SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 7
Baixar para ler offline
Na estrutura dos tecidos, cada célula é
apenas uma individualidade. Mas o que importa
mesmo é o todo. É uma lei da Natureza. O
próprio indivíduo só subsiste não em função da
sua individualidade, mas em decorrência do
todo.
Os Tecidos
Tecidos são grupos de células
especializadas, separadas ou não por líquidos e
substâncias intercelulares, provenientes de
células embrionárias que sofreram
diferenciação, distinguindo-se cada grupo por
sua estrutura e pelas funções específicas que
desempenha.
Os tecidos animais podem ser
agrupados em quatro categorias:
I. Epitelial
II. Conjuntivo
III. Muscular
IV. Nervoso
I – Epitelial: É um tecido de revestimento não
apenas externo, pois reveste também órgãos
internos e quanto ao seu aspecto funcional
também pode ser glandular. Pode ser
originado a partir dos três folhetos
embrionários (endoderme, mesoderme e
ectoderme).
Ectodérmica – origina o tecido epitelial
que reveste externamente o corpo
Mesodérmica – origina o epitélio
que reveste os vasos sanguíneos (endotélio) e
também o epitélio de revestimento de
membranas que envolvem órgãos internos
(pleura, peritônio e pericárdio)
Endodérmica – origina o epitélio da
parede do tubo digestivo e as glândulas ligadas
a ele.
Classificação dos tecidos Epiteliais
O tecido epitelial é classificado de acordo
com a função que é desempenhada, ou seja,
revestimento da superfície externa e interna do
organismo e pela produção de secreções. Eles
podem ser:
• Tecido Epitelial de revestimento
• Tecido Epitelial Glandular
Principais características do tecido
epitelial
Apresenta células justapostas;
Pouco material intercelular;
Não apresenta vascularização (sua
nutrição depende do tecido conjuntivo).
Tecido Epitelial de Revestimento
É responsável pelo revestimento do
organismo. É dividido de acordo com o número
e formas das células que possui,
respectivamente encontramos os epitélios:
simples, estratificado e pseudo-estratificado.
Tipos de Epitélio de Revestimento
Classificação Características
Pavimentoso
Células achatadas
Cúbico
Células Cúbicas
Prismático
Células prismáticas
Formasdacélula
Endotélio
Células de forma
variável
Simples
Uma única camada
celular
Estratificado
Mais de uma camada
celular
Pseudoestratificado
Uma única camada
celular com células de
diferentes alturas
Númerodecamadas
Transição (misto)
Poucas camadas com
células diferentes
HISTOLOGIA Prof. André Maia
A – Lâmina Basal
Todos os epitélios são assentados sobre o
tecido conjuntivo. Entre o tecido conjuntivo e as
células epiteliais existe uma lâmina, chamada
lâmina basal.
Membranas
O tecido epitelial, associado sempre ao
tecido conjuntivo pode formar membranas que
envolvem os órgãos.
Quando essas membranas revestem
cavidades fechadas são chamadas de serosas
e quando revestem cavidades que se
comunicam com o exterior são chamadas de
mucosas, como por exemplo a mucosa
gástrica, intestinal e a mucosa bucal.
As serosas são poucas e têm nomes
especiais:
Pleura – envolvendo os pulmões
Pericárdio – envolvendo o coração
Peritônio – envolvendo o estômago e os
intestinos
Tecido Epitelial Glandular
Certas células do nosso corpo são
capazes de produzir substâncias que serão
enviadas para outros locais. Elas podem ser
empregadas em outras partes do corpo, sendo
neste caso uma secreção, ou podem ser
eliminadas do organismo, tratando-se, então de
uma excreção. Quem possui essa função são
os epitélios glandulares que se originam a partir
de células que proliferam do epitélio de
revestimento.
Classificação das Glândulas
Quanto a Estrutura celular:
I.
Exócrina
II. III.
Endócrina Mista
Critério Classificação Características
Unicelular Uma célula secretora
Quantidade de célula
Pluricelular Muitas células secretoras
Merócrinas Sem perda de célula secretora
Apócrinas Perda parcial de célula secretoraProduto de secreção
Holócrinas Perda total de células secretoras
Serosas Secreção fluida
Mucosas Secreção viscosaNatureza da secreção
Seromucosas Secreção mista
Endócrina Secreções lançadas no sangue
Exócrinas Há um canal para a saída de secreçãoEstrutura da glândula
Mistas Possui uma região endócrina e outra exócrina
As figuras abaixo mostram os tipos de
glândulas quanto ao produto de secreção:
A.
B.
C.
• A Pele:
O tegumento humano, mais conhecido
como pele, é formado por duas camadas
distintas, firmemente unidas entre si: a
epiderme e a derme.
Epiderme
É um epitélio multiestratificado, formado
por várias camadas (estratos) de células
achatadas (epitélio pavimentoso) justapostas.
A camada de células mais interna, denominada
epitélio germinativo, é constituída por células
que se multiplicam continuamente; dessa
maneira, as novas células geradas empurram
as mais velhas para cima, em direção à
superfície do corpo.
À medida que envelhecem, as células
epidérmicas tornam-se achatadas, e passam a
fabricar e a acumular dentro de si uma proteína
resistente e impermeável, a queratina. As
células mais superficiais, ao se tornarem
repletas de queratina, morrem e passam a
constituir um revestimento resistente ao atrito e
altamente impermeável à água, denominado
camada queratinizada ou córnea
Na pele desprovida de pêlo e também na
que está coberta por ele, encontram-se ainda
três tipos de receptores comuns:
1) Corpúsculos de Paccini: captam
especialmente estímulos vibráteis e
táteis.São formados por uma fibra nervosa
cuja porção terminal, a mielínica, é envolta
por várias camadas que correspondem a
diversas células de sustentação. A camada
terminal é capaz de captar a aplicação de
pressão, que é transmitida para as outras
camadas e enviada aos centros nervosos
correspondentes.
2) Discos de Merkel: de sensibilidade
tátil e de pressão. Uma fibra aferente
costuma estar ramificada com vários discos
terminais destas ramificações nervosas.
Estes discos estão englobados em uma
célula especializada, cuja superfície distal se
fixa às células epidérmicas por um
prolongamento de seu protoplasma. Assim,
os movimentos de pressão e tração sobre
epiderme desencadeiam o estímulo.
3) Terminações nervosas livres:
sensíveis aos estímulos mecânicos, térmicos
e especialmente aos dolorosos. São
formadas por um axônio ramificado envolto
por células de Schwann sendo, por sua vez,
ambos envolvidos por uma membrana basal.
Na pele sem pêlo encontram-se, ainda,
outros receptores específicos:
4) Corpúsculos de Meissner: táteis.
Estão nas saliências da pele sem pêlos
(como nas partes mais altas das impressões
digitais). São formados por um axônio
mielínico, cujas ramificações terminais se
entrelaçam com células acessórias.
5) Bulbos terminais de Krause:
receptores térmicos de frio. São formados por
uma fibra nervosa cuja terminação possui
forma de clava.Situam-se nas regiões
limítrofes da pele com as membranas
mucosas (por exemplo: ao redor dos lábios e
dos genitais).
RECEPTORES DE SUPERFÍCIE SENSAÇÃO PERCEBIDA
Receptores de Krause Frio
Receptores de Ruffini Calor
Discos de Merkel Tato e pressão
Receptores de Vater-Pacini Pressão
Receptores de Meissner Tato
Terminações nervosas livres Principalmente dor
Nas camadas inferiores da epiderme
estão os melanócitos, células que produzem
melanina, pigmento que determina a
coloração da pele.
As glândulas anexas – sudoríparas e
sebáceas – encontram-se mergulhadas na
derme, embora tenham origem epidérmica. O
suor (composto de água, sais e um pouco de
uréia) é drenado pelo duto das glândulas
sudoríparas, enquanto a secreção sebácea
(secreção gordurosa que lubrifica a epiderme
e os pêlos) sai pelos poros de onde emergem
os pêlos.
A transpiração ou sudorese tem por
função refrescar o corpo quando há elevação
da temperatura ambiental ou quando a
temperatura interna do corpo sobe, devido,
por exemplo, ao aumento da atividade física.
Derme
A derme, localizada imediatamente sob
a epiderme, é um tecido conjuntivo que
contém fibras protéicas, vasos sangüíneos,
terminações nervosas, órgãos sensoriais e
glândulas. As principais células da derme são
os fibroblastos, responsáveis pela produção
de fibras e de uma substância gelatinosa, a
substância amorfa, na qual os elementos
dérmicos estão mergulhados.
A epiderme penetra na derme e origina
os folículos pilosos, glândulas sebáceas e
glândulas sudoríparas. Na derme
encontramos ainda: músculo eretor de pêlo,
fibras elásticas (elasticidade), fibras
colágenas (resistência), vasos sangúíneos e
nervos.
Tecido subcutâneo
Sob a pele, há uma camada de tecido
conjuntivo frouxo, o tecido subcutâneo, rico
em fibras e em células que armazenam
gordura (células adiposas ou adipócitos). A
camada subcutânea, denominada
hipoderme (tela subcutênea), atua como
reserva energética, proteção contra choques
mecânicos e isolante térmico.
Unhas e pêlos
Unhas e pêlos são constituídos por
células epidérmicas queratinizadas, mortas e
compactadas. Na base da unha ou do pêlo
há células que se multiplicam
constantemente, empurrando as células mais
velhas para cima. Estas, ao acumular
queratina, morrem e se compactam,
originando a unha ou o pêlo. Cada pêlo está
ligado a um pequeno músculo eretor, que
permite sua movimentação, e a uma ou mais
glândulas sebáceas, que se encarregam de
sua lubrificação.
II. Conjuntivo
É um tecido de preenchimento e
sustentação, rico em substância intercelular que
tem origem mesodérmica e como o próprio
nome já diz, ele pode estabelecer conexão entre
diferentes tecidos ou órgãos. Suas células
apresentam um acentuado polimorfismo,
possuindo formas e funções bastante variadas.
O tecido conjuntivo tem constituição
complexa, sendo formado por diferentes tipos de
células e fibras, mergulhadas em uma
substância intercelular (substância
fundamental amorfa).
Classificação do Tecido Conjuntivo
Conjuntivo Propriamente Dito (TCPD)
Denso e frouxo
Tecido Cartilaginoso
Tecido Ósseo
Tecido Sanguíneo
Tecido Adiposo
Tecido Conjuntivo Propriamente Dito
(TCPD)
É o tecido conjuntivo típico, de substância
fundamental mole, gelatinosa, com distribuição
geral pelo organismo. Ele representa os mais
diferentes aspectos e funções. É normalmente
encontrado em quase todos os órgãos,
formando membranas, tendões, envolvendo
ossos e músculos e preenchendo espaços entre
outros tecidos.
Componentes do TCPD
Características:
• Possui vários tipos celulares
• Abundância de matriz extracelular
• É vascularizado (com exceção do tecido
cartilaginoso).
Funções:
• Suporte corpóreo (exercida pelas
cartilagens, pelos ossos e pelo TC
propriamente dito);
• Pode fazer a nutrição de alguns órgãos,
como é o caso da Lâmina Basal, que faz
a nutrição do TE de revestimento.
• Tem função de preenchimento de
espaços, tanto entre órgãos como por
entre áreas lesada, que são
primeiramente recobertas por TC
propriamente dito.
• Ainda, auxilia na defesa do organismo,
por meio de suas células.
Composição
• Células
• Fibras
• Matriz extracelular (substância
intercelular amorfa)
Substância fundamental amorfa
A substância intercelular é homogênea,
amorfa, hialina e gelatinosa. É formada por
água, polissacarídeos e proteínas que funciona
como barreira de proteção patogênica, pois
dificulta a penetração de microorganismos.
Fibras
Existem três tipos de fibras nos tecidos
conjuntivos, todas de natureza protéica:
Fibras colágenas - são formadas
basicamente pela proteína colágeno, sendo
resistentes às trações, podendo se agrupar em
espessos feixes de cor branca.
São mais comuns do que as fibras
elásticas e reticulares.
Fibras elásticas - possuem uma proteína
chamada elastina e são mais delgadas do que
as colágenas. Sua principal função é dar
elasticidade aos locais em que está localizada.
São encontradas na cartilagem da
orelha, fígado e pulmão.
Fibras Reticulares - são as mais finas e
raras, recebem esse nome porque se
entrelaçam como se fosse um retículo (pequena
rede). Elas organizam uma trama de
sustentação das células de determinados
órgãos, como baço,fígados e rins.
Células
Sabemos que todas as células do tecido
conjuntivo originam-se de mesoderme
embrionária que, em grande parte, apresenta-se
como um tecido simples, chamado mesênquima.
As células mais comuns são:
Fibroblastos
São células comuns em
vários tecidos
conjuntivos. Elas são
alongadas com muitas
ramificações, com o
núcleo oval e longo.
Essas células
produzem as fibras do
tecido conjuntivo,
também são
chamadas de
fibrócitos quando
estão em repouso, ou
seja, sem atividade.
Macrófago
São grandes e
de contorno irregular.
Podem deslocar-se
por pseudópodes ou
permanecer fixos.
São células
fagocitárias, ricas
em lisossomos.
Está amplamente
distribuída pelo
corpo.
Mastócito
Ocorrem em grande
número,
especialmente junto
aos vasos
sanguíneos, são
grandes células.
Os
mastócitos
produzem
heparina
(anticoagulante)
e histamina
(liberada em
reações
alérgicas e
inflamatórias).
Plasmócitos
São pequenos
ovalados, têm retículo
rugoso muito
desenvolvido, núcleo
esférico excêntrico e a
cromatina tem um aspecto
típico, com faixas claras e
escuras alternadas,
geralmente lembrando os
raios de uma “roda de
carroça”.
Sua função é
a produção de
anticorpos
B – Tecido Conjuntivo Frouxo
É um tecido modelável, macio, que
normalmente preenche espaços entre feixes de
musculatura, funcionando como amortecedor
entre vários órgãos viscerais e ainda na derme.
Apresenta-se formado por todos os elementos
constituintes do tecido conjuntivo, sem haver
predomínio de um elemento sobre o outro.
C – Tecido Conjuntivo Denso não-modelado
É um tecido muito resistente a trações.
Esta variedade de tecido conjuntivo apresenta
predomínio de fibras colágenas em relação às
células.
Suas fibras estão distribuídas
desordenadamente. Ele ocorre na derme ou
formando cápsulas protetoras, externas, de
vários órgãos como rins, fígado, baço e
testículos.
D – Tecido Conjuntivo Denso modelado
É de constituição semelhante ao anterior,
também com predominância de grossos feixes
de fibras colágenas, mas organizadas numa
única direção, ou seja, suas fibras são
ordenadas.
É esse tecido que formam os tendões e
os ligamentos, espécies de cordões muito
resistentes no sentido de orientações dos feixes.
TECIDO ADIPOSO
Características:
• Originam-se de lipoblastos, que por sua
vez têm origem a partir de células
mesenquimatosas.
• Podem apresentar-se em grupos ou
isoladas, mas é certo de que não se
dividem.
• É o depósito de gorduras do corpo.
• As células adiposas podem ser de 2 tipos:
Uniloculares, que formam o tecido
adiposo unilocular, e possuem apenas uma gota
de gordura em seu citoplasma. Este tecido
predomina no indivíduo adulto.
Multiloculares formam o tecido adiposo
multilocular e possuem várias gotículas de
gordura. Este tecido predomina em recém
nascidos, protegendo-os contra o frio.
Funções:
• Termorregulação;
• Reserva energética;
• Preenchimento de espaços, como a
gordura perirenal;
• Proteção contra impactos, como os
coxins plantares;
• Modelação do corpo, como a
hipoderme. Este fenômeno é
controlado por hormônios sexuais e
adrenocorticóides.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Embriologia - Super Super Med
Embriologia - Super Super MedEmbriologia - Super Super Med
Embriologia - Super Super Med
 
Exercícios sobre membrana e transportes osmose animal e vegetal
Exercícios sobre membrana e transportes  osmose animal e vegetal Exercícios sobre membrana e transportes  osmose animal e vegetal
Exercícios sobre membrana e transportes osmose animal e vegetal
 
Histologia Geral
Histologia GeralHistologia Geral
Histologia Geral
 
Tecido conjuntivo
Tecido conjuntivoTecido conjuntivo
Tecido conjuntivo
 
Histologia humana
Histologia humanaHistologia humana
Histologia humana
 
Aula fisiologia vegetal
Aula fisiologia vegetalAula fisiologia vegetal
Aula fisiologia vegetal
 
Embriogenese
EmbriogeneseEmbriogenese
Embriogenese
 
Sucessão ecológica(1)
Sucessão ecológica(1)Sucessão ecológica(1)
Sucessão ecológica(1)
 
Aula 1º Ano Ensino Médio: Histologia animal/humana
Aula 1º Ano Ensino Médio: Histologia animal/humanaAula 1º Ano Ensino Médio: Histologia animal/humana
Aula 1º Ano Ensino Médio: Histologia animal/humana
 
Aula RESPIRAÇÃO CELULAR
Aula RESPIRAÇÃO CELULARAula RESPIRAÇÃO CELULAR
Aula RESPIRAÇÃO CELULAR
 
Meiose
MeioseMeiose
Meiose
 
Sangue
SangueSangue
Sangue
 
Xilema e floema
Xilema e floemaXilema e floema
Xilema e floema
 
Fisiologia comparada
Fisiologia comparadaFisiologia comparada
Fisiologia comparada
 
Sistema nervoso
Sistema nervoso Sistema nervoso
Sistema nervoso
 
mitose e meiose
mitose e meiosemitose e meiose
mitose e meiose
 
Composição Química do Ser Vivo
Composição Química do Ser VivoComposição Química do Ser Vivo
Composição Química do Ser Vivo
 
Retículo Endoplasmático
Retículo Endoplasmático Retículo Endoplasmático
Retículo Endoplasmático
 
Aula sobre histologia
Aula sobre   histologiaAula sobre   histologia
Aula sobre histologia
 
Tecido muscular e nervoso
Tecido muscular e nervosoTecido muscular e nervoso
Tecido muscular e nervoso
 

Semelhante a Tecidos e estrutura da pele

Biologia - Histologia Animal
Biologia - Histologia AnimalBiologia - Histologia Animal
Biologia - Histologia AnimalCarson Souza
 
Aula tecidos simplificado
Aula tecidos   simplificadoAula tecidos   simplificado
Aula tecidos simplificadoMyrian Reis
 
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02Marcia Moreira
 
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02Marcia Moreira
 
Apostila curso limpeza de pele e tratamento de acne - edduc
Apostila curso limpeza de pele e tratamento de acne - edducApostila curso limpeza de pele e tratamento de acne - edduc
Apostila curso limpeza de pele e tratamento de acne - edducedduc
 
Apostila tricologia
Apostila tricologiaApostila tricologia
Apostila tricologiaNorocha
 
A2 tecidos e niveis postar
A2 tecidos e niveis postarA2 tecidos e niveis postar
A2 tecidos e niveis postarSimone Costa
 
Pele - Dermatologia Geral -Lesões-Estética
Pele - Dermatologia Geral -Lesões-EstéticaPele - Dermatologia Geral -Lesões-Estética
Pele - Dermatologia Geral -Lesões-EstéticaBrunno Rosique
 
Lista de Histologia Animal
Lista de Histologia AnimalLista de Histologia Animal
Lista de Histologia Animalemanuel
 
Aula 4 Tecido conjuntivo, tecido adiposo e pele.pdf
Aula 4 Tecido conjuntivo, tecido adiposo e pele.pdfAula 4 Tecido conjuntivo, tecido adiposo e pele.pdf
Aula 4 Tecido conjuntivo, tecido adiposo e pele.pdfLeandroMoscardi2
 

Semelhante a Tecidos e estrutura da pele (20)

SISTEMA TEGUMENTAR.ppt
SISTEMA TEGUMENTAR.pptSISTEMA TEGUMENTAR.ppt
SISTEMA TEGUMENTAR.ppt
 
Sistema Tegumentar
Sistema TegumentarSistema Tegumentar
Sistema Tegumentar
 
Aula tecidos simplificado
Aula tecidos   simplificadoAula tecidos   simplificado
Aula tecidos simplificado
 
Biologia - Histologia Animal
Biologia - Histologia AnimalBiologia - Histologia Animal
Biologia - Histologia Animal
 
Aula tecidos simplificado
Aula tecidos   simplificadoAula tecidos   simplificado
Aula tecidos simplificado
 
A pele e seus anexos
A pele e seus anexosA pele e seus anexos
A pele e seus anexos
 
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02
 
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02
 
Apostila curso limpeza de pele e tratamento de acne - edduc
Apostila curso limpeza de pele e tratamento de acne - edducApostila curso limpeza de pele e tratamento de acne - edduc
Apostila curso limpeza de pele e tratamento de acne - edduc
 
Tecidos animais
Tecidos animais Tecidos animais
Tecidos animais
 
Resumo histologia 2
Resumo   histologia 2Resumo   histologia 2
Resumo histologia 2
 
Resumo histologia 2
Resumo   histologia 2Resumo   histologia 2
Resumo histologia 2
 
Apostila tricologia
Apostila tricologiaApostila tricologia
Apostila tricologia
 
A2 tecidos e niveis postar
A2 tecidos e niveis postarA2 tecidos e niveis postar
A2 tecidos e niveis postar
 
01 histologia humana i 2016
01 histologia humana i 201601 histologia humana i 2016
01 histologia humana i 2016
 
Pele - Dermatologia Geral -Lesões-Estética
Pele - Dermatologia Geral -Lesões-EstéticaPele - Dermatologia Geral -Lesões-Estética
Pele - Dermatologia Geral -Lesões-Estética
 
Lista de Histologia Animal
Lista de Histologia AnimalLista de Histologia Animal
Lista de Histologia Animal
 
Aula 4 Tecido conjuntivo, tecido adiposo e pele.pdf
Aula 4 Tecido conjuntivo, tecido adiposo e pele.pdfAula 4 Tecido conjuntivo, tecido adiposo e pele.pdf
Aula 4 Tecido conjuntivo, tecido adiposo e pele.pdf
 
Tecido epitelial 2o b
Tecido epitelial 2o bTecido epitelial 2o b
Tecido epitelial 2o b
 
Tecidos
TecidosTecidos
Tecidos
 

Mais de flaviolimaenfermeiro

Mais de flaviolimaenfermeiro (13)

Apostila contra-baixo
Apostila contra-baixoApostila contra-baixo
Apostila contra-baixo
 
Trabajo nutricao 11
Trabajo nutricao 11Trabajo nutricao 11
Trabajo nutricao 11
 
peritonitis secundaria-dx-y-tto
peritonitis secundaria-dx-y-ttoperitonitis secundaria-dx-y-tto
peritonitis secundaria-dx-y-tto
 
Politica de atencao_integral_a_saude_da_pessoa_idosa_no_sussp_2010
Politica de atencao_integral_a_saude_da_pessoa_idosa_no_sussp_2010Politica de atencao_integral_a_saude_da_pessoa_idosa_no_sussp_2010
Politica de atencao_integral_a_saude_da_pessoa_idosa_no_sussp_2010
 
Zevi, bruno (1976) saber ver la arquitectura
Zevi, bruno (1976) saber ver la arquitecturaZevi, bruno (1976) saber ver la arquitectura
Zevi, bruno (1976) saber ver la arquitectura
 
Chandias Mario - Introduccion A La Construccion De Edificios
Chandias Mario - Introduccion A La Construccion De EdificiosChandias Mario - Introduccion A La Construccion De Edificios
Chandias Mario - Introduccion A La Construccion De Edificios
 
Atlas histologia usp
Atlas histologia uspAtlas histologia usp
Atlas histologia usp
 
Ejercitario 4 revision
Ejercitario 4 revisionEjercitario 4 revision
Ejercitario 4 revision
 
Ejercitario 4 revision
Ejercitario 4 revisionEjercitario 4 revision
Ejercitario 4 revision
 
Tejidos muscular y nervioso
Tejidos muscular y nerviosoTejidos muscular y nervioso
Tejidos muscular y nervioso
 
Bacterioscopia
BacterioscopiaBacterioscopia
Bacterioscopia
 
Fisiologia renal
Fisiologia renalFisiologia renal
Fisiologia renal
 
Enfermagem - 9 certos
Enfermagem - 9 certosEnfermagem - 9 certos
Enfermagem - 9 certos
 

Tecidos e estrutura da pele

  • 1. Na estrutura dos tecidos, cada célula é apenas uma individualidade. Mas o que importa mesmo é o todo. É uma lei da Natureza. O próprio indivíduo só subsiste não em função da sua individualidade, mas em decorrência do todo. Os Tecidos Tecidos são grupos de células especializadas, separadas ou não por líquidos e substâncias intercelulares, provenientes de células embrionárias que sofreram diferenciação, distinguindo-se cada grupo por sua estrutura e pelas funções específicas que desempenha. Os tecidos animais podem ser agrupados em quatro categorias: I. Epitelial II. Conjuntivo III. Muscular IV. Nervoso I – Epitelial: É um tecido de revestimento não apenas externo, pois reveste também órgãos internos e quanto ao seu aspecto funcional também pode ser glandular. Pode ser originado a partir dos três folhetos embrionários (endoderme, mesoderme e ectoderme). Ectodérmica – origina o tecido epitelial que reveste externamente o corpo Mesodérmica – origina o epitélio que reveste os vasos sanguíneos (endotélio) e também o epitélio de revestimento de membranas que envolvem órgãos internos (pleura, peritônio e pericárdio) Endodérmica – origina o epitélio da parede do tubo digestivo e as glândulas ligadas a ele. Classificação dos tecidos Epiteliais O tecido epitelial é classificado de acordo com a função que é desempenhada, ou seja, revestimento da superfície externa e interna do organismo e pela produção de secreções. Eles podem ser: • Tecido Epitelial de revestimento • Tecido Epitelial Glandular Principais características do tecido epitelial Apresenta células justapostas; Pouco material intercelular; Não apresenta vascularização (sua nutrição depende do tecido conjuntivo). Tecido Epitelial de Revestimento É responsável pelo revestimento do organismo. É dividido de acordo com o número e formas das células que possui, respectivamente encontramos os epitélios: simples, estratificado e pseudo-estratificado. Tipos de Epitélio de Revestimento Classificação Características Pavimentoso Células achatadas Cúbico Células Cúbicas Prismático Células prismáticas Formasdacélula Endotélio Células de forma variável Simples Uma única camada celular Estratificado Mais de uma camada celular Pseudoestratificado Uma única camada celular com células de diferentes alturas Númerodecamadas Transição (misto) Poucas camadas com células diferentes HISTOLOGIA Prof. André Maia
  • 2. A – Lâmina Basal Todos os epitélios são assentados sobre o tecido conjuntivo. Entre o tecido conjuntivo e as células epiteliais existe uma lâmina, chamada lâmina basal. Membranas O tecido epitelial, associado sempre ao tecido conjuntivo pode formar membranas que envolvem os órgãos. Quando essas membranas revestem cavidades fechadas são chamadas de serosas e quando revestem cavidades que se comunicam com o exterior são chamadas de mucosas, como por exemplo a mucosa gástrica, intestinal e a mucosa bucal. As serosas são poucas e têm nomes especiais: Pleura – envolvendo os pulmões Pericárdio – envolvendo o coração Peritônio – envolvendo o estômago e os intestinos Tecido Epitelial Glandular Certas células do nosso corpo são capazes de produzir substâncias que serão enviadas para outros locais. Elas podem ser empregadas em outras partes do corpo, sendo neste caso uma secreção, ou podem ser eliminadas do organismo, tratando-se, então de uma excreção. Quem possui essa função são os epitélios glandulares que se originam a partir de células que proliferam do epitélio de revestimento. Classificação das Glândulas Quanto a Estrutura celular: I. Exócrina II. III. Endócrina Mista Critério Classificação Características Unicelular Uma célula secretora Quantidade de célula Pluricelular Muitas células secretoras Merócrinas Sem perda de célula secretora Apócrinas Perda parcial de célula secretoraProduto de secreção Holócrinas Perda total de células secretoras Serosas Secreção fluida Mucosas Secreção viscosaNatureza da secreção Seromucosas Secreção mista Endócrina Secreções lançadas no sangue Exócrinas Há um canal para a saída de secreçãoEstrutura da glândula Mistas Possui uma região endócrina e outra exócrina
  • 3. As figuras abaixo mostram os tipos de glândulas quanto ao produto de secreção: A. B. C. • A Pele: O tegumento humano, mais conhecido como pele, é formado por duas camadas distintas, firmemente unidas entre si: a epiderme e a derme. Epiderme É um epitélio multiestratificado, formado por várias camadas (estratos) de células achatadas (epitélio pavimentoso) justapostas. A camada de células mais interna, denominada epitélio germinativo, é constituída por células que se multiplicam continuamente; dessa maneira, as novas células geradas empurram as mais velhas para cima, em direção à superfície do corpo. À medida que envelhecem, as células epidérmicas tornam-se achatadas, e passam a fabricar e a acumular dentro de si uma proteína resistente e impermeável, a queratina. As células mais superficiais, ao se tornarem repletas de queratina, morrem e passam a constituir um revestimento resistente ao atrito e altamente impermeável à água, denominado camada queratinizada ou córnea Na pele desprovida de pêlo e também na que está coberta por ele, encontram-se ainda três tipos de receptores comuns: 1) Corpúsculos de Paccini: captam especialmente estímulos vibráteis e táteis.São formados por uma fibra nervosa cuja porção terminal, a mielínica, é envolta por várias camadas que correspondem a diversas células de sustentação. A camada terminal é capaz de captar a aplicação de pressão, que é transmitida para as outras camadas e enviada aos centros nervosos correspondentes. 2) Discos de Merkel: de sensibilidade tátil e de pressão. Uma fibra aferente costuma estar ramificada com vários discos terminais destas ramificações nervosas. Estes discos estão englobados em uma célula especializada, cuja superfície distal se fixa às células epidérmicas por um prolongamento de seu protoplasma. Assim, os movimentos de pressão e tração sobre epiderme desencadeiam o estímulo. 3) Terminações nervosas livres: sensíveis aos estímulos mecânicos, térmicos e especialmente aos dolorosos. São formadas por um axônio ramificado envolto por células de Schwann sendo, por sua vez, ambos envolvidos por uma membrana basal. Na pele sem pêlo encontram-se, ainda, outros receptores específicos:
  • 4. 4) Corpúsculos de Meissner: táteis. Estão nas saliências da pele sem pêlos (como nas partes mais altas das impressões digitais). São formados por um axônio mielínico, cujas ramificações terminais se entrelaçam com células acessórias. 5) Bulbos terminais de Krause: receptores térmicos de frio. São formados por uma fibra nervosa cuja terminação possui forma de clava.Situam-se nas regiões limítrofes da pele com as membranas mucosas (por exemplo: ao redor dos lábios e dos genitais). RECEPTORES DE SUPERFÍCIE SENSAÇÃO PERCEBIDA Receptores de Krause Frio Receptores de Ruffini Calor Discos de Merkel Tato e pressão Receptores de Vater-Pacini Pressão Receptores de Meissner Tato Terminações nervosas livres Principalmente dor Nas camadas inferiores da epiderme estão os melanócitos, células que produzem melanina, pigmento que determina a coloração da pele. As glândulas anexas – sudoríparas e sebáceas – encontram-se mergulhadas na derme, embora tenham origem epidérmica. O suor (composto de água, sais e um pouco de uréia) é drenado pelo duto das glândulas sudoríparas, enquanto a secreção sebácea (secreção gordurosa que lubrifica a epiderme e os pêlos) sai pelos poros de onde emergem os pêlos. A transpiração ou sudorese tem por função refrescar o corpo quando há elevação da temperatura ambiental ou quando a temperatura interna do corpo sobe, devido, por exemplo, ao aumento da atividade física.
  • 5. Derme A derme, localizada imediatamente sob a epiderme, é um tecido conjuntivo que contém fibras protéicas, vasos sangüíneos, terminações nervosas, órgãos sensoriais e glândulas. As principais células da derme são os fibroblastos, responsáveis pela produção de fibras e de uma substância gelatinosa, a substância amorfa, na qual os elementos dérmicos estão mergulhados. A epiderme penetra na derme e origina os folículos pilosos, glândulas sebáceas e glândulas sudoríparas. Na derme encontramos ainda: músculo eretor de pêlo, fibras elásticas (elasticidade), fibras colágenas (resistência), vasos sangúíneos e nervos. Tecido subcutâneo Sob a pele, há uma camada de tecido conjuntivo frouxo, o tecido subcutâneo, rico em fibras e em células que armazenam gordura (células adiposas ou adipócitos). A camada subcutânea, denominada hipoderme (tela subcutênea), atua como reserva energética, proteção contra choques mecânicos e isolante térmico. Unhas e pêlos Unhas e pêlos são constituídos por células epidérmicas queratinizadas, mortas e compactadas. Na base da unha ou do pêlo há células que se multiplicam constantemente, empurrando as células mais velhas para cima. Estas, ao acumular queratina, morrem e se compactam, originando a unha ou o pêlo. Cada pêlo está ligado a um pequeno músculo eretor, que permite sua movimentação, e a uma ou mais glândulas sebáceas, que se encarregam de sua lubrificação. II. Conjuntivo É um tecido de preenchimento e sustentação, rico em substância intercelular que tem origem mesodérmica e como o próprio nome já diz, ele pode estabelecer conexão entre diferentes tecidos ou órgãos. Suas células apresentam um acentuado polimorfismo, possuindo formas e funções bastante variadas. O tecido conjuntivo tem constituição complexa, sendo formado por diferentes tipos de células e fibras, mergulhadas em uma substância intercelular (substância fundamental amorfa). Classificação do Tecido Conjuntivo Conjuntivo Propriamente Dito (TCPD) Denso e frouxo Tecido Cartilaginoso Tecido Ósseo Tecido Sanguíneo Tecido Adiposo Tecido Conjuntivo Propriamente Dito (TCPD) É o tecido conjuntivo típico, de substância fundamental mole, gelatinosa, com distribuição geral pelo organismo. Ele representa os mais diferentes aspectos e funções. É normalmente encontrado em quase todos os órgãos, formando membranas, tendões, envolvendo ossos e músculos e preenchendo espaços entre outros tecidos. Componentes do TCPD Características: • Possui vários tipos celulares • Abundância de matriz extracelular • É vascularizado (com exceção do tecido cartilaginoso). Funções: • Suporte corpóreo (exercida pelas cartilagens, pelos ossos e pelo TC propriamente dito); • Pode fazer a nutrição de alguns órgãos, como é o caso da Lâmina Basal, que faz a nutrição do TE de revestimento. • Tem função de preenchimento de espaços, tanto entre órgãos como por entre áreas lesada, que são primeiramente recobertas por TC propriamente dito. • Ainda, auxilia na defesa do organismo, por meio de suas células. Composição • Células • Fibras • Matriz extracelular (substância intercelular amorfa) Substância fundamental amorfa A substância intercelular é homogênea, amorfa, hialina e gelatinosa. É formada por água, polissacarídeos e proteínas que funciona como barreira de proteção patogênica, pois dificulta a penetração de microorganismos.
  • 6. Fibras Existem três tipos de fibras nos tecidos conjuntivos, todas de natureza protéica: Fibras colágenas - são formadas basicamente pela proteína colágeno, sendo resistentes às trações, podendo se agrupar em espessos feixes de cor branca. São mais comuns do que as fibras elásticas e reticulares. Fibras elásticas - possuem uma proteína chamada elastina e são mais delgadas do que as colágenas. Sua principal função é dar elasticidade aos locais em que está localizada. São encontradas na cartilagem da orelha, fígado e pulmão. Fibras Reticulares - são as mais finas e raras, recebem esse nome porque se entrelaçam como se fosse um retículo (pequena rede). Elas organizam uma trama de sustentação das células de determinados órgãos, como baço,fígados e rins. Células Sabemos que todas as células do tecido conjuntivo originam-se de mesoderme embrionária que, em grande parte, apresenta-se como um tecido simples, chamado mesênquima. As células mais comuns são: Fibroblastos São células comuns em vários tecidos conjuntivos. Elas são alongadas com muitas ramificações, com o núcleo oval e longo. Essas células produzem as fibras do tecido conjuntivo, também são chamadas de fibrócitos quando estão em repouso, ou seja, sem atividade. Macrófago São grandes e de contorno irregular. Podem deslocar-se por pseudópodes ou permanecer fixos. São células fagocitárias, ricas em lisossomos. Está amplamente distribuída pelo corpo. Mastócito Ocorrem em grande número, especialmente junto aos vasos sanguíneos, são grandes células. Os mastócitos produzem heparina (anticoagulante) e histamina (liberada em reações alérgicas e inflamatórias).
  • 7. Plasmócitos São pequenos ovalados, têm retículo rugoso muito desenvolvido, núcleo esférico excêntrico e a cromatina tem um aspecto típico, com faixas claras e escuras alternadas, geralmente lembrando os raios de uma “roda de carroça”. Sua função é a produção de anticorpos B – Tecido Conjuntivo Frouxo É um tecido modelável, macio, que normalmente preenche espaços entre feixes de musculatura, funcionando como amortecedor entre vários órgãos viscerais e ainda na derme. Apresenta-se formado por todos os elementos constituintes do tecido conjuntivo, sem haver predomínio de um elemento sobre o outro. C – Tecido Conjuntivo Denso não-modelado É um tecido muito resistente a trações. Esta variedade de tecido conjuntivo apresenta predomínio de fibras colágenas em relação às células. Suas fibras estão distribuídas desordenadamente. Ele ocorre na derme ou formando cápsulas protetoras, externas, de vários órgãos como rins, fígado, baço e testículos. D – Tecido Conjuntivo Denso modelado É de constituição semelhante ao anterior, também com predominância de grossos feixes de fibras colágenas, mas organizadas numa única direção, ou seja, suas fibras são ordenadas. É esse tecido que formam os tendões e os ligamentos, espécies de cordões muito resistentes no sentido de orientações dos feixes. TECIDO ADIPOSO Características: • Originam-se de lipoblastos, que por sua vez têm origem a partir de células mesenquimatosas. • Podem apresentar-se em grupos ou isoladas, mas é certo de que não se dividem. • É o depósito de gorduras do corpo. • As células adiposas podem ser de 2 tipos: Uniloculares, que formam o tecido adiposo unilocular, e possuem apenas uma gota de gordura em seu citoplasma. Este tecido predomina no indivíduo adulto. Multiloculares formam o tecido adiposo multilocular e possuem várias gotículas de gordura. Este tecido predomina em recém nascidos, protegendo-os contra o frio. Funções: • Termorregulação; • Reserva energética; • Preenchimento de espaços, como a gordura perirenal; • Proteção contra impactos, como os coxins plantares; • Modelação do corpo, como a hipoderme. Este fenômeno é controlado por hormônios sexuais e adrenocorticóides.