O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Jb news informativo nr. 2173

54 visualizações

Publicada em

.

Publicada em: Arte e fotografia
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Jb news informativo nr. 2173

  1. 1. JB NEWS Filiado à ABIM sob nr. 007/JV Editoria: Ir Jeronimo Borges Academia Catarinense Maçônica de Letras Academia Maçônica de Letras do Brasil – Arcádia de B. Horizonte Loja Templários da Nova Era nr. 91(Florianópolis) - Obreiro Loja Alferes Tiradentes nr. 20 (Florianópolis) - Membro Honorário Loja Harmonia nr. 26 (B. Horizonte) - Membro Honorário Loja Fraternidade Brazileira de Estudos e Pesquisas (J. de Fora) -Correspondente Loja Francisco Xavier Ferreira de Pesquisas Maçônicas (P. Alegre) - Correspondente Homenagem do JB News aos Irmãos leitores de Vitória – SC Saudações, Prezado Irmão! Índice do JB News nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Bloco 1-Almanaque Bloco 2-IrManoel Miguel – O Sonho de Nabucodonosor: O Mistério do Templo Maçônico Bloco 3-IrRicardo Caselli Moni - O Mistério de |Isis Bloco 4-IrJosé Vicente Daniel – Caminhos da Liberdade (do Site O Ponto Dentro do Círculo) Bloco 5-IrFrancisco Alexandre Duarte Neto – A Construção Social do Indivíduo Bloco 6-IrJosé Anselmo Cícero de Sá – Ao Encontro do Melhor Bloco 7-Destaques JB – Breviário Maçônico p/o dia 13 de setembro. Versos do Irmão e Raimundo Corado
  2. 2. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 2/37 Autor: Irmão Rubens Barros de Azevedo (Natal RN) APRESENTAÇÃO DA 2ª EDIÇÃO DO LIVRO – “VIVER MELHOR: É POSSÍVEL?” Nesta edição: Pesquisas – Arquivos e artigos próprios e de colaboradores e da Internet – Blogs - http:pt.wikipedia.org - Imagens: próprias, de colaboradores e www.google.com.br Os artigos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião deste informativo, sendo plena a responsabilidade de seus autores. 1 – ALMANAQUE Hoje é o 257º dia do Calendário Gregoriano do ano de 2016– (Lua Quarto Crescente) Faltam 109 para terminar este ano bissexto Dia Nacional da Cachaça Se o Irmão não deseja receber mais o informativo ou alterou o seu endereço eletrônico, POR FAVOR, comunique-nos pelo mesmo e-mail que recebeu a presente mensagem, para evitar atropelos em nossas remesssas diárias. Obrigado. Colabore conosco para evitar problemas na emissão de nossas mala direta diária. LIVROS
  3. 3. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 3/37 13 de setembro 1276 — Eleito papa João XXI, Pedro Julião (26/5/1277), ou Pedro Hispano, médico e matemático português, entronizado dia 20. 1500 – Expedição marítima de Pedro Álvares Cabral chegou a Calcutá, depois de descobrir o Brasil. 1598 – O rei Filipe III tomou posse do trono de Portugal e Espanha. 1740 — Instalada a primeira loja maçónica em Berlim a Loja-Mãe Três Globos, por Jordan e pelo barão de Bielefeld, maçons, que veio a dar origem à G.L. da Alemanha. 1788 — Nova Iorque foi declarada capital federal pelo Congresso dos E.U.A.. 1791 – A França reunificou-se om o território papal de Avinhão. 1821 — Publicada a bula Eclesium a Jesus Christo do papa Pio VII, onde enumerou todos os que eram contra a religião católica e contra a sociedade, salientando a Maçonaria e a Carbonária, condenando-as pela excomunhão. 1828 — Nasceu no Porto, António Frutuoso Aires de Gouveia Osório, lic. em direito e em teologia por Coimbra, onde foi prof. e depois sacerdote. Bispo do Algarve e de Betsaida, arcebispo da Calcedónia, liberal e político, deputado, pres. da Câmara de Deputados e ministro, o autor do projeto de lei de abolição da pena de morte, aprovada em 1/7/1867, iniciado maçon, membro da Loja Liberdade, de Coimbra, da Conf. Maç. Portuguesa, com o nome simbólico de Eurico (17/12). 1829 — Chegada a Portugal de uma caravana de jesuítas, chefiada pelo padre Delvaux, por ordem de D. Miguel, que se instalaram no Convento Lazarista de Rilhafoles, de novo expulsos em 1834. 1867 — Nasceu em Lavre, Montemor-o-Novo, João de Oliveira Miguens, comerciante, proprietário da Casa do Povo d’Alcântara, ação na organização republicana de Lisboa, fundou a Soc. Promotora de Instrução de Alcântara, iniciado maçon com o nome simbólico de Joubert (7/1/1907). — Celebrado um tratado de amizade entre o G.O.L. e o G.O. de Cuba. 1874 – Nasceu em Viena, Arnold Franz Walter Schönberg, judeu converteu-se ao luteranismo, compositor de música erudita, prof. de música, criador do dodecafonismo, escreveu Harmonia e Exer-cícios Preliminares em Contraponto. A sua primeira composição de relevo, o sexteto de cordas Verklärte Nacht, seguiu-se a ópera Um Sobrevivente de Varsóvia e as suas últimas obras, os três coros do opus 50 Dreimal tausend Jahre , Salmo 130 e Salmo Moderno nº 1. Fascinado pela numero- logia com obsessão pelo número 13,datas de seu nascimento e morte, maçon (13/7/1951) 1877 — O Convent do G.O. de França deliberou sobre a liberdade absoluta de consciência, como um direito de todos os Homens, não excluindo ninguém pela sua raça ou sexo, a partir duma proposta de Frédéric Desmonds, teólogo protestante e futuro G.M., suprimindo a obrigatoriedade da evocação ao Supremo Arquiteto do Universo, desaparecendo as Bíblias dos seus templos. — Morreu em Vale de Lobos, Alexandre Herculano de Carvalho e Araújo, maçon, com tuberculose (28/3/1810). EFEMÉRIDES DO DIA -Ir Daniel Madeira de Castro (Lisboa) (Fonte: Livro das Efemérides - Históricas, Políticas, Maçônicas e Sociais - 2016)
  4. 4. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 4/37 1882 — Faleceu em Sintra, António Rodrigues Sampaio, maçon. A cerimónia maçónica foi feita num templo católico, o que só em 6/10/2004 se viria a voltar a realizar (25/7/1806). 1885 — Nasceu em Carregai de Tabosa, Sernancelhe, Aquilino Gomes Ribeiro, seminarista em Lamego, Viseu e Beja, fixou-se em Lisboa, lutou pela República, revolucionário, perseguido e preso, fugiu para Paris, estudou na Sorbonne. Jornalista, escritor e tradutor. Obras de destaque: Quando os Lobos Uivam, Terras do Demo, Andam Faunos pelos Bosques, A Grande Casa de Romarigães, Malhadinhas e Jardim das Tormentas. Carbonário e iniciado maçon na Loja Montanha, de Lisboa, em França pertenceu à Loja Action do G.O. de França (27/5/1963). – Morreu na Lapa, Lisboa, Francisco Soares Franco, 1º visconde de Soares Franco, maçon (16/12/1810). 1893 — Assinado um tratado de mútuo reconhecimento entre o G.O.L.U. e o G.O. Espanhol. 1896 – Publicados vários desenhos de banda desenhada, sendo “A secret society initiation in Hogan’s Alley” a mais conhecida, devido às múltiplas referências maçónicas, com esta iniciação no deserto. 1898 — Patenteado o primeiro filme fotográfico em celulóide, por Hannibal Winston Goodwin. 1905 — Faleceu em Figueiró dos Vinhos, Francisco Augusto das Neves e Castro, nasceu em 1837 na Pampilhosa, bacharel em direito por Coimbra, juiz na Madeira, S. João da Pesqueira, Benavente, Sintra, Anadia, Coimbra e Açores, pres. da Relação de Lisboa, Porto e Açores, pres. da C. M. do Fundão, maçon, elevado ao 25° Grau do R.E.A.A.. 908 — Fundado o Sport Lisboa e Benfica, resultante da fusão de dois clubes, o Grupo Sport Lisboa, este fundado em 28/2/1904 em Belém, por belenenses e casapianos e o Grupo Sport Lisboa dos irmãos Catatau. 1914 — Incêndio destruiu totalmente em Lisboa o Teatro da República. 1917 — Quinta aparição da Nossa Senhora de Fátima. 1919 — No II Congresso Nacional Operário, em Coimbra Criada a C.G.T. — Confederação Geral dos Trabalhadores. 1922 – A temperatura mais alta da Terra de 58ºC foi registrada em Al Aziziyah, uma área desértica na Líbia. 1923 — Nasceu em Fajã de Baixo, Açores, Natália de Oliveira Correia, poetisa e dramaturga, oposicionista democrata, patriota, deputada pelo P.P.D./P.S.D., polémica, inconveniente e indomável. Sondada pelo G.O.L. para ser iniciada em França e ajudar a fundar a Maçonaria Feminina em Portugal, as diligências foram inconclusivas. Possuidora duma notável biblioteca pessoal doou-a à sua terra natal, onde a sua casa se transformou num centro de tempos livres e das artes. Mulher bela e culta, autora de inúmeros poemas, de amor, destacamos: Dimensão Encontrada, Cântico do País Emerso, O Vinho e a Lira, Poemas e Rebate, O Dilúvio e a Pomba e Sonetos Românticos. Teve em Lisboa um bar na Graça, O Botequim que se transformou num centro de discussão política e cultural, incontornável na época (16/3/1993). – Primo de Rivera encabeçou um golpe de estado na Espanha, iniciando um período ditatorial.
  5. 5. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 5/37 1948 – Margaret Chase Smith foi eleita para o Senado do E.U.A., tornando-se a primeira mulher a servir em ambas as casas do Congresso. 1951 – Morreu em Los Angeles, Arnold Franz Walter Schönberg, neste fatídico dia tentou ludibriar a morte, permanecendo deitado para desespero de sua mulher, que não aceitava aquelas maluquices, de modo a evitar eventuais acidentes, não querendo morrer a dia 13. Poucos antes da meia-noite a sua esposa foi ao quarto dele troçando pois nada havia acontecido, mas ao chegar ao quarto encontrou-o deitado, que a olhou e pronunciou apenas "harmonia" e então morreu, a hora de sua morte foi aos 13 minutos antes da meia-noite, sexta-feira dia 13, no seu 76º ano de vida, e tudo isto consta no Harmonia, com exceção dos zagallismos, maçon austríaco (13/9/1874). 1991 — Inaugurado o último troço da auto-estrada Lisboa-Porto. 2013 – Instalada em Paris a primeira loja de Perfeição mista dos Altos Graus do R.E.A.A. no seio do G.O. de França, chamada L’Humanité Reúnie, depois de aprovada pelo Sup. Conselho. Os Altos Graus do Rito Francês também passaram a admitir lojas mistas, não foi autorizada a filiação de irmãs de outras obediências e exige-se que os seus membros tenham um mínimo de três anos de Mestres 1740 Fundada a Grande Loja Nacional “Os Três Globos” em Berlin, organizada por Frederico, mais tarde conhecido como o Grande. 1821 Fundada a Grande Loja Nacional “Os Três Globos” em Berlin, organizada por Frederico, mais tarde conhecido como o Grande. 1821 Bula Eclesiam, do Papa Pio VII, condenando a Maçonaria 1834 O Grande Oriente Brazileiro, do Passeio, adota oficialmente o Rito Escocês Antigo e Aceito. 1872 Por causa das irregularidades nas eleições, desfaz-se o Grande Oriente Unido. O Visconde de Rio Branco, continua Grão-Mestre no Grande Oriente do Brasil e Saldanha da Marinho , no Grande Oriente dos Benedetinos, ainda como Grande Oriente Unido. 1877 O Grande Oriente de França, republicano e radical, abre ofensiva contra a Igreja. A nova Constituição rejeita a obrigatoriedade da crença em Deus e na imortalidade da alma. O Grande Oriente de França se afasta da Maçonaria tradicional. 1944 Fundação (12/9) da Loja Vitória da Razão nr. 1188, de Itaberaí GO que trabalha no REAA (GOEG/GOB) 1985 Fundaçao da Loja Luz e Saber nr. 2380, de Goiânia, que trabalha no Rito Adnhiramita (GOEG/GOB). Fatos maçônicos do dia Fonte: O Livro dos Dias (Ir João Guilherme) e acervo pessoal
  6. 6. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 6/37 De Irmão para Irmão As publicidades veiculadas nas edições diárias do JB News são cortesia deste informativo, como apoio aos irmãos em suas atividades profissionais. Valorize-os, caro leitor, preferindo o que está sendo anunciado.
  7. 7. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 7/37 Irmão Manoel Miguel é MM da Loja Colunas de São Paulo, 4145 CIM 293-759 - GOB/GOSP – São Paulo Escritor – Palestrante – Coach em Saúde e Estilo de Vida Autor do livro: Viver Mais Com Saúde e Felicidade O Ir Manoel Gabriel escreve às terças-feiras neste espaço. O SONHO DE NABUCODONOSOR: O MISTÉRIO DO TEMPLO SAGRADO Babilônia, o grande império, berço da civilização, mãe das religiões, antigas ou modernas, monoteístas ou politeístas, primeiros degraus da filosofia e dos princípios da Ciência superior. Por aqui passaram e dominaram ou foram dominados muitos povos e suas gerações: Sumérios, Acádios, Elamitas, Babilônios, Caldeus, Arameus, Hititas, Cananeus, Acádios, Persas, etc. Sua história data de 3.700 a.C. As religiões modernas beberam água nessa fonte e seus dogmas estão cheios de vestígios das crenças e dogmas babilônios, como por exemplo, a crença na ressurreição, que é a base do cristianismo. O judaísmo nasceu aqui, na ocasião em que os judeus foram escravizados na Babilônia. A primeira religião monoteísta que se tem registro surgiu na Babilônia, bem como a primeira trindade religiosa: Enlil, Marduk e Anshar. Os primeiros Templos Sagrados, bem como a visão do Cosmo como dois planos: Céu e Terra, como habitação de Enlil ou Jeová. Mas não é esse o objetivo desse artigo. Escrevi essas linhas apenas para enfatizar a importância de Babilônia nos traços da história. Quão poderosos eram seus reis e reinados! Se você fosse um rei, uma autoridade superior, sem ninguém acima de você, e você tivesse um sonho que mexesse com o teu ser interior durante a noite, mas que, de certa forma, você acabou se esquecendo do sonho que sonhara. Ficaria angustiado? Procuraria uma solução, tendo em vista que não se tratava de um sonho comum? Eu ficaria muito incomodado. Pois é. Foi isso que aconteceu com o rei Nabucodonosor, da Babilônia, (o maior império da época – se fosse hoje, Babilônia equivaleria ao poderio dos EUA), por volta de 586 a.C., depois de ter destruído Jerusalém, o Templo de Salomão, e ter levado cativo os judeus. Sua proeza em conquistar um reino pela força, escravizar um povo e destruir o Templo, não passariam impunes. Os homens costumam buscar levar vantagens, tirar proveito de situações, buscar benefícios próprios em detrimento do direito do outro, da paz e da união, achando que isso não tem um preço a ser pago. Mas, por mais que isso pareça algo bom, sempre terá um preço a pagar. Não há necessidade de ser adivinho, cartomante, mago ou profeta para afirmar tal regra. Basta que olhemos o retrovisor da história. 2 –O Sonho de Nabucodonosor: O Mistério do Templo Maçônico - Manoel Miguel
  8. 8. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 8/37 Depois de muito grande, poderoso, tirano e com todo seu orgulho à cabeça, Nabucodonosor teve um sonho muito importante. Esse sonho marcaria a história para sempre, mas, tinha um problema: ele havia se esquecido do sonho. E agora? Como saber o significado de um sonho tão importante? Mandou chamar todos os astrólogos, adivinhos, magos, e os caldeus mais evoluídos de sua época, para uma reunião séria: “Gente, eu tive um sonho essa noite. Um sonho muitíssimo importante, disso eu tenho certeza, pois não era um sonho normal. Preciso que alguém de vós me faça a interpretação desse sonho.” Parecia algo simples, para uma multidão de homens inteligentes, espertos, que costumavam detalhar sonhos, mesmo quando não tinham certeza do que estavam fazendo. Mas, diante da credibilidade que se depositava em suas palavras, tudo que dissessem costumava funcionar como placebo dado ao doente que precisa livrar-se de alguma doença terrível, com a promessa de que aquilo era uma droga nova, muito eficiente no tratamento. Mesmo sendo placebo, o doente costuma sarar. Os índices de eficácia são altíssimos. Assim era com os sonhos interpretados pelos sábios da Babilônia. Costumavam funcionar diante da fé das pessoas. Até os dias de hoje as coisas não são muito diferentes. Todos eles afirmavam “Dizei-nos o sonho, ó rei, e o interpretaremos para vós!” Mas, tinha um pequeno problema: o rei não se lembrava do sonho. Sua necessidade era mais ampla: precisava de alguém que o dissesse o que havia sonhado em detalhes, e, depois, fizesse a interpretação do sonho. O caldo entornou! Ninguém seria capaz de fazer tal proeza, a menos que surgisse alguém que tivesse habilidades de lidar com as vibrações mais refinadas do Plano Superior, alguém para o qual a morte batesse continência. Seria isso possível? O rei já tinha perdido as esperanças e baixado um decreto, para que matassem todos que se dissesse ser adivinhos, astrólogos, cartomantes ou evoluídos. Fico imaginando a angústia daqueles que sabiam que estavam na lista negra de Arioque, o capitão do rei, o anjo da morte, que mataria a todos eles de forma impiedosa, por parte do monarca. Entre os cativos de Israel haviam três homens, Hananias, Misael e Azarias, amigos de Daniel e irmãos de ritual em reverência a Javé, o Supremo Criador do Universo. Eles se reuniam em uma sala fechada, com apenas uma janela voltada para a Jerusalém destruída, e faziam ali um ritual interessante: Daniel presidia os trabalhos. Hananias e Azarias ficavam à direita e à esquerda de um candelabro que iluminava com 7 velas a Tábua das Leis; Misael se ajoelhava diante do candelabro e da Tábua da Lei, no clarão das velas, fazia a leitura dos 10 mandamentos, protegido pelas mãos suspensas dos dois conservos do Altíssimo. Eles percebiam uma egrégora que subia como incenso e pairava sobre eles, no encontro da dispensação do Divino. Aquilo servia de alimento forte. Tão forte que a escravidão era esquecida. Na sessão daquela noite, Daniel teve uma visão oriunda da egrégora formada por eles durante os trabalhos: era o sonho do rei Nabucodonosor. Como aprendemos em Loja que a egrégora formada em nossas sessões pode emanar paz, luz, saúde e prosperidade aos que estão fora do Templo, a visão que Daniel recebera seria a libertação dos homens ameaçados de morte. Depois de toda noite, sempre surge o dia, com o raiar da luz do sol. Daniel se apressara pela manhã e foi falar com o rei, conduzido por Arioque. Arioque entrou antes, e avisou o rei que, um dos escravos trazidos de Israel, estava na sala dos passos perdidos, ansioso para entrar e dar ao rei a solução do seu sonho e de toda a sua perturbação. A alegria do rei foi tão grande que mandara Daniel entrar sem formalidades. O homem pode parecer grande, mas, diante da dimensão de um problema sem solução, fica pequeno como pulga. Daniel entrou e foi direto ao assunto:
  9. 9. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 9/37 “Ó rei, meu senhor, entre o céu e a Terra estão os homens, bons ou maus, grandes ou pequenos. No plano inferior estamos nós, os homens feitos à semelhança do Supremo Arquiteto do Universo, que habita o plano superior; e que nos dá Sabedoria e Força. A Ele seja dada toda honra e glória! Ele muda os tempos e as estações; ele remove os reis e estabelece os reis; ele dá sabedoria aos sábios e conhecimento aos entendidos. Ele revela o profundo e o escondido; conhece o que está em trevas, e com ele mora a Luz. Dou graças ao Grande Criador, porque Ele me deu a visão do teu sonho, bem como a interpretação e seu significado, livrando os homens do reino de morrer pela tua mão, uma vez que ninguém na Terra seria capaz de trazer e desvendar esse mistério, mesmo sendo eu um homem simples e mortal como os demais, fui agraciado como atalaia do Altíssimo. Sonhastes o rei e vistes uma grande estátua, imensa, cujo esplendor era excelente, e estava em pé diante de ti; e sua aparência era terrível. A cabeça daquela estátua era de ouro fino; o seu peito e os braços eram de prata; o seu ventre e as suas coxas de cobre. As pernas eram de ferro; os seus pés em parte de ferro e em parte de barro. Estavas vendo isso, quando uma Pedra foi cortada, sem auxílio de mão, a qual feriu a estátua nos pés de ferro e de barro, e os esmiuçou. Então foi juntamente esmiuçado o ferro, o barro, o bronze, a prata e o ouro, os quais se fizeram como moinha das eiras do estio, e o vento os levou, e não se achou lugar algum para eles; mas a Pedra, que feriu a estátua, se tornou grande monte, e encheu toda a Terra. Esse é o sonho ó rei, e sua interpretação darei a seguir: Tu ó rei, és rei de reis; a quem o Grande Criador no céu e da Terra tem dado o reino, o poder, a força e a glória. E onde quer que habitem os filhos de homens, na tua mão entregou os animais do campo, e as aves do céu, e fez que reinasse sobre todos eles; tu és a cabeça de ouro. E depois de ti se levantará outro reino, inferior ao teu; e um terceiro reino, de bronze, o qual dominará sobre toda a Terra. E o quarto reino será forte como ferro; pois, como o ferro, esmiúça e quebra tudo; como o ferro que quebra todas as coisas. Assim ele esmiuçará e fará em pedaços. E, quanto ao que viste dos pés e dos dedos, em parte de barro de oleiro, e em parte de ferro, isso será um reino dividido, contudo haverá nele alguma coisa forte como o ferro, pois viste o ferro misturado com barro de lodo. E como os dedos dos pés eram em parte de ferro e em parte de barro, assim uma parte do reino será forte e a outra será frágil. Mas, nos dias desses reinos e reis, o Grande Criador levantará um reino que não será jamais destruído; e este reino não passará a outro povo; esmiuçará todos esses reinos, mas ele mesmo subsistirá para sempre...” A conversa avança, o rei se agrada da sabedoria de Daniel, que é condecorado e promovido, passando a ser livre no reino. O rei entendeu que seu reino seria superado, como o foi pela Pérsia anos mais tarde, e depois pela Macedônia, e mais tarde pelo Império Romano, etc. A mensagem de Daniel serviu muito para o rei e para muitos nos dias de hoje. Mas ela tinha um outro significado mais puro, embutido em seu conteúdo. Daniel não a manifestou para o rei Nabucodonosor, pois isso não seria relevante a ele; apenas conferiu com seus amigos e irmãos: Hananias, Misael e Azarias. Para eles, o significado do sonho era outro: Na verdade, a estátua vista pelo rei Nabucodonosor era a imagem do Templo de Salomão, derrubado pelo rei de Babilônia, mas que o incomodava em sua mente, formando um inferno em sua consciência, como acontece com o homem que tira a vida de um outro homem e perde a paz para sempre.
  10. 10. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 10/37 A cabeça de ouro, simbolizava o Santo dos Santos, a parte mais pura e sagrada do Templo, bem como o Tabernáculo. A parte de prata se refere aos ombros, o tronco, coração e os braços; já a parte de bronze está ligada às Colunas B e J do pórtico, o Mar de Bronze, o Altar dos Sacrifícios, etc. A parte de ferro e barro, à infraestrutura. Esse Templo foi destruído, assim como nosso templo físico um dia o será. Levantaram outro Templo a partir de 520 a.C., mas sua glória não teve o mesmo brilho. Os templos são diferentes uns dos outros. Mas, naqueles dias, mais precisamente no domínio romano, uma Pedra se levantou e substituiu a necessidade de um Templo material, ensinando o homem a descobrir o Templo interior, o qual não pode ser destruído pelo tirano, pelo impostor, bastando ao homem, conhecer a si mesmo, administrar seus desejos, seus medos, seus vícios, elevando as virtudes, que podem transportar o homem, do plano inferior para o plano Superior, do plano físico para o plano Espiritual. Os homens não compreenderam bem a mensagem dessa Pedra Filosofal, a Pedra da transmutação do barro e do ferro em ouro puro para a Vida Eterna, a Pedra Angular, a Pedra Rejeitada, o Cristo. Como sempre acontece com os Templos, outro rei poderoso se levantou e destruiu o templo físico de Jesus, mesmo depois de em um sonho Pilatos ter sofrido muito, antes de agir em sua transgressão. Mas Jesus mesmo sabia que essas coisas aconteceriam com Ele, pois já afirmava em seus sermões: “Derribareis esse Templo e em três dias eu o edifico. ” Eles não entendiam sua fala e até riam, achando que Ele estivesse delirando. Como poderia um homem edificar um Templo em três dias, sendo que Salomão levou sete anos para construir o primeiro Templo? Mas Jesus falava do Templo físico do homem. Bastou que Ele terminasse sua missão, para que os homens voltassem ao modelo arcaico de construir templos e dogmas, entre diferenças, intolerâncias religiosas e alienações, que resultaram nas maiores guerras sangrentas, derramamento de sangue, cruzadas, inquisição, holocausto, etc. Apesar disso, a mensagem do Cristo, a Pedra vista no sonho do rei Nabucodonosor, está escancarada no mundo como um Monte mais alto que o Aconcágua e o Everest juntos, como testemunha de que uma grande oportunidade foi dada à humanidade: Amar o Ente Supremo acima de todas as coisas, e o nosso semelhante como a nós mesmos. Essa mensagem universal foi pregada por muitos iniciados, e está na essência da pura Maçonaria. Cabe a cada um de nós enxergá-la por conta própria e edificar o Templo individual, pessoal e intransferível, sendo a cabeça, de ouro (morada da mente e da consciência); o tronco e braços (coração - sentimentos – suprimento de sangue, vida, nutrientes), em prata; pés e pernas (atitudes – sustentação – movimento), em bronze. Essa noção do real objetivo de ser Maçom, bem como do significado da Maçonaria, parece estar em decadência. Talvez tenhamos perdido o significado puro dos mistérios de nossa Fraternidade, associado isso à tendência materialista, não-metafísica do mundo moderno. Parece que estamos caminhando para a transformação da Maçonaria em sociedade aberta, filantrópica, mais parecida com um clube social formado por homens. Talvez seja esse o motivo da grande evasão e rotatividade de nossos irmãos, bem como o empobrecimento do nível e qualificação dos iniciados. Autor: Manoel Miguel – ARLS Colunas de São Paulo 4145 – GOSP/GOB. Or∴ de São Paulo. Autor do livro Viver Mais Com Saúde e Felicidade – E-mail: manoelmiguel@msn.com – Cel. /WhatsApp: 19 98401-0686. Bibliografia: Bíblia Sagrada – Daniel 2: 1-35. Babylon: A history of Babylonian & Assyria II, de Leonard W. King, 1915.
  11. 11. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 11/37 Ricardo Caselli Moni ------------------------------- TRGA - Técnico Responsável pela Gestão Ambiental das Bases da Bacia de Campos com CNPJ de Imbetiba e Imboassica Petrobras/ Serviços Compartilhado Gerencia de Segurança, Meio Ambiente e Saude da Regional Bacia de Campos Gerente de Meio Ambiente Tel: 22-2753-0445 E-mail : moni@petrobras.com.br SCOTLAND – HOUSE OF FREEMASONRY INFORME MASONIC LECTURE - PRAESTO UT PRAESTEM- In Memmoriam Bro.William Preston THREE UNICORNS - I undertake that I may perform Ricardo Caselli Moni MISTÉRIOS DE ISIS – THE LIFE OF SETHOS << O livro secreto dos Iluminati >> 3 –O Mistério de Isis Ricardo Caselli Moni
  12. 12. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 12/37 1.INTRODUÇÃO . DISCURSO DE UM ALTO SACERDOTE DURANTE AS PROVAS DE INICIAÇÃO . Após a passagem por algumas provas , que levavam meses para serem realizadas,e pelo portal nos subterrâneos da cidade de Mênfis ou ( Mn. nfr = o bom porto ) também conhecida pela a cidade do muro branco , o candidato , ou melhor o iniciando, passava por inúmeras provas que não somente as 4 ( quatro ) conhecidas da Alquimia , cujo termo designa também Egipto.( Al Khemet) .Isso advém de hoje trabalho num livro datado de 1731 - época anterior a decifração dos hieróglifos por JF Champollion -1822 - para melhor entender os processo inciáticos da ordem . Este livro era de cabeceira de todo MAÇOM ILUMINATI DOS SÉCULO XVIII na Europa ( Ritos de Mizraim e Menfis ). Futuramente pretenderemos discorrer sobre este livro que entendo ser fundamental para conhecer o âmago da maçonaria . Apresento então uma pequena parte que me chamou atenção e transcrevo os dizeres do Portal , no interior de um subterrâneo. Acredito que por estudar Egiptologia durante muitas décadas que o local descrito pelo autor do referido livro das provas iniciáticas seja o Serapeum . Os mistérios apresentados eram de Isis ( ou Âset em egípcio antigo = a deusa do trono ) mas o local é ligado ao deus Ápis ( Serápis ) . Notarem que estas inscrições – do portal - lembram-nos de algo. O livro é um original de 1732 e trata de manuscritos gregos encontrados em Alexandria no século I D.C que provém do tempo do Faraó Ptolomeu Filadelfo , século III AC , e que narra a passagem da vida de um príncipe denominado de SETHOS possuidor de virtude que viveu no tempo do reinado de Osoroth ( Osorkon I ) , 900 AC sendo este filho do famoso Sisak ( Sesonquis I ) conquistador da palestina e da pilhagem do 1º TEMPLO DE SALOMÃO ! : Fig 1 . Cartucho de Osorkon II - para Osorkon Iº : Altera somente o segundo cartucho que é : "Poderosa é a manifestação de Rá. O eleito de Rá." - acima esquerda Cartuche, Fig 2 . Sheshonq I (945-924 a.C.) - 22.ª dinastia 2. INICIAÇÃO : " Aquele que atravessar esta passagem ( portal ) só e sem olhar para trás , será purificado pelo fogo , pela água e pelo Ar e se puder conquistar o medo sobre a morte , ele retornará do interior da terra , verá a luz novamente , e deverá ser intitulado recebedor do privilégio de preparar sua mente para a revelação dos mistérios da grande deusa Isis" . Então após isso , o inicando , passar por este portal , os subterrâneos e as provas do fogo e da água ( e beber dela como das fontes da amargura e da felicidade ! ) fazia uma pausa durante as provas e recebia ensinamentos dos sacerdotes e realizava mais provas durante semanas . Um dos discursos sobre os procedimentos da iniciação dos mistérios de Isis era dado pelo Alto Sacerdote de detinha grande habilidade , e experiência , em toda a classe ( rank ) das sagradas literaturas , Era um homem superior em gênio e de elequência e era ele que empregava os 12 últimos discursos no começo do ultimo mês . Recordamos que a iniciação durava meses. O tema geral escolhido era GENIO DE UM VERDADEIRO INICIADO .
  13. 13. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 13/37 Fig 3 . Templo de Isis . Isis usando a coroa de Hathor << Hathórica >> . Um iniciado ,dizia, é um novo homem ao qual o amor, a virtude e seu dever tomam lugar a todas as paixões que antes motivavam suas ações. Em cada injunção, o que ele fará será a infabilidade visível na qual ele DEVE fazer - o dever. A vida conta para ele. Isto não é nenhum exemplo , nem oportunidade, nem uma paixão transitória que o engaja a expô-la. Estas circunstâncias são necessárias para um homem de paixão , mas para um homem de princípios tais como um iniciado , segura , como isso fosse sua vida em suas mãos e se ele não pode suportá-la é porque sendo seu dever ainda não foi adquirido . A glória é geralmente inseparável daquelas eminentes virtudes as quais nós vemos praticados pelos iniciados, mas esta nem o motiva e nem o dirige. É pré-requisito preservar a idéia e o nome da glória entre os homens , especialmente com respeito pelos quais sendo nascidos ( high born ) são raramente animados por outros interesses sensíveis . Mas em geral a glória entre os homens , é uma demonstração somente de fraqueza e para os novatos . O que motiva um iniciado é a voz do dever e sua meta é a descarga desta energia. Daqui vemos que muitos de nossos iniciados possuem melhores serviços prestados na obscuridade para seu príncipe ,ou seu pais, do que ele se distinguir em brilhantes dignidades . A ambição possui muitos candidatos a submeterem-se as tentações do corpo, mas as provas da mente são erradicadas daquelas ambições. Em qualquer rank um iniciado acha-se por si só colocado, ou por nascimento ou por fortuna , ele acredita em si mesmo para estabelecer para um outro fim , para os benefícios de seu pais, e até se possível, para toda a raça humana . Então consequentemente este homem não sendo portador de qualquer desejo ou medo, é naturalmente levado a tudo o que deseja , e todos os medos daquele que lhe faz feliz , como seu mestre , ou para servir como cidadão . Nesta ocasião ele alegou muitas grandes coisas, nas quais os primeiros heróis do Egipto * , que instituíram a adoração dos deuses e a iniciação feita para o mundo A segurança , a felicidade e a gloria na qual eles tinham procurado primeiramente para o Egipto.Mas acrescenta o seu magnânimo valor não sendo confirmado dentro dos limites estreitos , eles carregaram suas artes para as nações inculturadas como sendo suas terras. Eles purgaram o pais de ladrões e o medo dos piratas, ou eles transformaram num povo civilizado pelas leis sujeitas a eles , pelas virtudes das quais foram exemplos .Isto para eles resumindo o mundo deve as formas que nós mesmos vemos nele . Ele apos mencionado o nome dos mais famosos iniciados nas respectivas eras,e relatou aquelas passagens de suas vidas em que foram afetas pela singularidade de incidentes como a generosidade de suas ações. Ele finalizou em relação a estas maravilhas dizendo que a alma de um iniciado, a alma tão corajosa e sublime, era confusa ,gentil e indulgente . Este homem quase centra na virtude, permanece, e alegra-se nas ultimas pessoas deles que aparecem aos outros. Ele as coloca acima. Ele pode não saber a sinceridade de suas intenções, mas ele não erra em seus próprios pensamentos e sua visão. Ele percebe que é incapaz de conter uma injustiça ou um crime,, mas se reconhece pelas as fragilidades de sua natureza.. Em caminhos sobre sua própria guarda contra os seus erros está sempre pronto para reconhecê-los. Ele, em resumo , é um homem sem defeitos que está sempre estudando melhorara si próprio , e um homem perfeito que está sempre fazendo-se mais perfeito . * No caso transcrevo Egipto pela sua raiz =. het ká pta - > Aeguptos-> Egipto . 3. HISTORIA DE OSORKON I
  14. 14. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 14/37 Fig 4 Busto de Osorkon I O seu nome também aparece escrito como: Sejemjeperra-Osorkon. Foi o segundo faraó da XXII dinastia egípcia. S egundo alguns egiptólogos governou de 924 a.C. a 889 a.C. Segundo Maneton ( sacerdote do Periodo Ptolemáico que escreveu a Historia do Egito ) chama-lhe simplesmente Osorton . Nasceu em 950 a.C. O seu nome também aparece escrito como: Sejemjeperra-Osorkon. Segundo as versões de Sexto Júlio Africano, Eusébio de Cesáreia e Jorge Sincelo, o reinado de Osorkom I durou bastante tempo, mais de 15 anos, o que para a época era muito. Foi filho de Sesonquis I da sua principal esposa Karoma ou Karomat. Sucedeu seu pai no trono que provavelmente terá morrido, segundo alguns historiadores, depois das suas vitoriosas campanhas militares contra os reinos de Israel e Judá. Casou-se com Maat Ka-Re ou Maatkara, filha de Psusennes II, casando, ainda mais tarde com Tashedjonsu. Foi pai de quatro filhos: Iulot e Esmendes III. Ambos foram Sumo sacerdote de Amon, na antiga cidade de Tebas. Outro filho Chechonk II, foi desde cedo associado ao trono como co-regente do reino. Este filho no entanto nunca terá sido Faraó, uma vez que faleceu alguns meses antes de seu pai que foi sucedido no trono pelo 4º filho Takelot I, mantêm a ordem no reino deixado por seu pai fazendo acordos com o clero de Amon na cidade de Tebas que sempre teve dificuldade em aceitar esta dinastia que considerava serem estrangeiros. Estabeleceu a sua residência em El-Lahun e procurou contribuir para os templos, particularmente doando ouro para engalanar os templos da cidade de Heliópolis. O seu reinado foi um dos mais longos, próspero e pacifico de sempre na história do Egipto. As informações que chegaram aos nossos dias foram-nos transmitidas pelas inscrições hieróglifos gravadas nos muros dos numerosos templos e outros edifícios que mandou construir. Ricardo Caselli Moni
  15. 15. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 15/37 Caminhos da Liberdade Publicado pelo IrLuiz Marcelo Viegas (https://opontodentrodocirculo.wordpress.com) Autor: IrJosé Vicente Daniel Loja Theodórica, 154 – Pequeri - MG A Maçonaria nos tem ensinado que a liberdade é a melhor forma de se estar em paz com a consciência. Não importa o “status” social da pessoa, ou sua condição financeira, ou ainda, a sua ideologia político/partidária. Ensina-nos que a “liberdade” gera o equilíbrio emocional e a mais completa paz de espírito, que permite serem coordenados nossos atos e ações, isentos de sectarismo, de vício e de paixões. Porém, alerta-nos as grandes dificuldades em sermos livres. Infunde, em nós, a necessidade de um constante policiamento, uma pertinaz perseverança, uma luta permanente contra tudo aquilo que possa nos tornar escravos de algum poder, de alguma ideologia, de qualquer princípio que não seja compatível com a nossa própria vontade. Mostra-nos um caminho reto, sem obstáculos; livre de preconceitos, para que possamos viver em harmonia. Vê-se, desta forma, o quão difícil é ser livre. Quantos envolvimentos terão de ser descartados para que se possa viver livremente. Quantos desafios devem ser superados. Quantos problemas enfrentados terão de ser vencidos com coragem, com audácia e com sabedoria. Tudo, no entanto, nos leva a compreender que ser livre não é fazer o que bem se entende. Não é praticar todos os atos que vêm à nossa cabeça, inconsequentemente. Não é viver uma vida alheia ao que acontece à nossa volta, esquecendo-nos de nossos Irmãos, nossos familiares e nossos semelhantes. Para o Homem ser livre é necessário que tenha disciplina, que se ajuste às circunstâncias do meio em que vive, sem que, com isto, tenha de se subjugar, indistintamente, à vontade de outras pessoas. É preciso que saiba respeitar as diferenças entre os homens e usar de todos os meios para que não sejam cometidos melindres e desprezo às susceptibilidades de outrem. Ser livre é ter consciência dos deveres e das obrigações. Ser livre é assumir compromissos e estar comprometido com a verdade, embora ela possa nos doer de forma intensa. 4– Caminhos da Liberdade - (do site O Ponto Dentro do Círculo) José Vicente Daniel
  16. 16. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 16/37 Ser livre é estar em sintonia com os objetivos e com os ideais que visem o bem comum e o sentimento de solidariedade, de disponibilidade e de responsabilidade. Pode-se dizer, também, que ser livre é ouvir a voz da consciência, é não se deixar levar pela força do egoísmo e do orgulho, e não se deixar contaminar pela prepotência e nem pela ignorância, vivendo fraternalmente e cuidando para que haja harmonia e respeito entre todos. Sabe-se, ainda, que a liberdade mantém laços muito estreitos à sabedoria. Que os sábios, já, desde as épocas mais distantes, nunca se preocuparam em escravizar os analfabetos e nem ser escravos dos cultos ou dos mais letrados. Eles mantêm-se incólumes aos sistemas e às normas que sejam contrárias às virtudes e o bem. O Cristão não pode escravizar-se ou ser escravizado pela ideologia de uma religião que tolhe a sua liberdade, e que o subjugue a doutrinas sociológicas que podem resultar em “lavagem cerebral”. Todavia, os ideais religiosos, a doutrina equilibrada, calcada na verdade, os dogmas que oferecem a sustentação, básica e definitiva, de sua crença, terão de ser seguidos, respeitados, cultuados e difundidos no exercício desta mesma crença Por todas estas razões (ou argumentos), é que se diz que o verdadeiro Maçom não pode ser um ateu irreligioso e nem um ignorante fanatizado. É por isto que a Maçonaria, com muita firmeza e muita coerência, combate o fanatismo, a ignorância, a intolerância e a deslealdade. Combate os vícios e os preconceitos, com todas as forças, com todas as armas e argumentos disponíveis em seus princípios e filosofia, sem trégua e sem esmorecimento. Embora não estejamos criando nenhuma cartilha de como ser verdadeiramente livre, temos por princípio e por convicção, que ser livre é saber respeitar os ensinamentos contidos no Livro da Lei; é saber manter acesa a LUZ recebida na Iniciação Maçônica; é não temer as consequências de defesa da verdade; é ser cristão convicto, mas sem fanatismo, seguindo os preceitos de sua Igreja; é respeitar e obedecer as leis, quando justas e não unilaterais; é manter o solene juramento presado sobre a Bíblia Sagrada; é ser compreensivo, tolerante e ponderado dentro dos princípios da justiça e da retidão, da bondade e da benevolência. Sabemos que a Maçonaria não é uma escola professoral. Sabemos, igualmente que ela não nos impõe nenhuma verdade que não esteja embasada em seus princípios régios e integrados à essência de sua filosofia. Ela espera que cumpramos nossos deveres e obrigações, que busquemos os conhecimentos básicos de sua ideologia, que respeitemos seus landmarks e que nunca nos afastemos da justiça, da verdade, da lógica, do juízo e da razão. Pega para nós, a Igualdade, a Liberdade e a Fraternidade, tríade sustentáculo de sua razão de ser. Viver livre é andar, permanentemente, por uma longa estrada, procurando direcionar os passos sob a luz das virtudes, longe dos vícios, buscando atingir os ideais e os objetivos ditados pela consciência, assentados na fortaleza dos pilares da verdade. Talvez sejam estes os verdadeiros “Caminhos da Verdade”. “A libertação espiritual acontece quando renovamos os objetivos da vida, direcionando-os ao bem comum. É preciso muita paciência para construir o edifício da resignação”. (Dr. Libórni Siqueira) Autor: José Vicente Daniel Loja Theodórica, 154 – Oriente de Pequeri/MG
  17. 17. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 17/37 Irmão Francisco Alexandre Duarte Neto Loja Acácia Riosulense nr. 95 (GLSC) Rio do Sul - SC A CONSTRUÇÃO SOCIAL DO INDIVÍDUO AUTOR Ir∴ Francisco Alexandre Duarte Neto Orientador: Ir∴ Dalton E. Medeiros A Construção Social do Indivíduo “O eu é um objeto constituído como uma cebola; poderíamos descascá-lo e encontraríamos as identificações sucessivas que o constituíram” (LACAN) “A sociedade define o homem, mas agora chegou o momento de entender que o homem também define a sociedade” (BERGER) A nossa formação como indivíduos sociais é algo que acontece sem que reflitamos sobre todos os aspectos envolvidos. Ela se dá a partir da nossa socialização como indivíduos pela família, pela escola e por todas as instituições agregativas, que ao longo da nossa vida permitem que acumulemos experiências que servem para interpretarmos o mundo, resolver problemas e nos relacionarmos com os outros. A socialização é entendida como o processo pelo qual um ser humano desenvolve suas maneiras de estar no mundo e de relacionar-se com as pessoas e com o meio que o cerca, tornando-se um ser social. A socialização é um processo de construção de identidade, ou seja, de pertencimento e de relação. Socializar-se é assumir seu pertencimento a grupos, assumir pessoalmente suas atitudes, a ponto de elas guiarem amplamente sua conduta sem que a própria pessoa se dê conta disso. Trata-se de um processo dinâmico, em que se verifica a construção, 5 – A Construção Social do Indivíduo Francisco Alexandre Duarte Neto
  18. 18. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 18/37 desconstrução e reconstrução de identidades dos indivíduos, em função da sua trajetória de vida e da configuração social de cada momento de sua vida. A identidade de uma pessoa não é dada no nascimento, ela é construída na infância e, a partir de então, deve ser reconstruída no decorrer da vida. O indivíduo jamais a constrói sozinho, ele depende tanto dos juízos dos outros quanto de suas próprias orientações e auto definições, ou seja, a identidade é produto de sucessivas socializações. Desta forma a realidade seria construída por processos nunca encerrados de socialização, denominados de socialização primária, secundária e re-socialização. A socialização primária seria o primeiro processo de interiorização do mundo exterior; ocorreria na infância no primeiro grupo social ao qual o sujeito pertence, a família. A apropriação subjetiva dos valores, dos sentidos, dos símbolos e ritos inseridos na cultura seria mediada pelas pessoas consideradas significativas (pais, parentes próximos) para a criança, em situações saturadas de emoção, estabelecendo-se a base de toda a socialização posterior. Pela interiorização e interpretação dos acontecimentos propiciados por estas pessoas, o sujeito absorveria seus papéis e atitudes interiorizando-os e transformando-os em seus, perceberia o mundo vivido por sua família como seu próprio mundo, considerado o único mundo existente e concebível. O individuo completaria a sua socialização primária, absorvendo regras, valores, normas e exigências sociais que são fixadas na consciência. O sujeito literalmente assumiria o mundo vivido pelos outros o compreendendo como uma realidade social dotada de sentido. Na socialização secundária (realizada pelos grupos, organizações e instituições) seriam adquiridas novas compreensões tácitas, códigos, símbolos, conhecimentos e linguagens das funções específicas. Seriam assimiladas novas realidades parciais, de caráter mais artificial, que não pressupõem alto grau de identificação por não serem carregadas de emoção e da presença de outros significativos. Nessa fase seriam interiorizados os submundos institucionais e adquiridos os saberes específicos relacionados ao mundo do trabalho, bem como, é quando se toma consciência da sociedade e dos diferentes grupos existentes nela. Essas novas realidades também seriam caracterizadas por componentes normativos e por aspectos cognitivos e afetivos, podendo entrar em confronto com a interpretação de mundo adquirida na socialização primária. Comparada com a realidade da infância, todas as outras seriam artificiais ou efêmeras, necessitando de manobras
  19. 19. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 19/37 para serem internalizadas. Assim, podem ocorrer crises diante do reconhecimento de que o mundo apreendido na socialização primária não é o único mundo existente. Todavia pelo fato de os processos de socialização secundária não exigirem um alto grau de identificação e seu conteúdo não ser considerado inevitável, seria possível a aprendizagem racional e emocionalmente controlada, permitindo ao sujeito identificar-se com realidades aparentemente contraditórias, onde o presente deveria ser interpretado pelo sujeito para manter sua relação com o passado. A re-socialização compreenderia a fase na qual o passado seria reinterpretado para se harmonizar com a realidade presente, a ponto de transformar a realidade do indivíduo. Para ser possível a ruptura em relação à socialização primária seriam necessários ‘choques biográficos’ que desencadeariam um processo de transformação do mundo. Sofremos influência de muitos elementos, em primeiro plano está a família e os processos de socialização primária, que formarão o caráter do individuo e a sua visão de mundo. Na socialização secundária o indivíduo é integrado à sociedade, sendo regulado também pelas suas interações com os diversos grupos e instituições aos quais mantém contato. A socialização enfatiza uma característica essencial da formação dos indivíduos: ela constitui a incorporação das maneiras de ser (de sentir, de pensar e de agir) de um grupo, de sua visão de mundo e de sua relação com o futuro, de suas posturas corporais e de suas crenças íntimas. Quer se trate de seu grupo de origem, no seio do qual transcorreu sua primeira infância e ao qual pertence objetivamente, quer se trate de outro grupo, no qual quer se integrar e ao qual se refere subjetivamente, o individuo se socializa interiorizando valores, normas e disposições que fazem dele um ser socialmente identificável. Portanto torna-se muito difícil separar o que é nosso como indivíduo daquilo que absorvemos consciente ou inconscientemente do coletivo neste processo de socialização. Muito do que acreditamos ser elaboração própria, nossa, enquanto indivíduo é resultado deste processo, mesmo que dele não nos demos conta com muita nitidez. A construção de um aparelho de socialização secundária eficaz se torna um elemento fundamental de êxito no processo de transformação social. A dramática instabilidade de nosso sistema de valores, do mundo e da sociedade altamente globalizada, o dilema da necessidade premente de ter, vencer e ultrapassar os limites do humano leva o indivíduo para a absurda violência, a vulgarização das drogas, do álcool, sexo e outros fatores, banalizam a vida e alteram as regras básicas de convivência social.
  20. 20. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 20/37 A desestruturação vivida em nosso tempo demonstra que as tradições que tornam possíveis a sociedade, já não possuem a fidelidade dos valores básicos que representam a honestidade, a reciprocidade e as responsabilidades com os demais. A sociedade passa por uma crise de valores e por um processo de desencantamento, a incerteza quanto ao futuro domina todas as tentativas de reconstrução de novos padrões sociais, os de ontem já não convêm e os de amanhã ainda não estão estabelecidos. Precisamos reestruturar os processos pelos quais nossas crianças e nossos jovens aprendem os valores e os comportamentos sociais, porque ira chegar um determinado tempo, que a sociedade não mais saberá diferenciar, o que será útil e fundamental para ser transmitido às gerações futuras. Para que isso ocorra, instituições como a Maçonaria, terão que dar sua parcela de contribuição. Somente educação e instituições pautadas em sólidos valores altruístas, poderão fazer surgir uma nova ética social que seja capaz de conciliar direitos individuais com responsabilidades interpessoais e coletivas. A construção de uma sociedade mais solidária e humanitária requer indivíduos que tenham auto conhecimento e domínio dos seus atos e responsabilidades, permitindo a busca por condutas tidas como certas e socialmente aprovadas. Este é nosso desafio! DUBAR, C. A socialização: construção das identidades sociais e profissionais. São Paulo: Martins Fontes, 2005. BERGER, P. L.; LUCKMANN, T. A construção social da realidade: tratado de sociologia do conhecimento. 32. ed. Petrópolis: Vozes, 2010. MEAD, G. H. Espiritu, persona y sociedad: desde el punto de vista del condutismo social. Barcelona: Paidos, 1982.
  21. 21. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 21/37 Irmão José Anselmo Cícero de Sá (33º. REAA) MI da Loja Estrela da Distinção Maçônica Brasil nr. 953 (GOB/GOERJ) Academia de Artes, Ciências e Letras do Estado do Rio de Janeiro Cadeira nr. 29 - Patrono: Quintino Bocaiuva – De seu livro: Tempo de Estudo Maçônico - Volume 4. AO ENCONTRO DO “MELHOR” “Pedi e se vos dará, buscai e achareis, batei à porta se vos abrirá”; Porque todo aquele que pede recebe; quem procura acha, e se abrirá àquele que bate à porta “... mas Deus lhe deu, a mais do que ao animal, o desejo incessante do melhor, e é este desejo do melhor que o impele à procura dos meios de melhorar sua posição” (Mateus, Cap.XXV - ESE.) SÓCRATES, filósofo grego (470–399 a.C.), nos legou a seguinte mensagem: “Ninguém que saiba ou acredite que haja coisas melhores do que as que fazem, ou que estão ao seu alcance continua a fazê-las, quando conhece a possibilidade de outras coisas melhores”. Quando o ser humano age erroneamente, é porque opta pelo que lhe “pareça o melhor”, conforme a sua óptica, isto porque o seu comportamento está alicerçado em sua própria maneira de perceber a vida. A compreensão do “melhor” depende do desenvolvimento do raciocínio lógico de cada um para cada situação, e se manifesta na criatura através de uma seqüência progressiva, onde se leva em conta a maturidade espiritual adquirida em experiências evolutivas através dos tempos. Todos nós acumulamos informações, instruções, noções em muitos aspectos através das nossas vidas. A princípio passamos a vivenciá-los superficialmente, porém, aos poucos, vamos analisando-os entre processo de reelaboração, para depois passar a integrá-los em definitivo em nós mesmos, isto é, incorporá-los completamente. 6 – Ao Encontro do Melhor José Anselmo Cícero de Sá
  22. 22. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 22/37 Em “praticar o nosso melhor’ está contido o quanto de amadurecimento conseguimos recolher nas experiências da vida e também como usamos e inter- relacionamos essas mesmas experiências quando deparamos com fatos e situações no decorrer dos nossos caminhos. Sempre optamos de acordo com a nossa “gradação evolutiva”, isto porque, somos agora o que de “melhor” poderíamos ser, já que estamos fazendo conforme nossas possibilidades de interpretação, junto aos outros e perante a vida. Podemos dizer que será considerado o “nosso melhor’ o que sentimos em profundidade ou experimentando vivenciando e não o que lemos, escutamos o que nos ensinam, ou mesmo o que os outros tentam nos mostrar, isto porque, estar na “cabeça” não é o mesmo que estar na “alma inteira”. Há ocasiões em que julgamos um ato praticado por uma pessoa como sendo negativo, todavia para entendermos o que motivou a agir daquela forma e o porquê do seu padrão comportamental, mister se faz atingirmos o âmago desta pessoa e observarmos, dentre outras coisas, como ela foi educada, quais foram os valores que recebeu na infância, e o meio social em que cresceu. É evidente que o nosso “melhor” de hoje possa vir a sofrer profundas alterações amanhã, isto porque a própria evolução é um processo que nos incita sempre ao “melhor”, pois é propósito do Universo nos fazer progredir cada vez mais para nos aproximar da sabedoria plena. A natureza humana tende sempre a compensar as suas faltas e insuficiências. Cientificamente consta que todo organismo está buscando se atualizar, ou suprir, pois quando gasta energia a necessidade de recompor esta carência energética, expressando-se em algumas ocasiões com as sensações de fome e de sede. Podemos observar que esta força que busca nos melhorar, ou mesmo nos contrabalancear, é como se fosse uma “alavanca poderosa” que tende sempre a nos atualizar, mantendo-nos no melhor equilíbrio possível. Assim quando, por exemplo, um pulmão deixa de funcionar, o outro pulmão faz a função de ambos, podendo isto também pode ocorrer com o nosso rim. Em outros casos, essa força interna tenta reparar os deficientes visuais e auditivos, compensando-os com maior percepção, sensibilidade e tato. Por outro lado, estruturas ósseas fraturadas se recompõem e se solidificam mais fortemente no local exato onde houve a lesão. Por outro lado, observamos que o nosso sistema imunológico, que é essa mesma força de ação, exerce grande influência sobre o organismo para mantê-lo no seu melhor desempenho, conservando a própria subsistência orgânica através de
  23. 23. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 23/37 mecanismos de autodefesa, com que elimina todos e quaisquer elementos estranhos que possam vir comprometê-lo. Também sob o aspecto psicológico, esse fenômeno ocorre para que todos nós possamos nos ajustar diante da vida, de acordo com o nosso “melhor”. Ninguém consegue agir de modo diferente do que assimilou como certo ou favorável, porque todo o nosso propósito é fundamentalmente bom com o nosso “melhor”. A intenção dos seres humanos se baseia no conjunto de bens morais e intelectuais de capacidades e habilidades próprias, porém os meios de execução pelos quais eles atuam são sempre questionáveis, pois outros indivíduos, nas mesmas situações, tomaram medidas diferentes, baseadas no seu “estágio evolutivo”. Ainda discorrendo sobre esta questão, é imprescindível dizer que, quanto está fazendo o nosso “melhor”, agimos de acordo com o que sabemos neste exato momento e, dessa forma, a “Providência Divina” estará nos protegendo. Todavia, quando propositadamente não correspondemos com atos e atitudes ao nosso grau de justiça e conhecimento, passamos a não mais receber “condescendência espiritual” visto que transgredimos os limites das leis naturais que nos amparam e sustentam. O Apóstolo PEDRO escreveu que: “Deus julga a cada um de acordo com suas obras”. Tal frase pode ser interpretada como a certeza de sermos avaliados pelo “Poder Divino” segundo nossa capacidade de escolha, isto é, levando-se em conta nosso conjunto de funções mentais e espirituais, bem como nossa aptidão racional de fazer, de decidir, analisar e tomar direções. As nossas “obras” as quais são enunciadas pelo Apostolo Pedro no texto Evangélico, não são edifícios de alvenaria, perecíveis e passageiros, mas sim as nossas construções íntimas – o “maior potencial” que já conquistamos ou conseguimos atingir, em todos os sentidos da nossa vida. Isto equivale a dizer que encontraremos no nosso “MELHOR” sempre o ponto chave na apreciação e no cálculo da “Contabilidade Divina”, ao registrar se “obteremos o que pedimos” ,”se acharemos o que buscamos” e se “as portas se abrirão ou se fecharão para nós” . =================================================================================
  24. 24. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 24/37 (as letras em vermelho significam que a Loja completou ou está completando aniversário) GLSC - http://www.mrglsc.org.br GOSC https://www.gosc.org.br Data Nome da Loja Oriente 01.09.1952 Fraternidade Blumenauense nr. 06 Blumenau 05.09.1996 Fraternidade Chapecó nr. 63 Chapecó 08.09.1982 Sentinela do Sul nr. 29 Tubarão 17.09.1986 Universo nr. 43 Florianópolis 17.09.1993 Universo II – nr. 57 Florianópolis 17.09.2000 Universo III nr. 77 Florianópolis 20.09.1991 Acácia da Arte Real nr. 50 Florianópolis 22.09.1982 Fraternidade Josefense nr. 30 São José 25.09.1978 Harmonia e Fraternidade nr. 22 Joinville 27.09.2000 Colunas da Fraternidade nr. 78 Blumenau Data Nome da Loja Oriente 03/09/1993 Treue Freundschaft Florianópolis 09/09/1969 Liberdade E Justiça Canoinhas 09/09/1991 Cavaleiros Da Luz Blumenau 16/09/2003 Ordem E Fraternidade Florianópolis 18/09/2009 Colunas Do Oriente Tijucas 20/09/1948 Luiz Balster Caçador 20/09/2008 Acácia Da Serra Rio Negrinho 25/09/2002 Fraternidade Tresbarrense Três Barras 27/09/2010 João Marcolino Costa Sto. Amaro da Imperatriz 28/09/1993 Colunas da Fraternidade Balneário Camboriú 30/09/2010 Triângulo Equilíbrio e Consciência Mafra 7 – Destaques (Resenha Final) Lojas Aniversariantes de Santa Catarina Mês de setembro
  25. 25. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 25/37 GOB/SC – http://www.gob-sc.org.br/gobsc Data Loja Oriente 01.09.64 Harmonia e Trabalho - 2816 Florianópolis 03.09.05 Retidão e Cultura - 3751 Florianópolis 08.09.04 Cruzeiro do Sul - 3631 Florianópolis 09.09.10 Reg. Guabirubense - 4100 Brusque 10.09.96 Reg. Lagunense - 2984 Laguna 11.09.10 Cruz e Sousa de Estudos e Pesq. do Rito de York Florianópolis 12.09.23 Paz e Amor V - 0998 São Francisco do Sul 12.09.97 Otávio Rosa 3184 São Pedro de Alcântara 15.09.94 Herbert Jurk - 2818 Rio dos Cedros 18.09.10 Frat. Guabirubense - 4116 Brusque 19.09.08 Cavaleiros Templários - 3968 Fraiburgo 22.09.09 Acácia De Itapoá-4044 Itapoá 30.09.93 União Catarinense - 2764 Florianópolis Amor “Amor é paciência. Amor é gentileza. Não tem inveja, não se alarde sobre si mesmo e nunca é vaidoso. Amor protege, preserva e aspira por aspectos positivos da vida. Melhora os relacionamentos e conforta a alma. Amor pode ser criado. Você só precisa focar na bondade da outra pessoa. Se isso pode ser feito facilmente, então você também ama facilmente. Todos nós temos algum aspecto positivo em nós, independentemente de quão ruins nossas ações possam ser. O amor não pode ser comprado, vendido ou barganhado. Amor é a mais grandiosa benção da vida.” José Aparecido dos Santos TIM: 044-9846-3552 E-mail: aparecido14@gmail.com Visite nosso site: www.ourolux.com.br "Tudo o que somos é o resultado dos nossos pensamentos".
  26. 26. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 26/37 A Justa Homenagem ao Irmão João Guilherme Ribeiro Caríssimos Irmãos, Parabenizo ao Grão - Mestrado da Grande Loja Maçônica do Estado do Rio Grande do Sul pelo ATO 357 -2015-2018 - bem como a todos os Irmãos de nossa obediência, pelo reconhecimento dado ao nosso Grande Irmão João Guilherme da Cruz Ribeiro. Que sempre acompanhe a administração de nossa Obediência, os sentimentos sagrados da Justiça e da Fraternidade. Parabéns Irmão João Guilherme pela merecida homenagem com o nosso carinho a tua amada família. Fraternalmente, J. Simões - Past Gr. SS Compartilho ATO 357 – 2015-2018 – que OUTORGA ao Ilustre e Poderoso Irmão JOÃO GUILHERME RIBEIRO – PAST SUMO SACERDOTE DO REAL ARCO, o Título Honorífico de “MEMBRO HONORÁRIO” da Grande Loja Maçônica do Estado do Rio Grande do Sul e respectivo Diploma. Querido Ir. João Guilherme C. Ribeiro, um dos líderes do Real Arco do Rito York no Brasil (foto abaixo), muito justa e merecida homenagem! Fraterno abraço e Cordial Aperto de Mão do Ir. Rui Jung Neto, ex-V.M. (AStM)
  27. 27. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 27/37 SUPREMO GRANDE CAPÍTULO DE MAÇONS DO REAL ARCO DO BRASIL Jurisdicionado a The General Grand Chapter of Royal Arch Masons, International Rua Bispo Lacerda, 22 - Del Castilho - CEP: 21051-120 - Rio de Janeiro, RJ 21 3972-1723 e 2273-9014 www.realarco.org.br - supremo@realarco.org.br http://www.youtube.com/watch?v=wpqsTnVIcz4 De: J. Simões - MI, PGSS, ME, KT, KTP 51 9982-7849
  28. 28. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 28/37 EXTRATOS DA IMPACTANTE PALESTRA DO IRMÃO RUDY BARBOSA O Irmão William Almeida de Carvalho envia um extrato da palestra do Irmão Rudy Barbosa, a qual foi enfocada integralmente na edição de ontem do JB News. Vislumbra-se agora, o intrigante quadro do declínio numérico da maçonaria universal, quiçá resultante de desmandos, estrelismos, incompetência ou da necessidade de uma urgente reestruturação anacrônica de impacto. (do Irmão William Almeida de Carvalho, de Brasília) Assisti no dia 10 p.p., convidado por Dom Cassiano, GM da GLMDF, uma das palestras mais inteligentes e mais informativas sobre a Maçonaria no mundo e na América Latina dada por Dom Rudy Barbosa, secretário- executivo da Confederação Maçônica Internacional – CMI sobre Maçonaria no século XXI no VII° Encontro Maçônico do Centro-Oeste das GLMDF. Ao final desta parte, foi liberada a palavra para que os presentes pudessem realizar perguntas sobre o que foi exposto até este momento, que foram prontamente respondidas pelo Irmão Rudy. No final Dom Rudy foi ovacionado pelos presentes. À partir desta palestra Dom Rudy recebeu mais de 8 convites para fazer palestras em território nacional... Distribuição dos maçons no mundo O esvaziamento da maçonaria por falta de visão e modelo anacrônico...
  29. 29. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 29/37 Os impasses maçônicos que deveriam ser discutidos enquanto falamos sobre Churrasco na ordem do dia... O modelo mental e institucional atuais... *************************************************************** WILLIAM ALMEIDA DE CARVALHO CEL: 55 61 99833719 "O Brasil é feito por nós. Só falta, agora, desatá-los." "É junto dos bãos que a gente fica mió" Guimarães Rosa
  30. 30. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 30/37
  31. 31. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 31/37
  32. 32. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 32/37
  33. 33. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 33/37 Ir Marcelo Angelo de Macedo, 33∴ MI da Loja Razão e Lealdade nº 21 Or de Cuiabá/MT, GOEMT-COMAB-CMI Tel: (65) 3052-6721 divulga diariamente no JB News o Breviário Maçônico, Obra de autoria do saudoso IrRIZZARDO DA CAMINO, cuja referência bibliográfica é: Camino, Rizzardo da, 1918-2007 - Breviário Maçônico / Rizzardo da Camino, - 6. Ed. – São Paulo. Madras, 2014 - ISBN 978-85.370.0292-6) Orvalho Para o dia 13 de setembro No Salmo 133 vem referido o orvalho que desce do Monte Hermom; Jerusalém possui um território extremamente seco, onde as chuvas são escassas; frequentemente passam-se três anos sem chuvas, mas o orvalho que diariamente vem do Hermom significa a própria vida. Usa-se o termo Orvalho para simbolizar o refrigério, a bondade divina que por meio da Natureza zela pelo bem-estar de seres vivos. A altitude do Monte Hermom é de 2.759 metros, sendo o pico mais elevado do Antelíbano, sobre o Mediterrâneo. De suas geleiras descem filetes de água que formam o rio Jordão, que por sua vez alimenta o Mar Morto. A água potável vem das imensas cisternas que acumulam as águas vindas das chuvas. O salmo compara o amor entre os Irmãos com esse orvalho que constitui para o povo israelita uma benção. O maço deve ler seguidamente esse salmo, porque encontrará para sua alma refrigério e consolação. Na abertura da Loja de aprendizes é lido esse salmo, que serve de preparação para a liturgia. “Oh! Quão bom e agradável é os Irmãos viverem em união!”. Breviário Maçônico / Rizzardo da Camino, - 6. Ed. – São Paulo. Madras, 2014, p. 275.
  34. 34. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 34/37 Templo da Grande Benemérita Loja Simbólica Esperança e Porvir nr. 1 – Manaus - GLOMAM Salve, salve! Hoje, 13 de setembro, é o dia nacional da cachaça. E só bebo a boa cachaça mineira Ouro JB. hic, hic ...
  35. 35. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 35/37 1 – Tome esta água por 4 dias e perca peso e medidas! 2 – Esse teste vai revelar seu conhecimento em arte. Preparado.. 3 – 12 dicas para limpar aquela sujeira que parece impossível! 4 – Aos seus 70 anos, Charlie Chaplin escreve este poema... 5 – Cruzeiro pelo Rio Negro: CRUZEIRO PELO RIO NEGRO.pps 6 – Ópera de Sydney: OPERA DE SIDNEY.pps 7 – Filme do dia: (Ponte de Espiões) - Dublado https://www.youtube.com/watch?v=_z14-wJFLa0
  36. 36. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 36/37 Ir Raimundo Augusto Corado MI e Deputado Federal pela Loja Templo de Salomão nº 2737 Membro das Lojas União e Trabalho Mimosense nr. 3.170 e Irmão Paulo Roberto Machado nr. 3.182 Barreiras – GOB/BA. Escreve às terças e quintas-feiras raimundoaugusto.corado@gmail.com PREDICADOS -seu valor é maior quando notado pelo próximo- Autor: Raimundo A. Corado Barreiras, 23 de novembro de 2015. Predicados é algo que todos temos; Em nossas ações os podemos sentir; Quanto mais apuros passemos; Os sentimos e podemos medir. O maior predicado está oculto; Lá no interior do ser humano; Lá reside o poder absoluto; Exercitados no cotidiano.
  37. 37. JB News – Informativo nr. 2.173 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 13 de setembro de 2016 Pág. 37/37 É mais notado na lida com gente; Se em grupo, mais frequente; Sem desanimo e sem vexame. Muitas pessoas eu poderia citar; Mas como forma de presentear; Cito a cunhada “LUCIVANE”.

×