SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
JUBILEU 2025 –
PEREGRINOS DA
ESPERANÇA
O que é um Jubileu?
 O termo jubileu tem sua origem numa palavra hebraica (yöbël) que
significa “do carneiro”.
 Isto porque o povo hebreu ao declarar um ano Santo tocava um
instrumento confeccionado de um chifre de carneiro (shofar). Este
termo hebraico, enquanto verbo, pode significar “trazer de volta”.
A experiência de um ano especial já
pode ser encontrada no AT
Ano Sabático (a cada 7 anos)
Ano Jubilar (50 em 50 anos)
Ano sabático: Lv 25,1-7
 A partir desse texto do Levítico, pode-se fazer o seguinte elenco das caraterísticas
do Ano Sabático:
 1) Acontecia a cada sete anos;
 2) Do ponto de vista teológico, é uma instituição estabelecida por Deus ainda no
Monte Sinai e, portanto, em contexto de Aliança;
 3) Começa a ser observada a partir da entrada na terra, isto é, quando Israel se
torna um povo sedentário e de agricultores;
 4) Consiste num ano de repouso para a terra, pois cessa o trabalho para os
agricultores, diaristas, escravos e escravas, imigrantes e animais;
 5) A dimensão ecológica (descanso da terra e dos animais) se coliga com a
dimensão social (agricultores, escravos e escravas, diaristas e imigrantes) e a
dimensão teológica (para o Senhor). A perspectiva é universalista, pois inclui os
imigrantes que trabalham em Israel
ANO JUBILAR
 De acordo com Lv 25,9, a trombeta deveria ser tocada em todo o
país no décimo dia do sétimo mês após transcorrerem sete sábados
de anos, isto é, quarenta e nove anos. Assim, cada quinquagésimo
ano deveria ser anunciado como um Ano de Jubileu.
 O contexto do anúncio é aquele de uma tradicional festa dos
hebreus (Yom Kippur) que ocorre nove dias após o ano novo do
judaísmo, o grande Dia da Expiação e do perdão dos pecados.
Nesse dia, é tocado o chifre do carneiro (Yobel) para proclamar a
remissão e a libertação (derôr) em toda a terra, depois que a culpa
havia sido removida através do sangue expiatório das vítimas.
Características do ano Jubilar
 O Ano Jubilar impedia o acúmulo das terras.
 O Ano Jubilar ajuda a criar ou fortalecer o sentimento de pertença a um clã.
Daí, a preocupação em conservar as genealogias.
 Do ponto de vista religioso, o Ano Jubilar também tinha o papel de recordar
a soberania e o senhorio perpétuos do Senhor sobre o seu povo e sua terra.
Por isso, os israelitas nunca poderiam se tornar servos permanentes de
alguém.
 Todas as terras entravam em repouso e deveriam retornar para o seu
proprietário original (Lv 25,10.13), e os membros do povo que foram
obrigados, por causa da pobreza, a se venderem como escravos eram
libertados. Dessa forma, está garantido um mecanismo de superação das
desigualdades sociais gritantes, e a consequente manutenção da liberdade
(Lv 25,39)
Outras características
 Como acontece no Ano Sabático, neste ano especial não poderia haver
plantação ou colheita das lavouras. A produção espontânea da roça deveria
ser deixada ao alcance de todos os pobres da terra.
 Se um judeu, empobrecido, tivesse que vender sua propriedade, o preço era
calculado pelo número de anos que faltavam até o Ano Jubilar, sem contar
os anos sabáticos. Na verdade, o que se comprava era o direito de usufruto
até o Jubileu ou o número de colheitas.
 Se houvesse a melhora da condição socioeconômico daquele que vendeu
suas terras, e ele ou um parente próximo quisesse resgatá-las, isso poderia
acontecer a qualquer momento. Do mesmo modo, acontecia com a
libertação ou o resgate dos escravos.
A essência do Jubileu
Existem, portanto, três elementos que caracterizam a
essência do Ano Jubilar:
1- a liberdade pessoal
2- restituição da propriedade.
3- O terceiro elemento, contudo, é o mais importante: a fé
num Deus libertador, misericordioso e providente que a
tudo recapitula em Cristo Jesus.
O Jubileu na tradição da Igreja
 O primeiro Ano Santo aconteceu no ano de 1300 por
proclamação de Papa Bonifácio VIII.
 Mas é importantíssimo destacar que foi um evento
pedido pelo povo de Deus. Num momento de mudança
de século, os fiéis pediram ao Papa “uma indulgência de
todos os pecados, não só plena e mais abundante, mas
pleníssima” (Bula de proclamação).
 Neste início o Papa fixou a frequência para celebração
jubilar para cada 100 anos.
No ano de 1342
Os romanos, novamente uma aclamação
popular, pedem uma redução do período
de espera. E o Papa Clemente VI reduz
para 50 anos.
Século XV
Em meados do século XV, o Papa
Paulo II, reduziu o período Inter
jubilar para 25 anos.
Gestos concretos de um Jubileu
 O mais emblemático e evocativo é a abertura da Porta Santa: os peregrinos dirigem-se à
Porta em peregrinação, beijam-na com devoção e ajoelham-se no seu limiar em oração.
 O peregrinar: nas peregrinações há a concretude do caminho, durante o qual o peregrino
se esforça e encontra companheiros na estrada (faz a experiência da fraternidade – somos
irmãos).
 Há a concretude dos Sacramentos, sobretudo: a confissão e reconciliação com Deus e a
Eucaristia.
 Há a concretude das obras de penitência: jejum e caridade.
É a Encarnação do Senhor Jesus que abre totalmente nossa história e mostra sua presença
no meio de nós.
UMA ESPERANÇA CONCRETA QUE SE PODE TOCAR
É IMPORTANTE RECORDAR
 O Jubileu não nasce como intuição dos Papas, dos
pastores ou dos teólogos. É o fruto da fé do Povo de
Deus. É o evento mais popular na vida da Igreja: o
tempo da peregrinação aos túmulos dos Apóstolos, a
experiência da Porta Santa, o tempo da conversão, de
uma particular aproximação aos sacramentos.
OS 5 SINAIS DO JUBILEU
TEMA: PEREGRINOS DE ESPERANÇA
 Cada jubileu resguarda temas que os papas querem exprimir de acordo
com as necessidades de seu tempo.
 1950: Pio XII teve objetivo quis trabalhar o tema da reconciliação após a II
Guerra mundial.
 1975: Paulo VI insiste no valor da unidade, após 10 anos do Concílio
Vaticano II porque percebeu a contestação e divisão interna na Igreja.
 João Paulo II, em 2000, centra o seu olhar no mistério da encarnação.
 Neste de 2025, o Papa desejou falar de Esperança.
LOGOTIPO DO JUBILEU
1- A CRUZ DE CRISTO: é a esperança que nunca pode ser
abandonada, porque dela precisamos sempre e sobretudo nos
momentos de maior necessidade. A cruz em forma de vela,
transforma-se numa âncora que se impõe ao movimento das
ondas. Um símbolo universal de esperança;
2- AS QUATRO FIGURAS: representam a humanidade dos
quatro cantos da Terra. Abraçam-se uns aos outros, para
indicar solidariedade entre os povos e o primeiro agarra-se à
cruz.
3- O MAR AGITADO: lembra-nos as dificuldades da
peregrinação da vida. Frequentemente, os acontecimentos
pessoais e os eventos mundiais impõem com maior
intensidade o apelo a esperança.
O logotipo mostra o quanto o caminho do peregrino não é um
fato individual, mas comunitário, com a marca de um
dinamismo crescente, que tende cada vez mais para a cruz.
2024 – ANO DA ORAÇÃO
 Depois do ano dedicado à reflexão sobre os documentos e ao estudo dos
frutos do Concílio Vaticano II, o ano de 2024 será o ano da Oração.
Aproximando-se do Jubileu, as dioceses são convidadas a promover a
centralidade da oração individual e comunitária. Por isso, poderiam
propor-se “momentos de oração” para o Ano Santo, percursos de escola de
oração com etapas mensais ou semanais, presididas pelos Bispos, para
envolver todo o povo de Deus.
 Para além disso, para viver este ano da melhor forma, será publicada uma
coleção de “Apontamentos sobre a oração”, para recolocar no centro a
profunda relação com o Senhor, através das múltiplas formas de oração
contempladas na rica tradição católica.
Coleção
 1- Rezar hoje: um desafio a vencer – Angelo Comastri
 2- Rezar com os almos – Gianfranco Ravasi
 3- A oração de Jesus – Juan Lopez Vergara
 4- Rezar com santos e pecadores - Paul Brendan Murray
 5- As parábolas da oração – Antonio Pitta
 6- A Igreja em oração – Um monge cartuxo
 7- A oração de Maria e dos santos- Catherine Aubin
 8- A oração que Jesus nos ensinou: Pai Nosso
Bula
A Bula de Indicação do Jubileu, que indica as
datas do início e do fim do Ano Santo, é
geralmente emitida no ano anterior, coincidindo
com a Solenidade da Ascensão. Para o Jubileu
de 2025, prevê-se que seja publicada a 9 de
maio de 2024.
Rezar hoje: um desafio a vencer –
Ângelo Comastri
"Ensina-nos a rezar", subsídio para o
Ano da Oração
Esquema do Subsidio
A oração como bússola que orienta
O subsídio dedica o primeiro capítulo ao “Ensinamento
do Papa Francisco sobre a oração” e o segundo às
diferentes formas de rezar. Os capítulos sucessivos são:
“A oração na comunidade paroquial”, “A oração na
família”, “A oração dos jovens”, “Retiros espirituais sobre
a oração”, “Catequese sobre a oração”, “A oração dos
mosteiros”, “A oração nos santuários” e “A oração dos
fiéis para o Jubileu de 2025”.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Material sobre o jubileu e o seu significado

Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Março ...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Março ...Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Março ...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Março ...ParoquiaDeSaoPedro
 
Judaizaodaigreja 120418204529-phpapp02
Judaizaodaigreja 120418204529-phpapp02Judaizaodaigreja 120418204529-phpapp02
Judaizaodaigreja 120418204529-phpapp02Monteiro07
 
PENTATEUCO AULA 3 IBADEP BÁSICO
PENTATEUCO AULA 3 IBADEP BÁSICOPENTATEUCO AULA 3 IBADEP BÁSICO
PENTATEUCO AULA 3 IBADEP BÁSICORubens Sohn
 
REVISTA_IASD no Mundo.pdf
REVISTA_IASD no Mundo.pdfREVISTA_IASD no Mundo.pdf
REVISTA_IASD no Mundo.pdfOsvaldoVunge2
 
REVISTA_IASD no Mundo.pdf
REVISTA_IASD no Mundo.pdfREVISTA_IASD no Mundo.pdf
REVISTA_IASD no Mundo.pdfOsvaldoVunge2
 
REVISTA_IASD no Mundo.pdf
REVISTA_IASD no Mundo.pdfREVISTA_IASD no Mundo.pdf
REVISTA_IASD no Mundo.pdfOsvaldoVunge2
 
Reflexões acerca da observância do sábado
Reflexões acerca da observância do sábadoReflexões acerca da observância do sábado
Reflexões acerca da observância do sábadoSidónio Lança
 
Festa das colheitas2014 (2)
Festa das colheitas2014 (2)Festa das colheitas2014 (2)
Festa das colheitas2014 (2)Nuno Bessa
 
Calendario liturgico cristao (1)
Calendario liturgico cristao (1)Calendario liturgico cristao (1)
Calendario liturgico cristao (1)Paulo Dias Nogueira
 
Carta apostólica porta fidei
Carta apostólica porta fideiCarta apostólica porta fidei
Carta apostólica porta fideiVanessa Almeida
 
Formação litúrgica: Advento e Natal
Formação litúrgica:  Advento e NatalFormação litúrgica:  Advento e Natal
Formação litúrgica: Advento e NatalBernadetecebs .
 
Comentário: Ano Novo - 1° de janeiro
Comentário: Ano Novo - 1° de janeiroComentário: Ano Novo - 1° de janeiro
Comentário: Ano Novo - 1° de janeiroJosé Lima
 
004c - POR QUE A ORDEM QUE JESUS REDENTORE
004c - POR QUE A ORDEM QUE JESUS REDENTORE004c - POR QUE A ORDEM QUE JESUS REDENTORE
004c - POR QUE A ORDEM QUE JESUS REDENTOREOrdineGesu
 

Semelhante a Material sobre o jubileu e o seu significado (20)

Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Março ...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Março ...Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Março ...
Folha de São Pedro - O Jornal da Paróquia de São Pedro (Salvador-BA) - Março ...
 
Porta fidei
Porta fideiPorta fidei
Porta fidei
 
Judaizaodaigreja 120418204529-phpapp02
Judaizaodaigreja 120418204529-phpapp02Judaizaodaigreja 120418204529-phpapp02
Judaizaodaigreja 120418204529-phpapp02
 
Jornal 11 13 (1)
Jornal 11 13 (1)Jornal 11 13 (1)
Jornal 11 13 (1)
 
PENTATEUCO AULA 3 IBADEP BÁSICO
PENTATEUCO AULA 3 IBADEP BÁSICOPENTATEUCO AULA 3 IBADEP BÁSICO
PENTATEUCO AULA 3 IBADEP BÁSICO
 
Porta Fidei
Porta FideiPorta Fidei
Porta Fidei
 
REVISTA_IASD no Mundo.pdf
REVISTA_IASD no Mundo.pdfREVISTA_IASD no Mundo.pdf
REVISTA_IASD no Mundo.pdf
 
REVISTA_IASD no Mundo.pdf
REVISTA_IASD no Mundo.pdfREVISTA_IASD no Mundo.pdf
REVISTA_IASD no Mundo.pdf
 
REVISTA_IASD no Mundo.pdf
REVISTA_IASD no Mundo.pdfREVISTA_IASD no Mundo.pdf
REVISTA_IASD no Mundo.pdf
 
Reflexões acerca da observância do sábado
Reflexões acerca da observância do sábadoReflexões acerca da observância do sábado
Reflexões acerca da observância do sábado
 
Festa das colheitas2014 (2)
Festa das colheitas2014 (2)Festa das colheitas2014 (2)
Festa das colheitas2014 (2)
 
Calendario liturgico cristao (1)
Calendario liturgico cristao (1)Calendario liturgico cristao (1)
Calendario liturgico cristao (1)
 
Judaismo
JudaismoJudaismo
Judaismo
 
Quaresma e seus significados
Quaresma e seus significadosQuaresma e seus significados
Quaresma e seus significados
 
Carta apostólica porta fidei
Carta apostólica porta fideiCarta apostólica porta fidei
Carta apostólica porta fidei
 
Formação litúrgica: Advento e Natal
Formação litúrgica:  Advento e NatalFormação litúrgica:  Advento e Natal
Formação litúrgica: Advento e Natal
 
Comentário: Ano Novo - 1° de janeiro
Comentário: Ano Novo - 1° de janeiroComentário: Ano Novo - 1° de janeiro
Comentário: Ano Novo - 1° de janeiro
 
004c - POR QUE A ORDEM QUE JESUS REDENTORE
004c - POR QUE A ORDEM QUE JESUS REDENTORE004c - POR QUE A ORDEM QUE JESUS REDENTORE
004c - POR QUE A ORDEM QUE JESUS REDENTORE
 
Ano liturgico-1-advento-natal
Ano liturgico-1-advento-natalAno liturgico-1-advento-natal
Ano liturgico-1-advento-natal
 
Nos e o_culto
Nos e o_cultoNos e o_culto
Nos e o_culto
 

Mais de freivalentimpesente

nossa igreja em estado de missão permanente
nossa igreja em estado de missão permanentenossa igreja em estado de missão permanente
nossa igreja em estado de missão permanentefreivalentimpesente
 
material sobre liderança na evangelii gaudium
material sobre liderança na evangelii gaudiummaterial sobre liderança na evangelii gaudium
material sobre liderança na evangelii gaudiumfreivalentimpesente
 
12 lições do Papa Francisco para liderar
12 lições do Papa Francisco para liderar12 lições do Papa Francisco para liderar
12 lições do Papa Francisco para liderarfreivalentimpesente
 
planejamentopastoralparoquial-230309004113-8d2d3b58.pptx
planejamentopastoralparoquial-230309004113-8d2d3b58.pptxplanejamentopastoralparoquial-230309004113-8d2d3b58.pptx
planejamentopastoralparoquial-230309004113-8d2d3b58.pptxfreivalentimpesente
 
liderancagio2day-150816222650-lva1-app6891 (1).pptx
liderancagio2day-150816222650-lva1-app6891 (1).pptxliderancagio2day-150816222650-lva1-app6891 (1).pptx
liderancagio2day-150816222650-lva1-app6891 (1).pptxfreivalentimpesente
 
lideranacristapresentao-130121111651-phpapp01.pptx
lideranacristapresentao-130121111651-phpapp01.pptxlideranacristapresentao-130121111651-phpapp01.pptx
lideranacristapresentao-130121111651-phpapp01.pptxfreivalentimpesente
 
19_Modelo-de-liderazgo-en-Evangeli-Gaudium (1).pptx
19_Modelo-de-liderazgo-en-Evangeli-Gaudium (1).pptx19_Modelo-de-liderazgo-en-Evangeli-Gaudium (1).pptx
19_Modelo-de-liderazgo-en-Evangeli-Gaudium (1).pptxfreivalentimpesente
 
lneadeltiempo-comunicacin-140821182833-phpapp01.pptx
lneadeltiempo-comunicacin-140821182833-phpapp01.pptxlneadeltiempo-comunicacin-140821182833-phpapp01.pptx
lneadeltiempo-comunicacin-140821182833-phpapp01.pptxfreivalentimpesente
 
04-principio-da-formacao-de-lideres-200416232152.pptx
04-principio-da-formacao-de-lideres-200416232152.pptx04-principio-da-formacao-de-lideres-200416232152.pptx
04-principio-da-formacao-de-lideres-200416232152.pptxfreivalentimpesente
 
evolucion-de-la-historia-de-la-comunicacion-1192602114974757-3-11953178907429...
evolucion-de-la-historia-de-la-comunicacion-1192602114974757-3-11953178907429...evolucion-de-la-historia-de-la-comunicacion-1192602114974757-3-11953178907429...
evolucion-de-la-historia-de-la-comunicacion-1192602114974757-3-11953178907429...freivalentimpesente
 
3088420-Medios-de-comunicacion-masivos.pdf
3088420-Medios-de-comunicacion-masivos.pdf3088420-Medios-de-comunicacion-masivos.pdf
3088420-Medios-de-comunicacion-masivos.pdffreivalentimpesente
 

Mais de freivalentimpesente (13)

nossa igreja em estado de missão permanente
nossa igreja em estado de missão permanentenossa igreja em estado de missão permanente
nossa igreja em estado de missão permanente
 
material sobre liderança na evangelii gaudium
material sobre liderança na evangelii gaudiummaterial sobre liderança na evangelii gaudium
material sobre liderança na evangelii gaudium
 
12 lições do Papa Francisco para liderar
12 lições do Papa Francisco para liderar12 lições do Papa Francisco para liderar
12 lições do Papa Francisco para liderar
 
planejamentopastoralparoquial-230309004113-8d2d3b58.pptx
planejamentopastoralparoquial-230309004113-8d2d3b58.pptxplanejamentopastoralparoquial-230309004113-8d2d3b58.pptx
planejamentopastoralparoquial-230309004113-8d2d3b58.pptx
 
liderancagio2day-150816222650-lva1-app6891 (1).pptx
liderancagio2day-150816222650-lva1-app6891 (1).pptxliderancagio2day-150816222650-lva1-app6891 (1).pptx
liderancagio2day-150816222650-lva1-app6891 (1).pptx
 
lideranacristapresentao-130121111651-phpapp01.pptx
lideranacristapresentao-130121111651-phpapp01.pptxlideranacristapresentao-130121111651-phpapp01.pptx
lideranacristapresentao-130121111651-phpapp01.pptx
 
19_Modelo-de-liderazgo-en-Evangeli-Gaudium (1).pptx
19_Modelo-de-liderazgo-en-Evangeli-Gaudium (1).pptx19_Modelo-de-liderazgo-en-Evangeli-Gaudium (1).pptx
19_Modelo-de-liderazgo-en-Evangeli-Gaudium (1).pptx
 
lneadeltiempo-comunicacin-140821182833-phpapp01.pptx
lneadeltiempo-comunicacin-140821182833-phpapp01.pptxlneadeltiempo-comunicacin-140821182833-phpapp01.pptx
lneadeltiempo-comunicacin-140821182833-phpapp01.pptx
 
inteligencia artificial.pptx
inteligencia artificial.pptxinteligencia artificial.pptx
inteligencia artificial.pptx
 
04-principio-da-formacao-de-lideres-200416232152.pptx
04-principio-da-formacao-de-lideres-200416232152.pptx04-principio-da-formacao-de-lideres-200416232152.pptx
04-principio-da-formacao-de-lideres-200416232152.pptx
 
Líder-servo aula 1 (1).pptx
Líder-servo aula 1 (1).pptxLíder-servo aula 1 (1).pptx
Líder-servo aula 1 (1).pptx
 
evolucion-de-la-historia-de-la-comunicacion-1192602114974757-3-11953178907429...
evolucion-de-la-historia-de-la-comunicacion-1192602114974757-3-11953178907429...evolucion-de-la-historia-de-la-comunicacion-1192602114974757-3-11953178907429...
evolucion-de-la-historia-de-la-comunicacion-1192602114974757-3-11953178907429...
 
3088420-Medios-de-comunicacion-masivos.pdf
3088420-Medios-de-comunicacion-masivos.pdf3088420-Medios-de-comunicacion-masivos.pdf
3088420-Medios-de-comunicacion-masivos.pdf
 

Último

Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaRicardo Azevedo
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoNilson Almeida
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoFabioLofrano
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............MilyFonceca
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfStelaWilbert
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfnestorsouza36
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxViniciusPetersen1
 

Último (10)

Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
 

Material sobre o jubileu e o seu significado

  • 2. O que é um Jubileu?  O termo jubileu tem sua origem numa palavra hebraica (yöbël) que significa “do carneiro”.  Isto porque o povo hebreu ao declarar um ano Santo tocava um instrumento confeccionado de um chifre de carneiro (shofar). Este termo hebraico, enquanto verbo, pode significar “trazer de volta”.
  • 3. A experiência de um ano especial já pode ser encontrada no AT Ano Sabático (a cada 7 anos) Ano Jubilar (50 em 50 anos)
  • 4. Ano sabático: Lv 25,1-7  A partir desse texto do Levítico, pode-se fazer o seguinte elenco das caraterísticas do Ano Sabático:  1) Acontecia a cada sete anos;  2) Do ponto de vista teológico, é uma instituição estabelecida por Deus ainda no Monte Sinai e, portanto, em contexto de Aliança;  3) Começa a ser observada a partir da entrada na terra, isto é, quando Israel se torna um povo sedentário e de agricultores;  4) Consiste num ano de repouso para a terra, pois cessa o trabalho para os agricultores, diaristas, escravos e escravas, imigrantes e animais;  5) A dimensão ecológica (descanso da terra e dos animais) se coliga com a dimensão social (agricultores, escravos e escravas, diaristas e imigrantes) e a dimensão teológica (para o Senhor). A perspectiva é universalista, pois inclui os imigrantes que trabalham em Israel
  • 5. ANO JUBILAR  De acordo com Lv 25,9, a trombeta deveria ser tocada em todo o país no décimo dia do sétimo mês após transcorrerem sete sábados de anos, isto é, quarenta e nove anos. Assim, cada quinquagésimo ano deveria ser anunciado como um Ano de Jubileu.  O contexto do anúncio é aquele de uma tradicional festa dos hebreus (Yom Kippur) que ocorre nove dias após o ano novo do judaísmo, o grande Dia da Expiação e do perdão dos pecados. Nesse dia, é tocado o chifre do carneiro (Yobel) para proclamar a remissão e a libertação (derôr) em toda a terra, depois que a culpa havia sido removida através do sangue expiatório das vítimas.
  • 6. Características do ano Jubilar  O Ano Jubilar impedia o acúmulo das terras.  O Ano Jubilar ajuda a criar ou fortalecer o sentimento de pertença a um clã. Daí, a preocupação em conservar as genealogias.  Do ponto de vista religioso, o Ano Jubilar também tinha o papel de recordar a soberania e o senhorio perpétuos do Senhor sobre o seu povo e sua terra. Por isso, os israelitas nunca poderiam se tornar servos permanentes de alguém.  Todas as terras entravam em repouso e deveriam retornar para o seu proprietário original (Lv 25,10.13), e os membros do povo que foram obrigados, por causa da pobreza, a se venderem como escravos eram libertados. Dessa forma, está garantido um mecanismo de superação das desigualdades sociais gritantes, e a consequente manutenção da liberdade (Lv 25,39)
  • 7. Outras características  Como acontece no Ano Sabático, neste ano especial não poderia haver plantação ou colheita das lavouras. A produção espontânea da roça deveria ser deixada ao alcance de todos os pobres da terra.  Se um judeu, empobrecido, tivesse que vender sua propriedade, o preço era calculado pelo número de anos que faltavam até o Ano Jubilar, sem contar os anos sabáticos. Na verdade, o que se comprava era o direito de usufruto até o Jubileu ou o número de colheitas.  Se houvesse a melhora da condição socioeconômico daquele que vendeu suas terras, e ele ou um parente próximo quisesse resgatá-las, isso poderia acontecer a qualquer momento. Do mesmo modo, acontecia com a libertação ou o resgate dos escravos.
  • 8. A essência do Jubileu Existem, portanto, três elementos que caracterizam a essência do Ano Jubilar: 1- a liberdade pessoal 2- restituição da propriedade. 3- O terceiro elemento, contudo, é o mais importante: a fé num Deus libertador, misericordioso e providente que a tudo recapitula em Cristo Jesus.
  • 9. O Jubileu na tradição da Igreja  O primeiro Ano Santo aconteceu no ano de 1300 por proclamação de Papa Bonifácio VIII.  Mas é importantíssimo destacar que foi um evento pedido pelo povo de Deus. Num momento de mudança de século, os fiéis pediram ao Papa “uma indulgência de todos os pecados, não só plena e mais abundante, mas pleníssima” (Bula de proclamação).  Neste início o Papa fixou a frequência para celebração jubilar para cada 100 anos.
  • 10. No ano de 1342 Os romanos, novamente uma aclamação popular, pedem uma redução do período de espera. E o Papa Clemente VI reduz para 50 anos.
  • 11. Século XV Em meados do século XV, o Papa Paulo II, reduziu o período Inter jubilar para 25 anos.
  • 12. Gestos concretos de um Jubileu  O mais emblemático e evocativo é a abertura da Porta Santa: os peregrinos dirigem-se à Porta em peregrinação, beijam-na com devoção e ajoelham-se no seu limiar em oração.  O peregrinar: nas peregrinações há a concretude do caminho, durante o qual o peregrino se esforça e encontra companheiros na estrada (faz a experiência da fraternidade – somos irmãos).  Há a concretude dos Sacramentos, sobretudo: a confissão e reconciliação com Deus e a Eucaristia.  Há a concretude das obras de penitência: jejum e caridade. É a Encarnação do Senhor Jesus que abre totalmente nossa história e mostra sua presença no meio de nós. UMA ESPERANÇA CONCRETA QUE SE PODE TOCAR
  • 13. É IMPORTANTE RECORDAR  O Jubileu não nasce como intuição dos Papas, dos pastores ou dos teólogos. É o fruto da fé do Povo de Deus. É o evento mais popular na vida da Igreja: o tempo da peregrinação aos túmulos dos Apóstolos, a experiência da Porta Santa, o tempo da conversão, de uma particular aproximação aos sacramentos.
  • 14. OS 5 SINAIS DO JUBILEU
  • 15. TEMA: PEREGRINOS DE ESPERANÇA  Cada jubileu resguarda temas que os papas querem exprimir de acordo com as necessidades de seu tempo.  1950: Pio XII teve objetivo quis trabalhar o tema da reconciliação após a II Guerra mundial.  1975: Paulo VI insiste no valor da unidade, após 10 anos do Concílio Vaticano II porque percebeu a contestação e divisão interna na Igreja.  João Paulo II, em 2000, centra o seu olhar no mistério da encarnação.  Neste de 2025, o Papa desejou falar de Esperança.
  • 16. LOGOTIPO DO JUBILEU 1- A CRUZ DE CRISTO: é a esperança que nunca pode ser abandonada, porque dela precisamos sempre e sobretudo nos momentos de maior necessidade. A cruz em forma de vela, transforma-se numa âncora que se impõe ao movimento das ondas. Um símbolo universal de esperança; 2- AS QUATRO FIGURAS: representam a humanidade dos quatro cantos da Terra. Abraçam-se uns aos outros, para indicar solidariedade entre os povos e o primeiro agarra-se à cruz. 3- O MAR AGITADO: lembra-nos as dificuldades da peregrinação da vida. Frequentemente, os acontecimentos pessoais e os eventos mundiais impõem com maior intensidade o apelo a esperança. O logotipo mostra o quanto o caminho do peregrino não é um fato individual, mas comunitário, com a marca de um dinamismo crescente, que tende cada vez mais para a cruz.
  • 17. 2024 – ANO DA ORAÇÃO  Depois do ano dedicado à reflexão sobre os documentos e ao estudo dos frutos do Concílio Vaticano II, o ano de 2024 será o ano da Oração. Aproximando-se do Jubileu, as dioceses são convidadas a promover a centralidade da oração individual e comunitária. Por isso, poderiam propor-se “momentos de oração” para o Ano Santo, percursos de escola de oração com etapas mensais ou semanais, presididas pelos Bispos, para envolver todo o povo de Deus.  Para além disso, para viver este ano da melhor forma, será publicada uma coleção de “Apontamentos sobre a oração”, para recolocar no centro a profunda relação com o Senhor, através das múltiplas formas de oração contempladas na rica tradição católica.
  • 18. Coleção  1- Rezar hoje: um desafio a vencer – Angelo Comastri  2- Rezar com os almos – Gianfranco Ravasi  3- A oração de Jesus – Juan Lopez Vergara  4- Rezar com santos e pecadores - Paul Brendan Murray  5- As parábolas da oração – Antonio Pitta  6- A Igreja em oração – Um monge cartuxo  7- A oração de Maria e dos santos- Catherine Aubin  8- A oração que Jesus nos ensinou: Pai Nosso
  • 19. Bula A Bula de Indicação do Jubileu, que indica as datas do início e do fim do Ano Santo, é geralmente emitida no ano anterior, coincidindo com a Solenidade da Ascensão. Para o Jubileu de 2025, prevê-se que seja publicada a 9 de maio de 2024.
  • 20. Rezar hoje: um desafio a vencer – Ângelo Comastri
  • 21. "Ensina-nos a rezar", subsídio para o Ano da Oração
  • 22. Esquema do Subsidio A oração como bússola que orienta O subsídio dedica o primeiro capítulo ao “Ensinamento do Papa Francisco sobre a oração” e o segundo às diferentes formas de rezar. Os capítulos sucessivos são: “A oração na comunidade paroquial”, “A oração na família”, “A oração dos jovens”, “Retiros espirituais sobre a oração”, “Catequese sobre a oração”, “A oração dos mosteiros”, “A oração nos santuários” e “A oração dos fiéis para o Jubileu de 2025”.