SlideShare uma empresa Scribd logo

Evolução da tabela periódica

Alice Guimarães
Alice Guimarães
Alice GuimarãesProfessora na Esag em Esag

A evolução da tabela periódica

Evolução da tabela periódica

1 de 8
Baixar para ler offline
Evolução da tabela
Periódica
Trabalho Realizado por:
Eduarda Gameiro, 9ºA
João Ferreira, 9ºA
Rui Bué, 9ºA
O que é a
tabela
periódica?
-A tabela periódica é uma forma de
organização todos os elementos
químicos, de acordo com as suas
propriedades.
-Divide-se verticalmente por famílias,
que possuem características físicas
semelhantes. A tabela periódica é
dividida em metais, não-metais e
semi-metais e é composta por 8
famílias.
-Horizontalmente, a tabela é dividida
em períodos, de acordo com o
número de eletrões na sua camada
de valência.
 O principal objetivo da tabela
periódica é prever as
tendências dos materiais,
nomeadamente a sua
radioatividade, densidade,
raio atómico, etc.
 Até chegar aos dias de hoje,
com toda a informação que
contém, a tabela periódica já
sofreu várias alterações.
 Em 1789 foi publicada uma
lista com 33 elementos
químicos, divididos em metais
e não-metais, elaborada por
Antoine Lavoisier.
Lista de elementos de Lavoisier
Em 1829, Johann Wolfgang Döbereiner
observou que muitos dos elementos
poderiam ser organizados em grupos
de três com base nas suas
propriedades químicas.
Lítio, sódio e potássio, por exemplo,
foram agrupados como sendo metais
reativos frágeis.
Döbereiner apercebeu-se também
que, a massa atómica do segundo
elemento de cada tríade correspondia a
um valor aproximado da média da
massa atómica do primeiro e segundo.
Denominou-se então, pela lei das
Tríades Lei das Tríades, de Döbereiner
 Em 1864, o músico John
Newlands referiu um novo
modelo de organização dos
elementos: a Lei das oitavas,
que consistia na organização
dos elementos em grupos de 8,
por ordem crescente de massa
atómica relativa. Tal como na
música em que a oitava
começa em dó e acaba em dó,
o primeiro elemento de cada
conjunto apresentaria
semelhanças ao oitavo
elemento.
 Apesar de evidenciar vários
erros, esta teoria serviu de base
para a organização atual dos
elementos.
Em meados de 18770, Lothar
Meyer e Dmitri Mendelelev tiveram
ideias semelhantes: colocaram os
elementos até então conhecidos
numa tabela, organizados por
ordem crescente de massa atómica,
sendo que os elementos com
propriedades semelhantes, ficaram
na mesma coluna vertical.
De modo a poder verificar a
semelhança de propriedades,
foram trocados alguns elementos e
deixados alguns locais vagos, que
Mendelelev achava que um dia
poderiam ser ocupados por novos
elementos descobertos.
A grandeza desta
ideia reside no
facto de quando
foi elaborada,
ainda não ser
conhecida a
constituição do
átomo,
permanecendo o
mesmo critério: a
ordem crescente
de massas
atómicas.

Recomendados

Evolução histórica da Tabela Periódica
Evolução histórica da Tabela PeriódicaEvolução histórica da Tabela Periódica
Evolução histórica da Tabela PeriódicaClaudia Ferreira Carrega
 
A evolução da tabela periódica
A evolução da tabela periódicaA evolução da tabela periódica
A evolução da tabela periódicaBeatrizMarques25
 
Trabalho tabela periodica
Trabalho   tabela periodicaTrabalho   tabela periodica
Trabalho tabela periodicaDiogo Alves
 
História da tabela periódica(final)
História da tabela periódica(final)História da tabela periódica(final)
História da tabela periódica(final)ct-esma
 
Evolução Histórica da Tabela Periódica
Evolução Histórica da Tabela PeriódicaEvolução Histórica da Tabela Periódica
Evolução Histórica da Tabela PeriódicaFrancisco Palaio
 
Evolução dos modelos atómicos
Evolução dos modelos atómicos Evolução dos modelos atómicos
Evolução dos modelos atómicos TelmoMendes70
 
Tabela Periódica - 9º ano
Tabela Periódica - 9º anoTabela Periódica - 9º ano
Tabela Periódica - 9º ano7 de Setembro
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Simbolos químicos, unidades estruturais e iões cópia
Simbolos químicos, unidades estruturais e iões   cópiaSimbolos químicos, unidades estruturais e iões   cópia
Simbolos químicos, unidades estruturais e iões cópiaPaula Pinto
 
A Revolução Científica
A Revolução CientíficaA Revolução Científica
A Revolução CientíficaRui Neto
 
Evolução do Modelo Atómico
Evolução do Modelo AtómicoEvolução do Modelo Atómico
Evolução do Modelo Atómico713773
 
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º AnoResumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º AnoVitor Perfeito
 
Relatório dissecação do coração de porco
Relatório dissecação do coração de porcoRelatório dissecação do coração de porco
Relatório dissecação do coração de porcoMaria Freitas
 
Princípios básicos do raciocínio geológico
Princípios básicos do raciocínio geológicoPrincípios básicos do raciocínio geológico
Princípios básicos do raciocínio geológicomargaridabt
 
Resumos global de geologia 10º ano
Resumos global de geologia 10º anoResumos global de geologia 10º ano
Resumos global de geologia 10º anoRita Pereira
 
Modelos atomicos rutherford
Modelos atomicos rutherfordModelos atomicos rutherford
Modelos atomicos rutherfordJhorlando
 
Geologia 10 a terra é um sistema
Geologia 10   a terra é um sistemaGeologia 10   a terra é um sistema
Geologia 10 a terra é um sistemaNuno Correia
 
Aula 9 tabela periódica nono ano
Aula 9 tabela periódica nono anoAula 9 tabela periódica nono ano
Aula 9 tabela periódica nono anoProfessora Raquel
 
6 métodos estudo interior da terra
6   métodos estudo interior da terra6   métodos estudo interior da terra
6 métodos estudo interior da terramargaridabt
 
Resumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º AnoResumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º AnoVitor Perfeito
 
Teorias estéticas
Teorias estéticas Teorias estéticas
Teorias estéticas Paulo Gomes
 
9.DataçãO Absoluta
9.DataçãO Absoluta9.DataçãO Absoluta
9.DataçãO Absolutaguestfa5e9
 
Cantigas de escárnio e maldizer
Cantigas de escárnio e maldizerCantigas de escárnio e maldizer
Cantigas de escárnio e maldizerHelena Coutinho
 

Mais procurados (20)

Tabela periodica
Tabela periodicaTabela periodica
Tabela periodica
 
Simbolos químicos, unidades estruturais e iões cópia
Simbolos químicos, unidades estruturais e iões   cópiaSimbolos químicos, unidades estruturais e iões   cópia
Simbolos químicos, unidades estruturais e iões cópia
 
A Revolução Científica
A Revolução CientíficaA Revolução Científica
A Revolução Científica
 
Evolução do Modelo Atómico
Evolução do Modelo AtómicoEvolução do Modelo Atómico
Evolução do Modelo Atómico
 
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º AnoResumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
Resumos Biologia Geologia (GEOLOGIA) 10º Ano
 
Relatório dissecação do coração de porco
Relatório dissecação do coração de porcoRelatório dissecação do coração de porco
Relatório dissecação do coração de porco
 
Princípios básicos do raciocínio geológico
Princípios básicos do raciocínio geológicoPrincípios básicos do raciocínio geológico
Princípios básicos do raciocínio geológico
 
Resumos global de geologia 10º ano
Resumos global de geologia 10º anoResumos global de geologia 10º ano
Resumos global de geologia 10º ano
 
Isoeletrônicos
IsoeletrônicosIsoeletrônicos
Isoeletrônicos
 
Modelos atomicos rutherford
Modelos atomicos rutherfordModelos atomicos rutherford
Modelos atomicos rutherford
 
Geologia 10 a terra é um sistema
Geologia 10   a terra é um sistemaGeologia 10   a terra é um sistema
Geologia 10 a terra é um sistema
 
Aula 9 tabela periódica nono ano
Aula 9 tabela periódica nono anoAula 9 tabela periódica nono ano
Aula 9 tabela periódica nono ano
 
6 métodos estudo interior da terra
6   métodos estudo interior da terra6   métodos estudo interior da terra
6 métodos estudo interior da terra
 
Resumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º AnoResumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º Ano
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
 
9º aula
9º aula9º aula
9º aula
 
Modelos atômicos
Modelos atômicosModelos atômicos
Modelos atômicos
 
Teorias estéticas
Teorias estéticas Teorias estéticas
Teorias estéticas
 
9.DataçãO Absoluta
9.DataçãO Absoluta9.DataçãO Absoluta
9.DataçãO Absoluta
 
Cantigas de escárnio e maldizer
Cantigas de escárnio e maldizerCantigas de escárnio e maldizer
Cantigas de escárnio e maldizer
 

Destaque

Elementos quimicos e periodicidade
Elementos quimicos e periodicidadeElementos quimicos e periodicidade
Elementos quimicos e periodicidadeAndrieli Caroline
 
Tabela periódica prof Ivanise Meyer
Tabela periódica  prof Ivanise MeyerTabela periódica  prof Ivanise Meyer
Tabela periódica prof Ivanise MeyerIvanise Meyer
 
Tabela periódica das retrospectivas ágeis - dinâmicas para retrospectiva
Tabela periódica das retrospectivas ágeis - dinâmicas para retrospectivaTabela periódica das retrospectivas ágeis - dinâmicas para retrospectiva
Tabela periódica das retrospectivas ágeis - dinâmicas para retrospectivaCristiano Basso
 
Tabela periódica dos elementos
Tabela periódica dos elementosTabela periódica dos elementos
Tabela periódica dos elementosTatiana Raquel
 
Átomos e elementos químicos
Átomos e elementos químicosÁtomos e elementos químicos
Átomos e elementos químicosDiogo Costa
 
Aula Química 2º ano - Tabela Periódica - I Unidade
Aula Química 2º ano - Tabela Periódica - I UnidadeAula Química 2º ano - Tabela Periódica - I Unidade
Aula Química 2º ano - Tabela Periódica - I UnidadeProf.PS CEET
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicasRoberval G
 
Tabela Periódica
Tabela PeriódicaTabela Periódica
Tabela PeriódicaLuís Rita
 
Lei de lavoiser, e acerto de equações, 8º ano, 2014 2015
Lei de lavoiser, e acerto de equações, 8º ano, 2014 2015Lei de lavoiser, e acerto de equações, 8º ano, 2014 2015
Lei de lavoiser, e acerto de equações, 8º ano, 2014 2015Miranexplica
 
Reações químicas 8º ano, 2014 2015
Reações químicas 8º ano, 2014 2015Reações químicas 8º ano, 2014 2015
Reações químicas 8º ano, 2014 2015Miranexplica
 
2016 aulas 4 e 5 - progressao ext noite
2016   aulas 4 e 5 - progressao ext noite2016   aulas 4 e 5 - progressao ext noite
2016 aulas 4 e 5 - progressao ext noitepaulomigoto
 
trabalho tabela periódica
trabalho tabela periódicatrabalho tabela periódica
trabalho tabela periódicaeebhomago
 
Fisica contemporanea a servico das ciencias da vida
Fisica contemporanea a servico das ciencias da vidaFisica contemporanea a servico das ciencias da vida
Fisica contemporanea a servico das ciencias da vidacasifufrgs
 
Juan felipe pachon quimica inorganica
Juan felipe pachon quimica inorganicaJuan felipe pachon quimica inorganica
Juan felipe pachon quimica inorganicajuan pachon
 
Linhagens bacteria
Linhagens bacteriaLinhagens bacteria
Linhagens bacteriaRafael Nunes
 

Destaque (20)

Tabela Periódica
Tabela PeriódicaTabela Periódica
Tabela Periódica
 
Elementos quimicos e periodicidade
Elementos quimicos e periodicidadeElementos quimicos e periodicidade
Elementos quimicos e periodicidade
 
Tabela periódica prof Ivanise Meyer
Tabela periódica  prof Ivanise MeyerTabela periódica  prof Ivanise Meyer
Tabela periódica prof Ivanise Meyer
 
Tabela periódica das retrospectivas ágeis - dinâmicas para retrospectiva
Tabela periódica das retrospectivas ágeis - dinâmicas para retrospectivaTabela periódica das retrospectivas ágeis - dinâmicas para retrospectiva
Tabela periódica das retrospectivas ágeis - dinâmicas para retrospectiva
 
Classificação periódica
Classificação periódicaClassificação periódica
Classificação periódica
 
Tabela periódica dos elementos
Tabela periódica dos elementosTabela periódica dos elementos
Tabela periódica dos elementos
 
Funções inorgânicas ácidos
Funções inorgânicas ácidosFunções inorgânicas ácidos
Funções inorgânicas ácidos
 
Átomos e elementos químicos
Átomos e elementos químicosÁtomos e elementos químicos
Átomos e elementos químicos
 
Aula Química 2º ano - Tabela Periódica - I Unidade
Aula Química 2º ano - Tabela Periódica - I UnidadeAula Química 2º ano - Tabela Periódica - I Unidade
Aula Química 2º ano - Tabela Periódica - I Unidade
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
 
Tabela Periódica
Tabela PeriódicaTabela Periódica
Tabela Periódica
 
Lei de lavoiser, e acerto de equações, 8º ano, 2014 2015
Lei de lavoiser, e acerto de equações, 8º ano, 2014 2015Lei de lavoiser, e acerto de equações, 8º ano, 2014 2015
Lei de lavoiser, e acerto de equações, 8º ano, 2014 2015
 
Reações químicas 8º ano, 2014 2015
Reações químicas 8º ano, 2014 2015Reações químicas 8º ano, 2014 2015
Reações químicas 8º ano, 2014 2015
 
2016 aulas 4 e 5 - progressao ext noite
2016   aulas 4 e 5 - progressao ext noite2016   aulas 4 e 5 - progressao ext noite
2016 aulas 4 e 5 - progressao ext noite
 
trabalho tabela periódica
trabalho tabela periódicatrabalho tabela periódica
trabalho tabela periódica
 
Fisica contemporanea a servico das ciencias da vida
Fisica contemporanea a servico das ciencias da vidaFisica contemporanea a servico das ciencias da vida
Fisica contemporanea a servico das ciencias da vida
 
Química inorgánica 1º "A"
Química inorgánica 1º "A"Química inorgánica 1º "A"
Química inorgánica 1º "A"
 
Juan felipe pachon quimica inorganica
Juan felipe pachon quimica inorganicaJuan felipe pachon quimica inorganica
Juan felipe pachon quimica inorganica
 
Aula 01 agua
Aula 01 aguaAula 01 agua
Aula 01 agua
 
Linhagens bacteria
Linhagens bacteriaLinhagens bacteria
Linhagens bacteria
 

Semelhante a Evolução da tabela periódica

Semelhante a Evolução da tabela periódica (20)

Tabela periodica
Tabela periodicaTabela periodica
Tabela periodica
 
1° ano aula 01 - história e tabela periodica moderna
1° ano   aula 01 - história e tabela periodica moderna1° ano   aula 01 - história e tabela periodica moderna
1° ano aula 01 - história e tabela periodica moderna
 
Tabela periódica dos elementos químicos
Tabela periódica dos elementos químicosTabela periódica dos elementos químicos
Tabela periódica dos elementos químicos
 
Capitulo 02tabela periódica
Capitulo 02tabela periódicaCapitulo 02tabela periódica
Capitulo 02tabela periódica
 
Classificação periódica
Classificação periódicaClassificação periódica
Classificação periódica
 
Diamantino
DiamantinoDiamantino
Diamantino
 
Tabela Periodica Historico
Tabela Periodica HistoricoTabela Periodica Historico
Tabela Periodica Historico
 
Tabela periódica dos elementos
Tabela periódica dos elementosTabela periódica dos elementos
Tabela periódica dos elementos
 
Tabela periodica
Tabela periodicaTabela periodica
Tabela periodica
 
Tabela periodica
Tabela periodicaTabela periodica
Tabela periodica
 
Tabela periódica
Tabela periódicaTabela periódica
Tabela periódica
 
Manual de quínica 2ª parte
Manual de quínica 2ª parteManual de quínica 2ª parte
Manual de quínica 2ª parte
 
Manual de quínica 2ª parte
Manual de quínica 2ª parteManual de quínica 2ª parte
Manual de quínica 2ª parte
 
Qpt breve historia_periodica
Qpt breve  historia_periodicaQpt breve  historia_periodica
Qpt breve historia_periodica
 
Classificaoperidica 100921130259-phpapp01
Classificaoperidica 100921130259-phpapp01Classificaoperidica 100921130259-phpapp01
Classificaoperidica 100921130259-phpapp01
 
Tabela Periódica.pdf
Tabela Periódica.pdfTabela Periódica.pdf
Tabela Periódica.pdf
 
Jornal
JornalJornal
Jornal
 
Jornal
JornalJornal
Jornal
 
A construção de uma história periódica
A construção de uma história periódicaA construção de uma história periódica
A construção de uma história periódica
 
aezoom915_quim03 (1).pptx
aezoom915_quim03 (1).pptxaezoom915_quim03 (1).pptx
aezoom915_quim03 (1).pptx
 

Mais de Alice Guimarães (11)

MÚSICA DE INTERVENÇÃO
MÚSICA DE INTERVENÇÃOMÚSICA DE INTERVENÇÃO
MÚSICA DE INTERVENÇÃO
 
Tsunami- O que é, formação
Tsunami- O que é, formaçãoTsunami- O que é, formação
Tsunami- O que é, formação
 
Brigitte Bardot- biografia
Brigitte Bardot- biografiaBrigitte Bardot- biografia
Brigitte Bardot- biografia
 
Jeane lorioz
Jeane loriozJeane lorioz
Jeane lorioz
 
Cálcio
CálcioCálcio
Cálcio
 
Hipertensão
HipertensãoHipertensão
Hipertensão
 
Anorexia e bulimia
Anorexia e bulimiaAnorexia e bulimia
Anorexia e bulimia
 
Engenharias
EngenhariasEngenharias
Engenharias
 
As estrelas, o seu funcionamento
As estrelas, o seu funcionamento As estrelas, o seu funcionamento
As estrelas, o seu funcionamento
 
Morte
MorteMorte
Morte
 
Pinatubo trabalho
Pinatubo trabalhoPinatubo trabalho
Pinatubo trabalho
 

Evolução da tabela periódica

  • 1. Evolução da tabela Periódica Trabalho Realizado por: Eduarda Gameiro, 9ºA João Ferreira, 9ºA Rui Bué, 9ºA
  • 2. O que é a tabela periódica? -A tabela periódica é uma forma de organização todos os elementos químicos, de acordo com as suas propriedades. -Divide-se verticalmente por famílias, que possuem características físicas semelhantes. A tabela periódica é dividida em metais, não-metais e semi-metais e é composta por 8 famílias. -Horizontalmente, a tabela é dividida em períodos, de acordo com o número de eletrões na sua camada de valência.
  • 3.  O principal objetivo da tabela periódica é prever as tendências dos materiais, nomeadamente a sua radioatividade, densidade, raio atómico, etc.  Até chegar aos dias de hoje, com toda a informação que contém, a tabela periódica já sofreu várias alterações.  Em 1789 foi publicada uma lista com 33 elementos químicos, divididos em metais e não-metais, elaborada por Antoine Lavoisier. Lista de elementos de Lavoisier
  • 4. Em 1829, Johann Wolfgang Döbereiner observou que muitos dos elementos poderiam ser organizados em grupos de três com base nas suas propriedades químicas. Lítio, sódio e potássio, por exemplo, foram agrupados como sendo metais reativos frágeis. Döbereiner apercebeu-se também que, a massa atómica do segundo elemento de cada tríade correspondia a um valor aproximado da média da massa atómica do primeiro e segundo. Denominou-se então, pela lei das Tríades Lei das Tríades, de Döbereiner
  • 5.  Em 1864, o músico John Newlands referiu um novo modelo de organização dos elementos: a Lei das oitavas, que consistia na organização dos elementos em grupos de 8, por ordem crescente de massa atómica relativa. Tal como na música em que a oitava começa em dó e acaba em dó, o primeiro elemento de cada conjunto apresentaria semelhanças ao oitavo elemento.  Apesar de evidenciar vários erros, esta teoria serviu de base para a organização atual dos elementos.
  • 6. Em meados de 18770, Lothar Meyer e Dmitri Mendelelev tiveram ideias semelhantes: colocaram os elementos até então conhecidos numa tabela, organizados por ordem crescente de massa atómica, sendo que os elementos com propriedades semelhantes, ficaram na mesma coluna vertical. De modo a poder verificar a semelhança de propriedades, foram trocados alguns elementos e deixados alguns locais vagos, que Mendelelev achava que um dia poderiam ser ocupados por novos elementos descobertos. A grandeza desta ideia reside no facto de quando foi elaborada, ainda não ser conhecida a constituição do átomo, permanecendo o mesmo critério: a ordem crescente de massas atómicas.
  • 7. Em 1913, Henry Moseley foi o primeiro a descobrir o número atómico. A tabela periódica voltou a sofrer uma alteração: agora a ordem dos elementos correspondia ao seu número atómico crescente. Muito poderia ter sido descoberto por este jovem cientista, que decidiu alistar-se no exército britânico na primeira guerra mundial, morrendo em combate em 1915.
  • 8. Glenn Seaborg foi quem fez a última modificação na tabela periódica, durante a década de 50. A partir da descoberta do plutónio em 1940, Seaborg descobriu todos os elementos transurânicos (número atómico de 94 a 102). Reconfigurou a tabela periódica colocando a série dos actnídeos abaixo da série dos lantanídeos. Em 1951, Seaborg recebeu o Prémio Nobel da química, pelo seu trabalho. O elemento 106 da tabela periódica é chamado seabórgio, como sua homenagem. O sistema de numeração dos grupos da tabela periódica, vão de1 até 18, sendo o grupo 1, o dos metais alcalinos e o 18, o dos gases nobres.