Aula 6 logística internacional

746 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
746
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
37
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Explicar clientes internos e externos
    Meios de aumentar os lucros das empresas: aumentar vendas e reduzir custos
  • Conta do operador, risco para o cliente
  • Nomes variados sempre com o objetivo de aumentar receita
    Security surcharge relacionado aos ataques terroristas de Set 2001
    WAR RISK cobrada em algumas rotas na época da guerra do Iraque
  • Explicar modalidades ISENÇÃO, SUSPENSÃO e RESTITUIÇÃO (na primeira e terceira ocorrem desembolsos dos impostos)
  • Nenhuma responsabilidade para o exportador, como também não assume qualquer custo logístico, com exceção de documentos e embalagem.
  • FOB explicar a diferença da utilização nos EUA como FOB PLANT ou FOB WAREHOUSE em razão do REVISED AMERICAN TERMS, o que gera muitas dúvidas em relação a responsabilidade sobre os fretes.
    Nas exportações de agrobusiness e minério bastante comum vender FOB entregando o material no porto e cia. marítima selecionados pelo importador.
  • Exemplos do serviço EXPORTA FACIL que utiliza estrutura de desembaraço de parceiros no exterior.
    Comparação com serviços da Federal Express e UPS que tem estrutura com mais de 600 e 400 aviões respectivamente e frentes de atendimento para desembaraço em dezenas de países.
    Ferramenta eficaz de venda, muitos clientes não querem se preocupar em desembaraçar mercadorias em seus países querendo receber na porta.
  • Aula 6 logística internacional

    1. 1. LOGÍSTICA INTERNACIONALLOGÍSTICA INTERNACIONAL Prof. Fernando Augusto Silva Marins Material cedido pelo Prof. MSc. Antonio Carlos Cordeiro Côrtes
    2. 2. 2 SUMÁRIO 1. Introdução à Logística Internacional 2. Aspectos operacionais e custos logísticos 3. Incoterms 2010 – Modalidades de Venda 4. Regimes Aduaneiros Especiais
    3. 3. 3 Desvantagem geográfica do Brasil Principais Players Brazil
    4. 4. 4 Principais Fluxos Mundiais (2004) (159 Billions FTK - Freight Flow kilometers) Prof. Anderson Correia
    5. 5. 5 Logística de Distribuição (Logística Outbound) Logística de Distribuição (Logística Outbound) Logística Interna (Intralogística) Logística Interna (Intralogística) ClientesClientes ForneceFornece doresdores Global Supply Chain Management Logística de Suprimento (Logística Inbound) Fluxo de InformaçõesFluxo de Informações Fluxo (Fluxo (Forward & ReverseForward & Reverse) de Materiais) de Materiais Aduana Aduana
    6. 6. 6 Atividades-Chave - Serviços ao cliente (Marketing) - Identificar expectativas dos serviços logísticos - Estabelecer nível de serviço - Transporte Internacional - Seleção de Modal - Consolidação de fretes (Custos) - Gerência de Estoques - Política de programação de estoques (Custos) - Estratégia de armazenagem e Just in Time (Custos) - Processamento de Pedidos – Sistemas TI
    7. 7. 7 Porque a Logística é importante - Reduzir custos logísticos - Aumentar os lucros da empresa - Agregar valor ao produto vendido - Elevar nível de atendimento ao cliente
    8. 8. 8 Desafios da Logística Internacional…Desafios da Logística Internacional… Recursos Disponíveis - Airbus BelugaRecursos Disponíveis - Airbus Beluga
    9. 9. 9 Transporte Internacional - AéreoTransporte Internacional - Aéreo
    10. 10. 10 Transporte Internacional - AéreoTransporte Internacional - Aéreo
    11. 11. 11 Desafios da Logística Internacional…Desafios da Logística Internacional… Recursos Disponíveis - Navio Emma MaerskRecursos Disponíveis - Navio Emma Maersk
    12. 12. 12 Jurídico Fiscal Financeiro Produção Engenharia Comercial Contabilidade Compras Programação Recebimento Expedição Informática Logística Internacional Logística Internacional Interfaces com outros departamentos
    13. 13. 13 Secex / Decex Infraero ANVISA Consultoria Agente de Carga Operadores Logísticos Transportadoras Fornecedores Ministério Agricultura Receita Federal Despachante Aduaneiro Cias. Aéreas Cias. Marítimas Seguradora Logística Internacional Logística Internacional Integração com empresas e órgãos
    14. 14. 14 Uma questão fundamental da Logística Internacional Ciclos (transit-time) x Custos logísticos
    15. 15. 15 Níveis de ServiçoNíveis de Serviço
    16. 16. 16 Transporte Internacional - AéreoTransporte Internacional - Aéreo  Órgãos e empresas no modal aéreo • Ministério da Defesa – Comando da Aeronáutica • ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil • IATA – International Air Transport Association • Companhias Aéreas • Agentes de carga ou operadores logísticos  Tipos de Aeronaves • All Cargo (dedicada às cargas) • Full Pax (dedicada a passageiros) • Combi (misto)
    17. 17. 17 Transporte Internacional - AéreoTransporte Internacional - Aéreo Antonov 124/100Antonov 124/100 B747B747 MD11MD11 DC8DC8 B707B707 B777B777 115/770115/770 100/600100/600 60/40060/400 45/27045/270 36/22036/220 28/16028/160 ALLALL CARGOCARGO ton/mton/m33 Modelo - ACFTModelo - ACFT
    18. 18. 18 Contêiner LD2   Peso Máximo: 1.225 Kg Volume interno: 3,4 m3 Aeronaves : B767 Contêiner LD8   Peso Máximo: 2.450 Kg Volume interno: 7,2 m3 Aeronaves : B767 Unitização Carga no Transporte AéreoUnitização Carga no Transporte Aéreo
    19. 19. 19 Contêiner LD11/21   Peso Máximo: 3.175 Kg Volume interno: 7,2 m3 Aeronaves: DC10, Pax/Cgo, MD11  e B747 Contêiner Refrigerado LD3 (RKN) Peso Máximo: 1.331 Kg Volume interno: 3,1 m3 Aeronaves: B727F e MD-11 Unitização Carga no Transporte AéreoUnitização Carga no Transporte Aéreo
    20. 20. 20 Contêiner Refrigerado LD9  Peso Máximo: 5.588 Kg  (RAP) Volume interno: 8,3 m3 Aeronaves: B767 e MD-11 Baias para Cavalos   Peso Máximo: 2.670 Kg Área Útil (m): 8,2 m3  ou 2,7  m3  por cada compartimento Aeronaves: DC10 freighter e  B727F Unitização Carga no Transporte AéreoUnitização Carga no Transporte Aéreo
    21. 21. 21 Unitização Carga no Transporte AéreoUnitização Carga no Transporte Aéreo
    22. 22. 22 Unitização Carga no Transporte AéreoUnitização Carga no Transporte Aéreo
    23. 23. 23 Tarifa ConsolidadaTarifa Consolidada Até 45 Kg de 45Kg até 100Kg de 100Kg até 300Kg de 300Kg até 500Kg Acima de 500Kg Tarifa daTarifa da ConsolidadaConsolidada
    24. 24. 24 • Collect Fee % sobre o valor do frete • Taxa de Desconsolidação • Delivery Fee é a taxa p/ entrega dos documentos Taxas Acessórias – Modal AéreoTaxas Acessórias – Modal Aéreo • Fuel Surcharge • Security Surcharge
    25. 25. 25  Definições e cálculo do frete aéreo Peso Cubado: peso da carga definido com base nas dimensões do volume Fator de Estiva: 1 m3 = 1/6 ton = 166 kg Peso Bruto: peso propriamente dito Cálculo Frete InternacionalCálculo Frete Internacional
    26. 26. 26  Exemplo: 01 Volume, peso bruto 50 kg Dimensões : 100 cm (Comp), 50 cm (Larg), 40 cm (Alt) Peso Cubado = 100 . 50 . 40 = 33kg 6.000 Peso Bruto 50 kg > Peso Cubado 33 kg, logo, Peso Taxado = 50 kg Cálculo Frete InternacionalCálculo Frete Internacional
    27. 27. 27  Exemplo: Tarifa Miami para Viracopos: US$ 2,00 / Kg Frete Internacional = 50 kg x 2 = US$ 100,00 Collect Fee 2% , com mínimo de US$ 30,00 Collect Fee = US$ 30,00 Delivery Fee = US$ 20,00 Desconsolidação = US$ 20,00 Total Frete Internacional = US$ 170,00 Cálculo Frete InternacionalCálculo Frete Internacional
    28. 28. 28 Transporte Internacional - MarítimoTransporte Internacional - Marítimo  Órgãos e empresas intervenientes • IMO – International Maritime Organization • Secretaria dos Transportes Aquaviários • Departamento dos Portos (Cia. Docas) • Armador • Agência Marítima • NVOCC - Non Vessel Common Carrier (transportadora não proprietária de navio que possui registro do Departamento de Marinha Mercante) • Agente de Cargas
    29. 29. 29 Transporte Internacional - MarítimoTransporte Internacional - Marítimo  Tipos de Navios • Porta-Contêiner • Navio de Carga Geral • Graneleiro • Roll-On/Roll-Off • Navio-tanque • Navio Frigorífico • Navio Multicarga • Navio Curral
    30. 30. 30 Tipos de navios Cargueiro Convencional: para o transporte de carga geral, com os porões divididos de forma a atender diferentes tipos de carga. . Graneleiro: transporte de granéis sólidos (baixo custo operacional)
    31. 31. 31 Tanque: destina-se ao transporte de granéis líquidos. - Full Container Ship ou Porta-Contêiner: devem ser alocados por meio de encaixes perfeitos. - Tipos de navios
    32. 32. 32 Roll-on/Roll –off: transporte de veículos que são embarcados ou desembarcados por meio de rampas Tipos de navios
    33. 33. 33 LASH ou porta-barcaças:- Para portos congestionados, transporta barcaças com 400 t ou 600 m3 , embarcadas ou desembarcadas na periferia do porto. SEA-BEA: pode converter- se em Graneleiro ou Porta- contêiner - - Tipos de navios
    34. 34. 34 Tipos de navios Navio Frigorífico    
    35. 35. 35 Tipos de navios Navio Curral
    36. 36. 36 Transporte Internacional - MarítimoTransporte Internacional - Marítimo Comprimento Altura Em pés Em metros Em pés Em metros 20’ 6,10 8’ 2,43 40’ 12,20 8,6’ 2,62 45’ 13,70 9,6’ 2,92 Medidas dos ContêineresMedidas dos Contêineres
    37. 37. 37 Transporte Internacional - MarítimoTransporte Internacional - Marítimo Totalm3 Payload Tara 20’ 33 28t 2,5t 30,5t 40’ 67 31t 4t 35t Capacidades dos ContêineresCapacidades dos Contêineres
    38. 38. 38 Tipos de ContêineresTipos de Contêineres • Dry BoxDry Box - adequado paraadequado para cargas secas em geralcargas secas em geral • Bulk ContainerBulk Container - Com escotilhas posicionadas paraCom escotilhas posicionadas para carregamento e descarga - granéis sólidoscarregamento e descarga - granéis sólidos
    39. 39. 39 • VentilatedVentilated -- com pequenascom pequenas aberturas nas laterais -aberturas nas laterais - utilizado para cargas queutilizado para cargas que requisitam ventilação naturalrequisitam ventilação natural ReeferReefer - Unidade de refrigeraçãoUnidade de refrigeração auto sustentável ou acoplávelauto sustentável ou acoplável (ar ou força) - ideal para(ar ou força) - ideal para cargas perecíveiscargas perecíveis Tipos de ContêineresTipos de Contêineres
    40. 40. 40 • OpenTopOpenTop -- para cargas compara cargas com dificuldade de manuseiodificuldade de manuseio pelas portas.pelas portas. • Open Side, Flat RackOpen Side, Flat Rack e Plataforma -e Plataforma -Apresentam umaApresentam uma ou mais paredes móveis. Para facilidades de acesso ouou mais paredes móveis. Para facilidades de acesso ou para cargaspara cargas oversizeoversize Tipos de ContêineresTipos de Contêineres
    41. 41. 41 • Tank - ContainerTank - Container -- envolto porenvolto por uma armação apropriada, trata-seuma armação apropriada, trata-se de um tanque destinado aode um tanque destinado ao transporte de líquidos em geral etransporte de líquidos em geral e perigososperigosos Tipos de ContêineresTipos de Contêineres
    42. 42. 42 IInsulatednsulated HHanginganging CCargoargo:: RefrigeradoRefrigerado com Ganchos. Utilizadocom Ganchos. Utilizado para o transporte depara o transporte de carnes.carnes. IInsulatednsulated:: são altamentesão altamente separados e resfriados por arseparados e resfriados por ar circulante gelado no controlecirculante gelado no controle de temperaturas.de temperaturas. O ar gelado é fornecido peloO ar gelado é fornecido pelo Navio ou uma pequena baseNavio ou uma pequena base móvel ou por uma unidademóvel ou por uma unidade acoplada.acoplada. Tipos de ContêineresTipos de Contêineres
    43. 43. 43 Equipamentos para Movimentação deEquipamentos para Movimentação de Contêineres: PortainerContêineres: Portainer
    44. 44. 44 Equipamentos para Movimentação deEquipamentos para Movimentação de Contêineres: Rail-mounted GantryContêineres: Rail-mounted Gantry
    45. 45. 45 Equipamentos para Movimentação deEquipamentos para Movimentação de Contêineres: Reach Stackers e Mobile CranesContêineres: Reach Stackers e Mobile Cranes
    46. 46. 46 Tipos de Tarifas MarítimasTipos de Tarifas Marítimas • FCL – Full Container Load • LCL – Less Container Load • NCL - Non-Containerized Load
    47. 47. 47 Taxas Acessórias – Modal MarítimoTaxas Acessórias – Modal Marítimo • Bunker Surcharge: Sobretaxa de combustível (% frete básico – Peso Cubado). • Extra Length Charge: Para volumes com grandes dimensões (movimentação difícil). • Port Congestion Surcharges: Sobretaxa de congestionamento. Taxa depende do tamanho do contêiner e da Companhia Marítima. • THC/Capatazia – Terminal Handling Charge: despesa portuária que ocorre após o desembarque da mercadoria do navio. • Adicional de Frete para Renovação da Marinha Mercante (AFRMM) = 25% sobre o valor do frete. • Demurrage – Multa paga pelo contratante, quando o navio contratado demora nos portos (ou para devolução de contêineres ) mais do que o prazo acordado. • ISPS – International Ship and Port Facility Security Code – Código Internacional para a Proteção de Navios e Instalações Portuárias
    48. 48. 48  Definições Peso Cubado: peso da carga definido com base nas dimensões do volume Fator de Estiva: 1 m3 = 1 ton Peso Bruto: peso propriamente dito Transporte Internacional - MarítimoTransporte Internacional - Marítimo
    49. 49. 49 • Parametrização – Canal Verde Liberação Automática Desembaraço AduaneiroDesembaraço Aduaneiro
    50. 50. 50 • Parametrização – Canal Amarelo Conferência Documental Desembaraço AduaneiroDesembaraço Aduaneiro
    51. 51. 51 • Parametrização – Canal Vermelho Conferência Documental e Física Desembaraço AduaneiroDesembaraço Aduaneiro
    52. 52. 52 Exame de valor aduaneiro + Exame Documental + Conferência Física + Lista de preços • Parametrização – Canal Cinza Desembaraço AduaneiroDesembaraço Aduaneiro
    53. 53. 53  Tarifação sobre Valor CIF ou kg  ARMAZENAGEM AEROPORTUÁRIA INFRAERO PORTARIA DO COMANDO DA AERONÁUTICA NR. 219/GC5 de 27/03/2001 Armazenagem AeroportuáriaArmazenagem Aeroportuária  INFRAERO: empresa estatal do Ministério da Aeronáutica, responsável pela administração dos aeroportos brasileiros, assim como dos terminais de carga (TECA) e de passageiros  ATAERO – Adicional Tarifa Aeroportuária
    54. 54. 54 Armazenagem ImportaçãoArmazenagem Importação
    55. 55. 55 Armazenagem Secundária -Porto SecoArmazenagem Secundária -Porto Seco  Terminal privado alfandegado, onde ocorre a movimentação, armazenagem e despacho aduaneiro de mercadorias procedentes do exterior ou a ele destinadas, tendo como vantagens: • Proximidade ao domicílio do importador • Suspensão temporária dos tributos (Regimes Especiais) • Tarifas menores que nas zonas primárias • Maior agilidade na liberação de mercadorias
    56. 56. 56 Regimes Especiais de Importação - DrawbackRegimes Especiais de Importação - Drawback  Importação de matéria-prima sem o pagamento dos tributos II, IPI, ICMS, PIS e COFINS.  Objetivos: • Reduzir os custos dos produtos exportados • Tornar os preços de venda competitivos • Aumentar as exportações
    57. 57. 57 Regimes Especiais de Importação - DrawbackRegimes Especiais de Importação - Drawback  Condição que as mercadorias importadas sejam beneficiadas e depois exportadas ou sejam aplicadas na fabricação de produtos a serem exportados.  Caso não ocorra uma das condições, no período de vigência do Ato Concessório: • Devolução ao exterior; • Destruição da mercadoria imprestável ou sobra; • Nacionalização com pagamento de tributos.
    58. 58. 58 Redução de custos com suspensão de tributosRedução de custos com suspensão de tributos Impostos/ Taxas s/Drawback c/Drawback Imposto de Importação X % s/ CIF 0% I.P.I. Y% s/ CIF + II 0% PIS - COFINS 9,25% s/ CIF + ICMS 0% I.C.M.S. 18 % s/ CIF + II + IPI ** T.Marinha Mercante 25 % s/ Frete 0% Armazenagem (Aéreo) 1,5 % s/ CIF 0,75 % s/ CIF 0%
    59. 59. 59 Despacho Aduaneiro Expresso - LinhaDespacho Aduaneiro Expresso - Linha AzulAzul Instrução Normativa SRF nº 47 – 02 de maio 2001 Benefícios: • Armazenamento prioritário • Trânsito aduaneiro prioritário • Preferência para canal verde • Preferência se selecionado para conferência • Liberação em 4 horas após entrega dos documentos Instrução Normativa SRF nº 476 – 13 de dezembro 2004
    60. 60. 60 Nova Linha Azul - HabilitaçãoNova Linha Azul - Habilitação • Idoneidade fiscal (certidões negativas) • Manter controle contábil informatizado • Ampla AUDITORIA dos processos da empresa • Patrimônio líquido igual ou superior a R$ 20.000.000,00 • Mínimo de cem operações de comércio exterior, somando ao menos, US$ 10.000.000,00 ao ano
    61. 61. 61 IncotermsIncoterms OBJETIVOS DOS INCOTERMSOBJETIVOS DOS INCOTERMS  DEFINIR COM PRECISÃO AS CONDIÇÕESDEFINIR COM PRECISÃO AS CONDIÇÕES DE ENTREGA DOS BENS E O MOMENTO DADE ENTREGA DOS BENS E O MOMENTO DA TRANSFERÊNCIATRANSFERÊNCIA DOS RISCOS E DASDOS RISCOS E DAS RESPONSABILIDADES.RESPONSABILIDADES.  REGULAR AS CONDIÇÕES DE COMPRA EREGULAR AS CONDIÇÕES DE COMPRA E VENDA E PADRONIZAR NOMENCLATURAS EVENDA E PADRONIZAR NOMENCLATURAS E PROCEDIMENTOS.PROCEDIMENTOS. DEFINIR QUAIS OSDEFINIR QUAIS OS CUSTOSCUSTOS EXATOSEXATOS CONTIDOS EM CADA UM DOS TÊRMOS.CONTIDOS EM CADA UM DOS TÊRMOS. EXWEXW FCAFCA FASFAS FOBFOB CFRCFR CIFCIF CPTCPT CIPCIP DAFDAF DESDES DEQDEQ DDUDDU DDPDDP INCOTERMSINCOTERMS EXWEXW FCAFCA FASFAS FOBFOB CFRCFR CIFCIF CPTCPT CIPCIP DATDAT DAPDAP DDPDDP 2000 2010
    62. 62. 62 IncotermsIncoterms INCOTERMSINCOTERMS OBJETIVOS DOS INCOTERMSOBJETIVOS DOS INCOTERMS  PROMOVER A HARMONIA NOS NEGÓCIOSPROMOVER A HARMONIA NOS NEGÓCIOS INTERNACIONAIS A PARTIR DAINTERNACIONAIS A PARTIR DA INTERPRETAÇÃO PRECISA DOS TERMOS.INTERPRETAÇÃO PRECISA DOS TERMOS.  VIABILIZAR CONTRATOS REALIZADOSVIABILIZAR CONTRATOS REALIZADOS ENTRE PARTES DOMICILIADAS EM PAÍSESENTRE PARTES DOMICILIADAS EM PAÍSES DIFERENTES, COM LEGISLAÇÕES, USOS EDIFERENTES, COM LEGISLAÇÕES, USOS E COSTUMES DIVERSOS.COSTUMES DIVERSOS.  DEFINIR RESPONSABILIDADES E RISCOS,DEFINIR RESPONSABILIDADES E RISCOS, EVITANDO CONFLITOS E DISPUTAS.EVITANDO CONFLITOS E DISPUTAS. EXWEXW FCAFCA FASFAS FOBFOB CFRCFR CIFCIF CPTCPT CIPCIP DATDAT DAPDAP DDPDDP
    63. 63. 63 EXW – EX-WORKSEXW – EX-WORKS INCOTERMS 2010INCOTERMS 2010 EXWEXW FCA FASFAS FOBFOB CFRCFR CIFCIF CPTCPT CIPCIP DATDAT DAPDAP DDPDDP
    64. 64. 64 INCOTERMS 2010INCOTERMS 2010 EXWEXW FCAFCA FASFAS FOBFOB CFRCFR CIFCIF CPTCPT CIPCIP DATDAT DAPDAP DDPDDP FOB – FREE ON BOARDFOB – FREE ON BOARD
    65. 65. 65 FOB - Descrição http://www.iccwbo.org/incoterms/preambles/pdf/FOB.pdf ... seller delivers the goods on board the vessel nominated by the buyer ...
    66. 66. 66 INCOTERMS 2010INCOTERMS 2010 DAP – DELIVERED AT PLACEDAP – DELIVERED AT PLACE EXWEXW FCAFCA FASFAS FOBFOB CFRCFR CIFCIF CPTCPT CIPCIP DATDAT DAPDAP DDPDDP Os bens são entregues pelo vendedor no local de destino designado pelo comprador, sem descarregá-los do veículo transportador. O vendedor é responsável pelo desembaraço de exportação, mas não pelo desembaraço de importação.
    67. 67. 67 INCOTERMS 2010INCOTERMS 2010 EXWEXW FCAFCA FASFAS FOBFOB CFRCFR CIFCIF CPTCPT CIPCIP DATDAT DAPDAP DDPDDP DDP – DELIVERED DUTIES PAIDDDP – DELIVERED DUTIES PAID DDPDDP Veja arquivo INCOTERMS 2010 completo em www.feg.unesp.br/~fmarins

    ×