Vida após a morte nas mitologias

394 visualizações

Publicada em

Este slide foi apresentado pela primeira vez na Escola Estadual de Ensino Médio Professor Carlos Loréa Pinto como parte do componente curricular estadual, Seminário Integrado.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
394
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Vida após a morte nas mitologias

  1. 1. Seminário Integrado Vida Após a Morte Componentes: Fábio Ortiz, Hemily Gabrielle Farias, J. Endrew Vieira, Juliana Basso, Maria Oliveira e Willian Guerra
  2. 2.  Grega  Os gregos tinham como característica cultural nos seus ritos funerários a prática de cremar os corpos dos mortos, com o intuito de marcar a nova condição existencial destes, a condição social de mortos. Entretanto, havia dois tipos de mortos basicamente: os mortos comuns e anônimos e os heróis falecidos.  Os primeiros eram cremados e enterrados coletivamente em valas, uma vez que eram vistos como simples mortais. Já o segundo tipo era levado à pira crematória, reservada para os grandes heróis, na cerimônia da bela morte, uma vez que nas representações dos gregos esse tipo de morte tornava imortal o morto.
  3. 3.  Nórdica/Escandinava/ Viking  Para estes povos, a alma era imortal. A morte não era o fim, mas o início de outra jornada. Além disso, eles acreditavam em fantasmas, que os espíritos podiam voltar ao mundo dos vivos e se comunicar e aparecer para estes. Eles também acreditavam em reencarnação e metempsico- se (transmigração da alma humana para corpos de animais).  Podemos ter ciência de que para os antigos nórdicos e parte das tribos germânicas, o "Paraíso" seria um local de fraternidade, lutas, honra e glória. Pelo contrário, Helheim era todo o oposto de Asgard e dos valores difundidos por estes povos. Ir para Helheim é ter uma vida de lamentos, inaptidão, isolamento, fraqueza, tédio, ócio, infâmia, desonra, etc.
  4. 4.  Celta/Druidismo  A crença na alma e na vida após a morte está presente no druidismo. Os Celtas acreditavam na existência do "Outro Mundo”, onde residem os antepassados e demais espíritos. Acreditavam também que determinadas pessoas eram dotadas do poder de comunicação com esse mundo.  As cerimônias eram realizadas em lugares abertos, em campos e florestas. As florestas de carvalho eram as prediletas dos druidas, pelo fato do carvalho ser considerado uma árvore sagrada.
  5. 5.  Egípcia  Como acreditavam na vida após a morte, mumificavam os cadáveres dos faraós colocando-os em pirâmides, com o objetivo de preservar o corpo. A vida após a morte seria definida, segundo crenças egípcias, pelo deus Osíris em seu tribunal de julgamento.  O coração era pesado pelo deus da morte, que mandava para uma vida na escuridão aqueles cujo órgão estava pesado (que tiveram uma vida de atitudes ruins) e para uma outra vida boa aqueles de coração leve.
  6. 6.  Japonesa  O velório era celebrado como um último período de convivência com a pessoa que faleceu. Mas hoje tais costumes estão perdendo seu significado, devido a um modo de pensar que só dá valor à vida e que procura esconder ou negar a morte.  Isso criou um abismo entre os mortos e os vivos, resultando numa supervalorização de pessoas que vivem vidas individualistas e egocêntricas, sem conexão entre os próprios vivos.
  7. 7.  Asteca  Os astecas acreditavam na existência de um lugar chamado Mictlan, que era o destino da maior parte dos mortais que deixavam a Terra independente da maneira como viveram. Porém, dependendo das condições, algumas almas tinham direito de ficar em outros lugares.  Um deles era Tlalocan, um espaço reservado exclusivamente para aqueles que morreram por causa da chuva, dos raios, de doença de pele, deficiências ou ainda para os que foram sacrificados para a divindade Tlaloc.
  8. 8.  Hindu  Destino final das almas que alcançaram o moksha (salvação), Vaikuntha é o mais alto dos paraísos do hinduísmo e é conhecido como o lugar de Vishnu, o Deus supremo.  Assim que chegam, as almas recebem o amor e a amizade de Vishnu por toda eternidade. Acredita-se que todos em Vaikuntha são jovens e bonitos, especialmente as mulheres que são comparadas a Lakshmi, a deusa hindu da fortuna.  A descrição do paraíso diz que os animais e as plantas são infinitamente melhores do que os seres do mundo real e que os habitantes de Vaikuntha voam em aviões feitos de lápis-lazúli, esmeralda e ouro. Além disso, as florestas têm árvores que foram criadas especialmente para realizar o desejo das almas que lá vivem e os homens recebem esposas de presente.
  9. 9.  Bibliografia  http://www.suapesquisa .com/egito/  http://.historiadomundo. com.br/  CAPUTO, Rodrigo Feliciano. O homem e suas representações sobre a morte e o morrer: um percurso histórico. SABER ACADÊMICO - n º 06 - Dez. 2008. Acesso em 05 de novembro de 2013.  www.culturajaponesa.c om.br  http://seguindopassos historia.blogspot.com.b r/

×