SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 42
Domínio da Caatinga
Orografia
Depressões
Planaltos
Serras e
ChapadasInselbergs
Chapada Diamantina
Planalto Sul Baiano
Espigão
Mestre
Predomina Intemperismo Físico.
CE e PI
RN
AL, PE, PB
e RN
CE, PI e PE
Clima
 Chuvas escassas e irregulares
 Atuação irregular da mEa
 Elevadas temperaturas
 Baixa amplitude térmica anual
e elevada amplitude térmica
diária
 Área de Sotavento
Vegetação
Vegetação Xerófila
Aciculifoliada
Caducifólia ou Decídua
Raízes Profundas
Heteróclita
Os principais responsáveis são as queimadas e a pecuária
extensiva de corte ( Bovinos e Caprinos )
Pedologia
Litossolo/Neossolo
Hidrografia
Bacia do Nordeste Oriental
 Maior quantidade de rios temporários
 Os principais e maiores rios da bacia do
Atlântico Nordeste Oriental, no tocante a
volume de água, são o Paraíba, Jaguaribe,
Capibaribe e Acaraú.
Bacia do Parnaíba
 Rio Perene
 Foz em Delta
 Usina de Boa Esperança
 Entre o MA e PI
Bacia do São Francisco
 Atende ao NE, SE e CO (DF)
 O rio passa pelos estados de MG, BA, PE,
AL e SE
 Predominantemente de planalto
 Navegável entre Pirapora (MG) e Juazeiro
(BA)
 Grande importância histórica, ligada ao
povoamento do interior do País ( Rio da
Integração Nacional )
 Grande importância econômica para
navegação, pesca, irrigação e energia
As Usinas Hidrelétricas que merecem
destaque são: Três Marias, Paulo
Afonso, Sobradinho, e Luiz Gonzaga
(Itaparica), Xingó e Moxotó.
É o rio brasileiro que mais sofre com o assoreamento
Transposição do São Francisco
Domínio das Araucárias
Orografia
Planalto
Depressões
Cuestas
Clima
 Elevado índice pluviométrico
 Chuvas regulares ao longo do ano
 Temperaturas amenas durante o
verão, podendo ser negativa no
inverno (Influência da Latitude,
altitude e mPa)
 Elevada Amplitude Térmica
Vegetação
 Aberta
 Arbórea
 Aciculifoliada
 Madeira Mole e Dura
 Homóclita
Formação bastante devastada, os principais fatores que
conduziram à tamanha degradação foram a ocupação
urbana, a extração de madeira (móveis e celulose) e a
agropecuária.
Brunizém
Avermelhado
Terra
Roxa
Pedologia
Decomposição do basalto,
muito utilizado no cultivo
do café
São solos de fertilidade natural elevada,
com altos valores de pH
Hidrografia
 É composta por rios da importância do
Jacuí, Itajaí e Ribeira do Iguape, entre
outros. Os mesmos possuem
importância regional, pela participação
em atividades como transporte
hidroviário, abastecimento d'água e
geração de energia elétrica.
 A Região Hidrográfica do Uruguai tem
grande importância para o País em
função das atividades agroindustriais
desenvolvidas e pelo seu potencial
hidrelétrico (Usina de Salto Grande –
Argentina).
Domínio das Pradarias
Orografia
Coxilhas
Cerros
Presença
de Restinga
Coxilhas
Cerros
Restinga
Clima
 Chuvas regulares ( Chove menos
que o subtropical das araucárias ).
 Verão quente e inverno frio.
 Influência da mPa.
Vegetação
Vegetação rasteira e contínua (Gramíneas)
Principal atividade da região é a
pecuária extensiva de corte
Campos Sujos
 Vegetação rasteira e contínua com presença de formações
arbustivas.
 Também utilizada na pecuária extensiva
 Típico do Cerrado
Pedologia
Presença de solos
férteis e arenosos.
Principal problema:
Hidrografia
Bacia do Sul-Sudeste
Bacia do Uruguai
Áreas de Transição
Pantanal
Agreste
Mata dos Cocais
Cerradão
 O Pantanal sofre influência direta de três importantes biomas brasileiros: Amazônia,
Cerrado e Mata Atlântica. Além disso sofre influência do bioma Chaco (nome dado ao
Pantanal localizado no norte do Paraguai e leste da Bolívia).
 É uma vegetação complexa ( Floresta, Cerrado, Caatinga, Campos...)
 Maior planície inundável do mundo.
 É estratificada
 Segundo a Embrapa Pantanal, quase duas mil espécies de plantas já foram identificadas
no bioma e classificadas de acordo com seu potencial, e algumas apresentam vigoroso
potencial medicinal.
 Apesar de sua beleza natural exuberante o bioma vem sendo muito impactado pela
ação humana, principalmente pela atividade agropecuária, especialmente nas áreas de
planalto adjacentes do bioma.
 Formação vegetal típica da zona de transição entre a região Norte e Nordeste
do Brasil, a Mata dos Cocais está localizada entre a Floresta Amazônica e a
Caatinga, dois importantes biomas brasileiros.
 Dentre as árvores presentes nesta zona de transição, a maioria são o babaçu,
buriti, carnaúba e oiticica.
 Devido à alta concentração de matérias graxas – os óleos utilizados na
cosmética e na indústria farmacêutica – presentes nas sementes oleaginosas
desta planta, elas são uma importante fonte de renda da população local.
 Vem sendo bastante devastada, devido ao avançao da fronteira agrícola.
 Chamamos de agreste a área que se localiza entre a Zona da Mata e o Sertão, no
Nordeste do nosso país.
 Em algumas regiões podemos encontrar pequenas áreas úmidas e também brejos,
onde são desenvolvidas áreas agrícolas.
 O maior município no Agreste Baiano é Feira de Santana.
 Do ponto de vista fisionômico é uma floresta, mas floristicamente é
mais similar a um Cerrado. Apresenta folhagens das árvores muito
acima do chão que pode oscilar em torno dos 70%, com altura média
do estrato arbóreo variando entre oito e quinze metros, propiciando
condições de luminosidade que favorecem a formação de estratos
arbustivo e herbáceo diferenciados, com espécies de epífitas reduzidas.
Sub-regiões nordestinas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

As formaçoes vegetais pelo mundo
As formaçoes vegetais pelo mundoAs formaçoes vegetais pelo mundo
As formaçoes vegetais pelo mundoProfessor
 
Geomorfologia do Maranhão
Geomorfologia do MaranhãoGeomorfologia do Maranhão
Geomorfologia do MaranhãoPedro Wallace
 
Vegetação Brasileira
Vegetação BrasileiraVegetação Brasileira
Vegetação BrasileiraCleber Reis
 
Brasil – Domínios Morfoclimáticos
Brasil – Domínios MorfoclimáticosBrasil – Domínios Morfoclimáticos
Brasil – Domínios MorfoclimáticosRogerio Silveira
 
Slide: Relevo brasileiro, Geografia.
Slide: Relevo brasileiro, Geografia.Slide: Relevo brasileiro, Geografia.
Slide: Relevo brasileiro, Geografia.agendab
 
Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas Brasileiras
Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas BrasileirasHidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas Brasileiras
Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas BrasileirasSaulo Lucena
 
Domínios Morfoclimátcos-Araucária
Domínios Morfoclimátcos-AraucáriaDomínios Morfoclimátcos-Araucária
Domínios Morfoclimátcos-AraucáriaIcaro Oliveira
 
Faixas de Transicao
Faixas de Transicao Faixas de Transicao
Faixas de Transicao Laguat
 
Domínios Morfoclimáticos do Brasil
Domínios Morfoclimáticos do BrasilDomínios Morfoclimáticos do Brasil
Domínios Morfoclimáticos do BrasilRogério Bartilotti
 
Dominio Araucarias
Dominio Araucarias Dominio Araucarias
Dominio Araucarias Laguat
 
Apresentação Bioma da Mata Atlântica
Apresentação Bioma da Mata AtlânticaApresentação Bioma da Mata Atlântica
Apresentação Bioma da Mata AtlânticaEder Borges
 
O relevo e as suas formas
O relevo e as suas formasO relevo e as suas formas
O relevo e as suas formasprofacacio
 

Mais procurados (20)

As formaçoes vegetais pelo mundo
As formaçoes vegetais pelo mundoAs formaçoes vegetais pelo mundo
As formaçoes vegetais pelo mundo
 
Geomorfologia do Maranhão
Geomorfologia do MaranhãoGeomorfologia do Maranhão
Geomorfologia do Maranhão
 
Vegetação Brasileira
Vegetação BrasileiraVegetação Brasileira
Vegetação Brasileira
 
O clima e a vegetação
O clima e a vegetaçãoO clima e a vegetação
O clima e a vegetação
 
Brasil – Domínios Morfoclimáticos
Brasil – Domínios MorfoclimáticosBrasil – Domínios Morfoclimáticos
Brasil – Domínios Morfoclimáticos
 
Slide: Relevo brasileiro, Geografia.
Slide: Relevo brasileiro, Geografia.Slide: Relevo brasileiro, Geografia.
Slide: Relevo brasileiro, Geografia.
 
Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas Brasileiras
Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas BrasileirasHidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas Brasileiras
Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas Brasileiras
 
Climas do mundo
Climas do mundoClimas do mundo
Climas do mundo
 
Domínios Morfoclimátcos-Araucária
Domínios Morfoclimátcos-AraucáriaDomínios Morfoclimátcos-Araucária
Domínios Morfoclimátcos-Araucária
 
Faixas de Transicao
Faixas de Transicao Faixas de Transicao
Faixas de Transicao
 
Fatores climáticos
Fatores climáticosFatores climáticos
Fatores climáticos
 
Domínios Morfoclimáticos do Brasil
Domínios Morfoclimáticos do BrasilDomínios Morfoclimáticos do Brasil
Domínios Morfoclimáticos do Brasil
 
Mata AtlâNtica
Mata AtlâNticaMata AtlâNtica
Mata AtlâNtica
 
Biomas.
Biomas.Biomas.
Biomas.
 
Bioma caatinga
Bioma caatingaBioma caatinga
Bioma caatinga
 
áSia Quadro Natural
áSia   Quadro NaturaláSia   Quadro Natural
áSia Quadro Natural
 
Dominio Araucarias
Dominio Araucarias Dominio Araucarias
Dominio Araucarias
 
Região Nordeste
Região NordesteRegião Nordeste
Região Nordeste
 
Apresentação Bioma da Mata Atlântica
Apresentação Bioma da Mata AtlânticaApresentação Bioma da Mata Atlântica
Apresentação Bioma da Mata Atlântica
 
O relevo e as suas formas
O relevo e as suas formasO relevo e as suas formas
O relevo e as suas formas
 

Semelhante a Domínio da Caatinga

IECJ - Cap. 13 - A paisagem e o espaço do Centro-Sul
IECJ - Cap. 13 - A paisagem e o espaço do Centro-SulIECJ - Cap. 13 - A paisagem e o espaço do Centro-Sul
IECJ - Cap. 13 - A paisagem e o espaço do Centro-Sulprofrodrigoribeiro
 
Os DomíNios MorfoclimáTicos Do Brasil
Os DomíNios MorfoclimáTicos Do BrasilOs DomíNios MorfoclimáTicos Do Brasil
Os DomíNios MorfoclimáTicos Do Brasilceama
 
Ação Antrópica nos Biomas Brasileiros
Ação Antrópica nos Biomas BrasileirosAção Antrópica nos Biomas Brasileiros
Ação Antrópica nos Biomas Brasileirosalruschel
 
Hidrografia e hidreletricas no brasil
Hidrografia e hidreletricas no brasilHidrografia e hidreletricas no brasil
Hidrografia e hidreletricas no brasilSalageo Cristina
 
Panpas ou pradarias
Panpas ou pradariasPanpas ou pradarias
Panpas ou pradariasrogerwdd
 
Domínios cerrado
Domínios cerradoDomínios cerrado
Domínios cerradokarolpoa
 
Trabalho de Geografia A região Nordeste.pptx
Trabalho de Geografia A região Nordeste.pptxTrabalho de Geografia A região Nordeste.pptx
Trabalho de Geografia A região Nordeste.pptxMatheusCarvalho58331
 
Reserva Florestal Ingazeira - Proposta de Conservação da Biodiversidade e Val...
Reserva Florestal Ingazeira - Proposta de Conservação da Biodiversidade e Val...Reserva Florestal Ingazeira - Proposta de Conservação da Biodiversidade e Val...
Reserva Florestal Ingazeira - Proposta de Conservação da Biodiversidade e Val...Benito Fernandez Mera
 

Semelhante a Domínio da Caatinga (20)

Caatinga
CaatingaCaatinga
Caatinga
 
Áreas de Transição - Brasil
Áreas de Transição - BrasilÁreas de Transição - Brasil
Áreas de Transição - Brasil
 
IECJ - Cap. 13 - A paisagem e o espaço do Centro-Sul
IECJ - Cap. 13 - A paisagem e o espaço do Centro-SulIECJ - Cap. 13 - A paisagem e o espaço do Centro-Sul
IECJ - Cap. 13 - A paisagem e o espaço do Centro-Sul
 
Região-centro-oeste.pptx
Região-centro-oeste.pptxRegião-centro-oeste.pptx
Região-centro-oeste.pptx
 
Regiao Sudeste
Regiao SudesteRegiao Sudeste
Regiao Sudeste
 
As sub regiões
As sub regiõesAs sub regiões
As sub regiões
 
Biomas brasileiros
Biomas brasileirosBiomas brasileiros
Biomas brasileiros
 
Dominios%20 morfoclim%c1ticos
Dominios%20 morfoclim%c1ticosDominios%20 morfoclim%c1ticos
Dominios%20 morfoclim%c1ticos
 
Os DomíNios MorfoclimáTicos Do Brasil
Os DomíNios MorfoclimáTicos Do BrasilOs DomíNios MorfoclimáTicos Do Brasil
Os DomíNios MorfoclimáTicos Do Brasil
 
Bacia do Parnaíba
Bacia do ParnaíbaBacia do Parnaíba
Bacia do Parnaíba
 
Ação Antrópica nos Biomas Brasileiros
Ação Antrópica nos Biomas BrasileirosAção Antrópica nos Biomas Brasileiros
Ação Antrópica nos Biomas Brasileiros
 
2º ano dominios morfoclimáticos
2º ano dominios morfoclimáticos2º ano dominios morfoclimáticos
2º ano dominios morfoclimáticos
 
Hidrografia e hidreletricas no brasil
Hidrografia e hidreletricas no brasilHidrografia e hidreletricas no brasil
Hidrografia e hidreletricas no brasil
 
Panpas ou pradarias
Panpas ou pradariasPanpas ou pradarias
Panpas ou pradarias
 
Domínios cerrado
Domínios cerradoDomínios cerrado
Domínios cerrado
 
Concurso da PM - Geografia da Paraíba
Concurso da PM - Geografia da ParaíbaConcurso da PM - Geografia da Paraíba
Concurso da PM - Geografia da Paraíba
 
Regiao Nordeste
Regiao NordesteRegiao Nordeste
Regiao Nordeste
 
Regiao Nordeste
Regiao NordesteRegiao Nordeste
Regiao Nordeste
 
Trabalho de Geografia A região Nordeste.pptx
Trabalho de Geografia A região Nordeste.pptxTrabalho de Geografia A região Nordeste.pptx
Trabalho de Geografia A região Nordeste.pptx
 
Reserva Florestal Ingazeira - Proposta de Conservação da Biodiversidade e Val...
Reserva Florestal Ingazeira - Proposta de Conservação da Biodiversidade e Val...Reserva Florestal Ingazeira - Proposta de Conservação da Biodiversidade e Val...
Reserva Florestal Ingazeira - Proposta de Conservação da Biodiversidade e Val...
 

Mais de Rogério Bartilotti

Agentes externos e Relevo Brasileiro
Agentes externos e Relevo BrasileiroAgentes externos e Relevo Brasileiro
Agentes externos e Relevo BrasileiroRogério Bartilotti
 
Treinamento - Climatologia - parte II
Treinamento - Climatologia - parte IITreinamento - Climatologia - parte II
Treinamento - Climatologia - parte IIRogério Bartilotti
 
Fatores e elementos do clima parte ii
Fatores e elementos do clima   parte iiFatores e elementos do clima   parte ii
Fatores e elementos do clima parte iiRogério Bartilotti
 
Treinamento: Geologia, Geomorfologia e Solos
Treinamento: Geologia, Geomorfologia e SolosTreinamento: Geologia, Geomorfologia e Solos
Treinamento: Geologia, Geomorfologia e SolosRogério Bartilotti
 
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. Ambientais
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. AmbientaisTreinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. Ambientais
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. AmbientaisRogério Bartilotti
 
Treinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do Clima
Treinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do ClimaTreinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do Clima
Treinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do ClimaRogério Bartilotti
 
Treinamento - Recursos Minerais e Fontes de Energia
Treinamento - Recursos Minerais e Fontes de EnergiaTreinamento - Recursos Minerais e Fontes de Energia
Treinamento - Recursos Minerais e Fontes de EnergiaRogério Bartilotti
 
Migrações internacionais Teoria e Questões
Migrações internacionais Teoria e QuestõesMigrações internacionais Teoria e Questões
Migrações internacionais Teoria e QuestõesRogério Bartilotti
 
Fases do crescimento populacional
Fases do crescimento populacionalFases do crescimento populacional
Fases do crescimento populacionalRogério Bartilotti
 

Mais de Rogério Bartilotti (20)

Transportes
TransportesTransportes
Transportes
 
Agentes externos e Relevo Brasileiro
Agentes externos e Relevo BrasileiroAgentes externos e Relevo Brasileiro
Agentes externos e Relevo Brasileiro
 
Treinamento - Climatologia - parte II
Treinamento - Climatologia - parte IITreinamento - Climatologia - parte II
Treinamento - Climatologia - parte II
 
Fatores e elementos do clima parte ii
Fatores e elementos do clima   parte iiFatores e elementos do clima   parte ii
Fatores e elementos do clima parte ii
 
Treinamento blocos
Treinamento blocosTreinamento blocos
Treinamento blocos
 
Treinamento: Geologia, Geomorfologia e Solos
Treinamento: Geologia, Geomorfologia e SolosTreinamento: Geologia, Geomorfologia e Solos
Treinamento: Geologia, Geomorfologia e Solos
 
Pedologia
PedologiaPedologia
Pedologia
 
Revisao 2 - Aulas de Sexta
Revisao 2 - Aulas de SextaRevisao 2 - Aulas de Sexta
Revisao 2 - Aulas de Sexta
 
Da URSS a Rússia
Da URSS a RússiaDa URSS a Rússia
Da URSS a Rússia
 
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. Ambientais
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. AmbientaisTreinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. Ambientais
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. Ambientais
 
Treinamento Cartografia
Treinamento CartografiaTreinamento Cartografia
Treinamento Cartografia
 
Treinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do Clima
Treinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do ClimaTreinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do Clima
Treinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do Clima
 
Eras Geológicas
Eras GeológicasEras Geológicas
Eras Geológicas
 
Ordens Mundiais
Ordens MundiaisOrdens Mundiais
Ordens Mundiais
 
Capitalismo
CapitalismoCapitalismo
Capitalismo
 
Treinamento - Recursos Minerais e Fontes de Energia
Treinamento - Recursos Minerais e Fontes de EnergiaTreinamento - Recursos Minerais e Fontes de Energia
Treinamento - Recursos Minerais e Fontes de Energia
 
Focos de tensão na Áfrcia
Focos de tensão na ÁfrciaFocos de tensão na Áfrcia
Focos de tensão na Áfrcia
 
Recursos Minerais
Recursos MineraisRecursos Minerais
Recursos Minerais
 
Migrações internacionais Teoria e Questões
Migrações internacionais Teoria e QuestõesMigrações internacionais Teoria e Questões
Migrações internacionais Teoria e Questões
 
Fases do crescimento populacional
Fases do crescimento populacionalFases do crescimento populacional
Fases do crescimento populacional
 

Último

Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMHenrique Pontes
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...MANUELJESUSVENTURASA
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...DominiqueFaria2
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceRonisHolanda
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 

Último (20)

Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 

Domínio da Caatinga

  • 3.
  • 4. Chapada Diamantina Planalto Sul Baiano Espigão Mestre
  • 5. Predomina Intemperismo Físico. CE e PI RN AL, PE, PB e RN CE, PI e PE
  • 6. Clima  Chuvas escassas e irregulares  Atuação irregular da mEa  Elevadas temperaturas  Baixa amplitude térmica anual e elevada amplitude térmica diária  Área de Sotavento
  • 8. Os principais responsáveis são as queimadas e a pecuária extensiva de corte ( Bovinos e Caprinos )
  • 9.
  • 12. Bacia do Nordeste Oriental  Maior quantidade de rios temporários  Os principais e maiores rios da bacia do Atlântico Nordeste Oriental, no tocante a volume de água, são o Paraíba, Jaguaribe, Capibaribe e Acaraú. Bacia do Parnaíba  Rio Perene  Foz em Delta  Usina de Boa Esperança  Entre o MA e PI
  • 13. Bacia do São Francisco  Atende ao NE, SE e CO (DF)  O rio passa pelos estados de MG, BA, PE, AL e SE  Predominantemente de planalto  Navegável entre Pirapora (MG) e Juazeiro (BA)  Grande importância histórica, ligada ao povoamento do interior do País ( Rio da Integração Nacional )  Grande importância econômica para navegação, pesca, irrigação e energia As Usinas Hidrelétricas que merecem destaque são: Três Marias, Paulo Afonso, Sobradinho, e Luiz Gonzaga (Itaparica), Xingó e Moxotó.
  • 14. É o rio brasileiro que mais sofre com o assoreamento
  • 16.
  • 19.
  • 20.
  • 21. Clima  Elevado índice pluviométrico  Chuvas regulares ao longo do ano  Temperaturas amenas durante o verão, podendo ser negativa no inverno (Influência da Latitude, altitude e mPa)  Elevada Amplitude Térmica
  • 22. Vegetação  Aberta  Arbórea  Aciculifoliada  Madeira Mole e Dura  Homóclita
  • 23. Formação bastante devastada, os principais fatores que conduziram à tamanha degradação foram a ocupação urbana, a extração de madeira (móveis e celulose) e a agropecuária.
  • 24.
  • 25. Brunizém Avermelhado Terra Roxa Pedologia Decomposição do basalto, muito utilizado no cultivo do café São solos de fertilidade natural elevada, com altos valores de pH
  • 27.  É composta por rios da importância do Jacuí, Itajaí e Ribeira do Iguape, entre outros. Os mesmos possuem importância regional, pela participação em atividades como transporte hidroviário, abastecimento d'água e geração de energia elétrica.  A Região Hidrográfica do Uruguai tem grande importância para o País em função das atividades agroindustriais desenvolvidas e pelo seu potencial hidrelétrico (Usina de Salto Grande – Argentina).
  • 31. Clima  Chuvas regulares ( Chove menos que o subtropical das araucárias ).  Verão quente e inverno frio.  Influência da mPa.
  • 32. Vegetação Vegetação rasteira e contínua (Gramíneas) Principal atividade da região é a pecuária extensiva de corte
  • 33. Campos Sujos  Vegetação rasteira e contínua com presença de formações arbustivas.  Também utilizada na pecuária extensiva  Típico do Cerrado
  • 38.  O Pantanal sofre influência direta de três importantes biomas brasileiros: Amazônia, Cerrado e Mata Atlântica. Além disso sofre influência do bioma Chaco (nome dado ao Pantanal localizado no norte do Paraguai e leste da Bolívia).  É uma vegetação complexa ( Floresta, Cerrado, Caatinga, Campos...)  Maior planície inundável do mundo.  É estratificada  Segundo a Embrapa Pantanal, quase duas mil espécies de plantas já foram identificadas no bioma e classificadas de acordo com seu potencial, e algumas apresentam vigoroso potencial medicinal.  Apesar de sua beleza natural exuberante o bioma vem sendo muito impactado pela ação humana, principalmente pela atividade agropecuária, especialmente nas áreas de planalto adjacentes do bioma.
  • 39.  Formação vegetal típica da zona de transição entre a região Norte e Nordeste do Brasil, a Mata dos Cocais está localizada entre a Floresta Amazônica e a Caatinga, dois importantes biomas brasileiros.  Dentre as árvores presentes nesta zona de transição, a maioria são o babaçu, buriti, carnaúba e oiticica.  Devido à alta concentração de matérias graxas – os óleos utilizados na cosmética e na indústria farmacêutica – presentes nas sementes oleaginosas desta planta, elas são uma importante fonte de renda da população local.  Vem sendo bastante devastada, devido ao avançao da fronteira agrícola.
  • 40.  Chamamos de agreste a área que se localiza entre a Zona da Mata e o Sertão, no Nordeste do nosso país.  Em algumas regiões podemos encontrar pequenas áreas úmidas e também brejos, onde são desenvolvidas áreas agrícolas.  O maior município no Agreste Baiano é Feira de Santana.
  • 41.  Do ponto de vista fisionômico é uma floresta, mas floristicamente é mais similar a um Cerrado. Apresenta folhagens das árvores muito acima do chão que pode oscilar em torno dos 70%, com altura média do estrato arbóreo variando entre oito e quinze metros, propiciando condições de luminosidade que favorecem a formação de estratos arbustivo e herbáceo diferenciados, com espécies de epífitas reduzidas.