SlideShare uma empresa Scribd logo
Micropigmentação: 
Colorimetria Aplicada a Pigmentos 
Para que a técnica de micropigmentação seja bem aplicada é de extrema 
importância o conhecimento da cor e sua utilização a cada tipo de pele, o que iremos 
estudar a seguir é a teoria da cor e suas aplicações nos variados tons de peles. 
A cor é um dos elementos mais importantes da imagem. Na micropigmentação 
trabalhamos principalmente com a imagem facial, portanto é essencial saber como a cor 
funciona e como usá-la para conseguir seus diversos efeitos. É preciso lembrar que a 
pele já é pigmentada pela melanina, então é necessário saber como as cores do pigmento 
reagem com a cor da pele, e como isto será transmitido. 
Primeiramente iremos a um estudo básico da cor e como ela é percebida, sua 
teoria e reação dos pigmentos. 
Luz e cor 
A luz branca é composta por ondas que vibram em diversas freqüências. Cada 
freqüência corresponde a uma das cores do arco-íris, que é obtido através de um cálculo 
de divisão entre a velocidade da luz pelo comprimento dela. O olho humano consegue 
apenas visualizar um pequeno aspectro de cor que vai do violeta, passando pelo verde 
até o vermelho. 
A ausência de luz é o preto, portanto não vemos cor e sim a sensação de cor 
registrada pelo nosso cérebro.
Percepção de cor 
Quando uma luz incide sobre um objeto, o ilumina resultando em sua 
visualização, somente as ondas que correspondem a cor do objeto são refletidas. As 
outras são absorvidas numa reação química. Segundo a teoria tricromática o olho 
humano capta as ondas de luz vermelha, laranja, amarela, verde, azul e violeta em três 
categorias de fibrilas nervosas na retina do olho. A 1ª fibrila capta a luz vermelha, a 2ª 
fibrila capta a luz verde e a 3ª fibrila capta a luz violeta. A luz refletida estimula as 
fibrilas de maneira que temos a sensação de cor do objeto. 
Cor energia e cor pigmento 
É de importância saber diferenciar cor de pigmento. Cor energia são as cores 
obtidas pelo padrão RGB (red-green-blue - vermelho-verde –azul), pois não há 
pigmento nem matéria, já pigmento é o material químico que tinge uma superfície. 
Mistura de pigmentos 
Segundo a teoria das cores, quando misturamos as cores primárias, novas cores 
são obtidas. Porém convém lembrar que o resultado da mistura, irá depender da 
qualidade do pigmento, do material químico utilizado (pureza da cor) e do processo de 
aplicação. Quando um desses fatores interfere na mistura, o resultado da cor é 
comprometido. 
Classificação dos pigmentos
Os pigmentos são classificados em: 
1- Acromáticos: branco, preto e cinza - não contém cor. 
2- Cromáticos: contém cor e são classificados em três categorias: 
a) Primários: são os pigmentos puros, todas as outras cores são obtidas 
através de sua mistura. As cores primárias são azul – amarelo – 
vermelho, para se obter a cor preta, é necessário que se misturem as três 
cores, assim originando um preto cromático. 
b) Secundários: é a mistura de dois pigmentos primários puros ( saturados) 
Amarelo + vermelho = laranja. 
Vermelho + azul = roxo. 
Azul + amarelo = verde. 
Cor complementar 
Na cor o todo é compreendido pelas cores primárias. O complemento é aquele 
que falta para completar o todo. Como duas cores primárias formam uma secundária, 
então a cor complemento é a cor primária ausente na mistura. 
c) Terciárias: são obtidas pela mistura de pigmentos das cores 
complementares ou dois pigmentos secundários. 
Marrons 
Para a micropigmentação as marrons são as mais utilizadas, uma vez que todo 
tom de pele é marrom. Há uma variedade de marrons que vai dos tons quentes ou frios e 
claros e escuros. 
O bege é uma variação de marrom que é obtido pela mistura de amarelo, roxo e 
branco, considerado um pigmento frio. 
Contrastes de tons - intensidade 
Tons claros contrastam com tons escuros e vice-versa. São eles: 
• Tons claros: amarelo, laranja e verde-amarelado. 
• Tons escuros: vermelho, roxo, azul e verde.
Contrastes de temperatura 
As cores nos passam sensações de frio e quente, por isso a classificamos assim: 
• Cores quentes: amarelo, vermelho e laranja. 
• Cores frias: azul, verde e roxo. 
Concluímos que uma imagem será quente ou fria de acordo com a cor primária ou 
secundária predominante. 
Tipos cromáticos 
Para a micropigmentação a temperatura das cores é fundamental, pois o tom de 
pele também é classificado de acordo com a temperatura das cores de sua tez, dos 
cabelos e dos olhos. 
A pele tem uma tonalidade de base, que é azulada (fria) ou dourada (quente), e 
uma intensidade que vai do claro ao escuro. 
As cores frias são azuladas que harmonizam com o vermelho. 
As cores quentes são douradas que harmonizam com o laranja. 
A partir dos tipos cromáticos, a classificação das cores da pele, cabelos e olhos 
foram divididos por “estações”: primavera, verão, outono e inverno. Esta classificação é 
aplicada para peles claras, as peles negras, por serem de maior diversidade de tons 
recebem outra classificação: nilo, blues e saara para as frias e calipso, jazz e spike para 
as quentes. 
Convém lembrar que para o Brasil, estas classificações podem sofrer variações, 
devido a mistura racial existente no país. 
Classificação dos tipos cromáticos e as cores de pigmentos utilizadas: 
1- Peles claras: 
• Primavera: esta categoria pertence as cores quentes, e a tonalidade básica é um 
dourado-amarelado. Esta é uma característica de ingleses, franceses, italianos e 
portugueses. O pigmento castanho claro é ideal para sobrancelhas, castanho 
escuro para os olhos (devido a alta concentração de azul no pigmento preto, ele 
não é indicado para peles muito claras) e vermelho-alaranjado para os lábios. 
• Outono: este tipo de pele também é quente, com predominância do vermelho. O 
irlandês ruivo tem esta característica. O pigmento avelã com castanho claro para 
sobrancelhas, castanho escuro para os olhos e vermelho-alaranjado para os 
lábios. 
• Verão: as cores deste tipo são frias, caracterizadas pelo rosa, são pessoas muito 
loiras dos países nórdicos e Europa. O pigmento castanho claro é indicado para 
sobrancelhas, castanho escuro para os olhos e vermelho e natural para os lábios.
• Inverno: as cores deste tipo são frias das categorias doa azuladas, são os 
orientais e árabes. O pigmento castanho médio para sobrancelhas, preto para os 
olhos e cerâmica para os lábios. 
2- Peles negras: 
As peles negras são de uma variedade muito grande. Vão desde as mais claras, 
que são acinzentadas, passando por claras amareladas, mais escuras 
avermelhadas, até o muito escuro, que é azulado. Portanto, também são 
classificados em tipos frios e quentes. 
• Nilo: Este tipo de pele é clara amarelada e fria. O pigmento castanho médio para 
sobrancelhas, preto para os olhos e cerâmica para os lábios. 
• Blues: Este tipo de pele é acinzentado, o mais escuro das peles negras, também 
classificada como fria. O pigmento castanho avermelhado + castanho escuro 
para sobrancelhas, azul reflexo para os olhos (pelo seu brilho) e magenta ou 
violeta para os lábios. 
• Saara: tipo de pele clara e amarelada, e quente . O pigmento castanho médio 
para sobrancelhas, preto para os olhos e vermelho-rubi ou cerâmica para os 
lábios. 
• Calipso: é uma pele de tom médio, com características quentes e frias, por isso 
combina com quase todas as cores. Devido a presença do amarelado o ideal é o 
pigmento castanho médio para sobrancelhas, preto para os olhos e tons marrons 
a vermelhos para os lábios. 
• Jazz: Este é um tipo de pele escura do tipo fria, porém não tanto quanto a do 
tipo blues. O pigmento castanho avermelhado para sobrancelhas, preto para os 
olhos e bordô para os lábios. 
• Spike: trata-se de uma pele de tom médio, mas quente e avermelhada. No Brasil 
chamamos de jambo. O pigmento castanho médio + castanho avermelhado para 
sobrancelhas, preto para os olhos e bordô para os lábios. 
Para se descobrir o tom de pele, além da prática de trabalho de aplicação de 
pigmentos, uma regra nos auxilia: 
 Peles frias combinam com o branco, enquanto peles quentes combinam 
com o bege. 
Abaixo segue uma tabela de cores de pigmentos utilizados para 
micropigmentação, e sua combinação com as peles quentes e frias. 
Cores para pele quente: 
• castanho-escuro 
• castanho-médio
• castanho-claro 
• vermelho 
• vermelho-rubi 
• natural 
• bege 
• amarelo 
• verde oliva 
• azul púrpura 
Cores para pele fria: 
• castanho avermelhado 
• avelã 
• bordô 
• cerâmica 
• natural 
• branco 
• verde 
• azul 
• azul reflexo 
Cores utilizadas para pele negra: 
• sobrancelhas e pele: castanho avermelhado + castanho escuro se necessário 
escurecer 
• olhos: azul reflexo, pois contém mais brilho e ressalta sobre o azul da melanina. 
• lábios: tons arroxeados – magenta, violeta e bordô. 
É bom lembrar que esta tabela são as cores indicadas para as peles frias e 
quentes, e nem sempre classificamos o tom corretamente, devido a mistura racial 
presente em nosso país, algumas vezes nossos olhos não conseguem enxergar a 
melanina predominante. 
Conhecer a classificação dos tipos cromáticos nos auxilia muito na escolha do 
pigmento a ser aplicado, assim como lembrar que a melanina que da cor a pele, 
olhos e cabelos também tem predominância das cores primárias e secundárias, 
ficando mais fácil de ser reconhecer seu tipo cromático. 
Em um próximo encontro iremos explicar o que resulta quando colocamos 
pigmentos inadequados na pele e como podemos corrigir. Até lá. 
Av. Paes de Barros, 3237 • Mooca • São Paulo • SP • Tel.: (11) 6161-7763 
www.magestetica.com.br • magestetica@magestetica.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apostila de tratamento
Apostila de tratamento Apostila de tratamento
Apostila de tratamento
MMADADRIANA
 
Apresentação congresso de tricologia goiania
Apresentação congresso de tricologia goianiaApresentação congresso de tricologia goiania
Apresentação congresso de tricologia goiania
francinewelch13
 
TRICOLOGIA FICHA DE ANAMNESE
TRICOLOGIA FICHA DE ANAMNESETRICOLOGIA FICHA DE ANAMNESE
TRICOLOGIA FICHA DE ANAMNESE
Silvio Araújo
 
COLORIMETRIA CAPILAR
COLORIMETRIA  CAPILARCOLORIMETRIA  CAPILAR
COLORIMETRIA CAPILAR
jaop19
 
Cabelo fina ll
Cabelo fina llCabelo fina ll
Cabelo fina ll
releanor
 

Mais procurados (20)

Apostila de tratamento
Apostila de tratamento Apostila de tratamento
Apostila de tratamento
 
Curso de auto maquiagem
Curso de auto maquiagemCurso de auto maquiagem
Curso de auto maquiagem
 
Apresentação congresso de tricologia goiania
Apresentação congresso de tricologia goianiaApresentação congresso de tricologia goiania
Apresentação congresso de tricologia goiania
 
TRICOLOGIA FICHA DE ANAMNESE
TRICOLOGIA FICHA DE ANAMNESETRICOLOGIA FICHA DE ANAMNESE
TRICOLOGIA FICHA DE ANAMNESE
 
COLORIMETRIA CAPILAR
COLORIMETRIA  CAPILARCOLORIMETRIA  CAPILAR
COLORIMETRIA CAPILAR
 
Atlas Do Cabelo
Atlas Do  CabeloAtlas Do  Cabelo
Atlas Do Cabelo
 
A estrutura-capilar-05.04.17 (1)
A estrutura-capilar-05.04.17 (1)A estrutura-capilar-05.04.17 (1)
A estrutura-capilar-05.04.17 (1)
 
Tricologia
TricologiaTricologia
Tricologia
 
Curso de Limpeza de Pele.pptx
Curso de Limpeza de Pele.pptxCurso de Limpeza de Pele.pptx
Curso de Limpeza de Pele.pptx
 
Curso de auto maquiagem
Curso de auto  maquiagemCurso de auto  maquiagem
Curso de auto maquiagem
 
Cabelo fina ll
Cabelo fina llCabelo fina ll
Cabelo fina ll
 
Peeling Básico Instituto Keynes
Peeling Básico Instituto KeynesPeeling Básico Instituto Keynes
Peeling Básico Instituto Keynes
 
Auto maquiagem
Auto maquiagemAuto maquiagem
Auto maquiagem
 
3 hipercromias
3 hipercromias3 hipercromias
3 hipercromias
 
Aclys Curso Gratuito de Maquillaje
Aclys Curso Gratuito de MaquillajeAclys Curso Gratuito de Maquillaje
Aclys Curso Gratuito de Maquillaje
 
DEPILAÇÃO A LASER - PUC.pptx
DEPILAÇÃO A LASER - PUC.pptxDEPILAÇÃO A LASER - PUC.pptx
DEPILAÇÃO A LASER - PUC.pptx
 
E-Book auto maquiagem
E-Book auto maquiagem E-Book auto maquiagem
E-Book auto maquiagem
 
Focus Colore
Focus ColoreFocus Colore
Focus Colore
 
Visagismo
VisagismoVisagismo
Visagismo
 
Slide _ Curso micro_ Caroline.pptx
Slide _ Curso micro_ Caroline.pptxSlide _ Curso micro_ Caroline.pptx
Slide _ Curso micro_ Caroline.pptx
 

Destaque

Artigo micropigmentação
Artigo micropigmentaçãoArtigo micropigmentação
Artigo micropigmentação
Roberta Soares
 

Destaque (20)

Para que a técnica de micropigmentação seja bem aplicada é de extrema importâ...
Para que a técnica de micropigmentação seja bem aplicada é de extrema importâ...Para que a técnica de micropigmentação seja bem aplicada é de extrema importâ...
Para que a técnica de micropigmentação seja bem aplicada é de extrema importâ...
 
Micropigmentação 1
Micropigmentação 1Micropigmentação 1
Micropigmentação 1
 
Odesenho micropigmentaçao, estética, sobrancelha
Odesenho micropigmentaçao, estética, sobrancelhaOdesenho micropigmentaçao, estética, sobrancelha
Odesenho micropigmentaçao, estética, sobrancelha
 
Curso de design de sobrancelha - Guilherme Foes
Curso de design de sobrancelha - Guilherme FoesCurso de design de sobrancelha - Guilherme Foes
Curso de design de sobrancelha - Guilherme Foes
 
Colorimetria
Colorimetria Colorimetria
Colorimetria
 
Apostila básica de extensão de cílios Marysol Almeida
Apostila  básica de extensão de cílios Marysol AlmeidaApostila  básica de extensão de cílios Marysol Almeida
Apostila básica de extensão de cílios Marysol Almeida
 
Colorimetría fundamentos del color
Colorimetría fundamentos del colorColorimetría fundamentos del color
Colorimetría fundamentos del color
 
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01 (1)
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01 (1)Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01 (1)
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01 (1)
 
Artigo micropigmentação
Artigo micropigmentaçãoArtigo micropigmentação
Artigo micropigmentação
 
Curso design de sobrancelhas 3
Curso design de sobrancelhas 3Curso design de sobrancelhas 3
Curso design de sobrancelhas 3
 
Sobrancelhas sob medida
Sobrancelhas sob medidaSobrancelhas sob medida
Sobrancelhas sob medida
 
Apresentação curso de micropigmentação de estrias
Apresentação curso de micropigmentação de estriasApresentação curso de micropigmentação de estrias
Apresentação curso de micropigmentação de estrias
 
apostila alongamento de cilios
apostila alongamento de ciliosapostila alongamento de cilios
apostila alongamento de cilios
 
Apostila depilação
Apostila depilaçãoApostila depilação
Apostila depilação
 
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02
 
Curso design de sobrancelhas 5
Curso design de sobrancelhas 5Curso design de sobrancelhas 5
Curso design de sobrancelhas 5
 
ColorimetríA
ColorimetríAColorimetríA
ColorimetríA
 
Modulo lançamento 2016
Modulo lançamento 2016Modulo lançamento 2016
Modulo lançamento 2016
 
Curso design de sobrancelhas 9
Curso design de sobrancelhas 9Curso design de sobrancelhas 9
Curso design de sobrancelhas 9
 
Documento de apoyo de colorimetria
Documento de apoyo de colorimetriaDocumento de apoyo de colorimetria
Documento de apoyo de colorimetria
 

Semelhante a Colorimetria

Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01
Jackeline Guimaraes
 
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01 (1)
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01 (1)Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01 (1)
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01 (1)
Jackeline Guimaraes
 
Micropigmentaoii 130307003505-phpapp02
Micropigmentaoii 130307003505-phpapp02Micropigmentaoii 130307003505-phpapp02
Micropigmentaoii 130307003505-phpapp02
Estétika Equipamentos
 
Cores, Peles E EstaçõEs
Cores, Peles E EstaçõEsCores, Peles E EstaçõEs
Cores, Peles E EstaçõEs
karolstahr
 
Aula básica sobre as cores
Aula básica sobre as coresAula básica sobre as cores
Aula básica sobre as cores
Céu Barros
 
Cores. Teoria e aplicações.
Cores. Teoria e aplicações.Cores. Teoria e aplicações.
Cores. Teoria e aplicações.
Wunderman
 
Cores estudo das cores
Cores    estudo das coresCores    estudo das cores
Cores estudo das cores
assis3012
 

Semelhante a Colorimetria (20)

Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01
 
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01
 
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01 (1)
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01 (1)Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01 (1)
Apostilascomplementares micropigmentao-130307010707-phpapp01 (1)
 
Micropigmentaoii 130307003505-phpapp02
Micropigmentaoii 130307003505-phpapp02Micropigmentaoii 130307003505-phpapp02
Micropigmentaoii 130307003505-phpapp02
 
Micropigmenta
MicropigmentaMicropigmenta
Micropigmenta
 
Cores, Peles E EstaçõEs
Cores, Peles E EstaçõEsCores, Peles E EstaçõEs
Cores, Peles E EstaçõEs
 
Entenda Como Funciona A Colorimetria Dos Cabelos
Entenda Como Funciona A Colorimetria Dos Cabelos Entenda Como Funciona A Colorimetria Dos Cabelos
Entenda Como Funciona A Colorimetria Dos Cabelos
 
CORES
CORESCORES
CORES
 
Estudo das cores
Estudo das coresEstudo das cores
Estudo das cores
 
A Cor
A CorA Cor
A Cor
 
Cor pigmento
Cor pigmentoCor pigmento
Cor pigmento
 
Módulo 6 - Comunicação Gráfica e Design
Módulo 6 - Comunicação Gráfica e DesignMódulo 6 - Comunicação Gráfica e Design
Módulo 6 - Comunicação Gráfica e Design
 
CóPia De Cor
CóPia De CorCóPia De Cor
CóPia De Cor
 
A Cor Power Point
 A Cor Power Point A Cor Power Point
A Cor Power Point
 
Cor
CorCor
Cor
 
Aula básica sobre as cores
Aula básica sobre as coresAula básica sobre as cores
Aula básica sobre as cores
 
Pós - Elementos basicos da comunicação - Estudo das cores.pptx
Pós - Elementos basicos da comunicação - Estudo das cores.pptxPós - Elementos basicos da comunicação - Estudo das cores.pptx
Pós - Elementos basicos da comunicação - Estudo das cores.pptx
 
Cores. Teoria e aplicações.
Cores. Teoria e aplicações.Cores. Teoria e aplicações.
Cores. Teoria e aplicações.
 
Cores estudo das cores
Cores    estudo das coresCores    estudo das cores
Cores estudo das cores
 
Cores estudo das cores
Cores    estudo das coresCores    estudo das cores
Cores estudo das cores
 

Mais de Jackeline Guimaraes

Eletroterapia 100313134700-phpapp01
Eletroterapia 100313134700-phpapp01Eletroterapia 100313134700-phpapp01
Eletroterapia 100313134700-phpapp01
Jackeline Guimaraes
 
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02 (1)
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02 (1)Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02 (1)
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02 (1)
Jackeline Guimaraes
 
Aeletroterapiaaplicadanaestticafacial 120526114057-phpapp02
Aeletroterapiaaplicadanaestticafacial 120526114057-phpapp02Aeletroterapiaaplicadanaestticafacial 120526114057-phpapp02
Aeletroterapiaaplicadanaestticafacial 120526114057-phpapp02
Jackeline Guimaraes
 
25p formatodassobrancelhas-131113062158-phpapp02
25p formatodassobrancelhas-131113062158-phpapp0225p formatodassobrancelhas-131113062158-phpapp02
25p formatodassobrancelhas-131113062158-phpapp02
Jackeline Guimaraes
 

Mais de Jackeline Guimaraes (20)

micropigmentaçao, estética, sobrancelha77
micropigmentaçao, estética, sobrancelha77micropigmentaçao, estética, sobrancelha77
micropigmentaçao, estética, sobrancelha77
 
Odesenhodorosto
OdesenhodorostoOdesenhodorosto
Odesenhodorosto
 
Micropigmentaoi 130307002717-phpapp02
Micropigmentaoi 130307002717-phpapp02Micropigmentaoi 130307002717-phpapp02
Micropigmentaoi 130307002717-phpapp02
 
Micropigmentao 140102133120-phpapp02
Micropigmentao 140102133120-phpapp02Micropigmentao 140102133120-phpapp02
Micropigmentao 140102133120-phpapp02
 
Lbumdefotografiasdemicropigmentaoparae mailsmdicosmaio2013-3aopomelhopratar-1...
Lbumdefotografiasdemicropigmentaoparae mailsmdicosmaio2013-3aopomelhopratar-1...Lbumdefotografiasdemicropigmentaoparae mailsmdicosmaio2013-3aopomelhopratar-1...
Lbumdefotografiasdemicropigmentaoparae mailsmdicosmaio2013-3aopomelhopratar-1...
 
Lbumdefotografiasdemicropigmentaoparae mailsmdicosmaio2013-3aopomelhopratar-1...
Lbumdefotografiasdemicropigmentaoparae mailsmdicosmaio2013-3aopomelhopratar-1...Lbumdefotografiasdemicropigmentaoparae mailsmdicosmaio2013-3aopomelhopratar-1...
Lbumdefotografiasdemicropigmentaoparae mailsmdicosmaio2013-3aopomelhopratar-1...
 
Fernanda pagani de souza schutz e mirella salvador
Fernanda pagani de souza schutz e mirella salvadorFernanda pagani de souza schutz e mirella salvador
Fernanda pagani de souza schutz e mirella salvador
 
Design
DesignDesign
Design
 
Desenhodeestruturadorosto 110201131131-phpapp02
Desenhodeestruturadorosto 110201131131-phpapp02Desenhodeestruturadorosto 110201131131-phpapp02
Desenhodeestruturadorosto 110201131131-phpapp02
 
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02 (1)
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02 (1)Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02 (1)
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02 (1)
 
25p formatodassobrancelhas-131113062158-phpapp02
25p formatodassobrancelhas-131113062158-phpapp0225p formatodassobrancelhas-131113062158-phpapp02
25p formatodassobrancelhas-131113062158-phpapp02
 
Eletroterapia 100313134700-phpapp01
Eletroterapia 100313134700-phpapp01Eletroterapia 100313134700-phpapp01
Eletroterapia 100313134700-phpapp01
 
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02 (1)
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02 (1)Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02 (1)
Apresentaosobrancelhasdellicata 120416091104-phpapp02 (1)
 
Aeletroterapiaaplicadanaestticafacial 120526114057-phpapp02
Aeletroterapiaaplicadanaestticafacial 120526114057-phpapp02Aeletroterapiaaplicadanaestticafacial 120526114057-phpapp02
Aeletroterapiaaplicadanaestticafacial 120526114057-phpapp02
 
25p formatodassobrancelhas-131113062158-phpapp02
25p formatodassobrancelhas-131113062158-phpapp0225p formatodassobrancelhas-131113062158-phpapp02
25p formatodassobrancelhas-131113062158-phpapp02
 
Sopa verde seca couve mandioquinha
Sopa verde seca  couve mandioquinhaSopa verde seca  couve mandioquinha
Sopa verde seca couve mandioquinha
 
Sopa do vigilantes
Sopa do vigilantesSopa do vigilantes
Sopa do vigilantes
 
Sopa detox
Sopa detoxSopa detox
Sopa detox
 
Sopa de agrião que seca
Sopa de agrião que secaSopa de agrião que seca
Sopa de agrião que seca
 
Sopa de repolho deliciosa
Sopa de repolho deliciosaSopa de repolho deliciosa
Sopa de repolho deliciosa
 

Último

Relação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdf
Relação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdfRelação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdf
Relação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdf
AdivaldoSantosRibeir
 
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
wilkaccb
 

Último (10)

Relação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdf
Relação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdfRelação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdf
Relação de Medicos Edital 13 - Coparticipação (1).pdf
 
Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso AutonomoFarmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
Farmacologia do Sistema Nervoso Autonomo
 
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptxAULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
AULA 07 - PROTOZOARIO E PRINCIPAIS DOENÇAS.pptx
 
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
Rowe_etal_2024Evidence for planning and motor subtypes of stuttering based on...
 
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
CARL ROGERS E A ACPNascido em 1902, em Oak Park, Illinois, subúrbio de Chicag...
 
aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptx
aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptxaula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptx
aula sobre HELMINTOS E DOENÇAS CAUSADAS.pptx
 
Anticonvulsivante / Hipnoanalgésicos.pdf
Anticonvulsivante / Hipnoanalgésicos.pdfAnticonvulsivante / Hipnoanalgésicos.pdf
Anticonvulsivante / Hipnoanalgésicos.pdf
 
Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01Protocolo Zero Rugas - formato digital01
Protocolo Zero Rugas - formato digital01
 
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismoEscala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
Escala-CARS-1.pdf teste para crianças com autismo
 
Manual de Higienização Hospitalar, limpeza.pdf
Manual de Higienização Hospitalar, limpeza.pdfManual de Higienização Hospitalar, limpeza.pdf
Manual de Higienização Hospitalar, limpeza.pdf
 

Colorimetria

  • 1. Micropigmentação: Colorimetria Aplicada a Pigmentos Para que a técnica de micropigmentação seja bem aplicada é de extrema importância o conhecimento da cor e sua utilização a cada tipo de pele, o que iremos estudar a seguir é a teoria da cor e suas aplicações nos variados tons de peles. A cor é um dos elementos mais importantes da imagem. Na micropigmentação trabalhamos principalmente com a imagem facial, portanto é essencial saber como a cor funciona e como usá-la para conseguir seus diversos efeitos. É preciso lembrar que a pele já é pigmentada pela melanina, então é necessário saber como as cores do pigmento reagem com a cor da pele, e como isto será transmitido. Primeiramente iremos a um estudo básico da cor e como ela é percebida, sua teoria e reação dos pigmentos. Luz e cor A luz branca é composta por ondas que vibram em diversas freqüências. Cada freqüência corresponde a uma das cores do arco-íris, que é obtido através de um cálculo de divisão entre a velocidade da luz pelo comprimento dela. O olho humano consegue apenas visualizar um pequeno aspectro de cor que vai do violeta, passando pelo verde até o vermelho. A ausência de luz é o preto, portanto não vemos cor e sim a sensação de cor registrada pelo nosso cérebro.
  • 2. Percepção de cor Quando uma luz incide sobre um objeto, o ilumina resultando em sua visualização, somente as ondas que correspondem a cor do objeto são refletidas. As outras são absorvidas numa reação química. Segundo a teoria tricromática o olho humano capta as ondas de luz vermelha, laranja, amarela, verde, azul e violeta em três categorias de fibrilas nervosas na retina do olho. A 1ª fibrila capta a luz vermelha, a 2ª fibrila capta a luz verde e a 3ª fibrila capta a luz violeta. A luz refletida estimula as fibrilas de maneira que temos a sensação de cor do objeto. Cor energia e cor pigmento É de importância saber diferenciar cor de pigmento. Cor energia são as cores obtidas pelo padrão RGB (red-green-blue - vermelho-verde –azul), pois não há pigmento nem matéria, já pigmento é o material químico que tinge uma superfície. Mistura de pigmentos Segundo a teoria das cores, quando misturamos as cores primárias, novas cores são obtidas. Porém convém lembrar que o resultado da mistura, irá depender da qualidade do pigmento, do material químico utilizado (pureza da cor) e do processo de aplicação. Quando um desses fatores interfere na mistura, o resultado da cor é comprometido. Classificação dos pigmentos
  • 3. Os pigmentos são classificados em: 1- Acromáticos: branco, preto e cinza - não contém cor. 2- Cromáticos: contém cor e são classificados em três categorias: a) Primários: são os pigmentos puros, todas as outras cores são obtidas através de sua mistura. As cores primárias são azul – amarelo – vermelho, para se obter a cor preta, é necessário que se misturem as três cores, assim originando um preto cromático. b) Secundários: é a mistura de dois pigmentos primários puros ( saturados) Amarelo + vermelho = laranja. Vermelho + azul = roxo. Azul + amarelo = verde. Cor complementar Na cor o todo é compreendido pelas cores primárias. O complemento é aquele que falta para completar o todo. Como duas cores primárias formam uma secundária, então a cor complemento é a cor primária ausente na mistura. c) Terciárias: são obtidas pela mistura de pigmentos das cores complementares ou dois pigmentos secundários. Marrons Para a micropigmentação as marrons são as mais utilizadas, uma vez que todo tom de pele é marrom. Há uma variedade de marrons que vai dos tons quentes ou frios e claros e escuros. O bege é uma variação de marrom que é obtido pela mistura de amarelo, roxo e branco, considerado um pigmento frio. Contrastes de tons - intensidade Tons claros contrastam com tons escuros e vice-versa. São eles: • Tons claros: amarelo, laranja e verde-amarelado. • Tons escuros: vermelho, roxo, azul e verde.
  • 4. Contrastes de temperatura As cores nos passam sensações de frio e quente, por isso a classificamos assim: • Cores quentes: amarelo, vermelho e laranja. • Cores frias: azul, verde e roxo. Concluímos que uma imagem será quente ou fria de acordo com a cor primária ou secundária predominante. Tipos cromáticos Para a micropigmentação a temperatura das cores é fundamental, pois o tom de pele também é classificado de acordo com a temperatura das cores de sua tez, dos cabelos e dos olhos. A pele tem uma tonalidade de base, que é azulada (fria) ou dourada (quente), e uma intensidade que vai do claro ao escuro. As cores frias são azuladas que harmonizam com o vermelho. As cores quentes são douradas que harmonizam com o laranja. A partir dos tipos cromáticos, a classificação das cores da pele, cabelos e olhos foram divididos por “estações”: primavera, verão, outono e inverno. Esta classificação é aplicada para peles claras, as peles negras, por serem de maior diversidade de tons recebem outra classificação: nilo, blues e saara para as frias e calipso, jazz e spike para as quentes. Convém lembrar que para o Brasil, estas classificações podem sofrer variações, devido a mistura racial existente no país. Classificação dos tipos cromáticos e as cores de pigmentos utilizadas: 1- Peles claras: • Primavera: esta categoria pertence as cores quentes, e a tonalidade básica é um dourado-amarelado. Esta é uma característica de ingleses, franceses, italianos e portugueses. O pigmento castanho claro é ideal para sobrancelhas, castanho escuro para os olhos (devido a alta concentração de azul no pigmento preto, ele não é indicado para peles muito claras) e vermelho-alaranjado para os lábios. • Outono: este tipo de pele também é quente, com predominância do vermelho. O irlandês ruivo tem esta característica. O pigmento avelã com castanho claro para sobrancelhas, castanho escuro para os olhos e vermelho-alaranjado para os lábios. • Verão: as cores deste tipo são frias, caracterizadas pelo rosa, são pessoas muito loiras dos países nórdicos e Europa. O pigmento castanho claro é indicado para sobrancelhas, castanho escuro para os olhos e vermelho e natural para os lábios.
  • 5. • Inverno: as cores deste tipo são frias das categorias doa azuladas, são os orientais e árabes. O pigmento castanho médio para sobrancelhas, preto para os olhos e cerâmica para os lábios. 2- Peles negras: As peles negras são de uma variedade muito grande. Vão desde as mais claras, que são acinzentadas, passando por claras amareladas, mais escuras avermelhadas, até o muito escuro, que é azulado. Portanto, também são classificados em tipos frios e quentes. • Nilo: Este tipo de pele é clara amarelada e fria. O pigmento castanho médio para sobrancelhas, preto para os olhos e cerâmica para os lábios. • Blues: Este tipo de pele é acinzentado, o mais escuro das peles negras, também classificada como fria. O pigmento castanho avermelhado + castanho escuro para sobrancelhas, azul reflexo para os olhos (pelo seu brilho) e magenta ou violeta para os lábios. • Saara: tipo de pele clara e amarelada, e quente . O pigmento castanho médio para sobrancelhas, preto para os olhos e vermelho-rubi ou cerâmica para os lábios. • Calipso: é uma pele de tom médio, com características quentes e frias, por isso combina com quase todas as cores. Devido a presença do amarelado o ideal é o pigmento castanho médio para sobrancelhas, preto para os olhos e tons marrons a vermelhos para os lábios. • Jazz: Este é um tipo de pele escura do tipo fria, porém não tanto quanto a do tipo blues. O pigmento castanho avermelhado para sobrancelhas, preto para os olhos e bordô para os lábios. • Spike: trata-se de uma pele de tom médio, mas quente e avermelhada. No Brasil chamamos de jambo. O pigmento castanho médio + castanho avermelhado para sobrancelhas, preto para os olhos e bordô para os lábios. Para se descobrir o tom de pele, além da prática de trabalho de aplicação de pigmentos, uma regra nos auxilia:  Peles frias combinam com o branco, enquanto peles quentes combinam com o bege. Abaixo segue uma tabela de cores de pigmentos utilizados para micropigmentação, e sua combinação com as peles quentes e frias. Cores para pele quente: • castanho-escuro • castanho-médio
  • 6. • castanho-claro • vermelho • vermelho-rubi • natural • bege • amarelo • verde oliva • azul púrpura Cores para pele fria: • castanho avermelhado • avelã • bordô • cerâmica • natural • branco • verde • azul • azul reflexo Cores utilizadas para pele negra: • sobrancelhas e pele: castanho avermelhado + castanho escuro se necessário escurecer • olhos: azul reflexo, pois contém mais brilho e ressalta sobre o azul da melanina. • lábios: tons arroxeados – magenta, violeta e bordô. É bom lembrar que esta tabela são as cores indicadas para as peles frias e quentes, e nem sempre classificamos o tom corretamente, devido a mistura racial presente em nosso país, algumas vezes nossos olhos não conseguem enxergar a melanina predominante. Conhecer a classificação dos tipos cromáticos nos auxilia muito na escolha do pigmento a ser aplicado, assim como lembrar que a melanina que da cor a pele, olhos e cabelos também tem predominância das cores primárias e secundárias, ficando mais fácil de ser reconhecer seu tipo cromático. Em um próximo encontro iremos explicar o que resulta quando colocamos pigmentos inadequados na pele e como podemos corrigir. Até lá. Av. Paes de Barros, 3237 • Mooca • São Paulo • SP • Tel.: (11) 6161-7763 www.magestetica.com.br • magestetica@magestetica.com.br