SlideShare uma empresa Scribd logo

Porradão do Bartinho

Rogério Bartilotti
Rogério Bartilotti
Rogério BartilottiProfessor de Geografia

Integral, SartreCOC, PONTOMED, Bernoulli e Mendel Responder apenas as questões da frente que trabalho.

Porradão do Bartinho

1 de 21
Baixar para ler offline
Revisão Semestral do Bartinho - SartreCOC
Um forte abraço, sucesso a todos!!!
Página 1
1. Sobre as características geológicas, geomorfológicas e pedológicas da Amazônia e suas
influências nas demais características físicas da Região, é correto afirmar que:
a) As "cuestas" e as chapadas são as feições geomorfológicas predominantes na Região.
b) Os terrenos sedimentares de idades geológicas diferentes são predominantes na Amazônia.
c) A elevada profundidade dos solos permite a existência de uma vegetação regional densa e
homogênea.
d) A atividade vulcânica ocorrida no Terciário favoreceu o desenvolvimento de solos basálticos
de elevada fertilidade.
e) A Região, que se situa entre as placas Nazca e Sul-americana, é limitada, a leste e a oeste,
pelas elevadas cadeias de montanhas de origem cenozoica.
2. As formas de relevo da superfície da Terra são resultantes da ação combinada de
processos internos e externos. Os processos internos são responsáveis pela gênese de
grandes formas de relevo, como as cadeias montanhosas. A ação externa é responsável pelo
desgaste e esculturação das rochas, remoção e deposição de sedimentos, formação de solos
etc. Com base nessas informações, preencha os parênteses com V ou F conforme sejam
verdadeiras ou falsas as assertivas a seguir.
a) ( ) O intemperismo é um processo importante na formação de solos.
b) ( ) No Presente, a sismicidade é fundamental para a formação de relevos de grande
expressão espacial no território brasileiro.
c) ( ) O clima úmido da Região Sudeste do Brasil é fator condicionante da existência de
relevos do tipo "mares de morros".
d) ( ) O clima é semiárido em grande extensão do território cearense, intensificando a ação
do intemperismo físico nesses segmentos territoriais.
e) ( ) As depressões sertanejas, que são superfícies de aplainamento, representam um
relevo característico do Nordeste brasileiro.
3. Observe o mapa.
Assinale a alternativa que contém as formas de relevo predominantes em cada porção do
território brasileiro indicada, de acordo com a classificação de Ross.
a) Faixa litorânea: depressões.
b) Amazônia Legal: planícies.
c) Fronteira com o Mercosul: planaltos.
d) Região Sul: planícies.
e) Pantanal: planaltos.
4. Leia estes trechos:
Revisão Semestral do Bartinho - SartreCOC
Um forte abraço, sucesso a todos!!!
Página 2
O interior do Ceará voltou a ser atingido por tremores de terra na madrugada de ontem, com
abalos sísmicos que alcançaram até 3,9 graus na escala Richter.
Folha de S. Paulo, 10 mar. 2008. p. C1. (Adaptado)
A terra voltou a tremer na região de Caraíbas, no Norte de Minas Gerais. O abalo sísmico de
4,0 graus na escala Richter ocorreu anteontem à noite, onde, em dezembro de 2007, terremoto
causou a morte da primeira vítima de um tremor de terra no País.
Estado de Minas, 21 de mar. 2008. p. 22. (Adaptado)
Por volta das 21h de anteontem, um tremor de terra de 5,2 graus na escala Richter assustou
moradores de São Paulo, Rio, Paraná e Santa Catarina. Com epicentro na costa brasileira, a
cerca de 270 km da capital paulista, o terremoto foi considerado moderado por cientistas e
geólogos do País.
Folha de S. Paulo, 24 abr. 2008. p. C4. (Adaptado)
Considerando-se essas informações e outros conhecimentos sobre o assunto, é incorreto
afirmar que:
a) A ausência de vítimas no terremoto que afetou parte de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e
Santa Catarina é explicada pelo fato de, no Centro-Sul do País, a construção civil empregar
técnicas antiterremotos eficazes em países como o Japão.
b) A escala Richter é utilizada para quantificar a magnitude sísmica de um terremoto ocorrido
em continente ou em oceano, desde aqueles registrados somente pelos sismógrafos, até
aqueles outros sentidos pelo homem e causadores de grande destruição.
c) A mídia, ao fazer uso das expressões “tremor de terra”, “abalo sísmico” e “terremoto”, está-
se referindo a um fenômeno geológico, que tem sua origem associada à mobilidade e ao
deslocamento das placas litosféricas.
d) As áreas continentais distantes das bordas de placas tectônicas – como é o caso de grande
parte do território brasileiro –, revelam- se, também, sismicamente instáveis, embora, nelas,
os terremotos apresentem magnitude e frequência reduzidas.
5. O território brasileiro apresenta formas diversificadas de relevo. Identifique a forma de
relevo representada na figura a seguir e assinale a opção CORRETA.
a) Chapada
b) Mar de Morro
c) Serra
d) Depressão
6. Leia o trecho a seguir.
Pães de açúcar
Corcovados
Revisão Semestral do Bartinho - SartreCOC
Um forte abraço, sucesso a todos!!!
Página 3
Fustigados pela chuva
E pelo eterno vento
GILBERTO GIL. Tempo Rei. Raça Humana,1984.
O geógrafo Ab´Sáber apresenta a regionalização do território brasileiro em seis domínios
morfoclimáticos. No trecho da música apresentado, evidencia-se o domínio de
a) terras baixas florestadas equatoriais.
b) chapadões tropicais interiores com cerrados e florestasgalerias.
c) coxilhas subtropicais com pradarias mistas.
d) planaltos subtropicais com araucárias.
e) áreas mamelonares tropical-atlânticas florestadas.
7.
Os climogramas anteriores se referem, respectivamente, aos climas brasileiros:
a) Tropical de altitude, Tropical e Tropical úmido.
b) Equatorial Semiúmido, Tropical de altitude e Tropical Semiárido.
c) Tropical Úmido, Equatorial Semiúmido e Equatorial úmido.
d) Equatorial úmido, Tropical e Tropical úmido.
e) Tropical, Subtropical e Tropical de altitude.
8. Os diferentes tipos de clima resultam da combinação de vários fatores, tais como latitude,
altitude, penetração de sistemas frontais, taxas de evapotranspiração, linhas de instabilidade,
existência de superfícies líquidas.
Em relação ao quadro climático da Amazônia, é correto afirmar que:
a) A temperatura média é elevada porque se trata de uma região de baixas latitudes.
b) O clima da Região sofreu variações muito reduzidas ao longo do tempo geológico.
c) As brisas fluviais formam-se nos setores em que os cursos fluviais são mais estreitos.
d) A possibilidade de ocorrência de chuvas na Região é menor que em áreas de altas latitudes.
e) O norte da Região, entre os meses de dezembro e março, sofre o fenômeno da friagem em
função da invasão de ar polar.
9. Os cerrados brasileiros são formados por árvores com aspecto xeromórfico, com árvores
tortuosas e espaçadas, com troncos de cortiça espessa e folhagem coriácea e pilosa, muitas
Revisão Semestral do Bartinho - SartreCOC
Um forte abraço, sucesso a todos!!!
Página 4
vezes lembrando a caatinga arbustiva densa, da região do semiárido nordestino.
[Adaptado de: ROSS, J. (org.). "Geografia do Brasil". São Paulo: Edusp, 1996].
O fator que pode explicar tal semelhança fisionômica entre os dois tipos de vegetação é:
a) a baixa umidade nos solos do cerrado, com árvores com menor capacidade de captar e
armazenar água do ambiente.
b) a baixa fertilidade natural dos solos do cerrado, em geral muito ácidos, pobres em cálcio e
nutrientes em geral.
c) a vigência de um clima tropical seco e de altitude no cerrado, responsável por invernos mais
chuvosos e verões mais quentes e secos.
d) o uso intensivo das queimadas como fator de manejo e controle do cerrado, para eliminação
de gramíneas.
e) o extenso desmatamento do domínio dos cerrados para a produção de soja e gado,
tornando a região mais seca.
10. As mudanças climáticas e da vegetação ocorridas nos trópicos da América do Sul têm
sido bem documentadas por diversos autores, existindo um grande acúmulo de evidências
geológicas ou paleoclimatológicas que evidenciam essas mudanças ocorridas durante o
Quaternário nessa região. Essas mudanças resultaram em restrição da distribuição das
florestas pluviais, com expansões concomitantes de habitats não florestais durante períodos
áridos (glaciais), seguido da expansão das florestas pluviais e restrição das áreas não florestais
durante períodos úmidos (interglaciais).
Disponível em: http://zoo.bio.ufpr.br. Acesso em: 1 maio 2009.
Durante os períodos glaciais,
a) as áreas não florestais ficam restritas a refúgios ecológicos devido à baixa adaptabilidade de
espécies não florestais a ambientes áridos.
b) grande parte da diversidade de espécies vegetais é reduzida, uma vez que necessitam de
condições semelhantes a dos períodos interglaciais.
c) a vegetação comum ao cerrado deve ter se limitado a uma pequena região do centro do
Brasil, da qual se expandiu até atingir a atual distribuição.
d) plantas com adaptações ao clima árido, como o desenvolvimento de estruturas que reduzem
a perda de água, devem apresentar maior área de distribuição.
e) florestas tropicais como a amazônica apresentam distribuição geográfica mais ampla, uma
vez que são densas e diminuem a ação da radiação solar sobre o solo e reduzem os efeitos
da aridez.
11. Esta última fonte (IBGE, 2000) traz também a informação de que mais da metade da
população brasileira (60%) não tem acesso à rede de esgoto, enquanto que a distribuição de
água tratada é mais abrangente (76,1%). [...] Com relação ao esgotamento sanitário, por
exemplo, a pior situação ocorre no Norte (97,2% da população não é atendida), sendo que no
Sudeste a cobertura é mais ampla (36,4% não são atendidos). Em relação à distribuição de
água a situação é parecida; observa-se que a população atendida é de 84,6% no Sudeste,
enquanto que no Norte é de apenas 51,9%.
Tabela I: Distribuição dos recursos hídricos* no Brasil por regiões
Região Norte
Região
Centro-Oeste
Região Sul
Região
Sudeste
Região
Nordeste
68,5% 15,7% 6,5% 6% 3,3%
* Distribuição de recursos hídricos equivale à disponibilidade de água nas bacias
hidrográficas.
(Fonte: MENDONÇA, F.; SANTOS, L. J. C. "Gestão da água e dos
recursos hídricos a partir das Bacias Hidrográficas - uma abordagem geográfica".
Geográfica, Rio Claro, v. 31, n. 1, p. 103 - 117, jan./abr. 2006.)
Revisão Semestral do Bartinho - SartreCOC
Um forte abraço, sucesso a todos!!!
Página 5
Com base no texto, na tabela e nos conhecimentos sobre o tema, considere as afirmativas a
seguir.
I. A distribuição dos recursos hídricos é equilibrada entre as grandes regiões brasileiras dado
que a maior abundância de águas corresponde às regiões de maior densidade de ocupação
humana e maior crescimento da agricultura irrigada.
II. A maior abrangência da distribuição de água tratada em relação ao esgoto indica que a
carência de rede de esgoto projeta para o futuro possibilidades de escassez de água gerada
pelo comprometimento das fontes primárias desse recurso, em face do contínuo lançamento
de dejetos na rede hidrográfica.
III. A distribuição dos recursos hídricos no Brasil revela que onde estes existem em abundância
se encontram também ameaças importantes, como a situação de risco dos pequenos
córregos e rios, caracterizada pelo baixo graus de acesso da população a sistemas
sanitários apropriados.
IV. Nas regiões Sul e Sudeste, os problemas de degradação da qualidade da água são menos
importantes do que na região Norte, devidos aos baixos índices de disponibilidade hídrica e
ao alto grau de cobertura dos sistemas de saneamento básico daquelas regiões.
Assinale a alternativa CORRETA.
a) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
b) Somente as afirmativas II e III são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e) Somente as afirmativas I, II e IV são corretas.
12. "O estudo aponta que o animal (peixe-boi) deixa os lagos de várzea de Mamirauá, na
planície de inundação do rio Solimões, quando as águas começam a baixar. E se refugia
durante o período de seca nas águas pretas e mais profundas do lago Amanã. Com a chegada
da enchente o bicho viaja de volta aos lagos de origem."
Folha de São Paulo, 07 de setembro de 2008.
A região retratada no texto acima apresenta:
a) A planície do Rio Amazonas, como principal forma de relevo, e clima equatorial.
b) A planície litorânea brasileira, como principal forma de relevo, e clima tropical atlântico.
c) A planície do Rio Araguaia, como unidade de relevo, e clima tropical típico.
d) A planície da Lagoa dos Patos, como forma de relevo, e clima subtropical.
e) A planície do Rio Guaporé, como unidade de relevo, e clima subequatorial.
13. Sobre o Aquífero Guarani, assinale a alternativa incorreta.
a) No Brasil, o Aquífero Guarani abrange nove estados: Santa Catarina, Rio Grande do Norte,
Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grasso do Sul, Sergipe e Paraíba.
b) É a maior reserva de água doce subterrânea do mundo.
c) Está localizado na região Centro-leste da América do Sul e ocupa uma área que se estende
pelo Brasil, Paraguai, Uruguai e pela Argentina.
d) O volume de água é suficiente para atender toda a população da Terra durante mais de um
século.
e) Metade do território catarinense está sobre o Aquífero Guarani.
14. Analise o mapa a seguir e responda à questão a seguir.
Revisão Semestral do Bartinho - SartreCOC
Um forte abraço, sucesso a todos!!!
Página 6
Com base no mapa e nos conhecimentos sobre as bacias hidrográficas brasileiras, considere
as afirmativas a seguir.
I. Na bacia 1, localiza-se a usina de Tucuruí, a segunda maior do país em geração de energia.
II. A bacia 2 é predominantemente planáltica e, no país, é a que possui o maior aproveitamento
do potencial hidréletrico.
III. Na bacia 3, situa-se a hidrelétrica de Itaipu, a maior do Brasil e uma das maiores do mundo.
IV. A bacia 4 está no planalto meridional, o que favorece a produção de energia a partir de
hidrelétricas.
Assinale a alternativa CORRETA.
a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e III são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e IV são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.
15. Genuinamente nacional, possui grande potencial hidrelétrico, é navegável em boa parte
de sua extensão e, nos primórdios do período colonial brasileiro, teve um importante papel no
processo de interiorização de nosso povoamento. Estamos nos referindo ao rio:
a) Amazonas.
b) Paraguai.
c) São Francisco.
d) Paraná.
e) Solimões.
16. "... Bacia hidrográfica amplamente navegável, pois atravessa regiões de relevo pouco
acidentado no pantanal mato-grossense e, por essa mesma razão, apresenta pequeno
potencial hidrelétrico, sofrendo um intenso processo de inundação durante as chuvas de verão,
fenômeno responsável pela denominação de Pantanal."
Paulo Roberto Moraes, "Geografia Geral e do Brasil".
A bacia hidrográfica a que se refere o texto é a:
a) Bacia Platina, sub-bacia do Rio Paraná.
b) Bacia do Uruguai, sub-bacia do Rio Paraná.
c) Bacia Platina, sub-bacia do Rio Paraguai.
d) Bacia do Paraná, sub-bacia do Rio Uruguai.
e) Bacia do Uruguai, sub-bacia do Rio Cuiabá.

Recomendados

Geografia bartilotti
Geografia bartilottiGeografia bartilotti
Geografia bartilotticamilassbr
 
Exercícios - Geologia e Geomorfologia Brasileira
Exercícios - Geologia e Geomorfologia BrasileiraExercícios - Geologia e Geomorfologia Brasileira
Exercícios - Geologia e Geomorfologia BrasileiraRogério Bartilotti
 
Treinamento: Domínio Amazônico
Treinamento: Domínio AmazônicoTreinamento: Domínio Amazônico
Treinamento: Domínio AmazônicoRogério Bartilotti
 
Lista - Fatores e Elementos Climáticos
Lista - Fatores e Elementos ClimáticosLista - Fatores e Elementos Climáticos
Lista - Fatores e Elementos ClimáticosRogério Bartilotti
 
Domínios Morfoclimáticos do Brasil
Domínios Morfoclimáticos do BrasilDomínios Morfoclimáticos do Brasil
Domínios Morfoclimáticos do BrasilRogério Bartilotti
 
Dinâmica climática enviada por reginaldo
Dinâmica climática  enviada por reginaldoDinâmica climática  enviada por reginaldo
Dinâmica climática enviada por reginaldoLigia Amaral
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lista 1 (I unidade Fente 2) Cadu
Lista 1 (I unidade  Fente 2) CaduLista 1 (I unidade  Fente 2) Cadu
Lista 1 (I unidade Fente 2) CaduCADUCOCFRENTE2
 
GEOGRAFIA DO BRASIL
GEOGRAFIA DO BRASILGEOGRAFIA DO BRASIL
GEOGRAFIA DO BRASILBruno Lima
 
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. Ambientais
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. AmbientaisTreinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. Ambientais
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. AmbientaisRogério Bartilotti
 
Revisão uefs geografia
Revisão uefs geografiaRevisão uefs geografia
Revisão uefs geografiaAdemir Aquino
 
Jurandyr Ross e a classificação do relevo brasileiro; Os principais tipos de...
Jurandyr Ross e a classificação do relevo brasileiro;  Os principais tipos de...Jurandyr Ross e a classificação do relevo brasileiro;  Os principais tipos de...
Jurandyr Ross e a classificação do relevo brasileiro; Os principais tipos de...Ronaldo Mello
 
Geografia do brasil relevo, clima, vegetação, hidrografia e fusos horários-pm ba
Geografia do brasil relevo, clima, vegetação, hidrografia e fusos horários-pm baGeografia do brasil relevo, clima, vegetação, hidrografia e fusos horários-pm ba
Geografia do brasil relevo, clima, vegetação, hidrografia e fusos horários-pm baNilberte
 
Geografia brasil-natural-clima-exercicios
Geografia brasil-natural-clima-exerciciosGeografia brasil-natural-clima-exercicios
Geografia brasil-natural-clima-exerciciosDelmacy Cruz Souza
 
Geografia do brasil o espaço brasileiro
Geografia do brasil o espaço brasileiroGeografia do brasil o espaço brasileiro
Geografia do brasil o espaço brasileiroelrey1000
 
Treinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do Clima
Treinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do ClimaTreinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do Clima
Treinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do ClimaRogério Bartilotti
 
3º ano E.M (mod. 24) Brasil: Aspectos naturais
3º ano E.M (mod. 24) Brasil: Aspectos naturais3º ano E.M (mod. 24) Brasil: Aspectos naturais
3º ano E.M (mod. 24) Brasil: Aspectos naturaisAlexandre Alves
 
Treinamento - Climatologia - parte II
Treinamento - Climatologia - parte IITreinamento - Climatologia - parte II
Treinamento - Climatologia - parte IIRogério Bartilotti
 
GEO PSC1 - Solos e Relevo da Amazônia
GEO PSC1 - Solos e Relevo da AmazôniaGEO PSC1 - Solos e Relevo da Amazônia
GEO PSC1 - Solos e Relevo da AmazôniaDiego Lopes
 
Dinâmica climática
Dinâmica climáticaDinâmica climática
Dinâmica climáticaLigia Amaral
 
Exercício 1
Exercício 1Exercício 1
Exercício 1renanpinh
 
Revisão 2 - Geologia, formações vegetais
Revisão 2 - Geologia, formações vegetaisRevisão 2 - Geologia, formações vegetais
Revisão 2 - Geologia, formações vegetaisGerson Coppes
 
Questões Ambientais 2
Questões Ambientais 2Questões Ambientais 2
Questões Ambientais 2joao paulo
 

Mais procurados (20)

Lista 1 (I unidade Fente 2) Cadu
Lista 1 (I unidade  Fente 2) CaduLista 1 (I unidade  Fente 2) Cadu
Lista 1 (I unidade Fente 2) Cadu
 
GEOGRAFIA DO BRASIL
GEOGRAFIA DO BRASILGEOGRAFIA DO BRASIL
GEOGRAFIA DO BRASIL
 
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. Ambientais
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. AmbientaisTreinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. Ambientais
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. Ambientais
 
Revisão uefs geografia
Revisão uefs geografiaRevisão uefs geografia
Revisão uefs geografia
 
Jurandyr Ross e a classificação do relevo brasileiro; Os principais tipos de...
Jurandyr Ross e a classificação do relevo brasileiro;  Os principais tipos de...Jurandyr Ross e a classificação do relevo brasileiro;  Os principais tipos de...
Jurandyr Ross e a classificação do relevo brasileiro; Os principais tipos de...
 
Geografia do brasil relevo, clima, vegetação, hidrografia e fusos horários-pm ba
Geografia do brasil relevo, clima, vegetação, hidrografia e fusos horários-pm baGeografia do brasil relevo, clima, vegetação, hidrografia e fusos horários-pm ba
Geografia do brasil relevo, clima, vegetação, hidrografia e fusos horários-pm ba
 
Geografia brasil-natural-clima-exercicios
Geografia brasil-natural-clima-exerciciosGeografia brasil-natural-clima-exercicios
Geografia brasil-natural-clima-exercicios
 
Treinamento - Meio Ambiente
Treinamento - Meio AmbienteTreinamento - Meio Ambiente
Treinamento - Meio Ambiente
 
Geografia do brasil o espaço brasileiro
Geografia do brasil o espaço brasileiroGeografia do brasil o espaço brasileiro
Geografia do brasil o espaço brasileiro
 
Treinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do Clima
Treinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do ClimaTreinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do Clima
Treinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do Clima
 
3º ano E.M (mod. 24) Brasil: Aspectos naturais
3º ano E.M (mod. 24) Brasil: Aspectos naturais3º ano E.M (mod. 24) Brasil: Aspectos naturais
3º ano E.M (mod. 24) Brasil: Aspectos naturais
 
2011geografia
2011geografia2011geografia
2011geografia
 
Treinamento - Climatologia - parte II
Treinamento - Climatologia - parte IITreinamento - Climatologia - parte II
Treinamento - Climatologia - parte II
 
GEO PSC1 - Solos e Relevo da Amazônia
GEO PSC1 - Solos e Relevo da AmazôniaGEO PSC1 - Solos e Relevo da Amazônia
GEO PSC1 - Solos e Relevo da Amazônia
 
Brasil paisagens naturais_e_acao_da_sociedade
Brasil paisagens naturais_e_acao_da_sociedadeBrasil paisagens naturais_e_acao_da_sociedade
Brasil paisagens naturais_e_acao_da_sociedade
 
Dinâmica climática
Dinâmica climáticaDinâmica climática
Dinâmica climática
 
Exercício 1
Exercício 1Exercício 1
Exercício 1
 
Biomas
BiomasBiomas
Biomas
 
Revisão 2 - Geologia, formações vegetais
Revisão 2 - Geologia, formações vegetaisRevisão 2 - Geologia, formações vegetais
Revisão 2 - Geologia, formações vegetais
 
Questões Ambientais 2
Questões Ambientais 2Questões Ambientais 2
Questões Ambientais 2
 

Destaque

Treinamento - Recursos Minerais e Fontes de Energia
Treinamento - Recursos Minerais e Fontes de EnergiaTreinamento - Recursos Minerais e Fontes de Energia
Treinamento - Recursos Minerais e Fontes de EnergiaRogério Bartilotti
 
Migrações internacionais Teoria e Questões
Migrações internacionais Teoria e QuestõesMigrações internacionais Teoria e Questões
Migrações internacionais Teoria e QuestõesRogério Bartilotti
 
Fases do crescimento populacional
Fases do crescimento populacionalFases do crescimento populacional
Fases do crescimento populacionalRogério Bartilotti
 
Problemas Atmosféricos e Geopolítica da Água
Problemas Atmosféricos e Geopolítica da ÁguaProblemas Atmosféricos e Geopolítica da Água
Problemas Atmosféricos e Geopolítica da ÁguaRogério Bartilotti
 
Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...
Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...
Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...Rogério Bartilotti
 
Classificação do Relevo Brasileiro
Classificação do Relevo BrasileiroClassificação do Relevo Brasileiro
Classificação do Relevo BrasileiroRogério Bartilotti
 
Roteiro básico - Domínio Amazônico
Roteiro básico - Domínio AmazônicoRoteiro básico - Domínio Amazônico
Roteiro básico - Domínio AmazônicoRogério Bartilotti
 
Tabela de Eras Geológicas - Brasil
Tabela de Eras Geológicas - BrasilTabela de Eras Geológicas - Brasil
Tabela de Eras Geológicas - BrasilRogério Bartilotti
 
Lista inicial - Exercícios Recentes
Lista inicial - Exercícios RecentesLista inicial - Exercícios Recentes
Lista inicial - Exercícios RecentesRogério Bartilotti
 
Lista de Exercícos - Introdução Brasil
Lista de Exercícos - Introdução BrasilLista de Exercícos - Introdução Brasil
Lista de Exercícos - Introdução BrasilRogério Bartilotti
 
Principais eventos da Guerra Fria
Principais eventos da Guerra FriaPrincipais eventos da Guerra Fria
Principais eventos da Guerra FriaCADUCOC
 
Treinamento: Cerrado, Caatinga e Mares de morro
Treinamento: Cerrado, Caatinga e Mares de morroTreinamento: Cerrado, Caatinga e Mares de morro
Treinamento: Cerrado, Caatinga e Mares de morroRogério Bartilotti
 

Destaque (20)

Treinamento - Recursos Minerais e Fontes de Energia
Treinamento - Recursos Minerais e Fontes de EnergiaTreinamento - Recursos Minerais e Fontes de Energia
Treinamento - Recursos Minerais e Fontes de Energia
 
Recursos Minerais
Recursos MineraisRecursos Minerais
Recursos Minerais
 
Migrações internacionais Teoria e Questões
Migrações internacionais Teoria e QuestõesMigrações internacionais Teoria e Questões
Migrações internacionais Teoria e Questões
 
Fases do crescimento populacional
Fases do crescimento populacionalFases do crescimento populacional
Fases do crescimento populacional
 
Áreas de Transição - Brasil
Áreas de Transição - BrasilÁreas de Transição - Brasil
Áreas de Transição - Brasil
 
Problemas Atmosféricos e Geopolítica da Água
Problemas Atmosféricos e Geopolítica da ÁguaProblemas Atmosféricos e Geopolítica da Água
Problemas Atmosféricos e Geopolítica da Água
 
Bacia do São Francisco
Bacia do São FranciscoBacia do São Francisco
Bacia do São Francisco
 
Como analisar um climograma
Como analisar um climogramaComo analisar um climograma
Como analisar um climograma
 
Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...
Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...
Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...
 
Classificação do Relevo Brasileiro
Classificação do Relevo BrasileiroClassificação do Relevo Brasileiro
Classificação do Relevo Brasileiro
 
Roteiro básico - Domínio Amazônico
Roteiro básico - Domínio AmazônicoRoteiro básico - Domínio Amazônico
Roteiro básico - Domínio Amazônico
 
Bacias Secundárias do Brasil
Bacias Secundárias do BrasilBacias Secundárias do Brasil
Bacias Secundárias do Brasil
 
Tabela de Eras Geológicas - Brasil
Tabela de Eras Geológicas - BrasilTabela de Eras Geológicas - Brasil
Tabela de Eras Geológicas - Brasil
 
Divisão Regional Brasileira
Divisão Regional BrasileiraDivisão Regional Brasileira
Divisão Regional Brasileira
 
Lista inicial - Exercícios Recentes
Lista inicial - Exercícios RecentesLista inicial - Exercícios Recentes
Lista inicial - Exercícios Recentes
 
Lista de Exercícos - Introdução Brasil
Lista de Exercícos - Introdução BrasilLista de Exercícos - Introdução Brasil
Lista de Exercícos - Introdução Brasil
 
Principais eventos da Guerra Fria
Principais eventos da Guerra FriaPrincipais eventos da Guerra Fria
Principais eventos da Guerra Fria
 
Treinamento: Cerrado, Caatinga e Mares de morro
Treinamento: Cerrado, Caatinga e Mares de morroTreinamento: Cerrado, Caatinga e Mares de morro
Treinamento: Cerrado, Caatinga e Mares de morro
 
Treinamento - Demografia
Treinamento - DemografiaTreinamento - Demografia
Treinamento - Demografia
 
Comércio Internacional
Comércio InternacionalComércio Internacional
Comércio Internacional
 

Semelhante a Porradão do Bartinho

Questões Marco Aurelio
Questões Marco AurelioQuestões Marco Aurelio
Questões Marco Aureliosylviasantana
 
Banco de questões Geografia
Banco de questões GeografiaBanco de questões Geografia
Banco de questões Geografiaaroudus
 
Atividade 02 curso geografia aplicada
Atividade 02 curso geografia aplicadaAtividade 02 curso geografia aplicada
Atividade 02 curso geografia aplicadanairaeliza
 
I avaliação de geografia 2° ano -2014
I avaliação de geografia   2° ano -2014I avaliação de geografia   2° ano -2014
I avaliação de geografia 2° ano -2014nao
 
Prof Demetrio Melo - Brasil: Estrutura Geológica e Relevo
Prof Demetrio Melo - Brasil: Estrutura Geológica e RelevoProf Demetrio Melo - Brasil: Estrutura Geológica e Relevo
Prof Demetrio Melo - Brasil: Estrutura Geológica e RelevoDeto - Geografia
 
Revisão geografia com gabarito ufpr 2011 12
Revisão geografia com gabarito ufpr 2011 12Revisão geografia com gabarito ufpr 2011 12
Revisão geografia com gabarito ufpr 2011 12aroudus
 
Aulã£o upe 14 novembro.
Aulã£o upe 14 novembro.Aulã£o upe 14 novembro.
Aulã£o upe 14 novembro.Ajudar Pessoas
 
Dominios climatobotanicos-brasileiros
Dominios climatobotanicos-brasileirosDominios climatobotanicos-brasileiros
Dominios climatobotanicos-brasileirosMarcelo Nascimento
 
Dossiê nordeste seco ab'saber - 1999
Dossiê nordeste seco   ab'saber - 1999Dossiê nordeste seco   ab'saber - 1999
Dossiê nordeste seco ab'saber - 1999Filipe Carvalho
 
MODELO DE SLIDE - CBMMG M100D 2022 - GEOGRAFIA.pptx
MODELO DE SLIDE - CBMMG M100D 2022 - GEOGRAFIA.pptxMODELO DE SLIDE - CBMMG M100D 2022 - GEOGRAFIA.pptx
MODELO DE SLIDE - CBMMG M100D 2022 - GEOGRAFIA.pptxANDRE LIMA
 
Gabarito 1o. bim geografia
Gabarito 1o. bim   geografiaGabarito 1o. bim   geografia
Gabarito 1o. bim geografiaLigia Amaral
 
Domínios morfoclimáticos do brasil
Domínios morfoclimáticos do brasilDomínios morfoclimáticos do brasil
Domínios morfoclimáticos do brasilPrivada
 
Erosão e progradação costeira rn vitall
Erosão e progradação costeira rn   vitallErosão e progradação costeira rn   vitall
Erosão e progradação costeira rn vitallmarceudemelo
 
CLIMATOLOGIA - ENEM 2023.pptx
CLIMATOLOGIA - ENEM 2023.pptxCLIMATOLOGIA - ENEM 2023.pptx
CLIMATOLOGIA - ENEM 2023.pptxTalyaPinheiro1
 
Estrutura geológica e Formação do relevo Brasileiro.
Estrutura geológica e Formação do relevo Brasileiro.Estrutura geológica e Formação do relevo Brasileiro.
Estrutura geológica e Formação do relevo Brasileiro.Fernando Bueno
 
Lista revisão I_unidade_2020_frente_2
Lista revisão I_unidade_2020_frente_2Lista revisão I_unidade_2020_frente_2
Lista revisão I_unidade_2020_frente_2CADUCOCFRENTE2
 

Semelhante a Porradão do Bartinho (20)

Questões Marco Aurelio
Questões Marco AurelioQuestões Marco Aurelio
Questões Marco Aurelio
 
Banco de questões Geografia
Banco de questões GeografiaBanco de questões Geografia
Banco de questões Geografia
 
Lista 2 - geografia
Lista 2 - geografiaLista 2 - geografia
Lista 2 - geografia
 
Geo – geomorfologia do brasil 01 – 2013
Geo – geomorfologia do brasil 01 – 2013Geo – geomorfologia do brasil 01 – 2013
Geo – geomorfologia do brasil 01 – 2013
 
Atividade 02 curso geografia aplicada
Atividade 02 curso geografia aplicadaAtividade 02 curso geografia aplicada
Atividade 02 curso geografia aplicada
 
I avaliação de geografia 2° ano -2014
I avaliação de geografia   2° ano -2014I avaliação de geografia   2° ano -2014
I avaliação de geografia 2° ano -2014
 
Provas UEFS 2011 12
Provas UEFS 2011 12Provas UEFS 2011 12
Provas UEFS 2011 12
 
Prof Demetrio Melo - Brasil: Estrutura Geológica e Relevo
Prof Demetrio Melo - Brasil: Estrutura Geológica e RelevoProf Demetrio Melo - Brasil: Estrutura Geológica e Relevo
Prof Demetrio Melo - Brasil: Estrutura Geológica e Relevo
 
Revisão geografia com gabarito ufpr 2011 12
Revisão geografia com gabarito ufpr 2011 12Revisão geografia com gabarito ufpr 2011 12
Revisão geografia com gabarito ufpr 2011 12
 
Aulã£o upe 14 novembro.
Aulã£o upe 14 novembro.Aulã£o upe 14 novembro.
Aulã£o upe 14 novembro.
 
Dominios climatobotanicos-brasileiros
Dominios climatobotanicos-brasileirosDominios climatobotanicos-brasileiros
Dominios climatobotanicos-brasileiros
 
Dossiê nordeste seco ab'saber - 1999
Dossiê nordeste seco   ab'saber - 1999Dossiê nordeste seco   ab'saber - 1999
Dossiê nordeste seco ab'saber - 1999
 
MODELO DE SLIDE - CBMMG M100D 2022 - GEOGRAFIA.pptx
MODELO DE SLIDE - CBMMG M100D 2022 - GEOGRAFIA.pptxMODELO DE SLIDE - CBMMG M100D 2022 - GEOGRAFIA.pptx
MODELO DE SLIDE - CBMMG M100D 2022 - GEOGRAFIA.pptx
 
Gabarito 1o. bim geografia
Gabarito 1o. bim   geografiaGabarito 1o. bim   geografia
Gabarito 1o. bim geografia
 
Domínios morfoclimáticos do brasil
Domínios morfoclimáticos do brasilDomínios morfoclimáticos do brasil
Domínios morfoclimáticos do brasil
 
Erosão e progradação costeira rn vitall
Erosão e progradação costeira rn   vitallErosão e progradação costeira rn   vitall
Erosão e progradação costeira rn vitall
 
aula 4.pptx
aula 4.pptxaula 4.pptx
aula 4.pptx
 
CLIMATOLOGIA - ENEM 2023.pptx
CLIMATOLOGIA - ENEM 2023.pptxCLIMATOLOGIA - ENEM 2023.pptx
CLIMATOLOGIA - ENEM 2023.pptx
 
Estrutura geológica e Formação do relevo Brasileiro.
Estrutura geológica e Formação do relevo Brasileiro.Estrutura geológica e Formação do relevo Brasileiro.
Estrutura geológica e Formação do relevo Brasileiro.
 
Lista revisão I_unidade_2020_frente_2
Lista revisão I_unidade_2020_frente_2Lista revisão I_unidade_2020_frente_2
Lista revisão I_unidade_2020_frente_2
 

Mais de Rogério Bartilotti

Mais de Rogério Bartilotti (13)

Transportes
TransportesTransportes
Transportes
 
Agentes externos e Relevo Brasileiro
Agentes externos e Relevo BrasileiroAgentes externos e Relevo Brasileiro
Agentes externos e Relevo Brasileiro
 
Fatores e elementos do clima parte ii
Fatores e elementos do clima   parte iiFatores e elementos do clima   parte ii
Fatores e elementos do clima parte ii
 
Treinamento blocos
Treinamento blocosTreinamento blocos
Treinamento blocos
 
Treinamento: Geologia, Geomorfologia e Solos
Treinamento: Geologia, Geomorfologia e SolosTreinamento: Geologia, Geomorfologia e Solos
Treinamento: Geologia, Geomorfologia e Solos
 
Revisao 2 - Aulas de Sexta
Revisao 2 - Aulas de SextaRevisao 2 - Aulas de Sexta
Revisao 2 - Aulas de Sexta
 
Da URSS a Rússia
Da URSS a RússiaDa URSS a Rússia
Da URSS a Rússia
 
Treinamento Cartografia
Treinamento CartografiaTreinamento Cartografia
Treinamento Cartografia
 
Eras Geológicas
Eras GeológicasEras Geológicas
Eras Geológicas
 
Ordens Mundiais
Ordens MundiaisOrdens Mundiais
Ordens Mundiais
 
Capitalismo
CapitalismoCapitalismo
Capitalismo
 
Domínio: Caatinga, Araucária, Pradarias, Transição
Domínio: Caatinga, Araucária, Pradarias, TransiçãoDomínio: Caatinga, Araucária, Pradarias, Transição
Domínio: Caatinga, Araucária, Pradarias, Transição
 
Focos de tensão na Áfrcia
Focos de tensão na ÁfrciaFocos de tensão na Áfrcia
Focos de tensão na Áfrcia
 

Último

TEMPLATE relatório de praticas por aluno.pptx
TEMPLATE relatório de praticas por aluno.pptxTEMPLATE relatório de praticas por aluno.pptx
TEMPLATE relatório de praticas por aluno.pptxAssisTeixeira2
 
PLANEJAMENTO ANUAL LINGUA ESPANHOLA 2024 3 ANOS PRONTO.docx
PLANEJAMENTO ANUAL LINGUA ESPANHOLA 2024 3 ANOS PRONTO.docxPLANEJAMENTO ANUAL LINGUA ESPANHOLA 2024 3 ANOS PRONTO.docx
PLANEJAMENTO ANUAL LINGUA ESPANHOLA 2024 3 ANOS PRONTO.docxfran50171
 
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...manoelaarmani
 
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaFicha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaCentro Jacques Delors
 
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!Psyc company
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...azulassessoriaacadem3
 
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024excellenceeducaciona
 
Relatório Ação Saberes Indígenas na Escola - Grupo de Pesquisa Unã Baina
Relatório Ação Saberes Indígenas na Escola - Grupo de Pesquisa Unã BainaRelatório Ação Saberes Indígenas na Escola - Grupo de Pesquisa Unã Baina
Relatório Ação Saberes Indígenas na Escola - Grupo de Pesquisa Unã Bainaifacasie
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfkeiciany
 
Agora, imagine a seguinte situação você é o coordenador da área de inovação e...
Agora, imagine a seguinte situação você é o coordenador da área de inovação e...Agora, imagine a seguinte situação você é o coordenador da área de inovação e...
Agora, imagine a seguinte situação você é o coordenador da área de inovação e...Unicesumar
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfalexandrerodriguespk
 
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxPROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxssuser86fd77
 
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdfCosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdfalexandrerodriguespk
 
Apresentação Aula Usabilidade Web Jogos e Apps
Apresentação Aula Usabilidade Web Jogos e AppsApresentação Aula Usabilidade Web Jogos e Apps
Apresentação Aula Usabilidade Web Jogos e AppsAlexandre Oliveira
 
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOLUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOxogilo3990
 
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdfIntrodução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdfssuser2af87a
 
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoTrovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoPaula Meyer Piagentini
 
LINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdf
LINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdfLINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdf
LINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdfAnaRitaFreitas7
 

Último (20)

TEMPLATE relatório de praticas por aluno.pptx
TEMPLATE relatório de praticas por aluno.pptxTEMPLATE relatório de praticas por aluno.pptx
TEMPLATE relatório de praticas por aluno.pptx
 
PLANEJAMENTO ANUAL LINGUA ESPANHOLA 2024 3 ANOS PRONTO.docx
PLANEJAMENTO ANUAL LINGUA ESPANHOLA 2024 3 ANOS PRONTO.docxPLANEJAMENTO ANUAL LINGUA ESPANHOLA 2024 3 ANOS PRONTO.docx
PLANEJAMENTO ANUAL LINGUA ESPANHOLA 2024 3 ANOS PRONTO.docx
 
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
 
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaFicha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
 
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
 
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
 
Relatório Ação Saberes Indígenas na Escola - Grupo de Pesquisa Unã Baina
Relatório Ação Saberes Indígenas na Escola - Grupo de Pesquisa Unã BainaRelatório Ação Saberes Indígenas na Escola - Grupo de Pesquisa Unã Baina
Relatório Ação Saberes Indígenas na Escola - Grupo de Pesquisa Unã Baina
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
 
Agora, imagine a seguinte situação você é o coordenador da área de inovação e...
Agora, imagine a seguinte situação você é o coordenador da área de inovação e...Agora, imagine a seguinte situação você é o coordenador da área de inovação e...
Agora, imagine a seguinte situação você é o coordenador da área de inovação e...
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
 
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxPROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
 
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdfCosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
 
Apresentação Aula Usabilidade Web Jogos e Apps
Apresentação Aula Usabilidade Web Jogos e AppsApresentação Aula Usabilidade Web Jogos e Apps
Apresentação Aula Usabilidade Web Jogos e Apps
 
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOLUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
 
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdfIntrodução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
 
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoTrovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
 
LINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdf
LINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdfLINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdf
LINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxSlides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
 

Porradão do Bartinho

  • 1. Revisão Semestral do Bartinho - SartreCOC Um forte abraço, sucesso a todos!!! Página 1 1. Sobre as características geológicas, geomorfológicas e pedológicas da Amazônia e suas influências nas demais características físicas da Região, é correto afirmar que: a) As "cuestas" e as chapadas são as feições geomorfológicas predominantes na Região. b) Os terrenos sedimentares de idades geológicas diferentes são predominantes na Amazônia. c) A elevada profundidade dos solos permite a existência de uma vegetação regional densa e homogênea. d) A atividade vulcânica ocorrida no Terciário favoreceu o desenvolvimento de solos basálticos de elevada fertilidade. e) A Região, que se situa entre as placas Nazca e Sul-americana, é limitada, a leste e a oeste, pelas elevadas cadeias de montanhas de origem cenozoica. 2. As formas de relevo da superfície da Terra são resultantes da ação combinada de processos internos e externos. Os processos internos são responsáveis pela gênese de grandes formas de relevo, como as cadeias montanhosas. A ação externa é responsável pelo desgaste e esculturação das rochas, remoção e deposição de sedimentos, formação de solos etc. Com base nessas informações, preencha os parênteses com V ou F conforme sejam verdadeiras ou falsas as assertivas a seguir. a) ( ) O intemperismo é um processo importante na formação de solos. b) ( ) No Presente, a sismicidade é fundamental para a formação de relevos de grande expressão espacial no território brasileiro. c) ( ) O clima úmido da Região Sudeste do Brasil é fator condicionante da existência de relevos do tipo "mares de morros". d) ( ) O clima é semiárido em grande extensão do território cearense, intensificando a ação do intemperismo físico nesses segmentos territoriais. e) ( ) As depressões sertanejas, que são superfícies de aplainamento, representam um relevo característico do Nordeste brasileiro. 3. Observe o mapa. Assinale a alternativa que contém as formas de relevo predominantes em cada porção do território brasileiro indicada, de acordo com a classificação de Ross. a) Faixa litorânea: depressões. b) Amazônia Legal: planícies. c) Fronteira com o Mercosul: planaltos. d) Região Sul: planícies. e) Pantanal: planaltos. 4. Leia estes trechos:
  • 2. Revisão Semestral do Bartinho - SartreCOC Um forte abraço, sucesso a todos!!! Página 2 O interior do Ceará voltou a ser atingido por tremores de terra na madrugada de ontem, com abalos sísmicos que alcançaram até 3,9 graus na escala Richter. Folha de S. Paulo, 10 mar. 2008. p. C1. (Adaptado) A terra voltou a tremer na região de Caraíbas, no Norte de Minas Gerais. O abalo sísmico de 4,0 graus na escala Richter ocorreu anteontem à noite, onde, em dezembro de 2007, terremoto causou a morte da primeira vítima de um tremor de terra no País. Estado de Minas, 21 de mar. 2008. p. 22. (Adaptado) Por volta das 21h de anteontem, um tremor de terra de 5,2 graus na escala Richter assustou moradores de São Paulo, Rio, Paraná e Santa Catarina. Com epicentro na costa brasileira, a cerca de 270 km da capital paulista, o terremoto foi considerado moderado por cientistas e geólogos do País. Folha de S. Paulo, 24 abr. 2008. p. C4. (Adaptado) Considerando-se essas informações e outros conhecimentos sobre o assunto, é incorreto afirmar que: a) A ausência de vítimas no terremoto que afetou parte de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Santa Catarina é explicada pelo fato de, no Centro-Sul do País, a construção civil empregar técnicas antiterremotos eficazes em países como o Japão. b) A escala Richter é utilizada para quantificar a magnitude sísmica de um terremoto ocorrido em continente ou em oceano, desde aqueles registrados somente pelos sismógrafos, até aqueles outros sentidos pelo homem e causadores de grande destruição. c) A mídia, ao fazer uso das expressões “tremor de terra”, “abalo sísmico” e “terremoto”, está- se referindo a um fenômeno geológico, que tem sua origem associada à mobilidade e ao deslocamento das placas litosféricas. d) As áreas continentais distantes das bordas de placas tectônicas – como é o caso de grande parte do território brasileiro –, revelam- se, também, sismicamente instáveis, embora, nelas, os terremotos apresentem magnitude e frequência reduzidas. 5. O território brasileiro apresenta formas diversificadas de relevo. Identifique a forma de relevo representada na figura a seguir e assinale a opção CORRETA. a) Chapada b) Mar de Morro c) Serra d) Depressão 6. Leia o trecho a seguir. Pães de açúcar Corcovados
  • 3. Revisão Semestral do Bartinho - SartreCOC Um forte abraço, sucesso a todos!!! Página 3 Fustigados pela chuva E pelo eterno vento GILBERTO GIL. Tempo Rei. Raça Humana,1984. O geógrafo Ab´Sáber apresenta a regionalização do território brasileiro em seis domínios morfoclimáticos. No trecho da música apresentado, evidencia-se o domínio de a) terras baixas florestadas equatoriais. b) chapadões tropicais interiores com cerrados e florestasgalerias. c) coxilhas subtropicais com pradarias mistas. d) planaltos subtropicais com araucárias. e) áreas mamelonares tropical-atlânticas florestadas. 7. Os climogramas anteriores se referem, respectivamente, aos climas brasileiros: a) Tropical de altitude, Tropical e Tropical úmido. b) Equatorial Semiúmido, Tropical de altitude e Tropical Semiárido. c) Tropical Úmido, Equatorial Semiúmido e Equatorial úmido. d) Equatorial úmido, Tropical e Tropical úmido. e) Tropical, Subtropical e Tropical de altitude. 8. Os diferentes tipos de clima resultam da combinação de vários fatores, tais como latitude, altitude, penetração de sistemas frontais, taxas de evapotranspiração, linhas de instabilidade, existência de superfícies líquidas. Em relação ao quadro climático da Amazônia, é correto afirmar que: a) A temperatura média é elevada porque se trata de uma região de baixas latitudes. b) O clima da Região sofreu variações muito reduzidas ao longo do tempo geológico. c) As brisas fluviais formam-se nos setores em que os cursos fluviais são mais estreitos. d) A possibilidade de ocorrência de chuvas na Região é menor que em áreas de altas latitudes. e) O norte da Região, entre os meses de dezembro e março, sofre o fenômeno da friagem em função da invasão de ar polar. 9. Os cerrados brasileiros são formados por árvores com aspecto xeromórfico, com árvores tortuosas e espaçadas, com troncos de cortiça espessa e folhagem coriácea e pilosa, muitas
  • 4. Revisão Semestral do Bartinho - SartreCOC Um forte abraço, sucesso a todos!!! Página 4 vezes lembrando a caatinga arbustiva densa, da região do semiárido nordestino. [Adaptado de: ROSS, J. (org.). "Geografia do Brasil". São Paulo: Edusp, 1996]. O fator que pode explicar tal semelhança fisionômica entre os dois tipos de vegetação é: a) a baixa umidade nos solos do cerrado, com árvores com menor capacidade de captar e armazenar água do ambiente. b) a baixa fertilidade natural dos solos do cerrado, em geral muito ácidos, pobres em cálcio e nutrientes em geral. c) a vigência de um clima tropical seco e de altitude no cerrado, responsável por invernos mais chuvosos e verões mais quentes e secos. d) o uso intensivo das queimadas como fator de manejo e controle do cerrado, para eliminação de gramíneas. e) o extenso desmatamento do domínio dos cerrados para a produção de soja e gado, tornando a região mais seca. 10. As mudanças climáticas e da vegetação ocorridas nos trópicos da América do Sul têm sido bem documentadas por diversos autores, existindo um grande acúmulo de evidências geológicas ou paleoclimatológicas que evidenciam essas mudanças ocorridas durante o Quaternário nessa região. Essas mudanças resultaram em restrição da distribuição das florestas pluviais, com expansões concomitantes de habitats não florestais durante períodos áridos (glaciais), seguido da expansão das florestas pluviais e restrição das áreas não florestais durante períodos úmidos (interglaciais). Disponível em: http://zoo.bio.ufpr.br. Acesso em: 1 maio 2009. Durante os períodos glaciais, a) as áreas não florestais ficam restritas a refúgios ecológicos devido à baixa adaptabilidade de espécies não florestais a ambientes áridos. b) grande parte da diversidade de espécies vegetais é reduzida, uma vez que necessitam de condições semelhantes a dos períodos interglaciais. c) a vegetação comum ao cerrado deve ter se limitado a uma pequena região do centro do Brasil, da qual se expandiu até atingir a atual distribuição. d) plantas com adaptações ao clima árido, como o desenvolvimento de estruturas que reduzem a perda de água, devem apresentar maior área de distribuição. e) florestas tropicais como a amazônica apresentam distribuição geográfica mais ampla, uma vez que são densas e diminuem a ação da radiação solar sobre o solo e reduzem os efeitos da aridez. 11. Esta última fonte (IBGE, 2000) traz também a informação de que mais da metade da população brasileira (60%) não tem acesso à rede de esgoto, enquanto que a distribuição de água tratada é mais abrangente (76,1%). [...] Com relação ao esgotamento sanitário, por exemplo, a pior situação ocorre no Norte (97,2% da população não é atendida), sendo que no Sudeste a cobertura é mais ampla (36,4% não são atendidos). Em relação à distribuição de água a situação é parecida; observa-se que a população atendida é de 84,6% no Sudeste, enquanto que no Norte é de apenas 51,9%. Tabela I: Distribuição dos recursos hídricos* no Brasil por regiões Região Norte Região Centro-Oeste Região Sul Região Sudeste Região Nordeste 68,5% 15,7% 6,5% 6% 3,3% * Distribuição de recursos hídricos equivale à disponibilidade de água nas bacias hidrográficas. (Fonte: MENDONÇA, F.; SANTOS, L. J. C. "Gestão da água e dos recursos hídricos a partir das Bacias Hidrográficas - uma abordagem geográfica". Geográfica, Rio Claro, v. 31, n. 1, p. 103 - 117, jan./abr. 2006.)
  • 5. Revisão Semestral do Bartinho - SartreCOC Um forte abraço, sucesso a todos!!! Página 5 Com base no texto, na tabela e nos conhecimentos sobre o tema, considere as afirmativas a seguir. I. A distribuição dos recursos hídricos é equilibrada entre as grandes regiões brasileiras dado que a maior abundância de águas corresponde às regiões de maior densidade de ocupação humana e maior crescimento da agricultura irrigada. II. A maior abrangência da distribuição de água tratada em relação ao esgoto indica que a carência de rede de esgoto projeta para o futuro possibilidades de escassez de água gerada pelo comprometimento das fontes primárias desse recurso, em face do contínuo lançamento de dejetos na rede hidrográfica. III. A distribuição dos recursos hídricos no Brasil revela que onde estes existem em abundância se encontram também ameaças importantes, como a situação de risco dos pequenos córregos e rios, caracterizada pelo baixo graus de acesso da população a sistemas sanitários apropriados. IV. Nas regiões Sul e Sudeste, os problemas de degradação da qualidade da água são menos importantes do que na região Norte, devidos aos baixos índices de disponibilidade hídrica e ao alto grau de cobertura dos sistemas de saneamento básico daquelas regiões. Assinale a alternativa CORRETA. a) Somente as afirmativas I e IV são corretas. b) Somente as afirmativas II e III são corretas. c) Somente as afirmativas III e IV são corretas. d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas. e) Somente as afirmativas I, II e IV são corretas. 12. "O estudo aponta que o animal (peixe-boi) deixa os lagos de várzea de Mamirauá, na planície de inundação do rio Solimões, quando as águas começam a baixar. E se refugia durante o período de seca nas águas pretas e mais profundas do lago Amanã. Com a chegada da enchente o bicho viaja de volta aos lagos de origem." Folha de São Paulo, 07 de setembro de 2008. A região retratada no texto acima apresenta: a) A planície do Rio Amazonas, como principal forma de relevo, e clima equatorial. b) A planície litorânea brasileira, como principal forma de relevo, e clima tropical atlântico. c) A planície do Rio Araguaia, como unidade de relevo, e clima tropical típico. d) A planície da Lagoa dos Patos, como forma de relevo, e clima subtropical. e) A planície do Rio Guaporé, como unidade de relevo, e clima subequatorial. 13. Sobre o Aquífero Guarani, assinale a alternativa incorreta. a) No Brasil, o Aquífero Guarani abrange nove estados: Santa Catarina, Rio Grande do Norte, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grasso do Sul, Sergipe e Paraíba. b) É a maior reserva de água doce subterrânea do mundo. c) Está localizado na região Centro-leste da América do Sul e ocupa uma área que se estende pelo Brasil, Paraguai, Uruguai e pela Argentina. d) O volume de água é suficiente para atender toda a população da Terra durante mais de um século. e) Metade do território catarinense está sobre o Aquífero Guarani. 14. Analise o mapa a seguir e responda à questão a seguir.
  • 6. Revisão Semestral do Bartinho - SartreCOC Um forte abraço, sucesso a todos!!! Página 6 Com base no mapa e nos conhecimentos sobre as bacias hidrográficas brasileiras, considere as afirmativas a seguir. I. Na bacia 1, localiza-se a usina de Tucuruí, a segunda maior do país em geração de energia. II. A bacia 2 é predominantemente planáltica e, no país, é a que possui o maior aproveitamento do potencial hidréletrico. III. Na bacia 3, situa-se a hidrelétrica de Itaipu, a maior do Brasil e uma das maiores do mundo. IV. A bacia 4 está no planalto meridional, o que favorece a produção de energia a partir de hidrelétricas. Assinale a alternativa CORRETA. a) Somente as afirmativas I e II são corretas. b) Somente as afirmativas I e III são corretas. c) Somente as afirmativas III e IV são corretas. d) Somente as afirmativas I, II e IV são corretas. e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas. 15. Genuinamente nacional, possui grande potencial hidrelétrico, é navegável em boa parte de sua extensão e, nos primórdios do período colonial brasileiro, teve um importante papel no processo de interiorização de nosso povoamento. Estamos nos referindo ao rio: a) Amazonas. b) Paraguai. c) São Francisco. d) Paraná. e) Solimões. 16. "... Bacia hidrográfica amplamente navegável, pois atravessa regiões de relevo pouco acidentado no pantanal mato-grossense e, por essa mesma razão, apresenta pequeno potencial hidrelétrico, sofrendo um intenso processo de inundação durante as chuvas de verão, fenômeno responsável pela denominação de Pantanal." Paulo Roberto Moraes, "Geografia Geral e do Brasil". A bacia hidrográfica a que se refere o texto é a: a) Bacia Platina, sub-bacia do Rio Paraná. b) Bacia do Uruguai, sub-bacia do Rio Paraná. c) Bacia Platina, sub-bacia do Rio Paraguai. d) Bacia do Paraná, sub-bacia do Rio Uruguai. e) Bacia do Uruguai, sub-bacia do Rio Cuiabá.
  • 7. Revisão Semestral do Bartinho - SartreCOC Um forte abraço, sucesso a todos!!! Página 7 17. Segundo o INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), o desmatamento em regiões na fronteira Brasil-Bolívia formou um grande arco ao longo de dois importantes rios. Observe os mapas. Assinale a alternativa que contém o estado da Região Norte onde esse fato está ocorrendo, os rios mencionados e três causas do desmatamento naquela área. a) Roraima; Mamoré e Negro; fronteira agrícola, especulação imobiliária e criação de gado leiteiro. b) Acre; Tapajós e Xingu; invasões de terra, formação de pastagens e de campos de soja. c) Rondônia; Madeira e Mamoré; especulação imobiliária, corte de madeiras nobres, formação de pastagens. d) Amazonas; Solimões e Madeira; especulação imobiliária, corte de madeiras de lei, criação de gado estabulado. e) Pará; Solimões e Negro; assentamentos rurais, corte de madeiras nobres, criação extensiva de bovinos. 18. O debate atual em torno dos biocombustíveis, como o álcool de cana de açúcar e o biodiesel, inclui o efeito estufa. Tal efeito garante temperaturas adequadas à vida na Terra, mas seu aumento indiscriminado é danoso. Com relação a esse aumento, os biocombustíveis são alternativas preferíveis aos combustíveis fósseis porque: a) são renováveis e sua queima impede o aquecimento global. b) retiram da atmosfera o CO2 gerado em outras eras. c) abrem o mercado para o álcool, cuja produção diminuiu o desmatamento. d) são combustíveis de maior octanagem e de menores taxas de liberação de carbono. e) contribuem para a diminuição da liberação de carbono, presente nos combustíveis fósseis. 19. Amazônia não é o 'pulmão do mundo', aponta pesquisador, mas sua destruição poderia ter efeitos catastróficos no clima do planeta. Iberê Thenório, "Globo Amazônia" Apesar de haver muitas evidências de que a Amazônia não exerce esse papel, é consenso entre os pesquisadores que as extensas áreas de floresta do Norte do Brasil têm grande influência no clima do planeta. Mesmo não sendo o tal pulmão, a Amazônia ainda se constitui em um órgão vital. A respeito dos aspectos naturais da Região Amazônica, é INCORRETO afirmar que: a) a Massa Equatorial Continental se forma a noroeste da Amazônia brasileira, sendo quente e úmida. b) predominam os solos orgânicos, onde a camada superficial é rica em material em decomposição, de origem animal e de origem vegetal. c) devido à sua dinâmica e à sua abundância natural, todo o oxigênio liberado é reabsorvido pelo ecossistema, não havendo, portanto, excedentes. d) o solo amazônico é bastante fértil em sua estrutura, justificando a riqueza da biodiversidade desse domínio natural. e) o clima predominante é o Equatorial, com nível pluviométrico intenso, apresentando pequena amplitude térmica anual e temperaturas médias acima de 25 ° C.
  • 8. Revisão Semestral do Bartinho - SartreCOC Um forte abraço, sucesso a todos!!! Página 8 20. Pelo menos 4 milhões de moradores de áreas rurais do semiárido aguardam a construção de cisternas e, portanto, ainda não dispõem de garantia de água para beber. Segundo especialistas, a discussão sobre a água no semiárido passa pela derrubada de mitos e reafirmação de verdades. Assinale a alternativa que apresenta, respectivamente, um mito e uma verdade sobre o problema da água no semiárido. a) MITO: O semiárido brasileiro é o mais seco dentre os semiáridos do mundo. VERDADE: A ausência de lençóis freáticos compromete o abastecimento de água. b) MITO: O número de açudes é muito pequeno para o conjunto da população. VERDADE: O fenômeno El Niño é o responsável pelas secas prolongadas destes últimos anos. c) MITO: A falta de água não permite o desenvolvimento regional. VERDADE: O modelo de ocupação concentrada da terra afeta a distribuição da água. d) MITO: As mudanças climáticas já reduziram as precipitações anuais. VERDADE: As atividades agropecuárias tradicionais consomem a água destinada à população. e) MITO: O avanço da desertificação já afeta 35% da área sertaneja. VERDADE: A eliminação da caatinga reduz a evapotranspiração e a umidade do ar. 21. Uma parcela importante da água utilizada no Brasil destina-se ao consumo humano. Hábitos comuns referentes ao uso da água para o consumo humano incluem: tomar banhos demorados; deixar as torneiras abertas ao escovar os dentes ou ao lavar a louça; usar a mangueira para regar o jardim; lavar a casa e o carro. Agência Nacional de Águas; Fundação Roberto Marinho. Caminho das águas, conhecimento, uso e gestão: caderno do professor 1. Rio de Janeiro, 2006 (adaptado). A repetição desses hábitos diários pode contribuir para a) o aumento da disponibilidade de água para a região onde você mora e do custo da água. b) a manutenção da disponibilidade de água para a região onde você mora e do custo da água. c) a diminuição da disponibilidade de água para a região onde você mora e do custo da água. d) o aumento da disponibilidade de água para a região onde você mora e a diminuição do custo da água. e) a diminuição da disponibilidade de água para a região onde você mora e o aumento do custo da água. 22. As usinas hidrelétricas suprem cerca de 10% da energia e 20% do consumo total de eletricidade do globo. Essa energia apresenta, em relação ao petróleo, ao carvão e à energia atômica, algumas vantagens: não provoca diretamente grande poluição (pela queima ou combustão) e é uma fonte renovável. Porém, tais usinas provocam outros tipos de impactos socioambientais. (VESENTINI, J.W. "Sociedade e espaço". São Paulo: Ática, 1996). Considere os seguintes impactos atribuíveis à construção de usinas hidrelétricas. I. Represamento artificial das águas e inundação de áreas de populações ribeirinhas. II. Destruição de planaltos e mesmo de montanhas, para criar o represamento dos rios. III. Perda de extensas áreas com florestas, solos cultiváveis e, às vezes, sítios arqueológicos. IV. Migrações forçadas e desestabilização da vida social em escala local e regional. É válido afirmar que as usinas hidrelétricas podem provocar os impactos citados em: a) I, II, III e IV. b) I, II e III, apenas. c) I, III e IV, apenas. d) I e III, apenas.
  • 9. Revisão Semestral do Bartinho - SartreCOC Um forte abraço, sucesso a todos!!! Página 9 e) III e IV, apenas. 23. Cerca de 1% do lixo urbano é constituído por resíduos sólidos contendo elementos tóxicos. Entre esses elementos estão metais pesados como o cádmio, o chumbo e o mercúrio, componentes de pilhas e baterias, que são perigosos à saúde humana e ao meio ambiente. Quando descartadas em lixos comuns, pilhas e baterias vão para aterros sanitários ou lixões a céu aberto, e o vazamento de seus componentes contamina o solo, os rios e o lençol freático, atingindo a flora e a fauna. Por serem bioacumulativos e não biodegradáveis, esses metais chegam de forma acumulada aos seres humanos, por meio da cadeia alimentar. A legislação vigente (Resolução CONAMA no 257/1999) regulamenta o destino de pilhas e baterias após seu esgotamento energético e determina aos fabricantes e/ou importadores a quantidade máxima permitida desses metais em cada tipo de pilha/bateria, porém o problema ainda persiste. Disponível em: http://www.mma.gov.br. Acesso em: 11 jul. 2009 (adaptado). Uma medida que poderia contribuir para acabar definitivamente com o problema da poluição ambiental por metais pesados relatado no texto seria a) deixar de consumir aparelhos elétricos que utilizem pilha ou bateria como fonte de energia. b) usar apenas pilhas ou baterias recarregáveis e de vida útil longa e evitar ingerir alimentos contaminados, especialmente peixes. c) devolver pilhas e baterias, após o esgotamento da energia armazenada, à rede de assistência técnica especializada para repasse a fabricantes e/ou importadores. d) criar nas cidades, especialmente naquelas com mais de 100 mil habitantes, pontos estratégicos de coleta de baterias e pilhas, para posterior repasse a fabricantes e/ou importadores. e) exigir que fabricantes invistam em pesquisa para a substituição desses metais tóxicos por substâncias menos nocivas ao homem e ao ambiente, e que não sejam bioacumulativas. 24. No Brasil, a retomada do crescimento econômico, a partir de 2004, teve como consequência o aumento da demanda de carvão vegetal para o abastecimento das indústrias siderúrgicas de Minas Gerais e, ao mesmo tempo, a diminuição dos investimentos aplicados no replantio de florestas destinadas à produção desse recurso. Com base nos conhecimentos sobre o tema, assinale a alternativa que corretamente identifica a formação vegetal diretamente afetada pela maior demanda de carvão vegetal em Minas Gerais. a) Caatinga. b) Cerrado. c) Campos Gerais. d) Mata Atlântica. e) Mata de Araucária. 25. Lula defende biocombustíveis das críticas crescentes BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu a produção de biocombustíveis pelo Brasil, rejeitando as críticas de que ela acelera o aumento dos preços dos alimentos em todo o mundo e prejudica o meio ambiente. As crescentes críticas são um desafio à diplomacia brasileira e ao auge das exportações agrícolas, que transformaram o Brasil no maior exportador mundial de etanol derivado da cana-de-açúcar. Competidores e críticos tentaram relacionar várias das exportações agrícolas do país, da carne à soja, com a destruição do meio ambiente e com más condições de trabalho. RAYMOND COLITT, em 16/04/2008. Adaptado de www.estadao.com.br
  • 10. Revisão Semestral do Bartinho - SartreCOC Um forte abraço, sucesso a todos!!! Página 10 O debate a respeito do uso de biocombustíveis não envolve apenas questões ambientais, mas também diferentes interesses econômicos. Neste último caso, encontram-se países e empresas que lucram com a utilização em larga escala dos combustíveis fósseis e produtores de biocombustíveis. Nesse campo de lutas, o Brasil emerge como um potencial ator de primeira grandeza, posicionando-se no centro dessa polêmica. Um alegado risco ambiental decorrente da maior produção de biocombustíveis no Brasil e uma vantagem territorial que fundamenta a defesa desta política de Estado, respectivamente, são: a) desertificação - abundância de recursos hídricos. b) degradação dos solos - predomínio de solos férteis. c) desmatamento - disponibilidade de terras não cultivadas. d) disseminação de pragas - ocorrência de climas temperados. 26. Desde o início da colonização, a Amazônia brasileira tem sido alvo de ação sistemática de extração de riquezas, que se configurou em diferentes modos de produção e de organização social e política [...]. Se a Amazônia dos rios foi o padrão que marcou mais de quatro séculos de ocupação europeia, a coisa começa a mudar de figura nas três últimas décadas do século XX. SAYAGO, D.; TOURRAND, J. F.; BURSZTYN, M. (Org.). Amazônia: cenas e cenários. Brasília: UnB, 2004. Entre as transformações ocorridas na Amazônia brasileira, nas três últimas décadas, destaca- se a) a estatização das empresas privadas como garantia do monopólio da exploração dos recursos minerais pelo poder público. b) o interesse geopolítico de controle da fronteira, o que representou maior integração da região com o restante do país, por meio da presença militar. c) a reorganização do espaço agrário em minifúndios, valorizando-se o desenvolvimento da agricultura familiar e o desenvolvimento das cidades. d) a modernização tecnológica do modo de produção agrícola para o aumento da produção da borracha e escoamento da produção pelas estradas. e) a implantação de zona franca nas fronteiras internacionais, a exemplo da Guiana Francesa e Venezuela. 27. As queimadas, cenas corriqueiras no Brasil, consistem em prática cultural relacionada com um método tradicional de “limpeza da terra” para introdução e/ou manutenção de pastagens e campos agrícolas. Esse método consiste em: (a) derrubar a floresta e esperar que a massa vegetal seque; (b) atear fogo, para que os resíduos grosseiros, como troncos e galhos, sejam eliminados e as cinzas resultantes enriqueçam temporariamente o solo. Todos os anos, milhares de incêndios ocorrem no Brasil, em biomas como Cerrado, Amazônia e Mata Atlântica, em taxas tão elevadas, que se torna difícil estimar a área total atingida pelo fogo. CARNEIRO FILHO, A. Queimadas. Almanaque Brasil Socioambiental. São Paulo: Instituto Socioambiental, 2007 (adaptado). Um modelo sustentável de desenvolvimento consiste em aliar necessidades econômicas e sociais à conservação da biodiversidade e da qualidade ambiental. Nesse sentido, o desmatamento de uma floresta nativa, seguido da utilização de queimadas, representa a) método eficaz para a manutenção da fertilidade do solo. b) atividade justificável, tendo em vista a oferta de mão de obra. c) ameaça à biodiversidade e impacto danoso à qualidade do ar e ao clima global. d) destinação adequada para os resíduos sólidos resultantes da exploração da madeira. e) valorização de práticas tradicionais dos povos que dependem da floresta para sua sobrevivência. 28. As florestas equatoriais, na atualidade, sofrem grande pressão ambiental, principalmente porque se mantiveram relativamente preservadas até o século XIX, quando se intensificou a sua exploração por empresas madeireiras, mineradoras e agropecuárias, entre outras. Nesse contexto, a Floresta Amazônica sofre particularmente em razão de atividades que produzem
  • 11. Revisão Semestral do Bartinho - SartreCOC Um forte abraço, sucesso a todos!!! Página 11 desmatamento. Em relação ao desmatamento que ocorre na Região, é correto afirmar que: a) Diminuiu nas duas últimas décadas em decorrência da pressão internacional. b) Traz consequências graves, restritas ao espaço da floresta. c) Decorre principalmente da atividade madeireira legal. d) Altera a biodiversidade animal e vegetal. e) É um problema eminentemente nacional. 29. Considere as afirmações a seguir, relativas à ocupação do Centro-Oeste brasileiro, onde originalmente predominava a vegetação do Cerrado. I. A vegetação nativa do Cerrado encontra-se, hoje, quase completamente dizimada, principalmente em função do processo de expansão da fronteira agrícola, que avança agora na Amazônia. II. O desenvolvimento de tecnologia apropriada permitiu que o problema da baixa fertilidade natural dos solos no Centro-Oeste fosse, em grande parte, resolvido. III. O modelo fundiário predominante na ocupação da área do Cerrado imitou aquele vigente no oeste gaúcho, de onde saiu a maioria dos migrantes que chegaram ao Centro-Oeste nos últimos 30 anos. Está correto o que se afirma em: a) I, apenas. b) II, apenas. c) III, apenas. d) I e II, apenas. e) I, II e III. 30. Sobre chuva ácida pode-se afirmar, exceto. a) A chuva ácida é consequência do progresso, dele faz parte e deve ser encarada com naturalidade, pois a sua não aceitação implica subdesenvolvimento. b) A chuva ácida é aquela com baixo pH, provocado pela presença de dióxido de carbono (CO2), dióxido de enxofre (SO2) e óxido de nitrogênio (NO2). c) Quando o pH está abaixo de 5,6 a chuva ácida é capaz de matar peixes, destruir o solo e corroer materiais sólidos. d) Nos solos de matas e florestas castigados pelas chuvas ácidas a vegetação enfraquece gradativamente. e) No Brasil, há chuva ácida em lugares como a região metropolitana de Cubatão e do Rio de Janeiro. 31. Segundo o geógrafo Aziz Ab’Saber, o aquecimento global não causará o desaparecimento das florestas tropicais, mas, ao contrário, a tendência é que elas cresçam. Tal afirmativa se baseia no fato de que a) o clima ficará mais seco, a exemplo do que ocorreu nos períodos glaciais, o que contribuirá para a ampliação das savanas, que são um tipo de vegetação tropical típica de clima com estação seca bem definida, ou seja, uma vegetação tropófila. b) o aquecimento global contribuirá para o aumento da umidade atmosférica que favorece a intensificação dos índices pluviométricos e consequente ampliação das matas ombrófilas (ou pluviais) tais como as florestas Amazônica e Atlântica. c) o aumento de carbono na atmosfera será absorvido pelas plantas na forma de dióxido de carbono, que é um dos causadores do efeito estufa, mas também o composto essencial para realização da fotossíntese e da formação das florestas. d) a consciência ecológica diante da catástrofe iminente e na busca desesperada para salvar o planeta contribuirá para a preservação das florestas que restaram e mais reflorestamentos serão incentivados, ampliando, assim, as florestas tropicais.
  • 12. Revisão Semestral do Bartinho - SartreCOC Um forte abraço, sucesso a todos!!! Página 12 e) o processo de desertificação fará com que a Floresta Amazônica e a Mata Atlântica cedam lugar à vegetação xerófila, mais adaptada à escassez hídrica dos climas tropicais semiáridos. 32. Observe as charges As charges, respectivamente, dos cartunistas Henfil (1982) e Dalcio (2011) estão separadas por quase trinta anos de história, mas unidas na crítica a) ao preço, no mercado internacional, da madeira extraída das florestas brasileiras. b) à presença de capital estrangeiro na exploração de madeiras de florestas no país. c) à exportação ilegal, via países vizinhos, de madeira extraída das florestas brasileiras. d) ao desmatamento extensivo e indiscriminado das florestas brasileiras. e) ao uso recorrente de queimadas na eliminação de florestas no país. 33. Sobre a questão do lixo urbano, a análise da charge indica que, no Brasil, a) o crescimento econômico vivenciado nos últimos anos tem repercutido na inclusão de mais pessoas na classe média. o que incrementa a produção de mais lixo. b) o modelo de consumo adotado vem provocando o aumento contínuo e exagerado na quantidade de lixo produzido. c) a reciclagem tem sido uma alternativa sustentável e valorizada para diminuir a quantidade de lixo produzido. d) o lixo urbano, em sua maioria, está sendo reaproveitado ou vendido para empresas de reciclagem. 34. Efeito Estufa – Mocinho ou Bandido?
  • 13. Revisão Semestral do Bartinho - SartreCOC Um forte abraço, sucesso a todos!!! Página 13 Quando a expressão “efeito estufa” aparece em jornais e revistas, a primeira imagem que nos vem à mente é a do grande vilão responsável pelo aquecimento global. O relatório final dessa história, contudo, é bem diferente. Logo, analise as proposições e escreva F ou V para as proposições, conforme sejam falsas ou verdadeiras em relação ao tema em pauta. ( ) O efeito estufa é um fenômeno natural que mantém o planeta aquecido nos limites de temperatura necessária para a manutenção da vida. ( ) O fenômeno ocorre graças a gases como carbono, que existe naturalmente na atmosfera e forma uma redoma protetora a qual impede a dissipação, para o espaço, de parte da radiação vinda do sol, que é absorvida e refletida pela terra. ( ) É o aumento anormal desse “cobertor” atmosférico, fruto, sobretudo, da emissão da gases poluentes, das queimadas das florestas e a utilização predatória da terra pelo homem, que vem provocando o aquecimento global. ( ) Segundo o Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM), se as secas na Amazônia se repetirem com frequência, como a de 2010, esse bioma poderá deixar de ser um grande coletor de dióxido de carbono para ser um surpreendente emissor. ( ) Não há relação entre o efeito estufa e a poluição resultante dos grandes complexos industriais e da grande frota de veículos que circulam nas grandes cidades brasileiras. A alternativa que apresenta a sequência correta: a) V – F – V – F – V b) F – F – F – F – V c) V – V – V – V – F d) F – V – F – V – F e) F – F – F – E – F 35. A irrigação da agricultura é responsável pelo consumo de mais de 2/3 de toda a água retirada dos rios, lagos e lençóis freáticos do mundo. Mesmo no Brasil, onde achamos que temos muita água, os agricultores que tentam produzir alimentos também enfrentam secas periódicas e uma competição crescente por água. MARAFON, G. J. et al. O desencanto da terra: produção de alimentos, ambiente e sociedade. Rio de Janeiro: Garamond, 2011. No Brasil, as técnicas de irrigação utilizadas na agricultura produziram impactos socioambientais como a) redução do custo de produção. b) agravamento da poluição hídrica. c) compactação do material do solo. d) aceleração da fertilização natural. e) redirecionamento dos cursos fluviais. 36. Analise o gráfico para responder à questão. No Brasil, o setor que mais consome água é
  • 14. Revisão Semestral do Bartinho - SartreCOC Um forte abraço, sucesso a todos!!! Página 14 a) a pecuária. b) a agricultura irrigada. c) a indústria. d) o doméstico. e) o comercial. 37. As águas subterrâneas são importantes reservatórios encontrados abaixo da superfície terrestre, em rochas porosas e permeáveis. Esses reservatórios, denominados de aquíferos, encontram-se em diferentes profundidades e sua exploração vem aumentando consideravelmente nos últimos anos. Considerando o exposto e a literatura sobre as águas subterrâneas, é correto afirmar: a) As águas subterrâneas são sempre potáveis e livres de qualquer tipo de contaminação oriunda da superfície. b) O uso excessivo da água subterrânea na agricultura pode elevar o nível do aquífero e comprometer a fertilidade do solo. c) Os aquíferos podem ser explorados, sem a necessidade de autorização do orgão competente, por qualquer cidadão, desde que seja o proprietário do terreno. d) O rompimento de tanques de combustíveis e de fossas residenciais é incapaz de contaminar os aquíferos, pois a profundidade impede o contato desses contaminantes. e) As atividades agrícolas desenvolvidas na superfície, como a adubação excessiva e o uso de agrotóxicos, podem contaminar os aquíferos. 38. A sociedade em movimento tem gestado algumas alternativas. Surgem novas experiências de luta no campo, nas quais os movimentos sociais têm buscado formas para permanecer na terra, afirmando sua territorialidade. Estes novos sujeitos sociais, de que são exemplo os seringueiros no Acre e as quebradeiras de coco no Maranhão, Pará, Tocantins e Piauí, têm lutado por seu reconhecimento, chegando em certos casos a obter mudanças na legislação. MAROUES, M. O conceito de espaço rural em questão. São Paulo: Terra Livre, ano 18, v. 2, jul/dez 2002. De acordo com o debate apresentado no texto, e visando à permanência digna no campo, a organização social e política dos seringueiros busca a) a implementação de estratégias de geração de emprego e renda apoiadas na automação produtiva de ponta. b) a efetivação de políticas públicas para a preservação das florestas como condição de garantia de sustentabilidade. c) a distribuição de grandes extensões de terra com financiamentos voltados à produção agroindustrial em larga escala. d) o estímulo à implantação generalizada de indústrias do setor de papel e celulose focadas na Amazônia. e) o aprofundamento de políticas governamentais que potencializem os fluxos sociais para as cidades. 39. A RIO +20 é o nome da Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável que ocorrerá no Rio de Janeiro em junho de 2012. Pode ser considerada um desdobramento da Cúpula da Terra (ECO-92) que ocorreu há 20 anos na cidade do Rio de Janeiro e da Cúpula Mundial sobre o Desenvolvimento Sustentável realizada em Johanesburgo, África do Sul, em 2002. Assinale a alternativa que aponta os objetivos da conferência: a) Implementar uma economia verde no contexto do desenvolvimento sustentável e da erradicação da pobreza; b) Priorizar o estudo do impacto ambiental na exploração do petróleo no mar; c) Suspender a agenda internacional que focava a preservação da biodiversidade; d) Estabelecer metas efetivas para a redução das emissões de gases de efeito estufa; e) Estabelecer metas efetivas de controle ao aumento da temperatura global. 40.
  • 15. Revisão Semestral do Bartinho - SartreCOC Um forte abraço, sucesso a todos!!! Página 15 O mapa representa um problema ambiental que tem se agravado no bioma brasileiro da Caatinga. As causas desse problema estão associadas ao a) uso da lenha para obtenção de energia pela indústria local. b) extrativismo vegetal da madeira pelas indústrias moveleiras. c) uso da terra pelas fazendas monocultoras mecanizadas. d) extrativismo mineral praticado pelas empresas mineradoras. e) uso do solo para pastagem pela agropecuária extensiva.
  • 16. Revisão Semestral do Bartinho - SartreCOC Um forte abraço, sucesso a todos!!! Página 16 Gabarito: Resposta da questão 1: [B] Resposta da questão 2: V - F - V - V - V. Resposta da questão 3: [C] Resposta da questão 4: [A] O Brasil tem seu território localizado sobre uma placa tectônica em terreno geologicamente estável, sujeito a acomodações de terreno de baixa intensidade. Os fenômenos apontados no texto dizem respeito a processos característicos da dinâmica tectônica a partir da ação de correntes convectivas que afetam toda a litosfera em maior ou menor grau dependendo das áreas de contato entre placas, com terrenos inconsolidados, sujeitos a ações tectônicas de maior magnitude, ou áreas mais consolidadas que registram impactos de menor magnitude. Os impactos do terremoto que atingiu parte do Sudeste e do Sul foram classificados como moderados, com relativo baixo nível de danos e, pelas condições geológicas históricas, as cidades do centro-sul não são preparadas em termos de construção civil para suportar danos materiais de grande monta a partir de ações tectônicas. Resposta da questão 5: [A] Resposta da questão 6: [E] A referência ao Corcovado e ao Pão-de-Açúcar nos faz lembrar a cidade do Rio de Janeiro, localizada na região Sudeste em áreas mamelonares (mares de morros) tropical-atlânticas florestadas. Resposta da questão 7: [D] Resposta da questão 8: [A] Resposta da questão 9: [B] Resposta da questão 10: [D] Nos períodos marcados por ciclos de glaciação o clima fica mais seco com expressões de aridez ou semiaridez. Por decorrência, a vegetação acaba se adaptando a essas condições surgindo áreas de savana ou de xerófitas. A alternativa[A] é falsa. As espécies não florestais como a savana ou o cerrado são muito bem adaptadas à baixa umidade. A alternativa [B] é falsa. Nos períodos interglaciais a maior umidade favorece a diversidade de espécies, mas nos períodos glaciais as espécies savânicas conseguem manter-se com diversidade devido a sua adaptabilidade a ambientes com menor umidade.
  • 17. Revisão Semestral do Bartinho - SartreCOC Um forte abraço, sucesso a todos!!! Página 17 A alternativa [C] é falsa. No período glacial a vegetação do cerrado no Brasil expandiu-se até a atual Amazônia em direção ao norte e até o leste de Minas Gerais e São Paulo, em áreas de matas bem estruturadas. A alternativa [E] é falsa. Em períodos glaciais, a baixa umidade dificulta a manutenção de grandes extensões de matas florestadas tropicais como a amazônica. Resposta da questão 11: [B] Resposta da questão 12: [A] O peixe-boi também aparece no litoral da Paraíba, mas sua área “core”, está nos rios da bacia Amazônica, em áreas de planície fluvial sob clima equatorial. Resposta da questão 13: [A] Resposta da questão 14: [A] Resposta da questão 15: [C] Trata-se de uma das maiores bacias hidrográficas brasileiras com importância histórica na participação de projetos e serviços e com valores importantes da nacionalidade. Suas águas perenes cortam boa parte do Sertão nordestino favorecendo social e economicamente as populações ribeirinhas. O aproveitamento energético fundamental para a região Nordeste e recentemente os projetos de irrigação que possibilitaram a expansão agrícola com destaque para a fruticultura são exemplos de destaque. Por outro lado a insistência do modelo econômico brasileiro concentrador de terras ainda não trouxe melhorias possíveis às populações mais despossuídas da região. Resposta da questão 16: [C] Resposta da questão 17: [C] O desmatamento no estado de Rondônia é maior nas proximidades dos rios Madeira e Mamoré. As causas são a expansão do agronegócio, valorização das terras, exploração de madeira e a construção das hidrelétricas de Jirau e Santo Antônio no rio Madeira. Quando totalmente concluídas as novas hidrelétricas poderão atrair empreendimentos econômicos, inclusive de mineração, que causariam mais desflorestamento. Resposta da questão 18: [E] Resposta da questão 19: [D] Resposta da questão 20: [C]
  • 18. Revisão Semestral do Bartinho - SartreCOC Um forte abraço, sucesso a todos!!! Página 18 Resposta da questão 21: [E] Apesar da aparente disponibilidade em abundância no Brasil, o fato é que a água, sendo mal distribuída, acaba tendo acesso crítico em algumas cidades como Recife. Campanhas educativas, propaganda, fiscalização, monitoramento de redes para evitar vazamentos e até cobrança pelo uso, podem ser boas práticas de conscientização sobre o uso mais correto da água. A alternativa [A] é falsa, num ambiente de desperdício ocorre uma diminuição da disponibilidade de água. A alternativa [B] é falsa, vale o que ocorre em [A]. A alternativa [C] é falsa, aumentam os custos da água, quando ocorre desperdício. A alternativa [D] é falsa, ocorre diminuição de disponibilidade e aumento de custos. Resposta da questão 22: [C] Resposta da questão 23: [E] Apesar de sua aparência externa mostrar plantas de produção menores e mais limpas, as indústrias de telefonia e informática lidam com produtos químicos muito tóxicos. Baterias de telefone, pilhas para usos diversos, placas e circuitos eletrônicos, por exemplo, escondem metais pesados em sua composição e seu descarte causa sérios impactos ao meio ambiente e à vida. É importante que fabricantes invistam mais em novas tecnologias, mais limpas e eficientes, menos nocivas e não bioacumulativas. A alternativa [A] é falsa. Uma das vantagens dos novos sistemas de comunicação e informatização está em sua mobilidade, sendo nesse caso indispensável o uso de baterias e pilhas. A alternativa [B] é falsa. Mesmo baterias de vida útil longa acabam sendo descartáveis e o problema persiste. O consumo de alimentos contaminados não se relacionada direta e apenas à contaminação por metais pesados. A alternativa [C] é falsa. A devolução de material composta por metais pesados ao fabricante/importador não resolve, alongo prazo, o problema. A alternativa[D] é falsa. Como na alternativa C são medidas paliativas de curto prazo. Resposta da questão 24: [B] Resposta da questão 25: [C] Resposta da questão 26: [B] A Amazônia é a última grande fronteira natural do país. Com o tempo está se revelando como grande reserva de recursos naturais em quantidade e importância o que a transforma em região estratégica. Nos anos 1970 a fronteira quente do Brasil estava no sul com a Argentina. A fronteira quente agora está na Amazônia. Para tentar acompanhar essa evolução, novos atores se apresentam como agropecuaristas, madeireiros verdes, companhias mineradoras, empresas de engenharia, biotecnologia e militares, juntam-se aos povos da floresta em busca de maior integração nacional e desenvolvimento sustentado.
  • 19. Revisão Semestral do Bartinho - SartreCOC Um forte abraço, sucesso a todos!!! Página 19 A alternativa [A] é falsa, a participação do Estado na ocupação regional está vinculada a questões estruturais e jurídicas. A alternativa [C] é falsa, embora ocorra agricultura familiar na região, o latifúndio é predominante. A alternativa [D] é falsa, a borracha permanece na Amazônia basicamente como atividade extrativista. A alternativa [E] é falsa, a zona franca foi implantada em Manaus. Resposta da questão 27: [C] Biomas possuem grande importância para a biosfera e existem formas sustentáveis de se viver e relacionar com eles. A economia extrativista, por exemplo, é capaz de sustentar populações a partir da exploração racional de recursos. Em economia podemos adotar a agropecuária como forma de trocas compensatórias em relação a atividades primárias. Não é o caso de biomas, cuja riqueza natural é enorme desde que explorada de modo sustentável. Em áreas naturais as queimadas para agropecuária ameaçam a biodiversidade e podem promover mudanças climáticas e não são compensatórias em relação ao extrativismo. A alternativa [A] é falsa, o método é mais prejudicial na manutenção da fertilidade do solo. A alternativa [B] é falsa, não se justifica pelo excesso de mão de obra. A alternativa [D] é falsa, resíduos sólidos de madeira podem ser usados na fabricação de compensado. A alternativa [E] é falsa, as queimadas desvalorizam as práticas extrativistas dos povos da floresta. Resposta da questão 28: [D] Resposta da questão 29: [D] Resposta da questão 30: [A] A chuva ácida tornou-se um problema ambiental grave à medida que ocorreu o processo de industrialização e urbanização nos países desenvolvidos e emergentes. Portanto, é fundamental intensificar as medidas de combate à poluição atmosférica para reduzir os impactos da chuva ácida, entre os quais: danos à biodiversidade, prejuízos para a agricultura e corrosão em edificações e monumentos. Resposta da questão 31: [B] Segundo o professor Aziz Ab’ Saber, o eventual aquecimento da atmosfera elevaria a evaporação inclusive nos oceanos, aumentando a umidade das massas de ar e favorecendo o desenvolvimento de florestas pluviais (ombrófilas) tropicais e equatoriais, a exemplo da Mata Atlântica e da Amazônia. Resposta da questão 32: [D] A discussão sobre a aprovação do Novo Código Florestal, em 2011, manteve em pauta a questão da ocupação das terras e do desmatamento no Brasil como grave problema ambiental.
  • 20. Revisão Semestral do Bartinho - SartreCOC Um forte abraço, sucesso a todos!!! Página 20 A expansão das atividades agropecuárias tem promovido desmatamento de áreas preservadas, levando as autoridades a tentar regulamentar a questão. Resposta da questão 33: [B] Os países emergentes, como o Brasil, experimentam a partir da década de 2000 um significativo crescimento econômico, redução da pobreza, aumento da classe média e, por sua vez, uma expansão do consumo e crescimento na produção de lixo. Todavia, ainda permanecem desigualdades sociais profundas e problemas ambientais graves. Como podemos observar na charge, contingentes consideráveis da população ainda estão excluídos da lógica consumista e o investimento na alocação correta do lixo foi insuficiente. Resposta da questão 34: [C] O quinto item é falso, (F), uma vez que as emissões de poluentes por indústrias e veículos contribuem para a intensificação do efeito estufa, conforme a parcela da comunidade científica que defende a tese do Aquecimento Global Antropogênico. Resposta da questão 35: [E] O uso intensivo da água em alguns rios e a modificação de seus cursos em alguns casos provocam impactos socioambientais como: redução da biodiversidade fluvial, modificação da vegetação do entorno (matas ciliares) e até escassez de água para o consumo humano. Observação: Trata-se de uma questão polêmica no que se refere à formulação e ao gabarito. O gabarito oficial é [E], embora vários professores que fizeram a resolução tenham questionado a validade e optado pela [B]. O texto trata do uso intensivo de água para a agricultura através da irrigação. O impacto da irrigação em si está na retirada, por vezes, excessiva de volume de água, mas pouco interfere na qualidade da água, portanto não causa “poluição”, “contaminação”, que é causada por fertilizantes, agrotóxicos, etc., o que torna a alternativa [B] incorreta ou pelo menos incompleta. Deve-se levar em consideração que a “análise do texto é fundamental na resolução das questões do Enem”. A alternativa [E] foi definida como “mais correta”, uma vez que está mais vinculada ao texto; o autor usou “redirecionamento dos cursos fluviais” para referir-se à retirada em excesso de água de rios, represamentos (para uso agrícola ou até para a piscicultura), construção de pequenos canais artificiais, o que costuma ocorrer no Brasil em relação a rios até de pequeno porte. O problema é que a expressão é exagerada, pois nenhum rio é “redirecionado por inteiro”. Portanto, para a questão ser totalmente correta, teria que ser modificada: e) redirecionamento de parte da água dos cursos fluviais. Resposta da questão 36: [B] A agricultura irrigada responde por 47% do consumo de água, como indicado corretamente na alternativa [B]. Estão incorretas as alternativas: [A], pois a pecuária consome 8%; [C], pois a indústria consome 17%; [D] e [E], pois o espaço urbano representado pelo setor doméstico e comercial consome, em conjunto, 26%. Os 2% do gráfico representam o consumo rural. Resposta da questão 37: [E] 1. INCORRETO – Os aquíferos podem sofrer contaminação por fluxo e transporte de substâncias da superfície do solo, como os efluentes industriais, redes de esgoto, lixões,
  • 21. Revisão Semestral do Bartinho - SartreCOC Um forte abraço, sucesso a todos!!! Página 21 aterros sanitários, agrotóxicos, dentre outros, e sua reserva requer tratamento para ser considerada potável. 2. INCORRETO – A utilização da água do aquífero pode resultar em queda de seu nível, embora isso não seja um fator direto de comprometimento da fertilidade do solo. 3. INCORRETO – A exploração dos aquíferos é regulada pela ANA – Agência Nacional das Águas. 4. INCORRETO – A infiltração de qualquer substância pelos estratos rochosos permeáveis pode causar contaminação da reserva de água. CORRETO – Os insumos utilizados na agricultura, como adubos nitrogenados e defensivos agrícolas podem ser carreados até os aquíferos, causando contaminação. Resposta da questão 38: [B] Os seringueiros como outros povos da floresta defendem a conservação da floresta amazônica como condição fundamental para o desenvolvimento sustentável como o extrativismo vegetal. Um dos exemplos foi a criação de várias reservas extrativistas na Amazônia. Resposta da questão 39: [A] Como mencionado corretamente na alternativa [A], o tema central da Rio +20 foi a transição para a economia verde, cuja proposta é a adoção de um novo sistema produtivo com base na baixa emissão de poluentes, na eficiência no uso dos recursos naturais e na erradicação da pobreza. O segundo tema foi a governança global, ou seja, o modo como os países se organizarão para colocar esse novo modelo em prática. Resposta da questão 40: [E] Por volta de 45% do bioma de Caatinga sofreu desmatamento, o que favorece o avanço da desertificação na região. As causas são: exploração de madeira para lenha e carvoarias, expansão da pecuária extensiva (bovina e caprina) e crescimento da agricultura de subsistência e comercial irrigada.