O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Cartilha da hipocrisia ii

  • Entre para ver os comentários

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Cartilha da hipocrisia ii

  1. 1. Cartilha da hipocrisia A insensatez e irracional atitude por parte da prefeitura de Guarulhos ao distribuir panfletos de orientação sexual que induzem crianças ao homossexualismo, mostra a negligência que esse governo lida com a educação de suas crianças. A chegada da adolescência, de fato, leva a perguntas sobre diferenças sexuais, entretanto as respostas exigem sutileza e seriedade na abordagem, diferentemente do modo como essas cartilhas distribuídas pelo desvairado prefeito de Guarulhos (Sebastião Almeida, do PT), retrataram e abordaram o tema da orientação sexual. Durante a infância, o psicológico e a formação dos valores do ser humano estão em constante construção e mudança. Diante disso, esses descabidos panfletos de orientação sexual, feitos por alienados políticos, para crianças a partir de 7 anos, podem interferir e induzir esses jovens na escolha sexual. É necessário que não nos deixemos enganar pelo senso comum, acreditando que é cabível a atitude desse inexperiente prefeito, pois ao contrário disso, a orientação sexual deve vir primeiramente de casa, e tardiamente de profissionais com experiência pedagógicas, capazes de orientar corretamente crianças que cursam o quinto ano em diante, sobre as escolhas sexuais. O tema relatado é importante para o desenvolvimento, conscientização e escolha sexual de crianças e adolescentes da cidade de Guarulhos, e devido a isso deve ser discutido e tratado com cautela, visto que se trata de futuras relações afetivas e sociais dessas crianças. Para isso, opiniões e procedências sem fundamentos, como a do desvairado prefeito Sebastião Almeida, devem ser desconsideradas. De fato, o ensino sexual é necessário mas para que não interfira nas futuras escolhas dos jovens, devem ser orientadas pela família e também por profissionais com grande bagagem educacional, e não por meio de panfletos descabidos e insensatos, feito os que foram distribuídos para escolhas da rede pública da cidade de Guarulhos. Isabela de Paula Rodrigues

×