Justiça

17.932 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre o problema da justiça social (distributiva) e resposta de John Rawls, destinada a alunos do 10º ano de Filosofia.

Publicada em: Educação
1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
17.932
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
13.777
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
173
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Justiça

  1. 1. Escola  Secundária  Manuel  Teixeira  Gomes   Aires  Almeida  JUSTIÇA   Outubro  de  2009  
  2. 2. Jus@ça  retribu@va        É,  em  geral,  o  que  se  faz  ou  se  procura   fazer  nos  tribunais   –  Aplicar  penas  (cas@go)   –  Compensar  danos    (reparação)   Jus@ça   2  
  3. 3. Questões  filosóficas  sobre  a  jus@ça  retribu@va   Ex:  Qual  a  finalidade  das  penas?   – Dissuasão?   – Reabilitação?   – Prevenção?   – Compensação?   Jus@ça   3  
  4. 4. Jus@ça  distribu@va  É  o  que  o  governo  faz  ou  procura  fazer,   principalmente  através  dos  impostos,   redistribuindo  depois  os  recursos  ou  a   riqueza  produzida  pelas  pessoas.   Jus@ça   4  
  5. 5. JusAça  distribuAva     =     JusAça  social   Jus@ça   5  
  6. 6. Problema:    O  que  é  uma  sociedade   justa?   Jus@ça   6  
  7. 7. ou     Quais  os  princípios  gerais  em  que  se  deve  basear  uma   sociedade  justa?   Jus@ça   7  
  8. 8. Uma  sociedade  em  que  há,  ao  mesmo  tempo,  pessoas  muito  ricas  e  pessoas  muito   pobres  pode  ser  justa?   Jus@ça   8  
  9. 9. Uma  sociedade  em  que  todas  as  pessoas  usufruem   da  mesma  riqueza  é   necessariamente  justa?   Jus@ça   9  
  10. 10. Qual  destas  sociedades  é  mais  justa,  supondo  que  o  custo  de  vida  é  aproximadamente     o  mesmo  nas  duas?   Diferença  de  rendimento  entre  os  mais   ricos  e  os  mais  pobres  Sociedade  A   1  000  €  por  mês  Sociedade  B   10  000  €  por  mês   Jus@ça   10  
  11. 11. Rendimento  dos   Rendimento  dos   mais  ricos   mais  pobres  Sociedade  A     1  500  €  por  mês   500  €  por  mês  Sociedade  B   12  000  €  por  mês   2  000  €  por  mês   Jus@ça   11  
  12. 12. Escola  Secundária  Manuel  Teixeira  Gomes   Aires  Almeida   Igualitarismo    O  igualitarista  dá  prioridade  à  igualdade  social:  o   estado  deve  intervir  para  evitar  desigualdades   sociais,  transferindo  riqueza  dos  mais  ricos  para   os  mais  pobres  através  dos  mecanismos  de  tributação  (impostos)  e  redistribuição  (subsídios,   apoios  do  estado).   Jus@ça   12  
  13. 13. Escola  Secundária  Manuel  Teixeira  Gomes   Aula  aberta  de  Filosofia   Liberalismo   O  liberal  dá  prioridade  à  liberdade  individual:  o   estado  só  deve  intervir  para  garan@r  necessidades  gerais,  como  a  segurança  (polícia)  ou  a  defesa  do  próprio  estado  (exército)  e  pouco  mais.  Interferir  na  vida  das  pessoas,  transferindo  riqueza  de  uns  indivíduos  para  outros  sem  o  seu   consen@mento,  é  violar  os  seus  direitos   individuais.   Jus@ça   13  
  14. 14. Mas  será  que  há  possibilidade  de   acordo  sobre  como  deve  estar  distribuída  a  riqueza  numa  sociedade  justa  e  sobre  a  intervenção  do  estado   na  vida  das  pessoas?   Jus@ça   14  
  15. 15. Deverá  o  estado  intervir  no  senAdo  de  garanAr  ...  •  A  cada  um  segundo  as  suas  necessidades?  •  A  cada  um  segundo  o  seu  esforço?  •  A  cada  um  segundo  os  seus  talentos?  •  A  cada  um  segundo  o  seu  mérito?  •  Uma  combinação  de  tudo  isto?   Jus@ça   15  
  16. 16. Diz  o  inteligente:   Numa  sociedade  justa  os  mais  inteligentes  devem  poder  ganhar  mais.   Jus@ça   16  
  17. 17. Diz  o  menos  inteligente:   Numa  sociedade  justa  o  mais   importante  para  a  distribuição  da  riqueza  não  deve  ser  a  inteligência  de   cada  um.   Jus@ça   17  
  18. 18. Diz  o  trabalhador:   Numa  sociedade  justa  os  mais   trabalhadores  devem  poder  ganhar  mais  do  que  os  que  trabalham  menos.   Jus@ça   18  
  19. 19. Diz  o  preguiçoso:  Numa  sociedade  justa  a  distribuição  da  riqueza  não  deve  depender  de  se   trabalhar  muito  ou  pouco.   Jus@ça   19  
  20. 20. Diz  o  rico:   Numa  sociedade  justa  os  ricos  não  devem  ser  prejudicados  só  por  serem   ricos.   Jus@ça   20  
  21. 21. Diz  o  pobre:  Numa  sociedade  justa  os  pobres  não  devem  ter  menos  acesso  à  riqueza  só   por  terem  nascido  pobres.   Jus@ça   21  
  22. 22. Duas  dificuldades  básicas  1.  Que  @pos  de  causas  de   desigualdade  são  erradas  ou   moralmente  inaceitáveis?  2.  Que  métodos  de  interferir  com  a   desigualdade  são  certos  ou   moralmente  aceitáveis?   Jus@ça   22  
  23. 23. E  possível  evitar  estes  desacordos?   O  que  fazer?   Jus@ça   23  
  24. 24. Teoria  da  Jus@ça  como  equidade   John  RAWLS   (1921-­‐2002)   Jus@ça   24  
  25. 25. Como  encontrar  os  princípios   da  jus@ça  correctos?   Uma  experiência  mental:     a  posição  original   Jus@ça   25  
  26. 26. O  que  caracteriza  a  posição  original  é  cada  indivíduo  estar  a  coberto  de  um   véu  de  ignorância:  uma  espécie  de   amnésia  generalizada  acerca  dos   factos  par@culares  da  sua  vida  e  das   suas  próprias  capacidades.     Jus@ça   26  
  27. 27. Porquê  o  véu  de  ignorância?   Porque  só  assim  se  pode  garan@r  a  imparcialidade  na  avaliação  e  escolha   dos  princípios  da  jus@ça.   Jus@ça   27  
  28. 28. Para  que  as  inclinações  e  aspirações  par-culares,  bem  como  as  concepções  de   cada  um  sobre  o  seu  próprio  interesse,   não  afectem  os  princípios  adoptados.  O  objec-vo  é  excluir  aqueles  princípios  que   seria  racional  tentar  fazer  aprovar  [...],   em  função  do  conhecimento  de  certos   dados  que  são  irrelevantes  do  ponto  de   vista  da  jus-ça.                                                                                                                                                                    John  Rawls   Jus@ça   28  
  29. 29. Na  posição  original,  os  membros  da  sociedade  ficam  numa  situação  equita@va.   Jus@ça   29  
  30. 30. Nesta  posição,  acabaríamos  por  acordar  livre  e  racionalmente  numa  sociedade  que   nos  garan@sse:   Jus@ça   30  
  31. 31. 1.  igualdade  de  direitos  e  deveres  básicos;  2.  que  as  desigualdades  só  seriam  admissíveis  se  todos  beneficiassem  com  isso,  em  especial   os  mais  desfavorecidos;   3.  que  ninguém  deve  ser  beneficiado  ou   prejudicado  pela  sorte  natural  ou  pelas   circunstâncias  sociais.     Jus@ça   31  
  32. 32.    Princípio  da  liberdade:  todos  os  indivíduos  beneficiam  das   mesmas  liberdades  básicas  (as  liberdades  polí@cas,  a  liberdade  de   consciência  e  de  expressão  e  as   liberdades  da  pessoa).   Jus@ça   32  
  33. 33. O  princípio  da  diferença:  Se  as  desigualdades  na  distribuição  da   riqueza  acabarem  por  beneficiar   todos,  especialmente  os  mais   desfavorecidos,  então  jus@ficam-­‐se.   Jus@ça   33  
  34. 34. O  princípio  da  oportunidade  justa:  as  desigualdades  na  distribuição  da   riqueza  são  aceitáveis  apenas  na   medida  em  que  resultam  de  uma   igualdade  de  oportunidades.   Jus@ça   34  
  35. 35. Mas  por  que  haveríamos  de  preferir  estes   princípios  a  quaisquer  outros?  Porque  o  mais  racional  é  jogar  pelo  seguro,  isto   é,  escolher  uma  sociedade  na  qual  o  pior  que   nos  poderia  acontecer  fosse  o  melhor   possível;  estes  princípios  são  os  únicos  que   nos  permitem  garan@r  isso.   Jus@ça   35  
  36. 36. O  princípio  maximin   (maximizar  o  mínimo)   Pior  resultado  possível   Melhor  resultado  possível  Opção  A   Pobreza  extrema   Riqueza  extrema  Opção  B   Pobreza  acentuada   Riqueza  acentuada  Opção  C   Pobreza  moderada   Riqueza  moderada   Jus@ça   36  
  37. 37. DUAS  PERGUNTAS  FINAIS   1.  Será  que  a  teoria  da  jus@ça  proposta  por  Rawls  está  de  acordo  com  o  princípio  u@litarista   “o  maior  bem  para  o  maior  número”?   2.  Será  a  teoria  da  jus@ça  de  Rawls  uma  boa   resposta  ao  problema  da  jus@ça  social?   Jus@ça   37  

×