Educacao inclusiva 31 3

1.950 visualizações

Publicada em

AUHSUAHS

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.950
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
52
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Educacao inclusiva 31 3

  1. 1. <ul><li>Discriminação e Preconceito </li></ul><ul><li>(fenômenos construídos socialmente) </li></ul>
  2. 2. <ul><li>- Preconceito </li></ul><ul><li>É a visão/ideia de algo que se faz antes do conhecimento a respeito deste “algo”. </li></ul><ul><li>O preconceito é uma opinião formada sem reflexão. </li></ul><ul><li>- Discriminação </li></ul><ul><li>É a exclusão por ideias preconcebidas. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Então </li></ul><ul><li>Preconceito é a ideia. </li></ul><ul><li>Discriminação é o preconceito colocado em prática. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Exemplo </li></ul><ul><li>Você pode não gostar de alguém por uma características qualquer e por isso achar que essa pessoa não é digna da sua amizade, por exemplo (preconceito). </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Se você começar a excluir esta pessoa, agredí-la verbalmente ou fisicamente, ou tomar qualquer atitude pejorativa em relação a ela, teremos instalado nesse caso a discriminaçao. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>O preconceito normalmente é feito em relação a pessoas estigmatizadas por estereótipos. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Estereótipo  atributo dirigido a pessoas ou grupos, formando um julgamento a priori, um carimbo. Uma vez “carimbados” os membros de determinado grupo como possuidores deste ou daquele “atributo”, as pessoas deixam de avaliar os membros desses grupos pelas suas reais qualidades e passam a julgá-las pelo “carimbo”. (Cartilha Cidadania para Todos) </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Exemplo </li></ul><ul><li>Negro é inferior </li></ul><ul><li>Judeu é pão duro </li></ul><ul><li>Racismo é crime inafiançável e imprescritível. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>As manifestações de afirmação identitárias revelam a luta contra a atribuição social negativa aos diversos grupos, e os consequentes sentimentos decorrentes dessa negatividade. </li></ul>
  10. 10. <ul><li>Um sentimento de vergonha que se deve combater, isto é, o sentimento de menos valia por ser negro, mulher, velho, indígena, estrangeiro (dependendo do país de origem), homossexual, pobre e etc. </li></ul>
  11. 11. <ul><li>O Papel da Escola </li></ul><ul><li>É na escola que o indivíduo começa a viver um contexto de diferentes realidades, daí a importância da atuação dos vários agentes educadores. </li></ul>
  12. 12. <ul><li>A sociedade brasileira na sua constituição foi formada por uma diversidade étnica e cultural, e isso é contemplado nas diversas turmas da escola. </li></ul>
  13. 13. <ul><li>A sociedade brasileira começou com a miscigenação entre índios, portugueses e negros e continuou com a vinda de imigrantes (após a abolição) italianos, alemães, poloneses, japoneses e etc. </li></ul>
  14. 14. <ul><li>As pessoas constroem suas representações nos seus grupos sociais por meio das conversas, das visões e das crenças que veiculam. </li></ul>
  15. 15. <ul><li>Assim os conceitos e as imagens vão sendo aceitos, naturalizados e considerados verdadeiros, embora sejam apenas representações. (Menezes, 2005, p.4, Revista Educação e Tecnologia) </li></ul>
  16. 16. <ul><li>Lidar com valores para o reconhecimento e respeito às diferenças é tarefa para a escola, mas para isso é preciso que estes valores sejam construídos e não impostos. </li></ul>
  17. 17. <ul><li>Os Parâmetros Curriculares Nacionais auxiliam a escola nesta tarefa ao tratar as questões sociais como: Educação Ambiental, Orientação Sexual, Ética, Pluralidade Cultural, Saúde, Trabalho e Consumo . </li></ul>
  18. 18. <ul><li>O bullying </li></ul><ul><li>Forma de violência, é a discriminação levada ao exagero da agressão, seja física, social ou virtual. </li></ul><ul><li>É resultante de um desequilíbrio de poder entre as partes. </li></ul>
  19. 19. <ul><li>As escolas devem organizar programas preventivos que visem a reduzir o problema, tais como: </li></ul><ul><li>capacitação de docentes e equipe pedagógica para o diagnóstico da situação. </li></ul>
  20. 20. <ul><li>intervenção e encaminhamento de casos. </li></ul><ul><li>formação de equipe multiprofissional para estudos e atendimento de casos. </li></ul>
  21. 21. <ul><li>envolvimento da comunidade escolar: pais, docentes, discentes, equipe pedagógica nas discussões e desenvolvimento de ações. </li></ul><ul><li>estabelecimento de regras claras sobre o bullying no Regimento Escolar. </li></ul>
  22. 22. <ul><li>orientação às vítimas e familiares. </li></ul><ul><li>encaminhamento de vítimas, agressores e seus familiares aos serviços de assistência médica, psicológica, social e jurídica. </li></ul>
  23. 23. <ul><li>implantação de sistema de registro de casos e procedimentos adotados. </li></ul><ul><li>desenvolvimento de atividades que promovam a cidadania e a cultura da paz. </li></ul>

×