Semiologia renal

9.653 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Diversão e humor
1 comentário
11 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.653
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
28
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
11
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • A patologia renal pode ter descoberta incidental ou estar relacionadas a sintomas (hipertensão, edema, hematúria) oBjetivo é determinar a causa, suas relações funcionais e com estruturas adjacentes, e sugerir métodos de seguimento e diagnósticos diferencias
  • Sombras renais => Esquerda mais alta / geralmente tem três vértebras de comprimento Lembrar da necessidade de linha radiológica para visualização.
  • Abdome sujo Defeito osseo
  • Paredes calcificadas
  • Urografia – radiografia simples em AP e obliquas, injeção do meio de contraste (fase nefro) 1 e 2 minutos. Fase pielo – 5, 10 e 15 min e pós-miccional.
  • Urografia 1, 2 e 5 minutos Descrever conformação calicinal
  • Fases tomográficas Sem contraste/ arterial / equilibrio ou portal / excretora
  • MPR / MIP sem e com contraste
  • Rim em ferradura / ectopia / ectopia cruzada
  • Rim intra-toracico
  • Agenesia renal unilateral
  • Duplicidade parcial Duplicidade completa - ureterocele no superior que se insere caudal e medilamente, e o da inferior tem refluxo porque é mais curto
  • Fisiopatologia – Resistividade vascular aumenta e posteriormente diminui Cronica – atrofia dos nefrons ate que a quantidade de urina produzida seja igual a que é permitida sair – esta relacionada a pouca sintomatologia
  • Urografia após 30 minutos
  • Doença com alterações anatômicas, excretorias e endocrínas dos rins podendo acometer outros órgãos. Rins com aspecto de queijo suiço.
  • Adenocarcinoma ou hipernefroma
  • Semiologia renal

    1. 1. Semiologia Radiológica do Aparelho Urinário
    2. 2. <ul><li>Métodos de avaliação por imagem </li></ul><ul><ul><li>RX SIMPLES DO ABDOME </li></ul></ul><ul><ul><li>UROGRAFIA EXCRETORA </li></ul></ul><ul><ul><li>URETROCISTOGRAFIA MICCIONAL E RETRÓGRADA </li></ul></ul><ul><ul><li>ULTRA-SONOGRAFIA </li></ul></ul><ul><ul><li>TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA </li></ul></ul><ul><ul><li>ANGIOGRAFIA </li></ul></ul><ul><ul><li>RESSONÂNCIA MAGNÉTICA </li></ul></ul><ul><ul><li>MEDICINA NUCLEAR (CINTILOGRAFIA) </li></ul></ul>
    3. 3. Anatomia Radiológica <ul><li>Utilidade da Radiografia simples do abdome para o Ap. urinário: </li></ul><ul><ul><ul><li>Detectar a presença de calcificações renais ou extra-renais </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Detectar corpos estranhos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Detectar doença óssea </li></ul></ul></ul>
    4. 4. Anatomia Radiológica
    5. 5. Anatomia Radiológica
    6. 6. Anatomia Radiológica
    7. 7. Anatomia Radiológica <ul><li>Urografia Excretora </li></ul><ul><li>Indicações: </li></ul><ul><ul><ul><ul><li>Litiase urinária </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Obstrução urinária aguda ou crônica </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Hematúria </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Infecção urinária de repetição </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Anomalias congênitas </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Método: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Preparo </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Injeçao de meio de contraste : </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Fase nefrográfica </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Fase pielográfica </li></ul></ul></ul></ul></ul>
    8. 8. Anatomia Radiológica Urografia Excretora
    9. 9. Anatomia Radiológica Urografia Excretora
    10. 10. Anatomia Radiológica <ul><li>Tomografia Computadorizada </li></ul><ul><ul><li>Vantagens: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Redução do tempo de exame </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Melhor visualização vascular </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Melhor opacificação dos órgãos parenquimatosos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Capacidade de reconstruções multiplanares </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Indicações: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>As mesmas da urografia excretora </li></ul></ul></ul>
    11. 11. Anatomia Radiológica Tomografia Computadorizada
    12. 12. Anatomia Radiológica Tomografia Computadorizada - Contraste
    13. 13. Anatomia Radiológica Tomografia Computadorizada
    14. 14. Aspectos por Imagem das Afecções Renais
    15. 15. <ul><li>1. Anomalias congênitas </li></ul><ul><ul><li>Agenesia – uni ou bilateral </li></ul></ul><ul><ul><li>Ectopia – normal ou cruzada </li></ul></ul><ul><ul><li>Duplicação </li></ul></ul><ul><ul><li>Má-rotação </li></ul></ul><ul><ul><li>Fusão – Rim em ferradura </li></ul></ul><ul><li>Obs: </li></ul><ul><ul><ul><li>Lobulação fetal </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Hipertrofia da coluna de Bertin </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Nódulo de regeneração </li></ul></ul></ul>Aspectos por Imagem das Afecções Renais
    16. 16. Aspectos por Imagem das Afecções Renais Rim em Ferradura Ectopia Ectopia Cruzada
    17. 17. Aspectos por Imagem das Afecções Renais Rim Intratorácico
    18. 18. Aspectos por Imagem das Afecções Renais Agenesia Unilateral
    19. 19. Aspectos por Imagem das Afecções Renais Duplicidade
    20. 20. Aspectos por Imagem das Afecções Renais <ul><li>2. Uropatia Obstrutiva </li></ul><ul><ul><li>Fisiopatologia </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Presença da obstrução </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Aumento da pressão do sist. coletor </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Fluxo urinário </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Obstrução Aguda </li></ul></ul><ul><ul><li>Cálculos (90%) </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Coágulos </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Obstrução Crônica </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Tumores </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Fibrose </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Cálculos </li></ul></ul></ul>
    21. 21. Aspectos por Imagem das Afecções Renais <ul><li>Obstrução Aguda </li></ul><ul><ul><li>Sinais na urografia excretora e TC </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Aumento do volune </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Nefrograma denso e tardio </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Retardo na eliminação </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Ectasia do sistema calicinal leve a moderada </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Extravasamento peri-linfático </li></ul></ul></ul>
    22. 22. Aspectos por Imagem das Afecções Renais
    23. 24. Aspectos por Imagem das Afecções Renais <ul><li>Obstrução Crônica </li></ul><ul><ul><li>Dilatação moderada a acentuada </li></ul></ul><ul><ul><li>Nefrograma tênue </li></ul></ul>
    24. 25. Aspectos por Imagem das Afecções Renais <ul><li>Nefrolitiase </li></ul><ul><ul><li>Predisposição metabólica </li></ul></ul><ul><ul><li>Fatores ambientais </li></ul></ul><ul><ul><li>Tipos </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Radiopacos – cálcio, magnésio, struvita </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Radiolucentes – Ácido úrico, xantinas </li></ul></ul></ul><ul><li>Obs.: Nefrocalcinose </li></ul>
    25. 26. Aspectos por Imagem das Afecções Renais Nefrolitiase e Ureterolitiase
    26. 27. Aspectos por Imagem das Afecções Renais <ul><li>3. Lesões benignas </li></ul><ul><ul><li>Cistos </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Simples </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Múltiplos </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Adenomas </li></ul></ul><ul><ul><li>Angiolipomas </li></ul></ul><ul><ul><li>Hemangiomas </li></ul></ul>
    27. 28. Aspectos por Imagem das Afecções Renais Cistos Simples
    28. 29. Aspectos por Imagem das Afecções Renais Doença Policística
    29. 30. Aspectos por Imagem das Afecções Renais Massas Císticas CLASSIFICAÇÃO DE BOSNIAK (TC) CLASSE I - Cisto simples (anecoico, homogêneo e com reforço posterior) CLASSE II - Cisto com complicação mínima: Densidade elevada, calcificações finas na parede, ou fina septação interna, < 3 cm. CLASSE IIF – Cisto com septo espesso ou calcificado, > 3 cm CLASSE III - Septação espessa, calcificação parietal grosseira, parede espessada ou nodulação parietal sem realce após contraste. CLASSE IV (FRANCAMENTE MALIGNO): Paredes espessadas e irregulares com realce, vegetações internas com realce. OS CISTOS CLASSES II- PROVAVELMENTE BENIGNOS OS CISTOS IIF – SEGUIMENTO EM 6 MESES OS CISTOS CLASSE III E IV SÃO SUSPEITOS
    30. 31. Aspectos por Imagem das Afecções Renais
    31. 32. Aspectos por Imagem das Afecções Renais <ul><li>4. Lesões Infecciosos </li></ul><ul><ul><li>Pielonefrite </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Aguda </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Infecção ascendente </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Aumento do volume e excreção limitada </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Perda da relação parênquimo-sinusal </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Crônica </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Deformidade e abaulamento dos cálices </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Abscesso </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Paredes espessas </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Densidade > 20 UH </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Capta contraste </li></ul></ul></ul></ul>
    32. 33. Aspectos por Imagem das Afecções Renais Pielonefrite aguda
    33. 34. Aspectos por Imagem das Afecções Renais Abscesso
    34. 35. Aspectos por Imagem das Afecções Renais Pielonefrite xantogranulomatosa
    35. 36. Aspectos por Imagem das Afecções Renais <ul><li>Massas sólidas </li></ul><ul><li>Benignas </li></ul><ul><ul><li>Geralmente pequenos e assintomáticos </li></ul></ul><ul><ul><li>Exceto os angiomiolipomas, são raros e indistinguíveis dos tumores malígnos </li></ul></ul><ul><li>Malignas </li></ul><ul><ul><li>Hematúria, dor, massa palpável e perda de peso </li></ul></ul><ul><li>Em geral as massas sólidas renais são removidas cirurgicamente </li></ul>
    36. 37. Aspectos por imagem das massas renais no adulto <ul><li>Angiomiolipoma </li></ul><ul><ul><li>Compõe-se de gordura , músculo e vasos </li></ul></ul><ul><ul><li>Associado a esclerose tuberosa e linfangioleiomiomatose </li></ul></ul><ul><ul><li>Hiperecogênico ao ultrasom, TC fecha diagnóstico </li></ul></ul><ul><ul><li>Pode sangrar </li></ul></ul>
    37. 38. Aspectos por imagem das massas renais no adulto <ul><li>Oncocitoma </li></ul><ul><ul><li>3 a 5 %, geralmente único </li></ul></ul><ul><ul><li>Cels. Tubulos renais </li></ul></ul><ul><ul><li>Cicatriz central“Roda raiada” </li></ul></ul><ul><ul><li>Bem delimitado, iso- hipodenso </li></ul></ul>
    38. 39. Aspectos por imagem das massas renais no adulto <ul><li>Carcinoma de cels. Renais </li></ul><ul><ul><li>Achado incidental </li></ul></ul><ul><ul><li>Risco aumentado von Hippel Lindau, escl. tuberosa e diálise por anos. </li></ul></ul><ul><ul><li>Histologia + importante que o tamanho </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Hipervascular (cels claras) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Hipovascular (papilar) </li></ul></ul></ul>
    39. 40. Aspectos por imagem das massas renais no adulto <ul><li>Carcinoma de cels. Renais </li></ul><ul><ul><li>Achados tomográficos </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Distorção do contorno renal </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Heterogêneo (quando grande) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Captação abundante </li></ul></ul></ul>
    40. 41. Aspectos por imagem das massas renais no adulto <ul><li>Carcinoma cístico de cels. Renais </li></ul><ul><ul><li>20% dos casos com componente cístico </li></ul></ul>
    41. 42. Aspectos por imagem das massas renais no adulto ESTADIAMENTO DO TUMOR RENAL (Robson et al.) <ul><li>ESTÁGIO I - Tumor restrito ao rim. Cápsula intacta. </li></ul><ul><li>ESTÁGIO II - Infiltração da gordura perirrenal. Fáscia de Gerota intacta. </li></ul><ul><li>ESTÁGIO III - </li></ul><ul><ul><li>a) invasão venosa </li></ul></ul><ul><ul><li>b) Linfonodos regionais comprometidos </li></ul></ul><ul><ul><li>c) a + b </li></ul></ul><ul><li>ESTÁGIO IV - Infiltração da gordura pararrenal ou orgãos adjacentes. Metástases à distância. </li></ul>
    42. 43. Aspectos por imagem das massas renais no adulto ESTÁGIO I - Tumor restrito ao rim. Cápsula intacta ESTÁGIO II - Infiltração da gordura perirrenal. Fáscia de Gerota intacta .
    43. 44. Aspectos por imagem das massas renais no adulto ESTÁGIO III - Invasão venosa ESTÁGIO IV - Infiltração da gordura pararrenal ou orgãos adjacentes. Metástases à distância .
    44. 45. Aspectos por imagem das massas renais no adulto Obrigado

    ×