Aula introdutória á radiologia

317 visualizações

Publicada em

Incidência radiológica, Técnico em Radiologia

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
317
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula introdutória á radiologia

  1. 1. AULA INTRODUTÓRIA Á RADIOLOGIA ANATOMIA RADIOLOGICA
  2. 2. Descrição Genérica do Método • A radiografia é um método usado para inspeção não destrutiva que baseia-se na absorção diferenciada da radiação penetrante pela parte que está sendo inspecionada.
  3. 3. • A radiografia é então usada para detectar variação de uma região, de um determinado material que apresenta uma diferença em espessura ou densidade comparada com uma região vizinha, em outras palavras, a radiografia é um método capaz de detectar com boas sensibilidade defeitos ou anomalias volumétricos.
  4. 4. A Natureza da Radiação Ionizante • Com a descoberta dos Raios X pelo físico W. C. Roentgen em 1895, imediatamente inciaram- se os estudos sobre as emissões de partículas, provenientes de corpos radioativos, observando suas propriedades e interpretando os resultados.
  5. 5. • Nesta época, destacaram-se dois cientistas, Pierre e Marie Curie, pela descoberta do polonio e o radium e ainda deve-se a eles a denominação “Radioatividade” (propriedade de emissão de radiações por diversas substâncias).
  6. 6. • O nome “Radiação Penetrante” se originou da propriedade de que certas formas de energia radiante possui de atravessar materiais opacos à luz visível. Podemos distinguir dois tipos de radiação penetrante usados em radiografia industrial: os Raios X e os Raios Gama.
  7. 7. • Por serem de natureza semelhante à luz, os Raios X e os Raios Gama possuem uma série de propriedades em comum com a luz entre as quais podemos citar: possuem mesma velocidade de propagação (300.000 km/s), deslocam-se em linha reta, não são afetadas por campos elétricos ou magnéticos, possuem a propriedade de impressionar emulsões fotográficas.
  8. 8. • No âmbito dos ensaios não destrutivos devemos salientar seis propriedades da radiação penetrante que são de particular importância: • Deslocam-se em linha reta; • Podem atravessar materiais opacos a luz, ao faze- lo, são parcialmente absorvidos por esses materiais; • Podem impressionar películas fotográficas, formando imagens; • Provocam o fenômeno da fluorescência ; • Provocam efeitos genéticos ; • Provocam ionizações nos gases.
  9. 9. Terminologia Radiográfica • Termos comumente usados compatíveis com a terminologia de posicionamento e incidência adotada na radiologia médica ou radiodiagnóstico.
  10. 10. RADIOGRAFIA VS . FILME DE RAIOS X • O filme de raios X refere-se ao material sobre o qual a imagem radiográfica é exposta. • O termo “radiografia” inclui o filme de raios X e a imagem processada de uma parte anatômica de um paciente nele contida.
  11. 11. ANATOMIA SISTEMA ESQUELETICO • Os ossos são órgãos esbranquiçados, muito duros, que unindo-se uns aos outros, por intermédio das junturas ou articulações constituem o esqueleto. É uma forma especializada de tecido conjuntivo cuja a principal característica é a mineralização (cálcio).
  12. 12. • Quanto a irrigação do osso, temos os canais de Volkman (vasos sangüíneos maiores) e os canais de Havers (vasos sangüíneos menores). O tecido ósseo não apresenta vasos linfáticos. (Ele transporta células que lutam contra infecções)
  13. 13. • FUNÇÃO: • Sustentação do organismo. • Proteção de órgãos nobres (coração, pulmões, cérebro) • Hematopoiética (produz células sangüíneas) e armazenamento de cálcio e fosfato.
  14. 14. • Quantidade • É clássico admitir que o corpo humano possui 206 ossos. Mas esse número varia de indivíduo para individuo, e na mesma pessoa varia conforme a idade, eles representam 14% do peso do corpo.
  15. 15. • Divisão do esqueleto • O esqueleto pode ser dividido em esqueleto apendicular e axial. O Esqueleto axial é composto pelos ossos da cabeça, pescoço e do tronco. • O esqueleto apendicular é composto pelos membros superiores e inferiores, incluindo suas cinturas. • Axial: Eixo • Apendicular: acréscimo, anexado, menbros
  16. 16. Classificação dos Ossos • Os ossos são classificados de acordo com a sua forma e composição; • Ossos Longos: São aqueles em que o comprimento predomina sobre a largura e espessura. Os ossos longos apresentam uma escavação central que é o canal medular, onde se encontra a medula óssea. Os ossos longos são constituídos por um corpo (diáfise) e 2 extremidades (epífises). Exemplo: Fêmur.
  17. 17. • Diáfise: corpo de um osso longo. • Epífises: A epífise é a parte de um osso longo que se desenvolve por um centro de ossificação diferente do corpo do osso
  18. 18. • Ossos Laminares ou Planos: São osso finos, em que o comprimento e a largura predominam sobre a espessura. Exemplo: Parietal.
  19. 19. • Ossos Alongados:São ossos longos, porém achatados e não apresentam canal central. Exemplo: Costelas.
  20. 20. • Ossos Pneumáticos: São osso ocos, com cavidades cheias de ar e revestidas por mucosa (seios), apresentando pequeno peso em relação ao seu volume. • Exemplo: Esfenóide, Frontal, Maxilar
  21. 21. • Ossos Irregulares: São ossos com características específicas, apresentam forma irregular, sem padrões. Exemplo: Vértebras.
  22. 22. Coluna Vertebral • A coluna vertebral se estende desde a base do crânio até a extremidade caudal do tronco. É constituída de 33 vértebras superpostas e intercaladas por discos intervertebrais. As vértebras sacras soldam-se entre si, constituindo um único osso sacro, assim como as coccígeas, que formam o cóccix.
  23. 23. FRATURAS • Uma fratura é uma lesão na qual ocorre a ruptura do tecido ósseo. È a perda da continuidade total ou parcial de um osso quando sua carga é ultrapassada. • Uma fratura de estresse é uma ruptura (geralmente pequena) que se desenvolve devido à ação de forças prolongadas ou repetidas contra o osso.
  24. 24. CAUSAS • A maioria das fraturas de braços e pernas é provocada por um golpe, uma queda ou qualquer outro tipo de trauma: • acidentes • abuso de crianças • osteoporose • tumores ósseos • doença metabólica • fraturas de estresse nos pés ou tornozelos que podem ser provocadas por longas permanências em pé, caminhadas ou corridas.
  25. 25. TIPOS DE FRATURAS • As fraturas são classificadas de várias formas. Mostramos aqui, simplificadamente, as mais comuns . • Fratura Simples: Existe apenas um traço de fratura, separando o osso em 2 pedaços apenas.
  26. 26. • Fratura Cominutiva; Fratura onde o osso se quebra em vários fragmentos
  27. 27. • Fratura exposta: Quando uma das pontas fraturadas pode perfurar a pele expondo o osso ao ambiente. Daí o nome "fratura exposta".
  28. 28. TRAUMATISMO CRÂNIO ENCEFÁLICO • O traumatismo cranioencefálico (TCE) é uma agressão ao cérebro, não de natureza degenerativa ou congênita, mas causada por uma força física externa, que pode produzir um estado diminuído ou alterado de consciência, que resulta em comprometimento do funcionamento físico. Pode também resultar no distúrbio do funcionamento comportamental ou emocional. Este pode ser temporário ou permanente e provocar comprometimento funcional parcial ou total, ou mau ajustamento psicológico
  29. 29. • O TCE pode ser provocado por acidente de trânsito (60 a 70%), quedas (20%) e outras causas mais raras como agressões e projétil de arma de fogo.
  30. 30. Mecanismos • Direto- Neste caso a fratura ocorre no mesmo lugar do impacto,podendo provocar lesões ao nível do encéfalo.As causas da fratura poderão ser pancadas na cabeça contra uma superfície rígida,objetos que golpeiam a cabeça etc.
  31. 31. • Indiretos- Ocorre lesões do lado oposto ao do impacto por deslocamento brusco da massa encefálica.
  32. 32. Tipos de traumas • Traumatismos Leves: São considerados como leves os traumatismos que não apresentam lesão orgânica e aqueles em que a recuperação da consciência produz em alguns minutos ou durante as primeiras horas.
  33. 33. • Traumatismos moderados ou graves: São traumatismos onde a lesão compromete a massa encefálica,a pessoa fica em coma perde a maioria dos reflexos.
  34. 34. • Traumas Torácicos • Os traumatismos torácicos podem comprometer a caixa torácica, as visceras que esta contém ou as duas entidades ao mesmo tempo; em qualquer caso,o equilíbrio que existe entre elas ficará alterado, provocando as consequências repercussões sobre as funções ventilatórias e cardíacas.
  35. 35. • Mecanismos; • Direto-Produz pela queda sobre uma superfície angulada ou pelo impacto de um objeto sobre o tórax. • Indireto-este mecanismo se origina-se quando o tórax é submetido as forças de compressão,fraturando-se pelo ponto maior de pressão e não pelos pontos de pressão
  36. 36. • Classificação; • De acordo com a gravidade,serão divididos em leves e graves • Traumatismos Leves: Quando as fraturas não provocam problemas funcionais na mecânica ventila tória. • Traumatismos Graves:São fraturas múltiplas lesões pleurais, lesões musculares (diafragmáticas) e lesões pulmonares, traumatismos abertos.
  37. 37. TRAUMATISMOS DA COLUNA VERTEBRAL • As fraturas vertebrais podem ocorrer pelo traumatismos importantes conseqüências de quedas golpes diretos em acidentes de transito,ou por traumatismos mínimos. • A medula espinhal é protegida pelos ossos da coluna vertebral, e leva os sinais nervosos do cérebro para o resto do corpo, distribuindo estes sinais aos nervos.
  38. 38. • O traumatismo de coluna vertebral (traumatismo raquimedular) pode ser o resultado de várias lesões, incluindo: • Acidente automobilístico, motociclístico ou ciclístico, • Quedas, • Ferimentos por arma de fogo, • Ferimentos por arma branca (ex. faca), • Agressão física, • Acidentes na prática desportiva, etc.
  39. 39. • A maioria dos traumas raquimedulares acomete pessoas jovens e do sexo masculino. A maior parte das lesões acontece na região cervical (área do pescoço).
  40. 40. Fratura de Coluna Vertebral
  41. 41. Artrose • A artrose é um processo degenerativo de desgaste da cartilagem, que afeta sobre tudo as articulações que suportam peso ou as que fazem movimentos em excesso.Como por exemplo os quadris e os Joelhos.
  42. 42. • Esta doença vincula-se ao envelhecimento das articulações, ligado ao passar do tempo. Inicia-se, em geral, a partir dos 40 ou 45 anos. Porém, também pode aparecer de forma precoce como conseqüência de traumatismos ou problemas congênitos que afetem a articulação.
  43. 43. Quadro clinico: • Limitação funcional • Rigidez Matinal • Deformidades • Crepitações •
  44. 44. Articulações mais acometidas: • Coxo-femoral Joelho Coluna Vertebral Articulaçoes mais poupadas: • Punho • Cotovelo • Ombro • Tornozelo
  45. 45. Artrite Reumatóide • A artrite reumatóide é uma doença inflamatória crônica de origem auto-imune que acomete principalmente articulações sinoviais, causando dores, deformidades progressivas e incapacidade funcional
  46. 46. • É uma doença muito freqüente, aproximadamente 10% dos problemas em articulações são devido à artrite reumatóide. • As mulheres são duas vezes mais afetadas do que os homens e sua incidência aumenta com a idade.
  47. 47. • Sintomas da artrite reumatóide são: • Mal estar; • Febre baixa; • Suores; • Perda de apetite; • Perda de peso; • Fraqueza; • Humor deprimido ou irritado; • Dores nas articulações, na maioria das vezes de forma simétrica, ou seja, nos dois lados do corpo;
  48. 48. • Com o tempo, os sintomas da artrite tornam-se mais acentuados: • Articulações com sinais evidentes de inflamação: dor, inchaço, calor, vermelhidão, rigidez mais intensa após despertar; • A inflamação acomete pelo menos três articulações; • Aumento dos gânglios, • Anemia; • Nódulos subcutâneos.
  49. 49. • Qualquer articulação sinovial pode apresentar a inflamação da artrite reumatóide, as mais comuns são: • Mãos; • Joelhos; • Pés; • Cotovelos; • Ombros; • Têmporo-mandibular; • Coluna cervical.
  50. 50. • Continua.....
  51. 51. • Qualquer articulação sinovial pode apresentar a inflamação da artrite reumatóide, as mais comuns são: • Mãos; • Joelhos; • Pés; • Cotovelos; • Ombros; • Têmporo-mandibular; • Coluna cervical.

×