Prof. Daniel Xavier
   A radiografia simples do tórax é um dos    exames radiológicos mais utilizados na    prática médica.
   Propriedades:    interagem com a matéria    propagam-se no vácuo a velocidade da luz    propagam-se em linha reta    i...
   Efeitos biológicos (quanto maior o metabolismo,    maior a sensibilidade).    Pele: nocivos em pacientes que fazem uso...
efeitos agudos: praticamente impossível, duranteum diagnóstico, só em casos de acidentes comradiação.imunodepressão: quem ...
 As estruturas que aparecem na radiografia  sempre são maiores que o normal. A distância da ampola de raio x também modi...
2.1 – Póstero-anterior (PA)2.2 – Ântero-posterior (AP)
2.3 – Perfil2.5 – Decúbito lateral com raios horizontais (Laurell)
Dose de radiação/ Penetração Não é raro encontrarmos exames muito ou pouco  penetrados. Idealmente, devemos ser capazes d...
Inspiração correta O ideal é que o exame seja realizado em apnéia  inspiratória máxima. Para sabermos se o exame está  be...
Avaliação da parede torácica:- Simetria;- Fraturas e outras alterações ósseas ;Avaliação da pleura- Derrame pleural- Pneum...
Derrame PleuralPleura parietal X pleura visceral.Definição: Acúmulo de líquido no interior do espaço pleural.Valores norma...
   Infiltrados:    . Opacificação homogênea dos lobos ou    segmentos envolvidos (pnm Lobar).    . Broncograma aéreo (bro...
   Colapso alveolar:    . Diminuição dos espaços intercostais.    . Insuflação do lado contralateral.    . Desvio do medi...
   Pneumotórax:    . Ausência da trama pulmonar.    . Desvio do mediastino contralateral a lesão.
   Derrame pleural:    . Opacificação homogênea do ângulo    costofrênico.    . Contorno diafragmático obscurecido.    . ...
   Pequeno: menor que 500 ml   Médio: entre 500 e 1000 ml   Grande: acima de 1000 ml
   Congestão:    . Dilatação dos vasos.    . Redistribuição do fluxo sanguíneo para as    zonas superiores.    . Edema in...
Aula de Radiologia
Aula de Radiologia
Aula de Radiologia
Aula de Radiologia
Aula de Radiologia
Aula de Radiologia
Aula de Radiologia
Aula de Radiologia
Aula de Radiologia
Aula de Radiologia
Aula de Radiologia
Aula de Radiologia
Aula de Radiologia
Aula de Radiologia
Aula de Radiologia
Aula de Radiologia
Aula de Radiologia
Aula de Radiologia
Aula de Radiologia
Aula de Radiologia
Aula de Radiologia
Aula de Radiologia
Aula de Radiologia
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aula de Radiologia

27.765 visualizações

Publicada em

Aula de Radiologia

  1. 1. Prof. Daniel Xavier
  2. 2.  A radiografia simples do tórax é um dos exames radiológicos mais utilizados na prática médica.
  3. 3.  Propriedades: interagem com a matéria propagam-se no vácuo a velocidade da luz propagam-se em linha reta impressionam filmes radiográficos
  4. 4.  Efeitos biológicos (quanto maior o metabolismo, maior a sensibilidade). Pele: nocivos em pacientes que fazem uso prolongado. Olho: muito sensível o cristalino, podendo desenvolver uma catarata. Neoplasias malignas: por causa da ionização, as células ficam sensíveis e a alteração celular facilitada.
  5. 5. efeitos agudos: praticamente impossível, duranteum diagnóstico, só em casos de acidentes comradiação.imunodepressão: quem trabalha com a radiaçãofica mais vulnerável.
  6. 6.  As estruturas que aparecem na radiografia sempre são maiores que o normal. A distância da ampola de raio x também modifica o tamanho da imagem. Sobreposição de imagens.
  7. 7. 2.1 – Póstero-anterior (PA)2.2 – Ântero-posterior (AP)
  8. 8. 2.3 – Perfil2.5 – Decúbito lateral com raios horizontais (Laurell)
  9. 9. Dose de radiação/ Penetração Não é raro encontrarmos exames muito ou pouco penetrados. Idealmente, devemos ser capazes de visualizar a sombra da coluna vertebral apenas nas suas porções mais superiores.Densidade Absorção ImagemMetal Total Branco brilhanteCálcio Grande BrancoÁgua Média Cinza-brancoGordura Pequena Quase pretoAr Nenhuma Preto
  10. 10. Inspiração correta O ideal é que o exame seja realizado em apnéia inspiratória máxima. Para sabermos se o exame está bem inspirado, devemos ter de 10 costelas posteriores projetando-se sobre os campos pulmonares e deverá demonstrar as hemicúpulas frênicas do diafragma ao nível do 10º espaço intercostal superior nos adultos, e nas crianças ao nível do 6º espaço intercostal superior.Alinhamento / Centralização Para que o exame esteja bem centrado, as bordas mediais das clavículas devem estar eqüidistantes do centro da coluna, ou seja, os processos espinhosos devem ser vistos no meio destas extremidades e as escápulas devem estar fora do campo.
  11. 11. Avaliação da parede torácica:- Simetria;- Fraturas e outras alterações ósseas ;Avaliação da pleura- Derrame pleural- PneumotóraxAvaliação do parênquima- Infiltrado alveolar- atelectasias
  12. 12. Derrame PleuralPleura parietal X pleura visceral.Definição: Acúmulo de líquido no interior do espaço pleural.Valores normais: 1-5 ou 3-15 cc ou mlValores patológicos : 175 a 200 mlIncidência radiográfica adequada → LaurellPneumotóraxDefinição: Acúmulo de ar nos espaço pleural tornando a pleuravisceral visível.Possíveis causas: espontaneamente por ruptura de uma bolha,biópsias, acessos profundos, VM.Incidência radiográfica adequada → Posição ortostática
  13. 13.  Infiltrados: . Opacificação homogênea dos lobos ou segmentos envolvidos (pnm Lobar). . Broncograma aéreo (broncopneumonia). . Múltiplas opacidades (hipodensa). . Hipodensidades lineares (pnm Intersticial).
  14. 14.  Colapso alveolar: . Diminuição dos espaços intercostais. . Insuflação do lado contralateral. . Desvio do mediastino ipsilateral.
  15. 15.  Pneumotórax: . Ausência da trama pulmonar. . Desvio do mediastino contralateral a lesão.
  16. 16.  Derrame pleural: . Opacificação homogênea do ângulo costofrênico. . Contorno diafragmático obscurecido. . Desvio ipsilateral do mediastino ou contralateral (quantidade).
  17. 17.  Pequeno: menor que 500 ml Médio: entre 500 e 1000 ml Grande: acima de 1000 ml
  18. 18.  Congestão: . Dilatação dos vasos. . Redistribuição do fluxo sanguíneo para as zonas superiores. . Edema intersticial e alveolar.

×