Hernia de disco Dr Omar Mohamad M. Abdallah

816 visualizações

Publicada em

Hernia de disco Dr Omar Mohamad M. Abdallah
Aula de Ortopedia
Medicina

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
816
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
38
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Hernia de disco Dr Omar Mohamad M. Abdallah

  1. 1. Omar Mohamad M. Abdallah R1 de Ortopedia e Traumatologia Hospital Santa Rita
  2. 2.  A coluna protege a medula espinhal  As vértebras são separadas pelo disco intervertebral .  O disco tem uma substancia gelatinosa, Núcleo pulposo , cercada pelo anel fibroso .  Disco tem 3 funções principais :  Amortecimento  Mobilidade  Separação intervebral – Ramificações da medula
  3. 3.  Anel fibroso tem colágeno I – Resistente  Mantém o núcleo contido dentro do disco .  Os proteoglicanos são responsáveis pela hidratação do núcleo pulposo – Gel  Fluidos e nutrientes vem das vértebras – Mantém o núcleo saudável .
  4. 4.  Hérnia de disco é patologia própria do adulto;  pode acometer qualquer local da coluna; L  A degeneração discal leva em media, 200.000 cirurgias / ano nos USA  O fator inicial é uma diminuição no conteúdo de proteoglicanas - responsável pela hidratação do núcleo pulposo.  Jovem o disco tem 88% de sua composição é água, no idoso é de apenas 65%.  Núcleo perde suas propriedades hidráulicas (amortecedor) e as fibras tornam se mais suscetíveis a rupturas.
  5. 5.  A Hérnia discal ocorre devido fatores:  Biomecânicos – P sentado ou ereto (Ruptura é maior para forcas de flexão e rotação  P - DD .  Níveis mais suscetíveis para ocorrer são:  C5 e C6 (nível de maior mobilidade na coluna cervical)  Porção do terço inferior da coluna torácica – Por ser mais móvel que a superior.  Coluna lombar entre L4 – L5 e L5 – S1.  Alterações degenerativas .  Fatores que aumente a pressão sobre suas estruturas .
  6. 6.  Hérnia do ponto de vista de localização pode ser:  Central  Lateral  Centro lateral e foraminal.
  7. 7.  Protusas - Ruptura parcial de anel fibroso com abaulamento das camadas externas  Extrusas - Ruptura total do disco com ligamento long. posterior íntegro .  Sequestradas - Ruptura do ligamento com fragmento livre no Canal podendo migrar Proximal ou Distal.
  8. 8.  Apesar do forame ser amplo, a raíz é fixa pelo tecido fibro adiposo peri radicular.  Acompanhando essas raízes temos as artérias radiculares e a circulação venosa.  Essas compressões mesmo que de moderada intensidade tem seu espaço reduzido .
  9. 9.  Dor cervical ocorre de maneira insidiosa  Relacionada com movimentos bruscos do pescoço, esforço físico e trauma.  Referem melhora com repouso e piora com esforço físico.  Podem cursar com irradiação para membros inferiores - Comum são as parestesias .  Os fenômenos motores residem em paresias, raramente paralisias e alterações dos reflexos.
  10. 10.  A incidência corresponde de 0,2 – 1%.  Acomete pacientes entre 40 – 60 anos.  Dor radicular tipo costal nas hérnias laterais, quadro neurológico decorrente de compressão medular nas hérnias centrais.  Quando há compressão medular podem cursar com: parestesias ou paresias radicular, ataxia e alteração esfincteriana.
  11. 11.  As hérnias lombares podem cursar com lombalgias, lombociatalgias e mais raramente síndrome da cauda eqüina.  60% população com 45 – 50 anos já apresentou algum episodio de lombalgia.  37% já teve dor irradiada para membro inferior. 
  12. 12.  Força Muscular  L4 = Tibial Anterior  L5 = Ext. Longo Hálux  S1 = Tríceps
  13. 13.  Radiografia simples - Mostram alterações degenerativas e sinais indiretos como diminuição do espaço articular.  Mielografia: Seguida de TC foi o método mais usado para estenose de canal cervical.
  14. 14.  TC - Sensibilidade em torno de 80-90 %. Bom método para avaliar parte óssea e partes moles.  A tomografia possibilita o diagnóstico diferencial com a estenose de recesso lateral, a estenose foraminal, permitindo também o diagnóstico das hérnias foraminais e extremolaterais.  Vantagem de mostrar com maior clareza a patologias ósseas e articulares.
  15. 15.  RNM- É o exame de escolha.  Maior sensibilidade do que a tomografia computadorizada.  possível verificar os diversos graus de lesão do disco, desde sua degeneração até os diversos graus de ruptura, protrusão, extrusão e de seqüestro.
  16. 16.  O tratamento conservador deve ser a primeira opção insistindo de 6 – 8 semanas antes de pensar em tratamento cirúrgico .  Analgésicos/AINH/Relaxantes Musculares Opióides /Antidepressivos  Corticóide intratecal ou peridural  Repouso absoluto por três dias na posição mais confortável, para que o disco lesado não sofra mais compressão.  Recomendar a flexão dos quadris para reduzir a lordose lombar e aumentar foramens intervertebrais.
  17. 17.  Indicação Absoluta  S. da Cauda Equina  Déficit Neurológico Progressivo  Indicações Relativas  Dor Intolerável  Dor Compromete Trabalho  Atitude Antálgica Severa

×