SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 24
Baixar para ler offline
TELS: (21) 3391-6598 / 9652-4788
Email/MSN: cacau_tattoo_piercing@hotmail.com
SKYPE: Cacau Tattoo
ESTUDE TAMBÉM AS APOSTILAS COMPLEMENTARES
ENVIADAS POR EMAIL
1
I - O QUE É MICROPIGMENTAÇÃO
A MICROPIGMENTAÇÃO mais conhecida como maquiagem definitiva ou maquiagem permanente é um procedimento
estético que valoriza os traços da face e dá mais expressão ao rosto.
A maquiagem definitiva tem ganhado força entre as opções de tratamentos estéticos existentes no mercado, principalmente
devido à falta de tempo decorrente de um dia-a-dia cada vez mais atribulado, além da crescente preocupação com a beleza e
aparência.
Olhos delineados, bocas expressivas e sobrancelhas bem desenhadas e definidas são as características mais marcantes no
rosto feminino e que traduz a marca registrada da jovialidade, e através da micro pigmentação, devolvemos à mulher
madura esse aspecto jovial que ela perde no decorrer dos anos.
Naturalmente a boca perde seu contorno, se tornando esbranquiçada e inexpressiva. Os olhos parecem mais fechados e
miúdos. E as sobrancelhas, com raros pêlos, perdem seu desenho ou inexistem.
O recurso de micro pigmentação é hoje um grande aliado às cirurgias plásticas ou procedimentos médicos que visam o
rejuvenescimento, pois a dermopigmentação, como também é usualmente chamada no meio médico, se divide em
paramédica, corrigindo e amenizando o desconforto dos efeitos estéticos de falhas em couro cabeludo, camuflando marcas
de vitiligo, quando estático e acabamento em aréolas, decorrentes de cirurgia de mama.
Na realidade, a micro pigmentação vai além do efeito estético e da praticidade no dia a dia das mulheres... Em muitos casos
ela resgata a feminilidade e a auto-estima.
Com o passar do tempo os pigmentos foram desenvolvidos exclusivamente para a pigmentação, quando antes era usado o
pigmento de tattoo.
Atualmente contamos com trabalhos de extrema naturalidade, graças aos pigmentos próprios para este fim.
O uso de material de qualidade (pigmentos, dermógrafo, agulha), associado aos dotes técnicos e bom senso estético do
profissional, são condições relevantes ao sucesso do trabalho.
II - ESTRUTURA DA PELE
1- EPIDERME
A epiderme é um epitélio multiestratificado, formado por várias camadas (estratos) de células achatadas (epitélio
pavimentoso) justapostas. A camada de células mais interna, denominada epitélio germinativo, é constituída por células que
se multiplicam continuamente; dessa maneira, as novas células geradas empurram as mais velhas para cima, em direção à
superfície do corpo. À medida que envelhecem, as células epidérmicas tornam-se achatadas, e passam a fabricar e a
acumular dentro de si uma proteína resistente e impermeável, a queratina. As células mais superficiais, ao se tornarem
repletas de queratina, morrem e passam a constituir um revestimento resistente ao atrito e altamente impermeável à água,
denominado camada queratinizada ou córnea.
Toda a superfície cutânea está provida de terminações nervosas capazes de captar estímulos térmicos, mecânicos ou
dolorosos. Essas terminações nervosas ou receptores cutâneos são especializados na recepção de estímulos específicos. Não
obstante, alguns podem captar estímulos de natureza distinta. Porém na epiderme não existem vasos sangüíneos.
2
Os nutrientes e oxigênio chegam à epiderme por difusão a partir de vasos sangüíneos da derme.
Nas regiões da pele providas de pêlo, existem terminações nervosas específicas
nos folículos capilares e outras chamadas terminais ou receptores de Ruffini. As primeiras, formadas por axônios que
envolvem o folículo piloso, captam as forças mecânicas aplicadas contra o pêlo. Os terminais de Ruffini, com sua forma
ramificada, são receptores térmicos de calor.
2 - RECEPTORES COMUNS
Corpúsculos de Paccini: captam especialmente estímulos vibráteis e táteis. São formados por uma fibra nervosa cuja
porção terminal, amielínica, é envolta por várias camadas que correspondem a diversas células de sustentação. A camada
terminal é capaz de captar a aplicação de pressão, que é transmitida para as outras camadas e enviada aos centros nervosos
correspondentes.
Discos de Merk
el: de sensibilidade tátil e de pressão. Uma fibra aferente costuma estar ramificada com vários discos
terminais destas ramificações nervosas. Estes discos estão englobados em uma célula especializada, cuja superfície distal se
fixa às células epidérmicas por um prolongamento de seu protoplasma. Assim, os movimentos de pressão e tração sobre
epiderme desencadeiam o estímulo.
Terminações nervosas livres: sensíveis aos estímulos mecânicos, térmicos e especialmente aos dolorosos. São formadas
por um axônio ramificado envolto por células de Schwann sendo, por sua vez, ambos envolvidos por uma membrana basal.
3 – RECEPTORES ESPECÍFICOS
Corpúsculos de Meissner: táteis. Estão nas saliências da pele sem pêlos (como nas partes mais altas das impressões
digitais). São formados por um axônio mielínico, cujas ramificações terminais se entrelaçam com células acessórias.
Bulbos terminais de Krauser: receptores térmicos de frio. São formados por uma fibra nervosa cuja terminação possui
forma de clava. Situam-se nas regiões limítrofes da pele com as membranas mucosas (por exemplo: ao redor dos lábios e dos
genitais).
Nas camadas inferiores da epiderme estão os melanócitos, células que produzem melanina, pigmento que determina a
coloração da pele.
As glândulas anexas – sudoríparas e sebáceas – encontram-se mergulhadas na derme, embora tenham origem epidérmica. O
suor (composto de água, sais e um pouco de uréia) é drenado pelo duto das glândulas sudoríparas, enquanto a secreção
sebácea (secreção gordurosa que lubrifica a epiderme e os pêlos) sai pelos poros de onde emergem os pêlos.
A transpiração ou sudorese tem por função refrescar o corpo quando há elevação da temperatura ambiental ou quando a
temperatura interna do corpo sob devido, por exemplo, ao aumento da atividade física.
III – NOÇÕES DE IMUNOLOGIA
A função do sistema imunológico é a de manter o ambiente interno do nosso corpo livre de germes patogênicos e outros
microrganismos.
Células do sistema imune são altamente organizadas como um exército. Cada tipo de célula age de acordo com sua função.
Algumas são encarregadas de receber ou enviar mensagens de ataque, ou mensagens de supressão (inibição), outras
apresentam o “inimigo” ( corpo estranho) ao exército do sistema imune, outras só atacam para matar, outras constroem
substâncias que neutralizam os “inimigos” ou neutralizam substâncias liberadas pelos “inimigos” (corpo estranho)
SISTEMA LIFÁTICO
São os chamados Lóbulos Linfáticos ou mais conhecidos como ÍNGUAS ou GÂ
NGLIOS
São formados basicamente por glóbulos brancos ( LINFÓCITOS) que procuram defender a área na qual se localizam da ação
deletéria de certos agentes externos.
3
Os mais conhecidos aqueles que podemos sentir pela apalpação quando aumentam de volume, estão situados no pescoço,
nas axilas e nas regiões inguinais, mas não são os únicos que existem.
Há gânglios distribuídos estrategicamente em órgãos pelo organismo inteiro.
É uma espécie de “casa” onde os Linfócitos ficam localizados, para atingir o local infeccionado, esse processo pode ocasionar
febres, dores, mal estar...
PROCESSO ALÉRGICO
É a capacidade dos Anticorpos agirem contra organismos estranhos como: Vírus, Bactérias ou qualquer tipo de Corpo
Estranho. Essas substâncias acabam se tornando um alvo para o sistema imune. Esse sistema de defesa se utiliza de um
complexo de armas químicas para atacar e destruir o suposto inimigo. Infelizmente, no indivíduo alérgico, o corpo reage de
uma forma exagerada a esse ataque, manifestando sintomas desagradáveis e até perigosos que caracterizam os quadros de
alergia.
.CICATRIZAÇÕ
ES HIPERTRÓFICAS OU QUELÓIDES
O quelóide é uma lesão tumoral, de superfície lisa e consistência endurecida, aparece em alguns processos de cicatrizações,
onde as células deixam de produzir colágeno. No início, geralmente tem cor rósea ou avermelhada adquirindo, mais tarde,
cor semelhante à pele normal ou escurecida. Há uma predisposição individual para o seu aparecimento, sendo mais comum
em negros e mestiços, mas podem ocorrer em qualquer indivíduo
O quelóide pode ocorrer, devido a vários fatores como: predisposição falta de cuidados na cicatrização, ou mesmo no
processo de rejeição,
Existem vários tipos de quelóides, alguns podem ser tratados com medicamentos, até o seu desaparecimento, porém, alguns
podem ser mais sérios e perigosos, podendo causar lesões irreversíveis, ou necessidade de uma cirurgia reparadora.
Os quelóides não são muito comuns em cicatrizações por Micropigmentação, porém os cuidados pós cicatrizatórios são
imprescindíveis.
CICATRIZAÇÃO
Denomina-se cicatrização ao fenômeno pelo qual o organismo tende a reparar uma porção lesada.
Esse processo, também é de responsabilidade do nosso sistema imunológico, mas, nós também podemos contribuir, para
um bom processo de cicatrização.
IV - NOÇÕES DE MICROBIOLOGIA
Microbiologia é o ramo da biologia que estuda os microrganismos, incluindo eucariontes unicelulares e procariontes, como
as bactérias, fungos e vírus..
Sua importância, na formação de profissionais na área de Micropigmentação, está ligada, na parte de ASSEPSIA, HIGIENE e
ESTERELIZAÇÃO
OS PRINCIPAIS TIPOS DE MICROORGANISMOS, QUE ESTÃO DIRETAMENTE RELACIONADAS
COM A PRÁTICA DE BODY PIERCING SÃO:
 BACTÉRIAS: Corresponde a um enorme grupo de procariotos, anteriormente classificados como eubactérias,
representadas pelos organismos patogênicos ao homem, e bactérias encontradas em ÁGUAS, AR, SOLOS, OBJETOS,
E AMBIENTES EM GERAL
 EUKARYA: Correspondem as ALGAS, PROTOZOÁRIOS E FUNGOS
 VÍRUS - O vírus é um organismo biológico com grande capacidade de auto-multiplicação, utilizando para isso sua
estrutura celular. É um agente capaz de causar doenças em animais e vegetais.
4
ESSES TIPOS DE MICROORGANISMOS ESTÃO PRESENTES SEM PRATICAMENTE TODO TIPO DE AMBIENTE S E OBJETOS.
SOLOS, PAREDES, BANCADAS, MACAS, CADEIRAS, MÓVEIS... DEVEM SER CONSTANTEMENTE HIGIENIZADOS E
ESTERELIZADOS, COM AGENTES ANTIBACTERIANOS. COMO: AGUA SANITÁRIA, CLORO, DETERGENTES, E AGENTES
ESTERELIZANTES QUÍMICOS, OS MAIS INDICADOS, SÃO Á BASE DE GLUTARALDEÍDO.
EQUIPAMENTOS, ACESSÓRIOS, INTRUMENTOS REAPROVEITÁVEIS, NO PROCEDIMENTO MICROPIGMENTAÇÃO
PIERCING, DEVEM SER ESPETRELIZADOS EM ESTUFAS ( ESTERELIZAÇÃO Á SECO) OU AUTO CLAVES (
ESTERELIZAÇÃO Á VAPOR) EM TEMPERATURA MÍNIMA DE 250º
C.
MATERIAS DESCARTÁVEIS, COMO: AGULHAS, LUVAS, TOCAS, MÁSCARAS, ALGODÕ
ES... DEPOIS DE UTILIZADOS, SÃO
CLASSIFICADOS COMO LIXOS DE RISCO BIOLÓGICO, E DEVEM SER DEPOSITADOS EM COMPARTIMENTOS
ESPECÍFICOS, QUE CONTENHA A INFORMAÇÃO POR ESCRITO.
OS TIPOS DE VÍRUS MAIS PERIGOSOS, DE SEREM DISSEMINADOS, SÃO O HIV E O HCV (VÍRUS DAS HEPATITES B e C
O RISCO DE DISSEMINAÇÃO OCORRE TANTO PARA O CLIENTE, QUANTO PARA O PROFISSIONAL
POR ISSO, DEVE SER BASTANTE ATENÇÃO, AO SE MANUSEAR OS INSTRUMENTOS USADOS, AFIM DE SE AVITAR
ACIDENTES
OS “SALÓES” DE MICROPIGMENTAÇÃO SÃO PERIDODICAMENTE, VISTORIADOS, OS ÓRGÃOS COMPETENTES E
RESPONSÁVEIS SÃO: A VIGILÂ
NCIA SANITÁRIA A ANVISA.
TODO O AMBIENTE, BEM COMO OS MATERIAS, EQUIPAMENTOS DE ESTERELIZAÇÃO, DEVEM ESTAR SEMPRE,
DENTRO AS NORMAS, CASO NÃO ESTEJAM, O LOCAL, PODE SER MULTADO E ATÉ MESMO INTERDITADO!
MANTENHA SEMPRE DISCIPLINA!
IMPORTANTE
OS DOIS TEMAS QUE SERÃO ABORDADOS A SEGUIR SÃO DE SUMA IMPORTÂ
NCIA, PARA OS FUTUROS PROFISSIONAIS
DA AERA DE MICROPIGMENTAÇÃO.
BIOSSEGURANÇA E PRIMEIROS SOCORROS
V – NOÇÕES DE BIOSSEGURANÇA
Biossegurança é o conjunto de saberes direcionados para a ções de prevenção, m inimização
ou eliminação de riscos inerentes à s atividades de pesquisa, produção, ensino, desenvolvimento
tecnológico e prestação de serviços, a s quais possam comprometer a saúde do Homem, dos
animais, das plantas e do ambiente ou a qualidade dos trabalhos desenvolvidos.
5
O controle da infecção é do interesse de todos que freqüentam um determinado ambiente, sendo,
portanto, obrigação coletiva e indistinta a colaboração para que essa meta possa ser alcançada
VAMOS CITAR AQUI, APENAS ALGUNS CRITÉRIOS BÁSICOS PARA QUE SE
TENHA UMA PEQUENA NOÇÃO
 As formas de transmissão das principais doenças virais, bacterianas e fúngicas, o bom uso e características de
equipamentos de proteção
 individual (EPIs), medidas de contenção de acidentes, avaliação e normatização de riscos no ambiente de
trabalho.
 Ambiente trabalho e saúde - os riscos originários a partir do ambiente e do processo de trabalho: agentes
químicos, biológicos, físicos, ergonômicos, mecânicos e psicossociais / Acidentes do trabalho: conceito,
caracterização e ações de vigilância; definições de doença profissional, doença do trabalho e doença relacionada
ao trabalho; noções de legislação aplicada à saúde dos trabalhadores
 Exercer suas atividades profissionais tecnicamente com uma prática responsável e humana
 Conduzir suas atividades profissionais dentro dos preceitos científicos, éticos e morais.
A ANVISA, ATRAVÉS DE UMA NORMA REGULAMENTADORA
EXIGE QUE TODO PROFISSIONAL DA ÁREA DE TATUAGEM, BODY PIERCING E/OU MICROPIGMENTAÇÃO.
POSSUAM UM CURSO EM BIOSSEGURANÇA E CERTIFICADO DO MESMO!
SEM ESTE, OS PROFISSIONAIS QUE PRETENDER ABRIR SEU PRÓPRIO ESTABELECIMENTO, NÃO SERÁ CONCEDIDO O
ALVARÁ PARA FUNCIONAMENTO!
Os Cursos ou Palestras em Biossegurança Médica são ministrados freqüentemente por instituições de saúde.
Na sua grande totalidade, são gratuitos e rápidos, mas, devem oferecer o Certificado!
É interessante, que você a partir de agora, comece a pesquisar em sua cidade, instituições que oferecem estes
cursos.
Outra forma é través de cursos on-line, mas, deve-se verificar a seriedade da instituição que os oferecem, alguns
deles também são gratuitos.
Uma Instituição Renomada que oferece cursos em Biossegurança on-line gratuita é a: LIBBS Oncologia em parceria
com a FIOCRUZ.
Seus cursos em Biossegurança são gratuitos, altamente comprometidos e seu Certificado tem valor reconhecido em
todo Brasil.
Para saber mais, visite a pagina:
http://www.biossegurancahospitalar.com.br
6
VI – PRIMEIROS SOCORROS
ESTE TEMA TAMBÉM É DE SUMA IMPOTÂ
NCIA E TAMBÉM COMO BIOSSEGURANÇA, É IMPORTANTE QUE O
PROFISSIONAL DE MICROPIGMENTAÇÃO, TENHA UMA FORMAÇÃO EXTRACURRICULAR
IREMOS ABORDAR O TEMA TAMBÉM DE FORMA SUPERFICIAL
SÍNCOPE OU DESMAIO
Pode ser comum em casos de Procedimentos de Micropigmentação que os clientes apresentem casos de Síncopes ou até
mesmo Desmaio.
Síncope ou desmaio é a perda súbita e transitória (breve) da consciência e conseqüentemente da postura, devido à isquemia
cerebral transitória generalizada (redução na irrigação de sangue para o cérebro). Existe sempre recuperação espontânea da
consciência na síncope.
Podendo apresentar: palidez, tontura, fraqueza, sudorese aumentada, visão turva e mais raramente, convulsões e perda
involuntária de fezes e urina. Habitualmente, o doente recupera rapidamente a consciência após a queda, pois existe de novo
retorno de sangue ao coração que estava seqüestrado nos membros inferiores. Este tipo de síncope apesar de freqüente é
geralmente benigno e com bom prognóstico, inversamente do que se observa na síncope de etilogia cardíaca.
O termo "desmaiar" ou "desfalecer" é sinônimo de síncope (termo médico). Síncope pode acontecer devido a muitas causas,
e diagnosticar a causa exata pode ser difícil.
ESSES FATORES PODEM OCORRER POR DIVERSOS FATORES, OS MAIS
COMUNS SÃO:
1- Ansiedade e nervosismo
2- Ambientes com muitas pessoas, sem uma adequada ventilação
3- Emoções fortes
4- Fome
5- Insolação
6- Dor intensa
SINAIS E SINTOMAS
Palidez (pele descorada)
Pulso rápido e fraco
Sudorese (suor)
Perda dos sentidos
7
O QUE FAZER
Se nos apercebermos de que a pessoa está prestes a desmaiar devemos sentá-la e colocar-lhe a cabeça entre as pernas, ou
deitá-la e levantar-lhe as pernas
SE O CLIENTE ESTIVER CONSCIENTE, COLOQUE A CABEÇA DELE ENTRE AS PERNAS, FORÇANDO-
A PARA BAIXO E PEÇA QUE ELE FORCE PARA CIMA
CASO, A PESSOA JÁ TENHA DESMAIADO
DEITÁ-LA E LEVANTAR-LHE AS PERNAS
1- Molhar-lhe a testa com água fria
2- Desapertar-lhe as roupas
3- Se a pessoa já estiver desmaiada
4- Mantê-la confortavelmente aquecida
5- Caso não recupere os sentidos em 2 minutos, Acionar de imediato, emergência médica.
O QUE NÃO FAZER
1- Dar-lhe de beber enquanto a vitima não recuperar os sentidos, pois pode sufocar/afogar-se com os líquidos.
2- Não ministrar nenhum tipo de medicamento
3- Não ministrar sal, açúcar, pois não se conhece a causa, podendo ser uma crise de HIPERTENSÃO ou HIPOGLICEMIA
O MAIS ACONSELHÁVEL É ESTAR SEMPRE AVALIANDO O CLIENTE DURANTE O PROCEDIMENTO
8
SE PERCEBER, QUE ELE NÃO ESTÁ SE SENTINDO BEM, PERGUNTE, PARE O PROCEDIMENTO, E NESSE CASO, SÓ
CONTINUE, SE VOCÊ
PERCEBER QUE É POSSÍVEL, MAS, O INDICADO E QUE NÃO SE DÊ
CONTINUIDADE
CASO O CLIENTE ESTEJE SOZINHO, SÓ PERMITA QUE ELE DEIXE O LOCAL, SE TUDO TIVER PASSADO, CASO
CONTRÁRIO, E HAJA EXITAÇÃO POR PARTE DELE, CONTACTE UM MEMBRO DA FAMÍLIA OU UMA EMERGÊ
NCIA
MÉDICA.
VII - A MELANINA
A melanina é a denominação genérica de uma classe de compostos proteicos existente nos reinos Animal, Planta e
Protista e cuja principal função é a pigmentação e protecção contra a radiação solar. É a melanina que, por exemplo,
confere pigmentação à pele, aos olhos e aos cabelos dos mamíferos.
A falta de melanina dá origem a uma condição denominada albinismo.
A produção de melanina é feita pelos melanócitos ou melanoblastos, células da camada basal da epiderme que
mantêm contato com os queratinócitos por intermédio de projeções citoplasmáticas. Esses prolongamentos é que
permitem que os pigmentos melânicos produzidos se depositem nos queratinócitos.
Síntese
A síntese de melanina é teoricamente explicada pela presença de uma enzima - tirosinase - concentrada no aparelho de Golgi
dos melanócitos. O pigmento é originado a partir da polimerização do aminoácido tirosina por intermédio da ação da
tirosinase, a qual passa de aminoácido incolor a um pigmento castanho. A tirosina polimerizada deposita-se em vesículas
denominadas melanossomas, as quais se deslocam pelos prolongamentos citoplasmáticos dos melanócitos, sendo
transferidos para os queratinócitos através de um processo de secreção, denominado secreção citócrina (de célula para
célula). Os grânulos de melanina permanecem no citoplasma dos queratinócitos.
Melanina e raios ultravioletas
As diversas camadas dos queratinócitos com melanina fornecem uma defesa eficaz dos tecidos subjacentes contra os efeitos
nocivos dos raios solares, principalmente dos raios ultravioleta.
A influência da radiação ultravioleta sobre a síntese de melanina ainda não está muito bem explicada. Acredita-se que esses
raios promovam o aumento da atividade da tirosinase nos melanossomas. Os hormônios também ainda não têm um
mecanismo definido na participação da produção melânica; a hipófise, por exemplo, secreta o ACTH e o HME (hormônio
melanócito - estimulante), que aumentam a síntese de melanina. Já os hormônios do córtex da supra-renal exercem um efeito
de inibição, na hipófise, do ACTH e do HME, o que consiste em um fator de equilíbrio e modulação da síntese melânica.
Classes de melanina
Existem duas classes principais de melanina: eumelanina, de cor acastanhada ou preta, e feomelanina, de cor avermelhada
ou amarelada. Os grânulos de melanina se dispõem sobre o núcleo do queratinócito, de modo a impedir lesões no DNA da
célula pelos raios ultravioleta. A eumelanina é muito mais eficiente que a feomelanina nessa proteção, e por isso os cânceres
de pele são mais comuns em pessoas de pele clara, cujo conteúdo relativo de eumelanina é menor.
A produção de eumelanina e feomelanina é controlada por um receptor transmembrana, ao qual se liga o hormônio
melanócito-estimulante, denominado MC1R.
9
VIII- PIGMENTO
Em biologia, pigmentos são os compostos químicos responsáveis pelas cores das plantas ou animais. Quase todos os tipos de
células, como as da pele, olhos, cabelo etc. contêm pigmentos. Seres com deficiência de pigmentação são chamados albinos.
Na coloração de pinturas, tintas, plásticos, tecidos e outros materiais, um pigmento é um corante seco, geralmente um pó
insolúvel. Existem pigmentos naturais (orgânicos e inorgânicos) e sintéticos. Os pigmentos agem absorvendo seletivamente
partes do espectro (ver luz) e refletindo as outras.
Geralmente é feita uma distinção entre pigmento, que é insolúvel, e tintura, que é líquida ou então solúvel. Existe uma linha
divisora bem definida entre pigmentos e tinturas: um pigmento não é solúvel em seu solvente enquanto a tintura é. Desta
forma, um corante pode ser tanto um pigmento quanto uma tintura dependendo do solvente utilizado. Em alguns casos, o
pigmento será feito pela precipitação de uma tintura solúvel com um sal metálico. O pigmento resultante é chamado de
"lake". Pigmento deteriorante é aquele não permanente, sensível a luz.
IX – CORANTES
Um corante é toda substância que, se adicionada à outra substância, altera a cor desta. Pode ser uma tintura,
pigmento, tinta ou um composto químico.
Num sentido mais estrito, corantes são substâncias compostas e compostos químicos, tanto naturais (e suas
modificações) quanto sintéticos, relativamente definidos e até puros normalmente aplicados na forma de suas
soluções, tanto em água quanto em outros solventes, destacadamente o etanol, que se fixam de alguma maneira,
predominantemente por fenômenos em escala molecular a um substrato, que pode ser um tecido (têxtil), papel e
outros derivados de celulose, cabelo humano e pelos de animais, couro e diversos materiais. Dentro de um conjunto
de requerimentos ideais, as substâncias corantes devem ser estáveis à luz, especialmente a ultravioleta e aos
processos de lavagem e à ação da água, como da chuva. Também devem apresentar fixação uniforme com as fibras
do substrato. [
1]
De uma perspectiva da comercialização, permanentemente desenvolvem-se estudos tanto teóricos quanto
empíricos das relações entre as estruturas moleculares e a cor obtível e propriedades tanto de aplicação quanto
relacionadas à conservação. Dentre os desenvolvimentos mais recentes de aplicações de corantes destacam-se os
mostradores e aplicações diversas de cristais líquidos, os detectores de exposição à radiação de alta energia e as
soluções para a impressão a jato de tinta.
X- TINTA
Tinta é o nome normalmente dado a uma família de produtos (líquidos, viscosos ou sólidos em pó) que, após
aplicação sob a forma de uma fina camada, a um substrato se converte num filme sólido. As tintas são usadas para
proteger e dar cor a objetos ou superfícies.
Componentes
A tinta líquida é normalmente constituída por cinco partes: resinas, diluentes, aditivos, pigmentos e cargas.
A resina é a parte da tinta que solidifica para formar a película de tinta seca. O diluente auxilia no ajuste da
viscosidade bem como é veículo dos demais componentes, podendo, ser dosados adequadamente, facilitar a
aplicação das tintas. Os diferentes aditivos têm várias funções sendo uma delas auxiliar na secagem da tinta.
10
XI - OS PIGMENTOS PARA MAQUIAGEM DEFINTIVA
A maquiagem definitiva ou micropigmentaçao consiste na aplicação de pigmentos inorgânicos e hipoalérgicos.
Tipos de pigmento
Orgânicos: Com base vegetal, esses pigmentos são responsáveis pelas cores mais vibrantes, como o vermelho e normalmente são
usados para a pigmentação dos lábios.
Com esse tipo de pigmento pode haver rejeição de 80%, fazendo com que a cor fique desbotada, sendo necessária nova
aplicação.
Inorgânicos: Aplicações à base de dióxido de ferro ou de titânio são responsáveis pelas cores mais escuras.
OBSERVAÇÃO: A quantidade de melanina em pele muito escura exige cuidados especiais na hora de fazer a opção pela
maquiagem definitiva. Nesses casos, os lábios são uma área quase proibida porque concentram mais melanina do que
qualquer outra parte, podendo ficar um escurecimento excessivo com a aplicação dos pigmentos.
XII - CONTRA INDICAÇÕES
Quem apresentar os problemas relacionados abaixo nao pode se submeter aos métodos
utilizados na maquiagem definitiva
- Hipertensão arterial
- Gota
- Diabetes grave
- Cardiopatias
- Tumores cancerígenos
- Epilepsia
- AIDS
- Alcoolismo
- Hemofilia
- Complicações psicossomáticas
- Leucemia
- Depressão ou Ansiedade
- Trombose
- Pacientes que estão em tratamento
- Pessoas que fizeram cirurgia plástica médico a menos de um ano
IMPORTANTE
Todo Procedimento de Micropigmentação PARAMÉDICA
O cliente deve apresentar um documento/ autorização, médica por escrito, neste documento
o médico deve descrever a finalidade do procedimento, bem assim declarar o que o cliente
se encontra apto para o procedimento.
Neste documento deve conter o Nome do cliente, nome do médico responsável, assinatura,
data e carimbo e este documento deve ser guardado pelo profissional micropigmentador.
11
XIII - COMO É FEITA A MICROPIGMENTAÇÃO
Utiliza-se um aparelho chamado demógrafo, que tem uma agulha na sua extremidade, e o pigmento
é aplicado na primeira camada da derme (logo abaixo da epiderme, que é a região mais superficial
da pele).
Há especialistas, no entanto, que fazem a aplicação na epiderme, mas o resultado não é tão bom.
Qualquer material injetado na epiderme tende a desaparecer completamente em 30 dias. Isso
significa dizer que apenas as cirurgias a lazer podem retirar as cores aplicadas na maquiagem
definitiva.
Os pigmentos são a base de glicerina, cuja molécula é grande e não passa para as camadas mais
profundas da pele.
Cada região da pele exige um tipo e uma quantidade de perfuração específica. Em alguns casos,
depois da primeira aplicação a cor precisa ser retocada, o que só pode ser feito depois de uns 30
dias, que é o tempo mínimo para a pele cicatrizar antes de ser submetida a um novo procedimento.
Chegando ao resultado satisfatório, a manutenção da maquiagem somente será feita a cada três ou
quatro anos, dependendo dos hábitos da pessoa (a freqüência com que ela vai à piscina, se expõe ao
sol e utiliza cosméticos à base de ácidos).
OS EQUIPAMENTOS
OS EQUIPAMENTOS QUE USAMOS NA MICROPIGMENTAÇÃO SÃO
DERMÓGRAFO FONTE CABO
12
OS ACESSÓRIOS
AGULHAS COM PONTEIRAS DESCARTÁVEIS TINTA
BATOQUES
MATERIAIS DESCARTÁVEIS
LUVAS MASCARAS TOCAS
AVENTAIS CAPAS PARA MACAS
GAZE ALGODÃO COTONETES
RECIPIENTE EXPECÍFICO PARA LIXO BIOLÓGICO 13
SUBSTÂ
NCIAS QUÍMICAS
DESINFECÇÃO E ESTERELIZAÇÃO
IMPORTANTE
VEJA A ESPECIFICAÇÃO DE CADA PRODUTO, FORMA DE PREAPRO, USO E RISCOS, DESCRITOS
NAS EMBALAGENS
SORO FISIOLÓGICO ÁLCOOL 70 %
FORMALDEÍDO GLUTARALDEÍDO
AS DIFERENÇA ENTRE MAQUIAGEM DEFINTIVA E A TATUAGEM
A principal delas é que a maquiagem definitiva é feita na epiderme, na camada superficial da pele. Já a tatuagem é mais invasiva,
pois atinge a derme.
Diferenças nos pigmentos, para maquiagem definitiva e mais diluído mais fraco que o da tatuagem e os tons são feitos similar os
usados para maquiar .
Os pigmentos da maquiagem definitiva são elaborados com minerais e vegetais, apenas como exemplo, vamos citar o pigmento
Marrom, ele tem uma porcentagem de:
15% de Glicerina
¨5% de Sódio
0,5% de Acido Cítrico
19,95% de Aloe e Vera
60% de Oxido de Ferro Marrom
14
Se você observar, todos os componentes são base de minerais e vegetais. Se você pegar a mesma cor marrom, no pigmento
utilizado por tatuadores, a porcentagem de glicerina é 2x maior, caso contrario, em 3 à 4 anos as tatuagens sairiam do corpo,
quase que naturalmente.
Outro detalhe, a base da cor marrom é sintética, no pigmento utilizado por Tatuadores, não é a base de Oxido de Ferro (mineral),
como na maquiagem definitiva. Você pode até utilizar um pigmento sintético, porém devemos lembrar que estamos lidando com
traços faciais, ou seja, o cartão de apresentação de quase todos os indivíduos. Um traço indesejável, feito com pigmento sintético,
é muito difícil de ser corrigido.
AS AGULHAS
AGULHA DE 1 PONTA –
Utilizada para trabalho de traços como: Sobrancelhas fio a fio, contornos finos de linha natural de olhos e contorno de lábios.
Também utilizada na micropuntura, proporcionando regeneração celular, resultando na atenuação dos sinais de expressão.
AGULHAS 2 PONTAS
Utilizada para trabalhos de sobrancelhas esfumaçadas compactadas, contornos de linha natural de olhos e contorno de lábios.
AGULHAS DE 3 PONTAS
Utilizada para trabalhos de sobrancelha esfumaçadas, contorno/delineador de olhos e contorno/preenchimento de lábios.
AGULHAS DE 5 PONTAS CIRCULAR
Utilizadas para trabalhos de sobrancelhas esfumaçadas, contorno/delineador de olhos e contorno/preenchimento de lábios.
AGULHAS DE 5 PONTAS LINEAR
Utilizada para iluminadores de sobrancelhas e preenchimento de lábios.
O USO DO PAQUIMETRO
Passo 1:
Limpe a pele com adstringente para retirar a oleosidade da pele. Então, utilize o paquímetro e um lápis de maquilagem para fazer
as marcações. Passe o lápis no paquímetro, para que as marcações possam ser feitas somente com o encostar do equipamento na
pele. Ache o terceiro olho (parte central do rosto). Desse ponto, meça 1,5 cm para cada lado, dessa forma é possível marcar o
ponto inicial das sobrancelhas.
15
Passo 2:
Posicione o paquímetro no início da sobrancelha e meça 5 cm. Repita o mesmo procedimento do outro lado. Se o rosto for
quadrado (veremos formatos de rostos mais adiante), aumente essas medidas em 0,5 cm.
Passo 3:
No ponto central, coloque o paquímetro e marque onde começa a curvatura.
Para marcar a espessura das sobrancelhas, atente-se para o fato: se os olhos estiverem abertos a medida será de 2 cm; Fechados
de 2,5 cm.
Passo 4:
Utilize o pente para colocar os fios para fora das marcações. Utilize a pinça para retirar o excesso de fios.
Passo 5:
Passe um lápis branco para definir melhor a forma e apare os pêlos mais longos com a tesoura.
Passo 6:
Utilize um lápis universal – que vale para todos os tons de pele – para definir o formato das sobrancelhas, penteando os fios no
sentido do pêlo. Para iluminar o olhar, passe lápis branco embaixo e esfume, fazer desaparecer ou esvair.
TIPOS DE ROSTOS
Formato do Rosto - O primeiro passo é observar as linhas que compõem o formato do rosto, destacando alguns tipos: quadrando,
oval, retangular, redondo, losangulo, hexágono, triângulo e triangulo invertido. Cada formato possui características próprias. O
hexagonal, por exemplo, é o tipo de Gisele Bündchen e o mais comum entre as modelos. O redondo tem um ar angelical e infantil,
o retangular transmite seriedade e o oval é delicado e feminino. Os formatos que mais se beneficiam de uma
variedade de cortes e estilos são os que têm a proporção regular, com os ovais e hexagonais com linhas retas.
Para analisar seu rosto, divida-o em três partes iguais:
1) Da testa ao meio dos olhos;
2) Do meio dos olhos ao final do nariz;
3) Do final do nariz ao queixo.
16
A proporção ideal diz que duas dessas partes devem corresponder à medida que vai do meio do nariz à maçã do rosto. Se for
menor do que isso, o rosto é fino.
Tipo Oval
São divididos simetricamente em 3 partes:
1 - linha dos cabelos - sobrancelhas;
2 - sobrancelhas - ponta do nariz ;
3 - ponta do nariz - queixo;
São caracterizados por serem mais largos nas maçãs-do-rosto e se estreita ligeiramente em direção ao
queixo. A testa é um pouquinho mais larga do que o queixo. Os ossos da face são dominantes e o rosto
diminui abaixo das maças do rosto, em direção a um queixo oval.
Esse é o rosto mais comum que existe e se você reparar bem, a maioria das pessoas tem esse formato, Considerado geralmente
como o formato ideal e é também favorecido por virtualmente qualquer tipo de estilo.
Tipo Redondo
Um rosto sem ângulos definidos com tendência a ser mais largo na linha das maçãs-do-rosto e com
"cantos" mais suavizados ao longo do maxilar e fronte.
O rosto redondo caracteriza-se por uma testa ampla, no sentido horizontal e curto na vertical.
Passa a impressão de que está acima do peso, mesmo não estando, o que faz o pescoço parecer curto. A
ilusão ocorre porque a face é larga.
O objetivo para um rosto arredondado é adicionar altura, fazendo com que o mesmo pareça mais
"comprido", evitando volume.
Tipo Triangulo
O rosto de formato triangular tem uma testa mais estreita que se torna gradualmente mais cheia nas áreas do queixo e da face.
Queixo fino, testa larga e o rosto um pouco saliente nas laterais.
Triângulo Invertido / Coração
Este formato está caracterizado por uma fronte larga e uma linha do maxilar e queixo estreito.
Aumentar o volume no queixo, trará equilíbrio ao rosto.
Tipo Losango
O rosto losango tem queixo e testa estreitos com maças do rosto largas. Esse tipo de rosto pede laterais baixas e volume na altura
do queixo.
Tipo Pêra
O rosto pêra caracteriza-se por uma testa pequena e estreita e uma linha de maxilares largos e arredondados. O volume deve se
concentrar da altura dos olhos até a testa.
17
Tipo Quadrado
O rosto quadrado caracteriza-se pela testa e maxilar larga.
O que mais caracteriza um rosto quadrado é a largura do osso maxilar angulares, que regula com a testa e
a linha do queixo.As mandíbulas são mais largas, em outros casos chegam a ter a mesma dimensão das
maçãs da face.
Deve ser evitada linha reta principalmente na direção das sobrancelhas.
Tipo Retângulo
O rosto retangular caracteriza-se por uma estrutura óssea alongada e estreita. Geralmente as pessoas com este tipo de rosto tem
pescoço longo e fino.
Tipo Longo
Ao contrário do tipo oval, é mais estreito nas maçãs, com um maior comprimento entre a testa e o queixo.
O formato e o tamanho ideais para o seu tipo de rosto.
Sobrancelhas bem desenhadas realçam o olhar e deixam o rosto mais bonito. Além de mantê-las limpas,
sem fios sobrando e sem falhas, é imprescindível determinar o formato ideal para seu tipo de rosto. Você vai precisar traçar linhas
imaginárias e de uma pinça de ponta quadrada, que segura melhor os fios, para arrancar os excedentes.
Determine o tamanho
Trace uma linha imaginária da lateral do nariz até o canto interno do olho, e outra do mesmo ponto inicial até a ponta externa do
olho. A sobrancelha não deve ultrapassar os limites estabelecidos por essas linhas imaginárias.
ACERTE O FORMATO:
Rosto redondo: direcione a ponta externa da sobrancelha para a extremidade superior da orelha.
Rosto quadrado: direcione a ponta externa da sobrancelha para a metade da orelha.
Rosto oval: direcione para baixo a extremidade externa da sobrancelha. A curvatura é mais acentuada do que nos outros tipos
de rosto.
Preencha as falhas:
Com uma escova de cerdas macias, penteie a sobrancelha no sentido contrário à raiz e, em seguida no sentido natural, levantando
os fios. Faça riscos delicados nas falhas com um lápis do tom dos fios e outro de cor um pouco mais escura.
A henna sobrancelhas é a mais recente novidade para quem quer aumentar o volume das sobrancelhas. Este método é natural,
cobre fios brancos, e encobre falhas nos pêlos, além de dar um efeito encantador no rosto. O procedimento demora de 40
minutos à uma hora, e antes de passar a tintura, é preciso acertar a sobrancelha com pinça para o efeito ser perfeito.
18
DICAS PARA O CORPO EM GERAL
● Todos os dias após o banho deslize um cubo de gelo pelo rosto, principalmente na área ao redor dos olhos. Além de descansar a
pele a deixará mais firme.
● Faça uma massagem nos pés, antes de dormir, com creme à base de silicone. Isso deixa a pele macia, hidratada e estimula a
circulação depois de horas de salto alto.
● Quando perceber que esta com olheiras e a aparência cansada, aplique uma compressa de água boricada gelada sobre os olhos
e deite por alguns minutos.
● Antes de malhar passe um creme que, com o aquecimento do corpo, queima a gordura localizada e melhora a celulite.
● Estimule o intestino e ainda cuide da pele tomando três vezes por semana a mistura de uma colher (sopa) de gérmen de trigo
com um copo de suco de mamão e laranja.
● Em nome da boa forma, aprenda a fazer trocas inteligentes no cardápio: substituir o queijo amarelo pelo branco; o salame por
peito de peru; e a manteiga por margarina à base de iogurte.
● Quando sair à noite direto do trabalho, passe o dia com o cabelo preso num rabo-de-cavalo e só solte na hora da balada. Assim
os fios não ficam engordurados e revoltos.
● No frio, quando os lábios estão muito rachados, use uma espécie de gloss de lanolina pura, encontrado em lojas de artigos para
bebês. Passe durante a noite pois, no dia seguinte, a boca está nova.
● No calor, troque o creme hidratante por um cosmético em gel, que refresca o corpo e não deixa a pele pegajosa.
● Nunca vá para a cama sem retirar o make com gel demaquilante. Depois lave o rosto com bastante água fria e passe um creme
nutritivo.
● Para pele seca, uma vez por semana espalhe uma camada fina de mel no rosto, deixe por vinte minutos e retire. Além de
hidratar e dar um toque macio, é cicatrizante.
● Fazer um refeição levinha à noite. Quer dizer, consumir pouco carboidrato e dar preferência às proteínas e aos legumes. Assim,
você ficará satisfeita e não sentirá o estômago pesado nem vontade de assaltar a geladeira de madrugada.
Receita de mascaras caseiras
Pele mista e com acne: misture meio pepino fatiado com meia colher de maisena no liquidificador. Equilibra e revitaliza a pele.
Anti-idade: meio mamão papaia amassado, misturado com uma colher de sobremesa de mel. Auxilia também no tratamento de
peles com manchas. Hidrata, rejuvenesce e ajuda a atenuar linhas de expressão.
Pré-festa: duas claras de ovo bem batidas. Melhora o aspecto na hora. Ótima para situações inesperadas ou up antes de uma
festa.
Peles bronzeadas: meio copo de água de coco, uma colher de sobremesa de maisena e uma colher de sobremesa de mel. Deixa a
pele mais luminosa, suave e hidratada. Ajuda a manter o bronzeado. Serve também como relaxante.
Esfoliantes: duas colheres de aveia com meia colher de mel. Ajuda a remover as células mortas. Clareia a pele e colabora na
penetração de outros componentes.
19
Tira-olheiras: compressa de chá de camomila seguida da máscara de papaia e mel (antiidade) colocada ao redor dos olhos.
Fecha-poros: cinco morangos amassados com duas colheres de mel e uma fatia de mamão papaia.
Pele Seca: esmague uma banana e misture com uma colher de mel. Ótima para peles secas no inverno.
MICROPIGMENTAÇÃO PARAMÉDICA
A Micropigmentação Paramédica consiste em técnicas que estimulam o colágeno em áreas sem pigmentação como, vitiligo e
leocodermia (ausência total ou parcial de pigmento) .
Reconstituição e correções de mamilos após a reconstituição dos seio.
Camuflagem de cicatrizes hipotróficas ( cicatrizes brancas)
aréola de mama, Contorno Lábios Leporinos, Contorno do Umbigo, disfarçar e relaxar cicatrizes, repigmentar leucodermia, vitiligo
estacionário e reparar queimaduras “Mas para este procedimento é necessário prescrição médica” esta técnica trabalha mais a
parte corporal do paciente, aproximando – se ao máximo da cor natural da pele.
CAPILAR
VITILIGO
20
COMPLEXO DO ARÉOLO MAMILAR
A técnica de micropigmentação que é definida como a implantação de
pigmentos (corantes) na camada subepidérmica da pele com o auxílio de um
dermógrafo e agulhas apropriadas. Trata-se de uma técnica de permanência temporária
da pigmentação, variando de 10 a 18 meses, necessitando de retoques a cada período
destes, assim garantindo a proximidade e adequação da cor depositada com a cor da
pele.
As possibilidades de utilização da técnica são variadas, desde realçar os traços
naturais de olhos e sobrancelhas, como reconstruir sobrancelhas e lábios naturalmente
inexistentes ou perdidos por acidentes que lavaram a conseqüentes cicatrizes. O que
iremos abordar nesta edição é a micropigmentação do complexo aréolo/mamilar pós
mastoplastia e pós mastectomia.
A sociedade atual está centrada em um padrão de beleza voltado para um corpo
estruturalmente bem formado, levando o indivíduo a procurar recursos para uma melhor
adaptação ao meio. Houve então uma disparada aos atendimentos especializados em
estética como: dermatologistas, esteticistas e principalmente cirurgiões plásticos.
Os seios
Os seios pela sua especial anatomia, são alvo privilegiado de envelhecimento
prematuro, com perda de turgor e tons.
Na mulher jovem as mamas são duras e elásticas, mas paulatinamente perdem
seu viço pela gravidez seguido de períodos de amamentação, emagrecimento bruscos,
envelhecimento, fatores estes que modificam sua firmeza levando ao aparecimento da
chamada ptose.
A mama normal é um cone glandular, coberto por pele e tecido glandular
subcutâneo, onde os vasos e nervos correm da base para o ápice, não muito superficiais,
formando uma verdadeira malha.
A mamoplastia pode intervir em diversas alterações estéticas como no volume,
forma, relação entre pele e glândula, diâmetro e projeção do complexo aréolo/mamila,
ou em qualquer combinação.
Atualmente, as diversas técnicas redutoras visam obter cicatrizes menores na
ressecção de excessos cutâneos, glandulares e adiposos, sendo que a escolha do tipo de
abordagem cirúrgica dependerá do tipo de alteração apresentada.Contudo, a
mamoplastia traz consigo a temível cicatriz, é aqui que a micropigmentação estética
oferece um papel preponderante, da dando cor e efeito óptico porém não projeção.
Além da cirurgia plástica puramente estética, outra forma de aplicação da
micropigmentação é nas cirurgias de mastectomia. Devido ao câncer de mama ser o de
maior incidência entre as mulheres no Brasil, em que boa parte dos casos seu tratamento
é cirúrgico, levando a mastectomia parcial ou total, dependendo da extensão da
neoplasia.
Seja qual for sua extensão, quando a mastectomia é necessária traz consigo a
reconstrução mamária que devolve volume e forma para as mamas, e para a obtenção
da cor, utiliza-se técnica de enxertia, que trata-se de uma técnica muito dolorida e de
resultado pouco satisfatório, em sua substituição hoje muitos cirurgiões optam pela
micropigmentação, que mostrou-se mais eficaz nos resultados com muito menos trauma
ao paciente, além de uma uniformidade na cor.
21
A- mama após mastectomia;
B- mama após reconstrução mamária, seguida de enxertia, perceba a diferença de
pigmentação entre uma aréola e outra
Técnicas de execução:
O primeiro passo é buscar a simetrização entre as duas aréolas, o que na grande
maioria das vezes encontram-se já prontas para micropigmentação, principalmente nos
casos de mastectomia onde é previsto o uso da técnica.
A medição se realizará em posição semi-sentada, se verificará com uma régua
passando pelos pontos A e A`, observando rigorosamente a boa horizontalidade, para
evitar um resultado inestético das aréolas.
Antes de efetuar o traço nas aréolas inspecionar detalhadamente as imperfeições
assim como as cicatrizes periareolares, enxertos cirúrgicos e outros. Os dois círculos
devem ser simétricos e situados no cone mamário.
Se foi produzido uma ptose secundária, ou se a cirurgia não devolveu sua forma
cônica, será necessário efetuar a medição antes descrita para que as aréolas fiquem bem
posicionadas. Será conveniente assinalar que o diâmetro da aréola não ultrapasse 5 a 5,5
cm.
O traçado areolar se efetuará com um lápis de dureza médio e de cor marrom. A
perfeição do desenho se verifica observando através de um espelho vertical, levando em
consideração que nem sempre o traço é uniforme.
Preparação do pigmento:
A mistura do pigmento estará condicionado pela cor da pele, incrementando a
este tom mais escuro do que se observa na aréola normal, dado que o resultado final é
sempre mais claro. A mistura se verifica topicamente ao lado da aréola, ao se chegar na
cor correta preparar quantidade suficiente, a fim de se ter a mesma mistura até o final do
atendimento.
Para se obter o efeito mais claro ao redor da aréola e o mais escuro do centro
(bico), devemos usar técnica adequada assim criando uma ilusão de projeção.
Desenvolvimento prático:
Antes de se iniciar a aplicação da técnica de micropigmentação, devemos aplicar
uma porção generosa de anestésico tópico do tipo lidocaína, e deixar agir por cerca de
40 minutos coberto por um filme osmótico para assegurar sua penetração e uma sedação
mais eficaz. Nos casos de mastectomia esta etapa deve ser pulada, uma vez que o
paciente mastectomizado não possui sensibilidade local.
22
Para se conseguir o efeito degradeé da pigmentação (halo mais claro e centro
mais escuro) será utilizada agulha linear de 5 pontas e aparelho posicionado a 45º em
relação da pele, o que levará a pintura da aréola, partindo com uma pressão moderada
para o halo mais claro e aumentando a pressão conforme ir de encontro ao centro. Para
se obter um efeito de projeção para o bico utilizaremos agulhas triponta circular, e
aparelho posicionado a 90º o que escurecerá a cor do pigmento sem que este necessite
de um novo preparo. O aparelho deve permanecer em velocidade de média a alta e
movimentos curtos e lentos, seguindo o trajeto das aréolas.
Ao término da técnica a higienização local e aplicação local de uma pomada
cicatrizante é indicada após os 08 dias posteriores a aplicação, assim como evitar
banhos de mar e piscina, sol, vapor e não coçar ou remover as crostas que surgirão
durante a cicatrização, Também pode ser usado um curativo do tipo micropore sobre a
pomada, para evitar que a mesma seja removida.
A verificação do trabalho realizado será a partir dos quinze dias posteriores a
pigmentação aplicada, observando-se a densidade da cor. A cliente deverá fazer uma
revisão. Um mês após, para um possível retoque ou a confirmação de um excelente
trabalho.
23
As possibilidades de utilização da micropigmentação no campo da
dermatologia ou cirúrgica cosmética são praticamente ilimitadas, dependendo em
muitos casos da criatividade do cirurgião e do pigmentador, assim como da
disponibilidade do equipamento para poder realizar uma determinada técnica.
ANESTÉSICO
Embora não existam estudos que comprovem contra-indicações, deve-se haver restrição quanto ao seu uso.
Perguntar ao cliente, se o mesmo tem conhecimento de possibilidade á reações alérgicas das substâncias na composição.
APLICA-SE ENTRE 5 A 10 MINUTOS ANTES DO PROCEDIMENTO
AO MAIS USADOS SÃO:
Neo Farma / Pomada Anestop / Blue Ice
CUIDADOS PÓS MICROPIGMENTAÇÃO
 LAVAR COM SABÃO NEUTRO E SORO FISIOLÓGICO
 USAR POMADA NEBACETIM, 3 VEZES AO DIA
 NÃO EXPOR AO SOL, MAR, PISCINA
 NÃO COÇAR E NEM TIRAR A CASCA
 NÃO INGERIR ALIMENTOS: GORDUROSOS, REMOSOS, CRUSTÁCEOS, DERIVADOS DO PORCO, CHOCOLATE, AMENDOIM,
PEIXES ATÉ QUE SAIA TOTALMENTE A CASCA
 APÓS A CICATRIZAÇÃO, USAR PROTETOR SOLAR, SEMPRE QUE OR EXPOR AO SOL
 É INDICADO O RETOQUE A CADA 2 ANOS
WWW.CACAUTATTOO.COM
24

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Abordagem terapêutica no tratamento das estrias - Edduc
Abordagem terapêutica no tratamento das estrias - EdducAbordagem terapêutica no tratamento das estrias - Edduc
Abordagem terapêutica no tratamento das estrias - Edduc
 
A pele e seus anexos
A pele e seus anexosA pele e seus anexos
A pele e seus anexos
 
Estrutura e Funções da Pele - Reacções de Hipersensibilidade Associadas à Ú...
Estrutura e Funções da Pele - Reacções de Hipersensibilidade Associadas à Ú...Estrutura e Funções da Pele - Reacções de Hipersensibilidade Associadas à Ú...
Estrutura e Funções da Pele - Reacções de Hipersensibilidade Associadas à Ú...
 
Panfleto de dermocosmética
Panfleto de dermocosméticaPanfleto de dermocosmética
Panfleto de dermocosmética
 
A pele humana
A pele humanaA pele humana
A pele humana
 
A Pele
A PeleA Pele
A Pele
 
A pele
A peleA pele
A pele
 
Pele humana
Pele humanaPele humana
Pele humana
 
Treinamento Nivea Visage
Treinamento Nivea VisageTreinamento Nivea Visage
Treinamento Nivea Visage
 
Sistema Tegumentar
Sistema TegumentarSistema Tegumentar
Sistema Tegumentar
 
Pele e anexos alides
Pele e anexos alidesPele e anexos alides
Pele e anexos alides
 
Aula: Pele, Glândulas, Pelos e Unhas
Aula: Pele, Glândulas, Pelos e UnhasAula: Pele, Glândulas, Pelos e Unhas
Aula: Pele, Glândulas, Pelos e Unhas
 
Seminário 01 Parte I: Noções básicas sobre estrutura, bioquímica e fisiologia...
Seminário 01 Parte I: Noções básicas sobre estrutura, bioquímica e fisiologia...Seminário 01 Parte I: Noções básicas sobre estrutura, bioquímica e fisiologia...
Seminário 01 Parte I: Noções básicas sobre estrutura, bioquímica e fisiologia...
 
Introducao.dermato funcional
Introducao.dermato funcionalIntroducao.dermato funcional
Introducao.dermato funcional
 
Sistema tegumentar
Sistema tegumentarSistema tegumentar
Sistema tegumentar
 
Sistema tegumentar
Sistema tegumentarSistema tegumentar
Sistema tegumentar
 
A pele tiago lopes
A pele   tiago lopesA pele   tiago lopes
A pele tiago lopes
 
Pele e anexos
Pele e anexosPele e anexos
Pele e anexos
 
TEGUMENTO
TEGUMENTOTEGUMENTO
TEGUMENTO
 
Pele e anexos2012
Pele e anexos2012Pele e anexos2012
Pele e anexos2012
 

Destaque

Micropigmentao 140102133120-phpapp02
Micropigmentao 140102133120-phpapp02Micropigmentao 140102133120-phpapp02
Micropigmentao 140102133120-phpapp02Jackeline Guimaraes
 
micropigmentaçao, estética, sobrancelha77
micropigmentaçao, estética, sobrancelha77micropigmentaçao, estética, sobrancelha77
micropigmentaçao, estética, sobrancelha77Jackeline Guimaraes
 
Para que a técnica de micropigmentação seja bem aplicada é de extrema importâ...
Para que a técnica de micropigmentação seja bem aplicada é de extrema importâ...Para que a técnica de micropigmentação seja bem aplicada é de extrema importâ...
Para que a técnica de micropigmentação seja bem aplicada é de extrema importâ...Rhealeza IT Services
 
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01 (1)
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01 (1)Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01 (1)
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01 (1)Jackeline Guimaraes
 
Odesenho micropigmentaçao, estética, sobrancelha
Odesenho micropigmentaçao, estética, sobrancelhaOdesenho micropigmentaçao, estética, sobrancelha
Odesenho micropigmentaçao, estética, sobrancelhaJackeline Guimaraes
 
Artigo micropigmentação
Artigo micropigmentaçãoArtigo micropigmentação
Artigo micropigmentaçãoRoberta Soares
 

Destaque (9)

Micropigmentao 140102133120-phpapp02
Micropigmentao 140102133120-phpapp02Micropigmentao 140102133120-phpapp02
Micropigmentao 140102133120-phpapp02
 
micropigmentaçao, estética, sobrancelha77
micropigmentaçao, estética, sobrancelha77micropigmentaçao, estética, sobrancelha77
micropigmentaçao, estética, sobrancelha77
 
Para que a técnica de micropigmentação seja bem aplicada é de extrema importâ...
Para que a técnica de micropigmentação seja bem aplicada é de extrema importâ...Para que a técnica de micropigmentação seja bem aplicada é de extrema importâ...
Para que a técnica de micropigmentação seja bem aplicada é de extrema importâ...
 
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01 (1)
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01 (1)Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01 (1)
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01 (1)
 
Odesenho micropigmentaçao, estética, sobrancelha
Odesenho micropigmentaçao, estética, sobrancelhaOdesenho micropigmentaçao, estética, sobrancelha
Odesenho micropigmentaçao, estética, sobrancelha
 
Artigo micropigmentação
Artigo micropigmentaçãoArtigo micropigmentação
Artigo micropigmentação
 
Colorimetria
ColorimetriaColorimetria
Colorimetria
 
Micropigmentação 1
Micropigmentação 1Micropigmentação 1
Micropigmentação 1
 
aAnmense
aAnmenseaAnmense
aAnmense
 

Semelhante a Maquiagem definitiva e micropigmentação

Epilação e depilação
Epilação e depilaçãoEpilação e depilação
Epilação e depilaçãoTeresa Castilho
 
Aula lesões elementares e_tumores_cutâneos_-
Aula lesões elementares e_tumores_cutâneos_-Aula lesões elementares e_tumores_cutâneos_-
Aula lesões elementares e_tumores_cutâneos_-Jauru Freitas
 
Apost sistema tegumentar humano parte 4
Apost sistema tegumentar humano parte 4Apost sistema tegumentar humano parte 4
Apost sistema tegumentar humano parte 4André Fidelis
 
Curso avancado _no_tratamento_de_feridas
Curso avancado _no_tratamento_de_feridasCurso avancado _no_tratamento_de_feridas
Curso avancado _no_tratamento_de_feridasRoberto Firpo
 
1. Anatomia e Fisiologia da Pele.pdf
1. Anatomia e Fisiologia da Pele.pdf1. Anatomia e Fisiologia da Pele.pdf
1. Anatomia e Fisiologia da Pele.pdfAndressaLeite22
 
Aula 1 Pele.pdf
Aula 1 Pele.pdfAula 1 Pele.pdf
Aula 1 Pele.pdfAnaRollo
 
AULA 1.1 e 1.2_Sistema tegumentar.pdf
AULA 1.1 e 1.2_Sistema tegumentar.pdfAULA 1.1 e 1.2_Sistema tegumentar.pdf
AULA 1.1 e 1.2_Sistema tegumentar.pdffernanda881672
 
120505480 apostila-de-depilacao
120505480 apostila-de-depilacao120505480 apostila-de-depilacao
120505480 apostila-de-depilacaoMarina Leal
 
Curso de Limpeza de Pele.pptx
Curso de Limpeza de Pele.pptxCurso de Limpeza de Pele.pptx
Curso de Limpeza de Pele.pptxCiceroGonzaga5
 
Associações para o tratamento da gordura localizada - Edduc
Associações para o tratamento da gordura localizada - EdducAssociações para o tratamento da gordura localizada - Edduc
Associações para o tratamento da gordura localizada - Edducedduc
 
Zeitgard guia de vendas apresentar e vender com sucesso
Zeitgard guia de vendas apresentar e vender com sucessoZeitgard guia de vendas apresentar e vender com sucesso
Zeitgard guia de vendas apresentar e vender com sucessoTop Elite Team
 
Pele - Dermatologia Geral -Lesões-Estética
Pele - Dermatologia Geral -Lesões-EstéticaPele - Dermatologia Geral -Lesões-Estética
Pele - Dermatologia Geral -Lesões-EstéticaBrunno Rosique
 
Apostila tricologia
Apostila tricologiaApostila tricologia
Apostila tricologiaNorocha
 
UFCD 6569 -Pele e sua integridade.pptx
UFCD 6569 -Pele e sua integridade.pptxUFCD 6569 -Pele e sua integridade.pptx
UFCD 6569 -Pele e sua integridade.pptxNome Sobrenome
 
Anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - Estácio.ppt
Anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - Estácio.pptAnatomia e fisiologia do sistema tegumentar - Estácio.ppt
Anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - Estácio.pptFranciscoAudisio2
 

Semelhante a Maquiagem definitiva e micropigmentação (20)

Epilação e depilação
Epilação e depilaçãoEpilação e depilação
Epilação e depilação
 
Aula lesões elementares e_tumores_cutâneos_-
Aula lesões elementares e_tumores_cutâneos_-Aula lesões elementares e_tumores_cutâneos_-
Aula lesões elementares e_tumores_cutâneos_-
 
Siste teg
Siste tegSiste teg
Siste teg
 
Apost sistema tegumentar humano parte 4
Apost sistema tegumentar humano parte 4Apost sistema tegumentar humano parte 4
Apost sistema tegumentar humano parte 4
 
Curso avancado _no_tratamento_de_feridas
Curso avancado _no_tratamento_de_feridasCurso avancado _no_tratamento_de_feridas
Curso avancado _no_tratamento_de_feridas
 
1. Anatomia e Fisiologia da Pele.pdf
1. Anatomia e Fisiologia da Pele.pdf1. Anatomia e Fisiologia da Pele.pdf
1. Anatomia e Fisiologia da Pele.pdf
 
Resumo histologia
Resumo   histologiaResumo   histologia
Resumo histologia
 
Aula 1 Pele.pdf
Aula 1 Pele.pdfAula 1 Pele.pdf
Aula 1 Pele.pdf
 
AULA 1.1 e 1.2_Sistema tegumentar.pdf
AULA 1.1 e 1.2_Sistema tegumentar.pdfAULA 1.1 e 1.2_Sistema tegumentar.pdf
AULA 1.1 e 1.2_Sistema tegumentar.pdf
 
apostila2.pdf
apostila2.pdfapostila2.pdf
apostila2.pdf
 
120505480 apostila-de-depilacao
120505480 apostila-de-depilacao120505480 apostila-de-depilacao
120505480 apostila-de-depilacao
 
Curso de Limpeza de Pele.pptx
Curso de Limpeza de Pele.pptxCurso de Limpeza de Pele.pptx
Curso de Limpeza de Pele.pptx
 
Associações para o tratamento da gordura localizada - Edduc
Associações para o tratamento da gordura localizada - EdducAssociações para o tratamento da gordura localizada - Edduc
Associações para o tratamento da gordura localizada - Edduc
 
Zeitgard guia de vendas apresentar e vender com sucesso
Zeitgard guia de vendas apresentar e vender com sucessoZeitgard guia de vendas apresentar e vender com sucesso
Zeitgard guia de vendas apresentar e vender com sucesso
 
2.sistema tegumentar
2.sistema tegumentar2.sistema tegumentar
2.sistema tegumentar
 
Pele - Dermatologia Geral -Lesões-Estética
Pele - Dermatologia Geral -Lesões-EstéticaPele - Dermatologia Geral -Lesões-Estética
Pele - Dermatologia Geral -Lesões-Estética
 
Apostila tricologia
Apostila tricologiaApostila tricologia
Apostila tricologia
 
UFCD 6569 -Pele e sua integridade.pptx
UFCD 6569 -Pele e sua integridade.pptxUFCD 6569 -Pele e sua integridade.pptx
UFCD 6569 -Pele e sua integridade.pptx
 
Dermatologia completa
Dermatologia   completaDermatologia   completa
Dermatologia completa
 
Anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - Estácio.ppt
Anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - Estácio.pptAnatomia e fisiologia do sistema tegumentar - Estácio.ppt
Anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - Estácio.ppt
 

Mais de Jackeline Guimaraes

Lbumdefotografiasdemicropigmentaoparae mailsmdicosmaio2013-3aopomelhopratar-1...
Lbumdefotografiasdemicropigmentaoparae mailsmdicosmaio2013-3aopomelhopratar-1...Lbumdefotografiasdemicropigmentaoparae mailsmdicosmaio2013-3aopomelhopratar-1...
Lbumdefotografiasdemicropigmentaoparae mailsmdicosmaio2013-3aopomelhopratar-1...Jackeline Guimaraes
 
Lbumdefotografiasdemicropigmentaoparae mailsmdicosmaio2013-3aopomelhopratar-1...
Lbumdefotografiasdemicropigmentaoparae mailsmdicosmaio2013-3aopomelhopratar-1...Lbumdefotografiasdemicropigmentaoparae mailsmdicosmaio2013-3aopomelhopratar-1...
Lbumdefotografiasdemicropigmentaoparae mailsmdicosmaio2013-3aopomelhopratar-1...Jackeline Guimaraes
 
Fernanda pagani de souza schutz e mirella salvador
Fernanda pagani de souza schutz e mirella salvadorFernanda pagani de souza schutz e mirella salvador
Fernanda pagani de souza schutz e mirella salvadorJackeline Guimaraes
 
Desenhodeestruturadorosto 110201131131-phpapp02
Desenhodeestruturadorosto 110201131131-phpapp02Desenhodeestruturadorosto 110201131131-phpapp02
Desenhodeestruturadorosto 110201131131-phpapp02Jackeline Guimaraes
 
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02Jackeline Guimaraes
 
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02 (1)
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02 (1)Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02 (1)
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02 (1)Jackeline Guimaraes
 
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01Jackeline Guimaraes
 
25p formatodassobrancelhas-131113062158-phpapp02
25p formatodassobrancelhas-131113062158-phpapp0225p formatodassobrancelhas-131113062158-phpapp02
25p formatodassobrancelhas-131113062158-phpapp02Jackeline Guimaraes
 
Eletroterapia 100313134700-phpapp01
Eletroterapia 100313134700-phpapp01Eletroterapia 100313134700-phpapp01
Eletroterapia 100313134700-phpapp01Jackeline Guimaraes
 
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02 (1)
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02 (1)Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02 (1)
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02 (1)Jackeline Guimaraes
 
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01Jackeline Guimaraes
 
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01 (1)
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01 (1)Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01 (1)
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01 (1)Jackeline Guimaraes
 
Aeletroterapiaaplicadanaestticafacial 120526114057-phpapp02
Aeletroterapiaaplicadanaestticafacial 120526114057-phpapp02Aeletroterapiaaplicadanaestticafacial 120526114057-phpapp02
Aeletroterapiaaplicadanaestticafacial 120526114057-phpapp02Jackeline Guimaraes
 
25p formatodassobrancelhas-131113062158-phpapp02
25p formatodassobrancelhas-131113062158-phpapp0225p formatodassobrancelhas-131113062158-phpapp02
25p formatodassobrancelhas-131113062158-phpapp02Jackeline Guimaraes
 
Sopa verde seca couve mandioquinha
Sopa verde seca  couve mandioquinhaSopa verde seca  couve mandioquinha
Sopa verde seca couve mandioquinhaJackeline Guimaraes
 

Mais de Jackeline Guimaraes (20)

Odesenhodorosto
OdesenhodorostoOdesenhodorosto
Odesenhodorosto
 
Micropigmenta
MicropigmentaMicropigmenta
Micropigmenta
 
Lbumdefotografiasdemicropigmentaoparae mailsmdicosmaio2013-3aopomelhopratar-1...
Lbumdefotografiasdemicropigmentaoparae mailsmdicosmaio2013-3aopomelhopratar-1...Lbumdefotografiasdemicropigmentaoparae mailsmdicosmaio2013-3aopomelhopratar-1...
Lbumdefotografiasdemicropigmentaoparae mailsmdicosmaio2013-3aopomelhopratar-1...
 
Lbumdefotografiasdemicropigmentaoparae mailsmdicosmaio2013-3aopomelhopratar-1...
Lbumdefotografiasdemicropigmentaoparae mailsmdicosmaio2013-3aopomelhopratar-1...Lbumdefotografiasdemicropigmentaoparae mailsmdicosmaio2013-3aopomelhopratar-1...
Lbumdefotografiasdemicropigmentaoparae mailsmdicosmaio2013-3aopomelhopratar-1...
 
Fernanda pagani de souza schutz e mirella salvador
Fernanda pagani de souza schutz e mirella salvadorFernanda pagani de souza schutz e mirella salvador
Fernanda pagani de souza schutz e mirella salvador
 
Design
DesignDesign
Design
 
Desenhodeestruturadorosto 110201131131-phpapp02
Desenhodeestruturadorosto 110201131131-phpapp02Desenhodeestruturadorosto 110201131131-phpapp02
Desenhodeestruturadorosto 110201131131-phpapp02
 
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02
 
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02 (1)
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02 (1)Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02 (1)
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02 (1)
 
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01
 
25p formatodassobrancelhas-131113062158-phpapp02
25p formatodassobrancelhas-131113062158-phpapp0225p formatodassobrancelhas-131113062158-phpapp02
25p formatodassobrancelhas-131113062158-phpapp02
 
Eletroterapia 100313134700-phpapp01
Eletroterapia 100313134700-phpapp01Eletroterapia 100313134700-phpapp01
Eletroterapia 100313134700-phpapp01
 
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02 (1)
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02 (1)Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02 (1)
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02 (1)
 
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01
 
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01 (1)
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01 (1)Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01 (1)
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01 (1)
 
Aeletroterapiaaplicadanaestticafacial 120526114057-phpapp02
Aeletroterapiaaplicadanaestticafacial 120526114057-phpapp02Aeletroterapiaaplicadanaestticafacial 120526114057-phpapp02
Aeletroterapiaaplicadanaestticafacial 120526114057-phpapp02
 
25p formatodassobrancelhas-131113062158-phpapp02
25p formatodassobrancelhas-131113062158-phpapp0225p formatodassobrancelhas-131113062158-phpapp02
25p formatodassobrancelhas-131113062158-phpapp02
 
Sopa verde seca couve mandioquinha
Sopa verde seca  couve mandioquinhaSopa verde seca  couve mandioquinha
Sopa verde seca couve mandioquinha
 
Sopa do vigilantes
Sopa do vigilantesSopa do vigilantes
Sopa do vigilantes
 
Sopa detox
Sopa detoxSopa detox
Sopa detox
 

Maquiagem definitiva e micropigmentação

  • 1. TELS: (21) 3391-6598 / 9652-4788 Email/MSN: cacau_tattoo_piercing@hotmail.com SKYPE: Cacau Tattoo ESTUDE TAMBÉM AS APOSTILAS COMPLEMENTARES ENVIADAS POR EMAIL 1
  • 2. I - O QUE É MICROPIGMENTAÇÃO A MICROPIGMENTAÇÃO mais conhecida como maquiagem definitiva ou maquiagem permanente é um procedimento estético que valoriza os traços da face e dá mais expressão ao rosto. A maquiagem definitiva tem ganhado força entre as opções de tratamentos estéticos existentes no mercado, principalmente devido à falta de tempo decorrente de um dia-a-dia cada vez mais atribulado, além da crescente preocupação com a beleza e aparência. Olhos delineados, bocas expressivas e sobrancelhas bem desenhadas e definidas são as características mais marcantes no rosto feminino e que traduz a marca registrada da jovialidade, e através da micro pigmentação, devolvemos à mulher madura esse aspecto jovial que ela perde no decorrer dos anos. Naturalmente a boca perde seu contorno, se tornando esbranquiçada e inexpressiva. Os olhos parecem mais fechados e miúdos. E as sobrancelhas, com raros pêlos, perdem seu desenho ou inexistem. O recurso de micro pigmentação é hoje um grande aliado às cirurgias plásticas ou procedimentos médicos que visam o rejuvenescimento, pois a dermopigmentação, como também é usualmente chamada no meio médico, se divide em paramédica, corrigindo e amenizando o desconforto dos efeitos estéticos de falhas em couro cabeludo, camuflando marcas de vitiligo, quando estático e acabamento em aréolas, decorrentes de cirurgia de mama. Na realidade, a micro pigmentação vai além do efeito estético e da praticidade no dia a dia das mulheres... Em muitos casos ela resgata a feminilidade e a auto-estima. Com o passar do tempo os pigmentos foram desenvolvidos exclusivamente para a pigmentação, quando antes era usado o pigmento de tattoo. Atualmente contamos com trabalhos de extrema naturalidade, graças aos pigmentos próprios para este fim. O uso de material de qualidade (pigmentos, dermógrafo, agulha), associado aos dotes técnicos e bom senso estético do profissional, são condições relevantes ao sucesso do trabalho. II - ESTRUTURA DA PELE 1- EPIDERME A epiderme é um epitélio multiestratificado, formado por várias camadas (estratos) de células achatadas (epitélio pavimentoso) justapostas. A camada de células mais interna, denominada epitélio germinativo, é constituída por células que se multiplicam continuamente; dessa maneira, as novas células geradas empurram as mais velhas para cima, em direção à superfície do corpo. À medida que envelhecem, as células epidérmicas tornam-se achatadas, e passam a fabricar e a acumular dentro de si uma proteína resistente e impermeável, a queratina. As células mais superficiais, ao se tornarem repletas de queratina, morrem e passam a constituir um revestimento resistente ao atrito e altamente impermeável à água, denominado camada queratinizada ou córnea. Toda a superfície cutânea está provida de terminações nervosas capazes de captar estímulos térmicos, mecânicos ou dolorosos. Essas terminações nervosas ou receptores cutâneos são especializados na recepção de estímulos específicos. Não obstante, alguns podem captar estímulos de natureza distinta. Porém na epiderme não existem vasos sangüíneos.
  • 3. 2 Os nutrientes e oxigênio chegam à epiderme por difusão a partir de vasos sangüíneos da derme. Nas regiões da pele providas de pêlo, existem terminações nervosas específicas nos folículos capilares e outras chamadas terminais ou receptores de Ruffini. As primeiras, formadas por axônios que envolvem o folículo piloso, captam as forças mecânicas aplicadas contra o pêlo. Os terminais de Ruffini, com sua forma ramificada, são receptores térmicos de calor. 2 - RECEPTORES COMUNS Corpúsculos de Paccini: captam especialmente estímulos vibráteis e táteis. São formados por uma fibra nervosa cuja porção terminal, amielínica, é envolta por várias camadas que correspondem a diversas células de sustentação. A camada terminal é capaz de captar a aplicação de pressão, que é transmitida para as outras camadas e enviada aos centros nervosos correspondentes. Discos de Merk el: de sensibilidade tátil e de pressão. Uma fibra aferente costuma estar ramificada com vários discos terminais destas ramificações nervosas. Estes discos estão englobados em uma célula especializada, cuja superfície distal se fixa às células epidérmicas por um prolongamento de seu protoplasma. Assim, os movimentos de pressão e tração sobre epiderme desencadeiam o estímulo. Terminações nervosas livres: sensíveis aos estímulos mecânicos, térmicos e especialmente aos dolorosos. São formadas por um axônio ramificado envolto por células de Schwann sendo, por sua vez, ambos envolvidos por uma membrana basal. 3 – RECEPTORES ESPECÍFICOS Corpúsculos de Meissner: táteis. Estão nas saliências da pele sem pêlos (como nas partes mais altas das impressões digitais). São formados por um axônio mielínico, cujas ramificações terminais se entrelaçam com células acessórias. Bulbos terminais de Krauser: receptores térmicos de frio. São formados por uma fibra nervosa cuja terminação possui forma de clava. Situam-se nas regiões limítrofes da pele com as membranas mucosas (por exemplo: ao redor dos lábios e dos genitais). Nas camadas inferiores da epiderme estão os melanócitos, células que produzem melanina, pigmento que determina a coloração da pele. As glândulas anexas – sudoríparas e sebáceas – encontram-se mergulhadas na derme, embora tenham origem epidérmica. O suor (composto de água, sais e um pouco de uréia) é drenado pelo duto das glândulas sudoríparas, enquanto a secreção sebácea (secreção gordurosa que lubrifica a epiderme e os pêlos) sai pelos poros de onde emergem os pêlos. A transpiração ou sudorese tem por função refrescar o corpo quando há elevação da temperatura ambiental ou quando a temperatura interna do corpo sob devido, por exemplo, ao aumento da atividade física. III – NOÇÕES DE IMUNOLOGIA A função do sistema imunológico é a de manter o ambiente interno do nosso corpo livre de germes patogênicos e outros microrganismos. Células do sistema imune são altamente organizadas como um exército. Cada tipo de célula age de acordo com sua função. Algumas são encarregadas de receber ou enviar mensagens de ataque, ou mensagens de supressão (inibição), outras apresentam o “inimigo” ( corpo estranho) ao exército do sistema imune, outras só atacam para matar, outras constroem substâncias que neutralizam os “inimigos” ou neutralizam substâncias liberadas pelos “inimigos” (corpo estranho) SISTEMA LIFÁTICO São os chamados Lóbulos Linfáticos ou mais conhecidos como ÍNGUAS ou GÂ NGLIOS São formados basicamente por glóbulos brancos ( LINFÓCITOS) que procuram defender a área na qual se localizam da ação deletéria de certos agentes externos.
  • 4. 3 Os mais conhecidos aqueles que podemos sentir pela apalpação quando aumentam de volume, estão situados no pescoço, nas axilas e nas regiões inguinais, mas não são os únicos que existem. Há gânglios distribuídos estrategicamente em órgãos pelo organismo inteiro. É uma espécie de “casa” onde os Linfócitos ficam localizados, para atingir o local infeccionado, esse processo pode ocasionar febres, dores, mal estar... PROCESSO ALÉRGICO É a capacidade dos Anticorpos agirem contra organismos estranhos como: Vírus, Bactérias ou qualquer tipo de Corpo Estranho. Essas substâncias acabam se tornando um alvo para o sistema imune. Esse sistema de defesa se utiliza de um complexo de armas químicas para atacar e destruir o suposto inimigo. Infelizmente, no indivíduo alérgico, o corpo reage de uma forma exagerada a esse ataque, manifestando sintomas desagradáveis e até perigosos que caracterizam os quadros de alergia. .CICATRIZAÇÕ ES HIPERTRÓFICAS OU QUELÓIDES O quelóide é uma lesão tumoral, de superfície lisa e consistência endurecida, aparece em alguns processos de cicatrizações, onde as células deixam de produzir colágeno. No início, geralmente tem cor rósea ou avermelhada adquirindo, mais tarde, cor semelhante à pele normal ou escurecida. Há uma predisposição individual para o seu aparecimento, sendo mais comum em negros e mestiços, mas podem ocorrer em qualquer indivíduo O quelóide pode ocorrer, devido a vários fatores como: predisposição falta de cuidados na cicatrização, ou mesmo no processo de rejeição, Existem vários tipos de quelóides, alguns podem ser tratados com medicamentos, até o seu desaparecimento, porém, alguns podem ser mais sérios e perigosos, podendo causar lesões irreversíveis, ou necessidade de uma cirurgia reparadora. Os quelóides não são muito comuns em cicatrizações por Micropigmentação, porém os cuidados pós cicatrizatórios são imprescindíveis. CICATRIZAÇÃO Denomina-se cicatrização ao fenômeno pelo qual o organismo tende a reparar uma porção lesada. Esse processo, também é de responsabilidade do nosso sistema imunológico, mas, nós também podemos contribuir, para um bom processo de cicatrização. IV - NOÇÕES DE MICROBIOLOGIA Microbiologia é o ramo da biologia que estuda os microrganismos, incluindo eucariontes unicelulares e procariontes, como as bactérias, fungos e vírus.. Sua importância, na formação de profissionais na área de Micropigmentação, está ligada, na parte de ASSEPSIA, HIGIENE e ESTERELIZAÇÃO OS PRINCIPAIS TIPOS DE MICROORGANISMOS, QUE ESTÃO DIRETAMENTE RELACIONADAS COM A PRÁTICA DE BODY PIERCING SÃO:  BACTÉRIAS: Corresponde a um enorme grupo de procariotos, anteriormente classificados como eubactérias, representadas pelos organismos patogênicos ao homem, e bactérias encontradas em ÁGUAS, AR, SOLOS, OBJETOS, E AMBIENTES EM GERAL  EUKARYA: Correspondem as ALGAS, PROTOZOÁRIOS E FUNGOS  VÍRUS - O vírus é um organismo biológico com grande capacidade de auto-multiplicação, utilizando para isso sua estrutura celular. É um agente capaz de causar doenças em animais e vegetais.
  • 5. 4 ESSES TIPOS DE MICROORGANISMOS ESTÃO PRESENTES SEM PRATICAMENTE TODO TIPO DE AMBIENTE S E OBJETOS. SOLOS, PAREDES, BANCADAS, MACAS, CADEIRAS, MÓVEIS... DEVEM SER CONSTANTEMENTE HIGIENIZADOS E ESTERELIZADOS, COM AGENTES ANTIBACTERIANOS. COMO: AGUA SANITÁRIA, CLORO, DETERGENTES, E AGENTES ESTERELIZANTES QUÍMICOS, OS MAIS INDICADOS, SÃO Á BASE DE GLUTARALDEÍDO. EQUIPAMENTOS, ACESSÓRIOS, INTRUMENTOS REAPROVEITÁVEIS, NO PROCEDIMENTO MICROPIGMENTAÇÃO PIERCING, DEVEM SER ESPETRELIZADOS EM ESTUFAS ( ESTERELIZAÇÃO Á SECO) OU AUTO CLAVES ( ESTERELIZAÇÃO Á VAPOR) EM TEMPERATURA MÍNIMA DE 250º C. MATERIAS DESCARTÁVEIS, COMO: AGULHAS, LUVAS, TOCAS, MÁSCARAS, ALGODÕ ES... DEPOIS DE UTILIZADOS, SÃO CLASSIFICADOS COMO LIXOS DE RISCO BIOLÓGICO, E DEVEM SER DEPOSITADOS EM COMPARTIMENTOS ESPECÍFICOS, QUE CONTENHA A INFORMAÇÃO POR ESCRITO. OS TIPOS DE VÍRUS MAIS PERIGOSOS, DE SEREM DISSEMINADOS, SÃO O HIV E O HCV (VÍRUS DAS HEPATITES B e C O RISCO DE DISSEMINAÇÃO OCORRE TANTO PARA O CLIENTE, QUANTO PARA O PROFISSIONAL POR ISSO, DEVE SER BASTANTE ATENÇÃO, AO SE MANUSEAR OS INSTRUMENTOS USADOS, AFIM DE SE AVITAR ACIDENTES OS “SALÓES” DE MICROPIGMENTAÇÃO SÃO PERIDODICAMENTE, VISTORIADOS, OS ÓRGÃOS COMPETENTES E RESPONSÁVEIS SÃO: A VIGILÂ NCIA SANITÁRIA A ANVISA. TODO O AMBIENTE, BEM COMO OS MATERIAS, EQUIPAMENTOS DE ESTERELIZAÇÃO, DEVEM ESTAR SEMPRE, DENTRO AS NORMAS, CASO NÃO ESTEJAM, O LOCAL, PODE SER MULTADO E ATÉ MESMO INTERDITADO! MANTENHA SEMPRE DISCIPLINA! IMPORTANTE OS DOIS TEMAS QUE SERÃO ABORDADOS A SEGUIR SÃO DE SUMA IMPORTÂ NCIA, PARA OS FUTUROS PROFISSIONAIS DA AERA DE MICROPIGMENTAÇÃO. BIOSSEGURANÇA E PRIMEIROS SOCORROS V – NOÇÕES DE BIOSSEGURANÇA Biossegurança é o conjunto de saberes direcionados para a ções de prevenção, m inimização ou eliminação de riscos inerentes à s atividades de pesquisa, produção, ensino, desenvolvimento tecnológico e prestação de serviços, a s quais possam comprometer a saúde do Homem, dos animais, das plantas e do ambiente ou a qualidade dos trabalhos desenvolvidos. 5
  • 6. O controle da infecção é do interesse de todos que freqüentam um determinado ambiente, sendo, portanto, obrigação coletiva e indistinta a colaboração para que essa meta possa ser alcançada VAMOS CITAR AQUI, APENAS ALGUNS CRITÉRIOS BÁSICOS PARA QUE SE TENHA UMA PEQUENA NOÇÃO  As formas de transmissão das principais doenças virais, bacterianas e fúngicas, o bom uso e características de equipamentos de proteção  individual (EPIs), medidas de contenção de acidentes, avaliação e normatização de riscos no ambiente de trabalho.  Ambiente trabalho e saúde - os riscos originários a partir do ambiente e do processo de trabalho: agentes químicos, biológicos, físicos, ergonômicos, mecânicos e psicossociais / Acidentes do trabalho: conceito, caracterização e ações de vigilância; definições de doença profissional, doença do trabalho e doença relacionada ao trabalho; noções de legislação aplicada à saúde dos trabalhadores  Exercer suas atividades profissionais tecnicamente com uma prática responsável e humana  Conduzir suas atividades profissionais dentro dos preceitos científicos, éticos e morais. A ANVISA, ATRAVÉS DE UMA NORMA REGULAMENTADORA EXIGE QUE TODO PROFISSIONAL DA ÁREA DE TATUAGEM, BODY PIERCING E/OU MICROPIGMENTAÇÃO. POSSUAM UM CURSO EM BIOSSEGURANÇA E CERTIFICADO DO MESMO! SEM ESTE, OS PROFISSIONAIS QUE PRETENDER ABRIR SEU PRÓPRIO ESTABELECIMENTO, NÃO SERÁ CONCEDIDO O ALVARÁ PARA FUNCIONAMENTO! Os Cursos ou Palestras em Biossegurança Médica são ministrados freqüentemente por instituições de saúde. Na sua grande totalidade, são gratuitos e rápidos, mas, devem oferecer o Certificado! É interessante, que você a partir de agora, comece a pesquisar em sua cidade, instituições que oferecem estes cursos. Outra forma é través de cursos on-line, mas, deve-se verificar a seriedade da instituição que os oferecem, alguns deles também são gratuitos. Uma Instituição Renomada que oferece cursos em Biossegurança on-line gratuita é a: LIBBS Oncologia em parceria com a FIOCRUZ. Seus cursos em Biossegurança são gratuitos, altamente comprometidos e seu Certificado tem valor reconhecido em todo Brasil. Para saber mais, visite a pagina: http://www.biossegurancahospitalar.com.br 6 VI – PRIMEIROS SOCORROS
  • 7. ESTE TEMA TAMBÉM É DE SUMA IMPOTÂ NCIA E TAMBÉM COMO BIOSSEGURANÇA, É IMPORTANTE QUE O PROFISSIONAL DE MICROPIGMENTAÇÃO, TENHA UMA FORMAÇÃO EXTRACURRICULAR IREMOS ABORDAR O TEMA TAMBÉM DE FORMA SUPERFICIAL SÍNCOPE OU DESMAIO Pode ser comum em casos de Procedimentos de Micropigmentação que os clientes apresentem casos de Síncopes ou até mesmo Desmaio. Síncope ou desmaio é a perda súbita e transitória (breve) da consciência e conseqüentemente da postura, devido à isquemia cerebral transitória generalizada (redução na irrigação de sangue para o cérebro). Existe sempre recuperação espontânea da consciência na síncope. Podendo apresentar: palidez, tontura, fraqueza, sudorese aumentada, visão turva e mais raramente, convulsões e perda involuntária de fezes e urina. Habitualmente, o doente recupera rapidamente a consciência após a queda, pois existe de novo retorno de sangue ao coração que estava seqüestrado nos membros inferiores. Este tipo de síncope apesar de freqüente é geralmente benigno e com bom prognóstico, inversamente do que se observa na síncope de etilogia cardíaca. O termo "desmaiar" ou "desfalecer" é sinônimo de síncope (termo médico). Síncope pode acontecer devido a muitas causas, e diagnosticar a causa exata pode ser difícil. ESSES FATORES PODEM OCORRER POR DIVERSOS FATORES, OS MAIS COMUNS SÃO: 1- Ansiedade e nervosismo 2- Ambientes com muitas pessoas, sem uma adequada ventilação 3- Emoções fortes 4- Fome 5- Insolação 6- Dor intensa SINAIS E SINTOMAS Palidez (pele descorada) Pulso rápido e fraco Sudorese (suor) Perda dos sentidos 7
  • 8. O QUE FAZER Se nos apercebermos de que a pessoa está prestes a desmaiar devemos sentá-la e colocar-lhe a cabeça entre as pernas, ou deitá-la e levantar-lhe as pernas SE O CLIENTE ESTIVER CONSCIENTE, COLOQUE A CABEÇA DELE ENTRE AS PERNAS, FORÇANDO- A PARA BAIXO E PEÇA QUE ELE FORCE PARA CIMA CASO, A PESSOA JÁ TENHA DESMAIADO DEITÁ-LA E LEVANTAR-LHE AS PERNAS 1- Molhar-lhe a testa com água fria 2- Desapertar-lhe as roupas 3- Se a pessoa já estiver desmaiada 4- Mantê-la confortavelmente aquecida 5- Caso não recupere os sentidos em 2 minutos, Acionar de imediato, emergência médica. O QUE NÃO FAZER 1- Dar-lhe de beber enquanto a vitima não recuperar os sentidos, pois pode sufocar/afogar-se com os líquidos. 2- Não ministrar nenhum tipo de medicamento 3- Não ministrar sal, açúcar, pois não se conhece a causa, podendo ser uma crise de HIPERTENSÃO ou HIPOGLICEMIA O MAIS ACONSELHÁVEL É ESTAR SEMPRE AVALIANDO O CLIENTE DURANTE O PROCEDIMENTO 8
  • 9. SE PERCEBER, QUE ELE NÃO ESTÁ SE SENTINDO BEM, PERGUNTE, PARE O PROCEDIMENTO, E NESSE CASO, SÓ CONTINUE, SE VOCÊ PERCEBER QUE É POSSÍVEL, MAS, O INDICADO E QUE NÃO SE DÊ CONTINUIDADE CASO O CLIENTE ESTEJE SOZINHO, SÓ PERMITA QUE ELE DEIXE O LOCAL, SE TUDO TIVER PASSADO, CASO CONTRÁRIO, E HAJA EXITAÇÃO POR PARTE DELE, CONTACTE UM MEMBRO DA FAMÍLIA OU UMA EMERGÊ NCIA MÉDICA. VII - A MELANINA A melanina é a denominação genérica de uma classe de compostos proteicos existente nos reinos Animal, Planta e Protista e cuja principal função é a pigmentação e protecção contra a radiação solar. É a melanina que, por exemplo, confere pigmentação à pele, aos olhos e aos cabelos dos mamíferos. A falta de melanina dá origem a uma condição denominada albinismo. A produção de melanina é feita pelos melanócitos ou melanoblastos, células da camada basal da epiderme que mantêm contato com os queratinócitos por intermédio de projeções citoplasmáticas. Esses prolongamentos é que permitem que os pigmentos melânicos produzidos se depositem nos queratinócitos. Síntese A síntese de melanina é teoricamente explicada pela presença de uma enzima - tirosinase - concentrada no aparelho de Golgi dos melanócitos. O pigmento é originado a partir da polimerização do aminoácido tirosina por intermédio da ação da tirosinase, a qual passa de aminoácido incolor a um pigmento castanho. A tirosina polimerizada deposita-se em vesículas denominadas melanossomas, as quais se deslocam pelos prolongamentos citoplasmáticos dos melanócitos, sendo transferidos para os queratinócitos através de um processo de secreção, denominado secreção citócrina (de célula para célula). Os grânulos de melanina permanecem no citoplasma dos queratinócitos. Melanina e raios ultravioletas As diversas camadas dos queratinócitos com melanina fornecem uma defesa eficaz dos tecidos subjacentes contra os efeitos nocivos dos raios solares, principalmente dos raios ultravioleta. A influência da radiação ultravioleta sobre a síntese de melanina ainda não está muito bem explicada. Acredita-se que esses raios promovam o aumento da atividade da tirosinase nos melanossomas. Os hormônios também ainda não têm um mecanismo definido na participação da produção melânica; a hipófise, por exemplo, secreta o ACTH e o HME (hormônio melanócito - estimulante), que aumentam a síntese de melanina. Já os hormônios do córtex da supra-renal exercem um efeito de inibição, na hipófise, do ACTH e do HME, o que consiste em um fator de equilíbrio e modulação da síntese melânica. Classes de melanina Existem duas classes principais de melanina: eumelanina, de cor acastanhada ou preta, e feomelanina, de cor avermelhada ou amarelada. Os grânulos de melanina se dispõem sobre o núcleo do queratinócito, de modo a impedir lesões no DNA da célula pelos raios ultravioleta. A eumelanina é muito mais eficiente que a feomelanina nessa proteção, e por isso os cânceres de pele são mais comuns em pessoas de pele clara, cujo conteúdo relativo de eumelanina é menor. A produção de eumelanina e feomelanina é controlada por um receptor transmembrana, ao qual se liga o hormônio melanócito-estimulante, denominado MC1R. 9
  • 10. VIII- PIGMENTO Em biologia, pigmentos são os compostos químicos responsáveis pelas cores das plantas ou animais. Quase todos os tipos de células, como as da pele, olhos, cabelo etc. contêm pigmentos. Seres com deficiência de pigmentação são chamados albinos. Na coloração de pinturas, tintas, plásticos, tecidos e outros materiais, um pigmento é um corante seco, geralmente um pó insolúvel. Existem pigmentos naturais (orgânicos e inorgânicos) e sintéticos. Os pigmentos agem absorvendo seletivamente partes do espectro (ver luz) e refletindo as outras. Geralmente é feita uma distinção entre pigmento, que é insolúvel, e tintura, que é líquida ou então solúvel. Existe uma linha divisora bem definida entre pigmentos e tinturas: um pigmento não é solúvel em seu solvente enquanto a tintura é. Desta forma, um corante pode ser tanto um pigmento quanto uma tintura dependendo do solvente utilizado. Em alguns casos, o pigmento será feito pela precipitação de uma tintura solúvel com um sal metálico. O pigmento resultante é chamado de "lake". Pigmento deteriorante é aquele não permanente, sensível a luz. IX – CORANTES Um corante é toda substância que, se adicionada à outra substância, altera a cor desta. Pode ser uma tintura, pigmento, tinta ou um composto químico. Num sentido mais estrito, corantes são substâncias compostas e compostos químicos, tanto naturais (e suas modificações) quanto sintéticos, relativamente definidos e até puros normalmente aplicados na forma de suas soluções, tanto em água quanto em outros solventes, destacadamente o etanol, que se fixam de alguma maneira, predominantemente por fenômenos em escala molecular a um substrato, que pode ser um tecido (têxtil), papel e outros derivados de celulose, cabelo humano e pelos de animais, couro e diversos materiais. Dentro de um conjunto de requerimentos ideais, as substâncias corantes devem ser estáveis à luz, especialmente a ultravioleta e aos processos de lavagem e à ação da água, como da chuva. Também devem apresentar fixação uniforme com as fibras do substrato. [ 1] De uma perspectiva da comercialização, permanentemente desenvolvem-se estudos tanto teóricos quanto empíricos das relações entre as estruturas moleculares e a cor obtível e propriedades tanto de aplicação quanto relacionadas à conservação. Dentre os desenvolvimentos mais recentes de aplicações de corantes destacam-se os mostradores e aplicações diversas de cristais líquidos, os detectores de exposição à radiação de alta energia e as soluções para a impressão a jato de tinta. X- TINTA Tinta é o nome normalmente dado a uma família de produtos (líquidos, viscosos ou sólidos em pó) que, após aplicação sob a forma de uma fina camada, a um substrato se converte num filme sólido. As tintas são usadas para proteger e dar cor a objetos ou superfícies. Componentes A tinta líquida é normalmente constituída por cinco partes: resinas, diluentes, aditivos, pigmentos e cargas. A resina é a parte da tinta que solidifica para formar a película de tinta seca. O diluente auxilia no ajuste da viscosidade bem como é veículo dos demais componentes, podendo, ser dosados adequadamente, facilitar a aplicação das tintas. Os diferentes aditivos têm várias funções sendo uma delas auxiliar na secagem da tinta. 10
  • 11. XI - OS PIGMENTOS PARA MAQUIAGEM DEFINTIVA A maquiagem definitiva ou micropigmentaçao consiste na aplicação de pigmentos inorgânicos e hipoalérgicos. Tipos de pigmento Orgânicos: Com base vegetal, esses pigmentos são responsáveis pelas cores mais vibrantes, como o vermelho e normalmente são usados para a pigmentação dos lábios. Com esse tipo de pigmento pode haver rejeição de 80%, fazendo com que a cor fique desbotada, sendo necessária nova aplicação. Inorgânicos: Aplicações à base de dióxido de ferro ou de titânio são responsáveis pelas cores mais escuras. OBSERVAÇÃO: A quantidade de melanina em pele muito escura exige cuidados especiais na hora de fazer a opção pela maquiagem definitiva. Nesses casos, os lábios são uma área quase proibida porque concentram mais melanina do que qualquer outra parte, podendo ficar um escurecimento excessivo com a aplicação dos pigmentos. XII - CONTRA INDICAÇÕES Quem apresentar os problemas relacionados abaixo nao pode se submeter aos métodos utilizados na maquiagem definitiva - Hipertensão arterial - Gota - Diabetes grave - Cardiopatias - Tumores cancerígenos - Epilepsia - AIDS - Alcoolismo - Hemofilia - Complicações psicossomáticas - Leucemia - Depressão ou Ansiedade - Trombose - Pacientes que estão em tratamento - Pessoas que fizeram cirurgia plástica médico a menos de um ano IMPORTANTE Todo Procedimento de Micropigmentação PARAMÉDICA O cliente deve apresentar um documento/ autorização, médica por escrito, neste documento o médico deve descrever a finalidade do procedimento, bem assim declarar o que o cliente se encontra apto para o procedimento. Neste documento deve conter o Nome do cliente, nome do médico responsável, assinatura, data e carimbo e este documento deve ser guardado pelo profissional micropigmentador. 11
  • 12. XIII - COMO É FEITA A MICROPIGMENTAÇÃO Utiliza-se um aparelho chamado demógrafo, que tem uma agulha na sua extremidade, e o pigmento é aplicado na primeira camada da derme (logo abaixo da epiderme, que é a região mais superficial da pele). Há especialistas, no entanto, que fazem a aplicação na epiderme, mas o resultado não é tão bom. Qualquer material injetado na epiderme tende a desaparecer completamente em 30 dias. Isso significa dizer que apenas as cirurgias a lazer podem retirar as cores aplicadas na maquiagem definitiva. Os pigmentos são a base de glicerina, cuja molécula é grande e não passa para as camadas mais profundas da pele. Cada região da pele exige um tipo e uma quantidade de perfuração específica. Em alguns casos, depois da primeira aplicação a cor precisa ser retocada, o que só pode ser feito depois de uns 30 dias, que é o tempo mínimo para a pele cicatrizar antes de ser submetida a um novo procedimento. Chegando ao resultado satisfatório, a manutenção da maquiagem somente será feita a cada três ou quatro anos, dependendo dos hábitos da pessoa (a freqüência com que ela vai à piscina, se expõe ao sol e utiliza cosméticos à base de ácidos). OS EQUIPAMENTOS OS EQUIPAMENTOS QUE USAMOS NA MICROPIGMENTAÇÃO SÃO DERMÓGRAFO FONTE CABO 12
  • 13. OS ACESSÓRIOS AGULHAS COM PONTEIRAS DESCARTÁVEIS TINTA BATOQUES MATERIAIS DESCARTÁVEIS LUVAS MASCARAS TOCAS AVENTAIS CAPAS PARA MACAS GAZE ALGODÃO COTONETES RECIPIENTE EXPECÍFICO PARA LIXO BIOLÓGICO 13
  • 14. SUBSTÂ NCIAS QUÍMICAS DESINFECÇÃO E ESTERELIZAÇÃO IMPORTANTE VEJA A ESPECIFICAÇÃO DE CADA PRODUTO, FORMA DE PREAPRO, USO E RISCOS, DESCRITOS NAS EMBALAGENS SORO FISIOLÓGICO ÁLCOOL 70 % FORMALDEÍDO GLUTARALDEÍDO AS DIFERENÇA ENTRE MAQUIAGEM DEFINTIVA E A TATUAGEM A principal delas é que a maquiagem definitiva é feita na epiderme, na camada superficial da pele. Já a tatuagem é mais invasiva, pois atinge a derme. Diferenças nos pigmentos, para maquiagem definitiva e mais diluído mais fraco que o da tatuagem e os tons são feitos similar os usados para maquiar . Os pigmentos da maquiagem definitiva são elaborados com minerais e vegetais, apenas como exemplo, vamos citar o pigmento Marrom, ele tem uma porcentagem de: 15% de Glicerina ¨5% de Sódio 0,5% de Acido Cítrico 19,95% de Aloe e Vera 60% de Oxido de Ferro Marrom 14
  • 15. Se você observar, todos os componentes são base de minerais e vegetais. Se você pegar a mesma cor marrom, no pigmento utilizado por tatuadores, a porcentagem de glicerina é 2x maior, caso contrario, em 3 à 4 anos as tatuagens sairiam do corpo, quase que naturalmente. Outro detalhe, a base da cor marrom é sintética, no pigmento utilizado por Tatuadores, não é a base de Oxido de Ferro (mineral), como na maquiagem definitiva. Você pode até utilizar um pigmento sintético, porém devemos lembrar que estamos lidando com traços faciais, ou seja, o cartão de apresentação de quase todos os indivíduos. Um traço indesejável, feito com pigmento sintético, é muito difícil de ser corrigido. AS AGULHAS AGULHA DE 1 PONTA – Utilizada para trabalho de traços como: Sobrancelhas fio a fio, contornos finos de linha natural de olhos e contorno de lábios. Também utilizada na micropuntura, proporcionando regeneração celular, resultando na atenuação dos sinais de expressão. AGULHAS 2 PONTAS Utilizada para trabalhos de sobrancelhas esfumaçadas compactadas, contornos de linha natural de olhos e contorno de lábios. AGULHAS DE 3 PONTAS Utilizada para trabalhos de sobrancelha esfumaçadas, contorno/delineador de olhos e contorno/preenchimento de lábios. AGULHAS DE 5 PONTAS CIRCULAR Utilizadas para trabalhos de sobrancelhas esfumaçadas, contorno/delineador de olhos e contorno/preenchimento de lábios. AGULHAS DE 5 PONTAS LINEAR Utilizada para iluminadores de sobrancelhas e preenchimento de lábios. O USO DO PAQUIMETRO Passo 1: Limpe a pele com adstringente para retirar a oleosidade da pele. Então, utilize o paquímetro e um lápis de maquilagem para fazer as marcações. Passe o lápis no paquímetro, para que as marcações possam ser feitas somente com o encostar do equipamento na pele. Ache o terceiro olho (parte central do rosto). Desse ponto, meça 1,5 cm para cada lado, dessa forma é possível marcar o ponto inicial das sobrancelhas. 15
  • 16. Passo 2: Posicione o paquímetro no início da sobrancelha e meça 5 cm. Repita o mesmo procedimento do outro lado. Se o rosto for quadrado (veremos formatos de rostos mais adiante), aumente essas medidas em 0,5 cm. Passo 3: No ponto central, coloque o paquímetro e marque onde começa a curvatura. Para marcar a espessura das sobrancelhas, atente-se para o fato: se os olhos estiverem abertos a medida será de 2 cm; Fechados de 2,5 cm. Passo 4: Utilize o pente para colocar os fios para fora das marcações. Utilize a pinça para retirar o excesso de fios. Passo 5: Passe um lápis branco para definir melhor a forma e apare os pêlos mais longos com a tesoura. Passo 6: Utilize um lápis universal – que vale para todos os tons de pele – para definir o formato das sobrancelhas, penteando os fios no sentido do pêlo. Para iluminar o olhar, passe lápis branco embaixo e esfume, fazer desaparecer ou esvair. TIPOS DE ROSTOS Formato do Rosto - O primeiro passo é observar as linhas que compõem o formato do rosto, destacando alguns tipos: quadrando, oval, retangular, redondo, losangulo, hexágono, triângulo e triangulo invertido. Cada formato possui características próprias. O hexagonal, por exemplo, é o tipo de Gisele Bündchen e o mais comum entre as modelos. O redondo tem um ar angelical e infantil, o retangular transmite seriedade e o oval é delicado e feminino. Os formatos que mais se beneficiam de uma variedade de cortes e estilos são os que têm a proporção regular, com os ovais e hexagonais com linhas retas. Para analisar seu rosto, divida-o em três partes iguais: 1) Da testa ao meio dos olhos; 2) Do meio dos olhos ao final do nariz; 3) Do final do nariz ao queixo. 16
  • 17. A proporção ideal diz que duas dessas partes devem corresponder à medida que vai do meio do nariz à maçã do rosto. Se for menor do que isso, o rosto é fino. Tipo Oval São divididos simetricamente em 3 partes: 1 - linha dos cabelos - sobrancelhas; 2 - sobrancelhas - ponta do nariz ; 3 - ponta do nariz - queixo; São caracterizados por serem mais largos nas maçãs-do-rosto e se estreita ligeiramente em direção ao queixo. A testa é um pouquinho mais larga do que o queixo. Os ossos da face são dominantes e o rosto diminui abaixo das maças do rosto, em direção a um queixo oval. Esse é o rosto mais comum que existe e se você reparar bem, a maioria das pessoas tem esse formato, Considerado geralmente como o formato ideal e é também favorecido por virtualmente qualquer tipo de estilo. Tipo Redondo Um rosto sem ângulos definidos com tendência a ser mais largo na linha das maçãs-do-rosto e com "cantos" mais suavizados ao longo do maxilar e fronte. O rosto redondo caracteriza-se por uma testa ampla, no sentido horizontal e curto na vertical. Passa a impressão de que está acima do peso, mesmo não estando, o que faz o pescoço parecer curto. A ilusão ocorre porque a face é larga. O objetivo para um rosto arredondado é adicionar altura, fazendo com que o mesmo pareça mais "comprido", evitando volume. Tipo Triangulo O rosto de formato triangular tem uma testa mais estreita que se torna gradualmente mais cheia nas áreas do queixo e da face. Queixo fino, testa larga e o rosto um pouco saliente nas laterais. Triângulo Invertido / Coração Este formato está caracterizado por uma fronte larga e uma linha do maxilar e queixo estreito. Aumentar o volume no queixo, trará equilíbrio ao rosto. Tipo Losango O rosto losango tem queixo e testa estreitos com maças do rosto largas. Esse tipo de rosto pede laterais baixas e volume na altura do queixo. Tipo Pêra O rosto pêra caracteriza-se por uma testa pequena e estreita e uma linha de maxilares largos e arredondados. O volume deve se concentrar da altura dos olhos até a testa. 17
  • 18. Tipo Quadrado O rosto quadrado caracteriza-se pela testa e maxilar larga. O que mais caracteriza um rosto quadrado é a largura do osso maxilar angulares, que regula com a testa e a linha do queixo.As mandíbulas são mais largas, em outros casos chegam a ter a mesma dimensão das maçãs da face. Deve ser evitada linha reta principalmente na direção das sobrancelhas. Tipo Retângulo O rosto retangular caracteriza-se por uma estrutura óssea alongada e estreita. Geralmente as pessoas com este tipo de rosto tem pescoço longo e fino. Tipo Longo Ao contrário do tipo oval, é mais estreito nas maçãs, com um maior comprimento entre a testa e o queixo. O formato e o tamanho ideais para o seu tipo de rosto. Sobrancelhas bem desenhadas realçam o olhar e deixam o rosto mais bonito. Além de mantê-las limpas, sem fios sobrando e sem falhas, é imprescindível determinar o formato ideal para seu tipo de rosto. Você vai precisar traçar linhas imaginárias e de uma pinça de ponta quadrada, que segura melhor os fios, para arrancar os excedentes. Determine o tamanho Trace uma linha imaginária da lateral do nariz até o canto interno do olho, e outra do mesmo ponto inicial até a ponta externa do olho. A sobrancelha não deve ultrapassar os limites estabelecidos por essas linhas imaginárias. ACERTE O FORMATO: Rosto redondo: direcione a ponta externa da sobrancelha para a extremidade superior da orelha. Rosto quadrado: direcione a ponta externa da sobrancelha para a metade da orelha. Rosto oval: direcione para baixo a extremidade externa da sobrancelha. A curvatura é mais acentuada do que nos outros tipos de rosto. Preencha as falhas: Com uma escova de cerdas macias, penteie a sobrancelha no sentido contrário à raiz e, em seguida no sentido natural, levantando os fios. Faça riscos delicados nas falhas com um lápis do tom dos fios e outro de cor um pouco mais escura. A henna sobrancelhas é a mais recente novidade para quem quer aumentar o volume das sobrancelhas. Este método é natural, cobre fios brancos, e encobre falhas nos pêlos, além de dar um efeito encantador no rosto. O procedimento demora de 40 minutos à uma hora, e antes de passar a tintura, é preciso acertar a sobrancelha com pinça para o efeito ser perfeito. 18
  • 19. DICAS PARA O CORPO EM GERAL ● Todos os dias após o banho deslize um cubo de gelo pelo rosto, principalmente na área ao redor dos olhos. Além de descansar a pele a deixará mais firme. ● Faça uma massagem nos pés, antes de dormir, com creme à base de silicone. Isso deixa a pele macia, hidratada e estimula a circulação depois de horas de salto alto. ● Quando perceber que esta com olheiras e a aparência cansada, aplique uma compressa de água boricada gelada sobre os olhos e deite por alguns minutos. ● Antes de malhar passe um creme que, com o aquecimento do corpo, queima a gordura localizada e melhora a celulite. ● Estimule o intestino e ainda cuide da pele tomando três vezes por semana a mistura de uma colher (sopa) de gérmen de trigo com um copo de suco de mamão e laranja. ● Em nome da boa forma, aprenda a fazer trocas inteligentes no cardápio: substituir o queijo amarelo pelo branco; o salame por peito de peru; e a manteiga por margarina à base de iogurte. ● Quando sair à noite direto do trabalho, passe o dia com o cabelo preso num rabo-de-cavalo e só solte na hora da balada. Assim os fios não ficam engordurados e revoltos. ● No frio, quando os lábios estão muito rachados, use uma espécie de gloss de lanolina pura, encontrado em lojas de artigos para bebês. Passe durante a noite pois, no dia seguinte, a boca está nova. ● No calor, troque o creme hidratante por um cosmético em gel, que refresca o corpo e não deixa a pele pegajosa. ● Nunca vá para a cama sem retirar o make com gel demaquilante. Depois lave o rosto com bastante água fria e passe um creme nutritivo. ● Para pele seca, uma vez por semana espalhe uma camada fina de mel no rosto, deixe por vinte minutos e retire. Além de hidratar e dar um toque macio, é cicatrizante. ● Fazer um refeição levinha à noite. Quer dizer, consumir pouco carboidrato e dar preferência às proteínas e aos legumes. Assim, você ficará satisfeita e não sentirá o estômago pesado nem vontade de assaltar a geladeira de madrugada. Receita de mascaras caseiras Pele mista e com acne: misture meio pepino fatiado com meia colher de maisena no liquidificador. Equilibra e revitaliza a pele. Anti-idade: meio mamão papaia amassado, misturado com uma colher de sobremesa de mel. Auxilia também no tratamento de peles com manchas. Hidrata, rejuvenesce e ajuda a atenuar linhas de expressão. Pré-festa: duas claras de ovo bem batidas. Melhora o aspecto na hora. Ótima para situações inesperadas ou up antes de uma festa. Peles bronzeadas: meio copo de água de coco, uma colher de sobremesa de maisena e uma colher de sobremesa de mel. Deixa a pele mais luminosa, suave e hidratada. Ajuda a manter o bronzeado. Serve também como relaxante. Esfoliantes: duas colheres de aveia com meia colher de mel. Ajuda a remover as células mortas. Clareia a pele e colabora na penetração de outros componentes. 19
  • 20. Tira-olheiras: compressa de chá de camomila seguida da máscara de papaia e mel (antiidade) colocada ao redor dos olhos. Fecha-poros: cinco morangos amassados com duas colheres de mel e uma fatia de mamão papaia. Pele Seca: esmague uma banana e misture com uma colher de mel. Ótima para peles secas no inverno. MICROPIGMENTAÇÃO PARAMÉDICA A Micropigmentação Paramédica consiste em técnicas que estimulam o colágeno em áreas sem pigmentação como, vitiligo e leocodermia (ausência total ou parcial de pigmento) . Reconstituição e correções de mamilos após a reconstituição dos seio. Camuflagem de cicatrizes hipotróficas ( cicatrizes brancas) aréola de mama, Contorno Lábios Leporinos, Contorno do Umbigo, disfarçar e relaxar cicatrizes, repigmentar leucodermia, vitiligo estacionário e reparar queimaduras “Mas para este procedimento é necessário prescrição médica” esta técnica trabalha mais a parte corporal do paciente, aproximando – se ao máximo da cor natural da pele. CAPILAR VITILIGO 20
  • 21. COMPLEXO DO ARÉOLO MAMILAR A técnica de micropigmentação que é definida como a implantação de pigmentos (corantes) na camada subepidérmica da pele com o auxílio de um dermógrafo e agulhas apropriadas. Trata-se de uma técnica de permanência temporária da pigmentação, variando de 10 a 18 meses, necessitando de retoques a cada período destes, assim garantindo a proximidade e adequação da cor depositada com a cor da pele. As possibilidades de utilização da técnica são variadas, desde realçar os traços naturais de olhos e sobrancelhas, como reconstruir sobrancelhas e lábios naturalmente inexistentes ou perdidos por acidentes que lavaram a conseqüentes cicatrizes. O que iremos abordar nesta edição é a micropigmentação do complexo aréolo/mamilar pós mastoplastia e pós mastectomia. A sociedade atual está centrada em um padrão de beleza voltado para um corpo estruturalmente bem formado, levando o indivíduo a procurar recursos para uma melhor adaptação ao meio. Houve então uma disparada aos atendimentos especializados em estética como: dermatologistas, esteticistas e principalmente cirurgiões plásticos. Os seios Os seios pela sua especial anatomia, são alvo privilegiado de envelhecimento prematuro, com perda de turgor e tons. Na mulher jovem as mamas são duras e elásticas, mas paulatinamente perdem seu viço pela gravidez seguido de períodos de amamentação, emagrecimento bruscos, envelhecimento, fatores estes que modificam sua firmeza levando ao aparecimento da chamada ptose. A mama normal é um cone glandular, coberto por pele e tecido glandular subcutâneo, onde os vasos e nervos correm da base para o ápice, não muito superficiais, formando uma verdadeira malha. A mamoplastia pode intervir em diversas alterações estéticas como no volume, forma, relação entre pele e glândula, diâmetro e projeção do complexo aréolo/mamila, ou em qualquer combinação. Atualmente, as diversas técnicas redutoras visam obter cicatrizes menores na ressecção de excessos cutâneos, glandulares e adiposos, sendo que a escolha do tipo de abordagem cirúrgica dependerá do tipo de alteração apresentada.Contudo, a mamoplastia traz consigo a temível cicatriz, é aqui que a micropigmentação estética oferece um papel preponderante, da dando cor e efeito óptico porém não projeção. Além da cirurgia plástica puramente estética, outra forma de aplicação da micropigmentação é nas cirurgias de mastectomia. Devido ao câncer de mama ser o de maior incidência entre as mulheres no Brasil, em que boa parte dos casos seu tratamento é cirúrgico, levando a mastectomia parcial ou total, dependendo da extensão da neoplasia. Seja qual for sua extensão, quando a mastectomia é necessária traz consigo a reconstrução mamária que devolve volume e forma para as mamas, e para a obtenção da cor, utiliza-se técnica de enxertia, que trata-se de uma técnica muito dolorida e de resultado pouco satisfatório, em sua substituição hoje muitos cirurgiões optam pela micropigmentação, que mostrou-se mais eficaz nos resultados com muito menos trauma ao paciente, além de uma uniformidade na cor. 21
  • 22. A- mama após mastectomia; B- mama após reconstrução mamária, seguida de enxertia, perceba a diferença de pigmentação entre uma aréola e outra Técnicas de execução: O primeiro passo é buscar a simetrização entre as duas aréolas, o que na grande maioria das vezes encontram-se já prontas para micropigmentação, principalmente nos casos de mastectomia onde é previsto o uso da técnica. A medição se realizará em posição semi-sentada, se verificará com uma régua passando pelos pontos A e A`, observando rigorosamente a boa horizontalidade, para evitar um resultado inestético das aréolas. Antes de efetuar o traço nas aréolas inspecionar detalhadamente as imperfeições assim como as cicatrizes periareolares, enxertos cirúrgicos e outros. Os dois círculos devem ser simétricos e situados no cone mamário. Se foi produzido uma ptose secundária, ou se a cirurgia não devolveu sua forma cônica, será necessário efetuar a medição antes descrita para que as aréolas fiquem bem posicionadas. Será conveniente assinalar que o diâmetro da aréola não ultrapasse 5 a 5,5 cm. O traçado areolar se efetuará com um lápis de dureza médio e de cor marrom. A perfeição do desenho se verifica observando através de um espelho vertical, levando em consideração que nem sempre o traço é uniforme. Preparação do pigmento: A mistura do pigmento estará condicionado pela cor da pele, incrementando a este tom mais escuro do que se observa na aréola normal, dado que o resultado final é sempre mais claro. A mistura se verifica topicamente ao lado da aréola, ao se chegar na cor correta preparar quantidade suficiente, a fim de se ter a mesma mistura até o final do atendimento. Para se obter o efeito mais claro ao redor da aréola e o mais escuro do centro (bico), devemos usar técnica adequada assim criando uma ilusão de projeção. Desenvolvimento prático: Antes de se iniciar a aplicação da técnica de micropigmentação, devemos aplicar uma porção generosa de anestésico tópico do tipo lidocaína, e deixar agir por cerca de 40 minutos coberto por um filme osmótico para assegurar sua penetração e uma sedação mais eficaz. Nos casos de mastectomia esta etapa deve ser pulada, uma vez que o paciente mastectomizado não possui sensibilidade local. 22
  • 23. Para se conseguir o efeito degradeé da pigmentação (halo mais claro e centro mais escuro) será utilizada agulha linear de 5 pontas e aparelho posicionado a 45º em relação da pele, o que levará a pintura da aréola, partindo com uma pressão moderada para o halo mais claro e aumentando a pressão conforme ir de encontro ao centro. Para se obter um efeito de projeção para o bico utilizaremos agulhas triponta circular, e aparelho posicionado a 90º o que escurecerá a cor do pigmento sem que este necessite de um novo preparo. O aparelho deve permanecer em velocidade de média a alta e movimentos curtos e lentos, seguindo o trajeto das aréolas. Ao término da técnica a higienização local e aplicação local de uma pomada cicatrizante é indicada após os 08 dias posteriores a aplicação, assim como evitar banhos de mar e piscina, sol, vapor e não coçar ou remover as crostas que surgirão durante a cicatrização, Também pode ser usado um curativo do tipo micropore sobre a pomada, para evitar que a mesma seja removida. A verificação do trabalho realizado será a partir dos quinze dias posteriores a pigmentação aplicada, observando-se a densidade da cor. A cliente deverá fazer uma revisão. Um mês após, para um possível retoque ou a confirmação de um excelente trabalho. 23
  • 24. As possibilidades de utilização da micropigmentação no campo da dermatologia ou cirúrgica cosmética são praticamente ilimitadas, dependendo em muitos casos da criatividade do cirurgião e do pigmentador, assim como da disponibilidade do equipamento para poder realizar uma determinada técnica. ANESTÉSICO Embora não existam estudos que comprovem contra-indicações, deve-se haver restrição quanto ao seu uso. Perguntar ao cliente, se o mesmo tem conhecimento de possibilidade á reações alérgicas das substâncias na composição. APLICA-SE ENTRE 5 A 10 MINUTOS ANTES DO PROCEDIMENTO AO MAIS USADOS SÃO: Neo Farma / Pomada Anestop / Blue Ice CUIDADOS PÓS MICROPIGMENTAÇÃO  LAVAR COM SABÃO NEUTRO E SORO FISIOLÓGICO  USAR POMADA NEBACETIM, 3 VEZES AO DIA  NÃO EXPOR AO SOL, MAR, PISCINA  NÃO COÇAR E NEM TIRAR A CASCA  NÃO INGERIR ALIMENTOS: GORDUROSOS, REMOSOS, CRUSTÁCEOS, DERIVADOS DO PORCO, CHOCOLATE, AMENDOIM, PEIXES ATÉ QUE SAIA TOTALMENTE A CASCA  APÓS A CICATRIZAÇÃO, USAR PROTETOR SOLAR, SEMPRE QUE OR EXPOR AO SOL  É INDICADO O RETOQUE A CADA 2 ANOS WWW.CACAUTATTOO.COM 24