Logística Internacional - Prof. Samir Keedi - Novembro 2013

11.395 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.395
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
550
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Logística Internacional - Prof. Samir Keedi - Novembro 2013

  1. 1. Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu e MBA LOGÍSTICA INTERNACIONAL Prof. Me. Samir Keedi Novembro de 2013 Prof. Me. Samir Keedi Logística Internacional
  2. 2. LOGÍSTICA INTERNACIONAL: Veículo prático de competitividade samir keedi e-mail: samir@multieditoras.com.br samir
  3. 3. (47) 3026 4950 sustentare.net
  4. 4. samir
  5. 5. samir
  6. 6. samir
  7. 7. samir
  8. 8. samir
  9. 9. samir
  10. 10. ICC Publication No. 715E samir
  11. 11. samir
  12. 12. samir
  13. 13. samir
  14. 14. O CURSO - TEORIA - Estudo da logística de transporte - Breve visão dos modos e unitização de carga - Breve estudo do Incoterms 2010 - Importância atual da logística - Globalização visível e a logística (visão particular) - O novo paradigma dos preços das mercadorias - A importância do Incoterms na logística - Container: Vedete da logística e globalização - Importância da multimodalidade, intermodalidade, transbordo e empresas de serviços para a logística samir
  15. 15. - PRÁTICA - Case 1 - processo logístico para Moscou utilizando o aprendido nos nove capítulos teóricos - Case 2 - logística utilizada pela Unef na exportação de frangos para o Iraque no início dos anos 80 - Potencialidades futuras do transporte aéreo e suas possibilidades de substituição do modo marítimo - Custos logísticos envolvidos numa operação samir
  16. 16. OBJETIVOS - Complemento ao conhecimento sobre transportes e unitização de carga - Logística internacional, mas válida para nacional - não ser muito técnico, mas prático e didático - Mostrar a importância da logística para o comex - parte mais importante atualmente - Tentar melhorar procedimentos - incluir o Brasil no rol dos grandes players - participar com números coerentes à economia - Mostrar casos e situações reais bem sucedidos samir
  17. 17. 1 - INTRODUÇÃO À LOGÍSTICA - Atividade milenar - Iniciada com modos de transporte rudimentares e que foram evoluindo - Escolha permanente entre modos e operações - a melhor forma de entrega de bens - Pressupõe domínio de vários conhecimentos - Está implícito um profundo sentido de parceria - cada parte deve ver o processo como um todo - Pode fazer a diferença na competitividade samir
  18. 18. samir
  19. 19. QUALIDADE DA INFRAESTRUTURA BRASILEIRA DE TRANSPORTE (Entre 142 países) Posição: - 104º Em Infraestrutura(*) 107º (2013) - 91º em Ferrovia - 110º em Rodovia - 122º em aerovia - 130º em Porto 135º (2013) Investimento sobre o PIB: (*) Fonte: Fórum Econômico Mundial (2011) samir - 0,49% Brasil - 4,0% Índia - 5,0% Rússia - 5% China
  20. 20. samir
  21. 21. samir
  22. 22. Logística de transporte é um processo permanente de escolha da melhor alternativa de entrega, e que não pode ter modelo, pois o que foi bom ontem não será necessariamente adequado hoje ou amanhã. samir keedi samir
  23. 23. 2 -BREVE VISÃO DO MODOS DE TRANSPORTE E UNITIZAÇÃO DE CARGA - MODAL OU MODO (?) - SISTEMAS DE TRANSPORTE - aquaviário: marítimo, fluvial e lacustre - terrestre: rodoviário e ferroviário - aéreo samir
  24. 24. 2.1. MARÍTIMO - Navegação em mares e oceanos - longo curso e cabotagem (inclui fluvial/lacustre) - linha regular ou não regular - O modo mais utilizado no comércio exterior - Pequena utilização interna, mas em crescimento - Navios - diversos tipos, tamanhos, características - cargas sólidas, líquidas, geral, granel, unitizadas - o de maior capacidade estática - carga geral, especializados, multipropósitos, porta-containers samir
  25. 25. samir
  26. 26. samir
  27. 27. samir
  28. 28. samir
  29. 29. samir
  30. 30. samir
  31. 31. samir
  32. 32. samir
  33. 33. samir
  34. 34. 2.2. FLUVIAL - Navegação em rios (interior) - Navegação nacional e longo curso - Regular ou não regular - Chatas, barcaças e navios - Pequena utilização interna - Com grande potencialidade - Pode fazer parte da cabotagem e longo curso 2.3. LACUSTRE - Navegação em lagos (interior) - Idem no restante, menos na potencialidade samir
  35. 35. samir
  36. 36. TRANSPORTE INTEGRADO samir
  37. 37. 2.4. RODOVIÁRIO - Transporte por rodovia - Nacional ou internacional - O mais utilizado no país - Pequena importância no comércio exterior - Veículos: diversos tipos, tamanhos - Porta a porta - Ideal para produtos de médio / alto valor agregado - Custos visíveis e invisíveis - Ideal para curtas e médias distâncias - Básico para a intermodalidade / multimodalidade - Atuação mais nobre samir
  38. 38. samir
  39. 39. samir
  40. 40. samir
  41. 41. samir
  42. 42. 2.5. FERROVIÁRIO - Transporte sobre trilhos - Nacional ou internacional - Veículos: tipos e capacidades - Pequena importância interna e externa - Grande capacidade de carga - Baixo frete - Baixa velocidade - Ideal para longas distâncias - Ideal para produtos de baixo valor agregado samir
  43. 43. samir
  44. 44. samir
  45. 45. samir
  46. 46. TERMINAIS INTERMODAIS samir
  47. 47. 2.6. AÉREO - Nacional / doméstico / cabotagem ou internacional - Transit time privilegiado - muito rápido - Frete ainda alto em termos gerais - Ideal para as seguintes mercadorias - por ora - amostras / pequenas cargas - cargas perecíveis - cargas de grande valor agregado - Capacidade de multiplicação do espaço - 3 configurações - A grande opção futura de transporte >> samir
  48. 48. samir
  49. 49. 2.7. UNITIZAÇÃO DE CARGA E EQUIPAMENTOS - Agrupamento de carga - movimentação, armazenagem, transporte - Unidades de carga - pallets e containers são os mais adequados - outros tipos - Marítimos e aéreos - naturezas diferentes - marítimos - conveniência das partes - aéreos - conveniência dos transportadores samir
  50. 50. 2.7.1. EQUIPAMENTOS MARÍTIMOS - Pallets tradicionais - características - materiais e medidas - Containers (TEU) - tipos e materiais - medidas e capacidades - ova e desova - adequabilidade dos containers - ocupação dos containers samir
  51. 51. samir
  52. 52. samir
  53. 53. samir
  54. 54. samir
  55. 55. samir
  56. 56. samir
  57. 57. samir
  58. 58. samir
  59. 59. samir
  60. 60. samir
  61. 61. samir
  62. 62. 2.7.2. EQUIPAMENTOS AÉREOS - Pallets maciços - materiais e medidas - Containers - materiais - tipos - medidas - capacidades samir
  63. 63. samir
  64. 64. samir
  65. 65. 3 - BREVE ESTUDO DO INCOTERMS 2010 - IMPORTÂNCIA - Estabelecimento de um ponto de entrega - Divisão de responsabilidades (custos e riscos) - O QUE É - Conjunto de 11 termos internacionais de entrega - Usos e costumes consolidados pela ICC-Paris - desde 1936 (revisões 53; 67; 76; 80; 90; 00; 10) - atual em vigor é a Publ. 715E (01/01/11) - menção do Incoterms e versão samir
  66. 66. - DIVISÃO EM 4 GRUPOS DE ENTREGA - Grupo E - Partida: - EXW - Grupo F - Transporte principal não pago: - FCA / FAS / FOB - Grupo C - Transporte principal pago: - CPT / CIP / CFR / CIF - Grupo D - Chegada: - DAT / DAP / DDP samir
  67. 67. - UTILIZAÇÃO NOS MODOS DE TRANSPORTE - Qualquer modo de transporte - EXW - FCA - CPT / CIP - DAT / DAP / DDP - Transporte aquaviário apenas - FAS / FOB - CFR / CIF samir
  68. 68. - UTILIZAÇÃO NO SEGURO - Obrigam a contratação de seguro pelo vendedor - CIP / CIF - Não obrigam a contratação (só responsabilidade) - EXW - FCA / FAS / FOB - CPT / CFR - DAT / DAP / DDP samir
  69. 69. FOB CFR CIF EXW FAS comprador samir
  70. 70. FCA CPT CIP FCA CPT CIP comprador samir
  71. 71. DAP DDP DAT DAT DDP DDP DAP alfândega samir
  72. 72. 4 - IMPORTÂNCIA ATUAL DA LOGÍSTICA - ATIVIDADE MAIS IMPORTANTE DO COMEX - De atividade de suporte a carro-chefe - circunstancialmente, devido ao momento - até a logística estabelecer-se mais firmemente - Iniciada com a abertura econômica em 1990 - Obrigação de melhoria de processos internos - exemplos indústrias automobilística / informática samir
  73. 73. MOTIVOS DA ATUAL IMPORTÂNCIA - PLANO INTERNO - PRIVATIZAÇÃO DAS OPERAÇÕES PORTUÁRIAS - lei 8.630 de 25.02.93 - com erros na concessão onerosa e propriedade - aumento da produção e da produtividade - redução dos custos - grandes investimentos privados - competição entre os portos - competição entre os terminais de mesmo porto - porto como “shopping center” samir
  74. 74. - RENASCIMENTO DA NAVEGAÇÃO DE CABOTAGEM - crescimento acelerado e contínuo - mais uma opção de transporte interno - transporte de grandes quantidades - frete mais baixo que os demais modos - mais segurança à carga - mais qualidade à logística - futuro garantido na logística samir
  75. 75. PORTO DE SANTOS samir
  76. 76. REGIÃO ARMAZÉM 37 – CERCA 1970 CHEGADA DE GUINDASTES samir TERMINAL 37 - 1997 ARMAZÉM 37 – 1995 TERMINAL 37 - 1997
  77. 77. - PRIVATIZAÇÃO DAS OPERAÇÕES FERROVIÁRIAS - ocorrida com grande atraso na década de 90 - com erros na concessão onerosa e propriedade - grandes investimentos privados - mas ativos continuam do governo - entregue sucateada pelo governo - pequena malha - mal distribuída geograficamente - para mercadorias de baixo valor agregado samir
  78. 78. - baixa velocidade - passagens de nível - invasões - problema de bitolas - criatividade para torná-la viável - recuperação da credibilidade - precisa ser visto como complementar ao rodoviário - rodoviário para pequenas distâncias - ferroviário para longas distâncias - recriação da indústria ferroviária samir
  79. 79. - MODO FLUVIAL - baixos investimentos - pequena utilização - hidrovia do Mercosul - rios Tietê, Paraná e Paraguai - construção de eclusas no Tietê - melhoria das condições no centro-oeste e norte - transporte para norte e dai para o exterior - para mercadorias de baixo valor agregado - temos que utilizá-la como se faz no exterior samir
  80. 80. - CRIAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DOS PORTOS SECOS - ex-EADI - descentralização dos despachos - zona primária ou zona secundária - localização no interior, perto dos comerciantes - local de armazenagem próximo - menores custos de utilização / armazenagem - tornando a zona primária apenas de passagem samir
  81. 81. - PROCESSO LOGÍSTICO COMO DIFERENCIAL - empresas = mesmos produtos e mesmos processos - mas com diferentes custos de entrega - ainda que nos mesmos locais - diferença é a logística – custo considerável - valorização da logística a partir dos anos 1990 - criação de departamentos, diretorias e unidades - escolha de portos / terminais - escolha dos modos de transporte interno samir
  82. 82. - MUDANÇA NA MATRIZ DE TRANSPORTE - Rodoviário - substituição gradativa por outros modos - redução da importância quantitativa - integração com os demais modos - aumento da importância qualitativa - elo mais efetivo da cadeia logística - vedete do transporte - atuação nobre - intermodalidade - multimodalidade samir
  83. 83. - PLANO EXTERNO - Globalização visível >> - Novo paradigma de preços >> - fim da equação “custo + lucro = preço” - A importância do Incoterms >> - Criação do container marítimo >> - agilização da entrega de mercadorias - aumento do comércio mundial samir
  84. 84. 5 - GLOBALIZAÇÃO VISÍVEL E LOGÍSTICA - GLOBALIZAÇÃO NÃO É PROCESSO NOVO - Surgiu com a humanidade através de: - comércio exterior - instalação de empresas no exterior - transferência de recursos financeiros - visita e conhecimento de outras localidades - trabalhos no exterior - mudanças para outros países - acordos econômicos gerais - guerras, conquistas, escravidão - etc. samir
  85. 85. samir
  86. 86. - RAZÃO DA GLOBALIZAÇÃO TER FICADO VISÍVEL - Visibilidade dada pelo avanço na - Tecnologia - Comunicação - Abertura econômica dos países - Importância do container marítimo >> - agiliza os avanços tecnológicos - agiliza os avanços das comunicações - possibilita a multiplicação do transporte - possibilita o aumento do comércio samir
  87. 87. - BRASIL: GLOBALIZAÇÃO REAL COMEÇA EM 1990 - Novo Dom João VI - abertura de portos, aeroportos e fronteiras - Discussão por todos sobre sua importância - Utilização inadequada do conceito - o simples transporte é considerado logística - Necessidade de adaptação internacional - corrida por eficiência - redução de custo, mormente em mão-de-obra - mão-de-obra é muito cara samir
  88. 88. 6 - O NOVO PARADIGMA DOS PREÇOS DAS MERCADORIAS E A LOGÍSTICA - GANHOS LIMITADOS - salvo casos isolados e excepcionais - concorrência é cada vez maior - preços são internacionais - pode-se obter mercadorias em qualquer parte - mercado é o planeta - inibe aumentos de preços desproporcionais - inibe a antiga equação de formação de preços samir
  89. 89. “Custo + Lucro = Preço” (velho conceito de produção) - Equação própria para economia fechada - vendedor decide o preço de venda - não leva em conta a concorrência internacional - provoca atrasos tecnológicos - premia a incompetência produtiva - reserva de mercado (veículos, informática, etc.) - elimina a competitividade no comércio exterior samir
  90. 90. - A FALTA DE COMPETITIVIDADE DO BRASIL - Corrente de comércio de 19,0% do PIB em 2012 - Corrente de comércio de 19,5% do PIB em 2011 - Corrente de comércio de 17,9% do PIB em 2010 - Participação de 1,27% no comércio mundial em 2012 (exportação 1,33% - importação 1,20%) - Cerca de 18.000 empresas exportadoras em 2011 - 934 empresas (5,0%) = 92,0% da exportação - 161 empresas (0,8%) = 70,0% - pequenas e médias com cerca de 2-3% - 20º Exportador – 20º importador (2011) samir
  91. 91. - COMÉRCIO MUNDIAL TOTAL - Corrente de comércio de 50,0% do PIB em 2012 - Corrente de comércio de 51,9% do PIB em 2011 - Corrente de comércio de 48,1% do PIB em 2010 - RELAÇÃO INTERNACIONAL - PIB = EUA(1º) China (2º) Japão(3º) Alemanha (4º) - EXP = China(1º) EUA (2º); Alemanha (3º) Japão (4º) - Participação de 25-40-50-140-270% do PIB - POTENCIALIDADE BRASILEIRA - Nunca honrada samir
  92. 92. - NOVA EQUAÇÃO DE FORMAÇÃO DE PREÇO É “Preço - Lucro = Custo” - Vendedor não decide mais o preço de venda - preço é determinado pelo mercado - Custo de produção deve ser adaptado - corrida por inovação tecnológica - mudança estrutural da indústria samir
  93. 93. 7 - A IMPORTÂNCIA DO INCOTERMS NA LOGÍSTICA - IMPORTÂNCIA - Instrumento mais importante do Comex - Define o ponto de entrega - Princípio de qualquer processo logístico - deve ser a Bíblia dos Traders - ENTENDIMENTO - Pouco entendido, nem todos o tem - Normalmente entende um pouco apenas seu termo - Praticamente não é lido, nem consultado samir
  94. 94. - UTILIZAÇÃO NORMAL (FOB - CFR) - Pelo controle parcial da logística (FOB – CFR) - não querer ir além do navio - não desejar assumir riscos em outro país - não ter interesse em prestar serviço completo - Livrar-se dos problemas (FOB) - da reserva de praça - do financiamento do frete - Desejo de (CFR) - controle da reserva de praça - não depender da nomeação de navio por outrém samir
  95. 95. - DESVANTAGEM DESTA PRÁTICA - Inadequado para a logística atual - Empresas querem mais serviços - Pode representar perda de competitividade - UTILIZAÇÃO IDEAL DOS TERMOS - Trabalhar com os 11 termos (de EXW a DDP) - atualização frequente dos custos logísticos - acompanhamento contínuo da atividade - respeitar o poder do vendedor ou comprador - opção de diversas soluções logísticas - criar vantagem competitiva - diversas soluções samir
  96. 96. 8 - CONTAINER: A VEDETE DA UNITIZAÇÃO, LOGÍSTICA E GLOBALIZAÇÃO - MAIS IMPORTANTE EQUIPAMENTO DE CARGA - Equipamento cada vez mais utilizado - Aumento extraordinário do comércio mundial - 117,0 bilhões de US$ em 1950 - 37,0 trilhões de US$ em 2012 (50,0%)(PIB 74,0) - Cresce mais do que o comércio mundial - Movimento de 600 milhões de TEU EM 2012 - HORA E VEZ DA LOGÍSTICA - AC / DC - Responsável pela globalização visível - avanço de 2-3 décadas no desenvolvimento samir
  97. 97. - SUBSTITUIÇÃO DA PRÁTICA DE - Utilização de navios convencionais - com porões para carga geral (breakbulk) - Embarque por unidade de mercadoria ou granel - ou com unitizações simples - pallets, tambores, amarrados, etc. - Manipulação da carga por todo o trajeto - Prática milenar de movimentação de carga - operações demoradas samir
  98. 98. - CRIAÇÃO E PADRONIZAÇÃO - Primeiros containers - 35’ - Primeiros navios - Ideal Ex (tanque adaptado) - 1956 - 58 containers no convés - Primeiro porta-container - Gateway City - 1957 - 226 containers (395,5 TEU atual) - Utilização na cabotagem nos EUA - Padronizado pela ISO - 1968 - pés (’) e polegadas (“) samir
  99. 99. - VEDETE DA UNITIZAÇÃO E LOGÍSTICA - Agrupamento / consolidação de carga - Mudança na forma de entrega - Proteção da mercadoria - Redução de custos de manipulação da carga - Redução custos de embalagem - Redução de custos de seguro - Redução de custos de armazenagem samir
  100. 100. - Local de armazenagem temporário - Aumentos dos espaços nos navios - Embarque com qualquer tempo e clima - Embarque e desembarque mais rápidos - Utilização de equipamentos mais sofisticados - Transporte mais seguro - Operações especiais de transporte - Salto de qualidade, quantidade e valor samir
  101. 101. - Exemplo prático - frangos para extremo oriente - 5.000 toneladas de frangos - breakbulk - navios frigoríficos convencionais - embarque mínimo em uma semana - prancha de embarque pequena - problemas com o clima - container - 200 unidades 40’ - redução do embarque para poucas horas - Não importa o clima samir
  102. 102. 9 - MULTI, INTERMODALIDADE, TRANSBORDO E EMPRESAS DE SERVIÇOS PARA LOGÍSTICA - CARACTERÍSTICAS DAS OPERAÇÕES - Entrega da mercadoria por mais de um veículo - utilização de mais de um modo: - intermodalidade >> - multimodalidade >> - utilização de um modo: - transbordo >> - Formas variadas de fazer logística samir
  103. 103. - INTERMODALIDADE - Utilização normal e antiga no transporte - Documentos de transporte individuais - um para cada modo - Responsabilidades divididas - cada modo assume seu trajeto - Dono da carga é o embarcador de cada modo - recorre contra quem causou dano ou perda - ou contra a seguradora se tiver seguro samir
  104. 104. - MULTIMODALIDADE - Utilização de um OTM - Operador de Transporte Multimodal - Documento de transporte único - Responsabilidade única de um OTM - embarcador só tem um transportador - embarcador recorre contra o OTM nas avarias - OTM - transportador ou não - responsabilidade sobre a carga - emite documento de transporte - pode subcontratar transporte samir
  105. 105. - TRANSBORDO - Utilização de apenas um modo de transporte - transporte com mais de um veículo - transferência de carga entre esses veículos - entre pontos de embarque e destino - com documento de transporte único - Não é transbordo - utilização de 2 modos de transporte - conhecimentos de embarque independentes samir
  106. 106. - UTILIZAÇÃO NA LOGÍSTICA - Deve-se utilizar todos os instrumentos à mão - Mais ou menos modos é irrelevante - Pode fazer diretamente ou com terceiros - Utilizar operador logístico ou transportadores - Sucesso vem com a utilização na medida certa - a melhor utilização faz a diferença - diferencia dois ou mais processos logísticos samir
  107. 107. - Permite infinitas combinações entre - operações especiais de transporte - prestadores de serviços - modos de transporte - Incoterms - locais de embarque - locais de entrega - armazenagem - etc. - Adequação da Carta de Crédito - não proibir transbordo samir
  108. 108. 10 - A LOGÍSTICA EM TODA A SUA PLENITUDE (EXPORTAÇÃO SÃO PAULO / MOSCOU) - MERCADORIA EXPORTADA - Produto congelado (frangos) - controle de temperatura - equipamento frigorífico - DIVISÃO DA LOGÍSTICA ENTRE AS PARTES - Depende do ponto de entrega - escolha do Incoterms - respeito aos poderes dos intervenientes samir
  109. 109. - EMBARQUE - Escolha da forma de embarque / transporte - breakbulk ou pallets = navio convencional - containers ou pallets e ctrs = porta-container - local da ova do container - armazém / porto - disponibilidade para ova na origem - responsabilidade pela ova - opção pelo container e navio porta-container - regular ou afretado - porto de embarque - terminal portuário - cliente é o armador (limitação a armadores) samir
  110. 110. - TRANSPORTE INTERNO ATÉ O PORTO - Escolha do modo ou modos - qual deles - disponibilidade - diferentes fretes - diferentes transit times - vantagem ou desvantagem logística - NAVIO REGULAR - Direto, transbordo, inter ou multimodalidade - disponibilidade, frete, transit time - porto de desembarque se não for direto samir
  111. 111. - REEMBARQUE ( Europa) - Escolha do modo ou modos para continuidade - por mar ou sobre rodas (borracha ou ferro) - conveniência, disponibilidade, frete; transit time, segurança, qualidade, etc. - DEPÓSITO NA EUROPA É VIÁVEL? - Estoque para entrega rápida/pequenas quantidades - custo de construção, aluguel, manutenção - quantidade ideal de carga - custo de estoque e armazenagem - consequências da perda da venda samir
  112. 112. 11- A LOGÍSTICA VENCENDO A GUERRA (UNEF - A SAGA DO FRANGO NO IRAQUE) - CONSÓRCIO - O mais bem-sucedido já criado no país (1977) - para exportar frangos para O. Médio - Informal (não havia normas) - Uma empresa de coordenação dos abatedouros - Fazer do Brasil importante exportador - Continuação do projeto iniciado em 1975 samir
  113. 113. - 2012 - Exportação de US$ 8,25 bilhões – 3,9 mi tons - Exportação para cerca de 160 países - Aumento do consumo de frango per capita - de 5-6 quilos para 44 quilos - ESTRUTURA DA UNEF - Sociedade entre seu criador e abatedouros - Congregando produtores - pequenos, médios e grandes - situados no RG - SC - PR - SP - MG samir
  114. 114. - PARTICIPANTES - Desenvolvimento mais ou menos homogêneo - Democrático - cobertura de falhas dos demais - hermanitos - participação acionária equivalente - Esforço exportador contínuo - MARCA E PRODUTO - Marca única - Qualidade uniforme - Produto único samir
  115. 115. - LOCALIZAÇÃO EM SÃ0 PAULO - Importância econômica - Central a todos os abatedouros e portos - Próximo às sociedades islâmicas - Representações diplomáticas dos importadores - Proximidade ao aeroporto - DIVISÃO DE TAREFAS - Unef como vendedora - Abatedouros como exportadores samir
  116. 116. - UNEF (ATIVIDADES) - Reuniões mensais para determinação das vendas - com presidentes e diretores - planos futuros / disponibilidade de frangos - Vendas e contratos - basicamente CFR - Distribuição das quantidades para embarque - Reserva/contratação de praça/navio - Definição dos portos de embarque e desembarque - Recebimento e transferência de cartas de crédito - Emissão de documentos de exportação samir
  117. 117. - ABATEDOUROS (ATIVIDADES) - Determinação da quantidade disponível - Produção dos frangos - Logística interna (transporte, armazenagem, etc.) - Exportação direta - Contratação de câmbio - Despacho - Embarque samir
  118. 118. - LOGÍSTICA INICIAL TRIVIAL - Aplicada à produção - Movimentação interna - Armazenagem - Transporte interno - Reserva de navio - Definição dos portos de: - embarque e desembarque samir
  119. 119. - SOFISTICAÇÃO PARCIAL DA LOGÍSTICA - Afretamentos de navios - Armazenagem nas fábricas ou nos portos - Definição dos portos de: - embarque e desembarque - problemas de calado e congestionamento - concorrência com outros navios na entrada - em especial porta-containers - Responsabilidade pela operação do navios - demurrage samir
  120. 120. - LOGÍSTICA JÁ É AVENTURA - Compra de 2 navios - investimento e manutenção - responsabilidade pelas operações - problemas de calado e congestionamento - concorrência com outros navios na entrada - vantagem competitiva e logística - prevenir falta de embarcações - portos que não interessavam aos armadores samir
  121. 121. - GUERRA IRAQUE / IRAN - Porto de Basrah não pode mais ser usado - fica na divisa com o Iran, no golfo pérsico - Mudança de porto de entrega no destino - primeiro Kuwait, mas também perto - depois Aqaba, no mar vermelho - Iraque perde a capacidade de retirada do frango samir
  122. 122. - SOFISTICAÇÃO TOTAL DA LOGÍSTICA - UNEF oferece entrega no Iraque - porto de destino Mersin, no mar mediterrâneo - distribuição em 12 localidades - logística total da UNEF - venda DDU - preservação de emprego no Brasil - Contratação de empresa rodoviária alemã - quantidade ideal de carretas - Câmaras frigoríficas - dezenas de unidades - sem condições de uso - UNEF coloca 6 engenheiros para manutenção samir
  123. 123. samir
  124. 124. 12 - O AVIÃO COMO O FUTURO DA LOGÍSTICA DE TRANSPORTE - UTILIZAÇÃO DOS MODOS - PENSAR NO AÉREO - Carga deverá crescer com o tempo - Poderosa arma de logística - principalmente futura - Revolução comparada ao container marítimo - logística é bastante dinâmica - está em constante mutação - Deixará de ser para mercadorias - alto valor agregado, perecível, amostras, pequeno tamanho, amostras, urgentes samir
  125. 125. - COMPARAÇÃO DE VALORES EM % - 2012 - Exportação - marítima = 84,0 % - aérea = 4,5 % - Importação - marítima = 75,5 % - aérea = 17,6 % - COMPARAÇÃO DE PESO EM % - 2012 - Exportação - marítima = 96,1 % - aéreo = 0,2 % - Importação - marítima = 89,5 % - aéreo = 0,2 % samir
  126. 126. - CONSTANTE PROCURA DE MELHORIAS - Inadequado pensar apenas no tradicional navio - poderá não ser sempre o de maior capacidade - A tecnologia fez os navios crescerem - o avião também tem crescido - nos anos 40 apenas carga de correio - modo relativamente novo samir
  127. 127. - Just in time é cabo eleitoral poderoso - agilidade é fundamental - eliminação de estoques é busca permanente - também na entrega, além da produção - lembrar da nova equação de preços - redução de custos e perdas financeiras - Exceção - produtos sazonais (ex. peru de natal) samir
  128. 128. - SUBSTITUIÇÃO DO NAVIO - Na carga geral embalada - toda a chance possível - com utilização de containers marítimos - Na carga a granel - sem qualquer chance - problemas de baixo valor agregado samir
  129. 129. - CAPACIDADE DE CARGA DOS AVIÕES - Mito da baixa capacidade - ela é apenas estaticamente baixa - grande capacidade de rotatividade - mais viagens, mais transporte de carga - VELOCIDADE E AUTONOMIA - A velocidade tem sido foco de atenção - já temos velocidades maiores disponíveis - A autonomia também tem crescido samir
  130. 130. samir
  131. 131. - VALOR DO FRETE - Mito do valor alto - ele é apenas aparente - não se pode comparar fretes apenas - há que se comparar custo de transferência - distância dos portos e aeroportos - custos de embarque e desembarque - custos de embalagem - custos de seguro - lembrar do turismo da carga no navio - capital parado samir
  132. 132. - UTILIZAÇÃO LOGÍSTICA - Embarque de caminhões da International (2002) - de Curitiba para o Equador - transporte em menos de 4 horas - frete equivalente ao navio - Exportação de peito de frango resfriado (1990) - embarque semanal (validade para 7 dias) - frete mais alto - preço de venda maior samir
  133. 133. samir
  134. 134. samir
  135. 135. - TAMANHO DOS AEROPORTOS - Menores que hoje - mais espaço para “shopping centers” - Decolagem e aterrissagem vertical - a tecnologia já existe - problemas de custo - helicópteros - Harriers - veículos espaciais samir
  136. 136. 13 - CUSTOS LOGÍSTICOS - DA ORIGEM AO DESTINO - Cada situação um custo diferente - carga solta - granel (bulk) ou geral (breakbulk) - carga unitizada - tipo de unitização - simples - dupla samir
  137. 137. - CUSTOS LOGÍSTICOS GERAIS - No ponto de origem - armazenagem / movimentação - carregamento e estiva no veículo secundário (*) - Transporte no veículo secundário (*) - No ponto de embarque final (*) - descarga do veículo secundário - armazenagem / movimentação - embarque no veículo principal (*) se não for direto samir
  138. 138. - Transporte principal (*) - No ponto de desembarque intermediário (*) - desembarque do veículo principal - armazenagem / movimentação) - carregamento no veículo secundário - Transporte no veículo secundário (*) - No ponto de destino final - descarga do veículo secundário (*) - armazenagem / movimentação (*) se não for direto samir
  139. 139. - CUSTOS LOGÍSTICOS CIRCUNSTANCIAIS - Armazenagem extra - eventuais problemas no transporte - transbordo - passagem por terceiros países - custos de entrada e saída samir
  140. 140. - Unitização da carga - Pallets - pallet e paletização - movimentação - Containers - Ova - casa ou porto - movimentação da unidade - transporte da unidade - Outros equipamentos de unitização - unitização, movimentação - Unitização dupla samir
  141. 141. - Diferença de custos de embalagem - Diferença de custos de seguro - Desova do container - Devolução do container - Handlings do container - Tipos de frete e suas condições - Etc. samir
  142. 142. - DIRETO OU COM TERCEIROS - Custos de prestadores de serviços - freight forwarder (transitário de carga) - despachantes comissárias - OTM - NVOCC - Etc. - IMPOSTOS ALFANDEGÁRIOS - Não são custos logísticos samir
  143. 143. MODELO DE LOGÍSTICA - FAZ SENTIDO TER MODELO? - Modelo é virtualmente impossível - As mudanças são muito rápidas - NO BRASIL - Os modos alternativos ainda lutam pela carga - O transporte rodoviário ainda não perdeu - A privatização portuária ainda tem muito a andar - A cabotagem ainda está apenas renascendo - A privatização das ferrovias tem um longo caminho - As hidrovias também ainda tem um longo caminho samir
  144. 144. - NO EXTERIOR - Aprofundamento da globalização - a maioria dos países ainda não se aprofundou - só estará completa com todos os países - Mudanças nos perfis de competitividade dos países - principalmente dos que ainda estão fora - em face das melhorias contínuas e permanentes - possibilidade de utilização de modos diversos - mais competitivos em muitos países samir
  145. 145. ALGUM CONCEITO QUE ABORDAMOS AO LONGO DA DISCIPLINA QUE VOCÊS QUEIRAM PERGUNTAR PARA CONTRIBUIR JUNTO AO SEU TCC? TCC - Trabalho e Conclusão de Curso PEA - Projeto Empresarial Aplicado + Artigo Científico OU Monografia + MES Metodologia do Ensino Superior (47) 3026 4950 sustentare.net
  146. 146. (47) 3026 4950

×