João batista, um profeta corajoso

3.778 visualizações

Publicada em

João, precursor do Messias, preparou o caminho do Senhor, um profeta separado para o seu tempo, com coragem para confrontar o erro e anunciar a necessidade do arrependimento.

Publicada em: Espiritual
2 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.778
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
48
Comentários
2
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

João batista, um profeta corajoso

  1. 1. 3.1 No décimo quinto ano do reinado de Tibério César, sendo Pôncio Pilatos governador da Judéia, Herodes, tetrarca da Galiléia, seu irmão Filipe, tetrarca da região da Ituréia e Traconites, e Lisânias, tetrarca de Abilene,
  2. 2.  Lucas localiza bem precisamente quando Deus ressuscita a palavra profética Na plenitude dos tempos Jesus nasceu e foi antecedido por João, o profeta. O texto cita sete homens importantes daquele tempo, mas Deus enviou a sua Palavra a João Batista no deserto, semelhante ao profeta Elias (IIRs 1:8) Tinha consciência da sua missão e do seu lugar: “Convém que ele cresça e eu diminua” (Jo 3:30) Tinha coragem de enfrentar o erro, o pecado, a injustiça:  Exortou os publicanos, os soldados, e o próprio Herodes, denunciando seu adultério e suas maldades (v. 19) Um compromisso com a pessoa de Jesus e com o Evangelho e não com a religião do seu tempo (v. 16, 17, 18)
  3. 3. 3.2 sendo sumos sacerdotes Anás e Caifás, veio a palavra de Deus a João, filho de Zacarias, no deserto.Lucas cita autoridades política e por último lideres religiosos. E já nos apresenta a corrupção nesta área – dois sumo sacerdotes?
  4. 4. Anás era populista e se aproximou de Roma. Colocou seus 5 filhos para serem sumo sacerdotes e, por último seu genro Caifás (Jo 18:13; At 4:6). Caifás presidiu o julgamento de Jesus e perseguiu Pedro e João (Mt 26, At 4:6)Quando os religiosos não estão perto de Deus, Deus envia o avivamento para restaurar a humildade, temor e consagração;João compara a víboras fugindo do fogo (v.7). Jesus chama os fariseus de víboras (Mt 23:33) e filhos do diabo (Jo 8:44,45)
  5. 5. A Igreja Evangélica Hoje:• Superficial, sem uma mensagem de arrependimento. Só mensagem de autoajuda, vitória pessoal;• Sincretista, mistura elementos de outras religiões;• Não confronta as injustiças, se levanta contra o homossexualismo e aborto, mas não proclama a verdade contra a corrupção, a roubalheira, o amor ao dinheiro;• Concentra-se na Teologia da prosperidade, Não prega simplicidade, humildade, amor ao próximo, vida devocional, espiritualidade;• Mercantilização da Fé - Anuncia curas e libertações para atrair multidões e arrecadar milhões
  6. 6. 3.3 Ele percorreu toda a circunvizinhança do Jordão, pregando batismo de arrependimento para remissão de pecados,
  7. 7. A preparação para o encontro com o Messias envolve arrependimento. Sem arrependimento ninguém verá a Deus.Frutos dignos de arrependimento e não exterioridade (v. 8)
  8. 8. 1. Avivamento não é um programa agendado pela igreja. é obra soberana e livre do Espírito Santo.2. Avivamento não é mudança doutrinária. O avivamento precisa estar norteado pelas Escrituras e não por sonhos e visões. Precisa estar dentro das balizas da Bíblia e não dentro dos muros de revelações subjetivistas, muitas vezes feitas na carne.3. Avivamento não é mudança litúrgica. Muitos crentes confundem avivamento com forma de culto, com liturgia animada, com coreografia e instrumental aparatoso
  9. 9. 4. Avivamento não é uma ênfase carismática unilateral. Muitas pessoas hoje estão limitando o avivamento a milagres, curas e exorcismos, sem observarem a abrangência global da doutrina pneumatológica.5. Avivamento não é modismo. Certamente, avivamento não é uma onda, não é um modismo. Ele possui firmes lastros históricos. Ele é nossa herança e nosso legado e deve continuar sendo nossa aspiração e nossa busca constante.6. Avivamento não é uma visão dicotomizada da vida. Muitas pessoas, quando começam a buscar avivamento, saem da realidade e enclausuram-se nos castelos inexpugnáveis de uma espiritualidade isolada e monástica. Tornam-se tão "espirituais" que já não sabem mais conviver com a vida, isolam-se, fazendo da vida uma caverna de fuga. O avivamento não leva a igreja à fuga, mas ao enfrentamento.
  10. 10. 7. Avivamento não é campanha de evangelização. Avivamento é para a igreja, pessoas que já têm vida; evangelização é para o mundo, pessoas que estão mortas em delitos e pecados.
  11. 11. 3.4 conforme está escrito no livro das palavras do profeta Isaías (: Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas.
  12. 12. 3.5 Todo vale será aterrado – O vazio ficando cheio e nivelados todos os montes e outeiros; - O exaltado se humilhando os caminhos tortuosos serão retificados, - O que anda errado se consertando e os escabrosos, aplanados; - (pedregoso, escarpado) O rebelde obedecendo

×