O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Jb news informativo nr. 2170

39 visualizações

Publicada em

.

Publicada em: Arte e fotografia
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Jb news informativo nr. 2170

  1. 1. JB NEWS Filiado à ABIM sob nr. 007/JV Editoria: Ir Jeronimo Borges Academia Catarinense Maçônica de Letras Academia Maçônica de Letras do Brasil – Arcádia de B. Horizonte Loja Templários da Nova Era nr. 91(Florianópolis) - Obreiro Loja Alferes Tiradentes nr. 20 (Florianópolis) - Membro Honorário Loja Harmonia nr. 26 (B. Horizonte) - Membro Honorário Loja Fraternidade Brazileira de Estudos e Pesquisas (J. de Fora) -Correspondente Loja Francisco Xavier Ferreira de Pesquisas Maçônicas (P. Alegre) - Correspondente Homenagem do JB News aos Irmãos leitores de Sabará - MG Saudações, Prezado Irmão! Índice do JB News nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Bloco 1-Almanaque Bloco 2-IrBarbosa Nunes – História da Maçonaria no Triângulo Mineiro – Artigo nr. 291 Bloco 3-IrMario López Rico - Principios del autoconocimiento Bloco 4-IrPaulo Roberto – Apenas...Iniciação? Bloco 5-IrValter Cardoso Júnior – Estudos Sobre o Teto da Loja Bloco 6-IrAdemar Valsechi – Coluna da Harmonia (Edição nr. 46) Bloco 7-Destaques JB – Breviário Maçônico p/o dia 10 de setembro. Versos do Irmão e Poeta Adilson Zotovici
  2. 2. JB News – Informativo nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Pág. 2/29 O amor pelo Brasil começa em casa! Nesta edição: Pesquisas – Arquivos e artigos próprios e de colaboradores e da Internet – Blogs - http:pt.wikipedia.org - Imagens: próprias, de colaboradores e www.google.com.br Os artigos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião deste informativo, sendo plena a responsabilidade de seus autores. 1 – ALMANAQUE Hoje é o 254º dia do Calendário Gregoriano do ano de 2016– (Lua Quarto Crescente) Faltam 112 para terminar este ano bissexto Semana da Pátria. Dia Mundial da Prevenção do Suicídio Se o Irmão não deseja receber mais o informativo ou alterou o seu endereço eletrônico, POR FAVOR, comunique-nos pelo mesmo e-mail que recebeu a presente mensagem, para evitar atropelos em nossas remesssas diárias. Obrigado. Colabore conosco para evitar problemas na emissão de nossas mala direta diária. LIVROS
  3. 3. JB News – Informativo nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Pág. 3/29 “Quando você lê uma história para a criança, estimula a criatividade e a emoção. Cria um vínculo mágico entre a criança, você, a história e o livro – que é o script de tudo o que está acontecendo. De todos os artifícios que lançamos mão para incentivar a leitura, nenhum tem dado mais resultados do que este, cultivar a paixão pelos livros, objeto que parece simples, mas que, de maneira envolvente, tem sempre algo diferente para contar e encantar! O hábito ouvir histórias aguça a curiosidade natural da criança e a estimula a conhecer as surpresas que se escondem entre a capa e contracapa.” Beatriz da Cruz Ribeiro Brava Gente Brasileira conta como aconteceu a independência do Brasil e traz uma coroa brincar de imperador ou de imperatriz! Veja em www.artedaleitura.com os outros livros da Coleção 10 de setembro S. NICOLAU TOLENTINO — Nasceu em 1245 em St. Ângelo, Ancona, ordenado agostinho, peregrinou de mosteiro para mosteiro, até que uma voz celestial lhe recomendou que se recolhesse em Tolentino, onde pregou nas ruas com um sucesso espectacular. Tratou dos indigentes, auxiliou os criminosos e mediou disputas e separações. Famoso pelas suas curas e milagres curava os pobres dando-lhes pão de S. Nicolau, sobre o qual invocava a Virgem Maria. Morreu neste dia em 1305, canonizado em 1446, é o padroeiro das crianças pequenas, moribundos e almas do purgatório. 422 – Foi designado o papa Celestino I, 43º papa, que sucedeu o papa Bonifácio I. 1509 – Terramoto de Istambul provoca 10 000 mortos (est.) e destrói mais de 1000 casas e 109 mesquitas. 1547 – O exército inglês sob as ordens de Edward Seymour derrotou os escoceses na batalha de Pinkie Cleugh, para forçar o contrato de casamento entre o filho de Henrique VII que tinha 10 anos com Maria fila dos reis escoceses que tinha cinco anos de idade. Os escoceses conseguiram fugir com a menina para França evitando o casamento. 1586 — Incumbido pelo papa Xisto V, o arquiteto Domenico Fontana, maçon, erigiu o famoso obelisco de Heliópolis, na praça de S. Pedro, em Roma, que devido à sua altura e peso foi considerado um prodígio de técnica mecânica. EFEMÉRIDES DO DIA -Ir Daniel Madeira de Castro (Lisboa) (Fonte: Livro das Efemérides - Históricas, Políticas, Maçônicas e Sociais - 2016)
  4. 4. JB News – Informativo nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Pág. 4/29 1721 – Fim da grande guerra do norte entre a Rússia e a Suécia, celebrado pelo tratado de Nystad. 1737 — O comissário da polícia francesa Jean de Lespinay dissolveu uma reunião de maçons na casa do comerciante Chapelot, na Rue Rapée, Paris, a mando do cardeal Fleury, no relatório mencionava-se que os maçons tinham avental de pele branca e cordão de seda azul ao pescoço, esquadro, compasso e ferramentas de pedreiros. Chapelot foi condenado a pagar uma multa de 10.000 francos e a encerrar a sua loja de comércio. 1756 — Criada a Junta Geral da Agricultura das Vinhas do Alto Douro, por alvará do rei D. José I. 1777 — Faleceu em Buckeburg, Friedrich Wilhelm Ernst, conde de Lippe, maçon alemão (24/1/1724). 1810 — Os regentes do reino mandaram prender trinta maçons, na Torre de Belém, posteriormente enviados para os Açores, entre os quais, José Aleixo Falcão Vanzeller, André Morais Sarmento, Abrantes e Castro, Jácome Ratton, Domenico Pellegrini, Sebastião José Sampaio de Melo e Castro, frei Francisco de Santana, Vicente José Ferreira Cardoso da Costa, Manuel Alves do Rio Sénior e o senhor de Pancas. 1835 — Nasceu em Lisboa, António Maria Pereira Carrilho, financeiro, contabilista, jornalista e político. Especializado em matérias orçamentais e contabilidade pública, pres. da C.P., deputado e par-do- reino, iniciado maçon com o nome simbólico de Fuas Roupinho, acompanhou a cisão do G.O. de Portugal (16/11/1903). 1836 — Restabelecida em Portugal a constituição de 1822, vitória setembrista e que levou à formação dum governo liderado por José da Gama Carneiro e Sousa, conde de Lumiares, com Passos Manuel, que substituiu António Severim de Noronha, duque da Terceira, marquês e conde de Vila-Flor, como primeiro-ministro de Portugal. 1846 – Foi patenteada por Elias Howe, de spencer, Massachussets, a máquina de costura manual. 1898 — Assassinada em Genebra, pelo anarquista italiano Luigi Lucheni, a imperatriz Sissi, austrohúngara. O assassino foi condenado a prisão perpétua e acabou por se enforcar na cela em 1910. 1900 – Sai o primeiro número da A Lanterna, anticlerical e de combate, dirigida por França Borges, maçon. 1910 — Realizou-se em Bruxelas o Congresso Maçónico Internacional, onde Magalhães Lima preparou o reconhecimento internacional do novo regime em preparação. 1911 — As potências europeias reconheceram a República Portuguesa, devido à ação do embaixador em Londres, Manuel Teixeira Gomes (27/5/1862). 1913 – Inaugurada a estrada pavimentada chamada de Lincoln Highway, a primeira a estabelecer a ligação entre as costas leste e oeste dos E.U.A.. 1919 — Entrou em vigor o tratado de St. Germain, extinguindo o império austro-húngaro.
  5. 5. JB News – Informativo nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Pág. 5/29 1935 — Tentativa revolucionária abortada, por elementos nacional-sindicalistas e reviralhistas, liderada por Rolão Preto, líder fascista português, apoiante e colaborador de Primo de Rivera, durante a guerra civil espanhola apoiou os nacionais da rádio Sevilha), pretendiam forçar Carmona a demitir Salazar. Foram efetuadas prisões, Mendes Norton foi desterrado para Cabo Verde. No dia seguinte, Salazar publicou uma nota oficiosa, onde afirmou que este movimento uniu "(...) indivíduos dos antigos partidos, militares demitidos das velhas revoluções e elementos das chamadas direitas (...)". 1939 – Fim da batalha de Wizna, episódio ocorrido durante a invasão da Polónia, com a vitória alemã sobre as tropas polacas. 1974 — Portugal reconheceu a independência da Guiné-Bissau. 1977 – Hamida Djandoubi foi a última vítima de execução por guilhotina na França. 1979 — Faleceu em Luanda, António Agostinho Neto (17/9/1922). 1989 – Constituída a G.L. Regular de Portugal. 1993 — Faleceu em Lisboa, José de Azeredo Perdigão (18/9/1896). 1996 — A O.N.U. aprovou o tratado de proibição de ensaios nucleares. 2002 – A Suíça foi admitida como estado membro da O.N.U.. 2005 – Foi descoberto o satélite natural de Éris, Disnomia. 1808 Impresso o primeiro semanário no Brasil, A Gazeta do Rio de Janeiro. 1837 Bento Gonçalves (.'.), chefe farroupilha capturado pelas forças imperiais, foge do Forte do Mar, na Bahia, ajudado pelos Maçons baianos 1860 Foi fundado o Grande Capítulo de Maçons do Real Arco do Estado de Oregon, Estados Unidos da América (USA). 1960 Falece Ray V. Denslow, importante historiador, editor do The Royal Arch Mason e ex-GM da Grande Loja do Missouri. 1989 Constituída a Grande Loja Regular de Portugal. 1996 Fundação da Loja Regeneração Lagunense, de Laguna - SC que trabalha no REAA (GOSC) Fatos maçônicos do dia Fonte: O Livro dos Dias (Ir João Guilherme) e acervo pessoal
  6. 6. JB News – Informativo nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Pág. 6/29 INFORMATIVO BARBOSA NUNES Artigo nr. 291 HISTÓRIA DA MAÇONARIA NO TRIÂNGULO MINEIRO – FIXAÇÃO EM MINAS GERAIS Em 23 de agosto do ano em curso, tive a honra de me fazer presente nas comemorações dos 120 anos da Loja Maçônica “Luz e Caridade”, de Uberlândia, em sessão com cerca de 200 irmãos presentes, conduzida pelo Venerável Mestre Jorge Luiz. De há muito, acompanho e leio livros e artigos do maçom Antônio Pereira da Silva, iniciado em 1964, possuidor de intensa atividade maçônica. Autor de diversos livros, entre eles, a mim presenteados com sua gentil dedicatória, “As histórias de Uberlândia – Volumes 3 e 4”, “História do Carnaval de Uberlândia” e “História da Maçonaria no Triângulo Mineiro – A fixação da Maçonaria em Minas Gerais”, que dá título ao artigo deste sábado. 2 – História da Maçonaria no Triângulo Mineiro – Fixação em Minas Gerais - Barbosa Nunes, artigo nr. 291
  7. 7. JB News – Informativo nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Pág. 7/29 Usando o prefácio de Celso Machado, em uma das obras de Antônio Pereira, transcrevo: “Tem pessoas que são um verdadeiro achado. Antônio Pereira da Silva é uma delas. Compenetrado em tudo que faz, sempre disponível para atender um pedido. Antônio Pereira da Silva realiza um trabalho notável na identificação de nossas origens, de nossos hábitos, das razões que nos levam a ter esse jeito uberlndense de ser. É um historiador que vai fundo nos detalhes, nas informações, nos registros e resgatando a história em sua pesquisa”. Como membro do Grande Oriente do Brasil, por merecimento foi alvo de todas as homenagens possíveis, inclusive sendo detentor da Ordem do Mérito D Pedro I. Fundou e integra o Grupo de Serestas Luz e Caridade, que se apresentou magistralmente na sessão de aniversário. No livro que estamos enfocando afirma: “Provadamente a Maçonaria Mineira fixou-se no estado de Minas Gerais a partir de 1859, com a fundação da Loja “Amparo da Virtude”, em Uberaba. A cidade e a região são raízes da Ordem em Minas Gerais. Após Uberaba, cidade do Prata, com a “União e Caridade”, Araguari com “União, Força e Justiça”, Monte Alegre com “Estrela Montealegrense”, Uberlândia com “Luz e Caridade”, Ituiutaba com “Ciência e Trabalho” e Frutal com “Amor e Beneficência”, marcos originais da maçonaria no Triângulo Mineiro e por extensão, no estado de Minas Gerais. A primeira Loja a se instalar em Minas Gerais foi “Mineiros Reunidos”, em Vila Rica, em 1822. Seu fundador foi Guido Tomaz Marlière, um oficial do exército português. Foi homem importante. Diretor-Geral dos Índios da Província das Minas Gerais, rodou pelo leste da província protegendo indígenas e combatendo o contrabando e as emboscadas. Em razão de sua atuação movimentada na área, foi responsável pelo surgimento de povoados que se transformaram em cidades, como Guidoval, Visconde do Rio Branco, Guiricema, Cataguases, São Geraldo, Muriaé, Miraí, Astolfo Dutra, Conselheiro Pena, Governador Valadares, Pocrane, Tarumirim, Resplendor, São Domingos do Prata, Mesquita, Marliéria, Jaguaruçu, Jequitinhonha, Abre Campo e outras. Duas homenageando o fundador com seus nomes: Guidoval e Marliéria. Em Belo Horizonte, existem duas Lojas Maçônicas com seu nome, uma do Grande Oriente do Brasil, outra da Grande Loja de Minas Gerais. Essa primeira Loja, recebeu a visita do príncipe D. Pedro, pouco antes da Independência. Depois, não demorou nada, desapareceu do mapa sem deixar rastros. Como se não tivesse existido. Só em 1859, 37 anos depois, fundou-se outra loja na província, em Uberaba. Chamou-se “Amparo da Virtude”. Foi Loja ativa no estímulo aos jovens a se alistarem para a Guerra do Paraguai e na luta pela abolição da escravatura. Andou adormecida entre 1870 e 1872, quando retornou às atividades.
  8. 8. JB News – Informativo nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Pág. 8/29 Conta-se que impediu a execução do enforcamento de um condenado, convencendo os comerciantes da cidade e os fazendeiros a não venderem o material necessário para a construção do patíbulo. Seus remanescentes, filiados a outras Lojas uberabenses surgidas depois, conseguiram concluir a grande obra de frei Eugênio, a Santa Casa de Misericórdia, emperrada por interesses escusos. A revolta dos fazendeiros prejudicados com a Abolição e a perseguição religiosa, com ameaças anônimas o incêndio do Templo etc. levou a tal ponto o desconforto dos maçons que eles escondiam da própria família esta sua condição. Por isso, a Loja foi encerrada em 1890. Nesses anos, entre 1859 e 1890, seus membros espalharam a maçonaria pelo Triângulo fundando várias Lojas e fixando a Ordem no território da província. Participaram da fundação das Lojas “União e Caridade”, do Prata, em 1882; “União, Força e Justiça”, de Araguari, em 1895; “Estrela Montealegrense”, em 1896; “União Fraternal”, de Uberaba, em 1896; “Luz e Caridade”, de Uberlândia, em 1896; “Philantropia e Trabalho” de Araguari, em 1897; “Ciência e Trabalho”, de Ituiutaba, em 1897; “Pátria Universal”, de Uberaba, em 1898; “Amor e Progresso”, de Araguari, em 1906; “Estrela Uberabense”, em 1917, e possivelmente “Amor e Beneficência”, de Frutal, em 1897. Os maçons da Loja “Luz e Caridade”, de Uberlândia, se desdobraram participando de fundação de dezenas de Lojas no Triângulo Mineiro, no Alto Paranaíba, zona de Paracatu, sudoeste goiano e até Mato Grosso. Homenageio o intelectual historiador, com muita sensibilidade para música, inclusive compondo hinos, maçom com uma história marcante e acima de tudo, um ser humano compenetrado em tudo que faz, sempre disponível, gentil atencioso, solidário, interessado, observador e profundamente comunicativo. Falo muito pouco da grandiosa e abrangente obra de historiador Antônio Pereira da Silva, mas para um extensão maior de conhecimento, indico o livro “História da Maçonaria no Triângulo Mineiro – A fixação da Maçonaria em Minas Gerais”, que pode ser adquirido pelo telefone (34) 3216 6835. Barbosa Nunes, advogado, ex-radialista, membro da AGI, delegado de polícia aposentado, professor e maçom do Grande Oriente do Brasil - barbosanunes@terra.com.br
  9. 9. JB News – Informativo nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Pág. 9/29 O Irmão Mario López Rico é de La Coruña – Espanha. Escreve aos sábados. Responsável pela publicação espanhola Retales de Masononeria mario.lopezrico@yahoo.es - retalesdemasoneria.blogspot.com.es Principios del autoconocimiento “Hombre, conócete a ti mismo. Y conocerás al Universo y a los Dioses” Escrito en el frontispicio del Templo de Delfos Comenzar un camino en una escuela iniciática, y la masonería lo es, implica muchos compromisos futuros, pero si existe uno que todo recién iniciado ha de cumplir si quiere avanzar en su camino hacia la luz es el de conocerse a sí mismo. Tan importante es este principio que ya en los tiempos en los que el Templo de Delfos fue construido, sobre su frontispicio, se escribió claramente: “Hombre, conócete a ti mismo” La cosa puede parecer sencilla, aparentemente llega con conocer cuáles son nuestras virtudes y nuestros defectos y actuar de modo que unos se desarrollen y otras sean eliminadas. Esta purificación se nos antoja sencilla y rápida y es, sin embargo, lo más complicado y largo que te encontrarás…suponiendo que algún día lo consigas. Existen, no obstante, unas pautas, unos consejos que puedes seguir para facilitarte el camino y vamos a citarlos aquí y ahora, de ti depende, como siempre el seguirlo o no. Caminos y métodos existen muchos, destino solo uno: mejorarnos y perfeccionarnos cada día. El cuerpo físico es nuestra única herramienta. De él dependemos para todo. Es vital, por lo tanto, depurar nuestro cuerpo para que responda adecuadamente al trabajo que va a realizar. El cuerpo debe estar fuerte y para ello es vital mantener una higiene adecuada del mismo, cuidarlo y alimentarlo adecuadamente. Debemos adoptar un modo de vida sano. ¿De qué te vale un servidor que no sirve adecuadamente? Tu cuerpo puede estar débil por una alimentación inadecuada, por una enfermedad e, incluso, por preocupaciones que afectan a tu mente y no te dejan obrar con raciocinios adecuados. Si tu cuerpo es sano debes empezar por educar tu Espíritu. Has de marcar una dirección y una meta, hacer que tu voluntad sea activa y operativa, pero no loca y explosiva. Debes buscar la calma, desarrollar en ti las facultades adecuadas para tu avance y pensar que es posible. Si piensa que no puedes no podrás. Nada hay más poderoso que 3 – Principios del autoconocimiento - Mario López Rico
  10. 10. JB News – Informativo nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Pág. 10/29 los pensamientos negativos que bloquean con puertas de acero cualquier paso en el camino. Y debes desarrollar tu discernimiento porque, sin discernimiento, la voluntad es como un barco sin rumbo que va a donde mejor le place y nunca llega a su destino. Un discernimiento adecuado y entrenado es como un capitán seguro que guía el barco a puerto seguro por el camino más corto posible. Cuando consigas dominar todo lo anterior ya habrás aprendido mucho y comenzarás a conocerte. Habrás aprendido también que no merece la pena hablar si lo que vas a decir no es mejor que el silencio. Por ello cultivarás el silencio y conseguirás la calma de sentimiento, reflexionarás ante cualquier opinión que se haga y cuando hables, tu palabra será respetada y tendrá fuerza. Sabrás que no puedes poseer la verdad absoluta y que de nada sirve imponer tus pensamientos a los demás porque tú, como todos, puedes también equivocarte. Este conocimiento te hará humilde y educará a tu corazón. Educar tu corazón implica refrenar tus impulsos y no juzgar a los demás de acuerdo a las creencias de uno mismo. No juzgues y no serás juzgado. Sin embargo, no debemos confundir refrenar con suprimir; todo lo contrario. Si el camino a seguir parece seguro deberemos buscar el afecto compartido de todos aquellos que desean un ideal común de pureza, fraternidad, igualdad y libertad. Al margen de esto, la humildad de tu corazón te hará amar la naturaleza, la obra de Dios, y aprenderás lecciones de calma de ella, se expandirá a una nueva vida de bondad, de dulzura y de fraternidad Universal y aprenderás una de las lecciones más importantes. Que existen poderes en tu interior que nunca has llegado a imaginar y que solo serán accesibles a quien sea digno de ellos; y si algún día lo eres, en lugar de usarlos para el dominio de los demás, los emplearás para socorrer a los que sufren, auxiliar a los que procuran su camino, en definitiva, para servir a lo demás derramando todo lo benéfico que tienes como el Sol derrama sus rayos en la Tierra. Descubrirás que el auténtico maestro, incluso el recién iniciado, está aquí para servir y no para ser servido. Paladan dice: “Aquel que pida al Hermetismo el poder de seducir, de vencer a sus enemigos, de suplantar a sus rivales, será vencido, perecerá. Es la transposición mágica de las palabras de Cristo: Aquel que hiere con la espada, con la espada es herido.” En torno a ti se irradian fuerzas que se comportarán tal y como tú desees. Puedes crearlas y dirigirlas a tu gusto. Y dado que esta atmósfera psíquica por ti creada influye en aquellos que te rodean, del uso que hagas dependerá su avance hacia la Luz, El Ser Humano tiene la facultad del libre albedrío, puede hacer el bien o el mal, puede decidir lo que hacer; pero ten la certeza que todos tus actos tendrán una reacción, el Karma nunca duerme. A medida que el Templo de la Iniciación se abra hacia tu Alma, irás descubriendo el potencial interior que posees. Ante tu vista se abrirán Mundos que no imaginas, mundos que ni sospechas que puedan existir. Tu mente profana
  11. 11. JB News – Informativo nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Pág. 11/29 estaba limitada y por ello sufría, pero cada paso que das en el camino hacia la Luz y la espiritualidad te encamina hacia horizontes infinitos, bañados por la Luz y la Sabiduría que de ella emana. Mismo al comienzo, verás cuan poca cosa es el Ser Humano que se cree centro de todo ante el conjunto de los mundos. Entonces te convencerás de cuál es tu verdadero lugar en el Universo y que no tienen más valor que el ser una célula consciente en las lucha sin fin de la vida. ¿Por qué eres orgulloso? ¿Quién eres tú en un Cosmos infinito? Considera tu pequeñez y medita en el infinito. Perderás todo ese orgullo mezquino, esas vanidades insoportables, que ayer te parecían importantes; desde hoy te convencerás de que eres uno más en la infinita inmensidad de un universo sin fin. Sin embargo, todo cuenta, y tu ínfima chispa se unirá a otras muchas para hacer que la Luz y el Conocimiento se expandan por el Universo. Recuerda que la gota es mísera, pero unida a otras forma Océanos imponentes. Se por tanto humilde, haz tu parte, únete a otros muchos y sigue adelante. El camino es largo, tedioso, muchas veces incómodo y poco atractivo; pero el resultado final no puede compararse a nada conocido por el hombre. Sobre el autor Mario López Rico es maestro masón y trabaja actualmente su logia madre Renacimiento 54 – La Coruña – España, bajo la Obediencia de la Gran Logia de España, donde fue iniciado el 20 de Noviembre de 2007 y fue reconocido como maestro el 22 de Abril de 2010. A partir del año 2011 comienza a subir la escalera masónica filosófica del REAA siendo también, en la actualidad, Maestro de la Marca – Nauta del Arco Real, Compañero del Arco Real de Jerusalén y Super excelent master (grado cuarto y último de los Royal & Select Master – Rito york) Miembro Fundador Capitulo Semper Fidelis nº 36 de Masones del Arco Real el 18 – Oct – 2014 Miembro Fundador Consejo Mesa de Salomón nº 324 de Maestros Reales y Selectos (Masonería Criptica) el 20 – Feb - 2016
  12. 12. JB News – Informativo nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Pág. 12/29 Ir. Paulo Roberto - MI da Loja Pitágoras nr. 15 Membro da Academia Catarinense Maçônica de Letras e Grande Secretário Adjunto Guarda-Selos da GLSC. Escreve aos sábados neste espaço. prp.ephraim58@terra.com.br Paulo Roberto Apenas... INICIAÇÃO? - Iniciação (do latim “initiatio”) é um termo que remete a começo, entrada: iniciar um evento, ação, circunstância ou acontecimento. Também tem um significado de ascensão de um nível (abandonado) de existência para um outro nível superior. - A Iniciação também é um tipo de cerimônia em muitas sociedades, na qual é introduzido um novo membro após alguma tarefa ou ritual particular. Normalmente, o “Ritual de Iniciação” envolve a condução do novato por um veterano do grupo, e costuma consistir na exposição de novos conhecimentos - inclusive segredos. - Entre os objetivos de alguns tipos de Iniciação, destacam-se o aprendizado de valores fundamentais para a vida no nível seguinte (fase adulta). O iniciado deve aprender a se fortalecer com o isolamento (exemplo: “Câmara de Reflexões”), sobreviver em condições precárias, estar preparado para as dificuldades da vida. 4 – Apenas... INICIAÇÃO? Paulo Roberto
  13. 13. JB News – Informativo nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Pág. 13/29 Entre os povos da antiguidade, a Iniciação era definida como a “ação de iniciar em determinados mistérios e, ao mesmo tempo, como o cerimonial que acompanhava esse ato”. Dizia-se que Iniciar era colocar no conhecimento de um segmento religioso (ou de uma doutrina, seita ou sincretismo), nos seus mais variados ritos, enfim, em sua cerimônia. Mas era também “admitir no seio de uma sociedade, de uma companhia, de um grupo”, e “informar de um conhecimento, de uma ciência, de uma arte”. Resumindo, existe o “antes” e o “depois” da Iniciação. Somente aquele que nunca participou de um ato nem tampouco das cerimônias impostas é um profano. Entretanto, aquele que já participou e poderá participar outra vez, podemos considerá-lo como um adepto. O cerimonial que o ato exige, sempre necessário à sua celebração, pode ser considerado como um rito particular, que o antropólogo Charles-Arnold Kurr van Gennep, tão bem o definiu, chamando-lhe por “Rito de Passagem”. É real que, se o ato é temporal, os ritos praticados o ilustram por uma ou várias passagens efetivas (considerando-se caminhos, portas reais, etc.) que não deixam de significar representações simbólicas. A Iniciação torna-se essencial aos grupos sociais mais fechados. Quando só será considerado um membro participante, aquele que por ela passou. Em muitos segmentos sociais e religiões antigas, assim como, em certas seitas e doutrinas contemporâneas, a Iniciação em si, limita-se ao cerimonial introdutório, não implicando em nenhuma formação, nenhum conhecimento particular prévios. Assim sendo, o novo adepto, caso os queira, poderá adquiri-los em sequenciais que a ele posteriormente serão oferecidos. Contudo, o ato cerimonial em tese só exige votos, juramentos, entre os quais um que é considerado primordial, o de guardar o mais absoluto segredo sobre o que tiver sido visto, ouvido e aprendido como Iniciado. Em algumas religiões mais modernizadas e em muitas das sociedades consideradas herméticas, entre as quais a Franco-Maçonaria, exigem por um outro lado, estudos e verificações prévias; exigindo até mesmo determinados juramentos, manifestações de boa vontade e atos de obediência desde o início da aquisição desses conhecimentos. Outras sociedades vão até mais longe, exigindo atos comprovados de alto conhecimento, entretanto, sem nenhum tipo de compromisso de qualquer das partes, e só consentem em proceder à Iniciação, considerado o ato final de integração, quando essas provas forem encerradas. Aí, a Iniciação torna-se então, apenas uma espetacular confirmação, durante a qual o recém Iniciado assume compromissos assegurados certamente, como especiais... Na Maçonaria a Iniciação acontece em três fases sucessórias, correspondentes aos três graus que darão ao profano, três títulos progressivos: Aprendiz, Companheiro e Mestre. Cada uma dessas passagens comporta muitos estudos, o controle dos conhecimentos adquiridos, os quais são exigidos para o ato discreto, reservado e modesto de entronização ao grau imediatamente superior. Existem três passagens cerimoniais, ao invés de uma só: a do profano a Aprendiz; a de Aprendiz a Companheiro; a de Companheiro a Mestre. Será somente no ato final, a cerimônia
  14. 14. JB News – Informativo nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Pág. 14/29 que tornará efetivo o grau de Mestrado, no qual o profano se tornará um adepto, ou seja, que ele terá recebido a verdadeira Iniciação. Nas diversas etapas mencionadas o postulante deve ter provado que conseguiu aliar as aquisições espirituais ao conhecimento e ao uso do ritual. Em si, a noção de Iniciação é tão importante em Maçonaria que ela é muitas vezes invocada, em todos os graus e até mesmo nos mais altos graus. É pois de admirar que exista tanta divergência nas definições passadas pelos Mestres mais experimentados. Lembrando alguns autores, trata-se realmente de uma “transmutação”, que transpõe para o espiritual o ato alquímico da mudança (ao mesmo tempo, considerada mágica e científica) do metal chumbo em metal ouro! Isto é, do “profano” em verdadeiro “Maçom”. Alguns outros até parecem crer, que as duas primeiras passagens: de profano a Aprendiz e, depois, de Aprendiz a Companheiro são iniciações tidas como imperfeitas, mas necessárias à terceira passagem: a de Companheiro a Mestre, nesse caso, a única que tem o absoluto direito de ser lembrada como a verdadeira Iniciação! Para alguns dos exegetas (intérpretes de textos diversos, obras de artes, etc.), não dos menores, a aquisição do grau de Mestre deve ser apenas o começo da Iniciação, que por sua vez será continuada no decorrer da vida maçônica até os mais elevados graus a serem adquiridos. Todavia, segundo o costume seguido pelas Lojas, parece ser admitido que o Venerável Mestre (eleito pelos Mestres por suas qualidades, seus conhecimentos e sua excepcional representatividade) é um exemplo irrefutável do Maçom iniciado; mesmo que seja portador de grau deveras elevado. Muitos autores maçônicos, que no íntimo, parecem preocupados com suas próprias obras, mesmo não sendo muito difundidas e destinadas somente aos considerados adeptos, deixam transparecer o quão é difícil (certamente até receoso) procurar e dar uma definição precisa do Iniciado; porque esse é o princípio do “verdadeiro segredo maçônico”, que só se pode conhecer sendo um perfeito Maçom, isto é, após ter vivido pessoalmente essa fase final da integração com respeito à Ordem. A Instituição Maçônica admite a semelhança entre sua Iniciação e as iniciações antigas, porque o ato (ou os atos) que executa não é nada além da “passagem das trevas à luz”, “da ignorância ao conhecimento”; e que ela é portanto análoga ás passagens rituais do passivo ao ativo, da morte ao renascimento, de que os segmentos religiosos-doutrinários mais antigos oferencem-nos exemplos tão numerosos. Realmente, conhecemos muito mal essas ritualísticas, a maior parte das mesmas transmitidas por escritores cristãos vividos nos primeiros séculos, os quais se indignavam de nelas descobrirem fases consideradas sexuais (particularmente nos mitos de Ceres, que representavam o nascimento do grão de trigo). Obter ideias maçônicas generalizadas é relativamente fácil. Utilizar o conhecimento e o uso do ritual (até inclusive o grau de Mestre) é bastante demorado (daí os quatro anos geralmente necessários para se chegar ao terceiro grau). Adquirir o manuseio natural, fácil, das formas oratórias exigidas pelo simbolismo maçônico apresenta algumas dificuldades. Alguns Veneráveis dão, a esse respeito, uma prova de grande virtuosidade, enquanto outros, permanecem em
  15. 15. JB News – Informativo nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Pág. 15/29 um nível infelizmente até considerado de determinada mediocridade; no entanto, nem por isso lhes será negada a qualidade de Iniciado, se todas as exigências tiverem sido cumpridas. A Luz simbólica possui intensidades variáveis; mas “ela é uma no seu valor funcional”. Ela – e só ela – faz o verdadeiro Maçom! Mas, para necessitarmos um pouco as aquisições intelectuais e morais nas etapas da marcha para a Iniciação maçônica, daremos o aspecto mais significativo, aquele que se concretizou, do final do século XVIII à metade do século XIX, na Maçonaria escocesa, e que a Grande Loja da França parece ter conservado:  Na primeira etapa (Aprendiz Maçom): “Término das hierarquias e das falsas dependências do mundo considerado profano. Solução do antagonismo do indivíduo e do mundo externo. Síntese das tarefas que aguardam o neófito e das dificuldades que ele terá de superar. É... a edificação do indivíduo qualificado”.  Na segunda etapa (Companheiro Maçom): “Descoberta dos diferentes planos do ser físico e moral. Aquisição de hábitos personificados equilibrados e harmoniosos. Hábito de utilização dos métodos de introspecção que permitam verificar-se a si próprio e caminhar ao encontro de uma qualidade considerada mais elevada. Enfim, a aproximação da melhor participação maçônica”.  Na terceira etapa (Mestre Maçom): “Participação na Vida Universal. O Eu, agora tornado qualificado, integra-se ao Todo. Propostas exemplares de modos de trabalhos. Uma experimentação das qualificações dos proponentes ao trabalho universal. Sugestões de estudos necessários. Observe-se aqui, a Exaltação dos Mestres considerados mais representativos”.  Nas etapas consideradas posteriores (do Rito Escocês Antigo e Aceito – R.: E.: A.: A.:): “Participar (ritualisticamente e ideologicamente) dos grandes segredos do Universo, nos mais altos exemplos inclusos da história, em trabalhos considerados transcendentais. Participação na direção das Lojas, Metodologia da Permanência e da Extensibilidade maçônica”. Convém observar que nessa última etapa, que não se encontra tão claramente definida nas demais Obediências maçônicas, implica a concepção particular segundo a qual a Iniciação não termina nunca e deve até prolongar-se sem limitações. Bibliografia: TOURRET, Fernand – Obras... verba volant, scripta manent
  16. 16. JB News – Informativo nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Pág. 16/29 ESTUDOS SOBRE O TETO DA LOJA (Constelações, Planetas e Estrelas) Ir∴ VALTER CARDOSO JUNIOR M∴M∴ da A∴R∴L∴S∴ DELTA DO NORTE Florianópolis – SC – GOB “No principio, Deus criou o Céu e a terra... Deus disse: Haja Luz! E houve Luz... Viu que a Luz era boa e separou a Luz das trevas... Deus disse: Haja um firmamento... e chamou o firmamento de Céu. O Céu da Loja em Maçonaria, simbolicamente, representa o firmamento natural e se denomina Abóbada Celeste. Platão já nos falava: “Para crer em Deus basta erguer o olhar para cima”. A Abóbada, de cor azulada, está decorada com astros, estrelas e nuvens. É a representação do firmamento celeste. (Flávio Dellazzana, C∴M∴ - ARLS Pedra Cintilante) 5 – Estudos Sobre o Teto da Loja Valter Cardoso Júniort
  17. 17. JB News – Informativo nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Pág. 17/29 No dia sete de agosto de 2016, eu e meus Ir∴G∴ Farias, Rafael, Luciano e Alvino completamos os três primeiros anos de vida maçônica, trajetória que começou em 07.08.2013 quando fomos iniciados na A∴R∴L∴S∴ Delta do Norte, do Or∴ de Florianópolis. Naquele momento sagrado nos foi dada a oportunidade de receber a luz. Estávamos extasiados, contemplávamos a arquitetura e os símbolos maçônicos em todos os espaços de nosso Templo. E foi lá em cima, no teto do Templo Sagrado, que visualizamos a linda e ímpar imagem dos astros, constelações e planetas. Como deixou dito nosso I∴ Jules Boucher em seu livro “A simbologia Maçônica”: A contemplação de um céu estrelado dá uma grande quietude e uma notável serenidade de espírito; ela incita não ao devaneio, mas á meditação. A abóbada constelada dos Templos maçônicos é, ao mesmo tempo, o símbolo de sua universalidade e o símbolo de sua verdadeira transcendência. Com o passar do tempo, embevecidos por uma egrégora transcendente, nossos olhos foram atraídos por três imagens que se sobressaiam sobre os outros: o SOL a LUA e uma bela Estrela de cinco pontas, que irradiava uma forte luz. Talvez porque tanto o Astro Rei como a Lua marcam as mais ricas reflexões que o ser humano pode e ainda faz sobre o Universo, sem evidentemente esquecer a beleza e importância das Constelações, Planetas e Estrelas ali representados. A beleza da cerimônia e a egrégora representada pela harmonia e paz da união de pensamentos de todos os IIR∴ ali presentes, aumentavam a emoção de nós iniciados. E nos oferecia uma energia jamais sentida, que não nos permitia encontrar palavras para exprimir e representar aquele lindo e especial momento. O SOL - Ao olharmos para o Oriente fica evidente aquela figura do Sol resplandecente diante de nosso olhar. Esta que é a estrela central do Sistema Solar, em redor do qual giram os planetas. É este Sol que representa para nós maçons a luz, tanto no aspecto físico como no aspecto espiritual. Ele é base de vida, de saúde, de equilíbrio e de força. Desde os tempos mais remotos, apesar da falta de conhecimento, os primeiros homens já sabiam do valor inestimável do SOL para suas vidas. Consideravam o Astro Rei como um deus, que desaparecia em determinado momento e renascia no dia seguinte trazendo as energias para uma nova vida. Nosso Ir∴ Hercules Spolare, lá do Oriente de Londrina, nos deixou no periódico JBNews de número 1.989, de 13.03.2016, estes fragmentos importantes sobre o SOL em sua prancha maçônica “O sol como Símbolo na Maçonaria”, que enriquece esta minha pesquisa: O homem primitivo, mais pelo temor ás revelações da natureza, via no Sol algo de sobrenatural e, não tendo condições intelectuais que se tem hoje,
  18. 18. JB News – Informativo nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Pág. 18/29 venerou o sol como um deus, pois não sabia fazer o relacionamento astrológico, não tinha condições de diferenciar o que achava divino com aquilo que realmente era divino. (...) O homem primitivo tinha um pavor imenso do entardecer, porque logo a seguir vinha a noite tenebrosa e fria, repleta de mistérios. (...) No dia seguinte quando o Sol ressurgia, ele voltava a ficar contente e feliz, pois o sol lhe trazia de volta a luz, o calor e também a vida.(...) Já estava aí implícita a idéia da ressurreição, inicio da formação de um mito. (...) Davam ainda a conotação que tendo em vista o “nascimento” marcha ou curso e sua “morte “significavam simbolicamente a eterna porfia entre o Bem e o Mal, sempre vencida pelo BEM. Trago este detalhamento sobre o Astro Rei – O SOL – pela grandeza que representa não somente para a Maçonaria, mas para todo o universo em toda sua plenitude. Certamente nossos antepassados contemplavam o céu e todos os seus elementos. Ao mesmo tempo em que expressavam temor, valiam-se da certeza de que por trás de tudo que existia em seu derredor, havia uma grande força sobrenatural desconhecida, que nem eles e nem nós mesmos ainda conhecemos em sua plenitude. Portanto, acreditar em algo superior, que é uma das exigências para nos tornarmos membros da família da Arte Real, é fato de relevância desde os primórdios da humanidade. Talvez aí resida o que sempre digo, nossos princípios maçônicos são e serão sempre vanguardeiros. Nós aprendemos desde cedo que a ocupação do Sul é exatamente para observar o sol no seu meridiano e chamar os obreiros para o trabalho. Como nos ensina o REAA, assim como o Sol se oculta no Ocidente para terminar o dia, ali esta a autoridade maçônica para fechar a Loja. Já o nosso V∴ M∴ ocupa o Oriente para abrir a Loja e dirigi-la, com esclarecimentos iluminados de sabedoria. Nosso Ritual de 1º Grau do REAA quando nos fala do Meio Dia e Meia Noite significa que Meio Dia é exatamente o momento em que o SOL passa por um meridiano diametralmente oposto a meia-noite. Simbolicamente a hora em que os Aprendizes, Companheiros e Mestres, em muitos graus maçônicos, iniciam seus trabalhos, ao meio-dia em ponto. A Meia-Noite é o momento em que o SOL passa por um meridiano diametralmente oposto ao Meio-Dia. Simbolicamente é a hora em que também os Aprendizes, Companheiros e Mestres, em muitos graus maçônicos, encerram seus trabalhos. A LUA – Para muitos ela representa as trevas e a morte. Para outros é considerada o “símbolo do principio feminino do universo”, além de constância e regularidade. Todavia, guardo a opinião de que ela, juntamente com o Sol, representa o nosso caminho de busca da verdade. O sol localiza-se no Oriente do Templo onde tem assento o V∴M∴, origem de toda sabedoria e conhecimento. No Ocidente encontramos a lua, onde se concentram Aprendizes, Companheiros e Mestres, que buscam constantemente o conhecimento através dos estudos.
  19. 19. JB News – Informativo nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Pág. 19/29 Ao focarmos o Ocidente visualizamos a Lua, as constelações e os planetas que estão representando a noite, como deixou dito nosso Ir∴ Edilson Araujo da ARLS Armando do Amaral: O Templo maçônico tem o teto abobadado, na cor azul e semeado de nuvens e estrelas, onde circulam o SOL e a LUA e inúmeros Astros, representando claramente o Firmamento Celeste. Nele os Astros traduzem uma simbologia especial e se conservam em equilíbrio, atraídos que são, uns pelos outros. Nossa Oficina de Trabalho é o nosso Templo Sagrado, onde nos reunimos e formamos por meio de nossos templos pessoais a grande egrégora maçônica que cresce nas energias transcendentais e nos faz viver momentos especiais de muitas energias positivas e paz. Como dissemos, nosso Templo Sagrado tem um Teto representando simbolicamente o firmamento. Nele estão representadas astros, constelações e os sete planetas conhecidos desde a antiguidade, no site https://focoartereal.blogspot.com/2013/.../abobada-no-templo-maconico- origem-e encontramos assim orientado: VENERAVEL MESTRE – Representa o mais dos planetas: JUPITER (romano), ou Zeus (grego), principal deus pagão soberano do mundo e que reinava no Monte Olímpio. Era o senhor do Universo e dos fenômenos atmosféricos. Representa a figura do pai, do patriarca e por isso, simboliza e dirige a coluna da Sabedoria (Oriente); PRIMEIRO VIGILANTE - representa Marte, deus romano da agricultura e da guerra. O planeta da força, da energia edificante, da força criadora do espírito. Simboliza e dirige a Coluna da Força (Norte). Representa também o lado masculino; SEGUNDO VIGILANTE – Representa Vênus, deusa romana do amor e da beleza. Simboliza e dirige a Coluna da Beleza (Sul). Representa o lado feminino; ORADOR – representa Apolo, deus do sol. Simboliza a luz do Direito, da Lei e da Justiça, sendo ela a luz que esclarece e orienta os obreiros. Responsáveis pela guarda da lei e pelas peças de oratória; SECRETÁRIO - corresponde à deusa Artemis, deusa da lua. O oficial reflete nas atas, a Luz que vem do Orador; MESTRE DE CERIMÔNIAS – corresponde ao planeta Mercúrio, deus veloz e astuto. O oficial circula rapidamente pelo templo como elemento de ligação, recepção e condução, pois, imita o planeta que mais rapidamente circula em torno do sol (venerável);
  20. 20. JB News – Informativo nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Pág. 20/29 TESOUREIRO – corresponde ao planeta Saturno que com seus inúmeros anéis, simboliza a riqueza; HOSPITALEIRO – simbolizado por Vênus, e representando o amor ao próximo, ajudando e assistindo os irmãos necessitados; Dessa forma, todas estas representatividades no Teto do Templo Maçônico têm sua força energética, aliada a egrégora formatada desde a abertura do L∴L∴. A cada nova sessão essa força renova nossas energias e potencialidades, que tanto precisamos para intensificar nossa união com a Consciência Cósmica Universal. Nosso Ir∴ Lúcio Alberto Gomes em sua prancha maçônica “O universo e a sua relação Esotérica” deixa registrado um fragmento de Hermes, o Trimegisto, há exatamente 2700 a.C., que disse: “Sob as aparências de Universo, de Tempo, de Espaço e de Mobilidade está sempre encoberta a Realidade Substancial – a Verdade Fundamental.” Este aspecto pensado por Hermes eu trago para nossa Arte Real no sentido de ensinar que o importante é estar em busca da verdade, aproveitando sempre o período existente entre a busca e o encontro que sabemos ser bastante difícil. Quando ele fala em realidade substancial, entendo que se refere a tudo aquilo que está dentro de nós. A força intrínseca que representa nosso estado real e que reconheço como a espiritualidade que todos nós possuímos. Força esta que nos permite buscar respostas entre o certo e errado ou entre o conhecido e o desconhecido. O Teto da Loja, que também conhecemos como Abóboda Celeste, é para nós da Arte Real um caminho simbólico que nos leva a grande busca: da Verdade como ideal maçônico e, dentro deste universo infinito, o grande significado do que seja conhecimento espiritual. Se existe uma coisa que ficou patente desde os primeiros passos dos homens no universo, foi o efeito de desenvolvimento em seus vários projetos de vida, quando iniciaram o conhecimento da ligação de alguns corpos celestes sobre a vida na terra. Desde aquele tempo, dentro dos parâmetros de conhecimento do homem, estes já observavam a força de alguns astros demonstrados periodicamente, em especial na agricultura, fonte de sobrevivência efetiva da vida. Não podemos negar que cada astro ou estrela têm sua importância simbólica Maçônica e merecem sempre estudos e pesquisas com maior profundidade. Até aqui procurei evidenciar o SOL e a LUA por suas forças que, desde os primórdios da humanidade, são percebidas pelo homem. Todavia, gostaria de reforçar também a importância para nossa Arte Real da chamada Estrela Flamejante, citada no início desta peça arquitetônica. Vejo-a como um Símbolo do Fogo Sagrado, disponibilizado para todos nós maçons pelo Grande Arquiteto do Universo. Sob a luz de seus raios temos a oportunidade de praticar as três grandes bases de sustentação de nossa passagem terrena: Liberdade com Igualdade e Fraternidade. Podemos dizer que a Estrela Flamejante representa a todos nós a Fraternidade Maçônica, algo que por demais almejamos. O grande encontro entre irmãos, na Paz Mundial, onde a base essencial serena e pura é e será sempre o AMOR. Foi o médico Enrique Cornélio Agrippa de Neteshein que deu o nome de Estrela Flamejante ao pentagrama, por volta do século XV. Todavia, a Maçonaria viria a introduzi- la em suas ritualísticas somente no século XVIII, na França, por meio do Barão Tschoudy, que foi também o criador do Rito Maçônico Adonhiramita. Na Arte Real a Estrela de Cinco Pontas representa o Companheiro e, principalmente, sua luta e a de todos nós na busca do conhecimento e compreensão.
  21. 21. JB News – Informativo nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Pág. 21/29 Muitos são os seus significados. Seria como um leque que se abre de forma extensa, porém, temos que entender que esta gama de diversidade de interpretações não deve ser levada como verdade final. Devemos absorver e tirar proveito de seus significados abraçando o que mais se adapta ao nosso conhecimento, promovendo assim nosso crescimento espiritual individual, pois somos e seremos sempre eternos aprendizes. Esta Estrela de Cinco Pontas, também conhecida como Pentagrama, representa num primeiro momento os cinco elementos da natureza: Ar, Fogo, Água, Terra e uma força sobrenatural que criou e coordena todo o universo e toda a nossa existência. Esta Estrela está representada no Teto da Loja Maçônica acima do Altar do Segundo Vigilante, por isso, tem sido associado ao longo do tempo a este Pentagrama ou Estrela de cinco pontas. Outros estudiosos e pesquisadores também trouxeram esta ligação simbólica de outras formas, como por exemplo, que cada ponta representa os cinco sentidos físicos: visão, audição, tato, olfato e paladar. Uma forma simbólica que muito me faz pensar e pesquisar é o de que estas cinco pontas representam os cinco grandes ciclos da vida: o nascimento, a infância, maturidade, velhice e morte. Desta forma entendo que nossas vidas são feitas de ritos de passagem, constatando que estes ciclos são os grandes componentes desta vivência terrena. O NASCIMENTO, como rito de recebimento da luz e do encontro com o mundo terreno. A INFÂNCIA nos traz os momentos de estruturação para a vida. A MATURIDADE denota a fase do relacionamento e o grande aprendizado de que precisamos ter respeito às diferenças e a necessidade de viver com o outro. A VELHICE, como rito consubstanciado na reflexão e acolhimento à sabedoria. Por fim, a MORTE, um rito de passagem que ainda nos falta conhecer muito, mas que me traz o sentimento de reinício. Além destes significados, podemos lembrar-nos de outro em que o pentagrama representa o corpo humano. Nas cinco pontas estão a cabeça, os braços e pernas como mostrado nesta figura abaixo e que nos permite muitas reflexões.
  22. 22. JB News – Informativo nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Pág. 22/29 Entendo que esta Estrela maravilhosa de nossa ritualística nos mostra o homem como centro da vida e criação divina, dotado de luz própria, advinda de seu interior, iluminando mais ou menos de acordo com sua evolução espiritual. Nosso Ir∴ Jules Boucher, grande escritor Maçônico, nos traz um pouco mais sobre a afirmativa das pontas desta Estrela em relação aos cinco sentidos, e deixou escrito: Não olvidemos nunca que estrela é luz e a luz é o grande símbolo da verdade e do saber. O sol, a luz, a Estrela Flamejante tem, na Maçonaria, uma significação bem diferente daquela que lhes é atribuída no mundo profano. Se a luz material nos transfere informações através de nossa visão, sobre o que existem ao nosso redor, as luzes que cultuamos na maçonaria nos proporcionam outra visão, muito mais abrangente e de muito maior valor para nossa vida, pois que elas iluminam a estrada de nossa existência, no campo mental e espiritual. Finalmente ouso dizer que a Estrela Flamejante representa o Maçom como um ser espiritual. Uma fagulha divina criada pelo Grande Arquiteto com missões múltiplas em sua passagem terrena. Mesmo reconhecendo que somos seres não prontos, por isso, desenvolvendo ao longo de nossas existência buscas pela perfeição, precisamos estar em constante contato mental com GADU, buscando o aprimoramento e multiplicando o que aprendermos nesta caminhada. Para concluir estes meus pensamentos sobre o Teto do Templo Sagrado Maçônico, deixo este fragmento lido em 13.08.2016, no site: blogoaprendiz.blogspot.com/2013/06/abobada-no- templo-maconico-htm : Neste Universo recriado no templo maçônico e, no qual participamos da marcha divina do Sol, da passagem noturna das estrelas, dos períodos da Lua, dos equinócios e dos solstícios, onde estabelecemos uma reunião harmônica mágica entre esta pequena parcela terrestre e a imensidão celeste, interpretando o microcosmo com o macrocosmo, o aprendiz despoja-se das ilusões da personalidade, busca na Fé, na Esperança e na Caridade para com seus semelhantes, o combustível da vida. Encontra na reflexão a vida da alma, fortificando o ressurgimento espiritual, fugindo ao passo escorregadio da vida sensitiva, afasta o mal, do eixo de sua existência, e como larva, que para chegar ao seu completo desenvolvimento, passa por sucessivas transformações, o aprendiz aguarda sereno no setentrião o discernimento de espírito para continuar sua marcha.
  23. 23. JB News – Informativo nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Pág. 23/29 Coluna da Harmonia O Irmão Ademar Valsechi escreve aos sábados. É MI da Loja Templários da Nova Era – 33º. REAA – membro da Academia Catarinense Maçônica de Letras, ex-Grande Mestre de Harmonia, atual Grande Secretário de Cultura da GLSC e autor do Livro “A Arte da Música Através do Tempo e na Maçonaria” além da Coletânea em MP3 de Músicas para Ocasiões Maçônicas. - valsechibr@gmail.com Coluna da Harmonia – Nr. 46 Grandes Mestres da Música Universal Giovanni Pierluigi da Palestrina – 2ª parte Compositor prolífero, publicou todas as suas obras, que não caíram no esquecimento. Compôs grande quantidade de “motetos palestrinianos”, destacando-se o “Salmo 137 - Super Flumina Babylonis”. Aperfeiçoou a música clássica. A audição de sua célebre “Missa Papae Marcelli” no Concílio de Trento, teria feito mudar a opinião dos prelados e teólogos, que pensaram em proibir toda música polifônica, permitindo apenas Coral Gregoriano. A fama universal de Palestrina é reconhecida no pequeno “Sabat Mater”. Harmonizando a 46ª Coluna da Harmonia, vamos ouvir o “Agnus Dei da Missa Papae Marcelli” de Giovanni Peirluigi da Palestrina  12 - Palestrina - Missa Papae Marcelli - Agnus Dei 1 and 2.mp3 6 – Coluna da Harmonia nr. 46 Ademar Valsechi
  24. 24. JB News – Informativo nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Pág. 24/29 (as letras em vermelho significam que a Loja completou ou está completando aniversário) GLSC - http://www.mrglsc.org.br GOSC https://www.gosc.org.br Data Nome da Loja Oriente 01.09.1952 Fraternidade Blumenauense nr. 06 Blumenau 05.09.1996 Fraternidade Chapecó nr. 63 Chapecó 08.09.1982 Sentinela do Sul nr. 29 Tubarão 17.09.1986 Universo nr. 43 Florianópolis 17.09.1993 Universo II – nr. 57 Florianópolis 17.09.2000 Universo III nr. 77 Florianópolis 20.09.1991 Acácia da Arte Real nr. 50 Florianópolis 22.09.1982 Fraternidade Josefense nr. 30 São José 25.09.1978 Harmonia e Fraternidade nr. 22 Joinville 27.09.2000 Colunas da Fraternidade nr. 78 Blumenau Data Nome da Loja Oriente 03/09/1993 Treue Freundschaft Florianópolis 09/09/1969 Liberdade E Justiça Canoinhas 09/09/1991 Cavaleiros Da Luz Blumenau 16/09/2003 Ordem E Fraternidade Florianópolis 18/09/2009 Colunas Do Oriente Tijucas 20/09/1948 Luiz Balster Caçador 20/09/2008 Acácia Da Serra Rio Negrinho 25/09/2002 Fraternidade Tresbarrense Três Barras 27/09/2010 João Marcolino Costa Sto. Amaro da Imperatriz 28/09/1993 Colunas da Fraternidade Balneário Camboriú 30/09/2010 Triângulo Equilíbrio e Consciência Mafra 7 – Destaques (Resenha Final) Lojas Aniversariantes de Santa Catarina Mês de setembro
  25. 25. JB News – Informativo nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Pág. 25/29 GOB/SC – http://www.gob-sc.org.br/gobsc Data Loja Oriente 01.09.64 Harmonia e Trabalho - 2816 Florianópolis 03.09.05 Retidão e Cultura - 3751 Florianópolis 08.09.04 Cruzeiro do Sul - 3631 Florianópolis 09.09.10 Reg. Guabirubense - 4100 Brusque 10.09.96 Reg. Lagunense - 2984 Laguna 11.09.10 Cruz e Sousa de Estudos e Pesq. do Rito de York Florianópolis 12.09.23 Paz e Amor V - 0998 São Francisco do Sul 12.09.97 Otávio Rosa 3184 São Pedro de Alcântara 15.09.94 Herbert Jurk - 2818 Rio dos Cedros 18.09.10 Frat. Guabirubense - 4116 Brusque 19.09.08 Cavaleiros Templários - 3968 Fraiburgo 22.09.09 Acácia De Itapoá-4044 Itapoá 30.09.93 União Catarinense - 2764 Florianópolis Pensamentos Puros “Torne o seu pensamento muito, muito puro e positivo. Para si e para todos. Não apenas para alguns, mas para todos. Se você aprender a criar pensamentos puros você não terá doença mental ou física. Nada vai faltar em sua vida. Nós não podemos receber bênçãos pedindo por elas, mas ao ter bons votos para os outros. Quando nos esforçamos com um coração verdadeiro recebemos as bênçãos de Deus e dos outros.” José Aparecido dos Santos TIM: 044-9846-3552 E-mail: aparecido14@gmail.com Visite nosso site: www.ourolux.com.br "Tudo o que somos é o resultado dos nossos pensamentos".
  26. 26. JB News – Informativo nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Pág. 26/29 Palestra Pública: O Simbolismo de Jung na Sociedade, na Religião e na Maçonaria. Traga seus familiares e amigos. Data: 16 de setembro – sexta-feira. Local: Rua Araújo, 154 – 2º. Andar – São Paulo (a 150 m. da Estação República do metrô, pela saída da Rua Marquês de Itu ou estacionamento à Rua Major Sertório, 175 (Mapa abaixo)
  27. 27. JB News – Informativo nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Pág. 27/29 Ir Marcelo Angelo de Macedo, 33∴ MI da Loja Razão e Lealdade nº 21 Or de Cuiabá/MT, GOEMT-COMAB-CMI Tel: (65) 3052-6721 divulga diariamente no JB News o Breviário Maçônico, Obra de autoria do saudoso IrRIZZARDO DA CAMINO, cuja referência bibliográfica é: Camino, Rizzardo da, 1918-2007 - Breviário Maçônico / Rizzardo da Camino, - 6. Ed. – São Paulo. Madras, 2014 - ISBN 978-85.370.0292-6) Ordens de Arquitetura Para o dia 10 de setembro Diz respeito às colunas e seus compromissos; dentro de uma Loja de aprendizes são colocadas colunas das ordens dórica, Jônica e coríntina; nas Lojas de companheiros são colocadas as colunas da ordem Toscana e compósita. De modo simples, as colunas são assim diferenciada entre si. A coluna ática, também denominada de quadrada, apresenta o seu fuste no formato de um paralelepípedo alongado. A coluna gótica apresenta um feixe de pequenas colunas, tendo o capitel adornado com folhas de cardo. A coluna rostrada apresenta ornamentos como os esporões de navio, denominadas de rostros. A coluna abalaustrada apresenta maior altura no capitel do que na base. A coluna ligada, ou meia-coluna, é a que vem inserida nos muros. A coluna salomônica apresenta seu fuste em espiral. Todas as colunas da ordem de arquitetura podem ser “soltas“, isto é, sem que tenham nada para sustentar. As duas colunas do átrio, “B” e “J”, são soltas, as outras 12 são de apoio. O maçom não deve esquecer que ele mesmo é uma coluna de apoio, e sobre essa coluna, a Loja encontra sustentação. Breviário Maçônico / Rizzardo da Camino, - 6. Ed. – São Paulo. Madras, 2014, p. 272.
  28. 28. JB News – Informativo nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Pág. 28/29 1 – Verdadeiro ou Falso? Saiba mais sobre a sua personalidade! 2 – Estes 9 incríveis alimentos podem prevenir a diabetes! 3 – A vida é melhor quando aceitamos estas verdades! 4 – 10 problemas de saúde que são identificados pelos pés 5 – Você conhece este desfile anual de esculturas de flores? 6 - Essas meninas super talentosas foram enviadas do céu! 7 – Filme do dia: (Genghis Khan) 1965 - Dublado Sinopse: : Épico com estrelas do cinema, tais como Omar Sharif (Dr. Jivago), Stephen Boyd (Os Dez Mandamentos), James Mason (Nasce Uma Estrela) e Telly Savalas (Os Doze Condenados).Esta é a história do líder mongol que é considerado o "Príncipe dos Conquistadores", neste filme veremos um Genghis Khan (Omar Sharif) ainda menino, chamado "Temujin", que sofrerá perseguições do rival Jamuga (S. Boyd), até se rebelar e formar um grande exército que conquistaria todo o Oriente, Ásia e chegaria até as portas da Europa, entre os séculos XII e XIII, considerado o segundo maior conquistador da humanidade, depois do grego Alexandre, o Grande. https://www.youtube.com/watch?v=7P6IkmtO55A
  29. 29. JB News – Informativo nr. 2.170 – Florianópolis (SC) – sábado, 10 de setembro de 2016 Pág. 29/29 O Irmão Adilson Zotovici, escreve aos sábados neste espaço adilsonzotovici@gmail.com A PROVA Temos a prova evidente É desnecessário alusão Quem franco, proficiente, Foi no trono de Salomão Basta notar se presente Na sequência da sua gestão Ou se constante ausente Em todo evento ou sessão Ora, um irmão sempre irmão ! Não há cargo expoente Tampouco de depreciação Igualdade em cada função Pois elo duma corrente... Não só com malhete na mão ! Adilson Zotovici ARLS Chequer Nassif-169

×