bimestre
1 soc    prov. bimestral  4 bimestre1 soc    prov. bimestral  4 bimestre
1 soc prov. bimestral 4 bimestre
 

Semelhante a 1 fil prov. bimestral 2 cham bc 3bi

2 filo prov. multidiciplinar 3 bimestre
2 filo    prov. multidiciplinar   3 bimestre2 filo    prov. multidiciplinar   3 bimestre
2 filo prov. multidiciplinar 3 bimestre
Felipe Serra
 
3 filo prov. multidiciplinar bc 3bi
3 filo    prov. multidiciplinar  bc 3bi3 filo    prov. multidiciplinar  bc 3bi
3 filo prov. multidiciplinar bc 3bi
Felipe Serra
 
Religião e o sentido da existência
Religião e o sentido da existênciaReligião e o sentido da existência
Religião e o sentido da existência
mluisavalente
 
Material de revisão
Material de revisãoMaterial de revisão
Material de revisão
Felipe Serra
 
1 fil prov. especifica 4 bimestre
1 fil    prov. especifica  4 bimestre1 fil    prov. especifica  4 bimestre
1 fil prov. especifica 4 bimestre
Felipe Serra
 
Apostilafreud
ApostilafreudApostilafreud
Apostilafreud
Polyana Benfica
 
Como lidar com a morte
Como lidar com a morte Como lidar com a morte
Como lidar com a morte
Felipe Cruz
 
Epicurismo Rick and Morty
Epicurismo Rick and MortyEpicurismo Rick and Morty
Epicurismo Rick and Morty
João Pedro Zanella
 
00.FALTA_Psicologia_da_Morte.pdf
00.FALTA_Psicologia_da_Morte.pdf00.FALTA_Psicologia_da_Morte.pdf
00.FALTA_Psicologia_da_Morte.pdf
Gabinete De Psicologia
 
09 egoismo
09 egoismo09 egoismo
09 egoismo
09 egoismo09 egoismo
O mal estar na civilização
O mal estar na civilizaçãoO mal estar na civilização
O mal estar na civilização
Jorge Miklos
 
2 SÉRIE - ÉTICA HELENÍSTICA I - AULA 09 (1).pptx
2 SÉRIE - ÉTICA HELENÍSTICA I - AULA 09 (1).pptx2 SÉRIE - ÉTICA HELENÍSTICA I - AULA 09 (1).pptx
2 SÉRIE - ÉTICA HELENÍSTICA I - AULA 09 (1).pptx
ssuser47aa16
 
Bas 04 ética de epicuro
Bas 04 ética de epicuroBas 04 ética de epicuro
Bas 04 ética de epicuro
Tate Carreiro
 
Trabalho de filosofia 3C
Trabalho de filosofia 3CTrabalho de filosofia 3C
Trabalho de filosofia 3C
Melonita
 
ATIVIDADE 1 - CFEL - FILOSOFIA DA FELICIDADE.pdf
ATIVIDADE 1 - CFEL - FILOSOFIA DA FELICIDADE.pdfATIVIDADE 1 - CFEL - FILOSOFIA DA FELICIDADE.pdf
ATIVIDADE 1 - CFEL - FILOSOFIA DA FELICIDADE.pdf
Einstein Assessoria Acadêmica
 
Sentidodavida
SentidodavidaSentidodavida
Sentidodavida
mluisavalente
 
Gestao de-si eniobrito-conage
Gestao de-si eniobrito-conageGestao de-si eniobrito-conage
Gestao de-si eniobrito-conage
conage2013
 
Revista Projeto Inove 01
Revista Projeto Inove 01Revista Projeto Inove 01
Revista Projeto Inove 01
projetoinove
 
Felicidade sustentável epicuro e_a_felicidade
Felicidade sustentável  epicuro e_a_felicidadeFelicidade sustentável  epicuro e_a_felicidade
Felicidade sustentável epicuro e_a_felicidade
MARISE VON FRUHAUF HUBLARD
 

Semelhante a 1 fil prov. bimestral 2 cham bc 3bi (20)

2 filo prov. multidiciplinar 3 bimestre
2 filo    prov. multidiciplinar   3 bimestre2 filo    prov. multidiciplinar   3 bimestre
2 filo prov. multidiciplinar 3 bimestre
 
3 filo prov. multidiciplinar bc 3bi
3 filo    prov. multidiciplinar  bc 3bi3 filo    prov. multidiciplinar  bc 3bi
3 filo prov. multidiciplinar bc 3bi
 
Religião e o sentido da existência
Religião e o sentido da existênciaReligião e o sentido da existência
Religião e o sentido da existência
 
Material de revisão
Material de revisãoMaterial de revisão
Material de revisão
 
1 fil prov. especifica 4 bimestre
1 fil    prov. especifica  4 bimestre1 fil    prov. especifica  4 bimestre
1 fil prov. especifica 4 bimestre
 
Apostilafreud
ApostilafreudApostilafreud
Apostilafreud
 
Como lidar com a morte
Como lidar com a morte Como lidar com a morte
Como lidar com a morte
 
Epicurismo Rick and Morty
Epicurismo Rick and MortyEpicurismo Rick and Morty
Epicurismo Rick and Morty
 
00.FALTA_Psicologia_da_Morte.pdf
00.FALTA_Psicologia_da_Morte.pdf00.FALTA_Psicologia_da_Morte.pdf
00.FALTA_Psicologia_da_Morte.pdf
 
09 egoismo
09 egoismo09 egoismo
09 egoismo
 
09 egoismo
09 egoismo09 egoismo
09 egoismo
 
O mal estar na civilização
O mal estar na civilizaçãoO mal estar na civilização
O mal estar na civilização
 
2 SÉRIE - ÉTICA HELENÍSTICA I - AULA 09 (1).pptx
2 SÉRIE - ÉTICA HELENÍSTICA I - AULA 09 (1).pptx2 SÉRIE - ÉTICA HELENÍSTICA I - AULA 09 (1).pptx
2 SÉRIE - ÉTICA HELENÍSTICA I - AULA 09 (1).pptx
 
Bas 04 ética de epicuro
Bas 04 ética de epicuroBas 04 ética de epicuro
Bas 04 ética de epicuro
 
Trabalho de filosofia 3C
Trabalho de filosofia 3CTrabalho de filosofia 3C
Trabalho de filosofia 3C
 
ATIVIDADE 1 - CFEL - FILOSOFIA DA FELICIDADE.pdf
ATIVIDADE 1 - CFEL - FILOSOFIA DA FELICIDADE.pdfATIVIDADE 1 - CFEL - FILOSOFIA DA FELICIDADE.pdf
ATIVIDADE 1 - CFEL - FILOSOFIA DA FELICIDADE.pdf
 
Sentidodavida
SentidodavidaSentidodavida
Sentidodavida
 
Gestao de-si eniobrito-conage
Gestao de-si eniobrito-conageGestao de-si eniobrito-conage
Gestao de-si eniobrito-conage
 
Revista Projeto Inove 01
Revista Projeto Inove 01Revista Projeto Inove 01
Revista Projeto Inove 01
 
Felicidade sustentável epicuro e_a_felicidade
Felicidade sustentável  epicuro e_a_felicidadeFelicidade sustentável  epicuro e_a_felicidade
Felicidade sustentável epicuro e_a_felicidade
 

Mais de Felipe Serra

3 filo prov. multidiciplinar bc 4bi
3 filo    prov. multidiciplinar  bc 4bi3 filo    prov. multidiciplinar  bc 4bi
3 filo prov. multidiciplinar bc 4bi
Felipe Serra
 
3 fil prov. esp. bc 3bi
3 fil prov. esp. bc 3bi 3 fil prov. esp. bc 3bi
3 fil prov. esp. bc 3bi
Felipe Serra
 
3 fil prov. esp. 2 cham bc 3bi
3 fil    prov. esp. 2 cham bc 3bi3 fil    prov. esp. 2 cham bc 3bi
3 fil prov. esp. 2 cham bc 3bi
Felipe Serra
 
3 fil prov. esp. bc 4bi
3 fil    prov. esp.  bc 4bi3 fil    prov. esp.  bc 4bi
3 fil prov. esp. bc 4bi
Felipe Serra
 
3 fil prov. esp. 2 cham bc 4bi
3 fil    prov. esp.  2 cham  bc 4bi3 fil    prov. esp.  2 cham  bc 4bi
3 fil prov. esp. 2 cham bc 4bi
Felipe Serra
 
3 fil prov. bimestral bc 3bi
3 fil    prov. bimestral  bc 3bi3 fil    prov. bimestral  bc 3bi
3 fil prov. bimestral bc 3bi
Felipe Serra
 
3 fil prov. bimestral 2 cham bc 3bi
3 fil    prov. bimestral  2 cham bc 3bi3 fil    prov. bimestral  2 cham bc 3bi
3 fil prov. bimestral 2 cham bc 3bi
Felipe Serra
 
3 socio prov. esp. bc 3bi
3 socio  prov. esp. bc 3bi 3 socio  prov. esp. bc 3bi
3 socio prov. esp. bc 3bi
Felipe Serra
 
2 socio prov. multidiciplinar bc 3bi
2 socio    prov. multidiciplinar  bc 3bi2 socio    prov. multidiciplinar  bc 3bi
2 socio prov. multidiciplinar bc 3bi
Felipe Serra
 
2 soc prov. esp. 2 cham bc 3bi
2 soc    prov. esp. 2 cham bc 3bi2 soc    prov. esp. 2 cham bc 3bi
2 soc prov. esp. 2 cham bc 3bi
Felipe Serra
 
2 soc prov. bimestral 2 chamada 3 bimestre
2 soc prov. bimestral  2 chamada 3 bimestre2 soc prov. bimestral  2 chamada 3 bimestre
2 soc prov. bimestral 2 chamada 3 bimestre
Felipe Serra
 
2 filo prov. multidiciplinar 4 bimestre
2 filo prov. multidiciplinar  4 bimestre2 filo prov. multidiciplinar  4 bimestre
2 filo prov. multidiciplinar 4 bimestre
Felipe Serra
 
2 fil prov. esp.bc 3bi (modific) (1)
2 fil    prov. esp.bc 3bi (modific) (1)2 fil    prov. esp.bc 3bi (modific) (1)
2 fil prov. esp.bc 3bi (modific) (1)
Felipe Serra
 
2 fil prov. especifica 2 chamada 4 bimestre
2 fil prov. especifica 2 chamada 4 bimestre2 fil prov. especifica 2 chamada 4 bimestre
2 fil prov. especifica 2 chamada 4 bimestre
Felipe Serra
 
2 fil prov. especifia 4 bimestre
2 fil prov. especifia 4 bimestre2 fil prov. especifia 4 bimestre
2 fil prov. especifia 4 bimestre
Felipe Serra
 
2 fil prov. bimestral 4 bimestre
2 fil    prov. bimestral  4 bimestre2 fil    prov. bimestral  4 bimestre
2 fil prov. bimestral 4 bimestre
Felipe Serra
 
2 fil prov. bimestral 3 bimestre (tipo 2)
2 fil  prov. bimestral  3 bimestre (tipo 2)2 fil  prov. bimestral  3 bimestre (tipo 2)
2 fil prov. bimestral 3 bimestre (tipo 2)
Felipe Serra
 

Mais de Felipe Serra (17)

3 filo prov. multidiciplinar bc 4bi
3 filo    prov. multidiciplinar  bc 4bi3 filo    prov. multidiciplinar  bc 4bi
3 filo prov. multidiciplinar bc 4bi
 
3 fil prov. esp. bc 3bi
3 fil prov. esp. bc 3bi 3 fil prov. esp. bc 3bi
3 fil prov. esp. bc 3bi
 
3 fil prov. esp. 2 cham bc 3bi
3 fil    prov. esp. 2 cham bc 3bi3 fil    prov. esp. 2 cham bc 3bi
3 fil prov. esp. 2 cham bc 3bi
 
3 fil prov. esp. bc 4bi
3 fil    prov. esp.  bc 4bi3 fil    prov. esp.  bc 4bi
3 fil prov. esp. bc 4bi
 
3 fil prov. esp. 2 cham bc 4bi
3 fil    prov. esp.  2 cham  bc 4bi3 fil    prov. esp.  2 cham  bc 4bi
3 fil prov. esp. 2 cham bc 4bi
 
3 fil prov. bimestral bc 3bi
3 fil    prov. bimestral  bc 3bi3 fil    prov. bimestral  bc 3bi
3 fil prov. bimestral bc 3bi
 
3 fil prov. bimestral 2 cham bc 3bi
3 fil    prov. bimestral  2 cham bc 3bi3 fil    prov. bimestral  2 cham bc 3bi
3 fil prov. bimestral 2 cham bc 3bi
 
3 socio prov. esp. bc 3bi
3 socio  prov. esp. bc 3bi 3 socio  prov. esp. bc 3bi
3 socio prov. esp. bc 3bi
 
2 socio prov. multidiciplinar bc 3bi
2 socio    prov. multidiciplinar  bc 3bi2 socio    prov. multidiciplinar  bc 3bi
2 socio prov. multidiciplinar bc 3bi
 
2 soc prov. esp. 2 cham bc 3bi
2 soc    prov. esp. 2 cham bc 3bi2 soc    prov. esp. 2 cham bc 3bi
2 soc prov. esp. 2 cham bc 3bi
 
2 soc prov. bimestral 2 chamada 3 bimestre
2 soc prov. bimestral  2 chamada 3 bimestre2 soc prov. bimestral  2 chamada 3 bimestre
2 soc prov. bimestral 2 chamada 3 bimestre
 
2 filo prov. multidiciplinar 4 bimestre
2 filo prov. multidiciplinar  4 bimestre2 filo prov. multidiciplinar  4 bimestre
2 filo prov. multidiciplinar 4 bimestre
 
2 fil prov. esp.bc 3bi (modific) (1)
2 fil    prov. esp.bc 3bi (modific) (1)2 fil    prov. esp.bc 3bi (modific) (1)
2 fil prov. esp.bc 3bi (modific) (1)
 
2 fil prov. especifica 2 chamada 4 bimestre
2 fil prov. especifica 2 chamada 4 bimestre2 fil prov. especifica 2 chamada 4 bimestre
2 fil prov. especifica 2 chamada 4 bimestre
 
2 fil prov. especifia 4 bimestre
2 fil prov. especifia 4 bimestre2 fil prov. especifia 4 bimestre
2 fil prov. especifia 4 bimestre
 
2 fil prov. bimestral 4 bimestre
2 fil    prov. bimestral  4 bimestre2 fil    prov. bimestral  4 bimestre
2 fil prov. bimestral 4 bimestre
 
2 fil prov. bimestral 3 bimestre (tipo 2)
2 fil  prov. bimestral  3 bimestre (tipo 2)2 fil  prov. bimestral  3 bimestre (tipo 2)
2 fil prov. bimestral 3 bimestre (tipo 2)
 

1 fil prov. bimestral 2 cham bc 3bi

  • 1. Valor: Centro Educacional BRASIL CENTRAL Educando(a):________________________________________________ 5.0 Ano/Turma: Turno:MatutinoData:____/____/_____ Valor Obtido ________ Avaliação Bimestral 3º BIMESTRE Educador(a) (1º Filosofia) Felipe Serra Instruções Gerais:  Leia atentamente o enunciado de cada questão.  Não rasure e nem amasse.  Não utilize corretivo nas questões objetivas.  Utilize somente caneta azul para responder.  Ao utilizar rascunho, entregue-o junto a prova.  É proibido o uso de aparelho celular durante a prova, sob pena de anulação da mesma. TEXTO 1 dos desejos, de maneira que seja possível chegar a um estado de prazer estável e equilibrado e, consequentemente, a um estado de tranquilidade e a ausência de perturbações, pois, conforme Epicuro, há prazeres maus e violentos, decorrentes do vício e que são passageiros, provocando somente O hedonismo (do grego hedonê, "prazer", insatisfação e dor. Mas também há prazeres "vontade") é uma teoria ou doutrina decorrentes da busca equilibrada da filosófico-moral que afirma ser o prazer o Felicidade. supremo bem da vida humana. Surgiu na Grécia, e importantes representantes Questão 1) ( ) A partir do texto podemos foram Aristipo de Cirene e Epicuro. O afirmar que segundo Epicuro o hedonismo é hedonismo filosófico moderno procura um prazer mau e violento. fundamentar-se numa concepção mais ampla de prazer entendida como felicidade para o TEXTO 2 maior número de pessoas. Para Epicuro o Reflexão filosófica sobre o tema da Morte prazer deverá ser regido pela razão, o que "(...) Entre os gregos humano e mortal dizia-se resulta em moderação. Salientando que o com a mesma palavra, como deveria ser. prazer é configurado como total ausência de As plantas e os animais não são mortais dor e domínio sobre as emoções e sobre si porque não sabem que vão morrer, não mesmo. Assim para ele a felicidade é sabem que têm que morrer: morrem mas sem alcançada por meio do controle dos medos e conhecer nunca o seu vínculo individual, de
  • 2. cada um deles, com a morte. As feras o originou se torna vazia passando a outro pressentem querer num ciclo sem fim. É como uma droga o perigo, que cada vez que é consumida leva a entristecem- necessidade de mais e mais, e nunca há se com a satisfação durável só aumenta o vazio.” doença ou a velhice, mas Questão 4)( ) A parte grifada no texto 1 deixa claro que as ideias de Epicuro são ignoram (ou consensuais com a de Siddhartha Gautama parecem expostas no texto 3. que ignoram?) o seu abraço TEXTO 4 - O problema do homem moderno é essencial a falta de sentido da vida e o vazio. O com a indivíduo não sabe o que quer e não sabe o que necessidade sente. Vive reclamando e em conflito consigo da morte. mesmo. Por vezes angustiado ou em Não é mortal depressão. Sua vida é regular, monótona e quem rotineira. A falta de sentido provêm da morre, mas incapacidade de auto-conhecer e agir como quem está ser pensante e autônomo. Ao não analisar sua certo de que existência e seu mundo interior, torna-se vai morrer. Embora também pudéssemos incapaz de dirigir sua própria vida. Hoje é dizer que nem as plantas nem os animais notório que o homem moderno não escolhe autenticamente a vida que quer levar. Ele estão, por esse motivo, vivos no mesmo assume compromissos sociais, morais e sentido em que nós estamos. religiosos que geralmente não pode cumprir. Os verdadeiros viventes são só os mortais, Por escolher mal ele paga um preço muito porque sabemos que deixaremos de viver e alto, pois não consegue se libertar de suas que é exactamente nisso que a vida consiste." escolhas e fica angustiado. Para Sartre a Fernando Savater, As Perguntas da Vida, pág. 32. Em: <http://cafedosfilosofos.blogspot.com.br/2007/04/reflexo- angustia surge da consciência de nossa filosfica-sobre-o-tema-da-morte.html>. Acessado em: liberdade, surge da responsabilidade por 09/09/2012 nossos atos. Sartre diagnosticou que a maior parte dos seres humanos preferem não ser As questões a seguir deverão ser livres. Eles preferem a não-liberdade sentir julgadas em certo (C) ou errado (E). angústia de escolher. Alguns prendem-se a riquezas, outros a Questão 2)( ) A partir da reflexão do texto 2 fama. Uns levam o podemos entender que os mortais são os peso de seu orgulho, verdadeiros viventes, pois a consciência da outros o peso da morte lhes possibilita pensar e escolher que solidão. Uns prende- tipo de vida querem ter, o que lhes faz feliz. se ao casamento, outros a religião. Um Questão 3)( ) A imagem do texto 2 de um curva a cabeça ao seu velhinho surfando está em consonância com a chefe, outro a família. idéia “CARPE DIEM”. O homem tem medo da liberdade. Para esses a liberdade gera angústia. E não TEXTO 3: “...segundo essa lógica de suportando fogem dela para não assumir a pensamento seria a busca por essa felicidade liberdade, tornando-se incapazes de escolher. (realização dos desejos, do eu quero eu não São homens da má-fé. A má-fé é a atitude quero no futuro, dos objetivos) a origem do característica daquele que não é capaz de sofrimento, porque após a realização de escolher. Este tipo aceita passivamente sua determinado objetivo (desejo) a felicidade que
  • 3. situação, pensa que sua vida é assim porque TEXTO 6 Deus quis e que não pode mudar seu destino. Para que possamos conseguir um sentimento Ele aceita os valores, normas e regras da de satisfação, que em geral a felicidade tradição passivamente sem nunca refletir comporta é necessário que reflitamos sobre nós sobre elas. Engana a si mesmo e pensa que é mesmos para que possamos saber o que dono de seus atos. Adaptações do texto “Sartre e a realmente queremos, o que nos influência e Origem da Angústia” de Michel Aires de Souza. quais são os nossos verdadeiros objetivos. Ou seja, projetos que darão sentido as nossas Questão 5)( ) Sartre observou que o homem decisões. Caso o contrário poderemos ficar moderno tem uma vida vazia e sem sentido, e como “baratas tontas”, perdidos, ou como conforme aponta o texto, esse é o motivo de “Maria vai com as outras” fazendo o que os sua angústia. outros acham melhor para nossa vida. Questão 6)( ) No texto 4 o autor apresenta o problema do homem moderno, na analise de Sartre. Que é a ausência de escolhas e a percepção de que não é livre, pois a sociedade lhe impede. E sentido-se preso e sem escolhas fica angustiado. TEXTO 5: “Esta moral causadora da doença e da degenerescência do animal homem, essa moral do escravo, torna a coletividade o instinto fundamental. Se a felicidade do forte é uma derivação de sua própria constituição e Questão 10)( ) Segundo o texto refletir se consolida na união da alegria com a ação, sobre si mesmo é perca de tempo. no sentido de plena realização de todas as suas potencialidades, através de seu sim inicial Questão 11)( )Podemos afirmar que a auto- à vida; no fraco, pelo contrário, chega pela reflexão, o autoconhecimento, de que fala o negação da ação, pela apatia frente à vida, texto 6, implicitamente ou explicitamente é pelo repouso e pela paz: “a felicidade, ao nível apontado como condição para felicidade em dos impotentes, os obstruídos, os de todos os teóricos que estudamos. sentimentos hostis e venenosos, (...) aparece sob a forma de estupefação, de sonho, de TEXTO 7 repouso, de paz, numa palavra, sob a forma ID: Constitui passiva”. No forte, a felicidade deriva da o reservatório atividade e da auto-afirmação. No fraco, da de energia passividade e da coletividade, da negação do psíquica, das outro.” características atribuídas ao Questão 7)( ) O texto 5 expõe a felicidade de sistema rebanho criticada por Nietzsche. inconsciente, e é regido Questão 8)( ) A partir do texto 5 podemos pelo princípio perceber que Nietzsche é contra a moral do do prazer fraco, também chamada de moral do escravo. (Psiquê que visa apenas o prazer do indivíduo). SUPEREGO: Origina-se da internalização das Questão 9)( ) Segundo o texto 5 Nietzsche proibições, dos limites e da autoridade. (É algo defende que o interesse coletivo deve sobrepor além do ego que fica sempre te censurando e as vontades individuais essa é a atitude do dizendo: Isso não está certo, não faça aquilo, forte.
  • 4. não faça isso, ou seja, aquela que dói quando encontradas em nossos prejudicamos alguém, é o nosso "freio".) padrões de consumo. O EGO: É o sistema que estabelece o equilíbrio próprio significado e entre as exigências do id, as exigências da importância de nossas vidas realidade e as ordens do superego. A a partir de hoje deve ser verdadeira personalidade, que decide se acata expresso em termos de as decisões do (Id) ou do (Superego). consumo. Quanto maiores as pressões sobre o Questão 12)( ) Às vezes o EGO de uma indivíduo para estar em pessoa só dá ouvidos ao ID, e assim ele age conformidade e seguro a unicamente por prazer, sendo inconseqüente e aceitar as regras sociais ,mais ele tenderá a irresponsável. Ou escuta apenas o SUPEREGO expressar suas aspirações e sua individualidade se reprimindo e se culpando excessivamente, o por meio do que veste, dirige, come – sua casa, seu que pode levá-la a depressão. Mas é carro, seu cardápio, os seus “hobbies”. Nós precisamos que as coisas sejam consumidas, perfeitamente possível que o individuo queimadas, desgastadas, substituídas e estabeleça o equilíbrio sobre o EGO, às vezes descartadas em um ritmo cada vez mais intenso. com ajuda outras sozinho, porém é algo que só Precisamos ter pessoas comendo, bebendo, ele pode fazer. Pois na luta entre o ID e o vestido, andando, e vivendo, com cada vez mais SUPEREGO é o EGO quem decide o que complexidade e, portanto, o consumo, sempre será fazemos. mais caro. “ TEXTO 8: Rompe com esse dualismo (corpo e Questão 14)( ) A partir do texto podemos alma) com a teoria do paralelismo segundo a qual quando passivos somos de corpo e alma, e perceber que a felicidade de consumo é uma do contrario, quando ativos somos de corpo e escolha da sociedade moderna, pois atende alma. Ele ainda concebe a paixão alegre e a nossas necessidades básicas de sobrevivência. triste. Sendo que a primeira ocorre quando nossa força interna aumenta e, por conseguinte, nosso ser e capacidade de agir. A paixão triste é quando uma causa externa é mais forte que nossa força interna assim afasta nossa potência de agir, por ser geradora de ódio, indagação, inveja, crueldade, ressentimento, melancolia, remorso, vingança, etc, sentimentos que tomam tempo, tornam nebulosa a visão, cegam o caminho da felicidade. Por isso só uma paixão alegre pode destruir uma paixão triste. Questão 13)( ) O texto acima refere-se a teoria de Espinosa, segundo a qual a alma é a razão e o corpo, inferior, concede a ela os sentimentos. Assim o corpo deve ser passivo e a alma ativa, e não o contrario. Assim cabe a alma controlar as paixões que prejudicam a atividade intelectual e provocam a tristeza. TEXTO 9: Segundo Lebow “Nossa economia enormemente produtiva exige que façamos do consumo o nosso sistema de vida, que transformemos a compra e uso de bens em rituais, que busquemos a nossa satisfação espiritual e do ego no consumo. A medida do status, da aceitação social, do prestigio, estás agora devem ser
  • 5. TEXTO 10: O mito é usado no mundo todo para refletir sobre uma forma de individualismo na qual a pessoa se perde num exacerbado amor próprio, que a priva num sentimento egoísta pelo qual os outros não importam, e assim, centrada em si mesma e desconsiderando o coletivo, fere, magoa, “atropela e passa por cima”, pois perdida em si não consegue ver os outro, passando a moral inescrupulosa, isolando-se e criando inimigos. Mas existe outro tipo. Nesse a pessoa se respeita, tem amor próprio e colocando-se em primeiro lugar, mas não desconsidera os outros, e nem sua responsabilidade para com eles. E por meio da auto-reflexão busca se conhecer, saber o que quer para construir um projeto de vida, dessa forma exercendo autonomia de decisão. Pois só estando bem consigo, ciente de suas qualidades e defeitos, como de suas expectativas e possibilidades, e que é possível estar em equilíbrio para lidar bem com os outros. E assim desenvolver uma relação interpessoal de sucesso, capaz de colaborar com seu projeto pessoal e com o projeto do grupo. Questão 15)( ) O texto 9 fala sobre o individualismo e como ele sempre atrapalha, fere, magoa, “atropela e passa por cima”. O individualismo é algo extremamente maléfico e deve ser rejeitado. “Apenas quando não houver mais peixes no mar, animais na fauna e árvores nas florestas é que o homem aprenderá que não se come dinheiro.” BOA PROVA!