O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Jb news informativo nr. 2180

61 visualizações

Publicada em

.

Publicada em: Arte e fotografia
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Jb news informativo nr. 2180

  1. 1. JB NEWS Filiado à ABIM sob nr. 007/JV Editoria: Ir Jeronimo Borges Academia Catarinense Maçônica de Letras Academia Maçônica de Letras do Brasil – Arcádia de B. Horizonte Loja Templários da Nova Era nr. 91(Florianópolis) - Obreiro Loja Alferes Tiradentes nr. 20 (Florianópolis) - Membro Honorário Loja Harmonia nr. 26 (B. Horizonte) - Membro Honorário Loja Fraternidade Brazileira de Estudos e Pesquisas (J. de Fora) -Correspondente Loja Francisco Xavier Ferreira de Pesquisas Maçônicas (P. Alegre) - Correspondente Homenagem do JB News aos Irmãos de Cascavel - PR Saudações, Prezado Irmão! Índice do JB News nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Bloco 1-Almanaque Bloco 2-IrManoel Miguel – A Quarta Revolução Industrial – Um alerta à Famílias Maçônica Bloco 3-IrValdemar Sansão – O Cumprimento do Dever Bloco 4-IrRui Jung Neto – Salve 20 de Setembro de 1835! Bloco 5-IrLuiz A. Rebouças dos Santos – Níveis de Consciência Bloco 6-IrJosé Anselmo Cícero de Sá – A Importância da “Educação Moral” na “Renovação Social” Bloco 7-Destaques JB – Breviário Maçônico p/o dia 20 de setembro. Versos do Irmão e Poeta Raimundo Augusto Corado
  2. 2. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 2/35 Autor: Ir Antônio Do Carmo Ferreira https://www.trolha.com.br Nesta edição: Pesquisas – Arquivos e artigos próprios e de colaboradores e da Internet – Blogs - http:pt.wikipedia.org - Imagens: próprias, de colaboradores e www.google.com.br Os artigos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião deste informativo, sendo plena a responsabilidade de seus autores. 1 – ALMANAQUE Hoje é o 264º dia do Calendário Gregoriano do ano de 2016– (Lua Cheia) Faltam 102 para terminar este ano bissexto Dia do Engenheiro Químico e dia da Revolução Farroupiulha Se o Irmão não deseja receber mais o informativo ou alterou o seu endereço eletrônico, POR FAVOR, comunique-nos pelo mesmo e-mail que recebeu a presente mensagem, para evitar atropelos em nossas remesssas diárias. Obrigado. Colabore conosco para evitar problemas na emissão de nossas mala direta diária. L I V R O S
  3. 3. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 3/35 20 de setembro 331 a.C. – Alexandre, o Grande iniciou sua travessia ao rio Tigre para enfrentar o império persa. 827 – Eleição do papa Gregório IV. 1276 – Eleição pelo conclave dos cardeais do papa João XXI, o único papa português da História, que cumpriu até à sua morte em 20/5/1277. 1378 – Eleição do antipapa Clemente VII em oposição a Urbano VI, início do grande cisma do ocidente. 1510 – Castro Verde recebeu carta de foral do rei D. Manuel I. 1519 – Fernão de Magalhães iniciou, a partir de Espanha, aquela que seria a primeira viagem de circum-navegação do mundo. 1540 – Concretizado o 1° auto de fé em Lisboa, onde catorze pessoas foram queimadas, perante o rei D. João III e o cardeal D. Henrique. 1735 – Sessão maçónica da, no hotel Bussy em Paris, com a presença de Jean Théophilus Desaguliers, embaixador de Inglaterra (12/5/1683), Montesquieu e do conde de Waldegrove, sob a presidência do duque de Richmond (maçonaria protestante e orangista), e onde foi iniciado maçon o conde de St. Florentin, secretário do rei. 1737 – Maçons franceses indemnizaram o taberneiro Chapelot que fora condenado a pagar 1.000 £ por ter permitido a reunião de sua Loja. 1765 – Nasceu no Porto, Joaquim de Menezes e Ataíde, frade da Ordem de S. Agostinho, cónego regrante da casa do Infantado, reitor do colégio de S. Agostinho, bispo de Meliapor e de Elvas, arcebispo do Funchal e par-do-reino, exilou-se em Gibraltar, iniciado maçon em 1820 na Loja Liberalidade, de Elvas (5/11/1828). 1767 – Último auto de fé público da inquisição, em Lisboa. 1774 – Faleceu em Port aux Prince, Haiti, Jacques Delyvon Joachin de la Tour de la Casa Martinez de Pasqually, nascido em 1727 em Grenoble. Recebeu de seu pai uma carta patente emitida por Charles Stuart, rei da Escócia, Irlanda e Inglaterra, fechada em 20/5/1738, outorgando-lhe o cargo de G.M. (delegado), com autoridade para levantar templos para "À Glória do Supremo Arquiteto do Universo", e para transmitir a referida carta patente a seu filho maior. A sua doutrina está no único livro que escreveu Tratado da Reintegração dos Seres, um comentário sobre o Pentateuco. Fundou uma ordem não estritamente maçónica, mas composta exclusivamente por maçons, a Ordem dos Cavaleiros dos Eleitos Cohen do Universo ou Ordem dos EFEMÉRIDES DO DIA -Ir Daniel Madeira de Castro (Lisboa) (Fonte: Livro das Efemérides - Históricas, Políticas, Maçônicas e Sociais - 2016)
  4. 4. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 4/35 Cavaleiros Maçons, Sacerdotes Eleitos do Universo. Esta Ordem complementou os tradicionais três graus maçónicos (Aprendiz, Companheiro e Mestre), com um sistema de Altos Graus, onze divididos em três grupos . Em 1774, fundou, em Montpellier, o capítulo os Juízes Escoceses e depois em Foix o capítulo o Templo Cohen. Em 1761, fundou em Bordéus, a Loja A Perfeição Eleita Escocesa, informou a G.L. de França, que trabalhavam num Templo com cinco Graus de Perfeição, o que foi aprovado, e que sofreu grande expansão, maçon francês. — Nasceu em Lisboa, Pedro António de Pina Manique Nogueira Matos de Andrade, 1° visconde de Manique do Intendente, filho de Pina Manique, bacharel em leis por Coimbra, desembargador na Relação do Porto, membro do conselho ultramarino e deputado da mesa da consciência e Ordens, iniciado maçon em 1802, na Loja Amizade, de Lisboa (5/2/1839). 1819 – Morreu em Paris, José Custódio de Faria, o abade Faria (30/5/1746). 1842 — Faleceu em Lisboa, António Manuel Lopes Vieira de Castro, maçon (15/7/1796). 1870 — Tropas italianas entraram em Roma, provocaram uma eleição onde uma esmagadora maioria ficou contra o papa Pio IX, o I concílio do Vaticano foi suspenso, não tendo tido mais seguimento, em consequência da guerra franco-prussiana e foi o fim do domínio dos estados pontifícios sobre Roma (18/7/1870). 1872 — Estabelecido o divórcio em França. 1880 – Fundação da G.L. da Roménia, que viria a ser fechada em 1937 e reaberta em 1993, após a queda do regime comunista. 1885 – Fundação da G.L. Soberana de Porto Rico. 1886 — Faleceu em Lisboa, Gilberto António Rola, onde nasceu em 1816, gen., jornalista e político republicano, fundou o primeiro Centro Republicano e com Elias Garcia, Oliveira Marreca (26/1/1805) e Latino Coelho, esteve na origem do Partido Reformista, depois Partido Republicano, colaborou em várias revistas, destacamos Eccos dos Operários, deputado e maçon. 1897 – Nova Constituição do G.O.L.U., revendo aspetos essenciais como a definição de maçonaria, os requisitos necessários para se ser maçon, eliminação da obrigatoriedade da crença religiosa, a forma de uma federação de ritos e a instituição do cargo de G.M. Adjunto. Ao tempo havia três ritos: simbólico, francês moderno e escocês antigo e aceito. 1899 – Jules Guérin, antisemita e antimaçon, barricou-se com os seus seguidores em Paris na Rue Chabrol protestando contra a revisão do processo Dreyfus. Dirigiu os jornais Anti-Juif e Ligue Antisémite, depois de ter fundado um Grand Ociddent de France, uma provocação antimaçónica. 1909 – Firmado acordo entre o G.O do Brasil e o G.O. do Rio Grande do Sul. 1910 – Fundação do Club Sport Marítimo na cidade do Funchal na ilha da Madeira.
  5. 5. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 5/35 1911 — Realizou-se em Roma, o Congresso Maçónico Internacional, a que esteve presente o G.M. Sebastião de Magalhães Lima. 1930 – A lâmpada elétrica foi patenteada. 1934 — Faleceu na Foz do Arelho, Francisco de Almeida Grandela, maçon (23/7/1852). 1940 – Os nazis fecharam a maçonaria na Noruega e o funcionamento foi interdito a todas as suas lojas, a guarda pessoal do traidor Vidkum Quisling, alojou-se no templo maçónico de Oslo. 1957 — Faleceu em Javenpaa, Johann Julius Christian Sibelius, maçon finlandês (8/12/1865). 1999 – Libertação de Timor-Leste pelas forças da O.N.U.. 1737 Maçons franceses indenizam o taverneiro Chapelot, condenado a pagar 1.000 libras por ter permitido a reunião de sua Loja. 1870 A Revolução Francesa, preparada na obra dos enciclopedistas, desenvolvida nas lojas maçônicas, eclodiu nos parlamentos, nos salões literários, e foi para a praça pública, derrubando séculos de regime absolutista, na palavra incandescente dos Mirabeau, dos Marat, no espírito ágil de Voltaire e no pensamento de Rosseau. O Ressurgimento Italiano viveu nas "vendas" da Jovem Itália, no pensamento fecundo de Mazzini, na ação política de Cavour e na bravura de Garibaldi, e coroou-se na conquista liberal de 20 de Setembro de 1870. A Independência Americana firmou-se na tenacidade de Washington, na clarividência de Franklin, na glória de um Lafayette. 1873 É iniciado Ir.'.Deodoro da Fonseca, na Loja Rocha Negra, de São Gabriel, RS. 1880 Fundação da Grande Loja da Romênia, que seria fechada em 1937 e reaberta em 1993, após a queda do regime comunista. 1885 Fundação da Grande Loja de Porto Rico 1909 Firmado acordo entre o Grande Oriente do Brasil e o Grande Oriente do Rio Grande do Sul 1940 Na 2ª Guerra Mundial os Nazistas fecham a Maçonaria na Noruega. A guarda pessoal do traidor Vidkum Quisling, aloja-se no Templo Maçônico de Oslo. 1948 Fundação da Loja Luiz Balster nr. 6, de Caçador (GOSC) 1991 Fundação da Loja Acácia da Arte Real nr. 50, de Florianópolis (GLSC) Fatos maçônicos do dia Fonte: O Livro dos Dias (Ir João Guilherme) e acervo pessoal
  6. 6. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 6/35
  7. 7. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 7/35 Florianópolis vai sediar nos dias 14 e 15 de outubro o XXIII Encontro de Estudos e Pesquisas Maçônicas
  8. 8. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 8/35 Irmão Manoel Miguel é MM da Loja Colunas de São Paulo, 4145 CIM 293-759 - GOB/GOSP – São Paulo Escritor – Palestrante – Coach em Saúde e Estilo de Vida Autor do livro: Viver Mais Com Saúde e Felicidade O Ir Manoel Gabriel escreve às terças-feiras neste espaço. A QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL UM ALERTA À FAMÍLIA MAÇÔNICA. A palavra “revolução” causa um certo temor, uma vez que significa mudança radical e abrupta, onde sempre há riscos de vida para alguns e muitas oportunidades para outros. Durante a história, muitas revoluções aconteceram e mudaram a maneira de como percebemos as coisas e os fatos, despertando profundas mudanças nos meios sociais e econômicos da humanidade. A primeira revolução industrial se deu entre 1760 e 1840, com a descoberta do vapor como meio de transformação de energia, que facilitou a vida das pessoas, interferiu nos meios de transporte, com a invenção da locomotiva, das linhas férreas, da indústria mecânica e na criação de máquinas que melhoraram a capacidade produtiva, etc. Albert Pike usa a metáfora do vapor para comparar a força do povo, dizendo que a força do povo é como o vapor que, se bem aproveitado pode mover locomotivas e canhões de guerra, enquanto que, se jogado ao vento, não serve para nada. Ele queria dizer que os líderes devem ser capazes de usar a força do povo que os elegem, para fazer coisas boas para a nação, revertidas em benefício do próprio povo. Oxalá no Brasil os nossos políticos entendessem e usassem a força do povo com ética, moral e comprometimento com nossa nação. Faz tempo que não surge alguém que assim o faça acontecer. Essa mesma comparação do vapor se aplica às mudanças. É preciso que estejamos preparados para canalizar a força das mudanças de forma proveitosa. A segunda revolução industrial aconteceu no final do século XIX e início do século XX, onde ficou marcante a descoberta e utilização da eletricidade, das turbinas de geração de energia, movidas à carvão, da produção em massa, das linhas de montagem e da construção de hidroelétricas. Esse avanço permitiu o invento da lâmpada elétrica, que possibilitou a ampliação artificial do período de produção durante a noite, bem como a melhora da produtividade, das máquinas operadas por pessoas, e o ganho na qualidade de vida no lar, nos hospitais, nas universidades e centros de pesquisas. Os automóveis também significaram muito na contribuição desse avanço tecnológico. A terceira revolução industrial começou nos anos 1960, sendo marcada pelo surgimento dos computadores e as tecnologias de comunicação em rede mundial interconectada, além dos aparelhos celulares, etc. Me lembro do meu primeiro Motorola, que eu carregava na cintura, quase do tamanho de um tijolo, mas que significava liberdade e mobilidade a qualquer hora, em qualquer lugar, desde que tivesse sinal da operadora. Nossas Lojas passaram a ter ar 2 – A Quarta Revolução Industrial – Um alerta à Família Maçônica - Manoel Miguel
  9. 9. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 9/35 condicionado, lâmpadas artificiais no lugar de velas, uma decoração bastante artificial para representar o plano superior, sistemas digitais para auxiliar o Mestre de Harmonia, o Chanceler, o Secretário, o Orador e o Venerável Mestre. Nossas joias e paramentos passaram a ser artificiais, imitações e artifícios que mexem com a qualidade da simbologia e do sentido esotérico dos nossos trabalhos. Mas a grande mudança mesmo está ocorrendo agora, no século XXI. A essa mudança, alguns chamam de Quarta Revolução Industrial”, enquanto outros afirmam ser a continuidade da terceira revolução. Independente do nome, ela está vindo como um tsunami, nos pegando totalmente despreparados para enfrentá-la, embora ela afetará todas as áreas da nossa vida, inclusive em nossa Fraternidade. Temos que estar preparados para embarcarmos plenamente nessa nova revolução, na dimensão, plenitude e velocidade que ela está investida, o que a difere bastante das outras revoluções. Ela foi assunto das reuniões dos comitês internacionais, tais como o G20, do qual o governo Michel Temer acabou de participar. Na Feira de Hannover, na Alemanha, ela é chamada de “Industria 4.0”, um termo usado para descrever a dimensão do impacto dessa revolução nas cadeias de valores globais das organizações. É como se as indústrias e a cadeia produtiva de hoje se tornassem dinossauros em pouco tempo. De fato, já estamos no século XXI, às margens dessa revolução, mas ela vem crescendo como as ondas do mar, que se elevam rapidamente durante as marés. Levemos em consideração os bilhões de pessoas interconectadas nesse momento, nas mais variadas formas, por equipamentos com ou sem fio, em bandas largas de altíssima velocidade, com dados e informações transferidas por cabos de fibra óptica, satélites, antenas de transmissão, etc., para aparelhos celulares, tablets, computadores, TV’s, impressoras 3D’s, máquinas, veículos, sistemas automatizados de produção ou de cuidados com a saúde. Nesse momento, em algum lugar, uma cirurgia está sendo feita num lugar bem distante, sendo acompanhada e orientada por um cirurgião responsável que está em Harvard ou em outro local especializado. Imagine o potencial e a quantidade de informação navegando ou sendo armazenada em nuvem, o potencial de transferência e armazenamento de energia ou informação. Nesse momento, em vários lugares do mundo, descobertas escalonadas de novas tecnologias estão emergindo, sendo compartilhadas ou guardadas em segredo patenteado, nas mais diversas áreas científicas, tais como: (AI) Inteligência Artificial; Robótica; (IoT) Internet of Things - Internet das Coisas; Veículos Autônomos, transportando passageiros sem motoristas, contratados por sistemas inteligentes; Impressão em 3D, inclusive de peças de veículos, ou implantes artificiais, de acordo com as necessidades do paciente, com redução dos riscos de rejeição e precisão incrível; Nanotecnologia; Biotecnologia; Ciência dos Materiais; Armazenamento de Energia; Sistemas de produção de energia solar; Energia eólica; Baterias de íon-lítio para carros elétricos ou híbridos; Computação quântica, entre tantas outras formas dessa quarta revolução. As promessas são a produção de energia limpa, a partir da luz solar, do vento e da biomassa, desprezando de vez os combustíveis fósseis e os motores movidos por combustíveis fósseis ou carvão; produção de energia compartilhada, de um continente ao outro, aproveitando a produção de energia solar, transformando-a em energia elétrica enquanto o sol brilha em um continente, para abastecer outros continentes e vice-versa; construções rápidas, baratas e seguras, feitas por maquinas e impressoras 3D; manufatura, serviços, educação e saúde pública atendidos por robôs e plataformas inteligentes; abolição dos derivados de petróleo, tais como os plásticos; precisões cirúrgicas e fabricação de próteses que substituem órgãos ou partes deles, tecidos e órgãos artificiais produzidos em laboratório ou em impressoras; nanotecnologia na produção de próteses minúsculas para as microcirurgias; evolução da epigenética e o sequenciamento genético,
  10. 10. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 10/35 permitindo seres mais resistentes às doenças, melhorando a qualidade de vida e a longevidade; produção de automóveis, peças e auto partes através de robôs inteligentes, sistemas de posicionamento geográfico global, melhora da produtividade agropecuária, com sementes e matrizes geneticamente modificadas e tudo que o ser humano possa imaginar. Tudo parece muito lindo, maravilhoso, embora a insegurança e o desconhecimento do tamanho do impacto que essa revolução irá causar são tão grandes quando as expectativas. Minha esposa é tradutora para a IBM desde 1998. Era uma excelente profissão, que agora está em plena decadência, sendo substituída por máquinas e plataformas de tecnologia IBM que ela mesma ajudou a desenvolver. A IBM está desenvolvendo com sucesso, sendo que em algumas áreas já está em operação, a plataforma de tecnologia Watson, capaz de analisar e estruturar dados. Segundo o IBM Watson, 80% dos dados atualmente não estão estruturados, incluindo novos artigos, relatórios de pesquisas, postagens em mídias sociais e dados do sistema empresarial. O IBM Watson compreende as mais complexas perguntas e as responde com precisão, apresentando soluções confiáveis em todas as áreas. Na área da saúde, já é possível uma pessoa apresentar seus sintomas ao IBM Watson e em pouco tempo obter o diagnóstico com precisão algumas vezes superior à avaliação do profissional humano, bem como as solicitações de exames e a prescrição de medicamentos, substituindo ou auxiliando o trabalho do médico. Chegará o dia em que, na área jurídica, a máquina substituirá o homem, tanto o advogado quanto o promotor e o juiz, na decisão de um processo jurídico, que poderá acontecer num local determinado ou à distância. Em 2025, possivelmente faremos uma ligação para Tóquio, falando português e chegando aos ouvidos da pessoa que está do outro lado em sua língua nativa, o japonês. Segundo a revista “The Economist” do início do mês de setembro de 2016, não haverá nenhuma área de domínio humano que não possa ser substituída por máquinas ou sistemas dotados de Inteligência Artificial. Em algumas dessas áreas, essa revolução ainda está bem no início ou engatinhando, mas, já em 2020, ano em que possivelmente o Brasil estará saindo da atual crise econômico-financeira, há estimativas de um corte mundial de 5 milhões de empregos, seguidos de outros cortes a curto prazo, que serão substituídos pela Inteligência Artificial. Não é brincadeira. Fico imaginando se as nossas sessões serão virtuais, com golpes de malhetes digitais, etc. Alguém terá renda suficiente para honrar os metais, ou o desemprego afetará o nosso sistema atual? Para onde irão os desempregados pela tecnologia? Teríamos um “êxodo urbano” dessa vez? Onde estarão as Lojas, na zona rural? Ou serão apenas digitais? Faremos o caminho inverso da Maçonaria operativa, migrando para o campo? São perguntas com as quais teremos que lidar na busca preventiva de soluções. Na educação, muito em breve não haverá professores em sala de aula. Talvez o aluno nem tenha que ir à escola, já que o ensino à distância vem ganhando força, e os professores serão robôs inteligentes. Não se trata de uma mudança mecânica, simplesmente, mas sim, uma fusão da alta tecnologia, o mundo físico, biológico e, quem sabe, do plano metafísico, se é que restará alguma coisa de metafísico nessa história. Na área da saúde, nossos corpos poderão ser dotados de tanta tecnologia embarcada que ficará difícil dizer o que é natural e o que é artificial. Na história da humanidade, nunca houve uma era de tão grandes mudanças em tamanha velocidade, profundidade e precisão, com grandes promessas e perigos potenciais indefinidos ao mesmo tempo. A velocidade dessa
  11. 11. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 11/35 evolução tecnológica é tão grande que pode pegar as nações sem preparo algum para alocar a mão-de-obra que ficará ociosa, sem renda e sem condições de sobrevivência. Quando uma pessoa fecha o foco de sua busca ou pesquisa em uma única coisa, a tendência é que fique muito competente naquilo que faz e descura coisas inacreditáveis. É o que está acontecendo no mundo tecnológico. Tudo isso é muito positivo de um lado, mas causa impacto negativo na outra ponta, sempre. Nos distanciamos do que é metafísico e nos dedicamos inteiramente no plano da matéria. Por isso, nos tornamos muito bons em pesquisas científicas, desenvolvimento de altas tecnologias, produção em massa, com qualidade e repetibilidade, nos superando, a ponto de criarmos maquinas, equipamentos, instrumentos e sistemas capazes de nos substituir ou nos autodestruir. Curioso não? Seria possível haver espaço para o amor, que é a essência da vida, num sistema materialmente alicerçado? Qual seria o futuro do mundo, da família ou da Maçonaria? Como ficará o campo social e as relações afetivas, já que robôs substituirão seres humanos até nas relações sexuais? Não temos muito tempo para pensar. Alguém poderia argumentar que esse assunto não tem nada a ver com Maçonaria, mas, como não tratar de um assunto de um contexto onde todos estão inseridos? Não dá para ignorarmos essa grande revolução, até porque, nossas famílias sofrerão os impactos de tudo isso. Antes de sermos Maçons, somos humanos, pais, avôs, tios, irmãos, primos, etc.! No meu modo de pensar, estamos no momento de os Maçons voltarem as suas origens, reforçando nas sessões, a importância do plano metafísico, valorizando os rituais antigos, desprezando as mudanças que artificializaram nossas sessões e valorizando as boas vibrações esotéricas dos rituais do passado, associando tudo isso às mudanças da revolução tecnológica. Ter a humildade de reconhecer os desvios e voltar alguns passos atrás não empobrece ninguém, tampouco nos causa vergonha. Até porque, já no começo dessa nova revolução industrial, o mundo vai sentir sede de alimentar a alma. Na verdade, já estamos sentindo, o que reforça a necessidade de mudança e os ganhos de quem se antecipar às tempestades, como águias. Na minha opinião, o homem sem Deus, mesmo que seja o maior cientista, se não tem o suporte da fé e não estiver alicerçado na esperança de uma vida futura, torna-se perigoso, pior que o mais selvagem dos animais, haja vista que é dotado de consciência, a qual poderá ser utilizada para os prazeres pessoais imediatos, muitas vezes, utilizando a alta tecnologia para seu bem-estar momentâneo, mesmo que, para isso, esteja praticando crimes contra a humanidade, contra a pátria, contra o povo, de forma insensível, como se tudo fosse normal. Vejo isso na política brasileira, no crime organizado e nos casos de propinas nas licitações públicas. Claro que, muitas dessas pessoas até falam em Deus, mas como dizia Jesus, da boca para fora, num contexto artificializado, cético e duvidoso. Na família, precisamos reforçar nossos valores, incentivando as refeições juntos, à mesa, antecedendo-as com uma oração invocando o Grande Arquiteto do Universo, falando da vida após a morte, falando da importância de sermos éticos, de bom caráter. Precisamos discutir essas coisas com nossas crianças, sem impor nossas posições, mas fazendo-as pensar e dando oportunidade para que façam perguntas, estando nós preparados para respondê-las. Precisamos desenvolver nas crianças o hábito e o desejo pela leitura de livros físicos, não digitais, de preferência aqueles que tenham mensagens morais, de onde tiramos um bom diálogo com a família sobre valores éticos, cívicos, morais e espirituais. As livrarias estão fartas de livros com historinhas que agradam as crianças, que estão ávidas por informações novas, como os antiácidos efervescentes estão por água. Se não o fizermos, eles buscarão outras fontes, muitas vezes sem o nosso acompanhamento, sem que percebamos, correndo riscos de caírem nos contos de pessoas dissimuladas e mal-
  12. 12. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 12/35 intencionadas. Precisamos programar um tempo para a família, onde todos se reúnam para uma boa conversa, sem TV ligada nesse momento sagrado, sem Internet e plataformas de bate-papo nesse momento sublime. Somente a família e o compartilhamento de ideias, sugestões, opiniões e afago, não sendo esse o momento de correções ou assuntos que tirem as boas vibrações. É momento de fazer um elogio, passar uma mensagem emotiva, falar do GADU e de sua grandeza, ensinando o belo e o inefável. É momento de declarar o amor por cada um da família e ouvir declarações entre todos. Precisamos tirar um tempo para acompanhar a educação escolar dos filhos, participando de suas atividades para casa, as chamadas tarefas, auxiliando no que for preciso, diariamente. O aprendizado na educação escolar corresponde a 25% feito durante as aulas e 75% em casa, nas tarefas, nas pesquisas e através da leitura diária. E por falar em educação, precisamos nos preparar, pois, em breve, esse sistema educacional que existe hoje, tornar-se há obsoleto e ultrapassado por completo. Isso vai demandar a presença de pais atentos às mudanças, se quisermos filhos preparados para serem os supercérebros da quarta revolução, os únicos que terão espaço e oportunidades no mercado revolucionário. O sociólogo Manuel Castells, professor de tecnologia de comunicação social da Faculdade Annemberg de Comunicação e Jornalismo, da Universidade do Sul da Califórnia disse uma frase que se encaixa muito bem no final desse artigo: “Em todos os momentos de grandes mudanças tecnológicas, as pessoas, empresas e instituições sofrem profundamente com os impactos dessas mudanças, simplesmente por pura ignorância dos seus efeitos”. Estarmos preparados físico, emocional e espiritualmente, adotando medidas preventivas de adaptação às mudanças são as únicas vacinas eficiente, que contribuirão positivamente no mundo das grandes revoluções tecnológicas, preenchendo o vazio que o materialismo sozinho não pode satisfazer. Espero ter contribuído positivamente com nossos irmãos, leitores e amigos, com um chamado ao despertar, para um momento onde tudo será diferente do que é hoje, onde até o médico de hoje precisa mudar, para continuar sendo médico amanhã. E assim será em todas as áreas do conhecimento. Como será a Maçonaria? Precisamos pensar nisso. Autor: Manoel Miguel – ARLS Colunas de São Paulo 4145 – GOSP/GOB. Or∴ de São Paulo. Autor do livro Viver Mais Com Saúde e Felicidade. E-mail: manoelmiguel@msn.com Cel. /WhatsApp: 19 98401-0686. Bibliografia: Bíblia Sagrada. Revista The Economist – setembro de 2016. Revista Nature: http://www.nature.com/news/welcome-to-the-cyborg-olympics-1.20353 Livro: The Second Machine Age: Work, Progress and Prosperity in a Time of Brilliant Technologies. Autores: Erik Brynjolfsson e Andrew McAfee – MIT – Massachusetts Institute of Technology. Editora W. W. Norton & Company – 2014. Livro: The Fourth Industrial Revolution. Autor: Klaus Schwab – Editora Crown Business – World Economic Forum. Lançamento programado para 03/01/2017.
  13. 13. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 13/35 MENSAGEM DO DIA - O CUMPRIMENTO DO DEVER Valdemar Sansão Dia l8 de setembro O CUMPRIMENTO DO DEVER O ato de prestar auxílio ao próximo não constitui em si um dever, mas o reflexo de uma personalidade bem formada. O maçom cumpre seus deveres porque é um Iniciado. Dever - O dever é uma obrigação que é observada como princípio; existem múltiplos deveres a serem observados pelo homem, sendo os principais: deveres para com Deus; deveres para Consigo mesmo; deveres para com a Família; deveres para com o Próximo; deveres para com a Pátria; e, para os Maçons, acresce mais os: deveres do Maçom. Os deveres maçônicos não devem ser catalogados, mas brotam através do conhecimento. O homem mais justo e sábio é o que cumpre com o seu dever. Deveres para com Deus - Aos olhos de Deus, será honesto tão somente aquele que possuído de abnegação e amor consagre a existência ao bem, ao progresso dos seus semelhantes; aquele que cumpre os seus deveres; que não destrói reputações, que não é orgulhoso, nem invejoso, nem ambicioso; aquele que paciente é benévolo para com os que o agredirem; aquele que perdoa do fundo d’alma sem esforços, sem ostentação; enfim, o que pratica o preceito conciso e grandioso que se resume no amor a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo. Tê- lo-ia eu sido? Não! Faltamos a muito desses deveres. Deveres para consigo mesmo – O dever é obrigação moral da criatura para consigo mesma, primeiro, e, em seguida, para com os outros. O dever é a lei da vida. Com ele deparamos nas mais ínfimas particularidades, como nos atos mais elevados. Na ordem dos sentimentos, o dever é muito 3 – O Cumprimento do Dever Valdemar Sansão
  14. 14. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 14/35 difícil de cumprir-se, por se achar em antagonismo com as atrações do interesse e do coração. O dever íntimo do homem fica entregue ao seu livre-arbítrio. Cada estágio de nosso progresso maçônico tem a sua finalidade, devendo ser bem cumprido. A apressada postulação de Graus Maçônicos é uma demonstração de fraca noção do dever do Maçom para consigo mesmo. Por outro lado, a irresponsável aplicação de Graus, sem a observação dos critérios recomendados, é uma demonstração da infidelidade dos dirigentes e da Loja no cumprimento de sua missão institucional. Para se chegar a qualquer Grau Maçônico é necessário comprovar pontualidade, assiduidade, Espírito Maçônico, conhecimento da doutrina do Grau, dedicação à causa empenhada. Fielmente observado, o dever do coração eleva o homem; como determiná-lo, porém, com exatidão? Onde ele começa? Onde termina? Ele principia, exatamente no ponto em que ameaçamos a felicidade ou a tranquilidade do próximo; acaba no limite que desejamos que ninguém nos transponha. Auxilia aos outros, tanto quanto puder. Cada pessoa que hoje o encontra talvez seja amanhã a chave de que necessita para a solução de numerosos problemas. Deveres para com a Família – No núcleo chamado família onde todos os que ali vivem têm os mesmos objetivos: ser feliz. Para ser feliz procuramos do lado de fora dele, quando ele mora no seu interior. Para ser feliz é preciso que a pessoa esteja contente, satisfeita e de consciência limpa. Sem isso, nem todos os bens do mundo poderão fazer-nos feliz. Nenhum sucesso na vida compensa o fracasso no lar. Ter sido um tremendo executivo de sucesso, um notável destaque na Sociedade, e perceber que mal conhece sua família? Qual o verdadeiro “sucesso” de ter um filho drogado por falta de atenção, carinho e tempo para ouvi-lo no dia-a-dia? De que adianta fazer uma fortuna para ter de dividi-la pela metade num ruinoso divórcio e pagar pensão à ex-esposa para o resto da vida? De que adianta ser um executivo bem-sucedido e depois chorar durante a sobremesa porque não conheceu sequer a própria filha? Deveres para com o Próximo – Nunca somos tão pobres de bens materiais e espirituais que não possamos doar alguma coisa ao Irmão necessitado, seja o pão ou a palavra de consolo. Deveres para com a Pátria – Em passeatas, cartazes são apresentados como desejos da sociedade. Vários direitos são pedidos. Causas do descontentamento são apresentadas com palavras de ordem. Gritos são ouvidos clamando pelo zelo do dinheiro público e pedido de cadeia para os que avançam no erário, desviando dinheiro que poderiam ser empregados na saúde, educação e segurança. Qual a causa de toda esta insatisfação da Sociedade Brasileira? Não seria por acaso a falta do CUMPRIMENTO DO DEVER PARA COM À PÁTRIA? Art. 49º da Constituição Federal: X - É da competência exclusiva do Congresso Nacional: “fiscalizar e controlar, diretamente, ou por qualquer de suas Casas, os atos do Poder Executivo, incluídos os da administração indireta”. E quando deixa de apurar o não Cumprimento do Dever de seus próprios membros? Há acusações ao Poder Judiciário, que só pode julgar dentro da Lei. As leis são feitas para quem não cumpre com os Deveres de Cidadão. O Art. 5º da Constituição Federal: Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade. Quando se fala em Direitos e os Deveres são esquecidos há perigo de se marchar para uma revolução social. O que virá dependerá muito do que a sociedade construir agora, nesse período de transição. O governo fazendo o que deve ser feito, a grande maioria dos brasileiros lhe dará o apoio
  15. 15. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 15/35 necessário para pôr o Brasil de volta na rota do crescimento. É importante, porém, que se considere que a diferença entre o remédio e o veneno é a dose que se usa. Deveres do Maçom – Os deveres, em Maçonaria, dividem-se em três classes: os da Loja para com os Maçons, os dos Maçons para com a Loja e seus irmãos, e os dos dignitários e oficiais para com todos os Maçons. A Loja deve proteção e instrução a todos os seus membros. Os Maçons se devem amor e ajuda entre si, respeito e obediência à Loja e seus representantes. Os dignitários e Oficiais devem cumprir a missão de seus cargos, sujeitando-se aos Regulamentos e Estatutos. O Venerável, em particular, deve cuidar para que todo Irmão recém-admitido seja muito bem esclarecido do que se segue: 1. É dever do Maçom: I – prestar o mais decidido apoio aos Princípios Fundamentais da Ordem; II – concorrer para tudo quanto possa beneficiar a Maçonaria e a Humanidade; III – cumprir, rigorosamente, as resoluções maçônicas e as decisões das Administrações Superiores competentes; IV – satisfazer, com pontualidade, as contribuições a que estiver sujeito; V – aceitar e desempenhar, diligentemente, os cargos ou comissões para que for eleito ou nomeado; VI – ser assíduo às sessões de sua Loja; VII – contribuir para um ambiente permanente de paz, de concórdia e de harmonia no seio de sua Loja e na Grande Loja; VIII - dedicar-se com vistas ao seu aperfeiçoamento cultural e moral, ao estudo do Simbolismo e da Filosofia Maçônica. 2. Honrar e venerar o G∴ A ∴ D ∴ U ∴, a quem agradece sempre as boas ações que pratica para com o próximo e os bens que lhe couberem em partilha; tratar todos os homens sem distinção de classe e de raça, como seus iguais e Irmãos; combater a ambição e o orgulho, o erro e os preconceitos; lutar contra a ignorância, a mentira, o fanatismo e a superstição, que são os flagelos causadores de todos os males que afligem a Humanidade e entravam o progresso; praticar a justiça recíproca, como verdadeira salvaguarda dos direitos e dos interesses de todos, e a tolerância, que deixa a cada um o direito de escolher e seguir sua religião e suas opiniões; reconduzi-los ao verdadeiro caminho; enfim, ir ao socorro do infortúnio e da aflição. O maçom cumprirá todos estes deveres porque tem a Fé, que lhe dá coragem; a Perseverança que vence os obstáculos e o Devotamento, que o leva a fazer o bem, mesmo com o risco de sua vida e sem outra recompensa que a tranquilidade de consciência. Concluindo – Caríssimo Irmão, cumpra seu dever, aconteça o que acontecer! A maioria, no mundo profano, pleiteia direitos sem dar-se conta dos deveres que lhe são impostos. O Maçom que cumpre o seu dever ama a Deus mais do que as criaturas e ama as criaturas mais do que a si mesmo. É a um tempo juiz e escravo em causa própria. O dever é o mais belo laurel da razão; descende desta como de sua mãe o filho. Assim, Deus, nosso Pai, nos ajude e abençoe sempre! PS – Empenhemo-nos por dizer, ao fim de cada dia: Fiz hoje obra útil, alcancei alguma vantagem sobre mim mesmo, assisti, consolei desgraçados, esclareci meus Irmãos, trabalhei por torna-los melhores; tenho CUMPRIDO O MEU DEVER!
  16. 16. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 16/35 Ir. Rui Jung Neto, ex-V.M. da Loja "Concordia et Humanitas" Nr. 56 Porto Alegre – GLMERGS, e membro do Colegiado Diretor do “Colégio de Estudos do Rito Schröder Ir. Gouveia”. SALVE 20 DE SETEMBRO DE 1835! Entre 20 de setembro de 1835 e 01 de março de 1845, os Gaúchos se revoltaram contra o governo central e fundaram a República Rio-grandense, não suportando o descaso da metrópole e a sangria de recursos através dos pesados impostos. Foram mais de cem combates nos quais os Farroupilhas, com bravura e honra, mantiveram durante mais de 9 anos "a guerra de uns poucos contra um Império". Alguns dos principais líderes do movimento eram maçons, dentre eles: Gen. Bento Gonçalves (33°); Gen. David Canabarro (18°); José Mariano de Matos (18°) e Giuseppe Garibaldi, o italiano imortalizado como “O Herói de Dois Mundos”, por sua luta pela unificação da Itália. Também era maçom, o Marechal Luiz Alves de Lima e Silva, na época Barão de Caxias e comandante militar do Império. Isto certamente facilitou as negociações e o tratado de paz. Demonstrando seu respeito pelos Farrapos, o Ir. Caxias teria dito: "Homens como estes não se vence pelas armas". Meus Irmãos, longe de arroubos separatistas, como "homens livres e de bons costumes" ou de “boa reputação”, cidadãos e contribuintes brasileiros de todos os Estados, cabe-nos permanentemente avaliar a situação do nosso País, principalmente quanto ao tratamento dispensado pelos homens públicos aos nossos problemas e à nossa gente. O maçom, como "Construtor Social", tem o dever de ter e exigir dignidade na vida pública e lutar por uma Sociedade mais justa, mais humana e mais solidária. 4– Salve 20 de Setembro de 1835! Ruy Jung Neto
  17. 17. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 17/35 Para nós, "Liberdade, Igualdade e Fraternidade" não pode ser apenas uma divisa! Complemento com o Simbolismo da Bandeira Rio-grandense segundo o Conde Tito Lívio Zambeccari e um comentário final: "Na Bandeira, os triângulos retângulos, de cores verde e amarela, figuras geométricas da perfeição; o quadrilongo central em vermelho, representação do mundo na concepção dos antigos. Assim, na linguagem do pavilhão, o mundo das lutas presentes, tinto de sangue, é a base ao mesmo tempo do progresso material, representado pelo triângulo cor de ouro, e da perfeição moral, pelo triângulo cor da esperança. No Escudo, as Colunas de Hércules, o "nec plus ultra" da marcha aparente do Sol, significando que o Poder e a Sabedoria de Deus estão acima dos julgamentos dos homens; as romãs (não balas de canhão antigo como consta da lei que instituiu a Bandeira atual) que as encimam, imagens da harmonia social; nos triângulos do quadrilátero, as estrelas flamígeras de cinco pontas, designação da quinta essência universal, do espírito animador de todas as coisas; o barrete frígio, emblema da República e da liberdade; a espada (e não o sabre) que o sustenta, símbolo da justiça e da inflexibilidade no cumprimento da lei; os ramos de acácia (e não de fumo e erva- mate), evocação do florescimento das ideias que devem encher de beleza a vida dos homens. O número três, o número místico das idades sagradas, está nas suas cores, nos seus desenhos e, ainda, ao sopé do escudo, no dístico da República, inspirado na Revolução Francesa". - Da Peça de Arq. do Ir. Maximiano Pombo Cirne em 19/09/1975 na A. R. L. S. "Província de São Pedro", citando "Garibaldi e a Guerra dos Farrapos", obra de Lindolfo Collor. Sobre o lema “Liberdade, Igualdade e Humanidade” que completa o Brasão, uma interpretação pessoal, porém fundamentada: ao contrário do que muitos pensam, o lema da I República, instaurada pela Revolução Francesa em 1789, era “Liberdade, Igualdade ou Morte”. Somente na II República de França (1848-1852) surgiu a “tríplice divisa”, “Liberdade, Igualdade, Fraternidade”, depois adotada pela Maçonaria Francesa e, a partir dela, pela Maçonaria de muitos países. Mas, como a Revolução Farroupilha ocorreu entre a I e a II Repúblicas Francesas, acredito que os Maçons Farroupilhas resolveram substituir a palavra “morte” por um conceito mais adequado às
  18. 18. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 18/35 elevadas aspirações maçônicas e à própria revolução. Para a Maçonaria, “Humanidade” representa os ideais de fraternidade entre todos os seres humanos, objetivo permanente a ser alcançado. Fraterno abraço e Cordial Aperto de Mão do Ir. Rui Jung Neto, ex-V.M. (AStM) “Aprendendo, ensinarás. Ensinando, aprenderás.” Cinq. Ben. A.R.L.S. "Concordia et Humanitas" Nr. 56 – Rito Schröder – GLMERGS Templo: Rua Barão do Amazonas Nr. 2316 – Bairro Partenon – ao Or. de Porto Alegre - RS (51) 9942-2605 (Vivo e WhatsApp) – ruijung@gmail.com (Skype) VII Seminário Nacional do Rito Schröder – Ir. Kurt Max Hauser - Porto Alegre – RS - 11 e 12/11/2016 Para Informações e inscrição, visite o site: www.viiseminarioschroder.concordia56.org
  19. 19. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 19/35 NÍVEIS DE CONSCIÊNCIA Ir Luiz A. Rebouças dos Santos Loja Perseu nº 84- REAA- Porto Alegre- RS Repasse: Ir. Laurindo R. Gutierrez Londrina Sempre se tem falado que tais e tais reações, ou interpretações dependem do nível de consciência de cada um ou da coletividade. Em primeiro lugar, é importante que se destaque o que vem a ser nível de consciência, diferente de estados de consciência. O termo consciência é comumente usado como estar ciente - ter consciência - expressando o ato de assumir uma nova atitude. Em geral é usado como experiência do eu, ligado ao sujeito. Assim, estados de consciência dizem respeito a maneira como esta se encontra: vigília, sono, sono profundo. Fala-se em estados alterados de consciência para designar o acesso que as pessoas têm a campos de vibração mais sutis e que, habitualmente, podem passar desapercebidos da maioria de nós. O termo níveis de consciência se aplica com respeito à evolução de nossa energia nos centros vitais do corpo vibracional, ou seja, como evolui a energia humana em cada um dos chakras, dos vórtices de energia. Isto diferencia as pessoas, ou seja, aquelas que vibram mais fortemente em níveis mais próximos da materialidade e aquelas que já estão em processo de sutilização das vibrações. O que influencia isto? A atitude frente à vida, sim, como causa e efeito, mas também os hábitos alimentares, os exercícios como a ioga, os pensamentos, as emoções e a meditação. Vamos nos restringir, nesta abordagem, a apenas os sete chakras mais representativos, destacando-os dos 88.000 que a Tradição nos relata. A aura humana e, portanto, os corpos energéticos, estão ligados a esses chakras através de condutos sutis, de nome nadis. São milhares, como fios condutores ligados a transformadores de energia, utilizando uma imagem grosseira. É preciso ter presente que o corpo físico é apenas uma manifestação densa dessa energia. É fácil perceber que, se nossa matéria é constituída por tecidos, células, moléculas, átomos, partículas subatômicas, e estas são, em essência, feixes dirigidos ou programados de energia, e, como demonstrou Einstein, a relação entre uma e outra é apenas função do quadrado da velocidade da luz. Quanto menos sutilizada essa energia se apresenta, maior seu comprimento de onda, inversamente proporcional à freqüência vibratória. Assim, a energia que é transmitida pelos chakras mais baixos é mais densa, mais escura que aquela que vibra nos chakras mais elevados. E isso se relaciona com o nível de consciência que o indivíduo atingiu em suas múltiplas encarnações e a verdade, em cada nível de consciência é relativa. Até aí, não há novidade. 5 – Níveis de Consciência Luiz A. Rebouças dos Santos
  20. 20. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 20/35 O chakra básico, muladhara ou chakra basal, que se situa na base da coluna vertebral, entre o ânus e o sexo, é aberto para baixo e representa a ligação energética do homem com a terra, ou com o mundo material físico. Relaciona-se com o nível de consciência que nos permite sobreviver no mundo. Quanto mais aberto e vitalizado estiver este chakra, mais elevada será nossa energia física. Por isso, estão concentradas aí as qualidades que têm a ver com a terra e os medos da sobrevivência, como por exemplo, o alimento, os recursos econômicos, o trabalho, o emprego, capacidade de luta e tudo o que é necessário à nossa sobrevivência. O indivíduo com essa predominância energética é, usualmente, materialista e pouco espiritualizado. A cor deste chakra é vermelha ou marrom escura; usando estas cores, sua energização pode ser acelerada. Seu centro físico corresponde às glândulas supra-renais, que produzem a adrenalina para as situações de luta ou fuga. Seu elemento é a Terra e seu som Lam Paulo Murilo Rosas associa a compreensão da vida e a experiência de Deus a cada um dos chakras, sendo este primeiro associado ao medo. O indivíduo se volta tanto para sua própria preservação que, em última instância, esta é identificada à preservação de seu corpo, de seu bem- estar físico e material. Em uma pessoa em que predominem as características deste chakra, a vivência de deus está ligada diretamente à própria sobrevivência individual. O segundo chakra, svadhisthana, situa-se na região do cóccix, e está aberto para frente, tendo um vórtice posterior; é o chakra da propagação da espécie, portanto, da reprodução. Representa as relações afetivas no que concerne aos prazeres sexuais. Concentra as qualidades que tem a ver com a sexualidade, a curiosidade, busca criativa do prazer material. É a sede dos medos, dos fantasmas e fantasias negativas vinculadas à sexualidade e ao comportamento para com o outro sexo. No corpo, é direcionado para os órgãos reprodutivos, os ovários ou os testículos. Sua cor predominante é o laranja ou o ocre, seu elemento, a Água e seu som o Vam. Uma pessoa com as características deste nível é usualmente ligada aos processos de prazer sexual, busca pelo outro sexo, e excesso de erotismo. No caso de svadhisthana chakra, a visão é de um deus todo-poderoso, que tanto inflige temor quanto protege, ampara e transmite segurança. Estando com este deus, o indivíduo sente-se seguro, tem certeza de que nada lhe faltará. É um deus provedor, que dá tudo a seus filhos, que, naturalmente, são os eleitos. O terceiro chakra, manipura ou chakra do plexo solar, localiza-se na boca do estômago e está aberto para frente, com um vórtice para trás. Representa a personalidade, e ali estão concentradas as qualidades da mente racional e pessoal, a vitalidade, a ação do poder, o desejo de viver. É nosso ponto de ligação com as outras pessoas, e sua harmonização nos confere a condição de nos movermos na sociedade com desenvoltura e harmonia. É o chakra que mais se relaciona com o ego, e por isso, absorve muita energia dos primeiros. Vontade e poder são suas tônicas, e sua desarmonização nos leva ao egoísmo, ao desrespeito aos nossos semelhantes, aos sentimentos exagerados de posse. Sua cor é o amarelo-ouro; seu elemento, o Fogo e seu som é Ram.
  21. 21. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 21/35 A experiência de deus neste chakra, é de um ser punitivo, olho por olho, dente por dente - que ajuda aqueles que agem corretamente e castiga os que fazem as escolhas erradas. Dá-nos a noção de pecado e virtude, e com ele estaremos sempre no fio da navalha, pois esse deus pode nos conduzir ao céu ou nos deixar arder no fogo dos infernos. Neste nível de evolução, o homem tem certeza de que sem Deus, não há salvação. A maioria da humanidade ainda vibra neste nível de consciência. O quarto chakra, anahata ou chakra cardíaco situa-se na porção superior do peito, na região do coração, e está aberto para frente, com um vórtice posterior. Representa a energia do amor incondicional. Quando está ativo, nos relacionamos com tudo e com todos, aceitando tanto os aspectos positivos quanto negativos, sendo capaz de dar amor sem esperar nada em troca. É o chakra por onde passa toda a energia que desejamos presentear aos outros. Sua desarmonização conduz o indivíduo a atitudes mentais como a imposição de condições ao amor, ao sentimento de eu contra todos, a mecanismos violentos frente ao outro, somatizando-se em doenças como o câncer. Sua cor é o verde e o rosa, seu elemento o Ar e seu som Yam. Sendo o chakra do amor, o deus a que todos ama e a tudo perdoa, é a sua tônica. É aquele que oferece a outra face, e está sempre disposto a perdoar, a salvar seus filhos. Normalmente é personificado por um deus Pai ou Mãe, com os atributos destes dois arquétipos. O deus que tudo dá e nada pede. O cristianismo tentou resgatar a humanidade para este nível de consciência. Até este chakra, a visão que se tem é de um deus pessoal e, portanto, com atributos. O quinto chakra, vishuddha, ou chakra laríngico, localiza-se no centro da garganta, e está aberto para frente, com um vórtice para trás. É o chakra da comunicação externa e o começo da clauriaudiência e auto-expressão. Governa a postura do corpo. Aqui se situa o portal para a alta consciência e para a purificação, para que se possa entrar em contato com nossa essência superior. (A Palavra) Quando está aberto e harmonizado, somos conscientes da responsabilidade de nosso desenvolvimento em todos os sentidos, desde as necessidades materiais até as espirituais. Passamos a conhecer o nosso papel na sociedade, no trabalho, e nos ocupamos em conseguir o máximo de satisfação possível. É o centro psicológico da criatividade, responsabilidade, iniciativa e auto-disciplina. Sua cor é azul-índigo, seu elemento o éter e o som, Ham. No nível do vishuddha chakra, começa a aparecer a experiência de Deus impessoal, isto é, um deus sem atributos ou formas, que se confunde com a noção de espaço, que é infinito. Mas trata-se ainda de um conceito intelectual. Esse deus é um ser ilimitado, que se opõe ao conceito auferido nos níveis anteriores de consciência. Um deus que é o criador do Universo e que existe em três períodos de tempo, presente passado e futuro, e que não tem princípio nem fim. O sexto chakra, ajna chakra ou chakra frontal situa-se no meio da testa, entre as sobrancelhas, como o Terceiro Olho de Shiva, e está aberto para frente, tendo um vórtice traseiro. Representa a intuição, a vidência e a audiência no campo que conhecemos como paranormalidade. Quando em desarmonia, pode afetar esses órgãos, além de ficarmos em uma situação confusa, em que as idéias e os conceitos não terão uma correspondência com a realidade. Percepção, conhecimento e liderança são as prerrogativas deste chakra. Atua diretamente sobre a pituitária, que dirige a função das demais glândulas. Sua cor é o violeta e o lilás, e seu som é o OM.
  22. 22. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 22/35 Em ajna chakra, experiencia-se o Deus que está em tudo, que é tudo, incluindo em si o próprio indivíduo. Neste nível de consciência, já não existe uma concepção de um deus com atributos, um deus que seja diferente do Ser. No nível de ajna chakra, vive-se a felicidade plena, pois a pessoa não mais se identifica com um deus limitado como nos demais níveis. É somente a partir deste nível que a pessoa é considerada realizada, iluminada, pois ela não mais se identifica com o corpo físico, nem com a mente, nem com suas emoções, mas existem ainda vasanas - tendências de personalidade - que vão sendo queimadas na medida em que o indivíduo se vai estabelecendo neste nível. O sétimo chakra, sahasrara, ou chakra coronário localiza-se no alto da cabeça, no topo. Está aberto para cima, com um único vórtice e representa a compreensão e ligação com as energias superiores. Está associado à conexão da pessoa com sua espiritualidade e à integração de todo o ser, físico, mental, emocional e espiritual, relacionando nosso ser completo com a realidade cósmica. Em virtude de estar exatamente na condição de semelhante ao Universo, ao Todo, ao Cosmo, a Deus, não tem som correspondente no mundo físico, sendo feito do puro silêncio da formação dos mundos. Chegar à abertura e a este nível de consciência deste chakra, conduz à perfeição do Ser, mas somente se chega a esta, depois da abertura de consciência em todos os demais chakras. O sétimo chakra é Luz de conhecimento e de sabedoria; é visão global do Universo, é Consciência Universal. Vive-se a plenitude do Ser e, por conseguinte, não existe mais uma visão ou um conceito de deus. Todas as vasanas já se extinguiram e o indivíduo tem vivência transpessoal ou transcendental. Assim, a verdade de cada um depende do nível de consciência, ou seja, do nível de expansão da energia em cada um dos sete principais chakras. Isto quer dizer que uma pessoa que pregar o amor incondicional para indivíduos que confundem amor com sexo - aqueles que fazem amor e não a guerra - (nível de consciência do segundo chakra), não será compreendido, assim como também não o será, aquele que falar em amor à humanidade para indivíduos que só enxergam seu próprio umbigo, vaidosos e egoístas (nível de consciência do terceiro chakra). Toda a verdade em um plano, não passa de mentira no plano da consciência superior. Não podemos possuir a Verdade, mas apenas deixar que ela nos arrebate. E mais, o quarto chakra, anahata, é o cadinho em que são depurados todos os males do mundo (Ele sofreu por nós, dizem os Evangelhos) e todas as energias, para passarem a níveis superiores, passam, necessariamente por este nível, a consciência do amor incondicional. Em um Templo Maçônico, eu colocaria este chakra como o Altar dos Perfumes, no centro do Oriente. *Membro da ARBL Perseu nº 84- REAA- Porto Alegre- RS Bibliografia consultada ROSAS, Paulo M. Os segredos do Tantra e do Yoga. Rio de Janeiro, 1992; Notas de aulas. CARLI, De, Johnny Reiki Universal Ed. Madras São Paulo, 1999
  23. 23. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 23/35 Irmão José Anselmo Cícero de Sá (33º. REAA) MI da Loja Estrela da Distinção Maçônica Brasil nr. 953 (GOB/GOERJ) Academia de Artes, Ciências e Letras do Estado do Rio de Janeiro Cadeira nr. 29 - Patrono: Quintino Bocaiuva – De seu livro: Tempo de Estudo Maçônico - Volume 4. A IMPORTÂNCIA DA “EDUCAÇÃO MORAL” NA “RENOVAÇÃO SOCIAL” A Doutrina Espírita considera que “só a educação poderá reformar os homens” conforme a resposta à pergunta da questão 796 do Livro dos Espíritos. Há que se compreender que a educação não pode ser comparada apenas ao seu lado instrucional, ou ilustração do intelecto, mas deve ser trabalhada pela moral, na arte de manejar os caracteres. Daí o corolário da educação moral à luz da imortalidade do Espírito. Mas, afinal, o que se entende por Moral? Necessitamos da sua definição para entendermos a amplitude daquilo que chamamos de “Educação Moral”. O pensador e filósofo francês Jacques Maritain, em seu livro Introdução Geral à Filosofia nos oferece a seguinte definição: “Moral ou Ética, é a ciência pratica que visa a alcançar o puro simples bem do homem, sendo considerada a Ciência dos humanos”. Ele completa esta definição com esta frase magistral: “A ciência moral deve ser acompanhada de prudência”. Como ciência, a moral possui os seguintes pressupostos: 1º) Saber o fim último ou o bem absoluto do homem; 2º) Estudar os atos praticados pelo homem; ‘ 3º) Estudar as questões relativas à lei natural; 4º) Compreender o mecanismo da consciência; 5º) Estudar as origens das virtudes e dos vícios. Com relação a conduta do homem, ele deve estudar as regras que ordenam o seu proceder no que concerne ao próprio bem e no bem de outrem, para o pleno equilíbrio da justiça. Sendo uma ciência, Moral não é um termo vago, nem pode ser confundido com moralidade, a qual designa o conceito social do que é aceito ou não em certa época, e que se modifica com o tempo e os costumes. 6 – A Importância da “Educação Moral” na “Renovação Social” - José Anselmo Cícero de Sá
  24. 24. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 24/35 Ensina-nos o “Livro dos Espíritos” – Obra básica do Espiritismo: A moral é a regra de bem proceder, isto é, de distinguir o bem do mal. Funda-se na observação da lei de Deus. O homem procede bem quando tudo faz pelo bem de todos, porque então, cumpre a lei de Deus”. Esta definição consta da Questão 629 e antecede no tempo a definição filosófica que acima mencionamos, mostrando como o Espiritismo complementa as diversas áreas do conhecimento humano, como por exemplo, a Filosofia. A educação moral consiste na formação do “ethos” (caráter) humano do educando através de um ensino que dá prioridade à prática do bem, à valorização das virtudes e aquisição do sentimento de amor, mostrando mesmo que devemos sempre “cavar masmorras aos vícios e edificar templos às virtudes para o nosso melhoramento moral-espiritual. Podemos afirmar que a educação moral não relega a inteligência à segundo plano, pelo contrário, dela se utiliza para que o educando saiba distinguir entre o bem e o mal, entretanto, equilibra estes dois fatores básicos da educação, ou seja, a inteligência e o sentimento, e o Intelecto e o coração. Por esta razão é que o Espiritismo, lançando o seu olhar sobre as escolas, preconiza uma nova metodologia educacional em três pontos principais: A Educação pelo amor; pelo Exemplo e pela Experiência própria. A conjugação de todos estes princípios na educação moral é o único caminho capaz de colocar o homem nos trilhos da bondade, reformando as instituições sociais, hoje tão atreladas ao egoísmo que cria raízes nos corações. Enquanto a família e a escola não entenderem a profundidade da educação moral, continuaremos no desfile dos desregramentos que temos assistido, todavia, se aplicada a educação moral será estabelecida a almejada felicidade, por formar homens de bem. A reforma da filosofia que rege o sistema educacional vigente, com a absorção da educação moral, levará os currículos e métodos escolares ao verdadeiro fim superior da formação do caráter e não somente da instrução, através da aquisição de hábitos salutares de vivência com o próximo, com a sua pátria e consigo mesmo, na prática do bem e do amor. Uma escola que executa seu mister baseada na educação moral é a legítima extensão, complemento mesmo da família, tornando-se um lar que abriga consciências reencarnadas reclamando diretriz segura para o uso da inteligência e o desabrochar das qualidades do sentimento. A Doutrina Espírita fundamenta e indica a EDUCAÇÃO MORAL para a RENOVAÇÃO SOCIAL do ser humano, oferecendo-nos a seguinte orientação: “RENOVE-SE A SI MESMO, PARA QUE POSSA HAVER A RENOVAÇÃO SOCIAL”.
  25. 25. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 25/35 (as letras em vermelho significam que a Loja completou ou está completando aniversário) GLSC - http://www.mrglsc.org.br GOSC https://www.gosc.org.br Data Nome da Loja Oriente 01.09.1952 Fraternidade Blumenauense nr. 06 Blumenau 05.09.1996 Fraternidade Chapecó nr. 63 Chapecó 08.09.1982 Sentinela do Sul nr. 29 Tubarão 17.09.1986 Universo nr. 43 Florianópolis 17.09.1993 Universo II – nr. 57 Florianópolis 17.09.2000 Universo III nr. 77 Florianópolis 20.09.1991 Acácia da Arte Real nr. 50 Florianópolis 22.09.1982 Fraternidade Josefense nr. 30 São José 25.09.1978 Harmonia e Fraternidade nr. 22 Joinville 27.09.2000 Colunas da Fraternidade nr. 78 Blumenau Data Nome da Loja Oriente 03/09/1993 Treue Freundschaft Florianópolis 09/09/1969 Liberdade E Justiça Canoinhas 09/09/1991 Cavaleiros Da Luz Blumenau 16/09/2003 Ordem e Fraternidade Florianópolis 18/09/2009 Colunas do Oriente Tijucas 20/09/1948 Luiz Balster Caçador 20/09/2008 Acácia da Serra Rio Negrinho 25/09/2002 Fraternidade Tresbarrense Três Barras 27/09/2010 João Marcolino Costa Sto. Amaro da Imperatriz 28/09/1993 Colunas da Fraternidade Balneário Camboriú 30/09/2010 Triângulo Equilíbrio e Consciência Mafra 7 – Destaques (Resenha Final) Lojas Aniversariantes de Santa Catarina Mês de setembro
  26. 26. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 26/35 GOB/SC – http://www.gob-sc.org.br/gobsc Data Loja Oriente 01.09.64 Harmonia e Trabalho - 2816 Florianópolis 03.09.05 Retidão e Cultura - 3751 Florianópolis 08.09.04 Cruzeiro do Sul - 3631 Florianópolis 09.09.10 Reg. Guabirubense - 4100 Brusque 10.09.96 Reg. Lagunense - 2984 Laguna 11.09.10 Cruz e Sousa de Estudos e Pesq. do Rito de York Florianópolis 12.09.23 Paz e Amor V - 0998 São Francisco do Sul 12.09.97 Otávio Rosa 3184 São Pedro de Alcântara 15.09.94 Herbert Jurk - 2818 Rio dos Cedros 18.09.10 Frat. Guabirubense - 4116 Brusque 19.09.08 Cavaleiros Templários - 3968 Fraiburgo 22.09.09 Acácia De Itapoá-4044 Itapoá 30.09.93 União Catarinense - 2764 Florianópolis Despreocupação "Fale muito amorosamente para sua mente. Aconselhe-a a deixar os pensamentos negativos. Afaste-se dos pensamentos do passado e fique livre das preocupações sobre o futuro. Eleve sua consciência para o mundo de Deus. Abra sua mente para a visão de Deus. Veja a si mesmo como Ele lhe vê. Veja os outros como Ele os vê. Veja o Drama da vida como Ele o vê. Abra seu coração para os sentimentos de Deus. Fique imerso no coração amoroso Dele." José Aparecido dos Santos TIM: 044-9846-3552 E-mail: aparecido14@gmail.com Visite nosso site: www.ourolux.com.br "Tudo o que somos é o resultado dos nossos pensamentos".
  27. 27. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 27/35 “Coluna do Norte... ah que saudade me dá” Na edição nr. 2.175 do JB News, datada de 15 de corrente, foi publicado o artigo “Coluna do Norte...ah, que saudade me dá”. Por equívoco do repasse que nos foi enviado, publicamos como sendo a sua autoria do IrVicente Augimeri Filho, quando na realidade a autoria é do Irmão Antônio Do Carmo ferreira, Presidente da ABIM (Associação Brasileira da Imprensa Maçônica). O artigo encontra-se publicado no INFORMABIM nr. 239, de 31 de maio de 2009 e se constitui num dos capítulos de seu livro, “A Função do Maçom na Sociedade” publicado pela Editoria da Editora “A Trolha” de novembro de 2009 e cuja capa está sendo divulgada acima no início desta edição, à página 2. As escusas ao Irmão e Amigo Antonio Do Carmo Ferreira por essa involuntariedade.
  28. 28. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 28/35 Ordem DeMolay – Capítulo Vale da Luz nr. 244 – Tanabi - SP Oficiais do Capítulo Vale da Luz , VM Cássio, Mestre Conselheiro Adilson e Ir .`. João Paulo com os 7 jovens iniciados Da esquerda para a direita: o VM da Loja Fé e Amor 42 - Ir.´. Cássio Pereira Scrochio , o Mestre Conselheiro do Capítulo - Adilson Cavassana Jr e o Ir.`. João Paulo Vargas Shinagawa. (do Irmão João Paulo – Tanabi - SP) - Sou leitor assíduo do JB News. Acredito que seja o único jornal maçônico diário. Dia 18 de setembro p.p , sábado 14h00 , tivemos a primeira reunião dos iniciáticos da Ordem De Molay , Capítulo Vale da Luz nº 244 que se reúnem aos sábados 14h00 na ARLS " Fé e Amor" - nº 42 - GLESP - Oriente de Tanabi - SP . Gostaria que o irmão publicasse nesse prestigioso jornal, evidente se for possível.
  29. 29. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 29/35 Do Irmão Matteo Maglia, de Roma, ao que foi publicado na edição do JB News nr. 2.177, sobre as reminiscências da Expedição Maçônica Brasil/Itália: Estimado Irmão Jeronimo Borges, Que saudade daqueles dias ! Muito Lhe agradeço de todo coração por ter registrado na Revista JB minhas palavras de amor fraterno para todos Vocês meus Irmãos ! Isso mesmo nos somos: construtores de pontes entre terras e culturas diferentes, graças à Arte Real que nos une. A ponte que temos construído juntos aqueles inesquecíveis dias de abril 2013 está bem forte e presente todavia. Disso vou falar aos Irmãos da Loja Acacia 669 no dia 22 de Setembro, neste acabar do meu segundo ano como venerável mestre. O Irmão Alessandro Orlandi que teve a grande honra di ser iniciado no dia 16 de Abril 2013, perante Voces, queridos Irmãos Catarinenses e Mineiros da Expedição Maçônica Brasileira na Itália, faz seis meses que eu tive o prazer de exalta-lo Mestre Maçon. Eu queiro Lhe enviar a Você, prezado Irmão Jeronimo, e a todos os demais Irmãos de Florianopolis e de Belo Horizonte, aquele grande abraço que nos une no amor fraterno ! Muito obrigado de tudo ! Seu Irmão Matteo Inviato da iPhone Il giorno 16 set 2016, alle ore 22:16, Info JB News <info@jbnews33.com.br> ha scritto: http://www.jbnews33.com.br/informativos/JB_News-Informativo_nr_2177.pdf Nota do Editor: Meu Grande Irmão Matteo, Fico muito feliz com a sua mensagem, graças à maravilhosa internet. O Irmão Paulo Queiroga, de Belo Horizonte, também está nos acompanhando e ficou emocionado e satisfeito com suas palavras iniciais, como também dos registros fotográficos inseridos na edição do JB News nr. 2.177. Faço votos que o meu Irmão tenha uma feliz semana e transmita ao Mestre Maçom, Alessandro Orlandi, de sua Loja “Acácia” nr. 669, cujo prazer tivemos em assistir a sua iniciação, que seja muito feliz nessa caminhada pela Arte Real. O meu fraterno abraço, do Ir. Paulo Queiroga e de todos os integrantes da Expedição Brasil/Itália. Jeronimo Borges Editor do JB News
  30. 30. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 30/35 Seguem mais alguns registros fotográficos da Expedição Brasil- Itália em abril de 2013, na visita à Loja “Acácia nr. 669” de Roma, em que o Venerável Mestre atual é o Ir. Matteo Maglia. Esses registros foram produzidos por JB News, no dia 15 de abril de 2013, quando da Iniciação do Ir. Alessandro Orlandi.
  31. 31. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 31/35
  32. 32. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 32/35
  33. 33. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 33/35 Ir Marcelo Angelo de Macedo, 33∴ MI da Loja Razão e Lealdade nº 21 Or de Cuiabá/MT, GOEMT-COMAB-CMI Tel: (65) 3052-6721 divulga diariamente no JB News o Breviário Maçônico, Obra de autoria do saudoso IrRIZZARDO DA CAMINO, cuja referência bibliográfica é: Camino, Rizzardo da, 1918-2007 - Breviário Maçônico / Rizzardo da Camino, - 6. Ed. – São Paulo. Madras, 2014 - ISBN 978-85.370.0292-6) A Palavra Para o dia 20 de setembro Provém do latim parábola ou parola, expressão vocal formada de sons. Há a Palavra oral e a escrita; porém, no sentido lato, entende-se como discurso, como reunião de vocábulos para expressar uma ideia, um pensamento, um conceito. É denominada de “logos” e de “verbo”. O uso da Palavra deve ser equilibrado e consciente, porque ao sair da garganta, emitindo sons, transforma-se em matéria, e como tal ecoa no Cosmos por uma eternidade. A Palavra apresentada várias modalidades, a saber: Palavra Coberta é a palavra oculta, em alguns Graus. Palavra a Bem da Ordem e do Quadro em Particular, circula em todas as sessões, pela ordem, sem possibilidade de retorno. Palavra de Passe – trata-se da palavra que acompanha os atos de reconhecimento. Palavra Perdida – a lenda de Hiram Abiff descreve a existência de uma palavra inefável e sagrada que conteria uma “chave misteriosa” que foi perdida. Palavra Sagrada, de cada Grau Maçônico. Palavra Semestral, a senha que o Grão Mestre fornece Semestralmente para entrar em comunhão com os seus jurisdicionados. O maçom deve “medir” as palavras com que deseja expressar-se, usando a Régua das 24 polegadas. Breviário Maçônico / Rizzardo da Camino, - 6. Ed. – São Paulo. Madras, 2014, p. 282.
  34. 34. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 34/35 Loja Maçônica Fraternidade Walter Miguel nr. 2880 - Serrania- GOB/MG
  35. 35. JB News – Informativo nr. 2.180 – Florianópolis (SC) – terça-feira, 20 de setembro de 2016 Pág. 35/35 PRIMEIRO O ALICERCE Autor: Raimundo A. Corado. Barreiras, 17 de junho de 2014. Não há edifício sem base; Não há presente sem passado; A vida é composta de fazes; O futuro é o resultado. Maçonaria é qual um edifício; Que tem sua base no interior; Cavando masmorras ao vicio; Com a alavanca do amor. Tive que vazar minha laje; Usando força e coragem; Brocando o meu concreto. Muitos prazeres renunciei; Confesso que por isso penei; Mas sinto que tem dado certo.

×