SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 6
Baixar para ler offline
Lista:FatoreseElementosdoClima
(Parte2)
1 - Para responder à questão, leia o texto e considere as afirmativas a seguir.
As correntes marítimas ou oceânicas envolvem grandes volumes de massas de água salgada
que se deslocam no interior dos oceanos. As diferentes correntes que circulam nos oceanos, em
geral, apresentam características próprias de salinidade, temperatura e densidade, fazendo com
que elas não se misturem facilmente.
I. A existência das correntes marítimas está basicamente associada à ação dos ventos sobre a
superfície da água.
II. As principais correntes oceânicas se propagam em direção contrária em cada um dos
hemisférios, em função do efeito coriolis do planeta.
III. A zona equatorial apresenta maior temperatura, evaporação e umidade; portanto, nessa
região, as correntes oceânicas tendem a apresentar águas com maior salinidade.
IV. O litoral brasileiro é dominado pela ação de correntes quentes; entretanto, durante o inverno,
a corrente fria das Falklands, ou Malvinas, atua nas áreas costeiras ao sul do País.
Estão corretas apenas as afirmativas
a) I e II.
b) I e IV.
c) II e III.
d) II e IV.
e) III e IV.
2 - No Brasil existe uma significativa diversidade climática com áreas mais quentes, outras mais
frias, umas mais secas e outras mais úmidas.
Considerando a diversidade de climas no Brasil, analise as afirmações a seguir e assinale com
V as verdadeiras e com F as falsas.
( ) Na região equatorial encontra-se uma faixa de latitude que engloba a região Amazônica e
a região Nordeste, que apresentam clima chuvoso e semiárido, respectivamente.
( ) Na região central do Brasil e na região Sudeste, há uma bem definida estação seca e outra
chuvosa.
( ) No inverno, algumas frentes frias podem atuar no Sudeste e no Centro-Oeste do Brasil.
( ) No Brasil não ocorrem interferências nos sistemas de tempo provocadas pela topografia.
A sequência correta, de cima para baixo, é
a) V, F, F, V.
b) F, F, V, F.
c) V, V, V, F.
d) F, V, F, V.
3 - O Brasil possui um território extenso, com 92% pertencentes à zona intertropical. As massas
de ar que atuam em território brasileiro possuem influências oceânicas e continentais. Sobre as
características dessas massas de ar, é correto afirmar:
a) W representa a Massa Equatorial Atlântica de ar quente e úmido, responsável pela grande
umidade na Amazônia.
b) Y indica a Massa Polar Atlântica, que se desloca a partir do sul em direção ao norte do território
brasileiro e tem como característica a presença de ar frio, podendo atingir a região Centro-
Oeste no inverno.
c) Z indica a Massa Tropical Continental, que tem como característica a presença de ar quente
e úmido, ocasionando alagamentos no Centro-Oeste no inverno.
d) X indica a Massa Equatorial Continental de ar quente e seco, que atua no nordeste do litoral
brasileiro.
e) V representa a Massa Temperada Atlântica de ar frio e seco, que atua no sul do litoral
brasileiro.
4 - Todas as moléculas de uma parcela de ar contribuem para a pressão atmosférica. Como o
vapor d’água é um gás, ele também contribui com um valor de pressão parcial, conhecido como
pressão de vapor (e), aumentando ou diminuindo a pressão atmosférica. Quando a pressão de
vapor (e) atinge seu valor máximo possível para uma determinada temperatura do ar, diz-se que
o ar está saturado de umidade ou, em outras palavras, que o ar está cheio de vapor. Tem-se,
portanto, a pressão de vapor de saturação s(e ). A umidade relativa é a razão entre a pressão de
vapor (e) e a pressão de vapor de saturação s(e ).
(Ercília T. Steinke. Climatologia fácil, 2012. Adaptado.)
I. A temperatura caracteriza uma variável para determinarmos a pressão de vapor de saturação.
II. Os valores relativos à umidade do ar expressam a real quantidade de vapor d’água existente
no ar, em milímetros.
III. Quanto maior a umidade relativa do ar, maiores são as chances de chuva, pois a atmosfera
está próxima do ponto de saturação.
Está correto o que se afirma em
a) I e II, apenas.
b) I e III, apenas.
c) I, II e III.
d) III, apenas.
e) II e III, apenas.
5 - Considerando a atuação e a dinâmica das massas de ar na América do Sul, analise as
seguintes afirmações:
I. A massa de ar equatorial continental – MEC – atua na porção centro-ocidental da planície
Amazônica e tem, como uma de suas características, elevada temperatura.
II. A massa tropical continental – MTC – forma-se na região central da América do Sul no final
do inverno e início da primavera.
III. A massa tropical atlântica – MTA – possui características de umidade e temperatura baixas,
além de alta pressão.
Está correto o que se afirma em
a) II e III apenas.
b) I e III apenas.
c) I e II apenas.
d) I, II e III.
6 - Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), foram registradas temperaturas
reduzidas no mês de junho de 2016, tal como na madrugada do dia 13, em que se alcançou a
mínima de 3,5 C na estação meteorológica da Serra da Cantareira, na cidade de São Paulo.
Além disso, de acordo com o Instituto, também ocorreram precipitações acima da média, com
mais de 200 mm no total daquele mês.
Associando a representação esquemática aos eventos descritos, analise as seguintes
afirmações:
I. O ar mais frio e denso eleva o ar mais quente, podendo originar nuvens com potencial para
tempestades e precipitações.
II. Instabilidades atmosféricas podem ser geradas em razão de o ar quente ser elevado
rapidamente pelo sistema frontal.
III. O encontro de massas de ar estabiliza as condições atmosféricas com o avanço e dissipação
da massa de ar tropical.
É correto apenas o que se afirma em
a) I.
b) II.
c) I e II.
d) I e III.
e) II e III.
7 - As condições atuais do clima global são responsáveis pela diferenciação da salinidade dos
oceanos em diferentes latitudes, conforme a ilustração abaixo.
A partir do texto e do gráfico, é correto afirmar que:
a) Os baixos teores de sais dos oceanos são observados em toda a faixa de baixas latitudes, em
decorrência do balanço existente entre o excesso de precipitação e o declínio da evaporação
ao longo de todo o ano.
b) O excesso de precipitação nas áreas de médias latitudes e na proximidade dos polos é
responsável pela ocorrência de maior salinidade nos oceanos do Hemisfério Sul.
c) Nas áreas próximas a 90º de latitude, a salinidade dos oceanos é similar, pois as condições
climáticas favorecem a ocorrência de grandes volumes de chuva e um grande deficit de
evaporação.
d) O percentual mais baixo de salinidade dos oceanos nas altas latitudes tem relação com a
maior entrada de água doce nos oceanos, que ocorre em razão do derretimento de geleiras.
8 - O Ciclone Tropical Idai atingiu o litoral de Moçambique na noite de quinta‐feira (21/03/2019),
provocando grandes danos na cidade de Beira. Cerca de 500 mil pessoas ficaram sem energia,
afetando também o setor de comunicações.
Disponível em https://www.climatempo.com.br/. Adaptado.
Essa notícia refere‐se ao Ciclone Tropical que atingiu principalmente Moçambique, Zimbábue e
Malaui. Eventos dessa magnitude e superiores – o Ciclone Idai atingiu apenas a categoria 2 em
uma escala de 1 a 5 – ocorrem em outros locais do planeta e não repercutem da mesma forma,
com a perda de centenas de vidas. Isso ocorre em função
a) da grande presença de populações não nativas, que não têm tradição em lidar com eventos
dessa natureza.
b) do relevo de planalto que caracteriza Moçambique, Zimbábue e Malaui, em especial na zona
costeira.
c) da presença de rede hidrográfica e florestas que contribuem para a formação de ciclones
dessa natureza e magnitude.
d) da presença de águas superficiais do oceano Índico, com temperaturas mais reduzidas que o
habitual, em especial no Canal de Moçambique.
e) das características socioeconômicas da região com populações vulneráveis e reduzida
capacidade do poder público em prestar atendimento à população.
9 - A convecção na Região Amazônica é um importante mecanismo da atmosfera tropical e sua
variação, em termos de intensidade e posição, tem um papel importante na determinação do
tempo e do clima dessa região. A nebulosidade e o regime de precipitação determinam o clima
amazônico.
FISCH, G.; MARENGO, J. A.; NOBRE, C. A. “Uma revisão geral sobre o clima da Amazônia”.
Acta Amazônica, v. 28, n. 2, 1998 (adaptado).
O mecanismo climático regional descrito está associado à característica do espaço físico de
a) resfriamento da umidade da superfície.
b) variação da amplitude de temperatura.
c) dispersão dos ventos contra-alísios.
d) existência de barreiras de relevo.
e) convergência de fluxos de ar.
Umidade relativa do ar, por região
do país, para o dia 28/08/2014
Regiões Umidade relativa
(intervalo médio)
Norte 60 70%
Nordeste 90 100%
Centro-Oeste 55 65%
Sudeste 65 75%
Sul 90 70%
10 - No dia em que foram colhidos os dados meteorológicos apresentados, qual fator climático
foi determinante para explicar os índices de umidade relativa do ar nas regiões Nordeste e Sul?
a) Altitude, que forma barreiras naturais.
b) Vegetação, que afeta a incidência solar.
c) Massas de ar, que provocam precipitações.
d) Correntes marítimas, que atuam na troca de calor.
e) Continentalidade, que influencia na amplitude da temperatura.
11 - Nas imagens constam informações sobre a formação de brisas em áreas litorâneas. Esse
processo é resultado de
a) uniformidade do gradiente de pressão atmosférica.
b) aquecimento diferencial da superfície.
c) quedas acentuadas de médias térmicas.
d) mudanças na umidade relativa do ar.
e) variações altimétricas acentuadas.
12 - Qual característica do meio físico é condição necessária para a distribuição espacial do
fenômeno representado?
a) Cobertura vegetal com porte arbóreo.
b) Barreiras orográficas com altitudes elevadas.
c) Pressão atmosférica com diferença acentuada.
d) Superfície continental com refletividade intensa.
e) Correntes marinhas com direções convergentes.
GABARITO:
D C B B C C D E E C B C

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula Tempo e clima (Geografia 6o ano)
Aula Tempo e clima (Geografia 6o ano)Aula Tempo e clima (Geografia 6o ano)
Aula Tempo e clima (Geografia 6o ano)Yasmim Ribeiro
 
Prova completa resposta - 1 s-rie
Prova  completa   resposta - 1  s-rieProva  completa   resposta - 1  s-rie
Prova completa resposta - 1 s-rieledaesteves
 
GEOGRAFIA - CADERNO DE PROVAS
GEOGRAFIA - CADERNO DE PROVASGEOGRAFIA - CADERNO DE PROVAS
GEOGRAFIA - CADERNO DE PROVASPortal NE10
 
Gabarito 1o. bim geografia
Gabarito 1o. bim   geografiaGabarito 1o. bim   geografia
Gabarito 1o. bim geografiaLigia Amaral
 
Revisão uefs geografia
Revisão uefs geografiaRevisão uefs geografia
Revisão uefs geografiaAdemir Aquino
 
O espaço Natural Brasileiro Clima.
O espaço Natural Brasileiro Clima.O espaço Natural Brasileiro Clima.
O espaço Natural Brasileiro Clima.Dênis Almeida
 
Unidade 6 (temas 1 e 2) Clima e Tempo
Unidade 6 (temas 1 e 2) Clima e TempoUnidade 6 (temas 1 e 2) Clima e Tempo
Unidade 6 (temas 1 e 2) Clima e TempoChristie Freitas
 
Documento apoio ao estudo meio natural relevo hidrografia
Documento apoio ao estudo meio natural relevo hidrografiaDocumento apoio ao estudo meio natural relevo hidrografia
Documento apoio ao estudo meio natural relevo hidrografiaMinistério da Educação
 
Exercício 1
Exercício 1Exercício 1
Exercício 1renanpinh
 
Revisão 2 bimestre geografia - 1 serie
Revisão 2 bimestre   geografia -  1 serieRevisão 2 bimestre   geografia -  1 serie
Revisão 2 bimestre geografia - 1 serieMarcos Lima
 
Ficha de Trabalho - Relevo
Ficha de Trabalho - RelevoFicha de Trabalho - Relevo
Ficha de Trabalho - Relevoabarros
 
Material extraído do site
Material extraído do siteMaterial extraído do site
Material extraído do siterolonluiz
 

Mais procurados (20)

Aula Tempo e clima (Geografia 6o ano)
Aula Tempo e clima (Geografia 6o ano)Aula Tempo e clima (Geografia 6o ano)
Aula Tempo e clima (Geografia 6o ano)
 
Clima
ClimaClima
Clima
 
Prova completa resposta - 1 s-rie
Prova  completa   resposta - 1  s-rieProva  completa   resposta - 1  s-rie
Prova completa resposta - 1 s-rie
 
Porradão do Bartinho II
Porradão do Bartinho IIPorradão do Bartinho II
Porradão do Bartinho II
 
Atividades sobre climas
Atividades sobre climasAtividades sobre climas
Atividades sobre climas
 
GEOGRAFIA - CADERNO DE PROVAS
GEOGRAFIA - CADERNO DE PROVASGEOGRAFIA - CADERNO DE PROVAS
GEOGRAFIA - CADERNO DE PROVAS
 
170 4c98e3103814d
170 4c98e3103814d170 4c98e3103814d
170 4c98e3103814d
 
Geografia 2014 tipo_a
Geografia 2014 tipo_aGeografia 2014 tipo_a
Geografia 2014 tipo_a
 
Gabarito 1o. bim geografia
Gabarito 1o. bim   geografiaGabarito 1o. bim   geografia
Gabarito 1o. bim geografia
 
Revisão uefs geografia
Revisão uefs geografiaRevisão uefs geografia
Revisão uefs geografia
 
O espaço Natural Brasileiro Clima.
O espaço Natural Brasileiro Clima.O espaço Natural Brasileiro Clima.
O espaço Natural Brasileiro Clima.
 
Geografia ufpe 2013
Geografia ufpe 2013Geografia ufpe 2013
Geografia ufpe 2013
 
Unidade 6 (temas 1 e 2) Clima e Tempo
Unidade 6 (temas 1 e 2) Clima e TempoUnidade 6 (temas 1 e 2) Clima e Tempo
Unidade 6 (temas 1 e 2) Clima e Tempo
 
Documento apoio ao estudo meio natural relevo hidrografia
Documento apoio ao estudo meio natural relevo hidrografiaDocumento apoio ao estudo meio natural relevo hidrografia
Documento apoio ao estudo meio natural relevo hidrografia
 
Questões saane
Questões   saaneQuestões   saane
Questões saane
 
Exercício 1
Exercício 1Exercício 1
Exercício 1
 
Revisão 2 bimestre geografia - 1 serie
Revisão 2 bimestre   geografia -  1 serieRevisão 2 bimestre   geografia -  1 serie
Revisão 2 bimestre geografia - 1 serie
 
Ficha de Trabalho - Relevo
Ficha de Trabalho - RelevoFicha de Trabalho - Relevo
Ficha de Trabalho - Relevo
 
Clima e tempo
Clima e tempoClima e tempo
Clima e tempo
 
Material extraído do site
Material extraído do siteMaterial extraído do site
Material extraído do site
 

Semelhante a Fatores e Elementos do Clima (Parte 2

CLIMATOLOGIA - ENEM 2023.pptx
CLIMATOLOGIA - ENEM 2023.pptxCLIMATOLOGIA - ENEM 2023.pptx
CLIMATOLOGIA - ENEM 2023.pptxTalyaPinheiro1
 
Material extraído do site
Material extraído do siteMaterial extraído do site
Material extraído do siterolonluiz
 
Dinâmica climática enviada por reginaldo
Dinâmica climática  enviada por reginaldoDinâmica climática  enviada por reginaldo
Dinâmica climática enviada por reginaldoLigia Amaral
 
38859_fb19a888176aad3e38a83020624009f6.pdf
38859_fb19a888176aad3e38a83020624009f6.pdf38859_fb19a888176aad3e38a83020624009f6.pdf
38859_fb19a888176aad3e38a83020624009f6.pdfSmmMm3
 
Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...
Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...
Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...Saulo Lucena
 
aFATORES QUE INFLUENCIAM NOS CLIMAS.ppt
aFATORES QUE INFLUENCIAM NOS CLIMAS.pptaFATORES QUE INFLUENCIAM NOS CLIMAS.ppt
aFATORES QUE INFLUENCIAM NOS CLIMAS.pptVictorLuisDaSilva1
 
Adversidades climáticas geradoras de eventos de inundação
Adversidades climáticas geradoras de eventos de inundaçãoAdversidades climáticas geradoras de eventos de inundação
Adversidades climáticas geradoras de eventos de inundaçãoBraian Konzgen Maciel
 
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 1º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 1º ANOS ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 1º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 1º ANOS ProfMario De Mori
 
Questõesde Geografia.docx
Questõesde Geografia.docxQuestõesde Geografia.docx
Questõesde Geografia.docxssuser9666b0
 
Aspectos gerais do clima
Aspectos gerais do climaAspectos gerais do clima
Aspectos gerais do climageopedrote
 
Sext oano unidade 6_tema1e2
Sext oano unidade 6_tema1e2Sext oano unidade 6_tema1e2
Sext oano unidade 6_tema1e2Christie Freitas
 
Revisão geografia com gabarito ufpr 2011 12
Revisão geografia com gabarito ufpr 2011 12Revisão geografia com gabarito ufpr 2011 12
Revisão geografia com gabarito ufpr 2011 12aroudus
 
Temperatura_do_ar_Modo_de_Compatibilidade-1.pdf
Temperatura_do_ar_Modo_de_Compatibilidade-1.pdfTemperatura_do_ar_Modo_de_Compatibilidade-1.pdf
Temperatura_do_ar_Modo_de_Compatibilidade-1.pdfWilderclayMachado1
 

Semelhante a Fatores e Elementos do Clima (Parte 2 (20)

CLIMATOLOGIA - ENEM 2023.pptx
CLIMATOLOGIA - ENEM 2023.pptxCLIMATOLOGIA - ENEM 2023.pptx
CLIMATOLOGIA - ENEM 2023.pptx
 
Material extraído do site
Material extraído do siteMaterial extraído do site
Material extraído do site
 
Dinâmica climática enviada por reginaldo
Dinâmica climática  enviada por reginaldoDinâmica climática  enviada por reginaldo
Dinâmica climática enviada por reginaldo
 
MASSA DE AR
MASSA DE ARMASSA DE AR
MASSA DE AR
 
Questões saane
Questões   saaneQuestões   saane
Questões saane
 
38859_fb19a888176aad3e38a83020624009f6.pdf
38859_fb19a888176aad3e38a83020624009f6.pdf38859_fb19a888176aad3e38a83020624009f6.pdf
38859_fb19a888176aad3e38a83020624009f6.pdf
 
Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...
Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...
Climatologia - fatores e elementos do clima, fenômenos climáticos e classific...
 
Provas UEFS 2011 12
Provas UEFS 2011 12Provas UEFS 2011 12
Provas UEFS 2011 12
 
aFATORES QUE INFLUENCIAM NOS CLIMAS.ppt
aFATORES QUE INFLUENCIAM NOS CLIMAS.pptaFATORES QUE INFLUENCIAM NOS CLIMAS.ppt
aFATORES QUE INFLUENCIAM NOS CLIMAS.ppt
 
Adversidades climáticas geradoras de eventos de inundação
Adversidades climáticas geradoras de eventos de inundaçãoAdversidades climáticas geradoras de eventos de inundação
Adversidades climáticas geradoras de eventos de inundação
 
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 1º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 1º ANOS ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 1º ANOS
ATIVIDADES DAS TIRAS E DO ATLAS 1º ANOS
 
06092018072941290.pdf
06092018072941290.pdf06092018072941290.pdf
06092018072941290.pdf
 
Geografia 1ano3bim
Geografia  1ano3bimGeografia  1ano3bim
Geografia 1ano3bim
 
Climatologia
Climatologia Climatologia
Climatologia
 
Questõesde Geografia.docx
Questõesde Geografia.docxQuestõesde Geografia.docx
Questõesde Geografia.docx
 
Aspectos gerais do clima
Aspectos gerais do climaAspectos gerais do clima
Aspectos gerais do clima
 
Sext oano unidade 6_tema1e2
Sext oano unidade 6_tema1e2Sext oano unidade 6_tema1e2
Sext oano unidade 6_tema1e2
 
6º ano unidade 6
6º ano unidade 6 6º ano unidade 6
6º ano unidade 6
 
Revisão geografia com gabarito ufpr 2011 12
Revisão geografia com gabarito ufpr 2011 12Revisão geografia com gabarito ufpr 2011 12
Revisão geografia com gabarito ufpr 2011 12
 
Temperatura_do_ar_Modo_de_Compatibilidade-1.pdf
Temperatura_do_ar_Modo_de_Compatibilidade-1.pdfTemperatura_do_ar_Modo_de_Compatibilidade-1.pdf
Temperatura_do_ar_Modo_de_Compatibilidade-1.pdf
 

Mais de Rogério Bartilotti

Agentes externos e Relevo Brasileiro
Agentes externos e Relevo BrasileiroAgentes externos e Relevo Brasileiro
Agentes externos e Relevo BrasileiroRogério Bartilotti
 
Fatores e elementos do clima parte ii
Fatores e elementos do clima   parte iiFatores e elementos do clima   parte ii
Fatores e elementos do clima parte iiRogério Bartilotti
 
Treinamento: Geologia, Geomorfologia e Solos
Treinamento: Geologia, Geomorfologia e SolosTreinamento: Geologia, Geomorfologia e Solos
Treinamento: Geologia, Geomorfologia e SolosRogério Bartilotti
 
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. Ambientais
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. AmbientaisTreinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. Ambientais
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. AmbientaisRogério Bartilotti
 
Domínio: Caatinga, Araucária, Pradarias, Transição
Domínio: Caatinga, Araucária, Pradarias, TransiçãoDomínio: Caatinga, Araucária, Pradarias, Transição
Domínio: Caatinga, Araucária, Pradarias, TransiçãoRogério Bartilotti
 
Treinamento - Recursos Minerais e Fontes de Energia
Treinamento - Recursos Minerais e Fontes de EnergiaTreinamento - Recursos Minerais e Fontes de Energia
Treinamento - Recursos Minerais e Fontes de EnergiaRogério Bartilotti
 
Migrações internacionais Teoria e Questões
Migrações internacionais Teoria e QuestõesMigrações internacionais Teoria e Questões
Migrações internacionais Teoria e QuestõesRogério Bartilotti
 
Fases do crescimento populacional
Fases do crescimento populacionalFases do crescimento populacional
Fases do crescimento populacionalRogério Bartilotti
 

Mais de Rogério Bartilotti (20)

Transportes
TransportesTransportes
Transportes
 
Agentes externos e Relevo Brasileiro
Agentes externos e Relevo BrasileiroAgentes externos e Relevo Brasileiro
Agentes externos e Relevo Brasileiro
 
Fatores e elementos do clima parte ii
Fatores e elementos do clima   parte iiFatores e elementos do clima   parte ii
Fatores e elementos do clima parte ii
 
Treinamento blocos
Treinamento blocosTreinamento blocos
Treinamento blocos
 
Treinamento: Geologia, Geomorfologia e Solos
Treinamento: Geologia, Geomorfologia e SolosTreinamento: Geologia, Geomorfologia e Solos
Treinamento: Geologia, Geomorfologia e Solos
 
Pedologia
PedologiaPedologia
Pedologia
 
Revisao 2 - Aulas de Sexta
Revisao 2 - Aulas de SextaRevisao 2 - Aulas de Sexta
Revisao 2 - Aulas de Sexta
 
Da URSS a Rússia
Da URSS a RússiaDa URSS a Rússia
Da URSS a Rússia
 
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. Ambientais
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. AmbientaisTreinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. Ambientais
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. Ambientais
 
Treinamento Cartografia
Treinamento CartografiaTreinamento Cartografia
Treinamento Cartografia
 
Eras Geológicas
Eras GeológicasEras Geológicas
Eras Geológicas
 
Ordens Mundiais
Ordens MundiaisOrdens Mundiais
Ordens Mundiais
 
Capitalismo
CapitalismoCapitalismo
Capitalismo
 
Domínio: Caatinga, Araucária, Pradarias, Transição
Domínio: Caatinga, Araucária, Pradarias, TransiçãoDomínio: Caatinga, Araucária, Pradarias, Transição
Domínio: Caatinga, Araucária, Pradarias, Transição
 
Treinamento - Recursos Minerais e Fontes de Energia
Treinamento - Recursos Minerais e Fontes de EnergiaTreinamento - Recursos Minerais e Fontes de Energia
Treinamento - Recursos Minerais e Fontes de Energia
 
Focos de tensão na Áfrcia
Focos de tensão na ÁfrciaFocos de tensão na Áfrcia
Focos de tensão na Áfrcia
 
Recursos Minerais
Recursos MineraisRecursos Minerais
Recursos Minerais
 
Migrações internacionais Teoria e Questões
Migrações internacionais Teoria e QuestõesMigrações internacionais Teoria e Questões
Migrações internacionais Teoria e Questões
 
Fases do crescimento populacional
Fases do crescimento populacionalFases do crescimento populacional
Fases do crescimento populacional
 
Porradão do Bartinho
Porradão do BartinhoPorradão do Bartinho
Porradão do Bartinho
 

Último

A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURADouglasVasconcelosMa
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETODouglasVasconcelosMa
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 

Último (20)

A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 

Fatores e Elementos do Clima (Parte 2

  • 1. Lista:FatoreseElementosdoClima (Parte2) 1 - Para responder à questão, leia o texto e considere as afirmativas a seguir. As correntes marítimas ou oceânicas envolvem grandes volumes de massas de água salgada que se deslocam no interior dos oceanos. As diferentes correntes que circulam nos oceanos, em geral, apresentam características próprias de salinidade, temperatura e densidade, fazendo com que elas não se misturem facilmente. I. A existência das correntes marítimas está basicamente associada à ação dos ventos sobre a superfície da água. II. As principais correntes oceânicas se propagam em direção contrária em cada um dos hemisférios, em função do efeito coriolis do planeta. III. A zona equatorial apresenta maior temperatura, evaporação e umidade; portanto, nessa região, as correntes oceânicas tendem a apresentar águas com maior salinidade. IV. O litoral brasileiro é dominado pela ação de correntes quentes; entretanto, durante o inverno, a corrente fria das Falklands, ou Malvinas, atua nas áreas costeiras ao sul do País. Estão corretas apenas as afirmativas a) I e II. b) I e IV. c) II e III. d) II e IV. e) III e IV. 2 - No Brasil existe uma significativa diversidade climática com áreas mais quentes, outras mais frias, umas mais secas e outras mais úmidas. Considerando a diversidade de climas no Brasil, analise as afirmações a seguir e assinale com V as verdadeiras e com F as falsas. ( ) Na região equatorial encontra-se uma faixa de latitude que engloba a região Amazônica e a região Nordeste, que apresentam clima chuvoso e semiárido, respectivamente. ( ) Na região central do Brasil e na região Sudeste, há uma bem definida estação seca e outra chuvosa. ( ) No inverno, algumas frentes frias podem atuar no Sudeste e no Centro-Oeste do Brasil. ( ) No Brasil não ocorrem interferências nos sistemas de tempo provocadas pela topografia. A sequência correta, de cima para baixo, é a) V, F, F, V. b) F, F, V, F. c) V, V, V, F. d) F, V, F, V.
  • 2. 3 - O Brasil possui um território extenso, com 92% pertencentes à zona intertropical. As massas de ar que atuam em território brasileiro possuem influências oceânicas e continentais. Sobre as características dessas massas de ar, é correto afirmar: a) W representa a Massa Equatorial Atlântica de ar quente e úmido, responsável pela grande umidade na Amazônia. b) Y indica a Massa Polar Atlântica, que se desloca a partir do sul em direção ao norte do território brasileiro e tem como característica a presença de ar frio, podendo atingir a região Centro- Oeste no inverno. c) Z indica a Massa Tropical Continental, que tem como característica a presença de ar quente e úmido, ocasionando alagamentos no Centro-Oeste no inverno. d) X indica a Massa Equatorial Continental de ar quente e seco, que atua no nordeste do litoral brasileiro. e) V representa a Massa Temperada Atlântica de ar frio e seco, que atua no sul do litoral brasileiro. 4 - Todas as moléculas de uma parcela de ar contribuem para a pressão atmosférica. Como o vapor d’água é um gás, ele também contribui com um valor de pressão parcial, conhecido como pressão de vapor (e), aumentando ou diminuindo a pressão atmosférica. Quando a pressão de vapor (e) atinge seu valor máximo possível para uma determinada temperatura do ar, diz-se que o ar está saturado de umidade ou, em outras palavras, que o ar está cheio de vapor. Tem-se, portanto, a pressão de vapor de saturação s(e ). A umidade relativa é a razão entre a pressão de vapor (e) e a pressão de vapor de saturação s(e ). (Ercília T. Steinke. Climatologia fácil, 2012. Adaptado.) I. A temperatura caracteriza uma variável para determinarmos a pressão de vapor de saturação. II. Os valores relativos à umidade do ar expressam a real quantidade de vapor d’água existente no ar, em milímetros. III. Quanto maior a umidade relativa do ar, maiores são as chances de chuva, pois a atmosfera está próxima do ponto de saturação. Está correto o que se afirma em a) I e II, apenas. b) I e III, apenas. c) I, II e III. d) III, apenas. e) II e III, apenas.
  • 3. 5 - Considerando a atuação e a dinâmica das massas de ar na América do Sul, analise as seguintes afirmações: I. A massa de ar equatorial continental – MEC – atua na porção centro-ocidental da planície Amazônica e tem, como uma de suas características, elevada temperatura. II. A massa tropical continental – MTC – forma-se na região central da América do Sul no final do inverno e início da primavera. III. A massa tropical atlântica – MTA – possui características de umidade e temperatura baixas, além de alta pressão. Está correto o que se afirma em a) II e III apenas. b) I e III apenas. c) I e II apenas. d) I, II e III. 6 - Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), foram registradas temperaturas reduzidas no mês de junho de 2016, tal como na madrugada do dia 13, em que se alcançou a mínima de 3,5 C na estação meteorológica da Serra da Cantareira, na cidade de São Paulo. Além disso, de acordo com o Instituto, também ocorreram precipitações acima da média, com mais de 200 mm no total daquele mês. Associando a representação esquemática aos eventos descritos, analise as seguintes afirmações: I. O ar mais frio e denso eleva o ar mais quente, podendo originar nuvens com potencial para tempestades e precipitações. II. Instabilidades atmosféricas podem ser geradas em razão de o ar quente ser elevado rapidamente pelo sistema frontal. III. O encontro de massas de ar estabiliza as condições atmosféricas com o avanço e dissipação da massa de ar tropical. É correto apenas o que se afirma em a) I. b) II. c) I e II. d) I e III. e) II e III. 7 - As condições atuais do clima global são responsáveis pela diferenciação da salinidade dos oceanos em diferentes latitudes, conforme a ilustração abaixo.
  • 4. A partir do texto e do gráfico, é correto afirmar que: a) Os baixos teores de sais dos oceanos são observados em toda a faixa de baixas latitudes, em decorrência do balanço existente entre o excesso de precipitação e o declínio da evaporação ao longo de todo o ano. b) O excesso de precipitação nas áreas de médias latitudes e na proximidade dos polos é responsável pela ocorrência de maior salinidade nos oceanos do Hemisfério Sul. c) Nas áreas próximas a 90º de latitude, a salinidade dos oceanos é similar, pois as condições climáticas favorecem a ocorrência de grandes volumes de chuva e um grande deficit de evaporação. d) O percentual mais baixo de salinidade dos oceanos nas altas latitudes tem relação com a maior entrada de água doce nos oceanos, que ocorre em razão do derretimento de geleiras. 8 - O Ciclone Tropical Idai atingiu o litoral de Moçambique na noite de quinta‐feira (21/03/2019), provocando grandes danos na cidade de Beira. Cerca de 500 mil pessoas ficaram sem energia, afetando também o setor de comunicações. Disponível em https://www.climatempo.com.br/. Adaptado. Essa notícia refere‐se ao Ciclone Tropical que atingiu principalmente Moçambique, Zimbábue e Malaui. Eventos dessa magnitude e superiores – o Ciclone Idai atingiu apenas a categoria 2 em uma escala de 1 a 5 – ocorrem em outros locais do planeta e não repercutem da mesma forma, com a perda de centenas de vidas. Isso ocorre em função a) da grande presença de populações não nativas, que não têm tradição em lidar com eventos dessa natureza. b) do relevo de planalto que caracteriza Moçambique, Zimbábue e Malaui, em especial na zona costeira. c) da presença de rede hidrográfica e florestas que contribuem para a formação de ciclones dessa natureza e magnitude. d) da presença de águas superficiais do oceano Índico, com temperaturas mais reduzidas que o habitual, em especial no Canal de Moçambique. e) das características socioeconômicas da região com populações vulneráveis e reduzida capacidade do poder público em prestar atendimento à população. 9 - A convecção na Região Amazônica é um importante mecanismo da atmosfera tropical e sua variação, em termos de intensidade e posição, tem um papel importante na determinação do tempo e do clima dessa região. A nebulosidade e o regime de precipitação determinam o clima amazônico. FISCH, G.; MARENGO, J. A.; NOBRE, C. A. “Uma revisão geral sobre o clima da Amazônia”. Acta Amazônica, v. 28, n. 2, 1998 (adaptado). O mecanismo climático regional descrito está associado à característica do espaço físico de
  • 5. a) resfriamento da umidade da superfície. b) variação da amplitude de temperatura. c) dispersão dos ventos contra-alísios. d) existência de barreiras de relevo. e) convergência de fluxos de ar. Umidade relativa do ar, por região do país, para o dia 28/08/2014 Regiões Umidade relativa (intervalo médio) Norte 60 70% Nordeste 90 100% Centro-Oeste 55 65% Sudeste 65 75% Sul 90 70% 10 - No dia em que foram colhidos os dados meteorológicos apresentados, qual fator climático foi determinante para explicar os índices de umidade relativa do ar nas regiões Nordeste e Sul? a) Altitude, que forma barreiras naturais. b) Vegetação, que afeta a incidência solar. c) Massas de ar, que provocam precipitações. d) Correntes marítimas, que atuam na troca de calor. e) Continentalidade, que influencia na amplitude da temperatura.
  • 6. 11 - Nas imagens constam informações sobre a formação de brisas em áreas litorâneas. Esse processo é resultado de a) uniformidade do gradiente de pressão atmosférica. b) aquecimento diferencial da superfície. c) quedas acentuadas de médias térmicas. d) mudanças na umidade relativa do ar. e) variações altimétricas acentuadas. 12 - Qual característica do meio físico é condição necessária para a distribuição espacial do fenômeno representado? a) Cobertura vegetal com porte arbóreo. b) Barreiras orográficas com altitudes elevadas. c) Pressão atmosférica com diferença acentuada. d) Superfície continental com refletividade intensa. e) Correntes marinhas com direções convergentes. GABARITO: D C B B C C D E E C B C