SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 37
O
DESENVOLVIMENTO
HUMANO
Aspecto emocional
A TEORIA PSICANALÍTICA DE SIGMUND
FREUD, CONCEBE A PERSONALIDADE
DOTADA DE TRÊS PARTES
COEXISTENTES, BUSCANDO O
EQUILÍBRIO E BEM ESTAR DO
INDIVÍDUO: O ID, O EGO E O
SUPEREGO; E A TEORIA
PSICOSSOCIAL DE ERIK ERIKSON,
QUE SE DESTACA PELAS
CONTRIBUIÇÕES NO CAMPO DO
DESENVOLVIMENTO SOCIOPESSOAL.
FREUD FORMOU-SE EM MEDICINA E
DESENVOLVEU O MÉTODO
PSICANALÍTICO. INTERESSOU-SE PELO
ASPECTO PSICOLÓGICO DAS NEUROSES,
UMA PERTURBAÇÃO MENTAL MENOS
GRAVE QUE A PSICOSE.
A DIFERENÇA ENTRE PSICOSE E
NEUROSE É QUE O PSICÓTICO PENSA
QUE DOIS MAIS DOIS SÃO CINCO; E O
NEURÓTICO SABE QUE SÃO QUATRO,
MAS SE PREOCUPA COM ISSO. POR QUE
TEM QUE SER ASSIM?
USOU A HIPINOSE E ACREDITAVA QUE OS
PROBLEMAS TINHAM ORIGEM NA INFÂNCIA,
EM EXPERIÊNCIAS TRAUMÁTICAS, E QUE O
FATO DE O INDIVÍDUO REVIVER A
EXPERIÊNCIA QUE DEU ORIGEM AO FATO,
POR MEIO DE UMA CATARSE, FARIA COM
QUE O MESMO REAVALIASSE SEUS
SENTIMENTOS EM RELAÇÃO ÀQUELA
EXPERIÊNCIA. A CATARSE OCORRE QUANDO
A PESSOA FALA BASTANTE E “SENTE -SE
ALIVIADO”, É UM “DESABAFO ”; QUANDO
VOCÊ ASSISTE A UM JOGO E XINGA A MÃE
DO JUIZ TAMBÉM ESTÁ FAZENDO UMA
CATARSE
VÍDEO:
TEORIA DA
PERSONALIDADE
ESTRUTURA E
DINÂMICA DA
PERSONALIDADE
ID: QUANDO NASCEMOS, É ID;
ENERGIA INICIAL, DA QUAL SE
DESENVOLVERÃO O EGO E O
SUPEREGO. O ID É
INCONSCIENTE. O ID OBEDECE
AO PRINCÍPIO DO PRAZER; NÃO
TEM NOÇÃO DE TEMPO. COMO O
BEBÊ QUE CHORA QUANDO
ESTÁ COM FOME OU MOLHADO.
SUPEREGO: É A CENSURA,
OU MELHOR, A
AUTOCENSURA. É FORMADO,
ESSENCIALMENTE, NA
INFÂNCIA, POR MEIO DAS
PROIBIÇÕES.
EGO: OBTER CONTROLE
SOBRE AS EXIGÊNCIAS DOS
INSTINTOS, DECIDINDO SE
ELES DEVEM OU NÃO SER
SATISFEITOS.
TE M COMO CARACTE RÍSTICAS FUNDAMENTAIS:
 CAPACIDADE DE RETARDAMENTO DA
GRATIFICAÇÃO. GRATIFICAR SIGNIFICA DAR
ATE NDIMENTO A UMA NE CE SSIDADE ; SE VOCÊ
E STÁ COM FOME (NE CE SSIDADE ), O AL IME NTO
SE RÁ A GRATIFICAÇÃO (ATE NDIMENTO) DE STA
NECESSIDADE;
 CAPACIDADE DE TOL E RÂNCIA À
FRUSTRAÇÃO. SE , DE QUAL QUER FORMA, A
GRATIFICAÇÃO NÃO FOR AL CANÇADA COMO SE
E SPE RAVA, NE M POR ISSO O INDIVÍDUO VAI
“ENTRAR EM DESESPERO”. QUEM SABE, DA
PRÓX IMA VE Z , A G E N T E GANHA.
 GUIA O COMPORTAME NTO DO INDIVÍDUO
PARA COMPORTAME NTOS ACE ITÁVEIS.
VÍDEO: FREUD – ID,
EGO E SUPER EGO
(PALESTRA)
FASES DO
DESENVOLVIMENTO
DA PERSONALIDADE
FASE ORAL: A LIBIDO ESTÁ CENTRADA NA
ZONA DA BOCA. PREDOMINA DURANTE O
PRIMEIRO ANO DE VIDA E PODE SER PASSIVA,
QUANDO A CRIANÇA APENAS UTILIZA A BOCA
PARA SATISFAZER SUAS NECESSIDADE,
RESULTANTES DA TENSÃO DE FOME OU DA
SEDE. E PODE SER ATIVA, QUANDO,
COINCIDINDO COM O INÍCIO DA DENTIÇÃO,
A CRIANÇA PASSA A SER AGRESSIVA, COMO
FORMA DE SE RELACIONAR COM O OUTRO,
CASO SUAS NECESSIDADES NÃO SEJAM
SATISFEITAS. A CRIANÇA FAZ O
RECONHECIMENTO DO AMBIENTE PELA
BOCA. TUDO QUE PEGA LEVA À BOCA.
FASE ANAL: A LIBIDO ESTÁ CENTRADA
NA ZONA DO ÂNUS. A CRIANÇA SENTE
PRAZER EM BRINCAR, OU MANIPULAR AS
PRÓPRIAS FEZES. DOS DOIS AOS TRÊS
ANOS, SENTE-SE IMPORTANTE EM
MANIPULAR SUA “OBRA”, A PRIMEIRA
COISA QUE SENTE QUE FOI ELA QUEM
“PRODUZIU”. ESSA FASE PODE SER
RETENTIVA, QUANDO A CRIANÇA RETÉM
AS FEZES, COMO FORMA DE
MANIFESTAÇÃO DE SEU DESAGRADO
COM ALGUMA COISA
EXPULSIVA: É O
CONTRÁRIO DA SUB-
FASE ANTERIOR, OU
SEJA, A CRIANÇA “NÃO
SEGURA” AS FEZES,
QUANDO SE ESPERA
QUE O FAÇA
FASE FÁLICA: EM TORNO DE TRÊS
A QUATRO ANOS.
REPRESENTAÇÃO DO PÊNIS. O
MENINO E A MENINA COMEÇAM
A PERCEBER AS DIFERENÇAS DOS
ÓRGÃOS GENITAIS MASCULINO E
FEMININO. IDENTIFICAÇÃO.
RELAÇÕES SEXUAIS FANTASIOSAS
COM OS MEMBROS DA FAMÍLIA.
FASE DE LATÊNCIA (CINCO A
SEIS ANOS): A LIBIDO FICA
NUM ESTADO LATENTE, A
PREOCUPAÇÃO MAIOR É COM
OS ASPECTOS SOCIAIS E
INTELECTUAIS. ESTA FASE
COINCIDE COM O INÍCIO DA
ESCOLARIZAÇÃO.
FASE DE ADOLESCÊNCIA: A
LIBIDO NÃO ESTÁ MAIS
CENTRADA NO PRÓPRIO
CORPO, MAS, POR TER A
PESSOA ATINGIDO SUA
MATURIDADE SEXUAL, PASSA
DO AMOR INCESTUOSO AO
AMOR EXTERNO À FAMÍLIA E
HETEROSSEXUAL
MECANISMOS DE
DEFESA OU DE
AJUSTAMENTO
RACIONALIZAÇÃO OU
INTELECTUALIZAÇÃO
OCORRE QUANDO O SUJEITO
INVENTA UMA BOA
EXPLICAÇÃO,
RACIONALMENTE
ACEITÁVEL, PARA EXPLICAR
E “DIGERIR” DO OCORRIDO.
TRANSFERÊNCIA OU
DESLOCAMENTO OCORRE EM
DOIS MOMENTOS. NO PRIMEIRO,
OCORRE A SITUAÇÃO DE
FRUSTRAÇÃO, QUE GERA
AGRESSÃO. NO SEGUNDO ESTA
AGRESSÃO É DESCARREGADA,
CONTUDO NÃO NA SITUAÇÃO
QUE A GEROU.
PROJEÇÃO: O
DEFEITO ESTÁ EM
NÓS MESMOS, NÃO
NOS OUTROS.
SUBLIMAÇÃO: A
ENERGIA, QUE ANTES
ERA CONSUMIDA EM
UMA ATIVIDADE,
AGORA VAI SER
CANALIZADA PARA
OUTRO SETOR
FIXAÇÃO: QUANDO SE
ESTACIONA NUM DETERMINADO
ESTÁGIO INICIAL DO
DESENVOLVIMENTO. PAROU NA
FASE ORAL; POR EXEMPLO, TUDO
QUE PEGA LEVA À BOCA. MESMO
O TEMPO PASSANDO, A PESSOA
PERMANECE NUM ESTÁGIO
PRIMITIVO.
REGRESSÃO A PESSOA ESTÁ
NUMA FASE MAIS
ADIANTADA DO
DESENVOLVIMENTO, MAS UM
DETERMINADO FATO FAZ
COM QUE A MESMA VENHA A
TER COMPORTAMENTOS DE
FASES ANTERIORES.
REPRESSÃO É O
MECANISMO BÁSICO DE
AJUSTAMENTO. CONSISTE
NA RETIRADA DO NÍVEL
CONSCIENTE DE ALGO
QUE, SE VIR À TONA, CAUSA
ANSIEDADE.
FORMAÇÃO REATIVA:
MANIFESTAR UMA REAÇÃO
OPOSTA AO QUE SE ESTÁ
REPRIMINDO. VOCÊ
ODEIA UMA PESSOA E É
CAPAZ DE ELOGIÁ-LA
PUBLICAMENTE.
COMPENSAÇÃO É A BUSCA DO
EQUILÍBRIO. PESSOA PODE SER
“SOFRÍVEL” EM UM DETERMINADO
ASPECTO, TODAVIA PROCURA SE
SUPERAR EM OUTROS. SEU ALUNO É
“FEIO QUE DÓI”, MAS, EM
COMPENSAÇÃO, É TÃO EDUCADO,
SIMPÁTICO, PRESTATIVO. TEVE UM
COMPORTAMENTO INADEQUADO COM
UMA PESSOA E EM SEGUIDA DÁ A ELA
UM PRESENTE.
VÍDEO:
DESCUBRA-SE
O DESENVOLVIMENTO
HUMANO DEVE SER
COMPREENDIDO
COMO CONTINNUM,
QUE SE INICIA AO
NASCER E FINDA COM
A MORTE.
TUTORA: PRISCILLA TOM AZ I V. DA COSTA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Autoconhecimento e projeto de vida
Autoconhecimento e projeto de vidaAutoconhecimento e projeto de vida
Autoconhecimento e projeto de vida
Nadini de Sousa
 
Behaviorismo comportamento respondente
Behaviorismo comportamento respondenteBehaviorismo comportamento respondente
Behaviorismo comportamento respondente
Talita Queiroz
 
Diferentes abordagens da psicologia
Diferentes abordagens da psicologiaDiferentes abordagens da psicologia
Diferentes abordagens da psicologia
Rita Cristiane Pavan
 
1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias
1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias 1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias
1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias
Bruno Djvan Ramos Barbosa
 
Freud e o Desenvolvimento Psicossexual
Freud e o Desenvolvimento PsicossexualFreud e o Desenvolvimento Psicossexual
Freud e o Desenvolvimento Psicossexual
Jorge Barbosa
 

Mais procurados (20)

psicologia e psicopatologia
psicologia e psicopatologiapsicologia e psicopatologia
psicologia e psicopatologia
 
estudo do desenvolvimento humano
estudo do desenvolvimento humanoestudo do desenvolvimento humano
estudo do desenvolvimento humano
 
Setembro amarelo
Setembro amareloSetembro amarelo
Setembro amarelo
 
Código de Ética do Psicólogo
Código de Ética do PsicólogoCódigo de Ética do Psicólogo
Código de Ética do Psicólogo
 
Psicologia positivapronto
Psicologia positivaprontoPsicologia positivapronto
Psicologia positivapronto
 
Autoconhecimento e projeto de vida
Autoconhecimento e projeto de vidaAutoconhecimento e projeto de vida
Autoconhecimento e projeto de vida
 
Behaviorismo comportamento respondente
Behaviorismo comportamento respondenteBehaviorismo comportamento respondente
Behaviorismo comportamento respondente
 
Apresentação1 autoestima AUTOESTIMA
Apresentação1 autoestima AUTOESTIMA Apresentação1 autoestima AUTOESTIMA
Apresentação1 autoestima AUTOESTIMA
 
Aprendizagem operante
Aprendizagem operanteAprendizagem operante
Aprendizagem operante
 
Diferentes abordagens da psicologia
Diferentes abordagens da psicologiaDiferentes abordagens da psicologia
Diferentes abordagens da psicologia
 
O comportamento humano e a aprendizagem - v1
O comportamento humano e a aprendizagem - v1O comportamento humano e a aprendizagem - v1
O comportamento humano e a aprendizagem - v1
 
Como cuidar da minha saúde mental?
Como cuidar da minha saúde mental?Como cuidar da minha saúde mental?
Como cuidar da minha saúde mental?
 
Vygotsky e a teoria sociohistórica
Vygotsky e a teoria sociohistóricaVygotsky e a teoria sociohistórica
Vygotsky e a teoria sociohistórica
 
Vida adulta intermediária
Vida adulta intermediáriaVida adulta intermediária
Vida adulta intermediária
 
Desenvolvimento humano e aprendizagem ii
Desenvolvimento humano e aprendizagem iiDesenvolvimento humano e aprendizagem ii
Desenvolvimento humano e aprendizagem ii
 
1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias
1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias 1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias
1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias
 
Emoções
EmoçõesEmoções
Emoções
 
Caso - O operador Descontente / Psicologia Organizacional do Trabalho
Caso - O operador Descontente / Psicologia Organizacional do TrabalhoCaso - O operador Descontente / Psicologia Organizacional do Trabalho
Caso - O operador Descontente / Psicologia Organizacional do Trabalho
 
Jovem Adulto (1).pptx
Jovem Adulto (1).pptxJovem Adulto (1).pptx
Jovem Adulto (1).pptx
 
Freud e o Desenvolvimento Psicossexual
Freud e o Desenvolvimento PsicossexualFreud e o Desenvolvimento Psicossexual
Freud e o Desenvolvimento Psicossexual
 

Destaque

Perguntas malucas
Perguntas malucasPerguntas malucas
Perguntas malucas
anptrinta
 
Minha história e como fiz acontecer como Coach - Marcos Tito
Minha história e como fiz acontecer como Coach - Marcos TitoMinha história e como fiz acontecer como Coach - Marcos Tito
Minha história e como fiz acontecer como Coach - Marcos Tito
IBC Coaching
 
Leitura da mente
Leitura da menteLeitura da mente
Leitura da mente
jucemir
 
MATERIAL COMPLEMENTAR R&S - ASSISTENTE DE RH
MATERIAL COMPLEMENTAR R&S - ASSISTENTE DE RH MATERIAL COMPLEMENTAR R&S - ASSISTENTE DE RH
MATERIAL COMPLEMENTAR R&S - ASSISTENTE DE RH
Nívea Lemos
 

Destaque (20)

Perguntas malucas
Perguntas malucasPerguntas malucas
Perguntas malucas
 
Quiz
QuizQuiz
Quiz
 
Ilusão de david copperfield
Ilusão de david copperfieldIlusão de david copperfield
Ilusão de david copperfield
 
¡¡¡Un nuevo curso!!!
¡¡¡Un nuevo curso!!!¡¡¡Un nuevo curso!!!
¡¡¡Un nuevo curso!!!
 
Exclua o preconceito da "timeline" de sua rede social (MAM)
Exclua o preconceito da "timeline" de sua rede social (MAM)Exclua o preconceito da "timeline" de sua rede social (MAM)
Exclua o preconceito da "timeline" de sua rede social (MAM)
 
Perguntas capciosas
Perguntas capciosasPerguntas capciosas
Perguntas capciosas
 
Tecnologicamente correto (MAM)
Tecnologicamente correto (MAM)Tecnologicamente correto (MAM)
Tecnologicamente correto (MAM)
 
Minha história e como fiz acontecer como Coach - Marcos Tito
Minha história e como fiz acontecer como Coach - Marcos TitoMinha história e como fiz acontecer como Coach - Marcos Tito
Minha história e como fiz acontecer como Coach - Marcos Tito
 
Agnosia 2
Agnosia 2Agnosia 2
Agnosia 2
 
Ler A Mente
Ler A MenteLer A Mente
Ler A Mente
 
Projeto ApresentaçãO Oficina Da Mente Modelo
Projeto ApresentaçãO  Oficina Da Mente ModeloProjeto ApresentaçãO  Oficina Da Mente Modelo
Projeto ApresentaçãO Oficina Da Mente Modelo
 
Charges
ChargesCharges
Charges
 
Matemágica
MatemágicaMatemágica
Matemágica
 
Leitura da mente
Leitura da menteLeitura da mente
Leitura da mente
 
Dicas de Entrevista
Dicas de EntrevistaDicas de Entrevista
Dicas de Entrevista
 
MATERIAL COMPLEMENTAR R&S - ASSISTENTE DE RH
MATERIAL COMPLEMENTAR R&S - ASSISTENTE DE RH MATERIAL COMPLEMENTAR R&S - ASSISTENTE DE RH
MATERIAL COMPLEMENTAR R&S - ASSISTENTE DE RH
 
Mágica com Power Point
Mágica com Power PointMágica com Power Point
Mágica com Power Point
 
A Magica de David Copperfield
A Magica de David CopperfieldA Magica de David Copperfield
A Magica de David Copperfield
 
Charges engraçadas sobre o amor. Namoro, noivado e casamento
Charges engraçadas sobre o amor. Namoro, noivado e casamentoCharges engraçadas sobre o amor. Namoro, noivado e casamento
Charges engraçadas sobre o amor. Namoro, noivado e casamento
 
30 Perguntas para Apresentações
30 Perguntas para Apresentações30 Perguntas para Apresentações
30 Perguntas para Apresentações
 

Semelhante a O desenvolvimento humano aspecto emocional

Estádios de Desenvolvimento de Erickson
Estádios de Desenvolvimento de EricksonEstádios de Desenvolvimento de Erickson
Estádios de Desenvolvimento de Erickson
Fábio CAmpos
 
Erik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
Erik erikson - Desenvolvimento PsicossocialErik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
Erik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
marta12l
 
Erik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
Erik erikson - Desenvolvimento PsicossocialErik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
Erik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
marta12l
 
Revista grito de alerta relações objetais i
Revista grito de alerta relações objetais iRevista grito de alerta relações objetais i
Revista grito de alerta relações objetais i
Sérgio Costa
 
Adolescência e identidade
Adolescência e identidadeAdolescência e identidade
Adolescência e identidade
ariadnemonitoria
 
Erik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
Erik erikson - Desenvolvimento PsicossocialErik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
Erik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
marta12l
 
Apresentação LIVE EDUCAÇÃO E PSICANALISE.pptx
Apresentação LIVE EDUCAÇÃO E PSICANALISE.pptxApresentação LIVE EDUCAÇÃO E PSICANALISE.pptx
Apresentação LIVE EDUCAÇÃO E PSICANALISE.pptx
AuriceliaRosa
 
Ateoriadodesenvolvimentohumanosegundoerikerikcsonrevistoem09 05-2011-11050912...
Ateoriadodesenvolvimentohumanosegundoerikerikcsonrevistoem09 05-2011-11050912...Ateoriadodesenvolvimentohumanosegundoerikerikcsonrevistoem09 05-2011-11050912...
Ateoriadodesenvolvimentohumanosegundoerikerikcsonrevistoem09 05-2011-11050912...
Jhonny Ribeiro
 

Semelhante a O desenvolvimento humano aspecto emocional (20)

Adolescência
AdolescênciaAdolescência
Adolescência
 
oitoidadesdohomem-140410181200-phpapp01.pdf
oitoidadesdohomem-140410181200-phpapp01.pdfoitoidadesdohomem-140410181200-phpapp01.pdf
oitoidadesdohomem-140410181200-phpapp01.pdf
 
Oito idades do homem
Oito idades do homemOito idades do homem
Oito idades do homem
 
Desenvolvimento da-criana-6 a 12anos vanessa
Desenvolvimento da-criana-6 a 12anos vanessaDesenvolvimento da-criana-6 a 12anos vanessa
Desenvolvimento da-criana-6 a 12anos vanessa
 
Altruismo
AltruismoAltruismo
Altruismo
 
Estádios de Desenvolvimento de Erickson
Estádios de Desenvolvimento de EricksonEstádios de Desenvolvimento de Erickson
Estádios de Desenvolvimento de Erickson
 
Adolescência a complexidade do ser na visão espírita
Adolescência a complexidade do ser na visão espíritaAdolescência a complexidade do ser na visão espírita
Adolescência a complexidade do ser na visão espírita
 
Erik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
Erik erikson - Desenvolvimento PsicossocialErik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
Erik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
 
[c7s] A ética, eu e meu filho
[c7s] A ética, eu e meu filho[c7s] A ética, eu e meu filho
[c7s] A ética, eu e meu filho
 
Erik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
Erik erikson - Desenvolvimento PsicossocialErik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
Erik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
 
Revista grito de alerta relações objetais i
Revista grito de alerta relações objetais iRevista grito de alerta relações objetais i
Revista grito de alerta relações objetais i
 
A PSICOMOTRICIDADE JUNTO AO AUTISMO INFANTIL: TRABALHANDO O CORPO ATRAVÉS DA ...
A PSICOMOTRICIDADE JUNTO AO AUTISMO INFANTIL: TRABALHANDO O CORPO ATRAVÉS DA ...A PSICOMOTRICIDADE JUNTO AO AUTISMO INFANTIL: TRABALHANDO O CORPO ATRAVÉS DA ...
A PSICOMOTRICIDADE JUNTO AO AUTISMO INFANTIL: TRABALHANDO O CORPO ATRAVÉS DA ...
 
Adolescência e identidade
Adolescência e identidadeAdolescência e identidade
Adolescência e identidade
 
Erik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
Erik erikson - Desenvolvimento PsicossocialErik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
Erik erikson - Desenvolvimento Psicossocial
 
A teoria do desenvolvimento humano segundo Erik Erikson
A teoria do desenvolvimento humano segundo Erik EriksonA teoria do desenvolvimento humano segundo Erik Erikson
A teoria do desenvolvimento humano segundo Erik Erikson
 
Narcisismo na juventude 09 2011
Narcisismo na juventude 09 2011Narcisismo na juventude 09 2011
Narcisismo na juventude 09 2011
 
Apresentação LIVE EDUCAÇÃO E PSICANALISE.pptx
Apresentação LIVE EDUCAÇÃO E PSICANALISE.pptxApresentação LIVE EDUCAÇÃO E PSICANALISE.pptx
Apresentação LIVE EDUCAÇÃO E PSICANALISE.pptx
 
Erik Erickson.pptx.pdf
Erik Erickson.pptx.pdfErik Erickson.pptx.pdf
Erik Erickson.pptx.pdf
 
Ateoriadodesenvolvimentohumanosegundoerikerikcsonrevistoem09 05-2011-11050912...
Ateoriadodesenvolvimentohumanosegundoerikerikcsonrevistoem09 05-2011-11050912...Ateoriadodesenvolvimentohumanosegundoerikerikcsonrevistoem09 05-2011-11050912...
Ateoriadodesenvolvimentohumanosegundoerikerikcsonrevistoem09 05-2011-11050912...
 
A psique infantil
A psique infantilA psique infantil
A psique infantil
 

Mais de PriscillaTomazi2015 (9)

Introdução à Filosofia
Introdução à FilosofiaIntrodução à Filosofia
Introdução à Filosofia
 
Introdução à Filosofia
Introdução à FilosofiaIntrodução à Filosofia
Introdução à Filosofia
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
 
Aplicações da psicanálise à educação
Aplicações da psicanálise à educaçãoAplicações da psicanálise à educação
Aplicações da psicanálise à educação
 
Políticas públicas
Políticas públicasPolíticas públicas
Políticas públicas
 
Plano Nacional de Educação
Plano Nacional de EducaçãoPlano Nacional de Educação
Plano Nacional de Educação
 
Estrutura e legislação da educação
Estrutura e legislação da educaçãoEstrutura e legislação da educação
Estrutura e legislação da educação
 
Estatuto da Criança e do Adolescente
Estatuto da Criança e do AdolescenteEstatuto da Criança e do Adolescente
Estatuto da Criança e do Adolescente
 

Último

472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
GisellySobral
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Kelly Mendes
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
azulassessoria9
 

Último (20)

Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 

O desenvolvimento humano aspecto emocional

  • 2. A TEORIA PSICANALÍTICA DE SIGMUND FREUD, CONCEBE A PERSONALIDADE DOTADA DE TRÊS PARTES COEXISTENTES, BUSCANDO O EQUILÍBRIO E BEM ESTAR DO INDIVÍDUO: O ID, O EGO E O SUPEREGO; E A TEORIA PSICOSSOCIAL DE ERIK ERIKSON, QUE SE DESTACA PELAS CONTRIBUIÇÕES NO CAMPO DO DESENVOLVIMENTO SOCIOPESSOAL.
  • 3. FREUD FORMOU-SE EM MEDICINA E DESENVOLVEU O MÉTODO PSICANALÍTICO. INTERESSOU-SE PELO ASPECTO PSICOLÓGICO DAS NEUROSES, UMA PERTURBAÇÃO MENTAL MENOS GRAVE QUE A PSICOSE. A DIFERENÇA ENTRE PSICOSE E NEUROSE É QUE O PSICÓTICO PENSA QUE DOIS MAIS DOIS SÃO CINCO; E O NEURÓTICO SABE QUE SÃO QUATRO, MAS SE PREOCUPA COM ISSO. POR QUE TEM QUE SER ASSIM?
  • 4. USOU A HIPINOSE E ACREDITAVA QUE OS PROBLEMAS TINHAM ORIGEM NA INFÂNCIA, EM EXPERIÊNCIAS TRAUMÁTICAS, E QUE O FATO DE O INDIVÍDUO REVIVER A EXPERIÊNCIA QUE DEU ORIGEM AO FATO, POR MEIO DE UMA CATARSE, FARIA COM QUE O MESMO REAVALIASSE SEUS SENTIMENTOS EM RELAÇÃO ÀQUELA EXPERIÊNCIA. A CATARSE OCORRE QUANDO A PESSOA FALA BASTANTE E “SENTE -SE ALIVIADO”, É UM “DESABAFO ”; QUANDO VOCÊ ASSISTE A UM JOGO E XINGA A MÃE DO JUIZ TAMBÉM ESTÁ FAZENDO UMA CATARSE
  • 7.
  • 8. ID: QUANDO NASCEMOS, É ID; ENERGIA INICIAL, DA QUAL SE DESENVOLVERÃO O EGO E O SUPEREGO. O ID É INCONSCIENTE. O ID OBEDECE AO PRINCÍPIO DO PRAZER; NÃO TEM NOÇÃO DE TEMPO. COMO O BEBÊ QUE CHORA QUANDO ESTÁ COM FOME OU MOLHADO.
  • 9. SUPEREGO: É A CENSURA, OU MELHOR, A AUTOCENSURA. É FORMADO, ESSENCIALMENTE, NA INFÂNCIA, POR MEIO DAS PROIBIÇÕES.
  • 10. EGO: OBTER CONTROLE SOBRE AS EXIGÊNCIAS DOS INSTINTOS, DECIDINDO SE ELES DEVEM OU NÃO SER SATISFEITOS.
  • 11. TE M COMO CARACTE RÍSTICAS FUNDAMENTAIS:  CAPACIDADE DE RETARDAMENTO DA GRATIFICAÇÃO. GRATIFICAR SIGNIFICA DAR ATE NDIMENTO A UMA NE CE SSIDADE ; SE VOCÊ E STÁ COM FOME (NE CE SSIDADE ), O AL IME NTO SE RÁ A GRATIFICAÇÃO (ATE NDIMENTO) DE STA NECESSIDADE;  CAPACIDADE DE TOL E RÂNCIA À FRUSTRAÇÃO. SE , DE QUAL QUER FORMA, A GRATIFICAÇÃO NÃO FOR AL CANÇADA COMO SE E SPE RAVA, NE M POR ISSO O INDIVÍDUO VAI “ENTRAR EM DESESPERO”. QUEM SABE, DA PRÓX IMA VE Z , A G E N T E GANHA.  GUIA O COMPORTAME NTO DO INDIVÍDUO PARA COMPORTAME NTOS ACE ITÁVEIS.
  • 12. VÍDEO: FREUD – ID, EGO E SUPER EGO (PALESTRA)
  • 14. FASE ORAL: A LIBIDO ESTÁ CENTRADA NA ZONA DA BOCA. PREDOMINA DURANTE O PRIMEIRO ANO DE VIDA E PODE SER PASSIVA, QUANDO A CRIANÇA APENAS UTILIZA A BOCA PARA SATISFAZER SUAS NECESSIDADE, RESULTANTES DA TENSÃO DE FOME OU DA SEDE. E PODE SER ATIVA, QUANDO, COINCIDINDO COM O INÍCIO DA DENTIÇÃO, A CRIANÇA PASSA A SER AGRESSIVA, COMO FORMA DE SE RELACIONAR COM O OUTRO, CASO SUAS NECESSIDADES NÃO SEJAM SATISFEITAS. A CRIANÇA FAZ O RECONHECIMENTO DO AMBIENTE PELA BOCA. TUDO QUE PEGA LEVA À BOCA.
  • 15.
  • 16. FASE ANAL: A LIBIDO ESTÁ CENTRADA NA ZONA DO ÂNUS. A CRIANÇA SENTE PRAZER EM BRINCAR, OU MANIPULAR AS PRÓPRIAS FEZES. DOS DOIS AOS TRÊS ANOS, SENTE-SE IMPORTANTE EM MANIPULAR SUA “OBRA”, A PRIMEIRA COISA QUE SENTE QUE FOI ELA QUEM “PRODUZIU”. ESSA FASE PODE SER RETENTIVA, QUANDO A CRIANÇA RETÉM AS FEZES, COMO FORMA DE MANIFESTAÇÃO DE SEU DESAGRADO COM ALGUMA COISA
  • 17.
  • 18. EXPULSIVA: É O CONTRÁRIO DA SUB- FASE ANTERIOR, OU SEJA, A CRIANÇA “NÃO SEGURA” AS FEZES, QUANDO SE ESPERA QUE O FAÇA
  • 19. FASE FÁLICA: EM TORNO DE TRÊS A QUATRO ANOS. REPRESENTAÇÃO DO PÊNIS. O MENINO E A MENINA COMEÇAM A PERCEBER AS DIFERENÇAS DOS ÓRGÃOS GENITAIS MASCULINO E FEMININO. IDENTIFICAÇÃO. RELAÇÕES SEXUAIS FANTASIOSAS COM OS MEMBROS DA FAMÍLIA.
  • 20.
  • 21. FASE DE LATÊNCIA (CINCO A SEIS ANOS): A LIBIDO FICA NUM ESTADO LATENTE, A PREOCUPAÇÃO MAIOR É COM OS ASPECTOS SOCIAIS E INTELECTUAIS. ESTA FASE COINCIDE COM O INÍCIO DA ESCOLARIZAÇÃO.
  • 22.
  • 23. FASE DE ADOLESCÊNCIA: A LIBIDO NÃO ESTÁ MAIS CENTRADA NO PRÓPRIO CORPO, MAS, POR TER A PESSOA ATINGIDO SUA MATURIDADE SEXUAL, PASSA DO AMOR INCESTUOSO AO AMOR EXTERNO À FAMÍLIA E HETEROSSEXUAL
  • 24.
  • 25. MECANISMOS DE DEFESA OU DE AJUSTAMENTO
  • 26. RACIONALIZAÇÃO OU INTELECTUALIZAÇÃO OCORRE QUANDO O SUJEITO INVENTA UMA BOA EXPLICAÇÃO, RACIONALMENTE ACEITÁVEL, PARA EXPLICAR E “DIGERIR” DO OCORRIDO.
  • 27. TRANSFERÊNCIA OU DESLOCAMENTO OCORRE EM DOIS MOMENTOS. NO PRIMEIRO, OCORRE A SITUAÇÃO DE FRUSTRAÇÃO, QUE GERA AGRESSÃO. NO SEGUNDO ESTA AGRESSÃO É DESCARREGADA, CONTUDO NÃO NA SITUAÇÃO QUE A GEROU.
  • 28. PROJEÇÃO: O DEFEITO ESTÁ EM NÓS MESMOS, NÃO NOS OUTROS.
  • 29. SUBLIMAÇÃO: A ENERGIA, QUE ANTES ERA CONSUMIDA EM UMA ATIVIDADE, AGORA VAI SER CANALIZADA PARA OUTRO SETOR
  • 30. FIXAÇÃO: QUANDO SE ESTACIONA NUM DETERMINADO ESTÁGIO INICIAL DO DESENVOLVIMENTO. PAROU NA FASE ORAL; POR EXEMPLO, TUDO QUE PEGA LEVA À BOCA. MESMO O TEMPO PASSANDO, A PESSOA PERMANECE NUM ESTÁGIO PRIMITIVO.
  • 31. REGRESSÃO A PESSOA ESTÁ NUMA FASE MAIS ADIANTADA DO DESENVOLVIMENTO, MAS UM DETERMINADO FATO FAZ COM QUE A MESMA VENHA A TER COMPORTAMENTOS DE FASES ANTERIORES.
  • 32. REPRESSÃO É O MECANISMO BÁSICO DE AJUSTAMENTO. CONSISTE NA RETIRADA DO NÍVEL CONSCIENTE DE ALGO QUE, SE VIR À TONA, CAUSA ANSIEDADE.
  • 33. FORMAÇÃO REATIVA: MANIFESTAR UMA REAÇÃO OPOSTA AO QUE SE ESTÁ REPRIMINDO. VOCÊ ODEIA UMA PESSOA E É CAPAZ DE ELOGIÁ-LA PUBLICAMENTE.
  • 34. COMPENSAÇÃO É A BUSCA DO EQUILÍBRIO. PESSOA PODE SER “SOFRÍVEL” EM UM DETERMINADO ASPECTO, TODAVIA PROCURA SE SUPERAR EM OUTROS. SEU ALUNO É “FEIO QUE DÓI”, MAS, EM COMPENSAÇÃO, É TÃO EDUCADO, SIMPÁTICO, PRESTATIVO. TEVE UM COMPORTAMENTO INADEQUADO COM UMA PESSOA E EM SEGUIDA DÁ A ELA UM PRESENTE.
  • 36. O DESENVOLVIMENTO HUMANO DEVE SER COMPREENDIDO COMO CONTINNUM, QUE SE INICIA AO NASCER E FINDA COM A MORTE.
  • 37. TUTORA: PRISCILLA TOM AZ I V. DA COSTA