Psicoses

2.694 visualizações

Publicada em

Apresentação do tutor de Psicologia Pedro Gabriel.
Contato: pedro.gabriel@lituraterre.com

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.694
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
86
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Psicoses

  1. 1. AS PSICOSES Aula de 23/05/2011 Prof. Pedro Gabriel www.lituraterre.com
  2. 2. Síntese das Três Aulas: Software x Hardware
  3. 3. Lacan e o Contexto das Psicoses Psiquiatria e Medicina Forense Surrealismo A cidadela da Psicanálise “Não é louco quem quer”
  4. 4. Terceiro Seminário (1955-1956) “Longe de ser a loucura o fato contingente das fragilidades de um organismo, ela é a virtualidade permanente de uma falha aberta na sua essência. Longe de ser para a liberdade ‘um insulto’, ela é sua mais fiel companheira, ela segue seu movimento como uma sombra. E o ser do homem, não somente não pode ser compreendido sem a loucura, mas também ele não seria o ser do homem se não trouxesse nele a loucura, como limite de sua liberdade”. Jacques Lacan – A Causalidade Psíquica
  5. 5. Retomando a Ideia de Estrutura  Clínica psicanalítica <> descritiva ou fenomenológica (o diagnóstico se estabelece na transferência)  Ausência de “fenômenos”  Estrutura como operação de defesa contra...  ...o real da carne: obter um estatuto simbólico e não se perder como objeto de gozo do Outro  Estrutura como montagem
  6. 6. Bordas
  7. 7. Estrutura e Defesa  Toda defesa implica um certo tipo de metáfora.  O que se metaforiza é o a demanda do Outro: o que o Outro quer de mim?  O falo é o significante primordial de qualquer operação.
  8. 8. Metáfora Paterna “O Pai é uma metáfora” (Seminário 5) O Psicótico e a Metáfora O fora do discurso O Significante Nome-do-Pai
  9. 9. Saída Psicótica Foraclusão como não inscrição do significante da Lei; Processo forclos: prescrito, direito não usado em tempo
  10. 10. Relação entre EstruturasESTRUTURA FORMA DE LOCAL DE FENÔMENO CLÍNICA NEGAÇÃO RETORNO ELEMENTAR Neurose Recalque Simbólico SintomaPerversão Desmentido Imaginário Fetiche Psicose Foraclusão Real Alucinação* Quinet, A. (2005). As 4 + 1 Concições da Análise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. p19
  11. 11. A transferência nas 3 Estruturas
  12. 12. Esquizofrenia e Paranóia
  13. 13. R, S, I O Real O Simbólico O Imaginário
  14. 14. D. Sebastião, Rei de Portugal Louco, sim, louco, porque quis grandeza Qual a Sorte a não dá. Não coube em mim minha certeza; Por isso onde o areal está Ficou meu ser que houve, não o que há. Minha loucura, outros que me a tomem Com o que nela ia. Sem a loucura que é o homem Mais que a besta sadia, Cadáver adiado que procria?
  15. 15. Obrigado pela Atenção

×