Ministério da Educação         Universidade federal de Pelotas         Instituto de Ciências HumanasCurso de Bacharelado e...
   A origem do vitral, segundo historiadores, remota à Idade Média, onde    fragmentos do século IX, do rosto de Jesus, f...
Chumbo estanhadosem pintura deforno
Chumbo estanhado com pintura de forno
Chumbo-estanhadocom pintura de forno 2
Técnica do Mosaico
   Os industriais tinham que reaver o tempo perdido e tentar igualar a    Inglaterra ao desenvolvimento técnico-científic...
   Foi um dos incuráveis neo-românticos da sua época, liderou um revivalismo na    Inglaterra vitoriana e capitalista, ba...
   Willian Morris teve uma profunda influência nas arte visuais e no desenho    industrial dos fins do século XIX. Sobre ...
   Nos anos seguintes (1857-1862) tornou se pintor profissional. Com sua    experiência em arte e arquitetura foi fundada...
   Em 1891 Morris fundou a editora Kelmscott Press em Hammersmith, Londres    para produzir exemplos de design aprimorado...
   Foi um artista e designer Inglês, envolvido no rejuvenescimento da tradição de    vitrais na Inglaterra. Associado à I...
   Burne-Jones era um indivíduo nervoso. Ele combinou uma ascese monacal, um    amor místico da lenda antiga, e um senso ...
   Em 1870 tornou-se gradualmente mais bem-sucedido, apesar de seus patronos    eram um círculo fechado de pessoas ricas ...
Sir Tristram weds IsoudeDesigner: Edward Burne-JonesFabricante: Morris and Co.1862Esta janela - número 5 da série - foi or...
Sir Tristram nas madeirasDesigner: Edward Burne-JonesFabricante: Morris and Co.1862Esta janela - número 6 da série - foi o...
A Belle Isoude salvo do suicídio pelo rei MarkDesigner: Edward Burne-JonesFabricante: Morris and Co.1862Esta janela - núme...
Tennyson Janela Memorial               São LucasDesigner: Sir Edward Burne-Jones       Designer: Sir Edward Burne-JonesFab...
Anjos que aparecem para Pastores       Dois painéis de DireitoDesigner: Sir Edward Burne-Jones       Designer: Sir Edward ...
Crucificação ladeado por Maria e João   Anjos com harpa e chifreDesigner: Sir Edward Burne-Jones        Desenhado por Edwa...
A Janela do Oriente. Igreja daSantíssima Trindade, Sloane Street,London SW1. Desenhado porEdward Burne-Jones e fabricadope...
   Durante toda a sua vida Louis Confort Tiffany consegui ser um pintor, designer de    interiores, desenhista de janelas...
   Em 1875 iniciou experiências com vidro, durante as suas viagens havia    colecionado vidros gregos e romanos e vidros ...
   Em 1880 a 1881, Tiffany começa a desenhar vitrais.   Art Nouveau usado de fluxo livre projetos baseados na natureza q...
   Em 1902, ele se tornou diretor de arte da lendária companhia do seu pai, Tiffany    & Co. em Nova York. Ele projetou p...
The Annunciation - Tiffany Glass & Decorating Company, c. 1895
Tiffany EducationTiffany Education (panel central)
Girl with Cherry Blossoms - Tiffany Glass &   Guiding Angel - Tiffany Glass & DecoratingDecorating Company, c. 1890       ...
Field of Lilies - Tiffany Studios, c. 1910   Evening Landscape - Tiffany Studios, c. 1910
Landscape with Waterfall - Tiffany Studios, early 1920.   Metropolitan Museum of Art. Nueva York
Underhill Memorial - Tiffany Glass & Decorating   View of Oyster Bay Stained Glass Window byCompany, c. 1880              ...
Ecclesiastical Angels - Tiffany Glass & Decorating Company, c. 1890
Christ and the Apostles - Tiffany Glass & Decorating Company, c. 1890
   Foi um pintor, muralista, vitrais, decorador e escritor. Talvez o artista mais versátil    americano de seu tempo, foi...
   Em 1886, La Farge embarcou para o Japão com seu amigo Henry Adams, cuja    esposa havia acabado de cometer suicídio. N...
   Foi presidente da Sociedade dos Artistas Norte-Americanos e da Sociedade de    pintores murais, foi criado um oficial ...
Inglês: "A figura da Sabedoria", vitral na UnidadeFotografia de um vitral, intitulado "Anjo da Ajuda",                    ...
Inglês: "Anjo no túmulo"pelo     famoso     artistaamericano John LaFarge, noguindaste Thomas PublicLibrary           (Qui...
   MORRIS, Elizabeth – Stained and Decorative Glass   http://www.dfalcovitrais.com.br/dfalconovo/index.php?pg=galeriavit...
Vitrais decorativos do século xix
Vitrais decorativos do século xix
Vitrais decorativos do século xix
Vitrais decorativos do século xix
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Vitrais decorativos do século xix

3.211 visualizações

Publicada em

Trabalho apresentado na disciplina Seminário temático Conservação e Restauro em Vitrais. Curso Bacharelado em Conservação e Restauro em Bens Culturais Móveis.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.211
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
74
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Vitrais decorativos do século xix

  1. 1. Ministério da Educação Universidade federal de Pelotas Instituto de Ciências HumanasCurso de Bacharelado em Conservação e Restauro Seminário Temático – Vitrais Profª Mariana Wertheimer Willian Morris Edward Burne-Jones Louis Comfort Tiffany John La Farge Taciane Silveira Souza Pelotas, abril de 2012.
  2. 2.  A origem do vitral, segundo historiadores, remota à Idade Média, onde fragmentos do século IX, do rosto de Jesus, foram encontrados na Alemanha. Os vitrais foram muito utilizados neste período não só para embelezar os templos, mas com o objetivo de catequizar o povo por meio de cenas, imagens e símbolos representativos dos testamentos, pois naquela época pouca gente sabia ler. Além de transmitir a sensação de harmonia etérea através da luminosidade das cores. A partir do século XIX é que o vitral foi desvinculado da abordagem religiosa e passou a ser explorado como elemento decorativo, tornando-se grande aliado daqueles que buscam efeitos mais ricos e uma decoração mais completa. A produção do vitral é essencialmente a mesma de séculos atrás, salvo algumas inovações. O vitral alia tradição e design, atendendo desta forma a diversas as necessidades decorativas e funcionais, resultando em soluções para diferentes ambientes. Técnicas: Técnica do chumbo-estanhado Técnica do Chumbo-estanhado com pintura de forno Mosaico em Vidro
  3. 3. Chumbo estanhadosem pintura deforno
  4. 4. Chumbo estanhado com pintura de forno
  5. 5. Chumbo-estanhadocom pintura de forno 2
  6. 6. Técnica do Mosaico
  7. 7.  Os industriais tinham que reaver o tempo perdido e tentar igualar a Inglaterra ao desenvolvimento técnico-científico de outras nações. Nesse processo os trabalhadores foram explorados, rebaixados culturalmente e a arte existente era subutilizada. O movimento Pré-Rafaelita, surge por oposição ao moralismo na tentativa de corrigi-lo e instigar a população a apreciar as artes, propondo temas bucólicos. Essa poética de reviver o ideal afirma a necessidade de um novo naturalismo, porém o fio condutor não deveria ser a natureza, e sim a técnica pictórica residente em cada artista.
  8. 8.  Foi um dos incuráveis neo-românticos da sua época, liderou um revivalismo na Inglaterra vitoriana e capitalista, baseado nas Artes e Ofícios da idade medieval, influenciado pelo movimento Pré-Rafaelitas. Foi inspirador-mestre do Arts and Craft Movement. Era pintor de papéis de parede, tecidos padronizados e livros, além de escritor de poesia e ficção. Morris nasceu em Walthamstow, próximo a Londres. Sua família era rica. Em 1848, iniciou os estudos no Marlborough College, que completou Exeter Collage de Oxford, onde estudou arquitetura, arte e teologia. Foi influenciado por John Ruskin e na qual conheceu seus amigos e colaboradores de toda a vida, Dante Gabriel Rossetti, Edward Burne-Jones, Ford Madox Brown e Philip Webb. Ele também conheceu a esposa, Jane Burden, uma mulher da classe trabalhadora.
  9. 9.  Willian Morris teve uma profunda influência nas arte visuais e no desenho industrial dos fins do século XIX. Sobre o desenho tipográfico, Morris propagava: “Letters should be designed by artists, not by engineers”. (As cartas devem ser concebidas por artistas, e não por engenheiros) Condenou o sistema econômico de seu tempo e refugiou-se na contemplação da Idade Média, quando “cada homem que fabricava um objeto fazia ao mesmo tempo uma obra de arte e instrumento útil.” O seu conflito trágico da vida era o seu desejo não realizado de criar objetos belos a preços acessíveis – ou mesmo de graça – para as pessoas comuns, enquanto que o resultado na vida era sempre a criação do objetos extremamente caros para uma minoria óbvia. O movimento artístico que Morris e os outros tornaram famoso foi a Irmandade Pré-Rafaelita. Eles evitavam a manufatura industrial barata de artes decorativas e da arquitetura e favoreciam um retorno ao artesanato, elevando os artesãos à condição dos artistas.
  10. 10.  Nos anos seguintes (1857-1862) tornou se pintor profissional. Com sua experiência em arte e arquitetura foi fundada em 1861, juntamente com Dante Gabriel Rossetti, Burne-Jones, Madox Brown e Philip Weeb, Morris, Marshall, Faulkner & Co., uma firma de arquitetura e desenho industrial financiado por ele. Através desta empresa, Morris criou como um paradigma do primado do homem sobre a máquina e o trabalho feito em vez de enfrentar a mais altos níveis de expressão artística.Cadeira desenvolvida pela Morris, Marshall, Cama com motivos florais e cisnes em bronze e dourado. Faulkner & Co. possui estilo do Império Britânico Esse movimento atraiu pessoas de todo o mundo e em 1875 a empresa foi renomeada Morris & Co., com Morris como único proprietário.
  11. 11.  Em 1891 Morris fundou a editora Kelmscott Press em Hammersmith, Londres para produzir exemplos de design aprimorado de impressão e livros. A natureza do Gótico (The Nature of Gothic) por John Ruskin, impresso por Kelmscott Press. primeira página de texto, com ornamentações. Design de William Morris. Após a morte de Morris, o movimento das Private Presses (oficinas de impressa particulares) intensificou-se na Inglaterra. A Essex House Press de Ashbee adquiriu os bens Albion da oficina da Morris e contratou alguns empregados da Kelmoscott Press.
  12. 12.  Foi um artista e designer Inglês, envolvido no rejuvenescimento da tradição de vitrais na Inglaterra. Associado à Irmandade Pré-Rafaelita, e em grande parte por atrair os Pré-Rafaelitas no mainstream da arte britânica. O mais importante pintor da segunda geração Pré-Rafaelita, um homem poético jovem de Birmingham que, como Morris, estava se preparando para uma carreira na Igreja, ele nunca teve qualquer formação arte acadêmica e, consequentemente desenvolveu sua própria abordagem muito diferente, utilizando modelos medievais como modelo, mas revigorante com um olhar completamente novo e moderno. Estudou na escola Rei Edward, em Birmingham, onde foi um aluno bem sucedido academicamente, frequentou as aulas de arte. Edward Jones como era então, tornou-se um cristão devoto, e em seguida estudou Teologia na Faculdade de Exerter, Universidade de Oxford, em 1853, sua intenção era tomar ordens sacras, mas lá ele fez amizade como poeta Willian Morris como um resultado de interesse mútuo na poesia ele foi influenciado por John Ruskin.
  13. 13.  Burne-Jones era um indivíduo nervoso. Ele combinou uma ascese monacal, um amor místico da lenda antiga, e um senso de humor negro. Ele tinha uma característica clássica artística de sofrer um colapso nervoso após a conclusão de uma obra importante. Morris fundou sua empresa famosa, Morris, Marshall, Faulkener & Co., em 1861, Burne-Jones trabalhou como designer de vitrais da Igreja para a empresa, praticamente até o fim de sua vida.Um dos seus últimos projetos as janelas magníficas de St. Phillips Catedral, em Brimingham. Burne-Jones viajou para a Itália em 1859, com John Ruskin, onde viu e admirou os primeiros pintores renascentistas italianos como Botticelli, da Vince, Michelangelo e Mantegna, cujo trabalho ele teve uma grande inspiração. Foi uns dos primeiros artistas a romper com o tamanho da tela convencional e apresentação de pinturas. Ele ficou fascinado com a composição fortemente linear que convinha a sua técnica um tanto plana e os desafios de apresentar exagerando os assuntos com o tamanho e as formas de suas telas. Isso às vezes significava usar campos longos e horizontais, ou em outras vezes usar extremamente alto e estreito, alterou a percepção de perspectiva: profundo ou comprimido.
  14. 14.  Em 1870 tornou-se gradualmente mais bem-sucedido, apesar de seus patronos eram um círculo fechado de pessoas ricas e sofisticadas. Em 1877, Burne-Jones foi persuadido a expor na galeria do governador, e praticamente durante a noite tornou-se um pintor famoso. Na década de 1880, ele até ofuscou Millais & Leighton, sendo considerados como os maiores artistas vivos. Em 1890 sua saúde piorou, e a morte de Willian Morris, em 1896, foi golpe esmagador. Burne-Jones morreu de insuficiência cardíaca em 1898. Após a morte de Burne-Jones em 1898, houve uma exposição memorial de sua obra no inverno de 1898 na Galeria Novo. Depois disso, a próxima exposição não era para ser até 1975, uma indicação de como mal arte vitoriana foi considerada, para a maior parte do século 20. Em 1998 houve uma grande exposição de Burne- Jones para comemorar o centenário de sua morte. A exposição viajou para Nova York, Paris e Birmingham.
  15. 15. Sir Tristram weds IsoudeDesigner: Edward Burne-JonesFabricante: Morris and Co.1862Esta janela - número 5 da série - foi originalmente criado para a casa de Walter Bradford Dunlop, um patrono Pré-Rafaelita.
  16. 16. Sir Tristram nas madeirasDesigner: Edward Burne-JonesFabricante: Morris and Co.1862Esta janela - número 6 da série - foi originalmente criado para a casa de Walter Bradford Dunlop, um patrono Pré-Rafaelita.
  17. 17. A Belle Isoude salvo do suicídio pelo rei MarkDesigner: Edward Burne-JonesFabricante: Morris and Co.1862Esta janela - número 7 da série - foi originalmente criado para a casa de Walter Bradford Dunlop, um patrono Pré-Rafaelita.
  18. 18. Tennyson Janela Memorial São LucasDesigner: Sir Edward Burne-Jones Designer: Sir Edward Burne-JonesFabricante: Morris and Co. Fabricante: Morris and Co.1899 Lanercost PrioryConstrução: Igreja de São Bartolomeu Localização: Lanercost, Cumbria (UK)Localização: Haslemere (UK)
  19. 19. Anjos que aparecem para Pastores Dois painéis de DireitoDesigner: Sir Edward Burne-Jones Designer: Sir Edward Burne-Jones e Ford Madox BrownFabricante: Morris and Co. Fabricante: Morris and Co.Lanercost Priory Jesus IgrejaLocalização: Lanercost, Cumbria (UK) Localização: Troutbeck, Cumbria (UK)
  20. 20. Crucificação ladeado por Maria e João Anjos com harpa e chifreDesigner: Sir Edward Burne-Jones Desenhado por Edward Burne-JonesFabricante: Morris and Co. Manufacturado por William Morris & Co.Jesus Igreja Llandaff Catedral, Llandaff, Cardiff, País de Gales.Localização: Troutbeck, Cumbria (UK)
  21. 21. A Janela do Oriente. Igreja daSantíssima Trindade, Sloane Street,London SW1. Desenhado porEdward Burne-Jones e fabricadopela William Morris & Co. É provável que William Morrisse projetou a folhagem de fundoem uma das figuras (SãoBartolomeu). Os númerosmostram quarenta e oitoApóstolos, patriarcas, reis, profetase santos. O traçado acima mostraAnjos , obras de caridade, a queda,Crucificação, e Anunciação, e notopo, a Natividade. Esta é a maior janela já feitopela empresa Morris e ontains omaior número de figura única eindivíduos.
  22. 22.  Durante toda a sua vida Louis Confort Tiffany consegui ser um pintor, designer de interiores, desenhista de janelas e luminárias em vitrais, mosaicos de vidro, vidro soprado, cerâmica, jóias e trabalhos em metais e um jardineiro ávido. Atualmente ele é reconhecido como um dos artistas mais influentes da América, designers e artesãos de seu século. Louis Comfort Tiffany era filho de Olivia Avery Young e Charles Lewis Tiffany, fundador da famosa joalheria Tiffany & Co. da cidade de Nova Iorque. Na década de 1860 e 1870 Tiffany estudou com o pintor paisagista americano George Inness, combinado o uso de luz, cor, natureza no seu trabalho Tiffany recebeu elogios de seus trabalhos a óleos e aquarelas, que incluíam cenas de suas viagens na Europa, Norte da África, Médio Oriente, mundo Islâmico, a cultura chinesa, a arte japonesa, para onde fosse observava e desenhava particulares e detalhes decorativos que colhia no ambiente: particularidades arquitetônicas, arcos, cúpulas, decorações, lâmpadas ou lanternas e ladrilhos decorados, mas sobretudo ficaram impressas na sua mente os vitrais das catedrais góticas.
  23. 23.  Em 1875 iniciou experiências com vidro, durante as suas viagens havia colecionado vidros gregos e romanos e vidros orientais, além de uma infinidade de outros objetos de gosto exótico e em 1878 abriu sua própria vidraçaria. Tiffany começou a experimentar e a patentear sem pausa novos tipos de vidros com transparência e coloração diversas com efeitos profundamente originais e se transforma no mais popular desenhista de vitrais medievais que ele tanto admirou nas catedrais européias Os artesãos medievais faziam os seus vitrais compondo vários pedaços de vidro recortado unindo-os com uma liga de chumbo, que hoje chamamos de vitral a chumbo ou vitral tradicional, sombras e nuances pra definir as figuras e rostos eram pintadas sobre o vidro com a técnica da grisallia (pintura cozida no forno), partindo disso Tiffany estudou e experimentou ir além , procurando obter apenas com o vidro colorido efeitos de profundidade e de relevo, de estrutura e de sombra. Em 1879, Tiffany se uniu aos artistas Lockwood de Forest, Candance Wheeler e Samuel Colman e fundou a Louis Comfort Tiffany e Artistas Americanos Associados. Graças a seu grande talento sua capacidade de liderança e os contatos de seu pai, o trabalho do grupo decolou.
  24. 24.  Em 1880 a 1881, Tiffany começa a desenhar vitrais. Art Nouveau usado de fluxo livre projetos baseados na natureza que exemplifica as características prevalentes em criações anteriores de Tiffany como pintor de paisagens. O uso da luz, cor e natureza assumiu maior importância na obra de Tiffany como ele desenvolveu a sua abordagem única. Essa técnica teve um grande sucesso devido à possibilidade que oferecia de criar figuras em modo muito mais flexível e minucioso comparada à técnica que utilizava a liga de chumbo. Além disso a técnica Tiffany consentiu o desenvolvimento da tridimensionalidade, permitindo a criação de numerosos tipos de objetos. Ele incorporou Tiffany Glass Company em 1º de dezembro de 1885, que mais tarde ficou conhecido como Tiffany Studios. Em 1893 , Tiffany construiu uma nova fábrica, chamada Tiffany Glass Furnaces, localizada em Corona Queens, Nova York. Naquele mesmo ano, sua nova empresa introduziu o termo “Favrile” em conjunto com a sua primeira produção de vidro soprado. Alguns exemplos iniciais de suas lâmpadas foram exibidos na Feira Mundial de Chicago de 1893. pendant Dragonfly - replica from the lamp by Louis Comfort Tiffany (50 cm diameter, 20 cm hight, about 400 glass pieces)
  25. 25.  Em 1902, ele se tornou diretor de arte da lendária companhia do seu pai, Tiffany & Co. em Nova York. Ele projetou para a empresa lâmpadas de vidros coloridos e luminárias de mesa, que foram feitas em mais de uma edição. Wisteria Lamp Typical Tiffany copper-foil lamp with dragonfly design, with two pigeon sculptures (both received as gifts - unknown creator). Tiffany Studios Dragonfly table lamp circa 1902 . Ttiffany morreu em 1933, a popularidade de suas obras decorativas diminuiu com o aumento de Arte Moderna e do expressionismo. Por duas décadas os desenhos de Louis Comfort Tiffany foram esquecidos. Foi só o primeiro show retrospectivo Tiffany em 1958 que os museus e colecionadores redescobriam seus objetos. A consciência do artesanato Tiffany escalado com um show de Art Nouveau, em 1960, no Museu de Arte Moderna. Atualmente os desenhos de Louis Comfort Tiffany são honrados e valorizado em todo o mundo, confirmando o legado de Tiffany como um visionário do design Art Nouveau.
  26. 26. The Annunciation - Tiffany Glass & Decorating Company, c. 1895
  27. 27. Tiffany EducationTiffany Education (panel central)
  28. 28. Girl with Cherry Blossoms - Tiffany Glass & Guiding Angel - Tiffany Glass & DecoratingDecorating Company, c. 1890 Company, c. 1890
  29. 29. Field of Lilies - Tiffany Studios, c. 1910 Evening Landscape - Tiffany Studios, c. 1910
  30. 30. Landscape with Waterfall - Tiffany Studios, early 1920. Metropolitan Museum of Art. Nueva York
  31. 31. Underhill Memorial - Tiffany Glass & Decorating View of Oyster Bay Stained Glass Window byCompany, c. 1880 Tiffany in the Metropolitan Museum of Art
  32. 32. Ecclesiastical Angels - Tiffany Glass & Decorating Company, c. 1890
  33. 33. Christ and the Apostles - Tiffany Glass & Decorating Company, c. 1890
  34. 34.  Foi um pintor, muralista, vitrais, decorador e escritor. Talvez o artista mais versátil americano de seu tempo, foi inovador nas pinturas de paisagens que antecipou o trabalho dos impressionistas franceses, criou os primeiros grandes murais norte- americanos, reuniu impressionantes vitrais, e executou aquarelas notáveis do Japão e dos mares do Sul. O interesse pela arte começou durante seus estudos na Universidade Mount St. Mary e no Colégio de São João (agora Fordham University). Inicialmente ele pretendia estudar Direito. Isso mudou depois de sua primeira visita a Paris em 1856. Estimulado pelas artes na cidade, ele estudou com Thomas Couture e se familiarizou com as pessoas notáveis e literárias. La Farge posteriormente estudou como pintor William Morres Hunt em Newport. Ao início dos anos 1860, La Farge não foi apenas recolher gravuras japonesas, mas também estava fazendo o uso de idéias de composição em suas pinturas para criar efeitos que parecia estranho, vazio e desequilibrado pelos padrões ocidentais.
  35. 35.  Em 1886, La Farge embarcou para o Japão com seu amigo Henry Adams, cuja esposa havia acabado de cometer suicídio. No entanto La Farge parece ter sido profundamente comovido com as estátuas japonesas de Kwarmon, a personificação da sabedoria e compaixão. John La Farge 1835-1910 Kwannon Meditando sobre a Vida Humana, 1908 Óleo sobre tela, 36 X 34 "(91,44 x 86,36 cm.) La Farge investigando os problemas das cores levou-o a experimentar este especialmente por meio de vitrais. Ele conseguiu não só rivalizar com deslumbramento da janela medieval, mas na adição de novos recursos por sua invenção do vidro opalescente e seus métodos originais de sobrepondo e soldagem de material. Entre muitas obras-primas são a janela “Batalha de Harvard” e “Cloisonné” “Janela Peacock” no Worcester Arte Museu.
  36. 36.  Foi presidente da Sociedade dos Artistas Norte-Americanos e da Sociedade de pintores murais, foi criado um oficial da Legião de Honra em 1901 e se tornou um dos primeiros sete membros da Academia Americana de Artes e Letras. Ele contribuiu amplamente para revistas e autor de vários livros sobre pintura, história da arte, e as memórias. Ele morreu em 1910 Providence. "O Peixe" (ou "o peixe e Branch Floração") janela •cerca de 1890 •John La Farge , American, 1835-1910 Provavelmente, New York, New York DIMENSÕES Em geral (nenhum quadro / vidro apenas): (26 1/4 x 26 1/2 pol) emoldurada (w / original armação de madeira): (30 1/4 x 30 1/4 x 1 1/4 pol) plana moldagem quadro é 1 5/8 polegadas de largura lados todos
  37. 37. Inglês: "A figura da Sabedoria", vitral na UnidadeFotografia de um vitral, intitulado "Anjo da Ajuda", da Igreja, North Easton, MA. Copyright © 2005de John LaFarge (1835-1910), feito de 1886, na por Daniel PB Smith e lançado sob os termos daIgreja da Unidade, North Easton, Massachusetts, licença GNU Free Documentation License. A obraEUA. Janela restaurada por Victor Rothman para de arte mostra é um trabalho 1901 por JohnVitral, Yonkers, NY LaFarge (1835-1910). Restaurado por "Victor Rothman para vitral Inc" de Yonkers, New York em 1996.
  38. 38. Inglês: "Anjo no túmulo"pelo famoso artistaamericano John LaFarge, noguindaste Thomas PublicLibrary (Quincy,Massachusetts).
  39. 39.  MORRIS, Elizabeth – Stained and Decorative Glass http://www.dfalcovitrais.com.br/dfalconovo/index.php?pg=galeriavitrais&idcat=5 http://www.portalbaraogeraldo.com.br/anunciantes/vitrais-ton-geuer/ http://vitriitalia.com.br/pt/ov.htm http://pt.wikipedia.org/wiki/William_Morris http://tipografos.net/designers/morris.html http://kinodinamico.com/tag/willian-morris/ http://msn.lilianpacce.com.br/fashionteca/william-morris-estampas/ http://translate.google.com.br/translate?hl=pt- BR&langpair=es%7Cpt&u=http://es.wikipedia.org/wiki/Edward_Burne-Jones http://translate.googleusercontent.com/translate_c?hl=pt- BR&langpair=en%7Cpt&rurl=translate.google.com.br&u=http://www.artchive.com/artchive/ B/burne-jones.html&usg=ALkJrhjK4HYiwZPQr7APfe-yKZu27jiqbQ http://translate.google.com.br/translate?hl=pt- BR&langpair=en%7Cpt&u=http://www.masterslodge.co.nz/about/history_of_the_lodge/tiffa ny_bio.htm http://houdelier.com/paginas/mosaicotiffany.html http://www.fashionbubbles.com/historia-da-moda/os-homens-do-art-nouveau-louis-tiffany- parte-25/ http://www.foroxerbar.com/viewtopic.php?t=7835http://translate.google.com.br/translate? hl=pt- BR&sl=en&u=http://en.wikipedia.org/wiki/John_LaFarge&ei=4taAT5DqJsS80QGn3t3WBw&sa =X&oi=translate&ct=result&resnum=8&ved=0CEIQ7gEwB http://www.butlerart.com/pc_book/pages/john_la_farge_1835.htm http://www.nndb.com/people/013/000206392/

×