Cultura, a arte de cultivar um conceito!

621 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre o Cultura Organizacional.realizada na Qcon Rio 2015.

0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
621
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
41
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cultura, a arte de cultivar um conceito!

  1. 1. CULTURA, A ARTE DE CULTIVAR UM CONCEITO Qcon Rio 2015 - Annelise Gripp
  2. 2. BERT HELLINGER
  3. 3. TRIBOS FAMÍLIA
  4. 4. ARTE
  5. 5. CRENÇA
  6. 6. COSTUME
  7. 7. LEIS
  8. 8. CULTURA ORGANIZACIONAL
  9. 9. COMPONENTES DA CULTURA ORGANIZACIONAL CRENÇAS, PERCEPÇÕES, PENSAMENTOS, SENTIMENTOS ( fontes mais profundas de valores e ações - invisíveis) ( ESTRATÉGIAS, NORMAS, METAS) ( valores compartilhados - conscientização) ARTEFATOS, PRODUTOS, ESTRUTURAS, PROCESSOS, ( visíveis e fáceis de decifrar) CULTURA EXPLÍCITA CULTURA IMPLÍCITA
  10. 10. ATENÇÃO!!! As normas formais deverão ser compartilhadas e explícitas para os funcionários saberem que tipo de conduta a empresa espera dele. As normas informais e não escritas orientam a forma de pensar, sentir dos membros de uma organização e direcionam suas ações para o alcance dos objetivos organizacionais.
  11. 11. Podemos mudar a Cultura de uma Organização?
  12. 12. *Uma crise séria que coloca em cheque a cultura atual; *Mudança de liderança; *Cultura fraca e não representativa; *Empresas pequenas e jovens que quiserem construir uma nova identidade. QUANDO? QUANDO? QUANDO? QUANDO? QUANDO? QUANDO?
  13. 13. CLAREZA DOS OBJETIVOS IMAGEM DE PRODUTOS SERVIÇOS INTEGRAÇÃO E COMUNICAÇÃO ABERTURA NOVAS IDÉIAS DESEMPENHO PROFISSIONAL APRENDIZADO CRITÉRIOS (RECRUTAMENTO, SELEÇÃO, CARREIRA)
  14. 14. HIERARQUIA DAS NECESSIDADES
  15. 15. “A mudança da cultura certamente começa de cima para baixo, e podem, devem ser executadas pela Diretoria. Os gerentes, supervisores, ou líderes de áreas, devem estar comprometidos com a mudança e obrigatoriamente devem fazer parte do processo; é seu papel também incentivar as mudanças propostas; é por eles que as instruções normalmente chegam, e se falhar nessa etapa todo o processo pode vir a fracassar.” (Marco Kissil)
  16. 16. Referências: Referência de Filme: - O diabo veste Prada - Steven Jobs, como ele mudou o mundo - Efeito Borboleta KISSIL, Marco; Gestão da Mudança Organizacional. Instituto para Desenvolvimento da Saúde / Universidade Federal de São Paulo, Faculdade de Saúde Pública. série Saúde e Cidadania, vol 4, São Paulo, 1998. CURY, Antonio. Organização e métodos: uma visão holística . 7 ed. São Paulo: Atlas, 2000.
  17. 17. Perguntas Annelise Gripp (Coach / Consultora / Instrutora) Email: annelisegripp@yahoo.com.br Site: www.annelisegripp.com.br Slideshare: http://pt.slideshare.net/AnneliseGripp Twitter: @AnneliseGripp

×