Fmp apostila portugues -_apostila___corrigido[1]

3.349 visualizações

Publicada em

Apostila de Redação Empresarial.

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Fmp apostila portugues -_apostila___corrigido[1]

  1. 1. Aspectos Gerais da Correspondência Empresarial e Oficial (revisada em 2011) Profª Drª. Luzinete Carpin Niedzieluk e-mail: luz_carpin@yahoo.com.br
  2. 2. LUZINETE C. NIEDZIELUKAspectos Gerais da Correspondência Empresarial e Oficial Profª Drª. Luzinete Carpin Niedzieluk e-mail: luz_carpin@yahoo.com.br FLORIANÓPOLIS 2010
  3. 3. ÍNDICE1. Aspectos Gerais da Correspondência Empresarial e Oficial ............................ 5 1.1 A Impessoalidade ................................................................................................. 5 1.2 A Linguagem nas Comunicações Empresariais e Oficiais ............................................ 5 1.3 Formalidade e Padronização .................................................................................. 5 1.4 Concisão e Clareza ............................................................................................... 52. Emprego dos Pronomes de Tratamento.......................................................... 6 2.1 Abreviatura das formas de tratamento ........................................................................ 7 2.1.1 Autoridades Universitárias ................................................................................ 7 2.1.2 Autoridades Judiciárias .................................................................................... 8 2.1.3 Autoridades Militares ....................................................................................... 8 2.1.4 Autoridades Civis ............................................................................................ 8 2.1.5 Autoridades Eclesiásticas.................................................................................. 9 2.2 Elementos Introdutórios .......................................................................................... 10 2.3 Fechos para Comunicações ...................................................................................... 11 2.3.1 Identificação do Signatário ............................................................................. 113. Normas Gerais de Elaboração ...................................................................... 12 3.1 Siglas e Acrônimos ................................................................................................. 12 3.2 Hífen ..................................................................................................................... 13 3.3 Destaques ............................................................................................................. 13 3.3.1 Itálico .......................................................................................................... 13 3.3.2 Aspas .......................................................................................................... 13 3.3.3 Negrito ........................................................................................................ 14 3.4 Maiúsculas ............................................................................................................. 14 3.5 Minúsculas ............................................................................................................. 14 3.6 Enumerações ......................................................................................................... 15 3.7 Grafia de Numerais ................................................................................................. 15 3.8 Datas .................................................................................................................... 15 3.9 Horas .................................................................................................................... 16 3.9.1 Dias, horas, crase e paralelismo ...................................................................... 164. A Importância dos Conectivos...................................................................... 175. Expressões Condenáveis e Não Condenáveis ............................................... 206. Classificação da Correspondência ................................................................ 21 6.1 Carta e Carta Empresarial ........................................................................................ 21 6.1.1 Organização composicional da Carta Empresarial .............................................. 21 Exemplo de Carta ............................................................................................... 22 6.2 Ofício e Ofício Circular ............................................................................................. 23 6.2.1 Organização composicional ............................................................................. 23 6.2.2 Forma de Diagramação .................................................................................. 24 Exemplo de Ofício: 1.ª página .............................................................................. 25 Exemplo de Ofício: 2.ª página.............................................................................. 26 6.3 Edital .................................................................................................................... 26 6.3.1 Organização composicional ............................................................................. 26 Exemplo de Edital .............................................................................................. 27 6.4 Ata ....................................................................................................................... 27 6.4.1 Organização composicional ............................................................................. 27 Primeiro exemplo de Ata ..................................................................................... 29 Segundo exemplo de Ata (Simplificado): ............................................................... 30 6.5 Requerimento ........................................................................................................ 31 6.5.1 Organização composicional ............................................................................. 31
  4. 4. Exemplo de Requerimento ................................................................................... 32 6.6 Atestado ................................................................................................................ 32 6.6.1 Organização composicional ............................................................................. 32 Primeiro exemplo de Atestado ............................................................................. 33 Segundo exemplo de Atestado ............................................................................. 33 6.7 Memorando............................................................................................................ 34 6.7.1 Organização composicional ............................................................................. 34 Primeiro exemplo de Memorando ......................................................................... 35 Segundo exemplo de Memorando ......................................................................... 36 6.8 Correio Eletrônico ................................................................................................... 36 Exemplo de Email............................................................................................... 37 6.9 Fax ....................................................................................................................... 37 6.9.1 Organização composicional ............................................................................. 37 Exemplo de Fax ................................................................................................. 38BIBLIOGRAFIA ................................................................................................. 39
  5. 5. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 5luz_carpin@yahoo.com.br 1. Aspectos Gerais da Correspondência Empresarial e Oficial A redação oficial deve caracterizar-se pela impessoalidade, uso do padrão culto delinguagem, clareza, concisão, formalidade e uniformidade. Esses princípios aplicam-se àscomunicações oficiais: elas devem sempre permitir uma única interpretação e ser estritamenteimpessoais e uniformes, o que exige o uso de certo nível de linguagem.1.1 A Impessoalidade Percebe-se, assim, que o tratamento impessoal que deve ser dado aos assuntos queconstam das comunicações oficiais decorre: a) da ausência de impressões individuais de quem comunica; b) da impessoalidade de quem recebe a comunicação; c) do caráter impessoal do próprio assunto tratado. A concisão, a clareza, a objetividade e a formalidade de que nos valemos para elaborar ascorrespondências oficiais contribuem, ainda, para que seja alcançada a necessáriaimpessoalidade.1.2 A Linguagem nas Comunicações Empresariais e Oficiais A necessidade de empregar impessoalidade decorre do próprio caráter público dessascomunicações; de outro, da finalidade de informar com o máximo de clareza e concisão, ouso do padrão culto da língua. Toda língua é um conjunto de variedades. Há inúmerasvariedades e dentre elas, uma foi a escolhida para ser o padrão culto, usada por jornalistas,intelectuais etc. Há consenso de que o padrão culto é aquele em que: a) se observam as regras da gramática formal, e b) se emprega um vocabulário comum ao conjunto dos usuários do idioma. É importante ressaltar que a obrigatoriedade do uso do padrão culto na redaçãooficial decorre do fato de que ele está acima das diferenças lexicais, morfológicas ou sintáticasregionais, dos modismos vocabulares, permitindo, por essa razão, que se atinja a pretendidacompreensão por todos os cidadãos.1.3 Formalidade e Padronização A formalidade diz respeito à polidez, à civilidade no próprio enfoque dado ao assunto doqual cuida a comunicação. A clareza e o uso de papéis uniformes para o texto definitivo e acorreta diagramação do texto são indispensáveis para a padronização.1.4 Concisão e Clareza Conciso é o texto que consegue transmitir um máximo de informações com um mínimode palavras. A clareza deve ser a qualidade básica de todo texto oficial.
  6. 6. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 6luz_carpin@yahoo.com.br Para ela concorrem: a) a impessoalidade, que evita a ambigüidade nas interpretações que poderia decorrer deum tratamento personalista dado ao texto; b) o uso do padrão culto de linguagem, em princípio, de entendimento geral e pordefinição avesso a vocábulos de circulação restrita, como a gíria e o jargão; c) a formalidade e a padronização, que possibilitam a imprescindível uniformidade dostextos; d) a concisão, que faz desaparecer do texto os excessos lingüísticos que nada lheacrescentam. 2. Emprego dos Pronomes de Tratamento Outros aspectos comuns a quase todas as modalidades de comunicação oficial: é oemprego dos pronomes de tratamento, a forma dos fechos e a identificação dosignatário. Umas das características do estilo da correspondência oficial e empresarial é a polidez,entendida como o ajustamento da expressão às normas de educação. Devemos ser objetivos,atualmente não há necessidade do emprego de fórmulas de cortesia ("Tenho a honra deencaminhar" deve-se usar simplesmente, "Encaminho..." ou "Tomo a liberdade de sugerir..."usa-se simplesmente, "Sugiro..."). Entretanto deve-se tomar cuidado para evitar frasesagressivas ou ásperas (até uma carta de cobrança pode ter o tom amenizado, fazendo-semenção, por exemplo, a um possível esquecimento...). No que diz respeito à utilização das formas de tratamento e endereçamento, deve-seconsiderar não apenas a área de atuação da autoridade (universitária, judiciária, religiosa, etc.),mas também a posição hierárquica do cargo que ocupa. Os pronomes de tratamento (ou de segunda pessoa indireta) embora se refiram à segundapessoa gramatical (à pessoa com quem se fala, ou a quem se dirige à comunicação), levam aconcordância para a terceira pessoa. Exemplos: • Vossa Senhoria nomeará o substituto. • Vossa Excelência conhece o assunto. Da mesma forma, os pronomes possessivos referidos a pronomes de tratamento sãosempre os da terceira pessoa: “Vossa Senhoria nomeará seu substituto” (e não“Vossa...vosso...”). Já quanto aos adjetivos referidos a esses pronomes, o gênero gramatical deve coincidircom o sexo da pessoa a que se refere, e não com o substantivo que compõe a locução. Assim, seo interlocutor for homem, o correto é “Vossa Excelência está atarefado”; se for mulher,“VossaExcelência está atarefada”. Não é permitida a utilização dos superlativos “Ilustríssimo” e “Digníssimo” pois jácaíram em desuso. Já o tratamento “Doutor” somente deverá ser dispensado à autoridade quepossuir a titulação acadêmica de Doutorado. No caso de Comunicação Interna, o destinatário deverá ser identificado pelo cargo,não necessitando do nome de seu ocupante. Exceção para casos em que existir um mesmocargo para vários ocupantes, sendo necessário, então, um vocativo composto pelo cargo epelo nome do destinatário em questão.
  7. 7. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 7luz_carpin@yahoo.com.br Veja o quadro a seguir, que: • agrupa as autoridades em universitárias, judiciárias, militares, eclesiásticas, monárquicas e civis; • apresenta os cargos e as respectivas fórmulas de tratamento (por extenso, abreviatura singular e plural); • indica o vocativo correspondente e a forma de endereçamento.2.1 Abreviatura das formas de tratamento A forma por extenso demonstra mais respeito, mais deferência, sendo de rigor emcorrespondência dirigida ao Presidente da República. Fique claro, no entanto, que qualquer formade tratamento pode ser escrita por extenso, independentemente do cargo ocupado pelodestinatário.Vossa Magnificência: é assim que manuais mais antigos de redação ensinam a tratar osreitores de universidades. Uma forma muito cerimoniosa, empolada, difícil de escrevere pronunciar, e em desuso. Já não existe hoje em dia distanciamento tão grande entre apessoa do reitor e o corpo docente e discente. É, pois, perfeitamente aceita atualmentea fórmula Vossa Excelência (V. Exa.). A invocação pode ser simplesmente Senhor Reitor,Excelentíssimo Senhor Reitor.2.1.1 Autoridades Universitárias Cargo ou Por Extenso Abreviatura Abreviatura Vocativo Endereçamento Função Singular Plural Ao Magnífico as Reitor V. Mag. Vossa Magnífico ou V. Mag.ª ou ou Magnificência Reitor Ao V. Maga. V. Magas.Reitores ou Ou Excelentíssimo V. Exa. ou V. Ou Vossa Excelentíssimo Senhor Reitor Ex.ª V. Ex.as ou V. Excelência Senhor Reitor Nome Exas. Cargo Endereço Ao Excelentíssimo Excelentíssimo Senhor Vice- Vossa V. Ex.ª ou V. V. Ex.as ouVice-Reitores Senhor Vice- Reitor Excelência Exa. V. Exas. Reitor Nome Cargo EndereçoAssessores Ao SenhorPró-Reitores V. S.ª Vossa V. S.as ou V. Senhor + NomeDiretores ou Senhoria Sas. cargo CargoCoord. de V. Sa. EndereçoDepartamento
  8. 8. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 8luz_carpin@yahoo.com.br2.1.2 Autoridades Judiciárias Cargo ou Por Abreviatura Abreviatura Vocativo Endereçamento Função Extenso Singular PluralAuditoresCuradoresDefensores AoPúblicos ExcelentíssimoDesembargadores Excelentíssimo Vossa V. Ex.ª ou V. V. Ex.as ou SenhorMembros de Senhor + Excelência Exa. V. Exas. NomeTribunais cargo CargoPresidentes de EndereçoTribunaisProcuradoresPromotores Ao Meritíssimo Senhor Juiz Meritíssimo Meritíssimo ou Senhor Juiz Juiz M. Juiz Ao ouJuízes de Direito ou ou V. Ex.ª, V.Ex.as Excelentíssimo Excelentíssimo Vossa V. Exas. Senhor Juiz Senhor Juiz Excelência Nome Cargo Endereço2.1.3 Autoridades Militares Cargo ou Por Abreviatura Abreviatura Vocativo Endereçamento Função Extenso Singular Plural Ao ExcelentíssimoOficiais V. Ex.ª V. Ex.as SenhorGenerais Vossa Excelentíssimo ou ou Nome(até Excelência Senhor V. Exa. V. Exas. CargoCoronéis) Endereço Ao SenhorOutras Vossa V. S.ª ou V. V. S.as ou V. Senhor + NomePatentes Senhoria Sa. Sãs. patente Cargo Endereço2.1.4 Autoridades CivisCargo ou Função Por Abreviatura Abreviatura Vocativo Endereçamento Extenso Singular PluralChefe da Casa Ao ExcelentíssimoCivil e da V. Ex.ª V. Ex.as SenhorCasa Militar Vossa Excelentíssimo ou ou NomeCônsules Excelência Senhor + Cargo V. Exa V. Exas. CargoDeputados EndereçoEmbaixadores
  9. 9. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 9luz_carpin@yahoo.com.brCargo ou Função Por Abreviatura Abreviatura Vocativo Endereçamento Extenso Singular PluralGovernadoresMinistros deEstadoPrefeitos Ao ExcelentíssimoPresidentes da V. Ex.ª V. Ex.as Senhor Vossa ExcelentíssimoRepública ou ou Nome Excelência Senhor + CargoSecretários de V. Exa. V. Exas. CargoEstado EndereçoSenadoresVice-Presidentesde RepúblicasDemais Ao Senhorautoridades não V. S.ª V. S.as Vossa Nomecontempladas com ou Ou Senhor + Cargo Senhoria Cargotratamento V. Sa. V. Sas. Endereçoespecífico2.1.5 Autoridades Eclesiásticas Cargo ou Por Extenso Abreviatura Abreviatura Vocativo Endereçamento Função Singular Plural A Sua Excelência V. Ex.as Vossa V. Ex.ª Reverendíssima Rev.mas ou V. ExcelentíssimoArcebispos Excelência Rev.ma ou V. Nome Exas. Reverendíssimo Reverendíssima Exa. Revma. Cargo Revmas. Endereço A Sua Excelência V. Ex.as Vossa V. Ex.ª Reverendíssima Rev.mas ou V. ExcelentíssimoBispos Excelência Rev.ma ou V. Nome Exas. Reverendíssimo Reverendíssima Exa. Revma. Cargo Revmas. Endereço V. Em.as, V. Em.ª, V. Emas Vossa V. Ema. Eminentíssimo A Sua Eminência ou Eminência ou ou Reverendíssimo Reverendíssima V. EmasCardeais Vossa V. Em.ª ou Nome Rev.mas Eminência Rev.ma, V. Eminentíssimo Cargo Ou Reverendíssima Ema. Senhor Cardeal Endereço V. Emas. Revma. Revmas. Ao Reverendíssimo V. Rev.ma Vossa V. Rev.mas Reverendíssimo CônegoCônegos ou Reverendíssima V. Revmas. Cônego Nome V. Revma. Cargo Endereço V. Rev.ma V. Rev.mas Ao Vossa ReverendíssimoFrades ou ou Reverendíssimo Reverendíssima Frade V. Revma. V. Revmas. Frade
  10. 10. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 10luz_carpin@yahoo.com.br Cargo ou Por Extenso Abreviatura Abreviatura Vocativo Endereçamento Função Singular Plural Nome Cargo Endereço A ma mas Reverendíssima V. Rev. V. Rev. Vossa Reverendíssimo IrmãFreiras ou ou Reverendíssima Irmão Nome V. Revma. V. Revmas. Cargo Endereço Ao ma mas Reverendíssimo V. Rev. V. Rev. Vossa Reverendíssimo MonsenhorMonsenhores Ou V. ou Reverendíssima Monsenhor Nome Revma. V. Revmas. Cargo Endereço Ao ma mas Reverendíssimo V. Rev. V. Rev. Vossa Reverendíssimo MonsenhorMonsenhores Ou V. ou Reverendíssima Monsenhor Nome Revma. V. Revmas. Cargo Endereço Vossa Santíssimo A Sua SantidadePapa V. S. - Santidade Padre o Papa Ao Reverendíssimo Padre V. Rev.ma V. Revr.masSacerdotes Vossa Reverendo Ao Reverendo ou ouem geral Reverendíssima Padre Padre V. Revma. V. Revmas. Nome Cargo Endereço2.2 Elementos Introdutórios Evite PrefiraAcusamos o recebimento de sua carta de... Recebemos sua carta de ...Cumpre dirigir-me a V. Sª para ... Dirijo-me a V. Sª para ...Desejo recomendar-lhe que ... Recomendo-lhe que ...Desejo levar ao seu conhecimento que... Informo-lhe que ... participo-lhe que ... comunico-lhe que ...... documentos que nos vemos obrigados a .... documentos que lhe devolvemos, pordevolver-lhes, porquanto observamos que se falta de assinatura.encontram sem assinatura.Efetuamos-lhe uma remessa de ... Remetemos-lhe ...Em data de ontem, chegou às nossas mãos ... Ontem, recebemos ...Ficamos no aguardo de ... Aguardamos...
  11. 11. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 11luz_carpin@yahoo.com.br Evite PrefiraFormulamos a presente para solicitar a V. Sª. Solicitamos a V. Sª. que ...que ...Faça chegar a esta loja ... Envie a esta loja ...Levamos ao conhecimento de V.Sª. que ... Comunicamos que ...Permite-nos devolver-lhe ... Devolvemos-lhe ...Por motivos alheios ao nosso conhecimento ... Por motivos que desconhecemos ...Permita que nos coloquemos à disposição ... Conte conosco ...Tendo chegado ao nosso conhecimento que ... Informamos que ...Quero fazer chegar ao conhecimento de V.Sª. Quero testemunhar a V. Sª ...meu testemunho ...Vamos proceder imediatamente à remessa da Remetemos imediatamente a mercadoria ...mercadoria ...Vimos, por intermédio desta (por intermédio da Comunicamos a V. Sª que ...Presente), Levar ao conhecimento de V. Sª. que...Procedemos à escolha ... Escolhemos ...Não deixou de nos causar profunda surpresa ... Surpreendeu-nos profundamente ...Expressamos-lhe nossas mais sinceras Felicitamo-lo sinceramente ...felicitações... Dica: O conhecimento das regras gramaticais não é suficiente para escrever bem. Porém,o domínio do vocabulário, da ortografia e da estrutura das frases e o emprego correto deexpressões comuns no nosso dia a dia, contribuem para uma melhor redação.2.3 Fechos para Comunicações O fecho das comunicações empresariais e oficiais possui, além da finalidade óbvia dearrematar o texto, a de saudar o destinatário. Com o intuito de simplificá-los e uniformizá-los, alegislação federal estabeleceu o emprego de somente dois fechos diferentes para todas asmodalidades de comunicação oficial: a) para autoridades superiores, inclusive o Presidente da República: Respeitosamente, b) para autoridades de mesma hierarquia ou de hierarquia inferior: Atenciosamente, Ficam excluídas dessa fórmula as comunicações dirigidas a autoridades estrangeiras, queatendem a rito e tradição próprios, devidamente disciplinados no Manual de Redação doMinistério das Relações Exteriores.2.3.1 Identificação do Signatário Exceto as comunicações assinadas pelo Presidente da República, todas as demaiscomunicações oficiais devem apresentar digitados, o nome em caixa alta e o cargo da autoridadeque as expede em caixa baixa (ou o contrário), logo abaixo do local reservado para suaassinatura. A forma de identificação deve ser a seguinte:
  12. 12. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 12luz_carpin@yahoo.com.brEXEMPLO: (Assinatura) FULANO DE TALDiretor-PresidenteObservação: para evitar equívocos, recomenda-se não deixar a assinatura em página isolada dodocumento. Transfira para essa página ao menos a última frase anterior ao fecho. 3. Normas Gerais de Elaboração Ao se elaborar uma correspondência deverão ser observadas as seguintes regras: − utilizar as espécies documentais, de acordo com as finalidades expostas nas estruturasdos modelos adiante expostos; − utilizar os pronomes de tratamento, os vocativos, os destinatários e os endereçamentoscorretamente; − utilizar a fonte do tipo Times New Roman de corpo 12 no texto em geral, 11 nascitações, e 10 nas notas de rodapé; − para símbolos não existentes na fonte Times New Roman poder-se-á utilizar as fontesSymbol e Wingdings; − é obrigatório constar a partir da segunda página o número da página. No caso de Comunicação Interna, o destinatário deverá ser identificado pelocargo, não necessitando do nome de seu ocupante. Exceção para casos em que existir ummesmo cargo para vários ocupantes, sendo necessário, então, um vocativo composto pelo cargoe pelo nome do destinatário em questão. Quando um documento estiver respondendo à solicitação de um outro documento,fazer referência à espécie, ao número e à data ao qual este se refere. Ex.: Ref.: Ofício n. 2/07-DC O assunto que motivou a comunicação deve ser introduzido no primeiro parágrafo,seguido do detalhamento e conclusão. Se contiver mais de uma idéia deve-se tratar dosdiferentes assuntos em parágrafos distintos. A referência ao ano do documento deverá ser feita após a espécie e número doexpediente, seguido de sigla do órgão que o expede.3.1 Siglas e Acrônimos Sigla é a representação de um nome por meio de suas iniciais – ex.: INSS. Apesar deobedecer às mesmas regras dispostas para as siglas, os acrônimos são distintos delas, ou seja,são palavras formadas das primeiras letras ou de sílabas de outras palavras – ex.: Bradesco; • em geral não se coloca ponto nas siglas; • grafam-se em caixa alta as compostas apenas de consoante: FGTS; • grafam-se em caixa alta as siglas que, apesar de compostas de consoante e de vogal, são pronunciadas mediante a acentuação das letras: IPTU, IPVA;
  13. 13. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 13luz_carpin@yahoo.com.br • grafam-se em caixa alta e em caixa baixa os compostos de mais de três letras (vogais e consoantes) que formam palavra: Ibama, Embrapa. • Siglas e acrônimos devem vir precedidos de respectivo significado e de travessão em sua primeira ocorrência no texto (ex.: Diário Oficial da União – DOU).3.2 Hífen É um sinal usado para unir elementos de palavras compostas: arco-íris, vice-presidente,desvio-padrão, data-base, água-marinha; para ligar pronomes átonos a verbos: arrependeu-se,far-se-ia; possuí-las; retêm-nas; e para, no final de uma linha, indicar a separação de sílabas deuma palavra em duas partes: sub-/linhar, con-/sultar, agên-/cia.Hífen entre vocábulos: a) em composição de palavras cujos elementos constitutivos compõem novo sentido, apesar de manterem a acentuação própria: decreto-lei, licença-prêmio, mão-de-obra, papel-moeda, salário-família, abaixo-assinado, copo-de-leite, pé-de-meia, lugar-comum; b) em composição de palavras na qual o primeiro elemento representa forma reduzida: infanto-juvenil, luso-brasileiro, sócio-histórico; c) em adjetivos gentílicos (indicadores de procedência: lugar, país, região, cidade): latino- americano, porto-riquenho, rio-grandense-do-norte, belo–horizontino; d) em palavras compostas nas quais o adjetivo geral vem junto ao substantivo para indicar função, lugar de trabalho ou órgão: diretor-geral, procurador-geral, secretaria-geral; e) às vezes a preposição sem liga-se com hífen a alguns substantivos ou adjetivos para indicar unidade de sentido e, assim, adquire valor de prefixo: um sem número de pessoas requisitou...; o sem-terra reivindicou...; os convivas eram sem-sal e muito sem-vergonha; f) o advérbio de negação não se liga, com “hífen”, a alguns substantivos para indicar unidade semântica e, assim, adquire valor de prefixo: a não-agressão, o não-eu, a não- intervenção, o não-metal; a não-participação; o não-pagamento; a não-violência; o não- participante.3.3 Destaques3.3.1 Itálico Convencionalmente, grafa-se em itálico título de livros, de periódicos, de peças, deóperas, de música, de pintura e de escultura; assim como nomes de eventos eestrangeirismos citados no corpo do texto. Lembrar, no entanto, que na grafia de nome deinstituição estrangeira não se deve usar o itálico. Contudo, no caso de o texto já estar todo ele grafado em itálico, o destaque de palavras ede locuções de outros idiomas, ainda não adaptadas ao português, pode ser obtido com o efeitocontrário, ou seja, com a grafia delas sem o itálico; recursos esse conhecido como “redondo”. Usa-se ainda o itálico na grafia de nomes científicos, de animais e vegetais (ex.: Canisfamiliaris; Apis mellifera). Pode-se adotar também, desde que sem exageros, o destaque doitálico na grafia de palavras e/ou de expressões às quais se queira da ênfase.3.3.2 Aspas Usa-se grafar entre as aspas simples: a citação dentro de uma citação.Já as aspas duplas, essas são adotadas para: • delimitar a indicação de citações diretas de até três linhas;
  14. 14. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 14luz_carpin@yahoo.com.br • destacar neologismos – sentido inusitado de uma palavra ou de uma expressão, ou termos formados a partir de palavras de outra língua – “ajanelar o coração”; “deletar”; “zebra”, como expressão de azar; • indicar um sentido não habitual – ex.: Havia um “porém” no olhar do diretor; • destacar o valor – irônico ou afetivo de um termo – ex.: Ela era a “queridinha” do papai.3.3.3 Negrito O destaque do negrito é mais comumente usado na transcrição de entrevistas, paraseparar perguntas de respostas; assim como, conforme antes mencionado, na indicação de títulose de subtítulos. Contudo, o negrito pode ser utilizado também, comedidamente, na grafia determos e/ou de expressões a que se queira dar ênfase.3.4 Maiúsculas Além de sempre usada no início de períodos, nos títulos de obras artísticas ou técnico-científicas, a letra maiúscula (caixa alta – CA) é convencionalmente usada na grafia de: • nomes próprios e de sobrenomes (Luz Carpin) de cognomes (Ivan, o Terrível); dealcunhas (Sete Dedos); de pseudônimos (Joãozinho Trinta); de nomes dinásticos (os Médici); • topônimos (Florianópolis, Brasil); • regiões (Nordeste, Sul); • nomes de instituições culturais, profissionais e de empresa (Fundação GetúlioVargas, Associação Brasileira de Jornalistas); • nome de divisão e de subdivisão das Forças Armadas (Marinha, Polícia Militar); • nome de período e de episódio histórico (Idade Média, Era Cristã, Estado Novo); • nome de festividade ou de comemoração cívica (Natal, Quinze de Novembro); • designação de nação política organizada, de conjunto de poderes ou deunidades da Federação (golpe de Estado, Estado de São Paulo); • nome de pontos cardeais (Sul, Norte, Leste, Oeste); • nome de zona geoeconômica e de designações de ordem geográfica oupolítico-administrativa (Agreste, Zona da Mata, Triângulo Mineiro); • nome de logradouros e de endereço (Av. Rui Barbosa, Rua Jerônimo Coelho);nome de edifício, de monumento e de estabelecimento público (edifício Data Center, Estádio doMaracanã, Aeroporto de Cumbica, Igreja Adventista); • nome de imposto e de taxa (Imposto de Renda); • nome de corpo celeste, quando designativo astronômico (“A Terra gira emtorno do Sol”); • nome de documento ao qual se integra um nome próprio (Lei Áurea, Lei AfonsoArinos). • nomes de disciplinas de um currículo ou de um exame (Introdução à Bíblia,Teologia Moral V, Língua Portuguesa I, Filosofia II, História da Psicologia, Matemática B, CirurgiaIV, Mecânica Geral,etc)3.5 Minúsculas Além de sempre usada na grafia dos termos que designam as estações do ano, os dias dasemana e os meses do ano, a letra minúscula (comumente chamada de caixa baixa – Cb), étambém usada na grafia de:
  15. 15. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 15luz_carpin@yahoo.com.br • cargos e títulos nobiliárquicos (rei, dom); dignitários (comendador, cavaleiro);axiônimos correntes (você, senhor); culturais (reitor, bacharel); profissionais (ministro,médico, general, presidente, diretor); eclesiásticos (papa, pastor, freira); • gentílicos e de nomes étnicos (franceses, paulistas, iorubas); • nome de doutrina e de religiões (espiritismo, protestantismo); • nome de grupo ou de movimento político e religioso (petistas, umbandistas); • na palavra governo (governo Fernando Henrique, governo de São Paulo); • nos termos designativos de instituições, quando esses não estão integrados nonome delas – ex.: A Agência Nacional de Águas tem por missão (...), no entanto, a referidaagência não exclui de suas metas os compromissos relacionados a...; • nome de acidente geográfico que não seja parte integrante do nome próprio: rioAmazonas, serra do Mar, cabo Norte (mas, Cabo Frio, Rio de Janeiro, Serra do Salitre); • prefixo ex.: ex-Ministro do meio Ambiente, ex-Presidente da República; nome dederivado: weberiano, nietzschiano, keynesiano, apolíneo; • pontos cardeais, quando indicam direção ou limite: o norte de Minas Gerais, o suldo Pará – observe: “É bom morar na Região Norte do Brasil, mas muitos preferem o sul de SãoPaulo”.3.6 Enumerações O trecho que anuncia uma enumeração, geralmente, vem sucedido por dois-pontos –situação em que a relação de itens, que se segue deve ser introduzida por letras minúsculas,conforme ex.: a), b), c) – ou por um outro tipo de marcador (,_, ... etc.), ser grafada com inicialminúscula e concluída com ponto-e-vírgula até o penúltimo item, pois que o último deverá virseguido de ponto final. Caso o trecho anunciativo da enumeração termine com um ponto final, os itens que osucedem devem vir grafados com inicial maiúscula, assim como ser finalizados, todos eles, comum ponto final.3.7 Grafia de Numerais Os numerais são geralmente grafados com algarismos arábicos. Todavia, em algumassituações especiais é regra grafá-los, no texto, por extenso.3.8 DatasExistem três possibilidades para abreviar a grafia de datas: • com traço: 28-12-1945 • com barra: 12/11/2002 • com ponto: 21.10.2004Observações: • Os números cardinais devem ser escritos sem ponto ou espaço entre o milhar e a centena: 2006 (e não 2.006); • O ano pode ser registrado com os dois últimos dígitos: 12/07/06. • O primeiro dia do mês deve ser escrito assim: 1º (e não 1). Exemplo: 1º/7/06 ou 1º/07/06.
  16. 16. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 16luz_carpin@yahoo.com.br • O emprego de zero antes do dia ou do mês formado de um só algarismo não é de rigor: 02/07/06 ou 2/7/06. Atualmente, no entanto, a anteposição de um zero é prática corrente, pois atende a objetivosestéticos. E é sempre aconselhável, quando se quer evitar fraude.3.9 Horas • Hora redonda: 8 horas; 9 horas; etc. Ou 8h; 9h; etc. (sem "s" e sem ponto depois de "h"). • Hora quebrada: 8h30min; 9h43min, etc. (sem dar espaços entre os elementos e sem usar ponto depois de "h" e "min"). Saiba Mais:3.9.1 Dias, horas, crase e paralelismo Escreva assim: De segunda a sexta-feira Da segunda à sexta-feira Ou De terça a quinta-feira Da terça à quinta-feira Escreva assim: De 9h a 11h Das 9h às 11h Ou De 8h30min a 11h30min Das 8h30min às 11h30min As classes são separadas por pontos (ex.: 1.750 páginas), exceto no caso de ano (ex.:em 1750), de código postal (ex.: CEP 70342-070) e de especificação de caixa postal (ex.: 1011). As frações são sempre indicadas por algarismos, exceto no caso de os dois elementosdela se situarem entre um e dez (ex.: dois terços, um quarto, mas 2/12, 5/11 etc.). Já as porcentagens, essas são indicadas (exceto no início de frase) por algarismos, osquais são, por sua vez, sucedidos do símbolo próprio sem espaço: 86%, 135% etc.). Os ordinais são grafados por extenso de primeiro a décimo, os demais devem serrepresentados de forma numérica: terceiro, quinto, mas 13º, 47º etc. As quantias são grafadas por extenso de um a dez (seis centavos, nove milhões defrancos) e com algarismos daí em diante (11 centavos, 51 milhões de francos). Porém, quandoocorrem frações, registra-se a quantia exclusivamente de forma numérica (US$325,60). Os algarismos romanos são usados nos seguintes casos: • na designação de séculos: século XXI, século II a.C; • na designação de reis, de imperadores, de papas etc.: Felipe IV, Napoleão II, JoãoXXIII; • na designação de grandes divisões das Forças Armadas: IV Distrito Naval, I Exército; • no nome de eventos repetidos periodicamente: IX Bienal de São Paulo, XII Copa doMundo; • na especificação de dinastias: II dinastia, IV dinastia.
  17. 17. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 17luz_carpin@yahoo.com.br 4. A Importância dos Conectivos A coesão de um texto depende muito da relação entre as orações que formam os períodose os parágrafos. Os períodos compostos precisam ser relacionados por meio de conectivosadequados, se não quisermos torná-los incompreensíveis. Para cada tipo de relação que sepretende estabelecer entre duas orações, existe uma conjunção que se adapta perfeitamente aela. Conectivos ou elementos de coesão são todas as palavras ou expressões que servem paraestabelecer elos, para criar relações entre segmentos do discurso, tais como: então, portanto, jáque, com efeito, porque, ora, mas, assim, daí, aí, dessa forma, isto é, embora e tantas outras. Observem alguns exemplos no quadro a seguir. FUNÇÃO ELEMENTOS DE COESÃO Mas Entretanto Por mais que Porém (Muito) Embora Apesar que Contudo Ainda que Não obstanteOposição/ Contraste Todavia Mesmo que De outra face No Entanto Posto que Ao contrário disso Diferente / Ao passo que Em contrapartida diversamente disso Por outro lado/ enfoque Por Porquanto Em virtude de Porque Logo Devido a (o) Portanto Assim Em conseqüência de Relação de causa e Pois Por conseqüência Por motivo de conseqüência Como Por conseguinte Por razões de Que Como resultado Por esse mister Por causa de Em vista de Porque Com o propósito de Com o objetivo de Finalidade, Que Com a finalidade Com o intento de propósito, intenção Para Com o intuito de Propositadamente A fim de Intencionalmente Ao propósito Além disso Pois Por iguais razões Ainda Outrossim Em rápidas pinceladas Ademais Agora Inclusive Também De modo geral Com efeito Vale lembrar É forçoso salientar Convém por oportuno, Realce, inclusão, Até mesmo Desse modo ressaltar adição É certo vislumbra-se que Registre-se, ainda É inegável Impede mencionar Cumpre assinalar/ Em outras palavras que verificar/ elucidar Além desse fato Frisa-se que Oportuno se torna dizer Mostra-se imperioso Convém evidenciar Mister se faz ressaltar É imperioso É de verificar-se É sobretudo importante
  18. 18. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 18luz_carpin@yahoo.com.br FUNÇÃO ELEMENTOS DE COESÃO destacar É de ser relevado assinalar que É impreterível Vale/ cumpre-se Convém notar, destacar verificar outrossim, que Não se pode perder Cumpre/ impede Inadequado seria de vista observar que esquecer, também Roborando/ Convém ponderar corroborando o É preciso insistir no assunto fato de que Isto é Aliás A saber Ratificação, Ou seja Ou melhor Tais como esclarecimento, Quer dizer Melhor ainda À guisa de exemplo, exemplificação Em outras palavras Qual seja podemos citar No dizer sempre expressivo de Conforme sustenta Como leciona/ ressalta/ enfatiza O autor traça os seguintes Em assonância com a lição esclarecimentos sempre precisa de Conforme assevera / dispõe Em consonância com o acatado Dos ensinamentos do autor extraiu- por se a salutar explicação De acordo com O autor deixou assentado que Citação de autores Tem-se o entendimento de Em comentário a essa questão, o Segundo o autor autor aponta que Assinala, ainda, que Cabe, por oportuno, destacar a lição Cumpre verificar os de esclarecimentos de A respeito, depreende-se os A respeito, aduz ensinamentos de Se Desde que Caso A menos que Contanto que A não ser que Condição Desde que A menos que A não ser que Pois Em síntese Logo Em conclusão De modo que Enfim Portanto Em resumo Então Dessa forma Assim (sendo) Sendo assim Por isso Como se nota/ vê/ observa Por conseguinte Em virtude do que foi mencionado Recapitulação, Em vista disso Segundo esse preceito resumo, conclusão Aliás Feitas essas considerações Além do mais Conforme aduzido anteriormente Além de tudo Acerca do tema em apreço Além disso Conforme afirmado Em suma Em relação ao aludido pressuposto Devido a isso Sobre a aludida probabilidade Por todos os argumentos Diante desse quadro apresentados Conforme mencionado Por tudo isso Levando em conta o que foi Dado o exposto mencionado
  19. 19. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 19luz_carpin@yahoo.com.br FUNÇÃO ELEMENTOS DE COESÃO De acordo com o aludido a De acordo com o exposto princípio Em análise última Posta assim a questão Por fim Como se pode notar Por tais razões Como se há de verificar Posto isso Como se depreende Em razão disso Conseqüentemente Em virtudes das considerações supracitadas Só Apenas Somente Excluindo Exceto Tão-só Exclusão Senão Tão-somente Em primeiro plano / lugar/ Posteriormente momento Em momento posterior A princípio Feito isso Em seguida Finalmente Dando prosseguimento Em linhas gerais Depois Por sua vez No geral A par disso Enumeração, Aqui Nessa esteira continuação Neste momento No caso presente Desde logo Antes de tudo De resto Nesse sentido, deve-se dizer que No caso em tela Tenha-se presente que No tocante Tendo em vista que No que concerne Nesse contesto (In)felizmente Interessante se faz Obviamente É óbvio Em verdade De fato Afirmação, Realmente Em verdade igualdade, opinião De igual forma É bem verdade que Do mesmo modo que Verdade seja Da mesma sorte Indubitável é No mesmo sentido Se assim o é Semelhantemente Bom é
  20. 20. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 20luz_carpin@yahoo.com.br 5. Expressões Condenáveis e Não Condenáveis Expressões condenáveis Opções • a nível de, ao nível • em nível, no nível • • • face a, frente a • ante, diante de, em face de, em vista de, perante • onde (quando não exprime lugar) • • • que, na qual, nas quais, no qual, nos quais • (medidas) visando ... • • • (medidas) destinadas a • sob um ponto de vista • • • de um ponto de vista • sob um prisma • • por (ou através de) um prisma suprimir a expressão sob • como sendo • • • em virtude de, por causa de, • em função • • • em conseqüência de, por, em razão de • a partir de (a não ser com valor • temporal) • com base em, tomando-se por base, valendo-se de... • através de (para exprimir “meio” • ou “instrumento”) • por, mediante, por meio de, por intermédio de, • segundo... • devida a • • • em razão de, em virtude de, graças a, por causa de • dito • • • citado, mencionado • Enquanto • • • ao passo que • fazer com que • • compelir, constranger, fazer que, forçar, levar a • até, ainda, igualmente, mesmo, também • inclusive (a não ser quando significa “incluindo-se”) • fim de, para, com fito (ou objetivo, ou intuito) • de, com a finalidade de, tendo em vista • no sentido de, com vistas a • • já que, porque, uma vez que, visto que • pois (no início da oração) especialmente, notadamente, sobretudo, • principalmente • • em especial, em particular • sendo que • • E
  21. 21. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 21luz_carpin@yahoo.com.br 6. Classificação da Correspondência6.1 Carta e Carta Empresarial Forma de correspondência com personalidade pública ou particular, utilizada parafazer solicitações, convites, externar agradecimentos ou transmitir informações. Éempregada nas comunicações de caráter social decorrentes do cargo ou função públicos. Ascartas, em princípio, não devem ser numeradas seqüencialmente, à exceção das unidadesorganizacionais que as utilizam, com freqüência, em caráter oficial (carta empresarial). Às unidades que utilizam com bastante freqüência cartas com caráter oficial, recomenda-se o cabeçalho semelhante ao do ofício, bem como a data 1 (um) cm ou um espaço duplo abaixo.6.1.1 Organização composicional da Carta Empresarial 1. TIMBRE COMPLETO: identificadores (nome) localizadores (endereço da empresa) e elementos de contato (fone, e-mail). 2. ÍNDICE E NÚMERO: iniciais do setor, número da carta seguido de barra e dos dois últimos algarismos do ano. Ex.: CA-11/06. Obs. Pode aparecer invertido também. Obs.: a numeração recomeça a cada ano. 3. LOCAL E DATA: cidade, dia, mês e ano. Ex.: Florianópolis, 11 de dezembro de 2006. 4. ENDEREÇAMENTO INTERNO COMPLETO: nome do destinatário e endereço. Ex.: LCN & Cia. Ltda. At.: Srª Luz Carpin Rua Reinaldo Tromboni, 1550 CEP 88047-100 – Florianópolis - SC 5. REFERÊNCIA (REF.:) OU OBJETIVO (OBJ.:): número de documento que se menciona e o objetivo é o assunto, a síntese do conteúdo da carta. Ex.: Ref.: Sua Carta CA-11 de 13- 12-06. Obj.: Seminário de implantação de materiais infláveis. 6. INVOCAÇÃO OU VOCATIVO: Ex.: Senhor: Prezado(s) Senhor(es): Prezado Cliente:. Pode-se utilizar uma invocação personalizada como, por exemplo, Senhor João. 7. FÓRMULA/FRASE DE ABERTURA: Início da carta. Ex.: Venho por meio desta; Venho através desta ou Venho pela presente. Em desuso. 8. TEXTO: é o corpo da carta, o desenvolvimento do assunto. 9. FRASE DE CORTESIA OU CUMPRIMENTO FINAL: Sem mais antecipamos nossos agradecimentos; Receba nosso cordial abraço; Pedimos vossa compreensão e nos colocamos a disposição para qualquer dúvida. 10. FECHO: Atenciosamente ou Respeitosamente seguidos de vírgula. 11. ASSINATURA: escreve-se o nome civil do emissor (letras iniciais maiúsculas) e logo abaixo o cargo que ocupa em caixa alta ou não. A assinatura se faz logo acima do nome digitado. 12. AVISO DE ANEXOS: cuidar com a concordância. Ex.: Anexa: nota fiscal. Anexos: documentos relativos à remessa de materiais infláveis.
  22. 22. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 22luz_carpin@yahoo.com.br 13. INICIAIS DO REDATOR E DO DIGITADOR: Ex.: Lcn/wc ou LCN/WC. Caso o redator e o digitador sejam a mesma pessoa, coloque a barra e escreva as iniciais da pessoa assim: /lcn 14. AVISO DE CÓPIAS: se for o caso procede-se assim: c/c: Gerência de Recursos Humanos.Obs.: algumas cartas apresentam as informações que compõem o timbre no rodapé –identificadores, localizadores e elementos de contato. Exemplo de Carta ISIS ADVOCACIA 5,5 cm Rua 19 de março, 220 CEP: 1100006 - Florianópolis - SC (48) 3222-1988 isisadv@yahoo.com.br 3 cm DA/31-06 1 linha Florianópolis, 21 de junho de 2006. Sr. João Gomes Rua das Flores, 45 76800-330 – MORRINHOS – SC 2 linhas Ref.: Serviço de cobrança Senhor João: 1,5 cm Informamos a V. Sa. que, anexo a nosso escritório de advocacia, mantemos um Departamento de Cobranças destinado não só à Capital, como também ao Interior e demais Estados do Brasil. Nossas condições para cobranças são as seguintes: Para a capital 20%, Interior e demais Estados do Brasil à base de 35%; todas as despesas correm por nossa conta. Para melhores esclarecimentos estamos a seu inteiro dispor. 2 linhas Atenciosamente, 3 linhas Larissa Rocha ADVOGADA Anexa: Lista de serviços 1 linha Lr/mo c/c: Gerência Administrativa Departamento de Contabilidade
  23. 23. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 23luz_carpin@yahoo.com.br6.2 Ofício e Ofício Circular Correspondência oficial externa usada pelas autoridades públicas para tratar de assuntosde serviço ou de interesse da Administração Pública entre si e, também com particulares. O Ofício Circular possui a mesma finalidade e deverá ser utilizado quando a informação fordirigida, simultaneamente, a diversos destinatários.6.2.1 Organização composicionalTÍTULO: Ofício ou Ofício Circular (a letra Of. ou Of. e C, quando se tratar de Ofício Circular, maiúsculas e o restante em minúsculas), seguido do número seqüencial, ano, sigla da unidade organizacional que o expede com alinhamento à esquerda. Of. 123/2002-MMELOCAL E DATA: 1 cm abaixo do código de identificação com alinhamento à direita. Ex.: Florianópolis, 15 de março de 2006.DESTINATÁRIO: O nome e o cargo da pessoa a quem é dirigida à comunicação e o endereço.ASSUNTO: Resumo do teor do documento Exemplos: Assunto: Produtividade do órgão em 2002. Assunto: Necessidade de aquisição de novos computadores.VOCATIVO: É a saudação. Deve ser empregado o tratamento adequado ao destinatário.TEXTO: nos casos em que não for de mero encaminhamento de documentos, o expediente deveconter a seguinte estrutura: – introdução, que se confunde com o parágrafo de abertura, na qual é apresentado oassunto que motiva a comunicação. Evite o uso das formas: “Tenho a honra de”, “Tenho o prazerde”, “Cumpre-me informar que”, empregue a forma direta; – desenvolvimento, no qual o assunto é detalhado; se o texto contiver mais de uma idéiasobre o assunto, elas devem ser tratadas em parágrafos distintos, o que confere maior clareza àexposição; – conclusão, em que é reafirmada ou simplesmente reapresentada a posição recomendadasobre o assunto. Os parágrafos do texto devem ser numerados, exceto nos casos em que estesestejam organizados em itens ou títulos e subtítulos. Já quando se tratar de mero encaminhamento de documentos a estrutura é aseguinte: – introdução: deve iniciar com referência ao expediente que solicitou o encaminhamento.Se a remessa do documento não tiver sido solicitada, deve iniciar com a informação do motivo dacomunicação, que é encaminhar, indicando a seguir os dados completos do documentoencaminhado (tipo, data, origem ou signatário, e assunto de que trata), e a razão pela qual estásendo encaminhado, segundo a seguinte fórmula: “Em resposta ao Aviso nº 12, de 1º de fevereiro de 1991, encaminho, anexa, cópia do Ofício nº 34, de 3 de abril de 1990, do Departamento Geral de Administração, que trata da requisição do servidor Fulano de Tal.” ou “Encaminho, para exame e pronunciamento, a anexa cópia do telegrama no 12, de o 1 de fevereiro de 1991, do Presidente da Confederação Nacional de Agricultura, a respeito de projeto de modernização de técnicas agrícolas na região Nordeste.”
  24. 24. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 24luz_carpin@yahoo.com.br – desenvolvimento: se o autor da comunicação desejar fazer algum comentário a respeitodo documento que encaminha, poderá acrescentar parágrafos de desenvolvimento; em casocontrário, não há parágrafos de desenvolvimento em aviso ou ofício de mero encaminhamento.FECHO: “Respeitosamente”, para autoridades superiores, inclusive o Presidente da República ede “Atenciosamente” para autoridades da mesma hierarquia ou hierarquia inferior.IDENTIFICAÇÃO DO SIGNATÁRIO: Nome digitado em maiúsculas, do cargo só com as iniciaismaiúsculas, escrito sob o nome. A assinatura é feita imediatamente acima do nome. Esteconjunto de dados que identificam o signatário vem centralizado à direita, a 2,5 cm deste.Exemplo: LUZINETE CARPIN Professora6.2.2 Forma de Diagramação Os documentos do Padrão Ofício devem obedecer à seguinte forma de apresentação: a) deve ser utilizada fonte do tipo Times New Roman de corpo 12 no texto em geral, 11nas citações, e 10 nas notas de rodapé; b) para símbolos não existentes na fonte Times New Roman poder-se-á utilizar as fontesSymbol e Wingdings; c) é obrigatório constar a partir da segunda página o número da página; d) os ofícios, memorandos e anexos destes poderão ser impressos em ambas as faces dopapel. Neste caso, as margens esquerda e direita terão as distâncias invertidas nas páginas pares(“margem espelho”); e) o início de cada parágrafo do texto deve ter 2,5 cm de distância da margem esquerda; f) o campo destinado à margem lateral esquerda terá, no mínimo, 3,0 cm de largura; g) o campo destinado à margem lateral direita terá 1,5 cm; h) deve ser utilizado espaçamento simples entre as linhas e de 6 pontos após cadaparágrafo, ou, se o editor de texto utilizado não comportar tal recurso, de uma linha embranco; i) não deve haver abuso no uso de negrito, itálico, sublinhado, letras maiúsculas,sombreado, sombra, relevo, bordas ou qualquer outra forma de formatação que afete a elegânciae a sobriedade do documento; j) a impressão dos textos deve ser feita na cor preta em papel branco. A impressãocolorida deve ser usada apenas para gráficos e ilustrações; l) todos os tipos de documentos do Padrão Ofício devem ser impressos em papel detamanho A-4, ou seja, 29,7 x 21,0 cm; m) deve ser utilizado, preferencialmente, o formato de arquivo Rich Text nos documentosde texto; n) dentro do possível, todos os documentos elaborados devem ter o arquivo de textopreservado para consulta posterior ou aproveitamento de trechos para casos análogos; o) para facilitar a localização, os nomes dos arquivos devem ser formados da seguintemaneira: tipo do documento + número do documento + palavras-chaves do conteúdo Ex.: “Of. 123 - relatório produtividade ano 2002”
  25. 25. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 25luz_carpin@yahoo.com.br Exemplo de Ofício: 1.ª página ª [Ministério] [Secretaria/Departamento/Setor/Entidade] 5,5 cm [Endereço para correspondência]. [Endereço - continuação] [Telefone e Endereço de Correio Eletrônico] 3 cm 1,5 cm Ofício no 524/1991/SG-PR 1 linha Brasília, 27 de maio de 1991. 2 linhas A Sua Excelência o Senhor Deputado [NOME] Câmara dos Deputados 70.160-900 – Brasília – DF 2 linhas Assunto: Demarcação de terras indígenas 1 linha Senhor Deputado, 2,5 cm 1. Em complemento às observações transmitidas pelo telegrama no 154, de 24 de abril último, informo Vossa Excelência de que as medidas mencionadas em sua carta no 6708, dirigida ao Senhor Presidente da República, estão amparadas pelo procedimento administrativo de demarcação de terras indígenas instituído pelo Decreto no 22, de 4 de fevereiro de 1991 (cópia anexa). 2. Em sua comunicação, Vossa Excelência ressalva a necessidade de que – na definição e demarcação das terras indígenas – fossem levadas em consideração as características sócio-econômicas regionais. 3. Nos termos do Decreto no 22, a demarcação de terras indígenas deverá ser precedida de estudos e levantamentos técnicos que atendam ao disposto no art. 231, § 1o, da Constituição Federal. Os estudos deverão incluir os aspectos etno-históricos, sociológicos, cartográficos e fundiários. O exame deste último aspecto deverá ser feito conjuntamente com o órgão federal ou estadual competente. 4. Os órgãos públicos federais, estaduais e municipais deverão encaminhar as informações que julgarem pertinentes sobre a área em estudo. É igualmente assegurada a manifestação de entidades representativas da sociedade civil.
  26. 26. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 26luz_carpin@yahoo.com.br Exemplo de Ofício: 2.ª página 3,5 cm Fl. 2 do Of. 524/1991/SG-PR 1 linha 5. Os estudos técnicos elaborados pelo órgão federal de proteção ao índio serão publicados juntamente com as informações recebidas dos órgãos públicos e das entidades civis acima mencionadas. 6. Como Vossa Excelência pode verificar, o procedimento estabelecido assegura que a decisão a ser baixada pelo Ministro de Estado da Justiça sobre os limites e a demarcação de terras indígenas seja informada de todos os elementos necessários, inclusive daqueles assinalados em sua carta, com a necessária transparência e agilidade. Respeitosamente, 3 linhas [NOME] [Cargo]6.3 Edital Ato pelo qual se publica pela imprensa uma notícia que deve ser de conhecimento daspessoas. Sua finalidade é convocar, avisar ou informar. O edital é um texto de ampla utilizaçãopodendo ser: Edital de convocação, de concorrência, de intimação, de publicação etc.6.3.1 Organização composicionalTIMBRE: Impresso no alto.TÍTULO: EDITAL, Nº/ANO CONVOCAÇÃO, escrito em maiúsculas, no centro da folha.TEXTO: cargo da autoridade que assina a convocação, seguido do verbo convocar na 3ª pessoado singular + indicação de quem está sendo convocado (sócios, membros, professores, etc.) +indicação do tipo de assembléia/reunião/sessão (ordinária, extraordinária, geral etc.).LOCAL E DATA: Florianópolis, 11 de dezembro de 2006.ASSINATURA: Da autoridade que convocou a reunião, sobreposta ao nome.
  27. 27. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 27luz_carpin@yahoo.com.br Exemplo de Edital TIMBRE 8 cm EDITAL Nº 11/09 CONVOCAÇÃO 1,5 cm 5 cm A Diretora da Escola Básica Mário Quintana convoca 3 cm os professores para Assembléia Geral Ordinária a ser realizada no dia 20/04/09, às 10 horas, em primeira convocação ou, caso não haja quorum, às 11 horas com qualquer número de professores, para tratar dos seguintes assuntos: 1. Leitura e aprovação da ata anterior; 2. Informes; 3. Troca de turma entre aluno; 4. Modificações na supervisão do recreio; 5. Eleição da nova diretoria da APP. 2 linhas Florianópolis, 07 de abril de 2009. 3 linhas LUZINETE CARPIN NIEDZIELUK6.4 Ata Registro sucinto de fatos, ocorrências, resoluções e decisões de uma assembléia, sessãoou reunião. A ata é documento de valor jurídico.6.4.1 Organização composicionalTÍTULO: ATA, número de ordem da reunião/assembléia em ordinal, nome da entidade e local dareunião.TEXTO: Escreve-se tudo seguidamente, sem rasuras, emendas ou entrelinhas, em linguagem simples, clara e concisa. Deve-se evitar as abreviaturas, e os números são escritos por extenso. Verificando-se qualquer engano no momento da redação, deverá ser
  28. 28. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 28luz_carpin@yahoo.com.br imediatamente retificado empregando-se a palavra “digo”. Na hipótese de qualquer omissão ou erro depois de lavrada a Ata, far-se-á uma ressalva: “em tempo”. “Na linha................., onde se lê..................leia-se....................”. Termos chavões para o fechol: “Nada mais havendo a tratar” ou “Esgotada a pauta”.ASSINATURA: Presidente, membros e secretário.Obs.: Todo livro de atas deve conter um termo de abertura e um termo de encerramento,assinados pela autoridade máxima da entidade ou por quem recebem daquela autoridadedelegação de poderes para tanto; esta também poderá numerar e rubricar todas as folhas dolivro.O termo de abertura indica a finalidade do livro e é escrito na primeira página. Exemplo: 2 cm TERMO DE ABERTURA 1,5 cm 2,0 cm Este livro contém cem folhas numeradas e rubricadas por mim, Luz Carpin, e destina-se ao registro de atas das Assembléias Gerais Ordinárias da Empresa Nefertiti Ltda. 1 linha Florianópolis, 10 de janeiro de 2007. 3 linhas (Assinatura)O termo de encerramento é escrito na última folha do livro, após preenchido pelas atas.Exemplo: 2 cm TERMO DE ENCERRAMENTO 1,5 cm 2,0 cm Eu, Luz Carpin, Diretora Geral da Empresa Nefertiti Ltda., declaro encerrado este livro de atas. 1 linha Florianópolis, 10 de janeiro de 2007. 3 linhas (Assinatura)
  29. 29. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 29 luz_carpin@yahoo.com.br Primeiro exemplo de Ata 2 cm ATA DA REUNIÃO DE HABILITAÇÃO PARA A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL Nº 000/20011 cm 1 linha 1 cm Aos vinte e oito dias do mês de fevereiro, do ano de dois mil e um, às dezesseis horas, reuniram-se na sala de reuniões da Diretoria de Administração de Material – DIAM –, da Secretaria de Estado e Administração, sita à rua Tenente Silveira, 162, sétimo andar, em Florianópolis – Santa Catarina, os membros da Comissão Permanente de Licitação para Habilitação Cadastral e Habilitação Preliminar, presidida pelo Senhor Fulano de Tal, Presidente da Comissão de licitação Pública, para abertura dos envelopes “A” de habilitação, apresentados pelas empresas participantes da concorrência Internacional nº 000/2001, que trata da aquisição de Equipamentos de processamento de dados, Estabilizadores e No-Break: ITAUTEC PHILCO S/A – GRUPO ITAUTEC PHILCO e HAAS PRODUTOS E TECNOLOGIA LTDA. Presentes à reunião os quatro membros da Comissão Permanente de Licitação e um representante de cada uma das empresas habilitadas. Foram postos os envelopes “A” – Documentos de Habilitação -, “B” – Proposta Técnica – e “C” – Proposta de Preços -, à disposição dos presentes para qualquer manifestação e rubrica. Nada tendo sido declarado, passou-se à abertura dos envelopes “A”, sendo a documentação disponibilizada aos representantes para análise e rubrica. Analisados e rubricados os documentos, o Presidente inquiriu os participantes sobre qualquer impugnação. Os representantes das empresas GRUPO ITAUTEC PHILCO e HAAS PRODUTOS E TECNOLOGIA LTDA. retiraram-se antes do encerramento da reunião. Nada mais havendo a tratar, o Presidente declarou encerrada a reunião, sendo lavrada a presente ata por mim, Sincrana de Tal, secretária ad hoc, que, submetida aos presentes e achada conforme, será assinada por todos. Florianópolis, aos vinte e oito de fevereiro de dois mil e um. 1 linha (Assinaturas – presidente, membros e secretária)
  30. 30. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 30luz_carpin@yahoo.com.br Segundo exemplo de Ata (Simplificado): Título. Data + Quorum + Deliberações + Presenças + Ausências Justificadas. 2 cm ATA DA ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA DA ACADEMIA CATARINENSE DE LETRAS E ARTES (ACLA). 1 linha1 cm 1 cm 1. DATA: 06/08/2008 às 15:00 (quinze) horas, na sala da Biblioteca Municipal Professor Barreiros Filho. 2. QUORUM: 19 (dezenove) acadêmicos na primeira convocação, conforme os nomes listados abaixo. 3. DELIBERAÇÕES: 3.1. Daiana Clanchez foi eleita presidente da Assembléia e iniciou justificando que a eleição da Diretoria e do Conselho Fiscal está sendo realizada no mês de agosto em virtude da posse dos novos acadêmicos ter ocorrido no dia 01/07/2005. Declarou não desejar participar de chapa e passou a palavra ao vice-presidente, que compôs uma chapa encabeçando-a e tendo como vice-presidente, Vicentino Pascale; 1ª Secretária, Lucia Carpin; 2º Secretário; Augustus Abreu; 1º Tesoureiro, Manoelito Jover Teles; 2º Tesoureiro, Adire Pacheco; Diretora de Comunicação, Jane Pavan; e Diretora Social, Maria Peres. Apresentada com a carta-programa (lutar por uma sede, criar uma página na internet, trabalhar para o reconhecimento da ACLA como sendo de utilidade pública, promover um concurso de poesia e um círculo de leitura) foi aprovada por aclamação. 3.2. Em seguida, a assembléia, nos termos do inciso I do artigo 16 do Estatuto, deu posse aos eleitos. Presidente: Wesley Colly, Vice-Presidente: Vicentino Pascale, 1ª Secretária: Lucia Carpin, 2º Secretário: Augustus Abreu, 1º Tesoureiro: Manoelito Jover Teles, 2º Tesoureiro: Adire Pacheco, Diretora de Comunicação: Jane Pavan, Diretora Social: Maria Peres. 3.3. A seguir, o 1º Tesoureiro Manoelito Jover Teles apresentou à Assembléia as contas (art. 16, II do Estatuto), que foram aprovadas por unanimidade. 3.4. Passou-se à eleição do Conselho Fiscal, tendo sido eleitos por aclamação Doralina Rosa de S. Silva, Ivana Alves e Rudesse Nei Raulino, que foram empossados pela Assembléia. 4. PRESENÇAS: Daiana Clanchez, Wesley Colly, Lucia Carpin, Doralina Rosa de S. Silva, Maria P. Ramos, Manoelito Jover Teles, Adira Pacheco, Augustus de Abreu, Júlia D. Couxil, Paula Berri, Heraldo Victor, Laira Leoni Bernardoni, Ivana Alves Pereira, Vicentino Gabriele Pascale, Rudesse Raulino, Fábiana Souza de Jesus e Jane Pavan, cujas assinaturas encontram-se no livro de presenças à folha 07 (anverso); as acadêmicas Izabela H. Marun e Deysina Teodoro foram representadas por procuradores (acadêmicos) e a representatividade foi considerada válida pela assembléia. 5. AUSÊNCIAS JUSTIFICADAS: Tia Mariana e Solana Finardi. 1 linha LUZ CARPIN 1ª Secretária
  31. 31. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 31luz_carpin@yahoo.com.br6.5 Requerimento Documento específico de solicitação e, através dele, a pessoa física ou jurídica requer algoa que tem direito (ou supõe tê-lo) concedido por lei, decreto ou ato. Instrumento pelo qual orequerente se dirige a uma autoridade pública para solicitar o reconhecimento de um direito ouconcessão de algo sob o amparo da lei. O Decreto nº 84.414/80 veda a exigência derequerimento para a concessão, nos órgãos da administração federal direta e nas autarquias, dosseguintes direitos e vantagens: auxílio doença; gratificação adicional por tempo de serviço; ajudade custo; férias; cancelamento de cotas de salário-família; e revalidação de despacho concessóriode licenças especiais. Há três tipos: a) simples – assinado por uma só pessoa; b) abaixo-assinado –requerimento em que concorrem duas ou mais pessoas; c) requerimento com exposição demotivos – individual ou coletivo, após a identificação se relaciona os motivos que o(s) induzirama requerer o direito em questão. Ex.: requer transferência de um ponto de ônibus considerando:...6.5.1 Organização composicionalVOCATIVO: Tratamento, seguido da indicação do cargo da pessoa a quem é dirigido. Ex.: Senhor Secretário da Administração do Estado de Santa CatarinaTEXTO: O nome do requerente em maiúsculas, sua qualificação (nacionalidade, estado civil, idade, residência, profissão etc.), vem requerer ou requer o objeto do requerimento com a indicação dos respectivos fundamentos legais e finalidade do que se requer. Quando o requerimento é dirigido à autoridade do órgão em que o requerente exerce suas atividades, basta, por exemplo citar nome, cargo, lotação, número de matrícula ou registro funcional. Nome + qualificação e identificação / vem requerer ou requer/ + justificativa + fecho + assinatura.FECHO: A fórmula terminal mais usada é: “Nestes termos, pede deferimento”. Pode-se usartambém: Pede e aguarda deferimento ou P. e A. D.;Termos em que pede deferimento ou T. E. Q. P.Aguarda deferimento ou A. D.;Nestes termos pede deferimento ou N. T.P. D.;Nestes termos aguarda deferimento ou N. T.A. D.;Espera deferimento ou E. D.LOCAL E DATA: Por extenso. Ex.: Florianópolis, 10 de janeiro de 2007.ASSINATURA(s): Requerente(s).
  32. 32. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 32luz_carpin@yahoo.com.br Exemplo de Requerimento 4 cm EXCELENTÍSSIMO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO 4 cm 3 cm 1,5 cm 1,5 cm FULANA DE TAL, servidora pública estadual, matrícula nº 00000-0, lotada na Secretaria de Estado da Administração, ocupante do cargo de Agente Administrativo Auxiliar, requer licença sem remuneração pelo período de 2 (dois) anos, para que possa tratar de interesses particulares, conforme art. 77 da Lei nº 6.745, de 28/12/85. 2 linhas Nestes termos, pede deferimento. 2 linhas Florianópolis, 07 de setembro de 2010. 3 linhas (Assinatura)6.6 Atestado Documento em que se declara algo. É firmado por uma pessoa a favor de outra, atestandoa verdade a respeito de determinado fato. Refere-se a fatos transitórios (mudança de residência,sanidade mental...).6.6.1 Organização composicionalTIMBRE: impresso no altoTÍTULO: ATESTADO, grafado em maiúsculas, abaixo do timbre, centrado na folha, deixandoespaço de 4 cm entre o nome e o timbre.TEXTO: inicia 2 cm abaixo do título e se constitui de um único parágrafo. Há duas variáveis: a) overbo atestar na 1ª pessoa do singular – Atesto – quando uma pessoa só assina ou Atestamos –quando mais de uma pessoa assinam. Não se usa a expressão vaga “para os devidos fins”, deve-se definir a finalidade. Ex.: Atesto para fins de concessão de diárias que fulano de tal... b) iniciacom o(s) nome(s) e o(s) cargos(s) da(s) pessoa(s) que assina(m) o atestado, seguidos do verbona 3ª pessoa do singular (ou do plural).LOCAL E DATA: Por extenso. Ex.: Florianópolis, 10 de janeiro de 2010.
  33. 33. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 33luz_carpin@yahoo.com.brASSINATURA(s): Vem a 2,5 cm abaixo da data. Na primeira variável colocar nome e cargo e nasegunda apenas o nome. Obs.: A Declaração é semelhante ao atestado. Declara a existência ou nãodo fato. Pode ser feita por pessoas físicas ou jurídicas. Primeiro exemplo de Atestado TIMBRE 5,5 cm ATESTADO 3 cm 1,5 cm 1,5 cm Atesto, para fins de concessão de diárias e passagem para participar do V Congresso de Lingüística a realizar-se em Curitiba, entre 28/03 a 01/4/07, que Maria da Luz Santos é aluna matriculada na 5ª fase do Curso de Lingüística desta Universidade, sob nº 0000005-1, e freqüenta regularmente as aulas. 2 linhas Florianópolis, 20 de fevereiro de 2010. 3 linhas LUZ CARPIN Coordenadora do Curso de Lingüística Segundo exemplo de Atestado TIMBRE 5,5 cm 3 cm ATESTADO 1,5 cm 1,5 cm Maria Luzia Carpini, Diretora da Divisão de Seleção e Aperfeiçoamento, atesta, para fins de ascensão profissional, que João Silva participou do Curso de Treinamento de Redação Empresarial ministrado pela professora Luzinete Carpin, no período compreendido entre 21/11/06 a 25/11/06, com duração de 30 horas. 2 linhas Florianópolis, 20 de janeiro de 2010. 3 linhas MARIA LUZIA CARPINI
  34. 34. Prof.ª Luzinete C. Niedzieluk 34luz_carpin@yahoo.com.br6.7 Memorando É um documento de comunicação semelhante ao ofício. Pode ser: a) interno – quandofor dirigido a funcionários do mesmo órgão ou departamento; b) externo – quando dirigido apessoas externas ao órgão. Obs.: Quando o memorando é interno também pode ser chamado decomunicação interna.6.7.1 Organização composicionalTIMBRE: o timbre do órgão aparece impresso no alto do papel.CÓDIGO E NÚMERO: a três linhas abaixo do timbre e à esquerda do papel, escreve-se o númerodo memorando e a sigla de identificação. Exemplo:Memorando nº 23/FMP23 – Indica que é o 23º memorando escrito no ano em curso;FMP – Sigla do órgão expedidor, Faculdade Municipal de Palhoça.LOCALIDADE E DATA: Na mesma linha do código e número, porém à direita, escreve-se onome da localidade e a data (esta pode ser reduzida). Em alguns casos não se coloca o nome dalocalidade. Assim: Florianópolis, 11 de janeiro de 2010. Florianópolis, 11/01/10. Em 11/01/10.DESTINATÁRIO: Sempre indicado pelo cargo que ocupa. Deve vir rente à margem esquerda.Assim:À Gerente da Livraria CatarinenseEMENTA OU ASSUNTO: Indica o assunto do que trata o memorando. Deve estar grafado abaixoda indicação do destinatário, alinhado a esta. Assim:Ementa: Processo nº 214/06-FMP.Assunto: Aposentadoria.TEXTO: Escreve-se a mensagem com os parágrafos numerados a partir do primeiro como noofício. O texto deve ser sucinto, sem formalidades.FECHO: Usa-se o mesmo do ofício – Atenciosamente ou Respeitosamente – centrado à direita, 1cm abaixo do texto.ASSINATURA: Também como no ofício, coloca-se o nome e o cargo abaixo, a 4 cm do fecho ecentrado à direita.Obs.: Nos memorandos mais extensos, em que haja a necessidade de se utilizar mais de umafolha, recomenda-se escrever no alto da folha seguinte (a segunda) a identificação. Assim:Fl. 2 do Mem. Nº 000/10.

×