O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Jb news informativo nr. 2004

55 visualizações

Publicada em

.

Publicada em: Arte e fotografia
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Jb news informativo nr. 2004

  1. 1. Nesta edição: Pesquisas – Arquivos e artigos próprios e de colaboradores e da Internet – Blogs - http:pt.wikipedia.org - Imagens: próprias, de colaboradores e www.google.com.br Os artigos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião deste informativo, sendo plena a responsabilidade de seus autores. Saudações, Prezado Irmão! Índice do JB News nr. 2.004 – Florianópolis (SC) – segunda-feira, 28 de março de 2016 Bloco 1 – Almanaque Bloco 2 – IrJuarez de Oliveira Castro – Os sentimentos de estar em Loja ( Foco & Ação) Bloco 3 - IrSérgio Quirino Guimarães - Símbolos Bloco 4 – IrValdemar Sansão – Páscoa de Cristo Bloco 5 – IrKennyo Ismail – Os laços indissolúveis entre o Rito York e a Ordem DeMolay Bloco 6 – Ir Pedro Juk – Perguntas & Respostas – do Ir Luiz Felipe Russo Schmidt, de Curitiba Bloco 7 – Destaques JB –
  2. 2. JB News – Informativo nr. 2.004 – Florianópolis (SC) - segunda-feira, 28 de março de 2016 Pág. 2/25 Livros de artigos nos Graus de Aprendiz, Companheiro e Mestre Publicados na Revista O PRUMO. Durante o período de 1970 a 2015. Pedidos: site http://www.gosc.org.br Ou pelo telefone: (48) 3952-3300   1 – ALMANAQUE Hoje é o 86º dia do Calendário Gregoriano do ano de 2016– (Lua Cheia) Faltam 280 dias para terminar este ano bissexto Dia do Diagramador e Dia do Revisor Se o Irmão não deseja receber mais o informativo ou alterou o seu endereço eletrônico, POR FAVOR, comunique-nos pelo mesmo e-mail que recebeu a presente mensagem, para evitar atropelos em nossas remesssas diárias. Obrigado. Colabore conosco para evitar problemas na emissão de nossas mala direta diária. L I V R O S
  3. 3. JB News – Informativo nr. 2.004 – Florianópolis (SC) - segunda-feira, 28 de março de 2016 Pág. 3/25  193 — O imperador romano Pertinax é assassinado por guardas pretorianos, que depois vendem o trono em umleilão para Dídio Juliano.  364 — O imperador romano Valentiniano I designa, como co-imperador, o seu irmão Valente.  845 — Paris é saqueada pelos vikings, provavelmente sob o comando de Ragnar Lodbrok.  1431 — É feita a leitura dos 70 artigos da acusação de Joana d'Arc em Ruão. Estes setenta artigos sustentavam a acusação formal para a Donzela buscando sua condenação.  1795 — Partilhas da Polônia: o Ducado da Curlândia e Semigália, um feudo ao norte da República das Duas Nações, deixa de existir e passa a fazer parte da Rússia Imperial.  1802 — O astrônomo Heinrich Olbers descobre 2 Palas, o segundo asteroide descoberto pelo homem.  1809 — Guerra Peninsular: a França derrota a Espanha na Batalha de Medellín.  1854 — Guerra da Crimeia: França e Inglaterra declaram guerra à Rússia.  1910 — Henri Fabre se torna a primeira pessoa a pilotar um hidroavião.  1930 — As cidade turcas de Constantinopla e Angora mudam seus nomes para Istambul e Ancara, respectivamente.  1939 — Guerra Civil Espanhola: o Generalíssimo Francisco Franco conquista Madrid depois de um cerco de três anos.  1942 — Segunda Guerra Mundial: comandos britânicos atacam Saint Nazaire na França ocupada pelos nazistas.  1944 — Brasil: criação do Departamento de Polícia Federal.  1946 — Guerra Fria: o Departamento de Estado dos Estados Unidos publica o Relatório Acheson Lilienthal, delineando um plano para o controle internacional da energia nuclear.  1979 — Na Pensilvânia (EUA), uma bomba do sistema de arrefecimento do reator falha na usina de Three Mile Island e a evaporação de um pouco da água contaminada causa um derretimento nuclear.  1988 — Ocorre o assassinato de indígenas da etnia Tikuna na localidade de Boca do Capacete, Brasil, em face de reiterados conflitos pelo uso e posse da terra.  1994 — Na África do Sul, zulus e partidários do Congresso Nacional Africano entram em conflito no centro de Joanesburgo, resultando em dezoito mortes.  2006 — Marcos Pontes é o primeiro astronauta brasileiro a viajar para o espaço.  2007 — É inaugurada em Brinches (concelho de Serpa), Portugal a maior central fotovoltaica do mundo. 1541 Desembarca na ilha de Santa Catarina a expedição de D. Alvar Nunes Cabeza de Vaca. Aqui permaneceu cerca de seis meses, organizando nova expedição, que entrou pelo interior, alcançando os rios Negro e Iguaçu, chegando até o Paraguai. 1835 Nasce na Prússia Emil Odebrecht. Engenheiro, veio para o Brasil em 1858. Trabalhou na implantação das linhas telegráficas em Santa Catarina e Paraná. Participou como voluntário na Guerra do Paraguai. 1943 Morre, no Rio de Janeiro, o pintor catarinense Sebastião Vieira Fernandes. 1963 Criado o município de Ipumirim 1965 Criado o município de Caibi. Eventos históricos - (Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki) Aprofunde seu conhecimento clicando nas palavras sublinhadas Fatos históricos de santa Catarina
  4. 4. JB News – Informativo nr. 2.004 – Florianópolis (SC) - segunda-feira, 28 de março de 2016 Pág. 4/25 1738 Aos 86 anos, cego desde 1732, quase que totalmente desmemoriado, vítima de gota atroz, que o acamava e o deprimia, o papa Clemente XII assina a bula In eminenti apostalatus specula, proibindo que os católicos sejam maçons. As acusações baseiam-se apenas "no boato público" e nas suspeitas de "pessoas honradas e prudentes". As razões reais são a política em Florença e a tentativa de restaurar o prestígio e o temor da já desacreditada Inquisição. 1749 Nasce Pierre Simon, Marquês Laplace, astrônomo e matemático francês, membro destado do Grande Oriente de França. Membro da Loja Les Neuf Souer. 1882 Jules Ferry () faz votar no Parlamento francês a lei que institui a instrução obrigatória. 1970 Fundada a Loja “Pitágoras” Nr. 15 (GLSC) em Florianópolis. Fatos maçônicos do dia (Fontes: “O Livro dos Dias” do Ir João Guilherme - 20ª edição e arquivo pessoal) De Irmão para Irmão As publicidades veiculadas nas edições diárias do JB News são cortesia deste informativo, como apoio aos irmãos em suas atividades profissionais. Valorize-os, caro leitor, preferindo o que está sendo anunciado.
  5. 5. JB News – Informativo nr. 2.004 – Florianópolis (SC) - segunda-feira, 28 de março de 2016 Pág. 5/25 Baixe Agora: iOS: http://fraternalhug.com/baixar-apple Android: http://fraternalhug.com/baixar-android Blog (fraternalhug.com/blog):
  6. 6. JB News – Informativo nr. 2.004 – Florianópolis (SC) - segunda-feira, 28 de março de 2016 Pág. 6/25 O Irmão Juarez de Oliveira Castro escreve às segundas-feiras (48) 9983-1654 (Claro) - (48) 9801-9025 (TIM) juacastr@gmail.com – http://www.alferes20.net Os sentimentos de estar em Loja Quando nos preparamos para participar da sessão de uma Loja, principalmente da Loja que somos efetivos, florescem muitos sentimentos. O primeiro é a ânsia da participação. Sentimentos e emoções intensas são canalizados para esse encontro, depois de uma semana de separação. A alegria do encontro leva-nos a uma ânsia, a necessidade de se encontrar para promover mais um momento de conhecimento, saber, aprendizado e melhor conhecimento de cada membro da Loja. É com o contato constante que se conhece melhor uma pessoa. O segundo é o encontro propriamente dito, em que se executa aquele abraço fraterno. Mas aquele abraço fraterno, honesto e sincero. Li em um texto que dizia: “Nunca subestime os benefícios de um abraço. Um abraço pode fazer-nos sentir muito melhor e contribuir para o nosso bem-estar, verdadeiramente. Os Abraços realmente têm um poder incrível!”. Abraçar nutre as relações humanas, cultiva e aumenta a confiança e francamente faz-nos pessoas mais felizes. Nada melhor que transmitir ao outro esse relacionamento de amizade e admiração. Como disse alguém: “O amor fraternal valoriza a confiança mútua, havendo também um perfeito entrosamento entre as pessoas porque são relacionamentos tranquilos e afetuosos, duradouras e estáveis, profundo e compromissado”. O terceiro é o silêncio. O silêncio da preparação para entrar em Loja. O momento da meditação em que entramos em nós, e preparamos para que os trabalhos sejam benéficos e pedimos para que “Antes de adentrarmos ao nosso Augusto e Respeitável Templo, façamos alguns instantes de silêncio e meditação, a fim de que fiquem aqui fora nossas preocupações profanas e, lá dentro, possamos desenvolver nossos trabalhos, de modo de que deles resultem sabedoria para todos nós, prosperidade para toda Humanidade, e glórias ao Grande Arquiteto do Universo. (Oração usada pela Loja Alferes Tiradentes Nº 20 da GLSC, antes de entrar no Templo). E, finalmente, o sentimento da aprendizagem, ocasião em que a Maçonaria derrama sobre cada um de nós grandes dosagens de ensinamentos tentando, sempre nos conduzir para o caminho certo. O certo é que, quando deixamos os trabalhos em Loja nos sentimos mais leves, apesar do cansaço promovido pelas tarefas semanais da profissão. O peso do trabalho desaparece como “passe de mágica”, nos transformando em uma pessoa melhor, muito melhor do que quando entramos em Loja. Como disse Martin Luther King: “Nós não somos o que gostaríamos de ser. Nós não somos o que ainda iremos ser. Mas, graças a Deus, não somos mais quem nós éramos”. 2 – Opinião - Os sentimentos de estar em Loja (Foco & Ação) Juarez de Oliveira Castro
  7. 7. JB News – Informativo nr. 2.004 – Florianópolis (SC) - segunda-feira, 28 de março de 2016 Pág. 7/25 Ano 10 - artigo 13 - número sequencial 558 - 27 março 2016 Saudações, estimado Irmão! SÍMBOLOS Profanamente, compreendemos o símbolo como o elemento gráfico que representa uma informação. Porém, na Maçonaria, nenhum elemento iconográfico tem apenas a função de resumo de informação. Todos os símbolos maçônicos, sejam desenhos ou objetos, não são somente decoração. Eles constituem ferramentas essenciais na comunicação das instruções, normas e valores maçônicos. Alguns símbolos foram agregados ao labor maçônico de forma natural, com compreensão clara e imediata. Por exemplo, o pavimento de duas cores = dualidade. Outros necessitam de um conhecimento prévio de sua função: O IOD, por exemplo. Outros ainda terão, durante a caminhada maçônica, a agregação de conhecimento e, assim, um discernimento mais amplo, por exemplo, a Corda de 81 Nos. O intercâmbio entre os Irmãos é sempre enriquecedor, quando cada um, com sua bagagem de vida, apresenta sua visão sobre nossos símbolos. Sugiro os Cinco Degraus que separam o ocidente do oriente como tema do intercambio do Quarto de Hora de Estudo. Em nosso meio há também duas categorias de símbolos que devem ser estudadas com muito zelo: São as instruções contidas nos sons e nos gestos. É preciso estudo e sensibilidade para a perfeita compreensão de sua integralidade mística, tanto de um sinal penal, como de uma aclamação. 3 – Símbolos Sérgio Quirino Guimarães
  8. 8. JB News – Informativo nr. 2.004 – Florianópolis (SC) - segunda-feira, 28 de março de 2016 Pág. 8/25 A própria palavra “símbolo” carrega em si algo maior do que se apresenta à vista. Sua origem se dá do grego antigo “symbállein”, que significa “agregar”. Concretamente, tratava-se um acordo lavrado em uma peça de argila, que, ao seu final, era quebrada em partes iguais aos participantes e cada um ficaria com uma parte. Havendo necessidade, montaria-se o quebra-cabeça para a compreensão do todo. Cada parte ou “symbola” sugeriria que "algo" está faltando; uma parte invisível que seria necessária unir para alcançar a totalidade. “Symbállein”, que também significa “lançar junto”, representa um pacto entre amigos, que tendo de se separar quebravam cuidadosamente uma telha, de modo que ao unir os dois pedaços eles se encaixariam perfeitamente. Quando o destino novamente os aproximava, uniam-se as peças e vendo que o encaixe está perfeito, saberiam que ambos guardaram a amizade com zelo. Assim, na Maçonaria, a grande missão dos símbolos é unir e agregar. O Sym-bállein tem seu oposto, que é Dia-bállein, que significa lançar para longe, de forma desagregada. Em português, compreendemos Sim-bólico como o que une e completa. Seu oposto, Dia-bólico é o que separa e opõe. Este artigo foi inspirado no livro “NOVO – O LIVRO DO ORADOR” do Irmão Carlos Brasílio Conte. Na página 107, ele apresenta a visão de outro grande escritor maçom: “De acordo com Nicola Aslan, a beleza dos grandes símbolos está na infinita variedade de seus modos de interpretação. Desse modo, o símbolo interage e passa a ter sentido unicamente no receptáculo de uma mente inteligente, dotada de raciocínio e sensibilidade.” Neste décimo ano de compartilhamento de instruções maçônicas, mantemos a intenção primaz de fomentar os Irmãos a desenvolverem o tema tratado e apresentarem Prancha de Arquitetura, enriquecendo o Quarto-de-Hora-de-Estudo das Lojas. Precisamos incentivar os Obreiros da Arte Real ao salutar hábito da leitura como ferramenta de enlevo cultural, moral, ético e de formação maçônica. Fraternalmente Quirino Sérgio Quirino - ARLS Presidente Roosevelt 025 - GLMMG Contato: 0 xx 31 8853-2969 / quirino@roosevelt.org.br Facebook: (exclusivamente assuntos maçônicos) Sergio Quirino Guimaraes Guimaraes Os artigos publicados refletem a opinião do autor exclusivamente como um Irmão Maçom. Os conteúdos expostos não reproduzem necessariamente a ideia ou posição de nenhum grupo, cargo ou entidade maçônica.
  9. 9. JB News – Informativo nr. 2.004 – Florianópolis (SC) - segunda-feira, 28 de março de 2016 Pág. 9/25 MENSAGEM DO DIA – PÁSCOA DE CRISTO Valdemar Sansão Dia 26 de março PÁSCOA DE CRISTO A Maçonaria não sendo de nenhuma religião, encontra em todas as religiões as suas verdades! Cristo – palavra grega que significa “ungido”. Os cristãos o adotaram após a morte de Jesus, significando em hebraico: o Messias. Os cristãos, contudo, têm consciência que possuem dentro de si o Cristo a quem reverenciam de fora para dentro e a que suplicam as benesses aspiradas. São Paulo dizia: “Não sou eu que vive, mas Cristo vive em mim”. O maçom pode afirmar a existência desse Cristo interno, base de sua fé cristã. É a parte espiritual que não deve ser desprezada, mas sim cultivada, pois se trata do maior valor possuído Quaresma – Os 40 dias que vão da quarta-feira de cinzas até domingo da Páscoa, destinados pelos católicos e ortodoxos à penitência, quarentena. Na quarta-feira de cinza, os cristãos costumam passar cinzas na cabeça, simbolizando a fragilidade e a humildade das pessoas, porque todos vêm do pó e ao pó retornarão. A Quaresma já era observada em Roma antes de 384, e designava o período de seis semanas de jejum que precedia a Pascha ou Triduum Pascal. Tanto a Quaresma, como o carnaval é marcado contando quarenta dias retroagidos da data do Domingo da Páscoa; e não é a Páscoa marcada quarenta dias depois da quarta-feira de Cinzas. Terminada a Quaresma, chega a Páscoa, mas a interpelação feita a cada um de nós neste período do Tempo litúrgico, para nos libertarmos de todas as prisões, da prisão desenfreada do “ter”, da busca exagerada do “prazer” e do abuso do “‘poder” deve perdurar sempre e produzir transformação em nossa vida. Seu apelo para superar a violência, a injustiça, o desrespeito à dignidade da pessoa humana, o ódio e o desejo de vingança, para podermos construir a civilização do amor a Deus e ao nosso semelhante deve continuar ressoando em nosso coração endurecido e petrificado e nos levar a uma ação transformadora da sociedade. A Semana Santa - Em outras eras, servia como reflexão a respeito da morte e da vida. Além do jejum, da cerimônia do lava pés, da procissão da Sexta-feira da Paixão e da alegria no domingo da Ressurreição, os cristãos renovavam a esperança numa existência digna. A tristeza pelo sacrifício do Corpo de Cristo levava à esperança de novo tempo para os que Nele acreditavam. A Semana Santa sela o final da caminhada de Jesus, passando pela morte humilhante e ignominiosa da cruz chegando à glória triunfal da ressurreição. A Páscoa - Os cristãos sempre consideraram a Páscoa da Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo como sacramento do nascimento da Igreja. Se Ele não tivesse ressuscitado e assim se manifestado aos seus discípulos, que testemunharam sua presença no mundo, não teríamos a Igreja. A Páscoa é o centro da vida e da fé dos cristãos. A Igreja continua a missão dos apóstolos 4 – Páscoa de Cristo – Valdemar Sansão
  10. 10. JB News – Informativo nr. 2.004 – Florianópolis (SC) - segunda-feira, 28 de março de 2016 Pág. 10/25 procurando executar o projeto de Jesus de transformar o mundo, levando-lhe a salvação trazida por Ele para toda a humanidade. A celebração pascal – serve para o cristão renovar sua vivência como sacramento de Deus e sinal de sua manifestação, ao mesmo tempo, renovação do mundo, através da ação divina pela revitalização perene da sua própria vida. No Brasil, a Igreja procura ligar um problema candente que merece atenção especial de todos para que a celebração pascal não fique vazia, como as demais festas humanas, mas se torne uma maneira concreta de transformação da sociedade na direção de uma vida melhor, mais fecunda, mais livre de situações da escravidão embutida, mas real, nos sistemas vigentes no mundo em que vivemos. Nela realizamos um esforço para renovar o espírito de solidariedade e fraternidade nas relações humanas. Por isso, que o tempo de quaresma foi dedicado a um grande retiro destinado a grande conversão, através da oração pessoal e comunitária, de maior ajuda e dedicação fraterna ao trabalho de melhorar as condições de nossos irmãos sofredores e necessitados de cuidados especiais. As celebrações não eram apenas belos espetáculos litúrgicos para nos comover, nem reuniões catequéticas para instruir e conscientizar, nem comemorações nostálgicas de fatos ocorridos há mais de dois mil anos. E sim e realmente memorial do Senhor, retomada deles para viverem e aplicar a eficácia na situação atual do mundo em que vivemos. Nessas celebrações, os cristãos são convocados a assumir o compromisso de construir o Reino do Senhor Jesus Cristo, completando o que falta à sua Paixão, segundo afirma São Paulo em sua carta aos Colossenses e a nós também. É Páscoa! – Celebramos o acontecimento mais transcendente da história humana. Para a celebração é necessário o compromisso de todos e de cada um com a defesa e a promoção da justiça e da paz, em nosso País e no mundo. Deixemo-nos contagiar pelo dinamismo, pela energia vital que brota do Cristo ressuscitado. Vençamos o comodismo e o conformismo com o que somos e fazemos e empenhemo-nos na construção de uma sociedade sem violência e sem vingança, sem vítimas. Uma sociedade reconciliada e segura. A Páscoa da fraternidade -Todo o espírito da Páscoa está cheio de renovação, de recriação e de ressurreição, de transformação para uma vida nova, mais rica, mais alegre e, por que não dizer, divinizada. Assisti ao filme de Mel Gibson: “Paixão de Cristo”. Apresenta a realidade nua e crua de um julgamento iníquo da omissão covarde da autoridade constituída, da violação das leis judaicas, da suprema violência sádica aplicada a um ser humano inocente, o que acontece ainda hoje e pior porque os que o fazem se dizem civilizados. Mas para chegar à suprema glória triunfal da ressurreição, todos nós temos de enfrentar os sofrimentos da paixão e o Senhor Jesus nos ensinou a fazê-lo com dignidade e coragem. Por isso é a maior festa dos cristãos, a ocasião máxima de o cristão renovar seus compromissos batismais com Jesus Cristo, Nosso Senhor e Redentor. Viver a Páscoa da Ressurreição é viver como Ele viveu, é assemelhar-se em tudo a Ele, ressurgir com Ele. Corrupção revelada - O país está enfrentando a chaga da corrupção. A contemplação de todos, assemelha-se ao Gólgota, onde dois ladrões – um bom, porque convertido à derradeira hora, e o outro mau, porque pervertido – ladeiam Jesus crucificado. A metáfora nos remete a muitos envolvidos em escândalos do Mensalão e do Petrolão, antigos aliados na alegria e na mira e escutas da Lava Jato, em que estão sendo apontadas centenas de corruptos ladrões. A justiça, pela via de processo e da fórmula constante e sem temores, revela e aponta, arremessa e impulsiona os capítulos intermináveis dessa trama de horror, com desfechos surpreendentes, inusitados, a que jamais chegou a tamanho e tão voraz o canibalismo desses ladrões do dinheiro do povo, cujas sentenças justas e necessárias não tardarão.
  11. 11. JB News – Informativo nr. 2.004 – Florianópolis (SC) - segunda-feira, 28 de março de 2016 Pág. 11/25 A corrupção que aqui se revela transpôs todos os limites imagináveis. O corrupto (ativo e passivo) tudo se permite. Os já presos e os que logo o serão, merece as celebrações do Sábado de Aleluia: a malhação do Judas, por traidores da confiança neles depositada. Conclusão - A hora é, pois, de defender a democracia e de tentarmos nos entender sobre o significado que essa palavra deve ter entre nós. Democracia passa pelo respeito às leis, pelo Estado Democrático do Direito. Tem que com a admissão de que nenhum poderoso está acima da lei, o poder político governamental precisa ter freios e ser controlado, não pode mentir e eventuais bravatas de seus ocupantes precisam ser criticadas e desmascaradas – a serenidade e a sensatez são recursos democráticos por excelência. Passa pela integridade moral da classe política, por mais impreciso que isso possa ser. Necessita de espaços de liberdade de contestação de cidadãos mobilizados, educados politicamente e dispostos a lutar por seus interesses. Exige a criação de clima favorável ao diálogo e a resolução negociada de crises e problemas. Passa pela adoção de políticas que promova justiça, igualdade e bem estar geral. PS - A maioria dos brasileiros quer apenas voltar a trabalhar em paz, com um governo que recoloque o País na trilha do desenvolvimento com a exemplar punição daqueles que abusaram da confiança do povo para enxovalhar a democracia.
  12. 12. JB News – Informativo nr. 2.004 – Florianópolis (SC) - segunda-feira, 28 de março de 2016 Pág. 12/25 Ir Kennyo Ismail kennyoismail@hotmail.com www.noesquadro.com.br OS LAÇOS INDISSOLÚVEIS ENTRE O RITO DE YORK E A ORDEM DeMOLAY ⋅ ARQUIVADO E . A estrita relação entre o Rito de York e o surgimento da Ordem DeMolay é amplamente conhecida no meio maçônico norte-americano e de outros países, mas ainda pouco difundido no Brasil. Isso provavelmente se deve ao fato da Ordem DeMolay ter aterrissado em terras brasileiras por intermédio do Rito Escocês, mais especificamente do Supremo Conselho do Grau 33 do Rito Escocês da Maçonaria para a República Federativa do Brasil, no início da década de 80, época essa em que o Rito de York, apesar de maior e mais antigo, ainda não havia sido implementado no país. Bom, não há como falar em surgimento da Ordem DeMolay sem falar sobre Frank Sherman Land, idealista e fundador da Ordem. Ele ingressou na Maçonaria em maio de 1912, chegando ao grau de Mestre Maçom no mês seguinte (algo comum nos EUA), na Loja “Ivanhoe #446” de Kansas City, jurisdicionada à Grande Loja do Missouri. Sua Loja, assim como todas do Missouri e da maioria dos estados dos EUA, adotava (e ainda adota) o Rito de York. E, ao se tornar um Mestre, seu primeiro interesse além da Loja Maçônica foi logicamente pelo Rito de York. Menos de um mês depois de se tornar Mestre, em 23 de julho de 1912, Frank S. Land ingressou em um Capítulo do Real Arco, o Capítulo “Kansas City #28”, que funcionava em sua Loja, sendo adiantado a Mestre de Marca. Em outubro do mesmo ano foi induzido ao grau de Past Master Virtual e recebido e reconhecido como Mui Excelente Mestre. E no final do mesmo mês, foi exaltado a Maçom do Real Arco. Em seguida, foi a vez de galgar os graus crípticos no Conselho Críptico “Shekinah #24”. Já no final do ano de 1912, já como um maçom críptico, Dad Land ingressou no Rito Escocês Antigo e Aceito. E posteriormente, em 1913, Dad Land foi investido nas Ordens de Cavalaria do Rito de York, por meio da Comanderia “Kansas City #10”, que também trabalhava em sua Loja. 5 – Os laços indissolúveis entre o Rito de York e a Ordem DeMolay – Kennyo Ismail Hercule Spoladore
  13. 13. JB News – Informativo nr. 2.004 – Florianópolis (SC) - segunda-feira, 28 de março de 2016 Pág. 13/25 Como se pode ver, nos primeiros meses de Maçonaria Frank Sherman Land, nosso Dad Land, dedicou-se ao Rito de York e seus profundos ensinamentos. E ele manteve-se filiado e frequente a esses corpos até quando de seu falecimento. Como exemplo, em 1944, apesar de sua dedicação à Ordem DeMolay tomar muito de seu tempo, Dad Land foi um dos fundadores do Conselho Críptico “Kansas City #45”, formado majoritariamente por membros de sua Loja Simbólica e Capítulo do Real Arco, para funcionar na sede de sua Loja. Seu ingresso no Shriners ocorreu em 1931, chegando ao posto mais alto, de Potentado Imperial, em 1954. Como líder maior do Shriners International, Dad Land pôde fazer ainda mais pela Ordem DeMolay, que alcançou naquela época o ápice de membros iniciados. E, em 1951, Dad Land foi condecorado com a Medalha de Ouro do Real Arco Internacional, a maior honraria concedida por esse corpo. Por sinal, Dad Land, foi o primeiro e um dos pouquíssimos a recebe-la. Como sabemos, Dad Land fundou a Ordem DeMolay em março de 1919. No verão daquele ano, ele convenceu o maçom Frank Marshall de ajuda-lo a elaborar um ritual para seu clube de jovens. O ritual, ou melhor, rituais dos dois graus originais da Ordem, foram desenvolvidos em tempo recorde: menos de 24 horas. Isso somente foi possível por uma única razão: eles utilizaram a estrutura de outro ritual como padrão: o dos graus simbólicos do Rito de York! Isso se mostrou conveniente, considerando que a intenção era de que os futuros Capítulos DeMolays funcionassem nas Salas de Lojas (Templos, como chamam no Brasil) das Lojas Simbólicas dos Estados Unidos. Como essas Lojas tinham uma disposição específica, era melhor se adaptar a ela. Essa estrutura do Rito de York, felizmente adotada por Land e Marshall, estão presentes até os dias de hoje, sem alterações, e evidenciam a união indissolúvel entre a Ordem DeMolay e o Rito de York. Desde a existência de Capelão e Marechal (este último chamado de Mestre de Cerimônias no Brasil por influência do REAA), cargos inexistentes no REAA; o bastão curto do Marechal; o Segundo Diácono atendendo a porta; o altar no centro da Sala (originalmente no REAA ele fica no Oriente); o andar em esquadria; o momento Em Doença e Aflição; até mesmo a sagrada e intransponível linha entre o Altar e o Mestre Conselheiro; todas essas e tantas outras são características emprestadas pelo Rito de York. Outras características, como a reunião já se iniciar com todos na Sala, sem procissão de entrada; e a palavra circular livremente, sem uma ordem específica; tão normais e conhecidas por qualquer maçom do Rito de York, foram vistas como “estranhas” aos maçons brasileiros quando da chegada da Ordem DeMolay. O resultado foi a modificação de várias partes do ritual até então inalterado da Ordem DeMolay para uso no Brasil. Essas adulterações têm sido retiradas pelo Supremo Conselho da Ordem DeMolay para a República Federativa do Brasil nos últimos anos, numa honrada tentativa de se retornar ao original. Agora, algo pouco mencionado é a resistência que Dad Land sofreu quando da criação da Ordem DeMolay. Se no Brasil, durante as décadas de 80 e 90 (para não dizer que ainda ocorrem atualmente), muitas foram as dificuldades para convencer os maçons de permitirem garotos utilizarem seus “templos”, imagine como foi lá nos idos da década de 20… Não havia nada comparável na época. Foi preciso que Dad Land conseguisse o apoio e endosso de organizações maçônicas de peso. E a primeira a atender esse importante chamado foi o Real Arco Internacional, seguido pelo Grande Acampamento de Cavaleiros Templários: as duas maiores organizações internacionais do Rito de York. Assim, vê- se claramente que não existiria Ordem DeMolay sem Rito de York. E hoje, considerando que muitos dos principais líderes do Rito de York são Seniores DeMolays (tanto lá nos EUA como aqui no Brasil), podemos afirmar, sem medo de errar, que não existiria Rito de York sem Ordem DeMolay! Ainda, como Dad Land disse, o que diferencia a Ordem DeMolay de qualquer outra organização juvenil é que… “ela tem um ritual”! E o cerne desse ritual está no Rito de York. É por essas razões e tantas outras que, neste mês de março de 2016, em que comemoramos os 97 anos da Ordem DeMolay, oro: Que Deus abençoe o Rito de York e a causa da Ordem DeMolay!
  14. 14. JB News – Informativo nr. 2.004 – Florianópolis (SC) - segunda-feira, 28 de março de 2016 Pág. 14/25 Este Bloco é produzido pelo Irmão Pedro Juk, às segundas, quartas e sextas-feiras Loja de mesa Em 01/09/2015 o Irmão Luiz Felipe Russo Schmidt, Loja Joaquim Gonçalves Ledo, 3.079, REAA, GOB-PR, Oriente de Curitiba, Estado do Paraná, pede o esclarecimento seguinte: luizfelipe@bettischmidt.com.br Entro em contato para sanar uma dúvida. Preparando o trabalho para o ERAC (tema: Sessões em Loja), deparei-me com o seguinte questionamento (o qual não tenho conseguido encontrar resposta): o Ritual para o Banquete Ritualístico seria o mesmo para todos os Ritos? Agradecendo, desde já, pela atenção; despeço-me. Considerações: Eu prefiro usar o termo Loja de Mesa, já que na oportunidade, abre-se uma Loja onde nela se reúnem os convivas. Com a profusão dos ritos maçônicos, sobretudo a partir do século XVIII, esses adquiriram suas próprias características, tanto sob o ponto de vista cultural e doutrinário, bem como com os seus usos e costumes oriundos das regiões terrenas de onde são procedentes os seus rituais. Assim, embora de espinha dorsal muito parecida, as Lojas de Mesa, conforme os Ritos e Trabalhos viriam assumir também as características próprias dos diversos ritos maçônicos. No geral, embora às vezes de modo sutil, existem sim diferenças. Outro aspecto que também altera essa pragmática ritualística é sem dúvida a imensa profusão de rituais e mais rituais editados ao longo dos tempos. Destes viriam aparecer ainda muitos enxertados e, quando não, inventados ao gosto de muitos autores ou mesmo de Obediências que de quando em quando editam “rituais especiais” que mais parecem uma colcha de retalhos além de um repositório de invencionices. T.F.A. PEDRO JUK – Out/2015 - jukirm@hotmail.com – 6 – Perguntas & Respostas Pedro Juk Não esqueça: envie sua pergunta identificada pelo nome completo, Loja, Oriente, Rito e Potência.
  15. 15. JB News – Informativo nr. 2.004 – Florianópolis (SC) - segunda-feira, 28 de março de 2016 Pág. 15/25 (as letras em vermelho significam que a Loja completou ou está completando aniversário) GOSC https://www.gosc.org.br Data Nome Oriente 05/03/2005 Aurora Florianópolis 10/03/1972 Templários da Justiça Lages 15/03/1998 Estrela do Sul Lages 18/03/1998 Jacy Daussen São José 18/03/2011 Monteiro Lobato Itajaí 19/03/1993 III Milênio Curitibanos 19/03/1994 Renascer da Luz Criciúma 20/03/1949 Januário Corte Florianópolis 23/03/1996 Pedra Cintilante Itapema 24/03/1998 Fiel Amizade Florianópolis 30/03/1998 Amigos para Sempre Joinville 30/03/1999 Círculo da Luz Joinville 31/03/1975 Estrela do Mar Balneário Camboriú 31/03/2011 Colunas do Arquiteto Ituporanga 7 – DESTAQUES JB – Resenha Geral Lojas Aniversariantes de Santa Catarina Mês de Março
  16. 16. JB News – Informativo nr. 2.004 – Florianópolis (SC) - segunda-feira, 28 de março de 2016 Pág. 16/25 GOB/SC – http://www.gob-sc.org.br/gobsc Data Nome Oriente 03.03.2012 Guardiões das Virtudes - 4198 Biguaçú 14.03.1981 Estrela do Planalto -2119 Canoinhas 16.03.1899 União III Luz E Trab. 664 Porto União 16.03.2005 Cavaleiros da Luz - 3657 Florianópolis 19.03.2004 Quintessência - 3572 Bombinhas 21.03.1990 Luz da Acácia - 2586 Jaraguá do Sul 21.03.2009 Acácia de Balneário - 3978 Baln. Camboriú 29.03.1973 Acácia Joinvilense - 1937 Joinville 29.03.1973 Gênesis - 2701 Tubarão 29.03.2012 União Palhocense - 4236 Palhoça 30.03.2006 Luz da Porta do Vale - 3764 Itajaí GLSC - http://www.mrglsc.org.br Data Nome da Loja Oriente 11.03.2003 Fraternidade Itajaiense nr. 85 Itajaí 17.03.2010 Fonte de Luz nr. 102 Chapecó 18.03.1989 Tríplice Fraternidade nr. 48 Dionísio Cerqueira 20.03.2009 Acácia Itajaiense II nr. 100 Itajaí 21.03.1940 Cruzeiro do Sul nr. 05 Joaçaba 24.03.2010 Loja do Sol nr. 103 Blumenau 28.03.1970 Pitágoras nr. 15 Florianópolis 30.03.1995 Leão de Judá nr. 62 Florianópolis
  17. 17. JB News – Informativo nr. 2.004 – Florianópolis (SC) - segunda-feira, 28 de março de 2016 Pág. 17/25 Seminário de Mestres Maçons da 8ª. Região do Grande Oriente Paulista (do correspondente Irmão Chico Madeira): Seminário de Mestres Maçons da 8a região do Grande Oriente Paulista . trabalhos dirigidos pela ARLS Luz do Universo 249 do Oriente de São José do Rio Preto-SP . Presença de mais de 100 mestres. Palestrante Abdo Neder do Oriente de Catanduva José Caccáos - Patrono do Seminário para Mestre Maçom do Grande Oriente Paulista Filho de JOSÉ CACCÁOS e de Dª ELVIRA CACCÁOS, nasceu em 20 de março de 1.908, na Capital do Estado de São Paulo, tendo falecido em 17/05/1.982. Funcionário Público Estadual, por 38 anos. Chefe de Seção na Imprensa Oficial do Estado, onde exerceu, também, as funções de Diretor Substituto. Lotado na Secretária da Justiça do Estado de São Paulo, onde, como relator, fez parte da Comissão Permanente do Orçamento do Estado. Como Corretor de Seguros, atuou no mercado segurador, por mais de 30 anos. Foi Presidente do Conselho Deliberativo da Associação dos Funcionários Públicos do Estado de São Paulo, durante doze anos. Presidente do Conselho Deliberativo da Associação Auxiliadora das Classes Laboriosas, durante 14 anos. Casou-se em 23/01/1.932, com Dª ANTONIETA MASI CACCÁOS, tendo, o casal, dois filhos: WALTER e NILTON, este Membro da ARLS "XX DE SETEMBRO", Or.·. da Capital. Lowton, em 04/07/1.920, adotado pela Loja "GUGLIEMO MARCONI". Iniciado, em 03/12/1.926, na Loja "XX DE SETEMBRO", sendo elevado ao Grau de Companheiro em 4/03/1.927 e exaltado, ao Grau de Mestre, em 23/06/1.931. Dedicou os cinquenta e seis anos de profícua vida maçônica à Loja "XX DE SETEMBRO", onde exerceu os mais variados cargos administrativos, culminando com o exercício da Venerabilidade, nos anos de 1.937, 43, 44, 45, 46, 54, 55, 69 e 71. Recebeu o Título de VENERÁVEL DE HONRA, em 17/07/47. Atuou na Poderosa Assembleia Legislativa, representando as Lojas "União e Caridade", Or.·.de Mogi das Cruzes, em 1.948: "União Igarapavense", Or.·.de Igarapava, em 1.950; "XX DE SETEMBRO", Or.·.da Capital, em 1.954; sendo reeleito em 1.955 e "Templários da Justiça", Or.·.de São João da Boa Vista, em 1.962. Grande Secretário de Administração, do Grande Oriente de São Paulo (GOB), em 1.960. Em 19/12/1.961, recebeu o Título de BENEMÉRITO DA ORDEM, outorgado pelo G.·.O.·.B.·.. Em 03/12/1.976, recebeu a Medalha "José Bonifácio", Categoria "B", outorgado pelo Grão Mestrado do Grande Oriente do São Paulo (GOB). Suas atividades, nos Corpos Filosóficos, também, foram intensas e profícuas, Elevado ao Grau 18, em 23/04/1.934; ao Grau 30, em 19/10/1.947 e ao Grau 33, em 12/06/1.956. Atherzata do Sublime Capítulo "XX DE SETEMBRO", em 1.951, 53, 56, 57 e 59. Tesoureiro do Ilustre Conselho de Kadosch n° 2 (que hoje tem seu nome), em 1.949, 50, 5I, 52, 53, 54 e 56. Grande Venerável do Ilustre Conselho de Kadosch n° 2, em 1.959, 60, 63 e 65. Em 09/09/1.964, recebeu o Título de MEMBRO HONORÁRIO do Ilustre Cons.·.de Kadosch n°5 (Paraná). Membro Fundador do SUPR.·.CONS.·.DOS GRAUS ESCOCESES 4 a 33 PARA O BRASIL em 1.972. Em 15/08/1.975, foi nomeado Grande Inspetor Litúrgico, para o Estado de São Paulo, do Supremo Conselho dos Graus Escoceses 4 a 33 para o Brasil. Em 1.977, foi eleito Soberano Grande Comendador do Supremo Cons.·. dos Graus Escoceses 4 a 33 para o Brasil, exercício 1.977/1.982. Em 09/11/1.970, recebeu o Título de MEMBRO EMÉRITO DE HONRA, do Supremo Cons.·. do 33 para a República Federativa do Brasil (MG). Membro Fundador do Grande Oriente Paulista. Faleceu em 17/05/1982.
  18. 18. JB News – Informativo nr. 2.004 – Florianópolis (SC) - segunda-feira, 28 de março de 2016 Pág. 18/25 Acompanhe os registros enviados pelo Ir. Chico Madeira:
  19. 19. JB News – Informativo nr. 2.004 – Florianópolis (SC) - segunda-feira, 28 de março de 2016 Pág. 19/25 FUNDADO EM RONDôNIA O HIKMAT SHRINER GM Fernando Zamora, GM da GLOMARON Aldino Brasil e Potentado Wesson Pinheiro (Do Irmão Erick Caniso, Grande Secretário das Relações Interiores da GLEAC): O Irmão Fernando Zamora, Grão-Mestre da Grande Loja do Estado do Acre, participou no último sábado na cidade de Porto Velho (RO), da fundação do Hikmat Shriner Club Madeira-Mamoré, onde 44 irmãos de Rondônia e Acre deram um grande passo para que a filantropia Shriner possa se estabelecer na América do Sul. O Irmão Zamora, entusiasta da ação e filantropia, disse que “deseja que possamos nos unir e iniciar a trabalhar para fundar um Club na nossa jurisdicionada, de forma a ajudar a fundação do primeiro hospital Shriner na América do Sul, que será em Cuiabá”. A seguir, diversos registros do acontecimento ocorrido no último sábado, em Porto Velho: Ir Erick Caniso com esposa Lilian e filho Gabriel e o Grão-Mestre da GLOMARON, Aldino Brasil
  20. 20. JB News – Informativo nr. 2.004 – Florianópolis (SC) - segunda-feira, 28 de março de 2016 Pág. 20/25
  21. 21. JB News – Informativo nr. 2.004 – Florianópolis (SC) - segunda-feira, 28 de março de 2016 Pág. 21/25
  22. 22. JB News – Informativo nr. 2.004 – Florianópolis (SC) - segunda-feira, 28 de março de 2016 Pág. 22/25 Inspetoria Liturgica da 4a.Regiao SC <4a.inspetoria.sc@inspetoria.com.br> Estimados IIr.’. Ir.’. Paulo Evandro Raymundi Gr.’. Insp.’. Lit.’. da 4ª. Região de Santa Catarina Ir.’. Carlos RomeuOdwaz ny Del.’. Insp.’. Lit.’. da 4ª. Região de Santa Catarina
  23. 23. JB News – Informativo nr. 2.004 – Florianópolis (SC) - segunda-feira, 28 de março de 2016 Pág. 23/25 Maçons escoteiros
  24. 24. JB News – Informativo nr. 2.004 – Florianópolis (SC) - segunda-feira, 28 de março de 2016 Pág. 24/25 Os vídeos são pesquisados ou repassados, em sua maioria, por irmãos colaboradores do JB News. 1 – Maravilhai-vos: MARAVILHAI-VOS !!!.ppsx 2 – A utilidade da enxada: Como usar a enxada.mp4 3 – A simplicidade de falar alemão: A simplicidade de falar alemao.mp4 4 – Ponto cego do retrovisor: Ponto -cego-do-Retrovisor.WMV 5 – Aventais dos Séculos XVIII e XIX: Aventais sc_XVIII e XIX. pps.pps 6 - Admirai-vos: Apresentacao2.pdf 7 – Filme do dia: (Os Demônios de São Petersburgo) - Dostoiévski - Dublado https://www.youtube.com/watch?v=sRIuHZGUkfQ
  25. 25. JB News – Informativo nr. 2.004 – Florianópolis (SC) - segunda-feira, 28 de março de 2016 Pág. 25/25

×