SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 31
Prof. Donizete Batista
Variação e Mudança Linguística
• Dentro de nossas fronteiras falamos
português;
• Ao nosso lado, fala-se espanhol;
• Muitas tribos utilizam como forma de
comunicação uma língua bem diferente do
português;
Variação e Mudança Linguística
A língua não é usada de modo homogêneo por
todos os seus falantes
O uso de uma língua varia de:
• região para região
• classe social para classe social, etc.
Variação e Mudança Linguística
Existem dois tipos de variedades lingüísticas
• Dialetais: variedades que ocorrem em função
das pessoas que utilizam a língua, ou seja, os
emissores
• Registro: variedades que ocorrem em função
do uso que se faz da língua, as quais
dependem do receptor, da mensagem e da
situação
Variação e Mudança Linguística
• Ao contrário da norma-padrão, a língua para a
sociolinguistas é heterogênea;
• A língua é uma atividade social, um trabalho
coletivo empreendido por todos os seus
falantes;
• A verdadeira língua não se encontra registrada
em dicionários e muito menos em gramáticas
normativas;
• A mudança, a variação é que “são o estado
natural” das línguas;
• As línguas são faladas por seres humanos,
inseridos em uma dada cultura, em uma dada
sociedade, localizados em um determinado
momento da história;
• As línguas acompanham essas
transformações;
• “O verdadeiro problema é considerar que
existe uma língua perfeita, correta, bem-
acabada e fixada em bases sólidas, e que
todas as inúmeras manifestações orais e
escritas que se distanciam dessa língua ideal
são como ervas daninhas que precisam ser
arrancadas do jardim para que flores
continuem lindas e coloridas.”
Marcos Bagno
• A Sociolinguística estuda a relação da
heterogeneidade social com a língua.
Norma-padrão
Domínios sociais
• Domínio social doméstico, privado – relações imediatas
• Domínio social público – relações mediatas,
hierarquização das relações sociais são mais evidentes
• Variação fonético-fonológica
– a pronúncia de PORTA no português brasileiro
• Variação morfológica
– As formas PEGAJOSO e PEGUENTO
• Variação sintática
– Não quero / Quero não
• Variação semântica
– O vocábulo VEXAME
• Variação lexical
– Mijo, xixi, urina
• Variação estilístico-pragmática
– Queiram se sentar por favor!
– Vamo sentano aí galera.
Fatores extralinguísticos
• Origem geográfica
• Status socioeconômico
• Grau de escolarização
• Idade
• Sexo
• Mercado de trabalho
• Redes sociais
Variação Estilística
• Tanto na modalidade escrita quanto falada;
• Há uma série de fatores implicados;
Máximo
monitoramento
Classificação das variedades
• Variação diatópica – lugares diferentes;
• Variação diastrática – classes sociais;
• Variação diamésica – diferenças entre
modalidades;
• Variação diafásica – grau de monitoramento;
• Variação diacrônica – história de cada língua.
Dialeto Socioleto Cronoleto Idioleto
modo
característicos
de falar de uma
determinada
região/local
Compartilham
as mesmas
características
socioculturais
Modo de falar
de uma
determinada
classe social
O modo
próprio,
particular que
cada um dos
falantes
desempenha
sua fala.
Nem tudo varia
• A pronúncia da consoante /f/;
• O artigo definido, o uso do pronome obliquo
ANA ME SUSTENTOU DURANTE MUITO
TEMPO e nunca ouve-se ANA ME DURANTE
MUITO TEMPO SUSTENTOU;
• O verbo gostar;
• Regras categóricas e regras variáveis
Variação e mudança linguística
• Língua da região mineira
Variação e mudança linguística
• Língua da região sulista
Variação e mudança linguística
• Língua da região nordestina
Variação Regional
• Diferença lexical/semânticas
• Fala de um cantor de “rap”
• Texto médico
Variação Dialetal
• Variação Etária: diferenças linguísticas
observadas em função da faixa etária
Variação de Registro
• Grau de Formalismo
– Varia de acordo com os interlocutores e as
situações sociais
• O grau de formalismo se manifesta em
diferentes níveis de construção do enunciado:
Por exemplo: o vocabulário
Razoões desvairadas, que alguuns fallavam sobre o casamento delRei Dom
Fernamdo
Quamdo foi sabudo pello reino, como elRei reçebera de praça
Dona Lionor por sua molher, e lhe beijarom a maão todos por Rainha, foi
o poboo de tal feito mui maravilhado, muito mais que da primeira; por
que ante desto nom enbargando que o alguuns sospeitassem, por o
gramde e honrroso geito que viiam a elRei teer com ella, nom eram
maravilha o que elRei fezera, e que ja a outros acomteçera semelhavel
Fernão Lopes Crônica de D. Fernando, 1434
Vernáculo
• Vernáculo – o estilo em que se presta o mínimo
de atenção ao monitoramento da fala;
• Fonte mais segura para investigação linguística;
• Por meio do vernáculo podemos identificar quais
as regras gramaticais que realmente pertencem
ao português brasileiro contemporâneo, aquelas
que são mais usualmente empregadas em suas
interações cotidianas.
• Nesta segunda variante, temos o emprego do
pronome reto ele como objeto direto, regra que é
muito comum no nosso português oral.
Geralmente só empregamos os pronomes
oblíquos átonos na linguagem escrita, ou falada,
em estilos muito monitorados.
• Diz para ela vir amanhã, vou deixar ele arrumado
e aí ela leva ele direto para escola.
• Diga-lhe que venha amanhã, pois vou deixá-lo
arrumado para que assim possa levá-lo direto à
escola.
• Assim, as variedades faladas pelos grupos de
maior poder político e econômico passam a
ser vistas como variedades mais bonitas e até
mais corretas. Mas essas variedades, que
ganham prestígio porque são faladas por
grupos de maior poder, nada têm de
intrinsecamente superior às demais. O
prestígio que adquirem é mero resultado de
fatores políticos e econômicos
+rural + urbano
+ oral + letrado
- monitorado + monitorado
Variedades
prestigiadas
Variedades estigmatizadas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Sintagma nominal slide
Sintagma nominal slideSintagma nominal slide
Sintagma nominal slide
 
Processos de formação de palavras
Processos de formação de palavrasProcessos de formação de palavras
Processos de formação de palavras
 
morfologia
morfologiamorfologia
morfologia
 
Linguagem,+LíNgua+E+Fala
Linguagem,+LíNgua+E+FalaLinguagem,+LíNgua+E+Fala
Linguagem,+LíNgua+E+Fala
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Lingua e-linguagem2
Lingua e-linguagem2Lingua e-linguagem2
Lingua e-linguagem2
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Língua e linguagem 1
Língua e linguagem 1Língua e linguagem 1
Língua e linguagem 1
 
Semântica
Semântica Semântica
Semântica
 
O que é Literatura?
O que é Literatura?O que é Literatura?
O que é Literatura?
 
Variedades linguísticas
Variedades linguísticasVariedades linguísticas
Variedades linguísticas
 
Aula intertextualidade
Aula intertextualidadeAula intertextualidade
Aula intertextualidade
 
Aula 04 variacao linguistica
Aula 04   variacao linguisticaAula 04   variacao linguistica
Aula 04 variacao linguistica
 
Paragrafação
ParagrafaçãoParagrafação
Paragrafação
 
Textos digitais literários
Textos digitais literários Textos digitais literários
Textos digitais literários
 
Orações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas SubstantivasOrações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas Substantivas
 
Origem da língua portuguesa
Origem da língua portuguesaOrigem da língua portuguesa
Origem da língua portuguesa
 
Elementos Essenciais da Comunicação Humana
Elementos Essenciais da Comunicação HumanaElementos Essenciais da Comunicação Humana
Elementos Essenciais da Comunicação Humana
 
Fonética & fonologia
Fonética & fonologiaFonética & fonologia
Fonética & fonologia
 
Sociolinguística
SociolinguísticaSociolinguística
Sociolinguística
 

Destaque

Green Collar Jobs And Your Community
Green Collar Jobs And Your CommunityGreen Collar Jobs And Your Community
Green Collar Jobs And Your Communityewesserle
 
2553 lx002 week 6 class (20 july 2010) slideshow
2553 lx002 week 6 class (20 july 2010) slideshow2553 lx002 week 6 class (20 july 2010) slideshow
2553 lx002 week 6 class (20 july 2010) slideshowChacrit Sitdhiwej
 
2553 lx002 week 14 class (21 september 2010) slideshow
2553 lx002 week 14 class (21 september 2010) slideshow2553 lx002 week 14 class (21 september 2010) slideshow
2553 lx002 week 14 class (21 september 2010) slideshowChacrit Sitdhiwej
 
Introduction to Little Springs Design
Introduction to Little Springs DesignIntroduction to Little Springs Design
Introduction to Little Springs DesignLittle Springs Design
 
2553 la260 class 11 (13 september 2010) slideshow
2553 la260 class 11 (13 september 2010) slideshow2553 la260 class 11 (13 september 2010) slideshow
2553 la260 class 11 (13 september 2010) slideshowChacrit Sitdhiwej
 
Java User Meetup Bandung "Android" by GITS Indonesia
Java User Meetup Bandung "Android" by GITS IndonesiaJava User Meetup Bandung "Android" by GITS Indonesia
Java User Meetup Bandung "Android" by GITS IndonesiaPetra Barus
 
Green Collar Jobs And Your Community
Green Collar Jobs And Your CommunityGreen Collar Jobs And Your Community
Green Collar Jobs And Your Communityewesserle
 
SpringCM's Relationship Therapy for Sales & Legal - Episode 1
SpringCM's Relationship Therapy for Sales & Legal - Episode 1SpringCM's Relationship Therapy for Sales & Legal - Episode 1
SpringCM's Relationship Therapy for Sales & Legal - Episode 1SpringCM
 
Learn Chinese Lesson One How Are You
Learn Chinese Lesson One How Are YouLearn Chinese Lesson One How Are You
Learn Chinese Lesson One How Are YouChineseTime School
 
2553 la681 week 4 class (9 september 2010) slideshow
2553 la681 week 4 class (9 september 2010) slideshow2553 la681 week 4 class (9 september 2010) slideshow
2553 la681 week 4 class (9 september 2010) slideshowChacrit Sitdhiwej
 
Bob Grant Strength Finders Summary 1.0
Bob Grant Strength Finders Summary 1.0Bob Grant Strength Finders Summary 1.0
Bob Grant Strength Finders Summary 1.0dallasbobgrant
 
Sales and Legal: 48 Hours to Quota (Part 2)
Sales and Legal: 48 Hours to Quota (Part 2)Sales and Legal: 48 Hours to Quota (Part 2)
Sales and Legal: 48 Hours to Quota (Part 2)SpringCM
 
Java User Meetup Bandung "Android" by Agate Studio
Java User Meetup Bandung "Android" by Agate StudioJava User Meetup Bandung "Android" by Agate Studio
Java User Meetup Bandung "Android" by Agate StudioPetra Barus
 
'This is the Life' Music Video Pitch
'This is the Life' Music Video Pitch'This is the Life' Music Video Pitch
'This is the Life' Music Video PitchEmma Harrison
 

Destaque (20)

Portugues.ppt 0
Portugues.ppt 0Portugues.ppt 0
Portugues.ppt 0
 
Interjeição
InterjeiçãoInterjeição
Interjeição
 
Green Collar Jobs And Your Community
Green Collar Jobs And Your CommunityGreen Collar Jobs And Your Community
Green Collar Jobs And Your Community
 
2553 lx002 week 6 class (20 july 2010) slideshow
2553 lx002 week 6 class (20 july 2010) slideshow2553 lx002 week 6 class (20 july 2010) slideshow
2553 lx002 week 6 class (20 july 2010) slideshow
 
2553 lx002 week 14 class (21 september 2010) slideshow
2553 lx002 week 14 class (21 september 2010) slideshow2553 lx002 week 14 class (21 september 2010) slideshow
2553 lx002 week 14 class (21 september 2010) slideshow
 
Android Upgrade 2.3
Android Upgrade 2.3Android Upgrade 2.3
Android Upgrade 2.3
 
Question 2.
Question 2.Question 2.
Question 2.
 
Question 3
Question 3Question 3
Question 3
 
Introduction to Little Springs Design
Introduction to Little Springs DesignIntroduction to Little Springs Design
Introduction to Little Springs Design
 
2553 la260 class 11 (13 september 2010) slideshow
2553 la260 class 11 (13 september 2010) slideshow2553 la260 class 11 (13 september 2010) slideshow
2553 la260 class 11 (13 september 2010) slideshow
 
Java User Meetup Bandung "Android" by GITS Indonesia
Java User Meetup Bandung "Android" by GITS IndonesiaJava User Meetup Bandung "Android" by GITS Indonesia
Java User Meetup Bandung "Android" by GITS Indonesia
 
Green Collar Jobs And Your Community
Green Collar Jobs And Your CommunityGreen Collar Jobs And Your Community
Green Collar Jobs And Your Community
 
SpringCM's Relationship Therapy for Sales & Legal - Episode 1
SpringCM's Relationship Therapy for Sales & Legal - Episode 1SpringCM's Relationship Therapy for Sales & Legal - Episode 1
SpringCM's Relationship Therapy for Sales & Legal - Episode 1
 
Learn Chinese Lesson One How Are You
Learn Chinese Lesson One How Are YouLearn Chinese Lesson One How Are You
Learn Chinese Lesson One How Are You
 
Metal art
Metal artMetal art
Metal art
 
2553 la681 week 4 class (9 september 2010) slideshow
2553 la681 week 4 class (9 september 2010) slideshow2553 la681 week 4 class (9 september 2010) slideshow
2553 la681 week 4 class (9 september 2010) slideshow
 
Bob Grant Strength Finders Summary 1.0
Bob Grant Strength Finders Summary 1.0Bob Grant Strength Finders Summary 1.0
Bob Grant Strength Finders Summary 1.0
 
Sales and Legal: 48 Hours to Quota (Part 2)
Sales and Legal: 48 Hours to Quota (Part 2)Sales and Legal: 48 Hours to Quota (Part 2)
Sales and Legal: 48 Hours to Quota (Part 2)
 
Java User Meetup Bandung "Android" by Agate Studio
Java User Meetup Bandung "Android" by Agate StudioJava User Meetup Bandung "Android" by Agate Studio
Java User Meetup Bandung "Android" by Agate Studio
 
'This is the Life' Music Video Pitch
'This is the Life' Music Video Pitch'This is the Life' Music Video Pitch
'This is the Life' Music Video Pitch
 

Semelhante a Variedades dialetais bagno_2011 (2)

Variação linguística
Variação linguísticaVariação linguística
Variação linguísticacaurysilva
 
A história da língua
A história da línguaA história da língua
A história da línguaVanda Marques
 
Variacao linguistica
Variacao linguisticaVariacao linguistica
Variacao linguisticacaurysilva
 
Variedades linguisticas
Variedades linguisticasVariedades linguisticas
Variedades linguisticasuesleii
 
A história da língua
A história da línguaA história da língua
A história da línguaVanda Marques
 
Variedadeslingusticas 120330142710-phpapp02
Variedadeslingusticas 120330142710-phpapp02Variedadeslingusticas 120330142710-phpapp02
Variedadeslingusticas 120330142710-phpapp02Fernanda Oliveira
 
Aula 1 linguagem para profissionais
Aula 1   linguagem para profissionaisAula 1   linguagem para profissionais
Aula 1 linguagem para profissionaisprofNICODEMOS
 
Língua-variedades e registro.ppt
Língua-variedades e registro.pptLíngua-variedades e registro.ppt
Língua-variedades e registro.pptMarluceBrum1
 
Níveis de linguagem formalidade e informalidade da língua portuguesa no Brasi...
Níveis de linguagem formalidade e informalidade da língua portuguesa no Brasi...Níveis de linguagem formalidade e informalidade da língua portuguesa no Brasi...
Níveis de linguagem formalidade e informalidade da língua portuguesa no Brasi...JohnJeffersonAlves1
 
Variação linguística
Variação linguísticaVariação linguística
Variação linguísticaDenise
 
sec-ii-variac387c383o-linguc38dstica.pptx
sec-ii-variac387c383o-linguc38dstica.pptxsec-ii-variac387c383o-linguc38dstica.pptx
sec-ii-variac387c383o-linguc38dstica.pptxirmaosbatista2023
 
A História da Língua Portuguesa
A História da Língua PortuguesaA História da Língua Portuguesa
A História da Língua PortuguesaLarissa Oliveira
 
A História da Língua Portuguesa
A História da Língua PortuguesaA História da Língua Portuguesa
A História da Língua PortuguesaLarissa Oliveira
 
Atividade extra-sobre-variação-linguística-1
Atividade extra-sobre-variação-linguística-1Atividade extra-sobre-variação-linguística-1
Atividade extra-sobre-variação-linguística-1Bia Crispim
 
Aula 2 - Variações Linguísticas. Prof. Jason
Aula 2 - Variações Linguísticas. Prof. Jason Aula 2 - Variações Linguísticas. Prof. Jason
Aula 2 - Variações Linguísticas. Prof. Jason JasonPaulino2
 

Semelhante a Variedades dialetais bagno_2011 (2) (20)

A nossa língua
A nossa línguaA nossa língua
A nossa língua
 
Df6 cdr ppt_variedades[1]
Df6 cdr ppt_variedades[1]Df6 cdr ppt_variedades[1]
Df6 cdr ppt_variedades[1]
 
Variação linguística
Variação linguísticaVariação linguística
Variação linguística
 
A história da língua
A história da línguaA história da língua
A história da língua
 
Variacao linguistica
Variacao linguisticaVariacao linguistica
Variacao linguistica
 
Variedades linguisticas
Variedades linguisticasVariedades linguisticas
Variedades linguisticas
 
A história da língua
A história da línguaA história da língua
A história da língua
 
Variedadeslingusticas 120330142710-phpapp02
Variedadeslingusticas 120330142710-phpapp02Variedadeslingusticas 120330142710-phpapp02
Variedadeslingusticas 120330142710-phpapp02
 
Aula 1 linguagem para profissionais
Aula 1   linguagem para profissionaisAula 1   linguagem para profissionais
Aula 1 linguagem para profissionais
 
Língua-variedades e registro.ppt
Língua-variedades e registro.pptLíngua-variedades e registro.ppt
Língua-variedades e registro.ppt
 
norma_e_variacao_1.pdf
norma_e_variacao_1.pdfnorma_e_variacao_1.pdf
norma_e_variacao_1.pdf
 
Níveis de linguagem formalidade e informalidade da língua portuguesa no Brasi...
Níveis de linguagem formalidade e informalidade da língua portuguesa no Brasi...Níveis de linguagem formalidade e informalidade da língua portuguesa no Brasi...
Níveis de linguagem formalidade e informalidade da língua portuguesa no Brasi...
 
Variação linguística
Variação linguísticaVariação linguística
Variação linguística
 
sec-ii-variac387c383o-linguc38dstica.pptx
sec-ii-variac387c383o-linguc38dstica.pptxsec-ii-variac387c383o-linguc38dstica.pptx
sec-ii-variac387c383o-linguc38dstica.pptx
 
A História da Língua Portuguesa
A História da Língua PortuguesaA História da Língua Portuguesa
A História da Língua Portuguesa
 
A História da Língua Portuguesa
A História da Língua PortuguesaA História da Língua Portuguesa
A História da Língua Portuguesa
 
variaeslingusticas-150714203732-lva1-app6891.pptx
variaeslingusticas-150714203732-lva1-app6891.pptxvariaeslingusticas-150714203732-lva1-app6891.pptx
variaeslingusticas-150714203732-lva1-app6891.pptx
 
Variações linguísticas
Variações linguísticasVariações linguísticas
Variações linguísticas
 
Atividade extra-sobre-variação-linguística-1
Atividade extra-sobre-variação-linguística-1Atividade extra-sobre-variação-linguística-1
Atividade extra-sobre-variação-linguística-1
 
Aula 2 - Variações Linguísticas. Prof. Jason
Aula 2 - Variações Linguísticas. Prof. Jason Aula 2 - Variações Linguísticas. Prof. Jason
Aula 2 - Variações Linguísticas. Prof. Jason
 

Último

Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 

Último (20)

Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 

Variedades dialetais bagno_2011 (2)

  • 2. Variação e Mudança Linguística • Dentro de nossas fronteiras falamos português; • Ao nosso lado, fala-se espanhol; • Muitas tribos utilizam como forma de comunicação uma língua bem diferente do português;
  • 3. Variação e Mudança Linguística A língua não é usada de modo homogêneo por todos os seus falantes O uso de uma língua varia de: • região para região • classe social para classe social, etc.
  • 4. Variação e Mudança Linguística Existem dois tipos de variedades lingüísticas • Dialetais: variedades que ocorrem em função das pessoas que utilizam a língua, ou seja, os emissores • Registro: variedades que ocorrem em função do uso que se faz da língua, as quais dependem do receptor, da mensagem e da situação
  • 5. Variação e Mudança Linguística • Ao contrário da norma-padrão, a língua para a sociolinguistas é heterogênea; • A língua é uma atividade social, um trabalho coletivo empreendido por todos os seus falantes; • A verdadeira língua não se encontra registrada em dicionários e muito menos em gramáticas normativas;
  • 6. • A mudança, a variação é que “são o estado natural” das línguas; • As línguas são faladas por seres humanos, inseridos em uma dada cultura, em uma dada sociedade, localizados em um determinado momento da história; • As línguas acompanham essas transformações;
  • 7. • “O verdadeiro problema é considerar que existe uma língua perfeita, correta, bem- acabada e fixada em bases sólidas, e que todas as inúmeras manifestações orais e escritas que se distanciam dessa língua ideal são como ervas daninhas que precisam ser arrancadas do jardim para que flores continuem lindas e coloridas.” Marcos Bagno
  • 8. • A Sociolinguística estuda a relação da heterogeneidade social com a língua. Norma-padrão
  • 9. Domínios sociais • Domínio social doméstico, privado – relações imediatas • Domínio social público – relações mediatas, hierarquização das relações sociais são mais evidentes
  • 10. • Variação fonético-fonológica – a pronúncia de PORTA no português brasileiro • Variação morfológica – As formas PEGAJOSO e PEGUENTO • Variação sintática – Não quero / Quero não • Variação semântica – O vocábulo VEXAME
  • 11. • Variação lexical – Mijo, xixi, urina • Variação estilístico-pragmática – Queiram se sentar por favor! – Vamo sentano aí galera.
  • 12. Fatores extralinguísticos • Origem geográfica • Status socioeconômico • Grau de escolarização • Idade • Sexo • Mercado de trabalho • Redes sociais
  • 13. Variação Estilística • Tanto na modalidade escrita quanto falada; • Há uma série de fatores implicados; Máximo monitoramento
  • 14. Classificação das variedades • Variação diatópica – lugares diferentes; • Variação diastrática – classes sociais; • Variação diamésica – diferenças entre modalidades; • Variação diafásica – grau de monitoramento; • Variação diacrônica – história de cada língua.
  • 15. Dialeto Socioleto Cronoleto Idioleto modo característicos de falar de uma determinada região/local Compartilham as mesmas características socioculturais Modo de falar de uma determinada classe social O modo próprio, particular que cada um dos falantes desempenha sua fala.
  • 16. Nem tudo varia • A pronúncia da consoante /f/; • O artigo definido, o uso do pronome obliquo ANA ME SUSTENTOU DURANTE MUITO TEMPO e nunca ouve-se ANA ME DURANTE MUITO TEMPO SUSTENTOU; • O verbo gostar; • Regras categóricas e regras variáveis
  • 17. Variação e mudança linguística • Língua da região mineira
  • 18. Variação e mudança linguística • Língua da região sulista
  • 19. Variação e mudança linguística • Língua da região nordestina
  • 20. Variação Regional • Diferença lexical/semânticas
  • 21.
  • 22. • Fala de um cantor de “rap”
  • 24. Variação Dialetal • Variação Etária: diferenças linguísticas observadas em função da faixa etária
  • 25. Variação de Registro • Grau de Formalismo – Varia de acordo com os interlocutores e as situações sociais • O grau de formalismo se manifesta em diferentes níveis de construção do enunciado: Por exemplo: o vocabulário
  • 26. Razoões desvairadas, que alguuns fallavam sobre o casamento delRei Dom Fernamdo Quamdo foi sabudo pello reino, como elRei reçebera de praça Dona Lionor por sua molher, e lhe beijarom a maão todos por Rainha, foi o poboo de tal feito mui maravilhado, muito mais que da primeira; por que ante desto nom enbargando que o alguuns sospeitassem, por o gramde e honrroso geito que viiam a elRei teer com ella, nom eram maravilha o que elRei fezera, e que ja a outros acomteçera semelhavel Fernão Lopes Crônica de D. Fernando, 1434
  • 27. Vernáculo • Vernáculo – o estilo em que se presta o mínimo de atenção ao monitoramento da fala; • Fonte mais segura para investigação linguística; • Por meio do vernáculo podemos identificar quais as regras gramaticais que realmente pertencem ao português brasileiro contemporâneo, aquelas que são mais usualmente empregadas em suas interações cotidianas.
  • 28. • Nesta segunda variante, temos o emprego do pronome reto ele como objeto direto, regra que é muito comum no nosso português oral. Geralmente só empregamos os pronomes oblíquos átonos na linguagem escrita, ou falada, em estilos muito monitorados. • Diz para ela vir amanhã, vou deixar ele arrumado e aí ela leva ele direto para escola. • Diga-lhe que venha amanhã, pois vou deixá-lo arrumado para que assim possa levá-lo direto à escola.
  • 29. • Assim, as variedades faladas pelos grupos de maior poder político e econômico passam a ser vistas como variedades mais bonitas e até mais corretas. Mas essas variedades, que ganham prestígio porque são faladas por grupos de maior poder, nada têm de intrinsecamente superior às demais. O prestígio que adquirem é mero resultado de fatores políticos e econômicos
  • 30. +rural + urbano + oral + letrado - monitorado + monitorado