O desejo de subir, de alcançar o topo é próprio do ser
humano, que se antes o fazia por necessidade e desafio à
sua própri...
o O objetivo geral da escalada é o de conseguir ascender por superfícies quase
verticais, em gelo, rocha ou paredes artifi...
Na origem, a escalada aparece
como uma atividade derivada
do montanhismo e utilizada
como treino para corridas
de alpinism...
 Durante um século o material evolui ao ritmo da capacidade do escalador e vice-
versa e a cada época corresponde uma cla...
DEFINIÇÃO/ CONCEITO
A ESCALADA DEPORTIVA
CONSISTE EM SUBIR POR
PAREDES SEJAM ELAS DE
ROCHA NATURAL OU
ARTIFICIAL, DE FORMA...
 Meio natural  Meio artificial
É quando se progride por
uma parede de rocha
apoiando-se somente nas
agarras naturais da...
 Escalada em livre tradicional
 Escalada desportiva
 Escalada desportiva em estruturas
artificiais
 Escalada desportiv...
O boulder é uma das modalidades da escalada em rocha, praticada sem o uso dos
equipamentos de segurança como cordas e mosq...
EM ROCHA ALPINA NO GELO
BIGWALL PSICOBLOC URBANA
Muro
artificial
ROCÓDROMO BOULDER
o Quando se progride por uma parede de rocha apoiando-se somente nas
agarras naturais da pedra, podemos dizer que fazemos ...
É uma derivação da escalada em rocha.
É uma forma de treinar os alpinistas nas cidades para escalar
montanhas. Na Europa...
 Foi na década de 60 que aconteceram as primeiras
competições de escalada, na Ucrânia.
 As provas eram de velocidade e a...
 Nessa modalidade é necessário ter equipamentos para progredir numa via,
o contrário do que acontece numa escalada em liv...
 Uma Big Wall acontece quando uma equipa é obrigada a passar pelo
menos uma noite no meio de uma escalada (no meio de uma...
 A escalada alpina acontece em paredes inóspitas e de difícil acesso em
clima severo.
 Os escaladores são muito exigidos...
 Uma cascata de gelo aparece no inverno de países gelados, quando uma
queda de água congela, encantando turistas e alpini...
 O bouldering acontece sobre rochas a pouca altura do chão. Uma sequência de
movimentos vigorosos e difíceis acontece sem...
O EQUIPAMENTO de ESCALADA
 Equipamento básico
o Arnês ou baudrier
o Pés de gato
o Magnésio
o Saco de magnésio (carregado a
cintura)
o Mosquetão
o A...
Clavos Fisureros Friends
o Uma espécie de cinto revestido que amarra o corpo do escalador à corda,
de modo a que em caso de queda esta seja protegi...
Para evitar a humidade das mãos e facilitar a sua aderência às paredes;
Para transportar o magnésio, para poder ser usado ...
Tem função de elo de ligação e não é mais do que uma peça metálica em
forma de aro com um troço de abertura em mola a fim ...
EQUIPAMENTO DE ESCALADA
Os OITOS ou DESCENSORES são
aparelhos que permitem segurar
o escalador. Se sofrer uma queda,
permi...
 Chapa de metal (aço, alumínio, inox),
dobrada em L, com dois orifícios. Um
orifício está preso à parede por um
parafuso,...
 São elásticas de forma a absorver grande parte da energia,
para que no caso de uma queda o corpo não sofra esticões
que ...
EQUIPAMENTO DE ESCALADA
Estáticas
Estas não apresentam nenhum tipo de elasticidade, pelo
impacto da queda é absorbido tan...
 Aparelho mecânico criado para dar segurança. O seu funcionamento é
semelhante ao dos cintos de segurança dos automóveis;...
1.Encordoar com nó de oito;
2. Passar sempre pelo arnês;
3. Verificar visualmente o nó.
Nunca encordoar a um mosquetão de...
B
o
u
l
d
e
r
Rocha
Com Tope-Rop
Seguros
Fixações/ plaquetas
Tope rope
TÉCNICAS DE ESCALADA
TÉCNICAS DE ESCALADA
TÉCNICAS DE ESCALADA
Consiste básicamente em dois grandes grupos de
elementos: o movimiento individual/ pessoal/ e o
movim...
TÉCNICAS DE ESCALADA
3.Não perder, dentro do possível, a
verticalidade do corpo.
4.Facer recair a maior parte do
trabalho ...
 Utilizar os pés para o movimento através da parede, e
não as mãos.
 Usar os pés corretamente é uma técnica de escalada
...
ASPECTOS TÁCTICOS
Muito importante ter em conta certos aspetos como:
Antecipação do percurso.
Mosqueteio: Seleção dos mo...
Pode-se graduar utilizando distintos sistemas métricos.
Estes sistemas variam segundo a região (francesa,
yosemite, ingles...
As Pegas
de mão
em presas
Open hand – Mão aberta
A mão aberta com os dedos
esticados e a palma da mão
aderida á presa.
C...
Presas de pés
Presas onde o pé se apoia/
encaixa para permitir o avanço
na escalada
Borde interior.
Presa para apoiar a p...
Colocação frontal Colocação frontal externa Colocação frontal interna
Colocação em aderência Colocação com calcanhar Coloc...
48
Tração por dedos Mão em tração invertida
Dedos em aderência Dedos em pinça
As
REGRAS
de
SEGURANÇA
50
 ConhecimentoConhecimento: dos princípios físicos (fator de queda etc.);
das características do equipamento e da forma...
o Aprender bem o nó de encordoamento do Baudrier à
corda.
o Na rocha usar sempre o capacete.
o Nunca começar a escalar sem...
SEGURANÇA
 Conhecer as técnicas de
segurança.
 Colocar corretamente o arnês.
 Saber encordoar-se: unir a
corda ao arnês...
 Descer o companheiro (evitar
uma queda repentina).
 Treino de quedas.
 Saber deslocar-se entre vias.
 Posição correta...
POSSÍVEIS ERROS NA SEGURANÇA
 Não fechar corretamente o arnês.
 Erros de comunicação (escalador/
segurança).
 Fazer o n...
55
 Superar o objetivo inicial: subir; atinge outros objetivos como o
desenvolvimento de várias capacidades do ser humano...
FACTORES QUE INFLUEM NA
NOSSA FORMA DE ESCALAR
FACTORES
 TÉCNICA DE ESCALADA: A nossa forma de
escalar.
 TÁCTICA: O fazer ou não um plano de ação.
 O NOSSO ESTADO FÍS...
A ESCALADA e a PROTEÇÃO
do
MEIO AMBIENTE
É POSSÍVEL ESCALAR
E
CUIDAR DA NATUREZA
Comportamento responsável para com a
natureza:
* Não atirar lixo fora.
* Respeit...
60
A escalada é um desporto procurado por
causa da curiosidade e o radicalismo. Faz
com que as pessoas que sofram de
verti...
Bibliografia
 http://www.senado.gov.br/comissoes/ce/ap/AP20080604_Silverio_Filho.pdf
 http://www.slideshare.net/victorma...
Escalada esmoura
Escalada esmoura
Escalada esmoura
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Escalada esmoura

1.042 visualizações

Publicada em

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.042
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
51
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Escalada esmoura

  1. 1. O desejo de subir, de alcançar o topo é próprio do ser humano, que se antes o fazia por necessidade e desafio à sua própria existência, agora o faz para testar os seus limites e ver até onde consegue chegar por si e em relação aos outros. 2
  2. 2. o O objetivo geral da escalada é o de conseguir ascender por superfícies quase verticais, em gelo, rocha ou paredes artificiais construídas propositadamente para a prática desportiva. o Não é uma atividade que possa ser considerada dispendiosa, exigindo sim muito esforço, concentração, capacidade de resistência, grande controlo mental, grande conhecimento e controle corporal, bem como uma boa capacidade de visualização imagética para movimentos sequenciais. É o desenvolver a capacidade de ultrapassar as nossas dificuldades, de conhecer os nossos limites.
  3. 3. Na origem, a escalada aparece como uma atividade derivada do montanhismo e utilizada como treino para corridas de alpinismo. A escalada como prática desportiva aparece no século XIX em Dresden na Alemanha de Leste, e no ("Lake District") na Inglaterra.
  4. 4.  Durante um século o material evolui ao ritmo da capacidade do escalador e vice- versa e a cada época corresponde uma classificação do nível de dificuldade. Existem várias escalas de graduação sendo as mais conhecidas as escalas de Fontainebleau e de Hueco Tanks.  Na primeira a classificação progrediu da seguinte maneira: 1913: nível 5; 1917: nível 6; 1970: nível 7; 1983: nível 8; 1991: nível 9.  O aparecimento das muros de escalada a partir de 1960 um real impulso ao conhecimento desta prática como à sua evolução desta disciplina.
  5. 5. DEFINIÇÃO/ CONCEITO A ESCALADA DEPORTIVA CONSISTE EM SUBIR POR PAREDES SEJAM ELAS DE ROCHA NATURAL OU ARTIFICIAL, DE FORMA SEGURA E COM AS TUAS PRÓPRIAS FORÇAS.
  6. 6.  Meio natural  Meio artificial É quando se progride por uma parede de rocha apoiando-se somente nas agarras naturais da pedra.  Os equipamentos que são utilizados nessas condições apenas servem para proteger os escaladores de um acidente. Nesse tipo de escalada, é preciso bastante equilíbrio psicológico, dependendo das dificuldades encontradas na rocha. Justifica-se por ser quando não há possibilidades para a escalada em meio natural e o escalador emprega meios não naturais para sua progressão. Durante a subida o escalador vai colocando os seus pontos de segurança na rocha com dispositivos especiais, por onde faz correr a corda que o segurará.. A utilização de meios não naturais para alcançar o cume justifica-se apenas para aumentar as possibilidades do escalador.
  7. 7.  Escalada em livre tradicional  Escalada desportiva  Escalada desportiva em estruturas artificiais  Escalada desportiva de competição  Progressão artificial em rocha  Big Wall  Escalada alpina  Alta Montanha  Cascatas em gelo  Boulder
  8. 8. O boulder é uma das modalidades da escalada em rocha, praticada sem o uso dos equipamentos de segurança como cordas e mosquetões. Este desporte consiste em escalar pequenos blocos de pedras, geralmente com altura entre dois e cinco metros, onde são utilizadas habilidades como equilíbrio e força muscular. Os movimentos para finalizar o boulder (ou escalada em bloco) são geralmente de extrema dificuldade técnica e força Boulder
  9. 9. EM ROCHA ALPINA NO GELO BIGWALL PSICOBLOC URBANA
  10. 10. Muro artificial
  11. 11. ROCÓDROMO BOULDER
  12. 12. o Quando se progride por uma parede de rocha apoiando-se somente nas agarras naturais da pedra, podemos dizer que fazemos uma escala em livre. Os equipamentos que são utilizados nessas condições apenas servem para proteger os escaladores de um acidente, mas de forma alguma os ajudam a subir a rocha. o A escalada desportiva acontece em condições mais simples e seguras, o que permite ao escalador preocupar-se apenas com o seu desempenho físico. o Nessa modalidade, compõem a via: proteções fixas que sejam próximas e de alta qualidade, com fácil acesso e boa ancoragem para o segurador. As vias normalmente são curtas e possuem alto grau de dificuldade. 14
  13. 13. É uma derivação da escalada em rocha. É uma forma de treinar os alpinistas nas cidades para escalar montanhas. Na Europa e nos Estados Unidos é possível encontrar muitos ginásios de escalada desportiva, frequentados pelos atletas que buscam as montanhas e também por aqueles que nunca chegarão a escalar uma rocha de verdade, mas são apaixonados pelo desporto.
  14. 14.  Foi na década de 60 que aconteceram as primeiras competições de escalada, na Ucrânia.  As provas eram de velocidade e aconteciam em rochas naturais. Com a criação dos muros artificiais, as competições foram levadas para as praças públicas e os ginásios. 16
  15. 15.  Nessa modalidade é necessário ter equipamentos para progredir numa via, o contrário do que acontece numa escalada em livre. As vias são mais difíceis e exigem equipamento adequado.  Os grampos são bastante utilizados, além de uma incrível parafernália especializada para todo o tipo de situação. Para o escalador, fica o desafio de levar a menor quantidade possível de equipamentos para uma aventura.
  16. 16.  Uma Big Wall acontece quando uma equipa é obrigada a passar pelo menos uma noite no meio de uma escalada (no meio de uma parede). É um misto de escalada livre e artificial e exige muita técnica e experiência dos participantes.  Para uma Big Wall, é preciso içar muitos equipamentos parede acima, além de água, alimentos, barracas, sacos de dormir.
  17. 17.  A escalada alpina acontece em paredes inóspitas e de difícil acesso em clima severo.  Os escaladores são muito exigidos e precisam ter conhecimento acumulado de escalada em rocha e gelo, metereóloga, logística e travessia de glaciares. 19
  18. 18.  Uma cascata de gelo aparece no inverno de países gelados, quando uma queda de água congela, encantando turistas e alpinistas.  Para aventurar-se nessa escalada, é preciso muita experiência, técnica, boa preparação física, conhecimento e controle psicológico.
  19. 19.  O bouldering acontece sobre rochas a pouca altura do chão. Uma sequência de movimentos vigorosos e difíceis acontece sem a utilização de cordas de proteção.  Essa modalidade está muito disseminada entre os escaladores modernos e pode atingir altos graus de dificuldade, tornando-se uma atividade emocionante e desafiadora.  Colchões podem ser usados para proteger o escalador de uma possível queda. http://www.youtube.com/watch?v=MsauN_Txwbw
  20. 20. O EQUIPAMENTO de ESCALADA
  21. 21.  Equipamento básico o Arnês ou baudrier o Pés de gato o Magnésio o Saco de magnésio (carregado a cintura) o Mosquetão o Anel de cordino o Plaqueta o Capacete  Equipamento coletivo o Cordas dinâmicas o Fitas e cordeletes o Gri-Gri o o «oito»
  22. 22. Clavos Fisureros Friends
  23. 23. o Uma espécie de cinto revestido que amarra o corpo do escalador à corda, de modo a que em caso de queda esta seja protegida, evitando lesões ou pressões irregulares no corpo (deve ser escolhido algo justo e nunca folgado); o Sapatos firmes e ajustados ao pé. São indispensáveis, porque a força de braços é secundária e a aderência dos pés é muito importante. Em geral são comprados dois números abaixo do calçado normal. Isto permite que o sapato não dobre nas pequenas fendas e se mantenha rijo contra a rocha. Equipamento básicoEquipamento básico
  24. 24. Para evitar a humidade das mãos e facilitar a sua aderência às paredes; Para transportar o magnésio, para poder ser usado durante a subida;
  25. 25. Tem função de elo de ligação e não é mais do que uma peça metálica em forma de aro com um troço de abertura em mola a fim de se proceder à fixação e fecho. Um mosquetão de segurança leva um dispositivo roscado ou de fecho automático que não permite que se abra inadvertidamente. o Cordino com 7 mm de diâmetro e 1,80 m de comprimento, fechado em anel, com nó de pescador. o É usado com o “nó de Machard” como segurança no rapel.
  26. 26. EQUIPAMENTO DE ESCALADA Os OITOS ou DESCENSORES são aparelhos que permitem segurar o escalador. Se sofrer uma queda, permite-nos ajustar/(esticar) a corda para que não caia mais do que o necessário. O uso do oito está generalizado como aparelho de segurança, mas na realidade, trata-se de um aparelho para descer e não para segurança. As CINTAS EXPRESS consistem num troço de cinta de com um mosquetão em cada extremo. Costumam vender-se já preparadas. Um dos mosquetões costuma ter uma peça de borracha, para impedir que se voltem ao passar a corda por ele. Este mosquetão costuma ter o fecho curvo, para facilitar a operação. As CINTAS EXPRESS para escalada desportiva costumam ter 10 ou 15 cm, apesar de na escalada clássica se usarem de diferentes tamanhos. O 8 (oito) CINTAS EXPRESS
  27. 27.  Chapa de metal (aço, alumínio, inox), dobrada em L, com dois orifícios. Um orifício está preso à parede por um parafuso, o outro orifício serve para passar o mosquetão, como ponto de segurança.  Uma protecção indispensável, que protege a cabeça do escalador, da queda de pequenas pedras ou outros objectos.
  28. 28.  São elásticas de forma a absorver grande parte da energia, para que no caso de uma queda o corpo não sofra esticões que provoquem lesões na coluna;  Para estabelecer pontos de segurança à medida que o escalador ascende (assegurando pontos seguros a várias alturas, evitando as quedas graves); EQUIPAMENTO COLETIVOEQUIPAMENTO COLETIVO
  29. 29. EQUIPAMENTO DE ESCALADA Estáticas Estas não apresentam nenhum tipo de elasticidade, pelo impacto da queda é absorbido tanto pelo arnês como pelo escalador. São mais resistentes à abrasão, o que as faz ideais para escalar yoyo (*) * - “YO-YO” que se realiza com a corda passada pelo TOP-ROPE no final do muro e seguro pelo companheiro/ Segurança no chão. Dinâmicas São as mais recomendadas para escalar devido à sua capacidade elástica nas quedas ou para suportar cargas. Esta capacidade permite que o impacto, em caso de queda, seja absorvido pela corda não pelo escalador/ arnês. Se o escalador escalar de forma intensa deve trocar as suas cordas anualmente, se o fazes medianamente podes realizá-lo a cada 3 anos. CORDAS
  30. 30.  Aparelho mecânico criado para dar segurança. O seu funcionamento é semelhante ao dos cintos de segurança dos automóveis;  Serve para provocar atrito na corda. O seu funcionamento é idêntico ao do Gri-Gri, mas não é automático requer ação do escalador;
  31. 31. 1.Encordoar com nó de oito; 2. Passar sempre pelo arnês; 3. Verificar visualmente o nó. Nunca encordoar a um mosquetão de seguro no arnês.
  32. 32. B o u l d e r
  33. 33. Rocha Com Tope-Rop
  34. 34. Seguros Fixações/ plaquetas
  35. 35. Tope rope
  36. 36. TÉCNICAS DE ESCALADA TÉCNICAS DE ESCALADA
  37. 37. TÉCNICAS DE ESCALADA Consiste básicamente em dois grandes grupos de elementos: o movimiento individual/ pessoal/ e o movimiento de corda. No movimento individual/ pessoal é imprescindível manter o equilíbrio dentro da parede (ou perdê-lo propositadamente para o recuperar com rapidez), para o qual é muito útil: 1.Manter sempre três pontos de apoio na rocha/ muro. 2.Não cruzar os pés.
  38. 38. TÉCNICAS DE ESCALADA 3.Não perder, dentro do possível, a verticalidade do corpo. 4.Facer recair a maior parte do trabalho nos pés e nas pernas. 5.Realizar todos os movimentos duma maneira estática, quer dizer, que não sejam bruscos.
  39. 39.  Utilizar os pés para o movimento através da parede, e não as mãos.  Usar os pés corretamente é uma técnica de escalada importante a dominar. Os pés não fazem “ruído” ao subir.  Caída de Joelho. Rodar a anca para a parede/ muro. O joelho mais próximo roda para baixo. Esta técnica de escalada aproximará o centro de gravidade para a parede. Com o centro de gravidade mais próximo da parede chega a ser possível subir superfícies quase verticais.  Movimento Dinâmico. Esta técnica é necessária se não se consegue alcançar a posição/ apoio seguinte da presa. TÉCNICAS DE ESCALADA
  40. 40. ASPECTOS TÁCTICOS Muito importante ter em conta certos aspetos como: Antecipação do percurso. Mosqueteio: Seleção dos mosquetões. Ritmo de escalada. Memorização. Decisão. Reorganização do percurso no solo. Reorganização em situação de prova.
  41. 41. Pode-se graduar utilizando distintos sistemas métricos. Estes sistemas variam segundo a região (francesa, yosemite, inglesa,.. etc.) ou o tipo de escalada (livre, artificial, no gelo, psicobloc). Em Espanha o sistema mais habitual para a escalada em rocha é uma mistura da graduação UIAA e da francesa. Para las vias de menor dificuldade emprega-se o sistema UIAA (números romanos do I ao V com + ou - para afinar mais), para saltar depois à graduação francesa (6,7,8,9 com sub-índices a, b ou c e um + ou - para ajustar mais ainda). OS GRAUS DE DIFICULTADE DE UMA ESCALADA
  42. 42. As Pegas de mão em presas Open hand – Mão aberta A mão aberta com os dedos esticados e a palma da mão aderida á presa. Crimp – Torquês. A mão fechada com os dedos apertando a presa e o polegar apertando contra o dedo índicador Pinch – Peinça Pega que aperta entre o polegar e os restantes dedos da mão. Presas onde se apoiam as mãos e/ou buracos e onde se encaixam os dedos para assegurar a progressão nas presas do muro.
  43. 43. Presas de pés Presas onde o pé se apoia/ encaixa para permitir o avanço na escalada Borde interior. Presa para apoiar a parte interna do pé. Permite apoiar ou rodar o calcanhar para a frente da rocha.
  44. 44. Colocação frontal Colocação frontal externa Colocação frontal interna Colocação em aderência Colocação com calcanhar Colocação frontal em fenda
  45. 45. 48 Tração por dedos Mão em tração invertida Dedos em aderência Dedos em pinça
  46. 46. As REGRAS de SEGURANÇA
  47. 47. 50  ConhecimentoConhecimento: dos princípios físicos (fator de queda etc.); das características do equipamento e da forma de utilização;  Noção: DosNoção: Dos Riscos e de como evitá-los;  Comportamento:Comportamento: Testar sempre alerta para ações/ atitudes inesperadas; ter atenção aos movimentos do companheiro, respeito.  A outros escaladores ao redor:A outros escaladores ao redor: comandos padronizados, reflexão, autocrítica. SEGURANÇA
  48. 48. o Aprender bem o nó de encordoamento do Baudrier à corda. o Na rocha usar sempre o capacete. o Nunca começar a escalar sem avisar o colega que dá segurança. o Alertar segurador sempre que a corda esteja folgada ao iniciar a via. o Ouvir com atenção as instruções do Professor/ técnico. Não lhe desobedecer. 51 SEGURANÇA
  49. 49. SEGURANÇA  Conhecer as técnicas de segurança.  Colocar corretamente o arnês.  Saber encordoar-se: unir a corda ao arnês (no de oito).  Fazer o nó de oito.
  50. 50.  Descer o companheiro (evitar uma queda repentina).  Treino de quedas.  Saber deslocar-se entre vias.  Posição correta do “Segurança”. SEGURANÇA
  51. 51. POSSÍVEIS ERROS NA SEGURANÇA  Não fechar corretamente o arnês.  Erros de comunicação (escalador/ segurança).  Fazer o nó de maneira incorreta.  Posição inadequada do Segurança.
  52. 52. 55  Superar o objetivo inicial: subir; atinge outros objetivos como o desenvolvimento de várias capacidades do ser humano, entre elas a força, a resistência de força, a agilidade e a flexibilidade.  Além das capacidades físicas e técnicas, como o equilíbrio e a agilidade, a escalada desportiva desenvolve capacidades mentais nos seus praticantes, como por exemplo, a paciência e a capacidade de se ler a via, ou seja, escolher o melhor caminho para se chegar no alto, e a persistência em não desistir no meio do caminho.
  53. 53. FACTORES QUE INFLUEM NA NOSSA FORMA DE ESCALAR
  54. 54. FACTORES  TÉCNICA DE ESCALADA: A nossa forma de escalar.  TÁCTICA: O fazer ou não um plano de ação.  O NOSSO ESTADO FÍSICO: a força, flexibilidade, etc.  FACTORES EXTERNOS: o clima, tipo de rocha…  ASPECTOS PSICOLÓGICOS: o medo, o excesso de confiança.
  55. 55. A ESCALADA e a PROTEÇÃO do MEIO AMBIENTE
  56. 56. É POSSÍVEL ESCALAR E CUIDAR DA NATUREZA Comportamento responsável para com a natureza: * Não atirar lixo fora. * Respeitar as zonas protegidas ou restritas sobretudo em épocas de nidificação. * Utilizar os caminhos e trilhos já assinalados, não usar atalhos. * Não fazer fogos. * Conservar a vegetação.
  57. 57. 60 A escalada é um desporto procurado por causa da curiosidade e o radicalismo. Faz com que as pessoas que sofram de vertigens, se radicalizem e podem até perder o medo das alturas.
  58. 58. Bibliografia  http://www.senado.gov.br/comissoes/ce/ap/AP20080604_Silverio_Filho.pdf  http://www.slideshare.net/victormagalhaescole/escalada-7949502#btnNext  http://www.arlivre.com/actividades/escalada.htm  https://www.google.pt/#q=escalada+  http://www.montanhaescalada.com/html/escalada.html  http://www.fcmportugal.com/PresentationLayer/conteudo.aspx?menuid=841&exmenuid=842  http://clubedeescalada.blogspot.pt/2009/03/  http://www.slideshare.net/alberto.garciahuerta/escalada-7403923  http://www.slideshare.net/juliojijon/escalada-13397183  http://www.infopedia.pt/$escalada;jsessionid=ewvBEZTTLP2AfMMmM2VEXQ__  http://pt.scribd.com/doc/34456957/escalada  http://www.marski.org/artigos/121-artigos-tecnicos/24-historia-do-montanhismo-e-da-escalada  http://www.camadeira.com/escalada/main/escalada/historia_escalada.htm  http://www.desportoescolar.min-edu.pt/modalidade.aspx?id=444  http://www.efdeportes.com/efd154/conhecendo-montanhismo-e-a-escalada-em-rocha.htm  http://bussolas.com/artigos/como-se-iniciar-pratica-escalada  http://www.ammamagazine.com/vamos-conhecer/vamos-conhecer-modalidades- desportivas/1242-escalada

×