SlideShare uma empresa Scribd logo
Mini TrampolimEscola Secundária de Monção26-05-2011Professor: Augusto LobatoTrabalho realizado por: Patrícia S. P. Martins    10ºE nº18<br />Introdução ……………………………………………………………….Página 3;<br />História do Mini Trampolim …………………………………………… Páginas 4 e 5;<br />Tipos de saltos:<br />Salto em extensão……………………………………. Páginas 6,7,8 e 9;<br />Salto engrupado………………………………Páginas 10 e 11;<br />Pirueta vertical …………………………….. Página 12;<br />Salto com ½ pirueta ………………………….Página 13;<br />Salto de carpa pernas afastadas ………….. Páginas 14 e 15;<br />Salto encarpado……………… Página 16;<br />Mortal á frente engrupado …………………………. Páginas 17 e 18;<br />Exercícios Preparatórios dos saltos ……………….. Página 19;<br />Conclusão ………………………………………………….. Página 20.<br />O documento aqui apresentado fala sobre “Mini Trampolim” . Este foi proposto pelo professor de E.Física , uma vez que , estando sob atestado médico , não pude praticar os exercícios de Mini trampolim.<br />O trabalho apresenta um pouco da história desse aparelho (mini trampolim) , alguns exercícios que com ele se podem praticar e as ajudas que podem ser prestadas na aprendizagem dos mesmos exercícios.<br />Espero que goste, e que esteja de acordo com o proposto.<br />                                                                                                                                     3<br />Não se sabe precisamente qual a origem do mini trampolim (ou trampolim acrobático) sabe-se sim que ocorreu há centenas de anos e tudo aponta para a Idade Média, em que os acrobatas de circo utilizavam para os seus espectáculos tábuas com molas.<br />É certo que no inicio desse século havia apresentações que usavam uma quot;
cama de pularquot;
 para entreter as plateias. A cama de pular era, na realidade, um pequeno Trampolim coberto com roupas de cama sobre o qual os artistas desempenhavam a maior parte de seus actos.<br />No começo dos anos 30, o norte-americano George Nissen fez um Trampolim na sua garagem e usou-o para o ajudar nas suas actividades de queda e mergulho. Nissen percebeu então que podia entreter plateias e também deixar as pessoas participarem nas suas demonstrações. O Trampolim como desporto, foi criado por George Nissen em 1936 e foi institucionalizado como modalidade desportiva nos programas de Educação Física em escolas, universidades e treinos de militares. Recentemente é muito praticado nas academias do mundo inteiro. Deste modo, nasceu então o novo desporto.<br />Na segunda guerra mundial, também se utilizou o Trampolim. A escola da marinha e aeronáutica dos E.U.A. aplicou o uso deste no treino de pilotos e navegadores. A prática era concentrada em orientação, de uma forma que nunca fora possível ser trabalhada antes. Depois da guerra, o desenvolvimento do programa espacial trouxe novamente o Trampolim, para contribuir no treino tanto de astronautas americanos como de soviéticos, dando-lhes a experiência de posições corporais variadas em voo.4<br />Em Londres na década de 60 ocorreram as primeiras competições internacionais, mais de 54 países já disputaram vinte e um campeonatos mundiais.<br />Em 1997 o (COI) incluiu o Trampolim como modalidade olímpica. Assim o desporto participou pela primeira vez na Olimpíada de Sidney, Austrália.<br /> Houve muitas no entanto críticas ao Trampolim. Argumentavam que a actividade era perigosa e que reduzia a força das pernas por causa do auxílio da elasticidade da cama no salto. Entretanto, a necessidade de condicionamento físico requerido é tão baixa que quase qualquer pessoa pode subir a uma cama elástica e fazer algo que é divertido.<br />MINI TRAMPOLIM : Aparelho utilizado para a realização de saltos que envolvem grandes cuidados ao nível da segurança, devido á elevada impulsão que proporciona. A execução dos saltos caracteriza-se essencialmente pela elevação e/ou rotação.                                              5<br />Salto em extensão:<br />Instruções:1- Corrida preparatória e respectiva chamada no trampolim;<br />2- Impulsiona a lona com os dois pés paralelos e as pernas ligeiramente flectidas;<br />3- Sai do aparelho com o corpo estendido, olhando para a frente;<br />4- Contacta com o solo com as pernas afastadas à largura dos ombros.<br />6<br />Ajudas :<br />7<br />                                                                                                                       8<br />9<br />Salto Engrupado:<br />Instruções:<br />Após a corrida preparatória, faz a chamada no trampolim;<br />Impulsiona a lona com os dois pés paralelos e as pernas ligeiramente flectidas;<br />Sai do trampolim com o corpo estendido e a olhar para a frente;<br />Puxa os joelhos até ao peito e toca nas pernas com as mãos, no ponto mais alto do salto;<br />Na trajectória descendente, desfaz a posição engrupada e contacta o solo com as pernas afastadas à largura dos ombros e ligeiramente flectidas.<br />Ajudas:                                            10<br />11<br />Pirueta vertical:<br />Instruções:<br />Corrida preparatória;<br />Fazer a chamada no mini trampolim;<br />Impulsionar a tela com os dois pés paralelos e as pernas ligeiramente flectidas;<br />Sair do aparelho com o corpo estendido, a olhar em frente;<br />No ponto mais alto do voo, rodar o corpo e, com a ajuda dos braços, executa uma volta completa;<br />Contactar o solo a pés juntos e com flexão de pernas.<br />12<br />Salto com ½ (meia) pirueta:<br />Instruções:<br />Corrida preparatória;<br />Após a corrida preparatória, fazer a chamada para o mini-trampolim;<br />Impulsionar a tela com os dois pés paralelos e as pernas ligeiramente flectidas;<br />Sair do aparelho com o corpo estendido, com o olhar dirigido em frente;<br />No ponto mais alto do voo, roda o corpo, executando meia pirueta;<br />Contacta o solo a pés juntos e com flexão de pernas.<br />13<br />Salto de carpa de pernas afastadas:<br />Instruções:<br />Realizar a corrida preparatória;<br />Após a corrida preparatória, fazer a chamada no mini-trampolim;<br />Impulsionar a tela com os dois pés paralelos e as pernas ligeiramente flectidas;<br />Afastar e elevar as pernas estendidas na horizontal, tentando tocar nos pés com as mãos;<br />Na trajectória descendente, unir as pernas e contactar o tapete a pés juntos e com flexão de pernas.<br />14<br />Ajudas:<br />15<br />6-Salto encarpado (pernas unidas):<br />Instruções:<br />Respeita os mesmos aspectos da carpa de pernas afastadas, exceptuando a posição das pernas que devem estar elevadas, estendidas e unidas até chegarem à horizontal.<br />16<br />7-Mortal à frente engrupado ¾ :<br />Instruções:<br />No salto de ¾ de mortal à frente engrupado a corrida deve ser veloz, com o ultimo passo maior e terminando com os dois pés, em simultâneo, sobre a tela;<br />Ao contrário dos outros saltos verticais, para realizar este salto é necessário fazer uma rotação transversal. Para isso, no momento de contactar com a tela tem de se elevar os braços colocando as mãos à altura da cabeça.<br />Ao impulsionar a tela deve-se inclinar ligeiramente o corpo para a frente, devendo esse estar em extensão total de modo a permitir alcançar o ponto mais alto na fase aérea.Deve haver o engrupamento do corpo:  flexão da cabeça, mãos abaixo dos joelhos e aproximação dos calcanhares à bacia  – rotação no eixo transversal;<br />Ao aproximar do corpo com o colchão há a extensão do corpo na horizontal, mantendo-o contraído para o contacto com o colchão na posição de deitado.<br />17<br />Ajudas:<br />18<br />8-Exercícios preparatórios:<br />Deslocamento com saltos e saltinhos;<br />Actividades com ênfase na transposição de obstáculos, utilizando o plinto, banco sueco, cordas ou caixas de madeira;<br />Associar o mini trampolim ao plinto com movimentos de transposição, que levem o jovem a conhecer e superar os seus limites;<br />Ao introduzir o aparelho, observar as diferentes fases do salto, dividindo-as para facilitar a aprendizagem;<br />Sequência de aprendizagem que leve o jovem a primeiro adaptar-se ao aparelho, para depois experimentar uma evolução em seus saltos: aterragem, saltos elementares, impulsão, abordagem, saltos mais complexos, saltos elementares com corrida;<br />Alguns exemplos:<br />19<br />Com este trabalho sobre o Mini Trampolim, pode-se retirar várias conclusões:<br />Que o trampolim/ mini trampolim é objecto antigo , que ao que tudo aponta , vem da Idade Média , na qual os artistas de circo o utilizavam para as suas exibições;<br />Que existem vários tipos de saltos , entre eles : ½ pirueta , pirueta , mortal engrupado para a frente , salto de carpa , encarpado , em extensão , entre outros .<br />Existem vários tipos de exercícios preparatórios destes saltos , entre eles o salto de plinto em plinto .<br />Espero que tenha gostado , e que esteja de acordo com o pedido .<br />20<br />
Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)
Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)
Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)
Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)
Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)
Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)
Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)
Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)
Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)
Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)
Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)
Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)
Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)
Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)
Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)
Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)
Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)
Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)
Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)
Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Voleibol (regras, gestos técnicos, etc...)
Voleibol (regras, gestos técnicos, etc...)Voleibol (regras, gestos técnicos, etc...)
Voleibol (regras, gestos técnicos, etc...)
Margarida Ferreira
 
Ginastica de solo e aparelhos
Ginastica de solo e aparelhosGinastica de solo e aparelhos
Ginastica de solo e aparelhosjose_santinha
 
Trabalho de Futsal
Trabalho de FutsalTrabalho de Futsal
Trabalho de FutsalAna Carolina
 
Basquetebol
BasquetebolBasquetebol
BasquetebolAMLDRP
 
Salto aparelhos
Salto aparelhosSalto aparelhos
Salto aparelhos
aly pereira
 
Badminton
BadmintonBadminton
Badminton
dnebsm
 
Ginástica acrobática e.f. - 12ºc
Ginástica acrobática   e.f. - 12ºcGinástica acrobática   e.f. - 12ºc
Ginástica acrobática e.f. - 12ºc
luis reis
 
Atletismo
AtletismoAtletismo
Atletismo
Jorge Fernandes
 
Trabalho de Atletismo - Aconsa
Trabalho de Atletismo - AconsaTrabalho de Atletismo - Aconsa
Trabalho de Atletismo - Aconsa
Ana Carolina
 
Ginástica de aparelhos
Ginástica de aparelhosGinástica de aparelhos
Ginástica de aparelhos
Rui Lemos
 
Voleibol documento de apoio
Voleibol documento de apoioVoleibol documento de apoio
Voleibol documento de apoioInês Ré
 
Aptidão física
Aptidão físicaAptidão física
Aptidão físicasirgmoraes
 
O Voleibol
O VoleibolO Voleibol
O Voleibol
Marta Azevedo
 
A Dopagem e os riscos de vida e saúde
A Dopagem e os riscos de vida e saúdeA Dopagem e os riscos de vida e saúde
A Dopagem e os riscos de vida e saúde
Diogo Silva
 
Pegas na ginástica acrobática
Pegas na ginástica acrobáticaPegas na ginástica acrobática
Pegas na ginástica acrobática
Historiando
 
Basquetebol
BasquetebolBasquetebol
Trave - Esquemas de Ginástica de Aparelhos
Trave - Esquemas de Ginástica de AparelhosTrave - Esquemas de Ginástica de Aparelhos
Trave - Esquemas de Ginástica de Aparelhos
Maria João Vasconcelos
 
Badminton
Badminton Badminton

Mais procurados (20)

Ginástica de solo
Ginástica de soloGinástica de solo
Ginástica de solo
 
Voleibol (regras, gestos técnicos, etc...)
Voleibol (regras, gestos técnicos, etc...)Voleibol (regras, gestos técnicos, etc...)
Voleibol (regras, gestos técnicos, etc...)
 
Ginastica de solo e aparelhos
Ginastica de solo e aparelhosGinastica de solo e aparelhos
Ginastica de solo e aparelhos
 
Trabalho de Futsal
Trabalho de FutsalTrabalho de Futsal
Trabalho de Futsal
 
Basquetebol
BasquetebolBasquetebol
Basquetebol
 
Salto aparelhos
Salto aparelhosSalto aparelhos
Salto aparelhos
 
Badminton
BadmintonBadminton
Badminton
 
Ginástica acrobática e.f. - 12ºc
Ginástica acrobática   e.f. - 12ºcGinástica acrobática   e.f. - 12ºc
Ginástica acrobática e.f. - 12ºc
 
Atletismo
AtletismoAtletismo
Atletismo
 
Trabalho de Atletismo - Aconsa
Trabalho de Atletismo - AconsaTrabalho de Atletismo - Aconsa
Trabalho de Atletismo - Aconsa
 
Ginástica de aparelhos
Ginástica de aparelhosGinástica de aparelhos
Ginástica de aparelhos
 
Voleibol documento de apoio
Voleibol documento de apoioVoleibol documento de apoio
Voleibol documento de apoio
 
Aptidão física
Aptidão físicaAptidão física
Aptidão física
 
Voleibol
VoleibolVoleibol
Voleibol
 
O Voleibol
O VoleibolO Voleibol
O Voleibol
 
A Dopagem e os riscos de vida e saúde
A Dopagem e os riscos de vida e saúdeA Dopagem e os riscos de vida e saúde
A Dopagem e os riscos de vida e saúde
 
Pegas na ginástica acrobática
Pegas na ginástica acrobáticaPegas na ginástica acrobática
Pegas na ginástica acrobática
 
Basquetebol
BasquetebolBasquetebol
Basquetebol
 
Trave - Esquemas de Ginástica de Aparelhos
Trave - Esquemas de Ginástica de AparelhosTrave - Esquemas de Ginástica de Aparelhos
Trave - Esquemas de Ginástica de Aparelhos
 
Badminton
Badminton Badminton
Badminton
 

Semelhante a Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)

trampolim.pptx
trampolim.pptxtrampolim.pptx
trampolim.pptx
Sílvio Cardoso
 
Ginastica Acrobática e de Trampolim
Ginastica Acrobática e de TrampolimGinastica Acrobática e de Trampolim
Ginastica Acrobática e de Trampolimteratici
 
Atletismo saltos
Atletismo saltosAtletismo saltos
Atletismo saltos
Ana Carolina
 
Ginstica de solo e aparelhos epc
Ginstica de solo e aparelhos  epcGinstica de solo e aparelhos  epc
Ginstica de solo e aparelhos epcJoao Pimentel
 
Triplo salto
Triplo saltoTriplo salto
Triplo salto
Escola
 
DE-ManualPatinagem.pdf
DE-ManualPatinagem.pdfDE-ManualPatinagem.pdf
DE-ManualPatinagem.pdf
marcobatista
 
Natação!
Natação!Natação!
Natação!
Francisco Nogueira
 
Trabalho de ginástica e aparelhos - Aconsa
Trabalho de ginástica e aparelhos - AconsaTrabalho de ginástica e aparelhos - Aconsa
Trabalho de ginástica e aparelhos - AconsaAna Carolina
 
Atletismo
Atletismo Atletismo
Atletismo
cristina costa
 
Revista Estranhos Extremos
Revista Estranhos ExtremosRevista Estranhos Extremos
Revista Estranhos Extremos
Bárbara El Zein
 
Educação física interdisciplinar
Educação física interdisciplinarEducação física interdisciplinar
Educação física interdisciplinarGiselly2
 
Ginástica de aparelhos 6.º ano
Ginástica de aparelhos 6.º anoGinástica de aparelhos 6.º ano
Ginástica de aparelhos 6.º ano
Ana Gomes
 

Semelhante a Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto) (15)

trampolim.pptx
trampolim.pptxtrampolim.pptx
trampolim.pptx
 
Ginastica Acrobática e de Trampolim
Ginastica Acrobática e de TrampolimGinastica Acrobática e de Trampolim
Ginastica Acrobática e de Trampolim
 
Atletismo saltos
Atletismo saltosAtletismo saltos
Atletismo saltos
 
Ginstica de solo e aparelhos epc
Ginstica de solo e aparelhos  epcGinstica de solo e aparelhos  epc
Ginstica de solo e aparelhos epc
 
Triplo salto
Triplo saltoTriplo salto
Triplo salto
 
DE-ManualPatinagem.pdf
DE-ManualPatinagem.pdfDE-ManualPatinagem.pdf
DE-ManualPatinagem.pdf
 
Natação!
Natação!Natação!
Natação!
 
Trabalho de ginástica e aparelhos - Aconsa
Trabalho de ginástica e aparelhos - AconsaTrabalho de ginástica e aparelhos - Aconsa
Trabalho de ginástica e aparelhos - Aconsa
 
Atletismo
Atletismo Atletismo
Atletismo
 
Revista Estranhos Extremos
Revista Estranhos ExtremosRevista Estranhos Extremos
Revista Estranhos Extremos
 
Educação física interdisciplinar
Educação física interdisciplinarEducação física interdisciplinar
Educação física interdisciplinar
 
SALTO EM Altura
SALTO EM AlturaSALTO EM Altura
SALTO EM Altura
 
Natação
NataçãoNatação
Natação
 
Natação
NataçãoNatação
Natação
 
Ginástica de aparelhos 6.º ano
Ginástica de aparelhos 6.º anoGinástica de aparelhos 6.º ano
Ginástica de aparelhos 6.º ano
 

Mais de Thepatriciamartins12 (20)

Arte e conhecimento - filosofia
Arte e  conhecimento - filosofiaArte e  conhecimento - filosofia
Arte e conhecimento - filosofia
 
Irs
IrsIrs
Irs
 
impostos aplicados em portugal continental
impostos aplicados em portugal continentalimpostos aplicados em portugal continental
impostos aplicados em portugal continental
 
Renascimento - História
Renascimento - HistóriaRenascimento - História
Renascimento - História
 
Glossário da Pesca
Glossário da PescaGlossário da Pesca
Glossário da Pesca
 
A actividade piscatória
A actividade piscatóriaA actividade piscatória
A actividade piscatória
 
Principais acidentes da costa portuguesa
Principais acidentes da costa portuguesaPrincipais acidentes da costa portuguesa
Principais acidentes da costa portuguesa
 
Resumo geografia
Resumo geografiaResumo geografia
Resumo geografia
 
Resumo geografia (2)
Resumo geografia (2)Resumo geografia (2)
Resumo geografia (2)
 
Factores explicativos
Factores explicativosFactores explicativos
Factores explicativos
 
Em cada hemisfério verifica
Em cada hemisfério verificaEm cada hemisfério verifica
Em cada hemisfério verifica
 
Filosofia
FilosofiaFilosofia
Filosofia
 
Milagrário pessoal
Milagrário pessoalMilagrário pessoal
Milagrário pessoal
 
Estatística
EstatísticaEstatística
Estatística
 
Variação da temperatura geografia
Variação da temperatura   geografia Variação da temperatura   geografia
Variação da temperatura geografia
 
Recursos hídricos patrícia , rute & susana
Recursos hídricos   patrícia , rute & susanaRecursos hídricos   patrícia , rute & susana
Recursos hídricos patrícia , rute & susana
 
GESTÃO DA ÁGUA
 GESTÃO DA ÁGUA GESTÃO DA ÁGUA
GESTÃO DA ÁGUA
 
Disponibilidades hdricas patrcia e roberto
Disponibilidades hdricas  patrcia e robertoDisponibilidades hdricas  patrcia e roberto
Disponibilidades hdricas patrcia e roberto
 
RECURSOS DO SUBSOLO
RECURSOS DO SUBSOLORECURSOS DO SUBSOLO
RECURSOS DO SUBSOLO
 
Freguesia de troviscoso
Freguesia de troviscosoFreguesia de troviscoso
Freguesia de troviscoso
 

Último

- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Mary Alvarenga
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Luana Neres
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
Mary Alvarenga
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptxAula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
kdn15710
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptxLIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
WelidaFreitas1
 
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptxFato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
MariaFatima425285
 
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdfBiologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Ana Da Silva Ponce
 

Último (20)

- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptxAula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
Aula01 - ensino médio - (Filosofia).pptx
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
 
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptxLIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
 
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptxFato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
 
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdfBiologia - Jogos da memória genetico.pdf
Biologia - Jogos da memória genetico.pdf
 

Mini trampolim (este sim está correcto o outro estava incompleto)

  • 1. Mini TrampolimEscola Secundária de Monção26-05-2011Professor: Augusto LobatoTrabalho realizado por: Patrícia S. P. Martins 10ºE nº18<br />Introdução ……………………………………………………………….Página 3;<br />História do Mini Trampolim …………………………………………… Páginas 4 e 5;<br />Tipos de saltos:<br />Salto em extensão……………………………………. Páginas 6,7,8 e 9;<br />Salto engrupado………………………………Páginas 10 e 11;<br />Pirueta vertical …………………………….. Página 12;<br />Salto com ½ pirueta ………………………….Página 13;<br />Salto de carpa pernas afastadas ………….. Páginas 14 e 15;<br />Salto encarpado……………… Página 16;<br />Mortal á frente engrupado …………………………. Páginas 17 e 18;<br />Exercícios Preparatórios dos saltos ……………….. Página 19;<br />Conclusão ………………………………………………….. Página 20.<br />O documento aqui apresentado fala sobre “Mini Trampolim” . Este foi proposto pelo professor de E.Física , uma vez que , estando sob atestado médico , não pude praticar os exercícios de Mini trampolim.<br />O trabalho apresenta um pouco da história desse aparelho (mini trampolim) , alguns exercícios que com ele se podem praticar e as ajudas que podem ser prestadas na aprendizagem dos mesmos exercícios.<br />Espero que goste, e que esteja de acordo com o proposto.<br /> 3<br />Não se sabe precisamente qual a origem do mini trampolim (ou trampolim acrobático) sabe-se sim que ocorreu há centenas de anos e tudo aponta para a Idade Média, em que os acrobatas de circo utilizavam para os seus espectáculos tábuas com molas.<br />É certo que no inicio desse século havia apresentações que usavam uma quot; cama de pularquot; para entreter as plateias. A cama de pular era, na realidade, um pequeno Trampolim coberto com roupas de cama sobre o qual os artistas desempenhavam a maior parte de seus actos.<br />No começo dos anos 30, o norte-americano George Nissen fez um Trampolim na sua garagem e usou-o para o ajudar nas suas actividades de queda e mergulho. Nissen percebeu então que podia entreter plateias e também deixar as pessoas participarem nas suas demonstrações. O Trampolim como desporto, foi criado por George Nissen em 1936 e foi institucionalizado como modalidade desportiva nos programas de Educação Física em escolas, universidades e treinos de militares. Recentemente é muito praticado nas academias do mundo inteiro. Deste modo, nasceu então o novo desporto.<br />Na segunda guerra mundial, também se utilizou o Trampolim. A escola da marinha e aeronáutica dos E.U.A. aplicou o uso deste no treino de pilotos e navegadores. A prática era concentrada em orientação, de uma forma que nunca fora possível ser trabalhada antes. Depois da guerra, o desenvolvimento do programa espacial trouxe novamente o Trampolim, para contribuir no treino tanto de astronautas americanos como de soviéticos, dando-lhes a experiência de posições corporais variadas em voo.4<br />Em Londres na década de 60 ocorreram as primeiras competições internacionais, mais de 54 países já disputaram vinte e um campeonatos mundiais.<br />Em 1997 o (COI) incluiu o Trampolim como modalidade olímpica. Assim o desporto participou pela primeira vez na Olimpíada de Sidney, Austrália.<br /> Houve muitas no entanto críticas ao Trampolim. Argumentavam que a actividade era perigosa e que reduzia a força das pernas por causa do auxílio da elasticidade da cama no salto. Entretanto, a necessidade de condicionamento físico requerido é tão baixa que quase qualquer pessoa pode subir a uma cama elástica e fazer algo que é divertido.<br />MINI TRAMPOLIM : Aparelho utilizado para a realização de saltos que envolvem grandes cuidados ao nível da segurança, devido á elevada impulsão que proporciona. A execução dos saltos caracteriza-se essencialmente pela elevação e/ou rotação. 5<br />Salto em extensão:<br />Instruções:1- Corrida preparatória e respectiva chamada no trampolim;<br />2- Impulsiona a lona com os dois pés paralelos e as pernas ligeiramente flectidas;<br />3- Sai do aparelho com o corpo estendido, olhando para a frente;<br />4- Contacta com o solo com as pernas afastadas à largura dos ombros.<br />6<br />Ajudas :<br />7<br /> 8<br />9<br />Salto Engrupado:<br />Instruções:<br />Após a corrida preparatória, faz a chamada no trampolim;<br />Impulsiona a lona com os dois pés paralelos e as pernas ligeiramente flectidas;<br />Sai do trampolim com o corpo estendido e a olhar para a frente;<br />Puxa os joelhos até ao peito e toca nas pernas com as mãos, no ponto mais alto do salto;<br />Na trajectória descendente, desfaz a posição engrupada e contacta o solo com as pernas afastadas à largura dos ombros e ligeiramente flectidas.<br />Ajudas: 10<br />11<br />Pirueta vertical:<br />Instruções:<br />Corrida preparatória;<br />Fazer a chamada no mini trampolim;<br />Impulsionar a tela com os dois pés paralelos e as pernas ligeiramente flectidas;<br />Sair do aparelho com o corpo estendido, a olhar em frente;<br />No ponto mais alto do voo, rodar o corpo e, com a ajuda dos braços, executa uma volta completa;<br />Contactar o solo a pés juntos e com flexão de pernas.<br />12<br />Salto com ½ (meia) pirueta:<br />Instruções:<br />Corrida preparatória;<br />Após a corrida preparatória, fazer a chamada para o mini-trampolim;<br />Impulsionar a tela com os dois pés paralelos e as pernas ligeiramente flectidas;<br />Sair do aparelho com o corpo estendido, com o olhar dirigido em frente;<br />No ponto mais alto do voo, roda o corpo, executando meia pirueta;<br />Contacta o solo a pés juntos e com flexão de pernas.<br />13<br />Salto de carpa de pernas afastadas:<br />Instruções:<br />Realizar a corrida preparatória;<br />Após a corrida preparatória, fazer a chamada no mini-trampolim;<br />Impulsionar a tela com os dois pés paralelos e as pernas ligeiramente flectidas;<br />Afastar e elevar as pernas estendidas na horizontal, tentando tocar nos pés com as mãos;<br />Na trajectória descendente, unir as pernas e contactar o tapete a pés juntos e com flexão de pernas.<br />14<br />Ajudas:<br />15<br />6-Salto encarpado (pernas unidas):<br />Instruções:<br />Respeita os mesmos aspectos da carpa de pernas afastadas, exceptuando a posição das pernas que devem estar elevadas, estendidas e unidas até chegarem à horizontal.<br />16<br />7-Mortal à frente engrupado ¾ :<br />Instruções:<br />No salto de ¾ de mortal à frente engrupado a corrida deve ser veloz, com o ultimo passo maior e terminando com os dois pés, em simultâneo, sobre a tela;<br />Ao contrário dos outros saltos verticais, para realizar este salto é necessário fazer uma rotação transversal. Para isso, no momento de contactar com a tela tem de se elevar os braços colocando as mãos à altura da cabeça.<br />Ao impulsionar a tela deve-se inclinar ligeiramente o corpo para a frente, devendo esse estar em extensão total de modo a permitir alcançar o ponto mais alto na fase aérea.Deve haver o engrupamento do corpo:  flexão da cabeça, mãos abaixo dos joelhos e aproximação dos calcanhares à bacia  – rotação no eixo transversal;<br />Ao aproximar do corpo com o colchão há a extensão do corpo na horizontal, mantendo-o contraído para o contacto com o colchão na posição de deitado.<br />17<br />Ajudas:<br />18<br />8-Exercícios preparatórios:<br />Deslocamento com saltos e saltinhos;<br />Actividades com ênfase na transposição de obstáculos, utilizando o plinto, banco sueco, cordas ou caixas de madeira;<br />Associar o mini trampolim ao plinto com movimentos de transposição, que levem o jovem a conhecer e superar os seus limites;<br />Ao introduzir o aparelho, observar as diferentes fases do salto, dividindo-as para facilitar a aprendizagem;<br />Sequência de aprendizagem que leve o jovem a primeiro adaptar-se ao aparelho, para depois experimentar uma evolução em seus saltos: aterragem, saltos elementares, impulsão, abordagem, saltos mais complexos, saltos elementares com corrida;<br />Alguns exemplos:<br />19<br />Com este trabalho sobre o Mini Trampolim, pode-se retirar várias conclusões:<br />Que o trampolim/ mini trampolim é objecto antigo , que ao que tudo aponta , vem da Idade Média , na qual os artistas de circo o utilizavam para as suas exibições;<br />Que existem vários tipos de saltos , entre eles : ½ pirueta , pirueta , mortal engrupado para a frente , salto de carpa , encarpado , em extensão , entre outros .<br />Existem vários tipos de exercícios preparatórios destes saltos , entre eles o salto de plinto em plinto .<br />Espero que tenha gostado , e que esteja de acordo com o pedido .<br />20<br />