Arquitetura Renascimento

12.225 visualizações

Publicada em

Trabalho de Monitoria da Universidade Federal Fluminense (UFF)

Publicada em: Educação
0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.225
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
460
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Arquitetura Renascimento

  1. 1. RENASCIMENTORENASCIMENTO
  2. 2. RENASCIMENTORENASCIMENTOITÁLIA NO RENASCIMENTOITÁLIA NO RENASCIMENTO
  3. 3. RENASCIMENTORENASCIMENTOITÁLIA NO RENASCIMENTOITÁLIA NO RENASCIMENTO
  4. 4. RENASCIMENTORENASCIMENTOAS CINCO ORDENS DA ARQUITETURAAS CINCO ORDENS DA ARQUITETURA“As ordens passaram a ser consideradas a pedra de toque daarquitetura, os instrumentos arquitetônicos de maior sutileza possível,corporificando toda a sabedoria acumulada pela humanidade naAntiguidade no que diz respeito à arte de construir...”SUMMERSON (1999: 8)
  5. 5. RENASCIMENTORENASCIMENTOAS CINCO ORDENS DA ARQUITETURAAS CINCO ORDENS DA ARQUITETURAsegundo Sebastiano SERLIOsegundo Sebastiano SERLIO15371537SUMMERSON (1999: 7)TOSCANADÓRICAJÔNICACORÍNTIA COMPÓSITA
  6. 6. RENASCIMENTORENASCIMENTOAS CINCO ORDENS DA ARQUITETURAAS CINCO ORDENS DA ARQUITETURAsegundo Iacomo Barozzi da VIGNOLAsegundo Iacomo Barozzi da VIGNOLA15621562SUMMERSON (1999: 9)
  7. 7. RENASCIMENTORENASCIMENTOAS CINCO ORDENS DA ARQUITETURAAS CINCO ORDENS DA ARQUITETURAORDEM TOSCANA segundo VIGNOLAORDEM TOSCANA segundo VIGNOLA
  8. 8. RENASCIMENTORENASCIMENTOAS CINCO ORDENS DA ARQUITETURAAS CINCO ORDENS DA ARQUITETURAORDEM DÓRICA segundo VIGNOLAORDEM DÓRICA segundo VIGNOLA
  9. 9. RENASCIMENTORENASCIMENTOAS CINCO ORDENS DA ARQUITETURAAS CINCO ORDENS DA ARQUITETURAORDEM JÔNICA segundo VIGNOLAORDEM JÔNICA segundo VIGNOLA
  10. 10. RENASCIMENTORENASCIMENTOAS CINCO ORDENS DA ARQUITETURAAS CINCO ORDENS DA ARQUITETURAORDEM CORÍNTIA segundo VIGNOLAORDEM CORÍNTIA segundo VIGNOLA
  11. 11. RENASCIMENTORENASCIMENTOAS CINCO ORDENS DA ARQUITETURAAS CINCO ORDENS DA ARQUITETURAENTABLAMENTO E CAPITEL CORÍNTIO E COMPÓSITO segundo VIGNOLAENTABLAMENTO E CAPITEL CORÍNTIO E COMPÓSITO segundo VIGNOLA
  12. 12. RENASCIMENTORENASCIMENTOAS CINCO ORDENS DA ARQUITETURAAS CINCO ORDENS DA ARQUITETURAsegundo Vincenzo SCAMOZZIsegundo Vincenzo SCAMOZZI16151615SUMMERSON (1999: 9)
  13. 13. RENASCIMENTORENASCIMENTOAS CINCO ORDENS DA ARQUITETURAAS CINCO ORDENS DA ARQUITETURADETALHES DE ARQUITETURADETALHES DE ARQUITETURADÓRICA segundo VIGNOLADÓRICA segundo VIGNOLA
  14. 14. RENASCIMENTORENASCIMENTOAS CINCO ORDENS DA ARQUITETURAAS CINCO ORDENS DA ARQUITETURACOLUNATA E ARCADA CORÍNTIAS segundo VIGNOLACOLUNATA E ARCADA CORÍNTIAS segundo VIGNOLA
  15. 15. RENASCIMENTORENASCIMENTOPERSPECTIVAPERSPECTIVA“Nasce o pro-jeto, a antevisão do objeto que comandará a suaconstrução. O que é a perspectiva? Um conjunto de regras de desenhoe matemática que permite reproduzir sobre uma folha de papel, comexatidão científica, o aspecto real dos objetos. Ela possibilita, então, aoarquiteto, deter-se na idéia contida no projeto mais do que na própriaconstrução; surge como a verdadeira essência da obra de arte.”BRANDÃO (1999: 86)
  16. 16. RENASCIMENTORENASCIMENTOPERSPECTIVAPERSPECTIVA““A Última Ceia” (1495-1497), Leonardo Da VinciA Última Ceia” (1495-1497), Leonardo Da VinciImagem: WikipédiaBRANDÃO (1999: 70)
  17. 17. RENASCIMENTORENASCIMENTOPERSPECTIVAPERSPECTIVASanto Spirito (1436), BrunelleschiSanto Spirito (1436), Brunelleschi“... o uso da própria perspectivafazia sempre com que o centrogeométrico, o ponto mais importantede um edifício, tendesse aidentificar-se com o centro daperspectiva.”CONTI (1984: 23)BRANDÃO (1999: 92)/ CONTI (1984: 12)
  18. 18. RENASCIMENTORENASCIMENTOPERSPECTIVAPERSPECTIVASan Lorenzo - Florença (1420-1429),San Lorenzo - Florença (1420-1429),BrunelleschiBrunelleschiBRANDÃO (1999: 67)
  19. 19. RENASCIMENTORENASCIMENTOPERSPECTIVAPERSPECTIVAFalso coro da Igreja de Santa Maria presso SanFalso coro da Igreja de Santa Maria presso SanSatiro, Milão (1482-1486), BRAMANTESatiro, Milão (1482-1486), BRAMANTEFotos: WikipédiaBRANDÃO (1999: 87)/ CONTI (1984: 4)BRANDÃO (1999: 87)““A Trindade” (1401-1428) de MASACCIOA Trindade” (1401-1428) de MASACCIO
  20. 20. RENASCIMENTORENASCIMENTOPERSPECTIVAPERSPECTIVAFalso coro da Igreja de SantaFalso coro da Igreja de SantaMaria presso San Satiro,Maria presso San Satiro,Milão (1482-1486), BramanteMilão (1482-1486), Bramantehttp://arsdidas.org/revista1/n01/text_art04.htmlhttp://www.trompeloeilfestival.com/STORIA%20DEL%20TROMPE%20LOEIL.htmwww.cartage.org.lb/en/themes/Ats/Architec/MiddleAgesArchitectural/RomanesqueArqchitecture/DonatoBramante/DonatoBramante.htm
  21. 21. RENASCIMENTORENASCIMENTOMODULAÇÃOMODULAÇÃO“Na medida em que a Arquitetura deve refletir um cosmosmatematicamente ordenado, o estudo da perspectiva, maneirageométrica de o homem reproduzir e construir o espaço, e o estudo dasproporções, relacionado desde a Antiguidade com o corpo humano,tornam-se para o novo artista as chaves de toda a sua composição.”BRANDÃO (1999: 70)“Uma certa harmonia regular entre todas as partes de uma coisa,harmonia tal que nada lhe pode ser subtraído ou adicionado ou mudado,sem que se lhe diminua o encanto. (...) A beleza é uma espécie deharmonia e de acordo entre todas as partes que formam um todoconstruído segundo um número fixo, uma certa relação, uma certaordem, como exigido pelo princípio da simetria, que é a lei mais elevadae mais perfeita da natureza.”Alberti in BRANDÃO (1999: 70)
  22. 22. RENASCIMENTORENASCIMENTOMODULAÇÃOMODULAÇÃOEstudo das proporções:Estudo das proporções:Proporções ideais do corpoProporções ideais do corpohumano e formashumano e formasgeométricas fundamentaisgeométricas fundamentaisde SCAMOZZI (1615)de SCAMOZZI (1615)
  23. 23. RENASCIMENTORENASCIMENTOMODULAÇÃOMODULAÇÃOHomem Vitruviano e EstudoHomem Vitruviano e Estudodo corpo humano dedo corpo humano deLeonardo DA VINCILeonardo DA VINCIImagem: Wikipédia
  24. 24. RENASCIMENTORENASCIMENTOHARMONIAHARMONIA“Apesar das volutas, toda a fachada de Santa Maria Novella estáorganizada em torno dos elementos clássicos e antropomórficos – comoas ordens, os frisos, os arcos plenos e o tímpano triangular que coroa ofrontispício – e de um único sistema de proporções que define otamanho e a posição de cada elemento. Isso faz as partes serelacionarem umas com as outras e com o todo, construindo aconcinnitas da harmonia em torno da qual se concebe a belezaalbertiana.”BRANDÃO (1999: 91)
  25. 25. RENASCIMENTORENASCIMENTOHARMONIAHARMONIASanta Maria Novella –Santa Maria Novella –Florença (1456), ALBERTIFlorença (1456), ALBERTIBRANDÃO (1999: 89)/ CONTI (1984: 10)
  26. 26. RENASCIMENTORENASCIMENTOHARMONIAHARMONIASanta Maria Novella – Florença (1456), ALBERTISanta Maria Novella – Florença (1456), ALBERTI
  27. 27. RENASCIMENTORENASCIMENTOHARMONIAHARMONIASanta Maria Novella – Florença (1456), ALBERTISanta Maria Novella – Florença (1456), ALBERTI
  28. 28. RENASCIMENTORENASCIMENTOSIMETRIASIMETRIA“O ideal: a simetria absoluta. A arquitetura renascentista nasceu daexigência do racionalismo, ao qual tudo foi subordinado. Disto resultouque edifício ideal é aquele em que todos os eixos são simétricos: tantona horizontal, como na vertical.”CONTI (1984: 14)“A típica igreja do Renascimento, o seu produto mais requintado, torna-se então a de cruz grega, com todos os seus quatro braços iguais, ouentão a circular.”CONTI (1984: 24)“... A centralidade espacial, obtida através da utilização de esquemas erepertórios arquitetônicos baseados no círculo e na planta em cruzgrega.”BRANDÃO (1999: 81)
  29. 29. RENASCIMENTORENASCIMENTOSIMETRIASIMETRIAMadonna di San Biagio,Madonna di San Biagio,Montepulciano (1518),Montepulciano (1518),Antonio da Sangallo, o VelhoAntonio da Sangallo, o Velho
  30. 30. RENASCIMENTORENASCIMENTOSIMETRIASIMETRIASanta Maria delle Carceri PratoSanta Maria delle Carceri Prato(1486-1495),(1486-1495),ANTONIO DA SANGALLO, o JovemANTONIO DA SANGALLO, o JovemBRANDÃO (1999: 79 e 81)www.mcah.columbia.edu/cgi-bin/dbcourses/publicportfolio?portfolioid=1339&x=21&y=15
  31. 31. RENASCIMENTORENASCIMENTOSIMETRIASIMETRIAMadonna della Steccata - Parma (1521),Madonna della Steccata - Parma (1521),Bernardino ZACCAGNIBernardino ZACCAGNI
  32. 32. RENASCIMENTORENASCIMENTOSIMETRIASIMETRIAS. Maria della Consolazione.S. Maria della Consolazione.Todi (1508),Todi (1508),Cola da Caprarola e outrosCola da Caprarola e outrosBRANDÃO (1999: 81)/ CONTI (1984: 14)
  33. 33. RENASCIMENTORENASCIMENTOSIMETRIASIMETRIAVilla Rotonda, Vicenza (1566-Villa Rotonda, Vicenza (1566-1670),1670),Andrea PalladioAndrea PalladioCONTI (1984: 18)
  34. 34. RENASCIMENTORENASCIMENTOSIMETRIASIMETRIA – CRUZ GREGA– CRUZ GREGAProjetos para BasílicaProjetos para Basílicade São Pedrode São PedroPlanta em cruz latina,Planta em cruz latina,Santo Spirito (1436)Santo Spirito (1436)BRUNELLESCHIBRUNELLESCHI
  35. 35. RENASCIMENTORENASCIMENTOSIMETRIASIMETRIABasílica de SãoBasílica de SãoPedro,Pedro,Roma (1546-Roma (1546-1564),1564),MICHELANGELOMICHELANGELOBRANDÃO (1999: 83 e
  36. 36. RENASCIMENTORENASCIMENTOSIMETRIASIMETRIABasílica de São Pedro,Basílica de São Pedro,Roma (1546-1564),Roma (1546-1564),MICHELANGELOMICHELANGELO
  37. 37. RENASCIMENTORENASCIMENTOSIMETRIASIMETRIABasílica de SãoBasílica de SãoPedro,Pedro,Roma (1546-Roma (1546-1564),1564),MICHELANGELOMICHELANGELO
  38. 38. RENASCIMENTORENASCIMENTOSIMETRIASIMETRIABasílica de São Pedro, Roma (1546-1564), MICHELANGELOBasílica de São Pedro, Roma (1546-1564), MICHELANGELO
  39. 39. RENASCIMENTORENASCIMENTOSIMETRIASIMETRIABasílica deBasílica deSão Pedro,São Pedro,Roma (1546-Roma (1546-1564),1564),MICHELANGMICHELANGELOELO
  40. 40. RENASCIMENTORENASCIMENTOSIMETRIASIMETRIABasílica de São Pedro,Basílica de São Pedro,Roma (1546-1564),Roma (1546-1564),MICHELANGELOMICHELANGELO
  41. 41. RENASCIMENTORENASCIMENTOSIMETRIASIMETRIABasílica de São Pedro,Basílica de São Pedro,Roma (1546-1564),Roma (1546-1564),MICHELANGELOMICHELANGELO
  42. 42. RENASCIMENTORENASCIMENTOSIMETRIASIMETRIABasílica de São Pedro,Basílica de São Pedro,Roma (1546-1564), MICHELANGELORoma (1546-1564), MICHELANGELO
  43. 43. RENASCIMENTORENASCIMENTOSIMETRIASIMETRIABasílica de São Pedro,Basílica de São Pedro,Roma (1546-1564), MICHELANGELORoma (1546-1564), MICHELANGELO
  44. 44. RENASCIMENTORENASCIMENTOA FORMA PERFEITAA FORMA PERFEITA“Segundo Alberti, “o círculo é a forma mais perfeita e daí a mais divina”.Sendo o círculo a forma geométrica que melhor expressava a perfeição,ele e as formas dele derivadas deveriam gerar a organização espacialideal das igrejas do renascimento, enfatizando-se sempre o centro apartir do qual o espaço se desenhava. O círculo aparece como osímbolo de Deus presente no edifício.”BRANDÃO (1999: 81)
  45. 45. RENASCIMENTORENASCIMENTOA FORMA PERFEITAA FORMA PERFEITATempietto di San Pietro in Montorio,Tempietto di San Pietro in Montorio,Roma (1502), BramanteRoma (1502), Bramante SUMMERSON (1999: 23)/ BRANDÃO (1999: 80)Templo Circular RomanoTemplo Circular RomanoSéc. II a.C.Séc. II a.C.
  46. 46. RENASCIMENTORENASCIMENTOA CIDADE IDEALA CIDADE IDEAL“O ideal renascentista concentra-se na forma geométrica e deve,sempre que possível, projetar as cidades a partir do círculo, doquadrado ou de um polígono regular, como de Palma Nova cortado poruma rede geométrica (ruas e caminhos), que enfatiza o ponto centralocupado pela praça e sede do poder.”BRANDÃO (1999: 77)
  47. 47. RENASCIMENTORENASCIMENTOA CIDADE IDEALA CIDADE IDEALProjeto para Palmanova, SAVORGNAN eProjeto para Palmanova, SAVORGNAN eSCAMOZZI (1593)SCAMOZZI (1593)Projeto de Cidade Ideal de Scamozzi (1615)Projeto de Cidade Ideal de Scamozzi (1615)http://www.bibione.com/UserFilesImage/palmanova(1).jpgBRANDÃO (1999: 76)
  48. 48. RENASCIMENTORENASCIMENTOA CIDADE IDEALA CIDADE IDEALPalmanova, ITÁLIAPalmanova, ITÁLIAhttp://clientes.netvisao.pt/carlhenr/Palma_Nuova.jpg
  49. 49. RENASCIMENTORENASCIMENTOESPAÇO URBANOESPAÇO URBANOPraça Ducal de Vigevano, Leonardo DA VINCIPraça Ducal de Vigevano, Leonardo DA VINCIBRANDÃO (1999: 78)CONTI (1984: 22 e 23)“Concebida como um verdadeiro salão ao ar livre, ela se articula atravésda repetição de um único esquema: o amplo arco térreo, a janela do arcono primeiro pavimento e a janela redonda, e menor, no segundo. Arepetição dessa unidade modular unifica, homogeneiza e sistematiza oespaço urbano, dando-lhe uma ordenação racional e geométrica.”BRANDÃO (1999: 78)
  50. 50. RENASCIMENTORENASCIMENTOESPAÇO URBANOESPAÇO URBANOPraça Ducal de Vigevano, Leonardo DA VINCIPraça Ducal de Vigevano, Leonardo DA VINCIBRANDÃO (1999: 78)/ CONTI (1984: 22 e 23)“A ênfase dada às linhas horizontais bem como sua disposição revelam aperspectiva que preside a construção da praça.”BRANDÃO (1999: 78)www.comune.vigevano.pv.it/turismo/piazza_eng.html
  51. 51. RENASCIMENTORENASCIMENTOESPAÇO URBANOESPAÇO URBANOPiazza del Campidoglio,Piazza del Campidoglio,Roma (1539),Roma (1539),MICHELANGELOMICHELANGELO
  52. 52. RENASCIMENTORENASCIMENTOESPAÇO URBANOESPAÇO URBANOPiazza del Campidoglio, Roma (1539), MICHELANGELOPiazza del Campidoglio, Roma (1539), MICHELANGELO
  53. 53. RENASCIMENTORENASCIMENTOESPAÇO URBANOESPAÇO URBANOPiazza del Campidoglio, Roma (1539), MICHELANGELOPiazza del Campidoglio, Roma (1539), MICHELANGELO
  54. 54. RENASCIMENTORENASCIMENTOCÚPULASCÚPULAS“... a cúpula, imensa calota esférica vista desde o exterior a coroar aigreja, torna-se o mais significativo instrumento pelo qual a presença deDeus se mostra ao mundo.”BRANDÃO (1999: 81)“A cúpula é o elemento dominante de quase todas as igrejasrenascentistas. A fonte de inspiração é romana: a grande cúpula doPanteão de Roma; mas a sua construção é muito diferente. Não só noque diz respeito à técnica (de dois cascos sobre pendentes ou sobretrompas, em vez de um único bloco de alvenaria) como também quantoá forma. São típicos , por exemplo, as nervuras e trompas de pedra quedividem os vários panos de construção.”CONTI (1984: 16)
  55. 55. RENASCIMENTORENASCIMENTOCÚPULASCÚPULASPanteon, ROMA, século I d.C.Panteon, ROMA, século I d.C.SUMMERSON (1999: 23)CONTI (1984: 16)
  56. 56. RENASCIMENTORENASCIMENTOCÚPULASCÚPULASPanteon,Panteon,ROMA,ROMA,século I d.C.século I d.C.wwww.museoomero.it/museoomero/English/Collezione/Architettu/Pantheon--/index.asp
  57. 57. RENASCIMENTORENASCIMENTOCÚPULASCÚPULASCúpula de SantaCúpula de SantaMaria dei FioriMaria dei Fiori- FlorençaFlorença(1420-1436),(1420-1436),BRUNELLESCHIBRUNELLESCHIBRANDÃO (1999: 94)CONTI (1984: 16)
  58. 58. RENASCIMENTORENASCIMENTOCÚPULASCÚPULASCúpula de Santa Maria dei Fiori - FlorençaCúpula de Santa Maria dei Fiori - Florença (1420-1436), BRUNELLESCHI(1420-1436), BRUNELLESCHI
  59. 59. RENASCIMENTORENASCIMENTOCÚPULASCÚPULASCúpula de Santa Maria dei Fiori – Florença (1420-1436), BRUNELLESCHICúpula de Santa Maria dei Fiori – Florença (1420-1436), BRUNELLESCHI
  60. 60. RENASCIMENTORENASCIMENTOCÚPULASCÚPULASCúpula de Santa Maria dei Fiori - FlorençaCúpula de Santa Maria dei Fiori - Florença (1420-1436), BRUNELLESCHI(1420-1436), BRUNELLESCHI
  61. 61. RENASCIMENTORENASCIMENTOCÚPULASCÚPULASCúpula de São PedroCúpula de São PedroRoma (1588-1591),Roma (1588-1591),MICHELANGELOMICHELANGELOBRANDÃO (1999: 93)CONTI (1984: 17)
  62. 62. RENASCIMENTORENASCIMENTOCÚPULASCÚPULASCúpula de São Pedro - Roma (1588-1591), MICHELANGELOCúpula de São Pedro - Roma (1588-1591), MICHELANGELO
  63. 63. RENASCIMENTORENASCIMENTOCÚPULASCÚPULASMaquete e Cúpula de São Pedro - Roma (1588-1591), MICHELANGELOMaquete e Cúpula de São Pedro - Roma (1588-1591), MICHELANGELO
  64. 64. RENASCIMENTORENASCIMENTOCÚPULASCÚPULASCúpula de São Pedro - RomaCúpula de São Pedro - Roma(1588-1591),(1588-1591),MICHELANGELOMICHELANGELO
  65. 65. RENASCIMENTORENASCIMENTOARCOS PLENOSARCOS PLENOS“Não só através da cúpula o círculo faz-se presente nas igrejas, mastambém nos arcos plenos que substituem os arcos ogivais do gótico ese tornam uma das maiores características da arquitetura renascentista.Acreditavam os arquitetos do período que a máxima perfeição destearco se devia ao fato de ele ser o único que era racional em tudo, umavez que, através do raio, único elemento do qual dependia sua forma,ele podia se ligar geometricamente cm as demais partes do edifício,formando um todo homogêneo e unificado num mesmo sistema demedidas e proporções.”BRANDÃO (1999: 83)
  66. 66. RENASCIMENTORENASCIMENTOARCOS PLENOSARCOS PLENOSElevação do segundo andar do ColiseuElevação do segundo andar do ColiseuSUMMERSON (1999: ilustrações 16 a 18)Interpretação do tema por VignolaInterpretação do tema por Vignola(1563)(1563)
  67. 67. RENASCIMENTORENASCIMENTOARCOS PLENOSARCOS PLENOSClaustro de Santa Maria della Pace (1502), ALBERTIClaustro de Santa Maria della Pace (1502), ALBERTISUMMERSON (1999:8)
  68. 68. RENASCIMENTORENASCIMENTOARCOS PLENOSARCOS PLENOSHospital dos Inocentes - Florença (1419-1439), BRUNELLESCHIHospital dos Inocentes - Florença (1419-1439), BRUNELLESCHIBRANDÃO (1999:89)/ CONTI (1984:4)
  69. 69. RENASCIMENTORENASCIMENTOARCOS PLENOSARCOS PLENOSHospital dos Inocentes - Florença (1419-1439), BRUNELLESCHIHospital dos Inocentes - Florença (1419-1439), BRUNELLESCHI
  70. 70. RENASCIMENTORENASCIMENTOARCOS PLENOSARCOS PLENOSHospital dos Inocentes - Florença (1419-1439), BRUNELLESCHIHospital dos Inocentes - Florença (1419-1439), BRUNELLESCHIwww.institutodeglinnocenti.it/ufficio_stampa/foto_stampa.jsf
  71. 71. RENASCIMENTORENASCIMENTOTEMA ARCO DO TRIUNFOTEMA ARCO DO TRIUNFOArco de Constantino - RomaArco de Constantino - RomaIgreja de Sant’Andrea - MântuaIgreja de Sant’Andrea - Mântua(1470), ALBERTI(1470), ALBERTISUMMERSON (1999: 22)BRANDÃO (1999: 92)CONTI (1984: 10)
  72. 72. RENASCIMENTORENASCIMENTOTEMA ARCO DO TRIUNFOTEMA ARCO DO TRIUNFOIgreja de Sant’Andrea - MântuaIgreja de Sant’Andrea - Mântua(1470), ALBERTI(1470), ALBERTI
  73. 73. RENASCIMENTORENASCIMENTOTEMA ARCO DO TRIUNFOTEMA ARCO DO TRIUNFOIgreja de S. Francesco ou TemploIgreja de S. Francesco ou TemploMalatestiano - Rimini (1450), ALBERTIMalatestiano - Rimini (1450), ALBERTISUMMERSON (1999: 22)BRANDÃO (1999: 83)
  74. 74. RENASCIMENTORENASCIMENTOTEMA PALÁCIOTEMA PALÁCIOPalazzo Pitti - Florença (1458), BRUNELLESCHIPalazzo Pitti - Florença (1458), BRUNELLESCHIBRANDÃO (1999: 88)“O palácio, a rica morada citadina dos nobres ou dos mercadores, é umtipo de construção que se afirma durante o Renascimento, tendo-seespalhado por toda a Itália.”CONTI (1984: 9)
  75. 75. RENASCIMENTORENASCIMENTOTEMA PALÁCIOTEMA PALÁCIOPalazzo Rucellai - Florença (1450), ALBERTIPalazzo Rucellai - Florença (1450), ALBERTIBRANDÃO (1999: 89)/ CONTI (1984:8)“No Pallazo Rucellai,Alberti mantém ainterdependência entre ostrês andares através deuma superposição deordens que mantém oesquematismo e o rigorabstrato de Brunelleschi.”BRANDÃO (1999: 89)
  76. 76. RENASCIMENTORENASCIMENTOTEMA PALÁCIOTEMA PALÁCIOPalazzo Rucellai - Florença (1450), ALBERTIPalazzo Rucellai - Florença (1450), ALBERTI
  77. 77. RENASCIMENTORENASCIMENTOTEMA PALÁCIOTEMA PALÁCIOPalazzo Farnese - Florença (1514-1546), Antonio SANGALLO, o Jovem ePalazzo Farnese - Florença (1514-1546), Antonio SANGALLO, o Jovem eMICHELANGELOMICHELANGELOCONTI (1984:8)http://www.canino.info/inserti/monografie/i_farnese/palazzo_roma/facciata.jpg
  78. 78. RENASCIMENTORENASCIMENTOTEMA PALÁCIOTEMA PALÁCIOPalazzo Farnese -Palazzo Farnese -Florença (1514-Florença (1514-1546), Antonio1546), AntonioSANGALLO, oSANGALLO, oJovem eJovem eMICHELANGELOMICHELANGELOCONTI (1984:8)Foto: Wikipédia
  79. 79. RENASCIMENTORENASCIMENTOTEMA PALÁCIOTEMA PALÁCIOPalazzo Corner della CáPalazzo Corner della CáGrande - Veneza (1545),Grande - Veneza (1545),Jacopo SansovinoJacopo SansovinoSUMMERSON (1999:21)
  80. 80. RENASCIMENTORENASCIMENTOFilippo BRUNELLESCHI (1377-1446)Filippo BRUNELLESCHI (1377-1446)Capela Pazzi - Florença (encomendada em 1429 e terminada depoisCapela Pazzi - Florença (encomendada em 1429 e terminada depoisda morte de BRUNELLESCHI)da morte de BRUNELLESCHI)CONTI (1984: 6)
  81. 81. RENASCIMENTORENASCIMENTOFilippo BRUNELLESCHI (1377-1446)Filippo BRUNELLESCHI (1377-1446)Capela Pazzi - FlorençaCapela Pazzi - Florença(encomendada em 1429 e(encomendada em 1429 eterminada depois da morte determinada depois da morte deBRUNELLESCHI)BRUNELLESCHI)
  82. 82. RENASCIMENTORENASCIMENTOFilippo BRUNELLESCHI (1377-1446)Filippo BRUNELLESCHI (1377-1446)Capela Pazzi - Florença (encomendada emCapela Pazzi - Florença (encomendada em1429 e terminada depois da morte de1429 e terminada depois da morte deBRUNELLESCHI)BRUNELLESCHI)
  83. 83. RENASCIMENTORENASCIMENTORafael Sanzio (1483-1520)Rafael Sanzio (1483-1520)““Escola de Atenas” (1509-1511)- VaticanoEscola de Atenas” (1509-1511)- Vaticano
  84. 84. RENASCIMENTORENASCIMENTORAFAEL Sanzio (1483-1520)RAFAEL Sanzio (1483-1520)Capela Chigi em S. Maria del popolo (1513) - RomaCapela Chigi em S. Maria del popolo (1513) - Roma
  85. 85. RENASCIMENTORENASCIMENTORAFAEL Sanzio (1483-1520)RAFAEL Sanzio (1483-1520)Capela Chigi em S. Maria del popolo (1513) - RomaCapela Chigi em S. Maria del popolo (1513) - Roma
  86. 86. RENASCIMENTORENASCIMENTORAFAEL Sanzio (1483-1520)RAFAEL Sanzio (1483-1520)Villa Madama (1516) - RomaVilla Madama (1516) - Roma
  87. 87. RENASCIMENTORENASCIMENTOMICHELANGELO Buonarroti (1475-1564)MICHELANGELO Buonarroti (1475-1564)““Pietá” (1498-1499)Pietá” (1498-1499)Basílica de S. Pedro -Basílica de S. Pedro -RomaRoma
  88. 88. RENASCIMENTORENASCIMENTOMICHELANGELO Buonarroti (1475-1564)MICHELANGELO Buonarroti (1475-1564)Capela Sistina (1508-1512)Capela Sistina (1508-1512)VaticanoVaticano
  89. 89. RENASCIMENTORENASCIMENTOMICHELANGELO Buonarroti (1475-1564)MICHELANGELO Buonarroti (1475-1564)Biblioteca LaurenzianaBiblioteca Laurenziana(1525) Florença(1525) Florença
  90. 90. RENASCIMENTORENASCIMENTOMICHELANGELO Buonarroti (1475-1564)MICHELANGELO Buonarroti (1475-1564)Biblioteca LaurenzianaBiblioteca Laurenziana(1525) Florença(1525) Florença
  91. 91. RENASCIMENTORENASCIMENTOMICHELANGELO Buonarroti (1475-1564)MICHELANGELO Buonarroti (1475-1564)Biblioteca LaurenzianaBiblioteca Laurenziana(1525) Florença(1525) Florença
  92. 92. RENASCIMENTORENASCIMENTOMICHELANGELO Buonarroti (1475-1564)MICHELANGELO Buonarroti (1475-1564)Porta Pia (1561) RomaPorta Pia (1561) Roma
  93. 93. RENASCIMENTORENASCIMENTOAndrea PALLADIO (1508-1580)Andrea PALLADIO (1508-1580)Villa Cornaro (1552) TrevisoVilla Cornaro (1552) Trevisohttp://www.cisapalladio.org/cisa/doc/bio_i.php?lingua=i&sezione=4Loggia del CapitanatoLoggia del Capitanato(1571) Vicenza(1571) Vicenza
  94. 94. RENASCIMENTORENASCIMENTOAndrea PALLADIO (1508-1580)Andrea PALLADIO (1508-1580)Basílica (1549) VicenzaBasílica (1549) Vicenzahttp://www.comitatinazionali.it/upload/immagini/basilica_01.jpg
  95. 95. RENASCIMENTORENASCIMENTOAndrea PALLADIO (1508-1580)Andrea PALLADIO (1508-1580)Villa Barbaro (1550-1560)Villa Barbaro (1550-1560)TrevisoTrevisoaalto.arch.sku.edu/personal/knoxweb/2_3/2_3index.htm
  96. 96. RENASCIMENTORENASCIMENTOAndrea PALLADIO (1508-1580)Andrea PALLADIO (1508-1580)San Giorgio MaggioreSan Giorgio Maggiore(1566) Veneza(1566) Venezahttp://www.panoramio.com/photo/91602
  97. 97. RENASCIMENTORENASCIMENTOAndrea PALLADIO (1508-1580)Andrea PALLADIO (1508-1580)Redentore (1577) VenezaRedentore (1577) Veneza
  98. 98. RENASCIMENTORENASCIMENTOAndrea PALLADIO (1508-1580)Andrea PALLADIO (1508-1580)Redentore (1577) VenezaRedentore (1577) Veneza
  99. 99. RENASCIMENTORENASCIMENTOAndrea PALLADIO (1508-1580)Andrea PALLADIO (1508-1580)Redentore (1577) VenezaRedentore (1577) Venezawww.blufton.edu/~sullivan/italy/venice/redentore/redentore.html
  100. 100. RENASCIMENTORENASCIMENTOAndrea PALLADIO (1508-1580)Andrea PALLADIO (1508-1580)Teatro Olímpico (1580-1585) VicenzaTeatro Olímpico (1580-1585) Vicenza
  101. 101. RENASCIMENTORENASCIMENTOFONTES DAS ILUSTRAÇÕESFONTES DAS ILUSTRAÇÕES• Florence: All the art treasures of the city.Florence: All the art treasures of the city. Bonechi Edizioni “Il Turismo”: Florença,Bonechi Edizioni “Il Turismo”: Florença,2005.2005.• O mundo do Renascimento – volume I.O mundo do Renascimento – volume I. Edições del Prado: Madrid, 1997.Edições del Prado: Madrid, 1997.• Roma: from its origins to the present time.Roma: from its origins to the present time. Ed. Lozzi Roma: Roma.Ed. Lozzi Roma: Roma.• Teoria da arquitectura: do Renascimento aos nossos dias.Teoria da arquitectura: do Renascimento aos nossos dias. Ed. Taschen: 2003Ed. Taschen: 2003.• CONTI, Flávio. Como reconhecer a arte Renascentista. Ed. Martins Fontes: SãoPaulo, 1984.• GLANCEY, Jonathan. A História da Arquitetura. Edições Loyola: São Paulo, 2001.• HEYDENREICH, Ludwig H. Arquitetura na Itália 1400-1500. Cosac & Naify Edições:São Paulo, 1998.• LOTZ, Wolfgang. Arquitetura na Itália 1500-1600. Cosac & Naify Edições: São Paulo,1998.• PRINA, Francesca; DEMARTINI, Elena. Grande Atlante dell’Architettura dal Mile alDuemila. Electa: Milão, 2005.• WUNDRAM, Manfred; PAPE, Thomas.WUNDRAM, Manfred; PAPE, Thomas. ObraArquitetônica Completa: Palladio.ObraArquitetônica Completa: Palladio. Ed.Ed.Taschen, 2004.Taschen, 2004.Arquivo Pessoal

×