SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 6
Baixar para ler offline
A PROVA DE REDAÇÃO DA
           UNICAMP
       VERSÃO VESTIBULAR
        A PARTIR DE 2011
 A partir do Vestibular 2011 a prova
de redação irá cobrar a produção de
três gêneros textuais de cunho social,
isto é, os gêneros textuais cobrados
não deverão ter contextos acadêmicos.
Desta forma, para a produção escrita
poderá ser cobrado à construção dos
gêneros discursivos:
02       allencar Rodriguez


     EDITORIAL


 Texto argumentativo:
 ◊argumentação, expressão de opiniões

 Intencionalidade comunicativa:
 ◊fortalecer, confirmar, comprovar a posição o ponto de
 vista do autor do editorial

 Componentes lingüísticos:
 ◊pontuação – período composto por coordenação – período
 composto por subordinação – conjunção



     A característica desse texto é de ser   veemente   opinativo.
 Semelhante ao artigo de opinião a credibilidade do editorial
 se dá pela argumentação concreta, factual e crítica à
 opinião embasada. Isso, seguido de citações que
 corroboram o ponto de vista e argumentação do autor do
 editorial. Então a objetividade e imparcialidade não são
 características dessa tipologia textual. Logo, as opiniões e
 os argumentos são relatados sob a subjetividade do autor
 do editorial ou do grupo que está por trás do texto
 comunicativo, pois os editoriais não são assinados por
 ninguém. Esse gênero textual faz uso do tipo textual
 dissertativo, uma vez que fundamento numa idéia central
 constrói-se opiniões e argumentos (opar).

 nota: de forma geral editoriais de revistas são nominais e
 alguns textos trazem a foto do autor.
estudo aplicado redação                  03


Para produzir um editorial siga as orientações abaixo:


   a) Faça um projeto de texto de acordo com o propósito
pedido. Crie argumentos contundentes de acordo com o
propósito pedido fundamentados em assuntos factuais
presentes em jornais, revistas e sites da internet.
   b) Justifique que o assunto é preponderante. Coloque uma
citação concreta que comprove sua justificativa.


  A estrutura textual:


1º parágrafo:
  Apresente o tema ao leitor enfatizando o seu
posicionamento de forma contundente e crítica. Não deixe
impressões pessoais posicionadas no ―lugar comum‖. Isso
não estimula interesse no leitor.

2º parágrafo:
  Use os contextos do item (a) do seu Projeto de Texto.

3º parágrafo:
  Use o contexto do item (b) do seu Projeto de Texto.

4º parágrafo:
  A conclusão deve ter um posicionamento crítico e
enfático procurando impressionar o leitor articulando
opiniões e argumentos relacionados ao tema.

Nota: O texto editorial exige também um título. Na
questão da linguagem um jornal de grande circulação exige
uma linguagem formal.
04          allencar Rodriguez


 Do Código Florestal à água da torneira

 SUZANA M. PAULA, CLAUDIO PADUA, EDUARDO DITT e THOMAZ ALMEIDA

 O desmatamento, se permitido pelas mudanças no Código Florestal, pode ameaçar a
 quantidade e a qualidade de água disponível em São Paulo

   Para muita gente pode ser difícil perceber que as perdas de florestas decorrentes da
 mudança no Código Florestal vão afetar nosso bem-estar. Estamos falando de perdas
 fundamentais, como a água.
   Desmatamento em nascentes, cursos d’água e reservatórios afetarão a disponibilidade da
 água, e a tendência é que isso aconteça exponencialmente se o código sofrer as mudanças
 em discussão.
   Vamos usar um exemplo que conhecemos amiúde. O reservatório do rio Atibainha,
 localizado em Nazaré Paulista, São Paulo, é uma das represas que compõem o sistema
 Cantareira. Construído entre as décadas de 1960 e 1970, o sistema visava atender à
 demanda crescente por água decorrente do aumento da população da Grande São Paulo.
   Hoje, o sistema fornece mais de 50% da água de São Paulo, 95% da água de Campinas e
 quase a totalidade das cidades da região, com mais de 9 milhões de habitantes-
 consumidores.
   Aproximadamente 50% das terras no entorno do Atibainha são ocupadas por
 remanescentes de mata atlântica. Uma proporção extraordinária. É essa riqueza ambiental
 que torna a região uma verdadeira produtora de águas. As matas garantem a proteção das
 nascentes dos rios, a qualidade dos cursos d’água e sua produção, e o reservatório funciona
 como uma grande caixa d’água.
   O desmatamento, se permitido legalmente pelas mudanças propostas no Código Florestal,
 causará um efeito direto que pode ameaçar a quantidade e a qualidade de água disponível
 em um dos maiores conglomerados humanos do país. Estudos do IPÊ (Instituto de
 Pesquisas Ecológicas) quantificam o efeito dos usos do solo.
   Uma área de 7.000 hectares ao redor do reservatório tem sedimentação quase inexistente
 se ocupada por floresta nativa. Se substituída por pastagem, nosso cálculo é que seja como
 um carregamento de 1.470 toneladas de sedimentos entrando na represa por ano -
 equivalente a 270 caminhões de terra-, o que o encherá até não haver espaço para a água,
 comprometendo sua disponibilidade para consumo.
   Desde que o reservatório Atibainha foi construído, as pressões têm aumentado, como em
 outras regiões do país. É um exemplo de local com riqueza natural e desafios sociais, o que
 pode dar a impressão de que para ter progresso é preciso destruir a natureza.
   Mas o mundo mudou, e os valores precisam ser atualizados para que haja chance de um
 futuro de bem-estar para todos. A natureza não deveria mais ser computada como um
 ―presente‖, sem valor nas equações econômicas.
   O IPÊ há mais de 15 anos vem tornando a região um laboratório de pesquisa e ação,
 desenvolvendo metodologias de reflorestamento e restauração da paisagem. Melhorias
 sociais, no entanto, podem levar mais tempo.
   Se o Código Florestal for alterado, os desmatamentos serão permitidos por lei e trarão
 impactos que incluem a água produzida na região do Atibainha, que sai nas torneiras de
 milhares de pessoas.
                                                     Folha de S. Paulo, 15 de agosto de 2011
estudo aplicado redação                                     05


PRÁTICA DE REDAÇÃO




TEXTO 1

Coloque-se na posição de um jornalista que com base na leitura da reportagem
abaixo, deverá escrever um editorial, isto é, um artigo jornalístico opinativo, para
um importante jornal do país, discutindo a questão da exploração de petróleo e
gás natural em águas profundas no Brasil. Seu texto deverá, necessariamente:

a) Abordar dois (2) problemas sustentem uma suspensão de projetos de
exploração da camada pré-sal.
e
b) Fortalecer seu ponto de vista com 2 (dois) argumentos presentes no texto
que vão ao encontro da idéia de suspensão de projetos.

O Brasil na contramão do mundo
Produção no pré-sal do Espírito Santo começa. EUA e Europa limitam projetos
Danielle Nogueira e Ramona Ordoñez
BRUXELAS, RIO e VITÓRIA

  O comissário de Energia da União Europeia (UE), Guenther Oettinger, propôs ontem uma
suspensão temporária de novos projetos de exploração de petróleo e gás em águas
profundas nos mares do Norte, Negro e Mediterrâneo.

  A recomendação segue a proibição determinada pelo governo dos Estados Unidos, em
resposta ao vazamento iniciado em 20 de abril no poço do Golfo do México, operado pela
BP. O desastre ambiental já é considerado o maior da indústria petrolífera mundial. Na
contramão, o Brasil acelera seus projetos em águas profundas.

— A indústria deve testar três vezes suas práticas, programas de treinamento e tecnologias.
As empresas precisarão convencer os órgãos reguladores de que fizeram as verificações
necessárias e reforçaram a segurança — disse Oettinger após encontro com representantes
de 22 companhias petrolíferas em Bruxelas.

  A Noruega, maior produtor europeu e que não integra o bloco da UE, também proibiu a
exploração em águas profundas no Mar do Norte.

  A suspensão proposta pelo comissário da UE vigoraria enquanto os órgãos reguladores
americanos e europeus examinam o que causou o acidente da BP. A decisão, porém, cabe a
cada um dos 27 Estados do bloco.

  Já o comissário de Meio Ambiente da UE, Janez Potocnik, reconheceu que uma análise das
regras ambientais do bloco revelou falhas.
06          allencar Rodriguez


 Analistas divergem sobre suspensão

   A proposta de paralisação temporária da exploração em águas profundas provoca
 divergência entre os especialistas no Brasil. Há cerca de 15 dias, problemas operacionais
 durante a perfuração do segundo poço no pré-sal, na Bacia de Santos, levaram a seu
 fechamento.

   O professor do Instituto de Economia da UFRJ Hélder Queiroz criticou a falta de mais
 informações sobre as regras de segurança por parte da Agência Nacional do Petróleo (ANP)
 e do Ministério de Minas e Energia.

    Já a procuradora federal Telma Malheiros, responsável pela criação do escritório de
 licenciamento das atividades de petróleo e nuclear do Ibama — atual Coordenação de
 Petróleo e Gás do instituto —, defende que o Brasil altere seu modelo de gestão das bacias
 petrolíferas, de modo a incorporar a avaliação ambiental dessas bacias.

 — O Brasil não deveria autorizar novos projetos de exploração em águas profundas
 enquanto não tiver uma avaliação estratégica ambiental de suas bacias. Só assim teremos
 um mapeamento com áreas onde a atividade petrolífera não pode ser conduzida pelo
 elevado risco que um vazamento poderia provocar. E essa exigência deve ser imposta pelo
 governo.

   Já Edmar de Almeida, do Grupo de Energia do Instituto de Economia da UFRJ, reconhece
 que houve falhas graves da BP, mas afirma que o Brasil deve manter seu programa no pré-
 sal.

 — Risco sempre tem. Mas uma moratória é uma resposta política à pressão popular. Além
 disso, a produção nas bacias brasileiras não está caindo como na Europa. Estamos apenas
 no início da festa. Portanto, o Brasil não tem que entrar nessa onda. O que deve ser feito é
 investir em tecnologia para mitigar riscos — afirmou.

   O diretor-geral da ANP, Haroldo Lima, garantiu que as normas de segurança adotadas no
 Brasil estão entre as melhores do mundo e não vê motivos para a suspensão de futuros
 projetos em águas profundas no país.

 — A nossa legislação de segurança operacional é considerada uma das mais modernas do
 mundo. Soubemos dessa notícia pela imprensa (suspensão em outros países) e, por
 enquanto, não temos a intenção de adotar medida semelhante — afirmou Lima,
 completando que o acidente da BP ajudará a aperfeiçoar a legislação.

   Radicalmente contrário à exploração do pré-sal, o diretor de campanhas do Greenpeace,
 Sergio Leitão, frisa que o Brasil vai na contramão dos esforços mundiais para reduzir as
 emissões de CO2. Para ele, os bilhões que serão investidos no pré-sal deveriam ser
 aplicados em pesquisas para desenvolver energias alternativas.

   Na Bolsa de Nova York, as ações da BP fecharam em queda de 1,90% ontem.

   COLABOROU Bruno Dalvi, com agências internacionais

                                                                          O Globo, 15/07/10

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Plano de aula crônica
Plano de aula crônicaPlano de aula crônica
Plano de aula crônicaLucianaProf
 
Aula de Redação nº 01
Aula de Redação nº 01Aula de Redação nº 01
Aula de Redação nº 01João Mendonça
 
Concordancia verbal-slide-adriana
Concordancia verbal-slide-adrianaConcordancia verbal-slide-adriana
Concordancia verbal-slide-adrianaLucilene Barcelos
 
Polissemia e ambiguidade
Polissemia e ambiguidadePolissemia e ambiguidade
Polissemia e ambiguidadeLilian Hodgson
 
Tipos de argumentos
Tipos de argumentosTipos de argumentos
Tipos de argumentosAna Castro
 
Texto dissertativo argumentativo
Texto dissertativo argumentativoTexto dissertativo argumentativo
Texto dissertativo argumentativoCicero Luciano
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotaçãoNessaLermen
 
Orações Subordinadas Adverbiais
Orações Subordinadas AdverbiaisOrações Subordinadas Adverbiais
Orações Subordinadas AdverbiaisFábio Guimarães
 
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTOAULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTOMarcelo Cordeiro Souza
 
Simulado do INEP de Linguagens Códigos e suas Tecnologias de 2009
Simulado do INEP de Linguagens Códigos e suas Tecnologias de 2009Simulado do INEP de Linguagens Códigos e suas Tecnologias de 2009
Simulado do INEP de Linguagens Códigos e suas Tecnologias de 2009ma.no.el.ne.ves
 
Passos para a redação do enem
Passos para a redação do enemPassos para a redação do enem
Passos para a redação do enemLuciene Gomes
 
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opiniãoDiferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opiniãoElaine Maia
 
Implicitos pressupostos-subentendidos-ambiguidade
Implicitos pressupostos-subentendidos-ambiguidadeImplicitos pressupostos-subentendidos-ambiguidade
Implicitos pressupostos-subentendidos-ambiguidadeMaria Marlene Marcon
 

Mais procurados (20)

Plano de aula crônica
Plano de aula crônicaPlano de aula crônica
Plano de aula crônica
 
Oficina de Redação
Oficina de RedaçãoOficina de Redação
Oficina de Redação
 
Aula de Redação nº 01
Aula de Redação nº 01Aula de Redação nº 01
Aula de Redação nº 01
 
Operadores argumentativos
Operadores argumentativosOperadores argumentativos
Operadores argumentativos
 
Concordancia verbal-slide-adriana
Concordancia verbal-slide-adrianaConcordancia verbal-slide-adriana
Concordancia verbal-slide-adriana
 
Polissemia e ambiguidade
Polissemia e ambiguidadePolissemia e ambiguidade
Polissemia e ambiguidade
 
Tipos de argumentos
Tipos de argumentosTipos de argumentos
Tipos de argumentos
 
Texto dissertativo argumentativo
Texto dissertativo argumentativoTexto dissertativo argumentativo
Texto dissertativo argumentativo
 
Conotação e denotação
Conotação e denotaçãoConotação e denotação
Conotação e denotação
 
A redação aula 1
A redação   aula 1A redação   aula 1
A redação aula 1
 
Orações Subordinadas Adverbiais
Orações Subordinadas AdverbiaisOrações Subordinadas Adverbiais
Orações Subordinadas Adverbiais
 
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTOAULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
 
Simulado do INEP de Linguagens Códigos e suas Tecnologias de 2009
Simulado do INEP de Linguagens Códigos e suas Tecnologias de 2009Simulado do INEP de Linguagens Códigos e suas Tecnologias de 2009
Simulado do INEP de Linguagens Códigos e suas Tecnologias de 2009
 
Tipologia textual
Tipologia textualTipologia textual
Tipologia textual
 
Hífen
HífenHífen
Hífen
 
Passos para a redação do enem
Passos para a redação do enemPassos para a redação do enem
Passos para a redação do enem
 
Crônicas
CrônicasCrônicas
Crônicas
 
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opiniãoDiferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
 
Ponto 6 tipologia textual
Ponto 6   tipologia  textualPonto 6   tipologia  textual
Ponto 6 tipologia textual
 
Implicitos pressupostos-subentendidos-ambiguidade
Implicitos pressupostos-subentendidos-ambiguidadeImplicitos pressupostos-subentendidos-ambiguidade
Implicitos pressupostos-subentendidos-ambiguidade
 

Destaque

Proposta de produção de editorial
Proposta de produção de editorialProposta de produção de editorial
Proposta de produção de editorialma.no.el.ne.ves
 
Produção textual - Editorial
Produção textual - EditorialProdução textual - Editorial
Produção textual - EditorialElaine Teixeira
 
AULA 09 - AULA DE REDACAO - EDITORIAL - OK
AULA 09 - AULA DE REDACAO - EDITORIAL  - OKAULA 09 - AULA DE REDACAO - EDITORIAL  - OK
AULA 09 - AULA DE REDACAO - EDITORIAL - OKMarcelo Cordeiro Souza
 
Exemplos de Redação - Tema: Consumismo
Exemplos de Redação - Tema: ConsumismoExemplos de Redação - Tema: Consumismo
Exemplos de Redação - Tema: ConsumismoProfFernandaBraga
 
Como a meritocracia contribui para a desigualdade social - Redação
Como a meritocracia contribui para a desigualdade social - RedaçãoComo a meritocracia contribui para a desigualdade social - Redação
Como a meritocracia contribui para a desigualdade social - RedaçãoMatheus Alves
 
Gênero textual editorial
Gênero textual editorialGênero textual editorial
Gênero textual editorialEdson Alves
 
Gêneros textuais no ENEM: editorial
Gêneros textuais no ENEM: editorialGêneros textuais no ENEM: editorial
Gêneros textuais no ENEM: editorialma.no.el.ne.ves
 
Apresentação feminismo final
Apresentação feminismo finalApresentação feminismo final
Apresentação feminismo finalGreice Keli
 
Redação gênero opinativo editorial
Redação gênero opinativo editorialRedação gênero opinativo editorial
Redação gênero opinativo editorialKatcavenum
 
Produção Textual - Manifesto
Produção Textual  - ManifestoProdução Textual  - Manifesto
Produção Textual - ManifestoElaine Teixeira
 
Prueba de educacion musical octavo año
Prueba  de  educacion musical octavo añoPrueba  de  educacion musical octavo año
Prueba de educacion musical octavo añoEster Martin
 
Unidad 1: Pentagrama, claves y figuras de notas
Unidad 1: Pentagrama, claves y figuras de notasUnidad 1: Pentagrama, claves y figuras de notas
Unidad 1: Pentagrama, claves y figuras de notasJorge Jované
 
Pruebas diagnóstico 5° basico lenguaje y matematica
Pruebas diagnóstico 5° basico lenguaje y matematicaPruebas diagnóstico 5° basico lenguaje y matematica
Pruebas diagnóstico 5° basico lenguaje y matematicanoremy
 
Examen De MúSica 1ª Evaluacion
Examen De MúSica 1ª EvaluacionExamen De MúSica 1ª Evaluacion
Examen De MúSica 1ª Evaluacionprofademusica
 

Destaque (19)

Proposta de produção de editorial
Proposta de produção de editorialProposta de produção de editorial
Proposta de produção de editorial
 
Produção textual - Editorial
Produção textual - EditorialProdução textual - Editorial
Produção textual - Editorial
 
AULA 09 - AULA DE REDACAO - EDITORIAL - OK
AULA 09 - AULA DE REDACAO - EDITORIAL  - OKAULA 09 - AULA DE REDACAO - EDITORIAL  - OK
AULA 09 - AULA DE REDACAO - EDITORIAL - OK
 
Exemplos de Redação - Tema: Consumismo
Exemplos de Redação - Tema: ConsumismoExemplos de Redação - Tema: Consumismo
Exemplos de Redação - Tema: Consumismo
 
Como a meritocracia contribui para a desigualdade social - Redação
Como a meritocracia contribui para a desigualdade social - RedaçãoComo a meritocracia contribui para a desigualdade social - Redação
Como a meritocracia contribui para a desigualdade social - Redação
 
Gênero textual editorial
Gênero textual editorialGênero textual editorial
Gênero textual editorial
 
Editorial gênero
Editorial gêneroEditorial gênero
Editorial gênero
 
Proposta 6
Proposta 6Proposta 6
Proposta 6
 
Gêneros textuais no ENEM: editorial
Gêneros textuais no ENEM: editorialGêneros textuais no ENEM: editorial
Gêneros textuais no ENEM: editorial
 
Carta do leitor
Carta do leitorCarta do leitor
Carta do leitor
 
Apresentação feminismo final
Apresentação feminismo finalApresentação feminismo final
Apresentação feminismo final
 
Redação gênero opinativo editorial
Redação gênero opinativo editorialRedação gênero opinativo editorial
Redação gênero opinativo editorial
 
Projeto Malala (propostas de atividades)
Projeto Malala (propostas de atividades)Projeto Malala (propostas de atividades)
Projeto Malala (propostas de atividades)
 
Editorial
EditorialEditorial
Editorial
 
Produção Textual - Manifesto
Produção Textual  - ManifestoProdução Textual  - Manifesto
Produção Textual - Manifesto
 
Prueba de educacion musical octavo año
Prueba  de  educacion musical octavo añoPrueba  de  educacion musical octavo año
Prueba de educacion musical octavo año
 
Unidad 1: Pentagrama, claves y figuras de notas
Unidad 1: Pentagrama, claves y figuras de notasUnidad 1: Pentagrama, claves y figuras de notas
Unidad 1: Pentagrama, claves y figuras de notas
 
Pruebas diagnóstico 5° basico lenguaje y matematica
Pruebas diagnóstico 5° basico lenguaje y matematicaPruebas diagnóstico 5° basico lenguaje y matematica
Pruebas diagnóstico 5° basico lenguaje y matematica
 
Examen De MúSica 1ª Evaluacion
Examen De MúSica 1ª EvaluacionExamen De MúSica 1ª Evaluacion
Examen De MúSica 1ª Evaluacion
 

Semelhante a Unicamp 3 vestibular 2012 gênero editorial - prática de redação - tema pré-sal

Atualidade meio ambiente
Atualidade meio ambienteAtualidade meio ambiente
Atualidade meio ambienteBruna Azevedo
 
A historia das_barragens_no_brasil
A historia das_barragens_no_brasilA historia das_barragens_no_brasil
A historia das_barragens_no_brasilLailson Ancelmo
 
A ameaça de racionamento de energia elétrica é mais um caso de incompetência ...
A ameaça de racionamento de energia elétrica é mais um caso de incompetência ...A ameaça de racionamento de energia elétrica é mais um caso de incompetência ...
A ameaça de racionamento de energia elétrica é mais um caso de incompetência ...Fernando Alcoforado
 
Redação proposta 2014 61 - enem - crise hídrica opera10
Redação proposta 2014 61 - enem - crise hídrica   opera10Redação proposta 2014 61 - enem - crise hídrica   opera10
Redação proposta 2014 61 - enem - crise hídrica opera10joaofonseca12
 
Ronnie Peterson Magalhães Cardoso - TCC Ciências Econômicas
Ronnie Peterson Magalhães Cardoso - TCC Ciências EconômicasRonnie Peterson Magalhães Cardoso - TCC Ciências Econômicas
Ronnie Peterson Magalhães Cardoso - TCC Ciências EconômicasEstaciodeSaRJ
 
Pré sal presente futuro
Pré sal presente futuroPré sal presente futuro
Pré sal presente futuromarcosbellacruz
 
09 09-2015 minuta ata ic 211-14 represa salto grande
09 09-2015 minuta ata ic 211-14 represa salto grande09 09-2015 minuta ata ic 211-14 represa salto grande
09 09-2015 minuta ata ic 211-14 represa salto grandeLaura Magalhães
 
Apostila conservação de nascentes
Apostila conservação de nascentesApostila conservação de nascentes
Apostila conservação de nascentesLuiz Oliveira
 
Viterbo - revista o setor eletrico
Viterbo  - revista o setor eletricoViterbo  - revista o setor eletrico
Viterbo - revista o setor eletricoJean Carlo Viterbo
 
Corrida para o mar - os desafios tecnológicos e ambientais do pré-sal
Corrida para o mar -  os desafios tecnológicos e ambientais do pré-salCorrida para o mar -  os desafios tecnológicos e ambientais do pré-sal
Corrida para o mar - os desafios tecnológicos e ambientais do pré-salRobson Peixoto
 
Impactos da revolução energética dos estados unidos sobre a indústria de petr...
Impactos da revolução energética dos estados unidos sobre a indústria de petr...Impactos da revolução energética dos estados unidos sobre a indústria de petr...
Impactos da revolução energética dos estados unidos sobre a indústria de petr...Fernando Alcoforado
 
Apostila barragens feagr_2011
Apostila barragens feagr_2011Apostila barragens feagr_2011
Apostila barragens feagr_2011Welvis Furtado
 
Vestibular da UPE - provas 1º dia
Vestibular da UPE - provas 1º diaVestibular da UPE - provas 1º dia
Vestibular da UPE - provas 1º diaJornal do Commercio
 
Cadernos de prova do 1º dia de vestibular tradicional da UPE
Cadernos de prova do 1º dia de vestibular tradicional da UPECadernos de prova do 1º dia de vestibular tradicional da UPE
Cadernos de prova do 1º dia de vestibular tradicional da UPEPortal NE10
 
Vestibular UPE 2014- Provas do 1º dia
Vestibular UPE 2014- Provas do 1º diaVestibular UPE 2014- Provas do 1º dia
Vestibular UPE 2014- Provas do 1º diaIsaquel Silva
 

Semelhante a Unicamp 3 vestibular 2012 gênero editorial - prática de redação - tema pré-sal (20)

Atualidade meio ambiente
Atualidade meio ambienteAtualidade meio ambiente
Atualidade meio ambiente
 
A historia das_barragens_no_brasil
A historia das_barragens_no_brasilA historia das_barragens_no_brasil
A historia das_barragens_no_brasil
 
A ameaça de racionamento de energia elétrica é mais um caso de incompetência ...
A ameaça de racionamento de energia elétrica é mais um caso de incompetência ...A ameaça de racionamento de energia elétrica é mais um caso de incompetência ...
A ameaça de racionamento de energia elétrica é mais um caso de incompetência ...
 
A agenda 21 do mercado de seguros brasileiro
A agenda 21 do mercado de seguros brasileiroA agenda 21 do mercado de seguros brasileiro
A agenda 21 do mercado de seguros brasileiro
 
Enem 2020 hexag
Enem 2020 hexagEnem 2020 hexag
Enem 2020 hexag
 
Redação proposta 2014 61 - enem - crise hídrica opera10
Redação proposta 2014 61 - enem - crise hídrica   opera10Redação proposta 2014 61 - enem - crise hídrica   opera10
Redação proposta 2014 61 - enem - crise hídrica opera10
 
Ronnie Peterson Magalhães Cardoso - TCC Ciências Econômicas
Ronnie Peterson Magalhães Cardoso - TCC Ciências EconômicasRonnie Peterson Magalhães Cardoso - TCC Ciências Econômicas
Ronnie Peterson Magalhães Cardoso - TCC Ciências Econômicas
 
Pré sal presente futuro
Pré sal presente futuroPré sal presente futuro
Pré sal presente futuro
 
09 09-2015 minuta ata ic 211-14 represa salto grande
09 09-2015 minuta ata ic 211-14 represa salto grande09 09-2015 minuta ata ic 211-14 represa salto grande
09 09-2015 minuta ata ic 211-14 represa salto grande
 
Apostila conservação de nascentes
Apostila conservação de nascentesApostila conservação de nascentes
Apostila conservação de nascentes
 
Mata ciliar
Mata ciliarMata ciliar
Mata ciliar
 
Viterbo - revista o setor eletrico
Viterbo  - revista o setor eletricoViterbo  - revista o setor eletrico
Viterbo - revista o setor eletrico
 
Corrida para o mar - os desafios tecnológicos e ambientais do pré-sal
Corrida para o mar -  os desafios tecnológicos e ambientais do pré-salCorrida para o mar -  os desafios tecnológicos e ambientais do pré-sal
Corrida para o mar - os desafios tecnológicos e ambientais do pré-sal
 
Revista - Saneamento Ambiental
Revista - Saneamento AmbientalRevista - Saneamento Ambiental
Revista - Saneamento Ambiental
 
Revista - Saneamento Ambiental
Revista - Saneamento AmbientalRevista - Saneamento Ambiental
Revista - Saneamento Ambiental
 
Impactos da revolução energética dos estados unidos sobre a indústria de petr...
Impactos da revolução energética dos estados unidos sobre a indústria de petr...Impactos da revolução energética dos estados unidos sobre a indústria de petr...
Impactos da revolução energética dos estados unidos sobre a indústria de petr...
 
Apostila barragens feagr_2011
Apostila barragens feagr_2011Apostila barragens feagr_2011
Apostila barragens feagr_2011
 
Vestibular da UPE - provas 1º dia
Vestibular da UPE - provas 1º diaVestibular da UPE - provas 1º dia
Vestibular da UPE - provas 1º dia
 
Cadernos de prova do 1º dia de vestibular tradicional da UPE
Cadernos de prova do 1º dia de vestibular tradicional da UPECadernos de prova do 1º dia de vestibular tradicional da UPE
Cadernos de prova do 1º dia de vestibular tradicional da UPE
 
Vestibular UPE 2014- Provas do 1º dia
Vestibular UPE 2014- Provas do 1º diaVestibular UPE 2014- Provas do 1º dia
Vestibular UPE 2014- Provas do 1º dia
 

Mais de Katcavenum

01 apostila passo a passo refugiados
01   apostila passo a passo refugiados01   apostila passo a passo refugiados
01 apostila passo a passo refugiadosKatcavenum
 
Apostila 07 redação completa tema publicidade
Apostila 07 redação completa tema publicidadeApostila 07 redação completa tema publicidade
Apostila 07 redação completa tema publicidadeKatcavenum
 
Cartilha da hipocrisia ii
Cartilha da hipocrisia iiCartilha da hipocrisia ii
Cartilha da hipocrisia iiKatcavenum
 
A essência da literatura na vida cultural e acadêmica
A essência da literatura na vida cultural e acadêmicaA essência da literatura na vida cultural e acadêmica
A essência da literatura na vida cultural e acadêmicaKatcavenum
 
Compilação redação enem temas 2013
Compilação redação enem temas 2013Compilação redação enem temas 2013
Compilação redação enem temas 2013Katcavenum
 
Apostila editorial slideshare
Apostila  editorial slideshareApostila  editorial slideshare
Apostila editorial slideshareKatcavenum
 
Nightfall wishes natasha
Nightfall wishes natashaNightfall wishes natasha
Nightfall wishes natashaKatcavenum
 
Vest 2012 unicamp 5 os finalmentes vários gêneros textuais
Vest 2012 unicamp 5 os finalmentes vários gêneros textuaisVest 2012 unicamp 5 os finalmentes vários gêneros textuais
Vest 2012 unicamp 5 os finalmentes vários gêneros textuaisKatcavenum
 
Vest 2012 unicamp 4 estudo aplicado redação final imagens esquemas
Vest 2012 unicamp 4 estudo aplicado redação final imagens esquemasVest 2012 unicamp 4 estudo aplicado redação final imagens esquemas
Vest 2012 unicamp 4 estudo aplicado redação final imagens esquemasKatcavenum
 
Vestibular 2012 a redação do enem
Vestibular 2012   a redação do enemVestibular 2012   a redação do enem
Vestibular 2012 a redação do enemKatcavenum
 
Unicamp probabilidade
Unicamp probabilidadeUnicamp probabilidade
Unicamp probabilidadeKatcavenum
 
Unicamp 3 vestibular 2012 redação unicamp follow the pig
Unicamp 3 vestibular 2012 redação unicamp follow the pigUnicamp 3 vestibular 2012 redação unicamp follow the pig
Unicamp 3 vestibular 2012 redação unicamp follow the pigKatcavenum
 
Unicamp 2 vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...
Unicamp 2   vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...Unicamp 2   vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...
Unicamp 2 vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...Katcavenum
 
Unicamp 1 vestibular 2012 gênero artigo de opinião
Unicamp 1 vestibular 2012 gênero   artigo de opiniãoUnicamp 1 vestibular 2012 gênero   artigo de opinião
Unicamp 1 vestibular 2012 gênero artigo de opiniãoKatcavenum
 
Freud além da alma
Freud além da almaFreud além da alma
Freud além da almaKatcavenum
 
Vest 2012 redação padrão fuvest resumida
Vest 2012 redação padrão fuvest resumidaVest 2012 redação padrão fuvest resumida
Vest 2012 redação padrão fuvest resumidaKatcavenum
 
Vest 2012 redação padrão fuvest
Vest 2012   redação padrão fuvestVest 2012   redação padrão fuvest
Vest 2012 redação padrão fuvestKatcavenum
 
VEST 2012 Redação padrão fuvest + DICAS DE PORTUGUÊS
VEST 2012 Redação padrão fuvest + DICAS DE PORTUGUÊSVEST 2012 Redação padrão fuvest + DICAS DE PORTUGUÊS
VEST 2012 Redação padrão fuvest + DICAS DE PORTUGUÊSKatcavenum
 
Vestibular 2012 redação seqüência projeto de texto fuvest 2011
Vestibular 2012 redação seqüência projeto de texto fuvest 2011Vestibular 2012 redação seqüência projeto de texto fuvest 2011
Vestibular 2012 redação seqüência projeto de texto fuvest 2011Katcavenum
 

Mais de Katcavenum (20)

01 apostila passo a passo refugiados
01   apostila passo a passo refugiados01   apostila passo a passo refugiados
01 apostila passo a passo refugiados
 
Apostila 07 redação completa tema publicidade
Apostila 07 redação completa tema publicidadeApostila 07 redação completa tema publicidade
Apostila 07 redação completa tema publicidade
 
Cartilha da hipocrisia ii
Cartilha da hipocrisia iiCartilha da hipocrisia ii
Cartilha da hipocrisia ii
 
A essência da literatura na vida cultural e acadêmica
A essência da literatura na vida cultural e acadêmicaA essência da literatura na vida cultural e acadêmica
A essência da literatura na vida cultural e acadêmica
 
Compilação redação enem temas 2013
Compilação redação enem temas 2013Compilação redação enem temas 2013
Compilação redação enem temas 2013
 
Apostila editorial slideshare
Apostila  editorial slideshareApostila  editorial slideshare
Apostila editorial slideshare
 
Nightfall wishes natasha
Nightfall wishes natashaNightfall wishes natasha
Nightfall wishes natasha
 
Vest 2012 unicamp 5 os finalmentes vários gêneros textuais
Vest 2012 unicamp 5 os finalmentes vários gêneros textuaisVest 2012 unicamp 5 os finalmentes vários gêneros textuais
Vest 2012 unicamp 5 os finalmentes vários gêneros textuais
 
Vest 2012 unicamp 4 estudo aplicado redação final imagens esquemas
Vest 2012 unicamp 4 estudo aplicado redação final imagens esquemasVest 2012 unicamp 4 estudo aplicado redação final imagens esquemas
Vest 2012 unicamp 4 estudo aplicado redação final imagens esquemas
 
Vestibular 2012 a redação do enem
Vestibular 2012   a redação do enemVestibular 2012   a redação do enem
Vestibular 2012 a redação do enem
 
Unicamp probabilidade
Unicamp probabilidadeUnicamp probabilidade
Unicamp probabilidade
 
Unicamp 3 vestibular 2012 redação unicamp follow the pig
Unicamp 3 vestibular 2012 redação unicamp follow the pigUnicamp 3 vestibular 2012 redação unicamp follow the pig
Unicamp 3 vestibular 2012 redação unicamp follow the pig
 
Unicamp 2 vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...
Unicamp 2   vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...Unicamp 2   vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...
Unicamp 2 vestibular 2012 - prática de redação - gênero artigo de opinião -...
 
Unicamp 1 vestibular 2012 gênero artigo de opinião
Unicamp 1 vestibular 2012 gênero   artigo de opiniãoUnicamp 1 vestibular 2012 gênero   artigo de opinião
Unicamp 1 vestibular 2012 gênero artigo de opinião
 
Freud além da alma
Freud além da almaFreud além da alma
Freud além da alma
 
Cria cuervos
Cria cuervosCria cuervos
Cria cuervos
 
Vest 2012 redação padrão fuvest resumida
Vest 2012 redação padrão fuvest resumidaVest 2012 redação padrão fuvest resumida
Vest 2012 redação padrão fuvest resumida
 
Vest 2012 redação padrão fuvest
Vest 2012   redação padrão fuvestVest 2012   redação padrão fuvest
Vest 2012 redação padrão fuvest
 
VEST 2012 Redação padrão fuvest + DICAS DE PORTUGUÊS
VEST 2012 Redação padrão fuvest + DICAS DE PORTUGUÊSVEST 2012 Redação padrão fuvest + DICAS DE PORTUGUÊS
VEST 2012 Redação padrão fuvest + DICAS DE PORTUGUÊS
 
Vestibular 2012 redação seqüência projeto de texto fuvest 2011
Vestibular 2012 redação seqüência projeto de texto fuvest 2011Vestibular 2012 redação seqüência projeto de texto fuvest 2011
Vestibular 2012 redação seqüência projeto de texto fuvest 2011
 

Último

Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfAnaGonalves804156
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Susana Stoffel
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 

Último (20)

Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 

Unicamp 3 vestibular 2012 gênero editorial - prática de redação - tema pré-sal

  • 1. A PROVA DE REDAÇÃO DA UNICAMP VERSÃO VESTIBULAR A PARTIR DE 2011 A partir do Vestibular 2011 a prova de redação irá cobrar a produção de três gêneros textuais de cunho social, isto é, os gêneros textuais cobrados não deverão ter contextos acadêmicos. Desta forma, para a produção escrita poderá ser cobrado à construção dos gêneros discursivos:
  • 2. 02 allencar Rodriguez EDITORIAL Texto argumentativo: ◊argumentação, expressão de opiniões Intencionalidade comunicativa: ◊fortalecer, confirmar, comprovar a posição o ponto de vista do autor do editorial Componentes lingüísticos: ◊pontuação – período composto por coordenação – período composto por subordinação – conjunção A característica desse texto é de ser veemente opinativo. Semelhante ao artigo de opinião a credibilidade do editorial se dá pela argumentação concreta, factual e crítica à opinião embasada. Isso, seguido de citações que corroboram o ponto de vista e argumentação do autor do editorial. Então a objetividade e imparcialidade não são características dessa tipologia textual. Logo, as opiniões e os argumentos são relatados sob a subjetividade do autor do editorial ou do grupo que está por trás do texto comunicativo, pois os editoriais não são assinados por ninguém. Esse gênero textual faz uso do tipo textual dissertativo, uma vez que fundamento numa idéia central constrói-se opiniões e argumentos (opar). nota: de forma geral editoriais de revistas são nominais e alguns textos trazem a foto do autor.
  • 3. estudo aplicado redação 03 Para produzir um editorial siga as orientações abaixo: a) Faça um projeto de texto de acordo com o propósito pedido. Crie argumentos contundentes de acordo com o propósito pedido fundamentados em assuntos factuais presentes em jornais, revistas e sites da internet. b) Justifique que o assunto é preponderante. Coloque uma citação concreta que comprove sua justificativa. A estrutura textual: 1º parágrafo: Apresente o tema ao leitor enfatizando o seu posicionamento de forma contundente e crítica. Não deixe impressões pessoais posicionadas no ―lugar comum‖. Isso não estimula interesse no leitor. 2º parágrafo: Use os contextos do item (a) do seu Projeto de Texto. 3º parágrafo: Use o contexto do item (b) do seu Projeto de Texto. 4º parágrafo: A conclusão deve ter um posicionamento crítico e enfático procurando impressionar o leitor articulando opiniões e argumentos relacionados ao tema. Nota: O texto editorial exige também um título. Na questão da linguagem um jornal de grande circulação exige uma linguagem formal.
  • 4. 04 allencar Rodriguez Do Código Florestal à água da torneira SUZANA M. PAULA, CLAUDIO PADUA, EDUARDO DITT e THOMAZ ALMEIDA O desmatamento, se permitido pelas mudanças no Código Florestal, pode ameaçar a quantidade e a qualidade de água disponível em São Paulo Para muita gente pode ser difícil perceber que as perdas de florestas decorrentes da mudança no Código Florestal vão afetar nosso bem-estar. Estamos falando de perdas fundamentais, como a água. Desmatamento em nascentes, cursos d’água e reservatórios afetarão a disponibilidade da água, e a tendência é que isso aconteça exponencialmente se o código sofrer as mudanças em discussão. Vamos usar um exemplo que conhecemos amiúde. O reservatório do rio Atibainha, localizado em Nazaré Paulista, São Paulo, é uma das represas que compõem o sistema Cantareira. Construído entre as décadas de 1960 e 1970, o sistema visava atender à demanda crescente por água decorrente do aumento da população da Grande São Paulo. Hoje, o sistema fornece mais de 50% da água de São Paulo, 95% da água de Campinas e quase a totalidade das cidades da região, com mais de 9 milhões de habitantes- consumidores. Aproximadamente 50% das terras no entorno do Atibainha são ocupadas por remanescentes de mata atlântica. Uma proporção extraordinária. É essa riqueza ambiental que torna a região uma verdadeira produtora de águas. As matas garantem a proteção das nascentes dos rios, a qualidade dos cursos d’água e sua produção, e o reservatório funciona como uma grande caixa d’água. O desmatamento, se permitido legalmente pelas mudanças propostas no Código Florestal, causará um efeito direto que pode ameaçar a quantidade e a qualidade de água disponível em um dos maiores conglomerados humanos do país. Estudos do IPÊ (Instituto de Pesquisas Ecológicas) quantificam o efeito dos usos do solo. Uma área de 7.000 hectares ao redor do reservatório tem sedimentação quase inexistente se ocupada por floresta nativa. Se substituída por pastagem, nosso cálculo é que seja como um carregamento de 1.470 toneladas de sedimentos entrando na represa por ano - equivalente a 270 caminhões de terra-, o que o encherá até não haver espaço para a água, comprometendo sua disponibilidade para consumo. Desde que o reservatório Atibainha foi construído, as pressões têm aumentado, como em outras regiões do país. É um exemplo de local com riqueza natural e desafios sociais, o que pode dar a impressão de que para ter progresso é preciso destruir a natureza. Mas o mundo mudou, e os valores precisam ser atualizados para que haja chance de um futuro de bem-estar para todos. A natureza não deveria mais ser computada como um ―presente‖, sem valor nas equações econômicas. O IPÊ há mais de 15 anos vem tornando a região um laboratório de pesquisa e ação, desenvolvendo metodologias de reflorestamento e restauração da paisagem. Melhorias sociais, no entanto, podem levar mais tempo. Se o Código Florestal for alterado, os desmatamentos serão permitidos por lei e trarão impactos que incluem a água produzida na região do Atibainha, que sai nas torneiras de milhares de pessoas. Folha de S. Paulo, 15 de agosto de 2011
  • 5. estudo aplicado redação 05 PRÁTICA DE REDAÇÃO TEXTO 1 Coloque-se na posição de um jornalista que com base na leitura da reportagem abaixo, deverá escrever um editorial, isto é, um artigo jornalístico opinativo, para um importante jornal do país, discutindo a questão da exploração de petróleo e gás natural em águas profundas no Brasil. Seu texto deverá, necessariamente: a) Abordar dois (2) problemas sustentem uma suspensão de projetos de exploração da camada pré-sal. e b) Fortalecer seu ponto de vista com 2 (dois) argumentos presentes no texto que vão ao encontro da idéia de suspensão de projetos. O Brasil na contramão do mundo Produção no pré-sal do Espírito Santo começa. EUA e Europa limitam projetos Danielle Nogueira e Ramona Ordoñez BRUXELAS, RIO e VITÓRIA O comissário de Energia da União Europeia (UE), Guenther Oettinger, propôs ontem uma suspensão temporária de novos projetos de exploração de petróleo e gás em águas profundas nos mares do Norte, Negro e Mediterrâneo. A recomendação segue a proibição determinada pelo governo dos Estados Unidos, em resposta ao vazamento iniciado em 20 de abril no poço do Golfo do México, operado pela BP. O desastre ambiental já é considerado o maior da indústria petrolífera mundial. Na contramão, o Brasil acelera seus projetos em águas profundas. — A indústria deve testar três vezes suas práticas, programas de treinamento e tecnologias. As empresas precisarão convencer os órgãos reguladores de que fizeram as verificações necessárias e reforçaram a segurança — disse Oettinger após encontro com representantes de 22 companhias petrolíferas em Bruxelas. A Noruega, maior produtor europeu e que não integra o bloco da UE, também proibiu a exploração em águas profundas no Mar do Norte. A suspensão proposta pelo comissário da UE vigoraria enquanto os órgãos reguladores americanos e europeus examinam o que causou o acidente da BP. A decisão, porém, cabe a cada um dos 27 Estados do bloco. Já o comissário de Meio Ambiente da UE, Janez Potocnik, reconheceu que uma análise das regras ambientais do bloco revelou falhas.
  • 6. 06 allencar Rodriguez Analistas divergem sobre suspensão A proposta de paralisação temporária da exploração em águas profundas provoca divergência entre os especialistas no Brasil. Há cerca de 15 dias, problemas operacionais durante a perfuração do segundo poço no pré-sal, na Bacia de Santos, levaram a seu fechamento. O professor do Instituto de Economia da UFRJ Hélder Queiroz criticou a falta de mais informações sobre as regras de segurança por parte da Agência Nacional do Petróleo (ANP) e do Ministério de Minas e Energia. Já a procuradora federal Telma Malheiros, responsável pela criação do escritório de licenciamento das atividades de petróleo e nuclear do Ibama — atual Coordenação de Petróleo e Gás do instituto —, defende que o Brasil altere seu modelo de gestão das bacias petrolíferas, de modo a incorporar a avaliação ambiental dessas bacias. — O Brasil não deveria autorizar novos projetos de exploração em águas profundas enquanto não tiver uma avaliação estratégica ambiental de suas bacias. Só assim teremos um mapeamento com áreas onde a atividade petrolífera não pode ser conduzida pelo elevado risco que um vazamento poderia provocar. E essa exigência deve ser imposta pelo governo. Já Edmar de Almeida, do Grupo de Energia do Instituto de Economia da UFRJ, reconhece que houve falhas graves da BP, mas afirma que o Brasil deve manter seu programa no pré- sal. — Risco sempre tem. Mas uma moratória é uma resposta política à pressão popular. Além disso, a produção nas bacias brasileiras não está caindo como na Europa. Estamos apenas no início da festa. Portanto, o Brasil não tem que entrar nessa onda. O que deve ser feito é investir em tecnologia para mitigar riscos — afirmou. O diretor-geral da ANP, Haroldo Lima, garantiu que as normas de segurança adotadas no Brasil estão entre as melhores do mundo e não vê motivos para a suspensão de futuros projetos em águas profundas no país. — A nossa legislação de segurança operacional é considerada uma das mais modernas do mundo. Soubemos dessa notícia pela imprensa (suspensão em outros países) e, por enquanto, não temos a intenção de adotar medida semelhante — afirmou Lima, completando que o acidente da BP ajudará a aperfeiçoar a legislação. Radicalmente contrário à exploração do pré-sal, o diretor de campanhas do Greenpeace, Sergio Leitão, frisa que o Brasil vai na contramão dos esforços mundiais para reduzir as emissões de CO2. Para ele, os bilhões que serão investidos no pré-sal deveriam ser aplicados em pesquisas para desenvolver energias alternativas. Na Bolsa de Nova York, as ações da BP fecharam em queda de 1,90% ontem. COLABOROU Bruno Dalvi, com agências internacionais O Globo, 15/07/10