O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Jb news informativo nr. 2002

30 visualizações

Publicada em

.

Publicada em: Arte e fotografia
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Jb news informativo nr. 2002

  1. 1. Nesta edição: Pesquisas – Arquivos e artigos próprios e de colaboradores e da Internet – Blogs - http:pt.wikipedia.org - Imagens: próprias, de colaboradores e www.google.com.br Os artigos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião deste informativo, sendo plena a responsabilidade de seus autores. Saudações, Prezado Irmão! Índice do JB News nr. 2.002 – Florianópolis (SC) – sábado, 26 de março de 2016 Bloco 1 – Almanaque Bloco 2 – IrBarbosa Nunes – Informativo nr. 267: Passo Fundo, Teixeirinha e um belo Templo Maçônico. Bloco 3 - Ir Mario López Rico – Filosofando un Poco (8 de 10) La justicia Bloco 4 – IrPaulo Roberto – Parte da Indumentária Maçônica Bloco 5 – IrLuiz Marcelo Viegas (site O Ponto Dentro do Círculo) O Significado das Siglas SSS E SFU Bloco 6 – Ir Ademar Valsechi – Coluna da Harmonia – Edição nr. 21 Bloco 7 – Destaques JB – Hoje com versos do Irmão e Poeta Adilson Zotovici
  2. 2. JB News – Informativo nr. 2.002 – Florianópolis (SC) sábado, 26 de março de 2016 Pág. 2/29 Autor: Ir Eleutério Nicolau da Conceição História em quadrinhos sobre os primeiros anos de Florianópolis, utilizando a técnica do traço à nanquim (bico de pena) e cor em aquarela. elenico50@gmail.com 1 – ALMANAQUE Hoje é o 86º dia do Calendário Gregoriano do ano de 2016– (Lua Cheia) Faltam 280 dias para terminar este ano bissexto Sábado de Aleluia Dia do Cacau e dia do Mercosul Se o Irmão não deseja receber mais o informativo ou alterou o seu endereço eletrônico, POR FAVOR, comunique-nos pelo mesmo e-mail que recebeu a presente mensagem, para evitar atropelos em nossas remesssas diárias. Obrigado. Colabore conosco para evitar problemas na emissão de nossas mala direta diária. L I V R O S
  3. 3. JB News – Informativo nr. 2.002 – Florianópolis (SC) sábado, 26 de março de 2016 Pág. 3/29  752 – É eleito o Papa Estêvão III;  1026 – O Papa João XIX coroa Conrado II como Imperador do Sacro Império Romano-Germânico;  1199 – Ricardo, Coração de Leão é ferido fatalmente por uma flecha disparada de uma besta durante um cerco na França. Ele morre onze dias depois e o nobre francês que executou o disparo é executado;  1244 – Assinado por Jaime I de Aragão e por aquele que mais tarde seria seu genro, o infante Afonso de Castela (mais tarde Afonso X, o Sábio), o Tratado de Almizra entre a Coroa de Aragão e o Reino de Castela fixando os limites do Reino de Valência;  1484 – William Caxton publica sua tradução das Fábulas de Esopo;  1707 – Ratificação do Tratado de União de 1707, que aboliu a independência da Inglaterra e da Escócia em favor de um novo Estado, o "Reino Unido da Grã-Bretanha";  1772 – Fundação da cidade de Porto Alegre;  1808 – Carlos IV de Espanha abdica em favor de seu filho, Fernando VII;  1812 – Um sismo destrói Caracas, Venezuela;  1871 – A Comuna de Paris é estabelecida formalmente;  1881 – Tessália torna-se novamente parte da Grécia;  1885 – Rebelião de Saskatchewan: os Métis, liderados por Gabriel Dumont, derrotam um grupo de policiais e de assentadores anglófonos na batalha de Duck Lake;  1913 – Guerra dos Balcãs: as forças búlgaras tomam Andrinopla;  1923 – A Rádio BBC começa a transmissão regular de previsões atmosféricas no Reino Unido;  1924 – Fundação do Clube Atlético Paranaense de Curitiba/Paraná  1934 – A Carta de condução é introduzida no Reino Unido;  1942 – Segunda Guerra Mundial: Na Polônia, Auschwitz recebe seus primeiros prisioneiros femininos;  1945 – Segunda Guerra Mundial: Os aliados capturam Iwo Jima pondo um final à batalha de Iwo Jima;  1953 – Jonas Salk anuncia sua vacina contra a poliomielite;  1969 – É formada a banda The Allman Brothers Band, principais arquitetos do Southern rock.  1971 – O Paquistão do Leste declara sua independência do Paquistão para formar a República Popular do Bangladesh dando início a um conflito armado;  1979 – Anwar Al-Sadat, Menachem Begin e Jimmy Carter assinam o Tratado de paz israelo-egípcio em Washington, DC;  1989 - Entrou no ar, o Domingão do Faustão, com apresentação de Fausto Silva.  1991 – Assinatura do Tratado de Assunção criando o Mercosul;  1995 – O Acordo de Schengen entra em vigor;  1999 – Um júri em Michigan considera o Dr. Jack Kevorkian culpado de assassinato em segundo grau por administrar uma injeção letal em um doente terminal;  2000 o Ocorrem as eleições presidenciais na Rússia e Vladimir Putin é eleito Presidente; o O Papa João Paulo II visita o Muro das Lamentações em Jerusalém;  2006 – Entra em vigor na Escócia a proibição do uso do cigarro em ambientes públicos fechados;  2007 - Com a lei estadual n° 15.461/2007 criou-se, oficialmente no Paraná, o dia estadual do Clube Atlético Paranaense. Foi neste dia, no ano de 1924, que o clube foi fundado[1] ;  2008 – Bovespa anuncia oficialmente o início do processo de fusão com a BM&F, criando a Nova Bolsa, nome provisório da nova instituição que surgiu com a fusão, que será a terceira maior bolsa de valores do mundo, e a segunda das Américas, em valor de mercado.  2014 — Equipe internacional liderada por brasileiros descobre o primeiro sistema de anéis em um asteroide do Sistema Solar. Eventos históricos - (Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki) Aprofunde seu conhecimento clicando nas palavras sublinhadas
  4. 4. JB News – Informativo nr. 2.002 – Florianópolis (SC) sábado, 26 de março de 2016 Pág. 4/29 1726 Realiza-se a primeira reunião do Senado da Câmara, da Vila de Nossa Senhora do Desterro. 1842 Em Montevidéu, realiza-se o casamento de Giuseppe Garibaldi com Ana de Jesus Ribeiro, a legendária catarinense Anita Garibaldi, que ficará conhecida como a “heroína dos dois mundos”. 1918 Nasce, em Palhoça, Ivo Silveira. Foi prefeito de Palhoça, deputado estadual, presidente da AL e governador do Estado de 1966 a 1971. 1934 Lei nº 565, desta data, criou o município de Jaraguá do Sul, desmembrado de Joinville. 1836 Fundado o Soberano Conselho Kadosh nº 1, no Rio de Janeiro. 1915 Morre Robert Freke Goiuld, autor da História da Franco-Maçonaria, de 1885, um marco da moderna historiografia Maçônica. 1940 Fechado pela polícia do ditador Getúlio Vargas, o tradicional O Estado de São Paulo, jornal dirigido por tradicional família de Maçons. 1980 Fundado o Grande Oriente Estadual de Mato Grosso do Sul, federado ao GOB. Fatos históricos de santa Catarina Fatos maçônicos do dia (Fontes: “O Livro dos Dias” do Ir João Guilherme - 20ª edição e arquivo pessoal) De Irmão para Irmão As publicidades veiculadas nas edições diárias do JB News são cortesia deste informativo, como apoio aos irmãos em suas atividades profissionais. Valorize-os, caro leitor, preferindo o que está sendo anunciado.
  5. 5. JB News – Informativo nr. 2.002 – Florianópolis (SC) sábado, 26 de março de 2016 Pág. 5/29 Baixe Agora: iOS: http://fraternalhug.com/baixar-apple Android: http://fraternalhug.com/baixar-android Blog (fraternalhug.com/blog):
  6. 6. JB News – Informativo nr. 2.002 – Florianópolis (SC) sábado, 26 de março de 2016 Pág. 6/29 INFORMATIVO BARBOSA NUNES Artigo nr. 267 do IrBarbosa Nunes, GM Geral Adjunto do GOB, que escreve a “Opinião” dos sábados. Este artigo está sendo publicado simultaneamente no Jornal Diário da Manhã (Goiânia) de 26.03.16 PASSO FUNDO, TEIXEIRINHA E UM BELO TEMPLO MAÇÔNICO Com meu reconhecimento aos maçons do Grande Oriente do Brasil, da cidade de Passo Fundo, Rio Grande do Sul, e por sugestão do Grão-Mestre Honorário do GOB-RS, Jorge Colombo Borges, produzo este artigo. Em exercício do cargo de Grão-Mestre Geral, fui recebido em Porto Alegre pelo Grão-Mestre Estadual Jorge Pedron de Las LLanas, no dia 3 de março. Com ele frequentei a Loja “Amor e Caridade IV”, presidida pelo Venerável Er Gonçalves Bandeira. Na oportunidade foi apresentado e a mim presenteado pelo autor Luiz Fachin, um volume da sua última obra maçônica, intitulada “Virtude e Verdade – Graus Simbólicos – Tomo I”, editora AGE. 2 – Opinião – Passo Fundo, Teixeirinha e um belo Templo Maçônico – Artigo nr. 267 do Informativo Barbosa Nunes
  7. 7. JB News – Informativo nr. 2.002 – Florianópolis (SC) sábado, 26 de março de 2016 Pág. 7/29 Na sequencia e no dia seguinte, fui levado à cidade histórica de Passo Fundo, distante de Porto Alegre cerca de 300 quilômetros. Neste dia 4 de março, a programação de início constou de homenagens pela Câmara Municipal de Passo Fundo, presidida pelo maçom, vereador Márcio Patussi, a mim, Grão-Mestres Jorge Pedron de Las LLanas e ao Grão- Mestre Honorário Jorge Colombo Borges. Também às Lojas e seus Veneráveis, "Fênix" (João Darci Gonçalves da Rosa), "Cavaleiros da Arte Real" (Paulo Ricardo), "Estrela do Planalto" (Gleni Lemos Vieira) e "Giuseppe Garibaldi" (André Scopel). O ato foi motivado em face do templo que foi sagrado naquela noite. A comunidade de Passo Fundo foi dignificada com um espaçoso e belo templo na cidade, nascido e construído com dedicação, esforço e sacrifício dos irmãos das Lojas "Fenix", "Cavaleiros da Arte Real", "Estrela do Planalto" e "Giuseppe Garibaldi", o que aconteceu na presença de mais de 100 irmãos. A sessão foi conduzida pelo Venerável Mestre João Darci Gonçalves da Rosa, da Loja “Fênix”. No salão social, junto com a família maçônica, foi servido churrasco tipicamente gaúcho. No sábado 5 de março foi instituída a ação “Grão-Mestrado Intinerante – Prestação de Contas 2015 – Planejamento 2016”, pelo Grão-Mestre Estadual do GOB-RS Jorge Pedron de Las LLanas, em reunião que contou com os veneráveis e irmãos da região. A história de Passo Fundo é mais antiga que sua emancipação, que se deu em 28 de janeiro de 1857, mas de acordo com o historiador Fernando Miranda, há registros que em 1632 foi fundada nesta região, a “Redução de Santa Teresa”, sem falar na população indígena, que é muito anterior. Recebi do maçom Rubem Freitas e passa a fazer parte deste artigo, fotos da parte externa e do templo inaugurado. Do maçom e deputado estadual José Carlos Moretti de Araujo, recebi dados os mais detalhados sobre a grandeza e importância de Passo Fundo, registrados no Anuário intitulado “Passo Fundo – Gigante do Norte”. Passo fundo teve um ícone da música regional que levou ao mundo o nome e os costumes da cidade. Vitor Mateus Teixeira, conhecido como Teixeirinha. Cidadão que sabia expressar a alma popular. Foi nome nacional, sustentou acirrado debate, frente a frente com um dos maiores apresentadores da televisão brasileira, Flávio Cavalcante. Teixeirinha está imortalizado no coração dos gaúchos, especialmente de Passo Fundo, alvo de inúmeras homenagens, inclusive com nome de praça e uma estátua na principal avenida da cidade. Passo Fundo foi para Teixeirinha, a sua amada terra, a terra do coração, o que expressou em várias canções, entre elas, a considerada maior de todas, “Gaucho de Passo Fundo”. “Me perguntaram se eu sou gaúcho, Está na cara repare o meu jeito, Sou do Rio Grande lá de Passo Fundo, Trato todo mundo com muito respeito. Me perguntaram qual era razão, Eu ter orgulho em ser passo-fundense, Eu respondi sou da terra do trigo, Tem um povo amigo e quando luta vence, É um pedaço do Rio Grande amado, Orgulha o estado e o povo riograndense”.
  8. 8. JB News – Informativo nr. 2.002 – Florianópolis (SC) sábado, 26 de março de 2016 Pág. 8/29 Em outra poesia cantada, demonstrando sua saudade disse em “Cidade de Passo Fundo”: “Eu sinto todos os dias, saudades no coração, Lembranças cheias de dores, do meu querido rincão, Saudades de Passo Fundo, pra matar recordação, Não é lá no fim do mundo, vai depressa esta canção. Meus patrícios brasileiros, não nasci no fim do mundo, Minha terra é no Rio Grande cidade de Passo Fundo. A recordação dos pagos, dói uma barbaridade, Ao lembrar de Passo Fundo, minha querida cidade, Aqueles pagos da serra digo com sinceridade, Vou rever a minha terra, pra matar esta saudade. O meu planalto serrano, meus senhores me acredita, não é por eu ser de lá, minha cidade é favorita, É terra de boa gente, minha palavra está dita, Lugar de homem valente, terra de moça bonita”. A passagem foi rápida, com certeza voltarei, pois de Passo Fundo já estou com saudades. Ao retorno para Porto Alegre, junto com Jorge Pedron e Jorge Colombo Borges, ainda me deliciei, na cidade de Lajeado, do delicioso e famoso “Pastel do Veríssimo”, que tem a ver com o escritor Luis Fernando Veríssimo, quando de um encontro de escritores sul- americanos que se reuniam há alguns anos. Uma parte da reunião era feita em Porto Alegre, outra na cidade de Passo Fundo e no meio do caminho, Lajeado, e seu shopping na beira da rodovia. Numa parada aportaram em Lajeado e todos foram direto para a pastelaria, sob orientação do escritor, o que resultou numa crônica dele intitulada “Pastel do Veríssimo”, exposta em mural bem produzido na respectiva pastelaria do shopping de Lajeado. Experimentei o pastel e lhe dou nota 10. Aqueles que passarem por Lajeado, não percam a oportunidade de saborear o “Pastel do Veríssimo”. Obrigado maçons de Passo Fundo. (Barbosa Nunes, advogado, ex- radialista, membro da AGI, delega- do de polícia aposentado, professor e maçom do Grande Oriente do Brasil – barbosanunes@terra.com.br)
  9. 9. JB News – Informativo nr. 2.002 – Florianópolis (SC) sábado, 26 de março de 2016 Pág. 9/29 O Irmão Mario López Rico * de La Coruña – Espanha. Escreve aos sábados. Responsável pela publicação espanhola Retales de Masononeria mario.lopezrico@yahoo.es retalesdemasoneria.blogspot.com.es Filosofando un poco (8 de 10) La justicia Cuando se toca el tema de la justicia se suele asociar de modo automático con el tema de la legalidad y así, tenemos el binomio justicia=legal que no siempre se cumple. Existen normas legales que no nos parecen justas y existen actos que nos parecen justos pero no son legales. Filosóficamente hablando, el tema de la justicia es uno de los más relevantes por las implicaciones que tiene sobre la sociedad y muchos filósofos se han preguntado – y se siguen a preguntar - ¿Qué significa ser justo? ¿Cómo comportarnos para ser justos? Platón1 , en su obra “La Republica”, fue uno de los primeros filósofos en tratar el tema afirmando que una sociedad justa es la que posee como gobernantes a hombres sabios que comprenden la verdadera naturaleza del mundo. Ya en el siglo XIX, John Stuart Mill2 califica como justa aquella sociedad que consigue el máximo bienestar posible para sus ciudadanos. En ese mundo el castigo a los criminales es por utilidad y su fin es más disuasorio que reeducacional. El castigo es justo porque hace que los demás tengan menos ganas de hacer algo malo. 1 Platón (en griego antiguo: Πλάτων) (Atenas o Egina,1 ca. 427-347 a. C.) fue un filósofo griego seguidor de Sócrates y maestro de Aristóteles. En 387 fundó la Academia, institución que continuaría su marcha a lo largo de más de novecientos años y a la que Aristóteles acudiría desde Estagira a estudiar filosofía alrededor del 367, compartiendo, de este modo, unos veinte años de amistad y trabajo con su maestro Platón participó activamente en la enseñanza de la Academia y escribió, siempre en forma de diálogo, sobre los más diversos temas, tales como filosofía política, ética, psicología, antropología filosófica, epistemología, gnoseología, metafísica, cosmogonía, cosmología, filosofía del lenguaje y filosofía de la educación. 2 John Stuart Mill (Londres, 20 de mayo de 1806 - Aviñón, Francia, 8 de mayo de 1873) fue un filósofo, político y economista inglés representante de la escuela económica clásica y teórico del utilitarismo, planteamiento ético propuesto por su padrino Jeremy Bentham, que sería recogido y difundido con profusión por Stuart Mill. 3 – Filosofando un poco ( 8 de 10) La justicia Mario López Rico
  10. 10. JB News – Informativo nr. 2.002 – Florianópolis (SC) sábado, 26 de março de 2016 Pág. 10/29 John Rawls3 , por su parte, nos pide que imaginemos una sociedad hipotética donde aún no existe gobierno ni sistema político y sus ciudadanos se ponen a elegirlo. Según Rawls la ignorancia total es la garante de la justicia. Si los ciudadanos conocen de antemano su riqueza, talento o status social que dispondrán en el nuevo estado maniobrarán para mantenerlo, mejorarlo o evitar que otros logren lo mismo que ellos. Se preocuparán menos o nada de lo justo, Estar ignorante de todo ello obliga a ser justos todos con todos y cada uno de los ciudadanos porque, una vez decidido el gobierno y la política te será asignado un lugar…¡y no sabes cual será! De este modo, este proceso garantizará – según Rawls – que las instituciones serán aceptables desde el punto de vista racional incluso para una persona que puede acabar siendo la menos poderosa del sistema. La teoría de Rawls parece hermosa y lo es. Sin embargo el filósofo y colega en Harvard, Robert Nozick4 , afirma en su obra “Anarquía, estado y utopía” que la idea de Rawls conduce inexorablemente a una violación de los derechos del individuo, no se puede ordenar por ley la posición social de un ciudadano sino que esta debe estar acorde con sus capacidades. Por ejemplo, la idea platónica de que gobiernen los sabios sería buena bajo la idea de Nozick porque, por definición, el sabio debe conocer lo que es mejor. En el fondo, después de tantos filósofos estudiando todo lo que es o no justo, creo que todos conocemos lo que es y lo que no es justo y podemos resumirlo en la conocida frase Bíblica: “No hagas a los demás lo que no quiese que te hagan a ti” Pero volvamos a Nozick para dejarles las preguntas que les harán pensar hoy. Desde el punto de vista de Nozick podemos decir lo siguiente:  Que el gobernante sea sabio no implica que sepa gobernar. Es lo mismo que sucede con muchos científicos que saben mucho de su especialidad pero no saben como enseñarlo a posibles alumnos, no saben bajar al nivel del que sabe menos que ellos.  Quien garantiza que el sabio no use su saber para engañar a los que sabiendo menos no se darían cuenta del engaño sutil y bien urdido por el sabio. 3 John Rawls (21 de febrero de 1921, Baltimore, Estados Unidos - 24 de noviembre de 2002, Lexington, Massachusetts, Estados Unidos). Fue un filósofo estadounidense, profesor de filosofía política en la Universidad Harvard y autor de Teoría de la justicia, (1971), Liberalismo político (1993), The Law of Peoples (1999) y Justice as Fairness: A Restatement (2001). Es ampliamente considerado como uno de los filósofos políticos más importantes del siglo XX. Su teoría política propone dos principios sobre los cuales basar la noción de justicia a partir de una posición original en el espíritu contractualista de los filósofos políticos clásicos. Rawls fue reconocido con el Premio Schock para lógica y filosofía y con la National Humanities Medal de manos del presidente Bill Clinton en 1999, en reconocimiento a "su ayuda a que toda una generación (...) reviviera su confianza en la democracia 4 Robert Nozick (Nueva York, 16 de noviembre de 1938 - 22 de enero de 2002); Filósofo y profesor de la Universidad Harvard. También enseñó en Columbia, Oxford y Princeton. Hizo contribuciones en diferentes áreas de la filosofía: teoría de la decisión, epistemología y, particularmente, filosofía política. Su obra Anarquía, Estado y Utopía (1974) fue una respuesta liberal-libertaria a la Teoría de la Justicia de John Rawls, publicada en 1971.
  11. 11. JB News – Informativo nr. 2.002 – Florianópolis (SC) sábado, 26 de março de 2016 Pág. 11/29  Cómo medir si alguien es realmente sabio porque debemos recordar que conocimientos no implica sabiduría. Sabiduría es la aplicación correcta de los conocimientos. Aquí lo dejo, piensen y traten de saber que es la justicia y, si no lo logran, no se preocupen, hombres de mucho más saber que nosotros como Platón, Aristóteles, Rawls, Nozick…lo han intentado y no tengo yo muy claro que lo hayan conseguido. Próxima entrega: Filosofando un poco (9 de 10) – El dilema del prisionero. Sobre el autor Mario López Rico es maestro masón y trabaja actualmente su logia madre Renacimiento 54 – La Coruña – España, bajo la Obediencia de la Gran Logia de España, donde fue iniciado el 20 de Noviembre de 2007 y fue reconocido como maestro el 22 de Abril de 2010. A partir del año 2011 comienza a subir la escalera masónica filosófica del REAA siendo también, en la actualidad, Maestro de la Marca – Nauta del Arco Real, Compañero del Arco Real de Jerusalén y Super excelent master (grado cuarto y último de los Royal & Select Master – Rito york) Miembro Fundador Capitulo Semper Fidelis nº 36 de Masones del Arco Real el 18 – Oct – 2014 Miembro Fundador Consejo Mesa de Salomón nº 324 de Maestros Reales y Selectos (Masonería Criptica) el 20 – Feb - 2016
  12. 12. JB News – Informativo nr. 2.002 – Florianópolis (SC) sábado, 26 de março de 2016 Pág. 12/29 Ir. Paulo Roberto - MI da Loja Pitágoras nr. 15 Grande Secretário Adjunto Guarda-Selos da GLSC Escreve aos sábados prp.ephraim58@terra.com.br Paulo Roberto Parte da Indumentária Maçônica De fato a universal Instituição Maçônica, talvez somente perca, para a milenar Igreja Católica quanto aos paramentos empregados nas diversas liturgias existentes. Mas, que é tocante no âmago do “ser” maçom, é! Fizemos questão de evidenciarmos o “ser”, para podermos sempre diferenciá-lo do “estar”. Porque, assim sendo, é que de fato nos deparamos com o verdadeiro “construtor” e, desse, deverá eclodir o que todos almejamos para o Grande Templo que cada qual constrói para si próprio conforme seu adiantamento espiritual e merecimentos outros. Após falarmos sobre o “Avental” e as “Luvas” utilizados pela Maçonaria, vamos agora nos reportar sobre outros tópicos que complementam a Indumentária Maçônica; os quais irão depender apenas, do cargo que o Obreiro ocupe em sua Oficina. PUNHOS Pode-se dizer que os punhos são originários das “guardas de aço”, que compunham as antigas armaduras, procurando dar a devida proteção ao antebraço. Mais tarde, resurgiram na França, no reinado de Luiz XIV (também conhecido como Luís, “o Grande” ou “O Rei Sol”), como enfeites para o vestuário, estando representados pelos canos das luvas de pele, que seguiam até o cotovelo. Na Maçonaria, também, foram inicialmente adotados como adorno, servindo de complemento à indumentária, passando a simbolizar a proteção aos braços, voltados ao trabalho. O “Livro das Constituições”, da Grande Loja Unida da Inglaterra, a partir do ano de 1884, ordenou seu uso pelos oficiais das Grandes Lojas e das Lojas sob sua jurisdição. CHAPÉU Joseph Paul Oswald Wirth afirmou que “O Maçom que, no século XVIII, dirigia os trabalhos de sua Loja, deveria permanecer coberto, em sinal de autoridade. Logo, os Irmãos exaltados ao terceiro grau também devem se cobrir na Câmara do Meio, confirmando assim serem iguais a quem os preside. O Ritual prescrevia que se deviam descobrir cada vez que faziam menção ao Grande Arquiteto do Universo. Simbolicamente, todo o interesse pelo referido chapéu se limita ao fato de que o mesmo é o verdadeiro substito da Coroa (“Kether” primeiro nível dos Sephiroth dos Cabalistas). 4 – Parte da Indumentária Maçônica Paulo Roberto
  13. 13. JB News – Informativo nr. 2.002 – Florianópolis (SC) sábado, 26 de março de 2016 Pág. 13/29 Como emblema de soberania, teria a grande missão de se fazer compreender. O que o levava não ser um chefe que tivesse tido o poder de mandar arbitrariamente segundo suas apreciações pessoais. Já em nossos dias, principalmente nas Lojas latinas, os Mestres Maçons só devem permanecer cobertos para desenvolver seus trabalhos quando os mesmos são abertos em seu devido grau”. Segundo Serge Hutin, “para as sessões solenes, as iniciações em particular, o traje usado na noite da referida celebração foi por muito tempo o de ‘rigor’: os maçons franceses usavam a casaca para essas ocasiões, mas precisamente, até a primeira grande guerra mundial (1914 - 1918). Também, um uso observado na Maçonaria anglo-saxônica, mas não na França, impunha ao Mestre Maçom o uso do chapéu em Loja”. No Brasil, esse uso é regulamentado. O Ritual da Grande Loja é explícito a respeito: “todos os Mestres Maçons deverão estar vestidos de preto, cobertos com chapéu de feltro preto, de abas largas e amolecidas, caídas em direção aos ombros”. No Grande Oriente do Brasil, dependendo do Rito em que se processa a sessão, é usado apenas nas exaltações ao terceiro grau, obedecida a ritualística quanto a sua retirada, em determinadas passagens tidas como solenes. FAIXAS E COLARES Cabe ao Mestre de Cerimônias verificar, antes da abertura dos trabalhos (Sala dos Passos Perdidos), se todos os maçons presentes à sessão em Loja estão devidamente paramentados (com o avental) e decorados (com seus colares e faixas). Todos os Mestres Maçons usam faixas, cuja origem, segundo Serge Hutin, vem dos “primeiros tempos da maçonaria moderna: o porte da faixa fazia em Loja o plebeu igual ao nobre”. Aliás essa é a opinião de diversos autores, fitas e colares estão em relações muito estreitas com a astrologia e o hermetismo. Há, até, quem admita que formem à sua volta um círculo de proteção, simbolizando a zona de influência em que são envolvidos nossos pensamentos. As faixas geralmente são usadas por altos dignitários, por exemplo, os da Soberana Assembleia Federal Legislativa, Poderosa Assembleia Estadual Legislativa, etc. Igualmente, luzes, todos os dignitários e oficiais de Loja, usam o colar com a joia referente ao cargo que exercem em Loja. Enfim... Existem muitos tipos de faixas e colares usados na Instituição Maçônica, sendo diferenciados sobretudo, quanto à Obediência e Rito que os utilizam. INSÍGNIAS E JOIAS As insígnias e as joias são tidas como atributos, que servem para o reconhecimento de classes e categorias dos maçons, evidenciando ritos e graus, bem como para a identificação das luzes, dignitários e oficiais da Ordem e das Lojas. A insígnia do Aprendiz, assim como a do Companheiro Maçom deve ser o avental em tecido branco, havendo diferença apenas no posicionamento da abeta de acordo com o grau. O Mestre Maçom como já foi mencionado, usa avental e faixa, esta com a joia do grau pendente, obedecidas conforme as prescrições contidas no Ritual.
  14. 14. JB News – Informativo nr. 2.002 – Florianópolis (SC) sábado, 26 de março de 2016 Pág. 14/29 BALANDRAU O balandrau é um tipo de “manteau” monástico, com mangas compridas, diferindo dos da Idade Média apenas por tê-las ausentes ao devido traje e com um capuz com dois orifícios no lugar dos olhos, tal como era usado pelos penitentes da Santa Inquisição e de que se cobrem ainda os membros das confrarias de penitentes, nos países em que subsistem. Vem de longa data, pois a Ordem dos Beneditinos proibiu a seus membros, no ano de 1226, o uso do roupão ou capa laica, chamado balandrau e super totum. Mais tarde foi substituído pela “greca” ou “donillete” francesa ou italiana. Crê-se que se tratava de uma veste aristocrática, mas depois, pelo menos desde o século XV, caiu em desuso, passando ao domínio dos mouros forros, em virtude de concessões régias, muito do seu agrado. Também era designada sob esse nome a opa dos irmãos da Confraria da Misericórdia. Contudo, na religão católica, é mais conhecido como cogula, que é assim descrita: vestuário monacal, sem mangas e com capuz; espécie de túnica larga dos religiosos. Casula. A Seita dos Essênios, que, por sua organização, é a instituição secreta da Antiguidade logo imediata à Maçonaria, investia sempre seus candidatos com uma vestimenta branca. Os Carbonários, como em geral todos os componentes de sociedades tidas como secretas, que receavam ser identificados, estavam sempre devidamente paramentados com balandraus e capuzes. Adelino de Figueiredo Lima, em seu livro “Bastidores do Mistério”, referindo-se à revolta de 1868 em território espanhol, fala de uma reunião dos carbonários, em que o General Prim (Juan Prim y Prats, marquês de los Castillejos, conde de Reus e visconde del Bruch), “dando dois passos à frente, arrancou rapidamente o capuz do balandrau”. Mais adiante, sobre uma reunião do Grande Tribunal Secreto da Carbonária, na França, a 9 de fevereiro de 1820, declara: “Rigor absoluto na indumentária, com balandraus até os pés e capuzes cobrindo inteiramente os rostos. Os balandraus dos Juizes eram vermelhos e os capuzes amarelos. O Bom Primo do Olmo usava balandrau azul-celeste e máscara branca; o da Oliveira, balandrau verde e máscara vermelha. Os restantes se vestiam de negro, que era a cor usual da Carbonária”. Observe-se que, segundo Helena Petrovna Blavatsky, a sotaina negra dos sacerdotes católicos é a negra hierocracia ou ampla investidura, que os sacerdotes de Mitra usavam, a qual recebia esta denominação por ser da cor dos corvos (corax)”. Liev Schreiber, descrevendo a seita Ku-Klux-Klan, mencionou: “Os membros da organização traziam cogulas, umas brancas e outras pretas, com capuzes”. E adiante: “a bandeira das estrelas, a Bíblia aberta e o punhal desembainhado. A fazer pano de fundo, uma cruz de fogo, na noite, projetava uma luminosidade estranhamente tranquilizante sobre as filas dos agora uniformizados homens dos capuzes brancos”. Na Maçonaria, o balandrau tem o seu uso recomendado somente em determinadas cerimônias... Mas... Joaquim Gervásio de Figueiredo define-o como “antigo vestuário, de capuz e mangas largas, usado no cerimonial de exaltação ao terceiro grau, na prática de alguns Ritos maçônicos”. Nicola Aslan descreve-o mais pormenorizadamente: “Espécie de opa ou beca com mangas, o balandrau deve ser fechado até o pescoço, sendo confeccionado em tecido preto, que pode variar de acordo com o clima. O balandrau é usado por determinadas irmandades em atos religiosos, tendo sido adotado como vestuário pelos irmãos de várias Lojas do Brasil. O balandrau do Irmão Experto,
  15. 15. JB News – Informativo nr. 2.002 – Florianópolis (SC) sábado, 26 de março de 2016 Pág. 15/29 bastante comprido, deverá ser munido de uma capa ou mantelete e de um largo capuz, a fim de não ser reconhecido pelos profanos, antes de receberem a iniciação maçônica. O uso do balandrau, segundo nos parece, é uma peculiaridade da Maçonaria Brasileira, pois nenhum autor ou dicionário maçônico, fora de nosso país, refere-se a ele como indumentária maçônica. Esta peça de vestuário parece ter sido adotada pelos maçons brasileiros como substituto barato e confortável do traje a rigor preto, exigido nos cerimoniais maçônicos, que é o “smoking” com gravata borboleta e luvas brancas. Esta indumentária tinha a vantagem de poder ser feita com qualquer tecido leve e de preço praticamente desprezível, o que, além de não ser tão dispendioso, permitia suportar, em tempo de calor muito forte (canícula), elevadas temperaturas em recintos fechados. Estas razões ponderáveis o fizeram adotar por muitas Lojas do Brasil, e o seu uso não foi objeto de qualquer contradição por parte das altas autoridades maçônicas. Assim, o uso do balandrau não foi aprovado nem tampouco desaprovado, foi simplesmente tolerado, não constituindo, portanto, um traje litúrgico”. Entretanto, foram encontradas algumas alusões ao seu uso em alguns antigos rituais do Grande Oriente do Estado do Rio de Janeiro: “Em rigor, o traje de Mestres Maçons deveria ser um balandrau preto e comprido”. “Oh! Quam bonum est et quam jucundum, habitare fratres in unum !”
  16. 16. JB News – Informativo nr. 2.002 – Florianópolis (SC) sábado, 26 de março de 2016 Pág. 16/29 Seu espaço para estudos e pesquisas O Significado das Siglas S.’.S.’.S.’. e S.’.F.’.U.’. na Maçonaria Publicado em 14 de agosto de 2015por Luiz Marcelo Viegas https://opontodentrodocirculo.wordpress.com/ Duas siglas, com significações diferentes, que merecem um estudo especial, diante das constantes demonstrações de dúvidas, não apenas quanto às respectivas significações, mas quanto ao uso correto de cada uma e, face à quantidade crescente de informações sobre o tema, torna-se interessante buscar-se um aprofundamento no assunto, visando, desta forma, não expor-se a situações vexatórias diante daqueles que dominam o conhecimento da origem e dos Ritos a que se subordinam. De conformidade com informações dadas por Maçons mais antigos, grande parcela dos erros cometidos em relação a estas Siglas ou formas abreviadas, é atribuída aos Secretários das Lojas, alguns dos quais, durante a leitura do expediente, das pranchas recebidas com essas abreviaturas, por desconhecerem a sua exata significação, pronunciavam, de forma rápida, em relação aos três “S” (S.’.S.’.S.’.), o seguinte: *saúde, saúde, saúde*ou, ainda, *salve, salve, salve* formas que causavam indignação àqueles que conheciam a representação exata das ditas letras. Segundo José Wilson Ferreira Sobrinho, em sua obra Legislação Maçônica, publicada pela Editora Maçônica “A TROLHA” Ltda., foge à lógica que algum Maçom possa valer-se da repetição, por três vezes seguidas, de um mesmo termo de significação repetitiva, em que pese, como dizia o saudoso Castellani, os modismos e achismos que se instalaram na Maçonaria, para corresponder a uma saudação, a um cumprimento relativo à maneira de introitos vocativos epistolares. Destarte, não há que se conceber válidas qualquer das traduções supra destacadas, isto é; *saúde, saúde, saúde* ou *salve, salve, salve* e, no entretanto, há escritores e dicionaristas maçônicos, que aprovam a tradução ou a significação de *S.’.S.’.S.’.* como sendo *saúde, saúde, 5 – O Significado das Siglas SSS e SFU na Maçonaria Do Site “O Ponto Dentro do Círculo” do Ir Luiz Marcelo Viegas
  17. 17. JB News – Informativo nr. 2.002 – Florianópolis (SC) sábado, 26 de março de 2016 Pág. 17/29 saúde*, a exemplo de Joaquim Gervásio de Figueiredo, à p. 486, do Dicionário de Maçonaria, editado em São Paulo, pela Editora Pensamento. Ainda, na conformidade com José Wilson Ferreira Sobrinho, dedicando-se o devido respeito a essa opinião do dicionarista, não é recomendável aceitar-se tal concepção, por não corresponder a uma saudação epistolar maçônica, mas simplesmente vulgar, e talvez criada por aqueles secretários de que falamos, para encontrar satisfação, ainda que aparente, da significação dos três “S”. O dicionarista, no item 2 (dois), da explicação dicionaria, refere-se ao grau 28 (vinte e oito) dos Graus Filosóficos, do Cavaleiro do Sol, que é uma homenagem ao Sol, infundidor de calor da alma e da luz da inteligência, imagem tangível da divindade. Esta imagem do Sol ocupa o centro de um triângulo inscrito em um círculo, contendo em cada ângulo um “S”. Portanto, três “S”. Estes “S”, significam, respectivamente, *Stella, Sedet e Soli* e, também, *Sciencia, Sabedoria, Santidade* (idem, ibidem) sendo que a primeira pode ser considerada pela seguinte tradução: “Da terra, a estrela está sempre presente” e maçonicamente ela pode ser interpretada como se enquanto o homem permanece na realidade material (terra) deve alçar-se na direção do espiritual (estrela) ou para referir que existe um elo entre o homem, representando a terra e a esfera metafísica, representando a estrela. Mas estes três “S”, nada tem, pois, a ver com a forma abreviada S.’.S.’.S.’., já que estes são uma saudação vocativa e não verbal, enquanto as três letras “S” nos ângulos do triângulo, corresponde, uma delas, ao verbo SEDERE, utilizado na forma verbal SEDET, que inviabilizaria a saudação epistolar, por não ser vocativa e, ainda, por ser uma importação dos altos Graus e que não se compatibiliza com os Graus Simbólicos. Infere-se, deste modo, que a significação das três letras “S”, tem sido desviada, pela maioria dos Maçons, da sua verdadeira significação. Nem é *saúde, saúde, saúde* e nem *salve, salve, salve.* No julgamento de que a tradução das letras S.’.S.’.S.’. tem sido, deturpada, desfigurada, modificada, deformada, descaracterizada, etc., pela, pasmem vocês, maioria dos Irmãos de todos os ritos que a usam, que as traduzem, interpretam, manifestam e as exprimem por “saúde, saúde, saúde” e outros que as demonstram, explanam, vertem e entendem por “salve, salve, salve”, cumpre-nos referir que a significação real, não corresponde a nem uma e nem outra das formas acima apresentadas. Estas três polêmicas (porque alguns assim as fazem) letrinhas, significam abreviadamente, a princípio, as três colunas de sustentação do Templo Maçônico, que assim se escreviam no antigo e maravilhoso Latim, as quais, em ordem alfabética teriam a seguinte disposição: *SALUS, SAPIENTIA, STABILITAS.* Contudo, considerando a hierarquia a que as colunas representativas dos sustentáculos da Loja estão subordinadas, tais palavras da expressão latina, passaram a ser traduzidas, na significação dos S.’.S.’.S.’., na seguinte ordem: *SAPIENTIA, SALUS, STABILITAS.* *SABEDORIA, SAÚDE, ESTABILIDADE*. O que podemos entender como correspondentes de cada uma dessas palavras?: Por SAPIENTIA, entendemos agnição, ciência, cognição, compreensão, conhecença, conhecimento, consciência, cultura, domínio, educação, entendimento, equilíbrio, erudição, estudo, experiência, gnose, ilustração, informação, instrução, luz, juízo, percepção, proficiência, razão, reflexão, saber e sensatez e tantos outros vocábulos que traduzem a extensão do quanto se espera daquele que representa a coluna da Sabedoria, isto é: o Venerável Mestre.
  18. 18. JB News – Informativo nr. 2.002 – Florianópolis (SC) sábado, 26 de março de 2016 Pág. 18/29 Por SALUS, entendemos bem-estar, disposição, energia, higidez, resistência, robustez, saúde, vitalidade e mais algumas acepções que consubstanciam a Força, ou seja: o Primeiro Vigilante. Por STABILITAS, entendemos, no aspecto de moral, calma, constância, continuidade, duração, equilíbrio, estabilidade, firmeza, fixidez, harmonia, imobilidade, impassibilidade, imperturbabilidade, imutabilidade, invariabilidade, manutenção, permanência, preservação, segurança, serenidade, solidez, subsistência e tranquilidade, requisitos que caracterizam a Beleza, isto é: o Segundo Vigilante. Daí, infere-se que em um Templo, inteira e adequadamente composto, vemos, por essa razão, as três colunas de Minerva, Hércules e Vênus, que correspondem, respectivamente à Sabedoria, à Força e à Beleza, ou SAPIENTIA, SALUS e STABILITAS e, finalmente, aos Venerável Mestre, Primeiro e Segundo Vigilantes, representados por *S.’.S.’.S.’.*. Como eu pratico o R.’.E.’.A.’.A.’., resta-me lembrar a todos os Maçons que também o praticam, que estas palavras são apostas no início dos Documentos Maçônicos e são pronunciadas, com vigor, ao se encerrar a Cadeia de União, respeitando, na Cadeia de União, a ordem Latina, isto é: Saúde (SALUS), Sabedoria (SAPIENTIA) e Segurança (STABILITAS). Registre-se, outrossim, ao contrário de muitos Maçons que por desconhecerem os ritos existentes e suas origens, usam de forma errônea as palavras *S.’.F.’.U.’.*, que significam SAÚDE, FORÇA e UNIÃO, as quais nunca pertenceram e não pertencem ao R.’.E.’.A.’.A.’. e sim ao Rito de Emulação (York) e, portanto, jamais devem ser usadas e pronunciadas no Rito Escocês Antigo e Aceito e os que assim o fazem, expõem-se ao ridículo perante outros que têm o conhecimento da origem e do rito a que elas pertencem. Autor: Reinaldo Kazuo Shishido
  19. 19. JB News – Informativo nr. 2.002 – Florianópolis (SC) sábado, 26 de março de 2016 Pág. 19/29 Coluna da Harmonia O Irmão Ademar Valsechi escreve aos sábados. É MI da Loja Templários da Nova Era – 33º. REAA – membro da Academia Catarinense Maçônica de Letras, ex-Grande Mestre de Harmonia, atual Grande Secretário de Cultura da GLSC e autor do Livro “A Arte da Música Através do Tempo e na Maçonaria” além da Coletânea em MP3 de Músicas para Ocasiões Maçônicas. - valsechibr@gmail.com Coluna da Harmonia – Nr. 21 O Outono Nesta semana vamos homenagear a passagem do Equinócio de Outono no Hemisfério Sul, abordando o aspecto maçônico. Nessa data o planeta Terra está sem inclinação em relação ao Sol, com o dia igual à noite (Aequinoctium= Noite igual). A irradiação é máxima sobre a linha do Equador, mas se dirigindo para o Trópico de Câncer, aumentando os dias na região Boreal e reduzindo na região Austral. O Venerável Mestre em sua passagem pelas Colunas Zodiacais já terá completado três quartos de seu curso, dirigindo-se para o final de sua administração. A homenagem é ao 1º Vigilante, pois seu altar está simbolicamente localizado sobre o Trópico de Cancer. Sua função é vigiar e dar atenção a todos os Irmãos desde o Equador (linha imaginária que passa pelo centro do planeta e do Templo) até o Pólo Norte (Coluna do Norte) onde sentam os Aprendizes. (Textos extraídos de Rituais e Complementos do R.´.E.´.A.´.A.´. – M.´.R.´.G.´.L.´.S.´.C.´.) No link ouviremos de Vivaldi as “Quatro Estações” com as três músicas que formam o “Outono”. As Quatro Estações - O Outono completo- Vivaldi... 6 – Coluna da Harmonia nr. 21 Ademar Valsechi
  20. 20. JB News – Informativo nr. 2.002 – Florianópolis (SC) sábado, 26 de março de 2016 Pág. 20/29 (as letras em vermelho significam que a Loja completou ou está completando aniversário) GOSC https://www.gosc.org.br Data Nome Oriente 05/03/2005 Aurora Florianópolis 10/03/1972 Templários da Justiça Lages 15/03/1998 Estrela do Sul Lages 18/03/1998 Jacy Daussen São José 18/03/2011 Monteiro Lobato Itajaí 19/03/1993 III Milênio Curitibanos 19/03/1994 Renascer da Luz Criciúma 20/03/1949 Januário Corte Florianópolis 23/03/1996 Pedra Cintilante Itapema 24/03/1998 Fiel Amizade Florianópolis 30/03/1998 Amigos para Sempre Joinville 30/03/1999 Círculo da Luz Joinville 31/03/1975 Estrela do Mar Balneário Camboriú 31/03/2011 Colunas do Arquiteto Ituporanga 7 – DESTAQUES JB – Resenha Geral Lojas Aniversariantes de Santa Catarina Mês de Março
  21. 21. JB News – Informativo nr. 2.002 – Florianópolis (SC) sábado, 26 de março de 2016 Pág. 21/29 GOB/SC – http://www.gob-sc.org.br/gobsc Data Nome Oriente 03.03.2012 Guardiões das Virtudes - 4198 Biguaçú 14.03.1981 Estrela do Planalto -2119 Canoinhas 16.03.1899 União III Luz E Trab. 664 Porto União 16.03.2005 Cavaleiros da Luz - 3657 Florianópolis 19.03.2004 Quintessência - 3572 Bombinhas 21.03.1990 Luz da Acácia - 2586 Jaraguá do Sul 21.03.2009 Acácia de Balneário - 3978 Baln. Camboriú 29.03.1973 Acácia Joinvilense - 1937 Joinville 29.03.1973 Gênesis - 2701 Tubarão 29.03.2012 União Palhocense - 4236 Palhoça 30.03.2006 Luz da Porta do Vale - 3764 Itajaí GLSC - http://www.mrglsc.org.br Data Nome da Loja Oriente 11.03.2003 Fraternidade Itajaiense nr. 85 Itajaí 17.03.2010 Fonte de Luz nr. 102 Chapecó 18.03.1989 Tríplice Fraternidade nr. 48 Dionísio Cerqueira 20.03.2009 Acácia Itajaiense II nr. 100 Itajaí 21.03.1940 Cruzeiro do Sul nr. 05 Joaçaba 24.03.2010 Loja do Sol nr. 103 Blumenau 28.03.1970 Pitágoras nr. 15 Florianópolis 30.03.1995 Leão de Judá nr. 62 Florianópolis
  22. 22. JB News – Informativo nr. 2.002 – Florianópolis (SC) sábado, 26 de março de 2016 Pág. 22/29 Registros da visita do Grão-Mestre Fernando Zamora e comitiva da Grande Loja Maçônica do Estado do Acre no último dia 22, à Maçonaria em Cobija, capital da Província de Pando, na Bolívia, mais especificamente na Loja Simon Bolívar nr. 08. Acompanharam o Grão-Mestre Irmão Zamora, os Irmãos Eldes Teixeira, Grande 2º. Vigilante, Laertes Marques Borges, Grande Hospitaleiro, José Garcia Medeiros PGM, além de inúmeros Irmãos das Lojas Tereza Cristina e Bandeirantes do Acre, de Brasiléia e Xapurí, respectivamente.
  23. 23. JB News – Informativo nr. 2.002 – Florianópolis (SC) sábado, 26 de março de 2016 Pág. 23/29
  24. 24. JB News – Informativo nr. 2.002 – Florianópolis (SC) sábado, 26 de março de 2016 Pág. 24/29
  25. 25. JB News – Informativo nr. 2.002 – Florianópolis (SC) sábado, 26 de março de 2016 Pág. 25/29 GOSP: Grão-Mestre Estadual reassume suas funções (Secretaria Estadual de Comunicação e Imprensa) - Após viagem ao Exterior, o Eminente Irmão Benedito Marques Ballouk Filho, Grão-Mestre Estadual do Grande Oriente de São Paulo (GOSP), reassumiu na última terça-feira, dia 22 de Março, os seus trabalhos com Força e Vigor. No período de 09 a 21 de Março, o Grande Oriente de São Paulo (GOSP) esteve com a condução do Primeiro Malhete Paulista pelo Grão-Mestre Estadual Adjunto, Irmão KAMEL AREF SAAB.
  26. 26. JB News – Informativo nr. 2.002 – Florianópolis (SC) sábado, 26 de março de 2016 Pág. 26/29 Stated Meetings Second Tuesdays at 7:30PM - Extra Meetings - Third Tuesdays - at 7:00PM (as needed) - Saucon Lodge No. 469 - 323 Charles Street • Coopersburg, PA 18036 - 610-282-4469 Cobridores Externos
  27. 27. JB News – Informativo nr. 2.002 – Florianópolis (SC) sábado, 26 de março de 2016 Pág. 27/29 Os vídeos são pesquisados ou repassados, em sua maioria, por irmãos colaboradores do JB News. 1 –JB News nr. 2.000 em PPS produzido pelo Irmão Ailton Elisiário, da Academia Paraibana Maçônica de Letras, de Campina Grande. JB NEWS 2000-Elisiário.ppsx 2 – Será o benedito? Será o benedito.mp4 3 – Canto de pássaros: https://www.youtube.com/watch?v=QFVI8m1ldvg 4 – Palermo à noite palermo_di_notte.pps 5 – Um amigo Cão: Cão Amigo 6 - Melbourne, Austrália: https://www.youtube.com/watch?v=T1RFAujSCJA 7 – Filme do dia: (cortesia do Irmão Ricardo Vidal) - (Stalin é uma película de 1992 produzida para a HBO, com Robert Duvall interpretando o líder soviético Joseph Stalin. O filme ganhou três prêmios Globo de Ouro. A filmagem foi feita em Budapeste, na Hungria e Moscou, na Rússia. A história é narrada pela filha de Stalin, Svetlana, que desertou para os Estados Unidos em 1967. IMPERDÍVEL! Stalin (1992) - Filme Completo Dublado https://www.youtube.com/watch?v=DhEB57wOt6g
  28. 28. JB News – Informativo nr. 2.002 – Florianópolis (SC) sábado, 26 de março de 2016 Pág. 28/29 Irmão Adilson Zotovici, Loja Chequer Nassif-169 de São Bernardo do Campo – GLESP Escreve aos sábados neste espaço. adilsonzotovici@gmail.com RENOVAÇÃO PASCAL A vida é prova divinal Qual pródiga natureza Tudo se renova afinal Com natural singeleza Qual brilho de sol matinal Rio com sua correnteza O vento quando em vendaval Chuva trazendo pureza Mesmo a glória, que temporal Refaz-se com sutileza Renasce a alma imortal Obras do Pai Celestial Cada qual com sua grandeza Tal a “renovação pascal” ! Adilson Zotovici ARLS Chequer Nassif-169
  29. 29. JB News – Informativo nr. 2.002 – Florianópolis (SC) sábado, 26 de março de 2016 Pág. 29/29

×