SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 46
Introdução à Hemodinâmica
Radiologia Intervencionista
?
Radiologia Intervencionista
• A Radiologia Intervencionista é uma
especialidade médica pouco conhecida do
público em geral pois tem uma atuação muito
especializada.
• Apesar disso vem se expandindo muito nos
últimos anos ocupando áreas de destaque
cada vez maior no meio médico e na mídia.
Radiologia Intervencionista
• Seu objetivo primordial é de realizar procedimentos e
cirurgias minimamente invasivas com intuito diagnóstico
(ex.: Biópsia percutânea guiado por Tomografia) ou
terapêutico (ex.: Angioplastia, Quimioembolização e
Abalação por Radiofrequência).
• Esta especialidade nasceu através da Radiologia
Diagnóstica no momento em que os Radiologistas
identificaram o potencial de se realizar uma intervenção
cirúrgica com o auxílio da imagem (procedimentos
guiados por imagem).
A Tecnologia está mudando...
e muito rapidamente....
CONCEITO
• É O ESTUDO DA DINÂMICA DA CIRCULAÇÃO
SANGUÍNEA. RELATIVO AOS ASPECTOS FÍSICOS DA
CIRCULAÇÃO DO SANGUE.
• A HEMODINÂMICA SE PROPÕE A REALIZAR EXAMES
DIAGNÓSTICOS (ANGIOGRAFIA) E INTERVENÇÕEES
TERAPÊUTICAS POR MEIO DE RADIOLOGIA
CARDIOVASCULAR, USUALMENTE RECORRENDO A
CATÉTERES E INJEÇÕES DE CONTRASTE.
• EXECUTAM-SE TAMBÉM PROCEDIMENTOS
TERAPÊUTICOS COMO A ANGIOPLASTIA,
DRENAGEM E EMBOLIZAÇÕES TERAPÊUTICAS.
HEMODINÂMICA
• É UM MÉTODO INDICADO QUANDO OUTRAS
MODALIDADES DE IMAGENS E ESTUDOS NÃO
INVASIVOS NÃO FORNECEREM UM DIAGNÓSTICO
PRECISO OU PARA DETERMINAR A EXTENSÃO
VASCULAR DE UM EXAME POR TC OU RM
POSITIVOS.
HISTÓRICO
• Os primeiros dados a respeito de
cateterismo cardíaco datam de
1844, quando Claude Bernard, em
um cavalo, introduziu através da
artéria carótida um cateter até o
lado direito e esquerdo do coração,
respectivamente.
• Um stent chamado de Wallstent foi
a primeira forma de Angioplastia
coronariana realizada não somente
com balão, mas também com stent,
tendo sido o primeiro caso realizado
na França, em 1986. Em 1987
iniciou-se o uso de um segundo tipo
de stent, o stent Palmaz-Schatz,
nos Estados Unidos.
O QUE É HEMODINÂMICA?
• A hemodinâmica se propõe realizar exames diagnósticos
e intervenções terapêuticas por meio de radiologia
cardiovascular usualmente recorrendo a catéteres e
injeções de contraste. Executam-se também
procedimentos terapêuticos como angioplastia,
drenagens e embolizações terapêuticas.
PROCEDIMENTOS
• Cateterismo
• Procedimento invasivo que auxilia na obtenção
de dados adicionais contribuindo para um
diagnóstico exato e indicação do tratamento mais
adequado.
PROCEDIMENTOS
• Cateterismo
• Trata-se de um método em que se punciona ou disseca
uma veia ou artéria periférica e se introduz um tubo fino e
flexível chamado catéter até aos grandes vasos e o
coração, cujo fim é analisar dados fisiológicos, funcionais
e anatômico
PROCEDIMENTOS
• Angioplastia
• Procedimento invasivo, para tratamento de doenças
arteriais.
• Trata-se de um insuflamento temporário com um catéter
balão no interior do vaso para corrigir um estreitamento
de um vaso.
Sistema
Cardiovascular
Sistema Cardio-Respiratório
As nossas células necessitam de:
 Oxigênio;
 Nutrientes;
 Eliminar Dióxido de Carbono;
 Entre outros.
O nosso organismo realiza as trocas
de substâncias com o meio
extracelular através de um sistema
baseado na circulação de um fluído:
 SANGUE
Sistema Circulatório
É um sistema fechado constituído
por:
 Coração; órgão propulsor;
 Vasos sanguíneo; asseguram a
distribuição do sangue.
 Sangue; tecido líquido viscoso
que assegura o equilíbrio
fundamental entre os vários
sistemas do corpo humano.
Sangue
É constituído por:
 Plasma (±55%);
substância
intercelular líquida.
 Células sanguíneas
ou elementos
figurados do
sangue (±45%);
células em
suspensão.
Células Sanguíneas
• Eritrócitos (hemácias ou glóbulos
vermelhos)
Características Funções
- Em forma de disco
biconcavo;
- Transporte de gases: O2 e
CO2
- Não têm núcleo;
- Mudam de forma
conseguindo adaptar-se
aos capilares;
- Vermelhos devido à
presença de hemoglobina;
- Presença de ferro;
- São as mais abundantes
do sangue
Células Sanguíneas
• Leucócitos (glóbulos brancos)
Características Funções
- De forma irregular;
- Defesa do organismo
- Presença de núcleo com
formas variadas;
- Capacidade de emitir
pseudópodes;
- Capacidade de
fagocitose;
- Capacidade de mudar
de forma e de diapedese,
isto é, sair dos capilares;
- Incolores
Células Sanguíneas
• Plaquetas (trombocitos)
Características Funções
- Fragmentos de células
especializadas; - Coagulação do sangue;
- Sem núcleo;
- Impedem hemorragias
através da formaçaõ de um
tampão na zona lesada;
- Sem forma definida.
- Auxiliam na reparação da
parede dos vasos sanguíneos.
Células Sanguíneas
• Plasma
Características Funções
- Parte líquida do sangue;
- Transporte dos elementos
figurados do sangue, nutrientes,
excreções e hormonas;
- Cerca de 90% de água;
- Desempenha funções de regulação
e distribuição do calor;
- Presença de sais minerais,
substâncias orgânicas (glícidos;
lípidos; proteínas e vitaminas) e
hormonas.
- Desempenha funções na
coagulação do sangue devido à
presença de proteinas como
fibrogénio.
Sangue
Os elementos figurados do sangue têm vida
curta;
São renovados constantemente;
A sua produção é realizada na medula óssea
através da maturação de diferentes células
sanguíneas.
 Processo designado de hematopoiese.
Os leucócitos são produzidos ao nível dos órgãos
linfoides.
 Baço; Fígado e Gânglios linfáticos.
Funções do Sangue
Transporte de O2;
Transporte de nutrientes;
Transporte de produtos de excreção;
Transporte de hormonas;
Defesa do organismo;
Coagulação;
Regulação da temperatura corporal.
Septo
Artérias,
veias e capilares
- Os vasos sanguíneos
Saúde do coração
o Primeiro sinal
da arteriosclerose pode ser a
morte. Melhor que tratar é
evitar o aparecimento da
doença
Saúde do coração
Saúde do coração
o Primeiro sinal
da arteriosclerose pode ser a
morte. Melhor que tratar é
evitar o aparecimento da
doença
Saúde do coração
Alimente-se
saudavelmente
Pratique esporte
Hidrate-se
ARTERIOSCLEROSE
ARTERIOSCLEROSE
ARTERIOSCLEROSE
• A ARTERIOSCLEROSE PODE CAUSAR
DANOS A ÓRGÃOS IMPORTANTES OU
ATÉ MESMO LEVAR A MORTE.
• TEM INÍCIO NOS PRIMEIROS ANOS DE
VIDA, MAS SUA MANIFESTAÇÃO CLÍNICA
GERALMENTE OCORRE NO ADULTO.
PRINCIPAIS CAUSAS DE
OBSTRUÇÃO DA LUZ DOS
VASOS
• DIABETES;
• TAXAS ELEVAS DE COLESTEROL;
• ANTECEDENTE FAMILIAR PRÓXIMO COM
HISTÓRICO DE INFARTO DO MIOCÁRDIO;
• OBESIDADE;
• HIPERTENSÃO;
• ESTRESSE;
• SEDENTARISMO;
• HÁBITOS ALIMENTARES INADEQUADOS
SINTOMAS/SINAIS
• A REDUÇÃO DO FLUXO CORONÁRIO EM GRAUS VARIÁVEIS
SE MANIFESTA CLINICAMENTE SOB DIFERENTES FORMAS:
• 1 OS ASSINTOMÁTICOS;
• 2 ANGINA ESTÁVEL QUE SE EXARCEBA EM MOMENTOS DE
ESFORÇO FÍSICO;
• 3 AS SÍNDROMES CORONÁRIAS AGUDAS;
• 4 INFARTO DO MIOCÁRDIO;
• 5 MORTE SÚBITA
PARA PRÓXIMA AULA..
PESQUISAR DIFERENÇAS ENTRE AVC
HEMORRÁGICO E AVC ISQUÊMICO
PARA REFLETIR...
“A sabedoria do prudente é entender o seu
próprio caminho, mas a estultícia dos tolos é
enganar.”
Provérbios 14.8
“Como é feliz o homem que acha a sabedoria, o
homem que obtém entendimento, pois a
sabedoria é mais proveitosa do que a prata e
rende mais do que o ouro.”
Provérbios 3. 13,14

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIA
EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIAEQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIA
EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIAWillian R. Bandeira
 
Medicina nuclear aula 01
Medicina nuclear aula 01Medicina nuclear aula 01
Medicina nuclear aula 01Walmor Godoi
 
História da radiologia aula
História da radiologia aulaHistória da radiologia aula
História da radiologia aulaDouglas Henrique
 
Aula 8 incidencias
Aula 8  incidenciasAula 8  incidencias
Aula 8 incidenciasrsmbarros
 
Aula 2-protocolos-de-cranio-e-face-prof-claudio-souza (1)
Aula 2-protocolos-de-cranio-e-face-prof-claudio-souza (1)Aula 2-protocolos-de-cranio-e-face-prof-claudio-souza (1)
Aula 2-protocolos-de-cranio-e-face-prof-claudio-souza (1)Jean Carlos
 
Meios de contraste iodado
Meios de contraste iodadoMeios de contraste iodado
Meios de contraste iodadoEdna Souza
 
Contraste radiologico
Contraste radiologicoContraste radiologico
Contraste radiologicoradiomed
 
Meios de Contraste em Tomografia
Meios de Contraste em Tomografia Meios de Contraste em Tomografia
Meios de Contraste em Tomografia Rodrigo Ribeiro Jr.
 
Radiology formação e qualidade da imagem em filme - écran
Radiology formação e qualidade da imagem em filme - écranRadiology formação e qualidade da imagem em filme - écran
Radiology formação e qualidade da imagem em filme - écranCristiane Dias
 
Terminologia radiológica termos gerais usados no posicionamento radiológico
Terminologia radiológica termos gerais usados no posicionamento radiológicoTerminologia radiológica termos gerais usados no posicionamento radiológico
Terminologia radiológica termos gerais usados no posicionamento radiológicoCristiane Dias
 

Mais procurados (20)

EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIA
EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIAEQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIA
EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE RADIOLOGIA
 
Medicina nuclear aula 01
Medicina nuclear aula 01Medicina nuclear aula 01
Medicina nuclear aula 01
 
História da radiologia aula
História da radiologia aulaHistória da radiologia aula
História da radiologia aula
 
Aula 8 incidencias
Aula 8  incidenciasAula 8  incidencias
Aula 8 incidencias
 
Radiologia Forense
Radiologia ForenseRadiologia Forense
Radiologia Forense
 
Ressonancia magnetica
Ressonancia magneticaRessonancia magnetica
Ressonancia magnetica
 
Aula 2-protocolos-de-cranio-e-face-prof-claudio-souza (1)
Aula 2-protocolos-de-cranio-e-face-prof-claudio-souza (1)Aula 2-protocolos-de-cranio-e-face-prof-claudio-souza (1)
Aula 2-protocolos-de-cranio-e-face-prof-claudio-souza (1)
 
RADIOLOGIA DIGITAL
RADIOLOGIA DIGITALRADIOLOGIA DIGITAL
RADIOLOGIA DIGITAL
 
Tomografia do Abdome
Tomografia do Abdome Tomografia do Abdome
Tomografia do Abdome
 
Principios da radiologia
Principios da radiologiaPrincipios da radiologia
Principios da radiologia
 
Meios de Contraste na RM
Meios de Contraste na RMMeios de Contraste na RM
Meios de Contraste na RM
 
Aula 06 densitometria
Aula 06 densitometriaAula 06 densitometria
Aula 06 densitometria
 
FILMES E ECRÁNS
FILMES E ECRÁNSFILMES E ECRÁNS
FILMES E ECRÁNS
 
Meios de contraste iodado
Meios de contraste iodadoMeios de contraste iodado
Meios de contraste iodado
 
Contraste radiologico
Contraste radiologicoContraste radiologico
Contraste radiologico
 
Meios de Contraste em Tomografia
Meios de Contraste em Tomografia Meios de Contraste em Tomografia
Meios de Contraste em Tomografia
 
Contraindicações na RM
Contraindicações na RMContraindicações na RM
Contraindicações na RM
 
2. Meios de contraste.pptx
2. Meios de contraste.pptx2. Meios de contraste.pptx
2. Meios de contraste.pptx
 
Radiology formação e qualidade da imagem em filme - écran
Radiology formação e qualidade da imagem em filme - écranRadiology formação e qualidade da imagem em filme - écran
Radiology formação e qualidade da imagem em filme - écran
 
Terminologia radiológica termos gerais usados no posicionamento radiológico
Terminologia radiológica termos gerais usados no posicionamento radiológicoTerminologia radiológica termos gerais usados no posicionamento radiológico
Terminologia radiológica termos gerais usados no posicionamento radiológico
 

Destaque

Hemodinâmica
HemodinâmicaHemodinâmica
Hemodinâmicawelberrj
 
Procedimentos de radiologia intervencionista
Procedimentos de radiologia intervencionistaProcedimentos de radiologia intervencionista
Procedimentos de radiologia intervencionistaMarcus Paulo Belem
 
Avaliação de Riscos Potenciais em Serviços de Hemodinâmica de três Estados Br...
Avaliação de Riscos Potenciais em Serviços de Hemodinâmica de três Estados Br...Avaliação de Riscos Potenciais em Serviços de Hemodinâmica de três Estados Br...
Avaliação de Riscos Potenciais em Serviços de Hemodinâmica de três Estados Br...REBRATSoficial
 
Apostila acessos venosos em emergências clínicas
Apostila   acessos venosos em emergências clínicasApostila   acessos venosos em emergências clínicas
Apostila acessos venosos em emergências clínicasDanielly Oliveira
 
territorios especiais das coronarias
territorios especiais das coronarias territorios especiais das coronarias
territorios especiais das coronarias Lilian Gomes
 
MonitorizaçãO HemodinâMica
MonitorizaçãO HemodinâMicaMonitorizaçãO HemodinâMica
MonitorizaçãO HemodinâMicagalegoo
 
MonitorizaçãO HemodinâMica
MonitorizaçãO HemodinâMicaMonitorizaçãO HemodinâMica
MonitorizaçãO HemodinâMicagalegoo
 
Mercredi monitorização hemodinamica
Mercredi monitorização hemodinamicaMercredi monitorização hemodinamica
Mercredi monitorização hemodinamicactisaolucascopacabana
 
Monitorização Hemodinamica
Monitorização HemodinamicaMonitorização Hemodinamica
Monitorização HemodinamicaRodrigo Biondi
 

Destaque (20)

HEMODINÂMICA: ARTÉRIAS CORONÁRIAS
HEMODINÂMICA: ARTÉRIAS CORONÁRIASHEMODINÂMICA: ARTÉRIAS CORONÁRIAS
HEMODINÂMICA: ARTÉRIAS CORONÁRIAS
 
Hemodinâmica
HemodinâmicaHemodinâmica
Hemodinâmica
 
Procedimentos de radiologia intervencionista
Procedimentos de radiologia intervencionistaProcedimentos de radiologia intervencionista
Procedimentos de radiologia intervencionista
 
Aula margarete nóbrega 2012
Aula margarete nóbrega 2012Aula margarete nóbrega 2012
Aula margarete nóbrega 2012
 
Radiología Vascular Intervencionista
Radiología Vascular IntervencionistaRadiología Vascular Intervencionista
Radiología Vascular Intervencionista
 
Avaliação de Riscos Potenciais em Serviços de Hemodinâmica de três Estados Br...
Avaliação de Riscos Potenciais em Serviços de Hemodinâmica de três Estados Br...Avaliação de Riscos Potenciais em Serviços de Hemodinâmica de três Estados Br...
Avaliação de Riscos Potenciais em Serviços de Hemodinâmica de três Estados Br...
 
Aula margarete nóbrega 2012
Aula margarete nóbrega 2012Aula margarete nóbrega 2012
Aula margarete nóbrega 2012
 
Apostila acessos venosos em emergências clínicas
Apostila   acessos venosos em emergências clínicasApostila   acessos venosos em emergências clínicas
Apostila acessos venosos em emergências clínicas
 
Procedimentos
ProcedimentosProcedimentos
Procedimentos
 
Aula acessos venosos
Aula acessos venososAula acessos venosos
Aula acessos venosos
 
Hemodinamica
HemodinamicaHemodinamica
Hemodinamica
 
Radiología intervencionista en MSK
Radiología intervencionista en MSKRadiología intervencionista en MSK
Radiología intervencionista en MSK
 
territorios especiais das coronarias
territorios especiais das coronarias territorios especiais das coronarias
territorios especiais das coronarias
 
MonitorizaçãO HemodinâMica
MonitorizaçãO HemodinâMicaMonitorizaçãO HemodinâMica
MonitorizaçãO HemodinâMica
 
arterias coronarias
arterias coronariasarterias coronarias
arterias coronarias
 
MonitorizaçãO HemodinâMica
MonitorizaçãO HemodinâMicaMonitorizaçãO HemodinâMica
MonitorizaçãO HemodinâMica
 
Mercredi monitorização hemodinamica
Mercredi monitorização hemodinamicaMercredi monitorização hemodinamica
Mercredi monitorização hemodinamica
 
Monitorização Hemodinamica
Monitorização HemodinamicaMonitorização Hemodinamica
Monitorização Hemodinamica
 
Radiologia vascular
Radiologia vascularRadiologia vascular
Radiologia vascular
 
Anatomía coronaria
Anatomía coronariaAnatomía coronaria
Anatomía coronaria
 

Semelhante a HEMODINÂMICA

Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de VálvulasCirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulasresenfe2013
 
Sistema circulatório
Sistema circulatórioSistema circulatório
Sistema circulatórioRosa Pereira
 
clnicamdicaiiparte1-161122162100 (1).pdf
clnicamdicaiiparte1-161122162100 (1).pdfclnicamdicaiiparte1-161122162100 (1).pdf
clnicamdicaiiparte1-161122162100 (1).pdfMarcelAzevedo5
 
Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)Will Nunes
 
Sangue e hêmoderivâdos. Slideshare. Medi
Sangue e hêmoderivâdos. Slideshare. MediSangue e hêmoderivâdos. Slideshare. Medi
Sangue e hêmoderivâdos. Slideshare. MediIsaias Mavunice
 
Sistema circulatorio (4) (1)
Sistema circulatorio (4) (1)Sistema circulatorio (4) (1)
Sistema circulatorio (4) (1)Luciano Silveira
 
Sistema cardiovascular O conjunto dos sistemas vasculares
Sistema cardiovascular O conjunto dos sistemas vasculares Sistema cardiovascular O conjunto dos sistemas vasculares
Sistema cardiovascular O conjunto dos sistemas vasculares Tecoluca Luiz
 
Transplante renal - Liga de Nefrologia UFC - Sobral
Transplante renal - Liga de Nefrologia UFC - SobralTransplante renal - Liga de Nefrologia UFC - Sobral
Transplante renal - Liga de Nefrologia UFC - SobralRenan Miranda Cavalcante
 
Aterosclerose [ETEC KK]
Aterosclerose [ETEC KK]Aterosclerose [ETEC KK]
Aterosclerose [ETEC KK]Vinicius Lopes
 
Estudo de caso apresentação
Estudo de caso apresentaçãoEstudo de caso apresentação
Estudo de caso apresentaçãovanessa270433
 
Seminário: Trombose venosa profunda - TVP
Seminário: Trombose venosa profunda - TVPSeminário: Trombose venosa profunda - TVP
Seminário: Trombose venosa profunda - TVPcuidadoaoadulto
 
TRATAMENTO E PREVENÇÃO DE LESÕES EM MEMBROS INFERIORES
TRATAMENTO E PREVENÇÃO DE LESÕES EM MEMBROS INFERIORESTRATAMENTO E PREVENÇÃO DE LESÕES EM MEMBROS INFERIORES
TRATAMENTO E PREVENÇÃO DE LESÕES EM MEMBROS INFERIORESdouglas870578
 
1_Disturbios_Cardiovasculares_Aneurisma_Varizes_flebite e trombose_ Choque Ca...
1_Disturbios_Cardiovasculares_Aneurisma_Varizes_flebite e trombose_ Choque Ca...1_Disturbios_Cardiovasculares_Aneurisma_Varizes_flebite e trombose_ Choque Ca...
1_Disturbios_Cardiovasculares_Aneurisma_Varizes_flebite e trombose_ Choque Ca...GustavoWallaceAlvesd
 

Semelhante a HEMODINÂMICA (20)

Anemia aplásica
Anemia aplásicaAnemia aplásica
Anemia aplásica
 
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de VálvulasCirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e de Troca de Válvulas
 
Sistema circulatório
Sistema circulatórioSistema circulatório
Sistema circulatório
 
clnicamdicaiiparte1-161122162100 (1).pdf
clnicamdicaiiparte1-161122162100 (1).pdfclnicamdicaiiparte1-161122162100 (1).pdf
clnicamdicaiiparte1-161122162100 (1).pdf
 
Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)
 
Sangue e hêmoderivâdos. Slideshare. Medi
Sangue e hêmoderivâdos. Slideshare. MediSangue e hêmoderivâdos. Slideshare. Medi
Sangue e hêmoderivâdos. Slideshare. Medi
 
Sistema circulatorio (4) (1)
Sistema circulatorio (4) (1)Sistema circulatorio (4) (1)
Sistema circulatorio (4) (1)
 
Sistema cardiovascular O conjunto dos sistemas vasculares
Sistema cardiovascular O conjunto dos sistemas vasculares Sistema cardiovascular O conjunto dos sistemas vasculares
Sistema cardiovascular O conjunto dos sistemas vasculares
 
Transplante renal - Liga de Nefrologia UFC - Sobral
Transplante renal - Liga de Nefrologia UFC - SobralTransplante renal - Liga de Nefrologia UFC - Sobral
Transplante renal - Liga de Nefrologia UFC - Sobral
 
Aterosclerose [ETEC KK]
Aterosclerose [ETEC KK]Aterosclerose [ETEC KK]
Aterosclerose [ETEC KK]
 
ECOCARDIOGRAMA & RAIO-X.pdf
ECOCARDIOGRAMA & RAIO-X.pdfECOCARDIOGRAMA & RAIO-X.pdf
ECOCARDIOGRAMA & RAIO-X.pdf
 
Sistema cardiovascular
Sistema cardiovascularSistema cardiovascular
Sistema cardiovascular
 
Cópia de hemodialise.pdf
Cópia de hemodialise.pdfCópia de hemodialise.pdf
Cópia de hemodialise.pdf
 
sistemas circ e excretor
sistemas circ e excretorsistemas circ e excretor
sistemas circ e excretor
 
Estudo de caso apresentação
Estudo de caso apresentaçãoEstudo de caso apresentação
Estudo de caso apresentação
 
Aula Sangue
Aula SangueAula Sangue
Aula Sangue
 
Seminário: Trombose venosa profunda - TVP
Seminário: Trombose venosa profunda - TVPSeminário: Trombose venosa profunda - TVP
Seminário: Trombose venosa profunda - TVP
 
TRATAMENTO E PREVENÇÃO DE LESÕES EM MEMBROS INFERIORES
TRATAMENTO E PREVENÇÃO DE LESÕES EM MEMBROS INFERIORESTRATAMENTO E PREVENÇÃO DE LESÕES EM MEMBROS INFERIORES
TRATAMENTO E PREVENÇÃO DE LESÕES EM MEMBROS INFERIORES
 
1_Disturbios_Cardiovasculares_Aneurisma_Varizes_flebite e trombose_ Choque Ca...
1_Disturbios_Cardiovasculares_Aneurisma_Varizes_flebite e trombose_ Choque Ca...1_Disturbios_Cardiovasculares_Aneurisma_Varizes_flebite e trombose_ Choque Ca...
1_Disturbios_Cardiovasculares_Aneurisma_Varizes_flebite e trombose_ Choque Ca...
 
Trombose
TromboseTrombose
Trombose
 

Mais de Herculys Douglas Clímaco Marques

Segurança em ressonância magnética - dispositivos médicos
Segurança em ressonância magnética - dispositivos médicosSegurança em ressonância magnética - dispositivos médicos
Segurança em ressonância magnética - dispositivos médicosHerculys Douglas Clímaco Marques
 
HEMODINÂMICA: EMBOLOTERAPIA E QUIMIOEMBOLIZAÇÃO HEPÁTICA
HEMODINÂMICA: EMBOLOTERAPIA E QUIMIOEMBOLIZAÇÃO HEPÁTICAHEMODINÂMICA: EMBOLOTERAPIA E QUIMIOEMBOLIZAÇÃO HEPÁTICA
HEMODINÂMICA: EMBOLOTERAPIA E QUIMIOEMBOLIZAÇÃO HEPÁTICAHerculys Douglas Clímaco Marques
 

Mais de Herculys Douglas Clímaco Marques (20)

Neuroimagem
NeuroimagemNeuroimagem
Neuroimagem
 
Segurança em ressonância magnética - dispositivos médicos
Segurança em ressonância magnética - dispositivos médicosSegurança em ressonância magnética - dispositivos médicos
Segurança em ressonância magnética - dispositivos médicos
 
Trichuris trichiura e Enterobius vermiculares
Trichuris trichiura e Enterobius vermicularesTrichuris trichiura e Enterobius vermiculares
Trichuris trichiura e Enterobius vermiculares
 
ANGIOTOMOGRAFIA
ANGIOTOMOGRAFIAANGIOTOMOGRAFIA
ANGIOTOMOGRAFIA
 
Tomografia Computadorizada: Patologias do Tórax
Tomografia Computadorizada: Patologias do TóraxTomografia Computadorizada: Patologias do Tórax
Tomografia Computadorizada: Patologias do Tórax
 
Radiologia Intervencionista
Radiologia IntervencionistaRadiologia Intervencionista
Radiologia Intervencionista
 
Avanços Tecnológicos na RM
Avanços Tecnológicos na RM Avanços Tecnológicos na RM
Avanços Tecnológicos na RM
 
TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA (TC)
TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA (TC)TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA (TC)
TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA (TC)
 
Meios de Contraste: TC e RM
Meios de Contraste: TC e RM Meios de Contraste: TC e RM
Meios de Contraste: TC e RM
 
Tomografia Computadorizada Aplicada na Oncologia
Tomografia Computadorizada Aplicada na OncologiaTomografia Computadorizada Aplicada na Oncologia
Tomografia Computadorizada Aplicada na Oncologia
 
Interpretação de Imagens Tomográficas (TC)
Interpretação de Imagens Tomográficas (TC)Interpretação de Imagens Tomográficas (TC)
Interpretação de Imagens Tomográficas (TC)
 
Meios de Constraste em Ressonância Magnética
Meios de Constraste em Ressonância MagnéticaMeios de Constraste em Ressonância Magnética
Meios de Constraste em Ressonância Magnética
 
ANGIO: TOMOGRAFIA E RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
ANGIO: TOMOGRAFIA E RESSONÂNCIA MAGNÉTICAANGIO: TOMOGRAFIA E RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
ANGIO: TOMOGRAFIA E RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
 
Ressonância Magnética: Equipamentos.
Ressonância Magnética: Equipamentos.Ressonância Magnética: Equipamentos.
Ressonância Magnética: Equipamentos.
 
HEMODINÂMICA: EMBOLOTERAPIA E QUIMIOEMBOLIZAÇÃO HEPÁTICA
HEMODINÂMICA: EMBOLOTERAPIA E QUIMIOEMBOLIZAÇÃO HEPÁTICAHEMODINÂMICA: EMBOLOTERAPIA E QUIMIOEMBOLIZAÇÃO HEPÁTICA
HEMODINÂMICA: EMBOLOTERAPIA E QUIMIOEMBOLIZAÇÃO HEPÁTICA
 
PROFISSÃO: TECNÓLOGO EM RADIOLOGIA
PROFISSÃO: TECNÓLOGO EM RADIOLOGIAPROFISSÃO: TECNÓLOGO EM RADIOLOGIA
PROFISSÃO: TECNÓLOGO EM RADIOLOGIA
 
Ressonância Magnética: Abdome
Ressonância Magnética: AbdomeRessonância Magnética: Abdome
Ressonância Magnética: Abdome
 
Radiologia Forense
Radiologia ForenseRadiologia Forense
Radiologia Forense
 
Estudo de caso: um jovem e a radiologia.
Estudo de caso: um jovem e a radiologia.Estudo de caso: um jovem e a radiologia.
Estudo de caso: um jovem e a radiologia.
 
Meios de contraste: TC e RM
Meios de contraste: TC e RMMeios de contraste: TC e RM
Meios de contraste: TC e RM
 

Último

eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOMayaraDayube
 
Assistencia de enfermagem no pos anestesico
Assistencia de enfermagem no pos anestesicoAssistencia de enfermagem no pos anestesico
Assistencia de enfermagem no pos anestesicoWilliamdaCostaMoreir
 
Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCC
Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCCAmamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCC
Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCCProf. Marcus Renato de Carvalho
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfGustavoWallaceAlvesd
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgeryCarlos D A Bersot
 
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdMedicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdClivyFache
 

Último (6)

eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
 
Assistencia de enfermagem no pos anestesico
Assistencia de enfermagem no pos anestesicoAssistencia de enfermagem no pos anestesico
Assistencia de enfermagem no pos anestesico
 
Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCC
Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCCAmamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCC
Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCC
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
 
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdMedicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
 

HEMODINÂMICA

  • 3. Radiologia Intervencionista • A Radiologia Intervencionista é uma especialidade médica pouco conhecida do público em geral pois tem uma atuação muito especializada. • Apesar disso vem se expandindo muito nos últimos anos ocupando áreas de destaque cada vez maior no meio médico e na mídia.
  • 4. Radiologia Intervencionista • Seu objetivo primordial é de realizar procedimentos e cirurgias minimamente invasivas com intuito diagnóstico (ex.: Biópsia percutânea guiado por Tomografia) ou terapêutico (ex.: Angioplastia, Quimioembolização e Abalação por Radiofrequência). • Esta especialidade nasceu através da Radiologia Diagnóstica no momento em que os Radiologistas identificaram o potencial de se realizar uma intervenção cirúrgica com o auxílio da imagem (procedimentos guiados por imagem).
  • 5. A Tecnologia está mudando... e muito rapidamente....
  • 6.
  • 7. CONCEITO • É O ESTUDO DA DINÂMICA DA CIRCULAÇÃO SANGUÍNEA. RELATIVO AOS ASPECTOS FÍSICOS DA CIRCULAÇÃO DO SANGUE. • A HEMODINÂMICA SE PROPÕE A REALIZAR EXAMES DIAGNÓSTICOS (ANGIOGRAFIA) E INTERVENÇÕEES TERAPÊUTICAS POR MEIO DE RADIOLOGIA CARDIOVASCULAR, USUALMENTE RECORRENDO A CATÉTERES E INJEÇÕES DE CONTRASTE. • EXECUTAM-SE TAMBÉM PROCEDIMENTOS TERAPÊUTICOS COMO A ANGIOPLASTIA, DRENAGEM E EMBOLIZAÇÕES TERAPÊUTICAS.
  • 8. HEMODINÂMICA • É UM MÉTODO INDICADO QUANDO OUTRAS MODALIDADES DE IMAGENS E ESTUDOS NÃO INVASIVOS NÃO FORNECEREM UM DIAGNÓSTICO PRECISO OU PARA DETERMINAR A EXTENSÃO VASCULAR DE UM EXAME POR TC OU RM POSITIVOS.
  • 9. HISTÓRICO • Os primeiros dados a respeito de cateterismo cardíaco datam de 1844, quando Claude Bernard, em um cavalo, introduziu através da artéria carótida um cateter até o lado direito e esquerdo do coração, respectivamente. • Um stent chamado de Wallstent foi a primeira forma de Angioplastia coronariana realizada não somente com balão, mas também com stent, tendo sido o primeiro caso realizado na França, em 1986. Em 1987 iniciou-se o uso de um segundo tipo de stent, o stent Palmaz-Schatz, nos Estados Unidos.
  • 10. O QUE É HEMODINÂMICA? • A hemodinâmica se propõe realizar exames diagnósticos e intervenções terapêuticas por meio de radiologia cardiovascular usualmente recorrendo a catéteres e injeções de contraste. Executam-se também procedimentos terapêuticos como angioplastia, drenagens e embolizações terapêuticas.
  • 11. PROCEDIMENTOS • Cateterismo • Procedimento invasivo que auxilia na obtenção de dados adicionais contribuindo para um diagnóstico exato e indicação do tratamento mais adequado.
  • 12. PROCEDIMENTOS • Cateterismo • Trata-se de um método em que se punciona ou disseca uma veia ou artéria periférica e se introduz um tubo fino e flexível chamado catéter até aos grandes vasos e o coração, cujo fim é analisar dados fisiológicos, funcionais e anatômico
  • 13. PROCEDIMENTOS • Angioplastia • Procedimento invasivo, para tratamento de doenças arteriais. • Trata-se de um insuflamento temporário com um catéter balão no interior do vaso para corrigir um estreitamento de um vaso.
  • 15. Sistema Cardio-Respiratório As nossas células necessitam de:  Oxigênio;  Nutrientes;  Eliminar Dióxido de Carbono;  Entre outros. O nosso organismo realiza as trocas de substâncias com o meio extracelular através de um sistema baseado na circulação de um fluído:  SANGUE
  • 16. Sistema Circulatório É um sistema fechado constituído por:  Coração; órgão propulsor;  Vasos sanguíneo; asseguram a distribuição do sangue.  Sangue; tecido líquido viscoso que assegura o equilíbrio fundamental entre os vários sistemas do corpo humano.
  • 17. Sangue É constituído por:  Plasma (±55%); substância intercelular líquida.  Células sanguíneas ou elementos figurados do sangue (±45%); células em suspensão.
  • 18. Células Sanguíneas • Eritrócitos (hemácias ou glóbulos vermelhos) Características Funções - Em forma de disco biconcavo; - Transporte de gases: O2 e CO2 - Não têm núcleo; - Mudam de forma conseguindo adaptar-se aos capilares; - Vermelhos devido à presença de hemoglobina; - Presença de ferro; - São as mais abundantes do sangue
  • 19. Células Sanguíneas • Leucócitos (glóbulos brancos) Características Funções - De forma irregular; - Defesa do organismo - Presença de núcleo com formas variadas; - Capacidade de emitir pseudópodes; - Capacidade de fagocitose; - Capacidade de mudar de forma e de diapedese, isto é, sair dos capilares; - Incolores
  • 20. Células Sanguíneas • Plaquetas (trombocitos) Características Funções - Fragmentos de células especializadas; - Coagulação do sangue; - Sem núcleo; - Impedem hemorragias através da formaçaõ de um tampão na zona lesada; - Sem forma definida. - Auxiliam na reparação da parede dos vasos sanguíneos.
  • 21. Células Sanguíneas • Plasma Características Funções - Parte líquida do sangue; - Transporte dos elementos figurados do sangue, nutrientes, excreções e hormonas; - Cerca de 90% de água; - Desempenha funções de regulação e distribuição do calor; - Presença de sais minerais, substâncias orgânicas (glícidos; lípidos; proteínas e vitaminas) e hormonas. - Desempenha funções na coagulação do sangue devido à presença de proteinas como fibrogénio.
  • 22. Sangue Os elementos figurados do sangue têm vida curta; São renovados constantemente; A sua produção é realizada na medula óssea através da maturação de diferentes células sanguíneas.  Processo designado de hematopoiese. Os leucócitos são produzidos ao nível dos órgãos linfoides.  Baço; Fígado e Gânglios linfáticos.
  • 23. Funções do Sangue Transporte de O2; Transporte de nutrientes; Transporte de produtos de excreção; Transporte de hormonas; Defesa do organismo; Coagulação; Regulação da temperatura corporal.
  • 24.
  • 25.
  • 26.
  • 27. Septo
  • 28.
  • 29.
  • 30. Artérias, veias e capilares - Os vasos sanguíneos
  • 31.
  • 32.
  • 33.
  • 34. Saúde do coração o Primeiro sinal da arteriosclerose pode ser a morte. Melhor que tratar é evitar o aparecimento da doença
  • 36. Saúde do coração o Primeiro sinal da arteriosclerose pode ser a morte. Melhor que tratar é evitar o aparecimento da doença
  • 40. ARTERIOSCLEROSE • A ARTERIOSCLEROSE PODE CAUSAR DANOS A ÓRGÃOS IMPORTANTES OU ATÉ MESMO LEVAR A MORTE. • TEM INÍCIO NOS PRIMEIROS ANOS DE VIDA, MAS SUA MANIFESTAÇÃO CLÍNICA GERALMENTE OCORRE NO ADULTO.
  • 41. PRINCIPAIS CAUSAS DE OBSTRUÇÃO DA LUZ DOS VASOS • DIABETES; • TAXAS ELEVAS DE COLESTEROL; • ANTECEDENTE FAMILIAR PRÓXIMO COM HISTÓRICO DE INFARTO DO MIOCÁRDIO; • OBESIDADE; • HIPERTENSÃO; • ESTRESSE; • SEDENTARISMO; • HÁBITOS ALIMENTARES INADEQUADOS
  • 42. SINTOMAS/SINAIS • A REDUÇÃO DO FLUXO CORONÁRIO EM GRAUS VARIÁVEIS SE MANIFESTA CLINICAMENTE SOB DIFERENTES FORMAS: • 1 OS ASSINTOMÁTICOS; • 2 ANGINA ESTÁVEL QUE SE EXARCEBA EM MOMENTOS DE ESFORÇO FÍSICO; • 3 AS SÍNDROMES CORONÁRIAS AGUDAS; • 4 INFARTO DO MIOCÁRDIO; • 5 MORTE SÚBITA
  • 43.
  • 44.
  • 45. PARA PRÓXIMA AULA.. PESQUISAR DIFERENÇAS ENTRE AVC HEMORRÁGICO E AVC ISQUÊMICO
  • 46. PARA REFLETIR... “A sabedoria do prudente é entender o seu próprio caminho, mas a estultícia dos tolos é enganar.” Provérbios 14.8 “Como é feliz o homem que acha a sabedoria, o homem que obtém entendimento, pois a sabedoria é mais proveitosa do que a prata e rende mais do que o ouro.” Provérbios 3. 13,14