27/08/2014 
1 
PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS 
DEPARTAMENTO DE BIOMEDICINA E FARMÁCIA 
Profa: Karla Carvalho Mi...
27/08/2014 
2 
Evolução da Inflamação aguda 
 Resolução completa: estímulo ou injúria 
neutralizada com restauração compl...
27/08/2014 
3 
CAUSAS DA INFLAMAÇÃO CRÔNICA 
 Infecções persistentes 
 Doenças inflamatórias imunomediadas 
 Exposição ...
27/08/2014 
4 
GRANULOMA: 
Esforço celular para conter um agente 
agressorque é difícil erradicar. 
 Ativação de Linfócit...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aula 6 inflamação crônica

302 visualizações

Publicada em

Aula 6 inflamação c rônica

Publicada em: Internet
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
302
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 6 inflamação crônica

  1. 1. 27/08/2014 1 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE BIOMEDICINA E FARMÁCIA Profa: Karla Carvalho Miranda FATORES QUE ALTERAM A INFLAMAÇÃO Os fatores que alteram a inflamação estão relacionados com o agente agressor e com o hospedeiro. RELACIONADOS AO AGENTE AGRESSOR 1.Tipo de agente agressor 2. Características do agente 3. Intensidade do agente 4. Tempo de exposição 5. Capacidade de invasão 6. Resistência a fagocitose e à digestão FATORES LIGADOS AO HOSPEDEIRO 1. Estado de saúde 2. Estado fisiológico 3. Estado nutricional FATORES LIGADOS AO LOCAL AGREDIDO 1.Tipo de tecido 2. Suprimento sangüíneo CLASSIFICAÇÃO DAS INFLAMAÇÕES AGUDAS 1. Serosa: predomina a exsudação de líquido amarelo-citrino. Exemplos: pleurite, rinite serosa, bolha devido a queimadura etc. 2. Fibrinosa: predomínio de exsudato fibrinoso que origina, aliado à presença de tecido necrótico, placas esbranquiçadas. Exemplos: pericardite fibrinosa, inflamação diftérica etc. CLASSIFICAÇÃO DAS INFLAMAÇÕES AGUDAS 3. Hemorrágica: Predomínio do componente hemorrágico no tecido inflamado. Exemplo: glomerulonefrite aguda hemorrágica. 4. Necrótica ou ulcerativa: Indicativa da irreversibilidade das lesões nos tecidos, apresentando exsudatos serosos, fibrinosos ou purulentos. 5. Purulenta: também denominada de supurativa, esse tipo de inflamação é composto pelo pus ( soro, exsudato e células mortas) ex: apendicite aguda; meningite bacteriana
  2. 2. 27/08/2014 2 Evolução da Inflamação aguda  Resolução completa: estímulo ou injúria neutralizada com restauração completa do local afetado;  Cicatrização com substituição por tecido conjuntivo fibroso, através da granulação (proliferação de fibroblastos, formação de colágeno e vasos sanguíneos);  Formação de abcessos;  Progressão da resposta tissular para inflamação crônica. INFLAMAÇÕES AGUDAS "RESPOSTA INFLAMATÓRIA IMEDIATA E INESPECÍFICA DO ORGANISMO DIANTE DA AGRESSÃO". A inflamação aguda é dita imediata por se desenvolver no instante da ação do agente lesivo, e inespecífica por ser sempre qualitativamente a mesma, independentemente da causa que a provoque. INFLAMAÇÕES AGUDAS • Presença das manifestações clínicas locais (sinais cardinais); • Presença das alterações hemodinâmicas: a) Alteração do calibre vascular – aumento do fluxo sanguíneo; b) Alteração estrutural da microvasculatura que permite a exsudação; c) Migração de leucócitos da microcirculação e acúmulo no foco da injúria. PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE BIOMEDICINA E FARMÁCIA INFLAMAÇÃO CRÔNICA Profa: Karla Carvalho Miranda INFLAMAÇÃO CRÔNICA Duração mais longa (semanas ou meses) com inflamação ativa e participação de linfócitos, macrofágos e plasmócitos, além de destruição tecidual com proliferação de vasos sanguíneos e tecido conjuntivo (reação de granulação). Geralmente denominados de processos inflamatóriosproliferativos. INFLAMAÇÃO CRÔNICA  Pode seguir à inflamação aguda  Início insidioso – resposta de baixo grau e latente sem manifestação de reação aguda.  artrite reumatóide; aterosclerose; tuberculose, progressão doenças degenerativas (Alzheimer).  TIPOS: - Inespecífica - Específica (granulomatosa)
  3. 3. 27/08/2014 3 CAUSAS DA INFLAMAÇÃO CRÔNICA  Infecções persistentes  Doenças inflamatórias imunomediadas  Exposição prolongada a agentes potencialmente tóxicos CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS  Presença de células mononucleares  Destruição tecidual  Substituição do tecido danificado por tecido conjuntivo - “tentativa de cura”. COMPONENTES CELULARES  Presença de células mononucleares  Linfócitos; plasmócitos; eosinófilos e mastócitos INFLAMAÇÃO CRÔNICA INESPECÍFICA • Definição: Inflamação crônica comum a vários tipos de agentes, com resposta celular semelhante. • Componentes: – Células (Linfócitos, Plasmócitos, Macrófagos) – Multiplicação de Fibroblastose Angioblastos – Fibrose – Destruição tecidual INFLAMAÇÃO CRÔNICA GRANULOMATOSA - ESPECÍFICA • DEFINIÇÃO: É um padrão distinto de inflamação crônica onde o processo inflamatório crônico é caracterizado pela presença do granulomaou reação granulomatosa. * Encontrado em um número limitado de condições infecciosas e não infecciosas.
  4. 4. 27/08/2014 4 GRANULOMA: Esforço celular para conter um agente agressorque é difícil erradicar.  Ativação de Linfócitos T levam a ativação de macrófagos que causam injúria tecidual aos tecidos normais.  Ex.: tuberculose, lepra, sífilis, algumas infecções micóticas e doenças auto imunes.

×