Radiografia de tórax aula2-padrãoacinar-intersticial

56.237 visualizações

Publicada em

Curso de Pneumologia - Módulo de Radiografia de Tórax. Aula 2: Padão acinar e Padrão Intersticial.

Fonte das imagens:
1 -Pneumoatual (Aulas de radiologia)
2- http://chestatlas.com/cover.htm

Publicada em: Saúde e medicina
3 comentários
53 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
56.237
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5.768
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
206
Comentários
3
Gostaram
53
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Radiografia de tórax aula2-padrãoacinar-intersticial

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁHOSPITAL UNIVERSITÁRIO JOÃO DE BARROS BARRETORESIDÊNCIA MÉDICA EM PNEUMOLOGIA E TISIOLOGIA<br />CURSO DE RADIOLOGIA TORÁCICA<br />AULA2<br />PADRÃO ACINAR E PADRÃO INTERSTICIAL<br />Dra GRAÇA PANTOJA<br />Preceptoria da Pneumologia<br />
  2. 2.
  3. 3.
  4. 4. RADIOLOGIA TORÁCICA<br />TERMINOLOGIA<br />
  5. 5. Coleção de opacidades pulmonares arredondadas ou elípticas isoladas ou parcialmente confluentes, cada uma medindo de 4 a 8 mm de diâmetro, que juntas produzem uma imagem heterogênea extensa.<br />Padrão Acinar<br />
  6. 6. Sinônimos: <br />Padrão em roseta<br />Padrão acinonodular(usado especificamente com referência à disseminação endobrônquica da tuberculose).<br />Padrão alveolar. Trata-se de uma conclusão inferida usada como descritor. Um termo aceitável, preferível a outros sinônimos (especialmente), “padrão alveolar” é um descritor não apropriado.<br />Padrão Acinar<br />
  7. 7. Imagem que se distingue, pelo menos parcialmente, das estruturas que a circundam ou se superpõem, por apresentar maior densidade.<br />É um termo recomendado quando não se consegue defini-la como um nódulo, massa, consolidação, coleção pleural ou outra alteração específica.<br />Opacidade<br />
  8. 8. 1. Patologia:<br /> Substituição do ar dos espaços aéreos por um produto patológico qualquer, que pode ser transudato, exsudato, sangue, produto de acúmulo (gordura, proteína, etc.) ou células (neoplásicas ou inflamatórias).<br />Consolidação<br />
  9. 9. 2. Radiologia: <br /><ul><li> Aumento da densidade do parênquima pulmonar – mais freqüentemente homogêneo, podendo manifestar-se de forma heterogênea – que determina a perda da superfície de contraste natural entre o ar dos espaços aéreos e o tecido dos vasos ou das paredes brônquicas, tornando os vasos imperceptíveis no interior da zona de consolidação.
  10. 10. Se os brônquios estiverem pérvios, definem-se os broncogramas aéreos. O aspecto homogêneo ou heterogêneo decorre de diversos fatores, especialmente do estado de higidez do parênquima pulmonar subjacente.</li></ul>Consolidação<br />
  11. 11. Radiologia Torácica<br />PADRÃO ACINAR<br />
  12. 12. Distribuição lobar ou segmentar; <br />Margens mal definidas, com aspecto algodonoso; <br />Tendência a coalescência; <br />Broncogramas aéreos no interior; <br />Mudança rápida de aspecto na radiografia simples.<br />Aspectos Radiológicos<br />
  13. 13. Doenças com Padrão Acinar<br />
  14. 14. Segmento:<br />
  15. 15. SEGMENTOS: IV e V<br />LÍNGULA<br />
  16. 16. Lateral – Pneumonia da Língula<br />
  17. 17. SEGMENTOS: III e VI<br />
  18. 18. LATERAL DO CASO ANTERIOR<br />
  19. 19.
  20. 20. Lateral do caso anterior<br />SEGMENTOS: IV e V (medial e Lateral do médio)<br />
  21. 21.
  22. 22. Segmentos: Parte do VI, VIII, IX e X<br />
  23. 23.
  24. 24. Segmentos: Segmento II e Parte do III<br />
  25. 25.
  26. 26. Segmentos: VI, IX e X<br />
  27. 27. Lesão na TC:<br />Hiperdensidade + Broncograma aéreo<br />
  28. 28.
  29. 29.
  30. 30. RADIOLOGIA TORÁCICA<br />PADRÃO INTERSTICIAL<br />
  31. 31. O interstício é uma rede de tecido conectivo que dá suporte aos pulmões e normalmente não é visível na radiografia. Compreende as paredes dos brônquios e alvéolos, além dos septos interlobulares e do tecido que acompanha brônquios e vasos pulmonares.<br />PADRAO INTERSTICIAL<br />
  32. 32. Várias doenças causam alterações intersticiais, que podem se manifestar como micronódulos, opacidades reticulares ou alterações retículo-nodulares (forma mais comum de apresentação). Na descrição das alterações deve-se sempre evitar os termos “infiltrado” e “acentuação da trama broncovascular”, por se tratarem de termos inespecíficos, sem muito significado prático. Utilizar como descritivo a palavra “opacidades”, caracterizada quanto ao seu tipo (reticular, nodular ou reticulo-nodular).<br />PADRAO INTERSTICIAL<br />
  33. 33.
  34. 34.
  35. 35.
  36. 36.
  37. 37.
  38. 38.
  39. 39.
  40. 40.
  41. 41.
  42. 42.
  43. 43.
  44. 44.
  45. 45. PADRÃO INTERSTICIAL MICRONODULAR<br />O padrão micronodular é decorrente de múltiplos nódulos medindo de 1 a 5 mm, que podem se tornar coalescentes. Quando maiores, geralmente são decorrentes da somatória de alteração intersticial e acinar. <br />
  46. 46. As principais causas são:<br />Doenças infecciosas (tuberculose miliar, histoplasmose)<br />sarcoidose<br />pneumoconioses<br />pneumopatias intersticiais <br />algumas neoplasias (linfoma,bronquioloalveolar). <br />Causas mais raras são a amiloidose, hemossiderose pulmonar e histiocitose de Langerhans.<br />PADRÃO INTERSTICIAL MICRONODULAR<br />
  47. 47. PADRÃO INTERSTICIAL MICRONODULAR<br />Sarcoidose com padrão micronodular na radiografia simples.<br />
  48. 48. O padrão reticular é composto por: <br />Espessamentos septais, <br />Bandas (estrias) e <br />Opacidades lineares. <br />PADRÃO INTERSTICIAL RETICULAR<br />
  49. 49. Ocorre principalmente em: <br />Pneumopatias intersticiais (como a pneumonia intersticial usual)<br />Asbestose, <br />Pneumonia intersticial linfóide e <br />Pneumonia intersticial não específica, <br />Além de infecções (especialmente virais), <br />Edema pulmonar e <br />Neoplasias com linfangite pulmonar carcinomatosa.<br />PADRÃO INTERSTICIAL RETICULAR<br />
  50. 50. PADRÃO INTERSTICIAL RETICULAR<br />Alteração intersticial difusa, sob a forma reticular.Múltiplas opacidades lineares no pulmão esquerdo (pneumopatia intersticial).<br />
  51. 51. PADRÃO INTERSTICIAL RETICULAR<br />Espessamento septal<br />
  52. 52. Linfangite carcinomatosa. Padrão reticular de apresentação, com estrias no pulmão direito. Paciente com neoplasia pulmonar central direita (hilo direito de volume aumentado<br />PADRÃO INTERSTICIAL RETICULAR<br />
  53. 53. PADRÃO INTERSTICIAL RETICULAR<br />Padrão reticular no edema pulmonar. Espessamentos septais e estrias no pulmão direito, além de derrame pleural e aumento da vascularização apical.<br />
  54. 54. Padrão mais comum de apresentação<br />O achado clássico é o de micronódulos associados a opacidades reticulares, <br />Ocorre em:<br />pneumoconioses, <br />infecções, <br />pneumopatiasintersticiais <br />neoplasias. <br />Muitas vezes é decorrente de faveolamento, presente nas doenças pulmonares fibrosantes.<br />PADRÃO INTERSTICIAL RETICULONODULAR<br />
  55. 55. PADRÃO INTERSTICIAL RETICULONODULAR<br />Asbestose com padrão reticulo-nodular. <br />Micronódulos, espessamentos septais e estrias.<br />
  56. 56. PADRÃO INTERSTICIAL RETICULONODULAR<br />Padrão retículo-nodular na fibrose pulmonar idiopática<br />
  57. 57. PADRÃO INTERSTICIAL RETICULONODULAR<br />Faveolamento em pneumonia intersticial usual por colagenose, com padrão retículo-nodular na radiografia simples de tórax.<br />
  58. 58. DÚVIDAS?????<br />

×