A Construção do Público

362 visualizações

Publicada em

“A sociedade se torna coesa e se projeta quando é capaz de entender quais são os desafios que se deve superar coletivamente.”

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
362
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
91
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A Construção do Público

  1. 1. Coletivo Ativista 19 e 20 de fevereiro de 2011A Construção do Público O nosso papel como cidadão
  2. 2. “A sociedade se torna coesa e se projetaquando é capaz de entender quais são os desafios que se deve superar coletivamente.” (Bernado Toro)
  3. 3. DIREITOS E DIGNIDADE• Vida DIGNA:Tornar possíveis e cotidianos os direitos humanos.• O que torna um sujeito cidadão?Sua capacidade de gerenciar ou modificar a ordem social.PARCERIA: organizações -> atores sociais
  4. 4. DIREITOS E DIGNIDADE• “A alma da fome é política” (Hebert de Souza)• Um dos indicadores de pobreza mais graves é não estar organizado – ausência de atores sociais – PARCERIA. – Sem organização não há proteção social.
  5. 5. JUSTIÇA SOCIAL• A finalidade da justiça social é garantir à sociedade os direitos fundamentais, civis, políticos, econômicos, culturais, coletivos e difusos: os Direitos Humanos são o norte ético da justiça social.• O exercício pleno e a proteção aos Direitos Humanos dependem da capacidade de associação e organização que tenha a sociedade. A associação organizada produz auto-regulação e garante os Direitos Humanos.
  6. 6. JUSTIÇA SOCIAL (Bernado Toro)• “Se entendermos por cidadão a pessoa que é capaz de criar ou transformar a ordem social, em cooperação com os outros, para viabilizar a dignidade de todos, podemos então, dizer que, nas democracias, o público se constrói a partir da sociedade civil. São cidadãos que delimitam e definem o que é necessário a população de forma igualitária.”
  7. 7. PARCERIA - PARTICIPAÇÃO
  8. 8. PÚBLICO X ESTATAL (Bernado Toro)• “...se define o público como aqueles bens que satisfazem a todos da mesma forma para a sua dignidade. Por exemplo, a educação é pública quando é de igual qualidade para as pessoas. Se um país aceita ter uma educação de boa qualidade para alguns setores e outra de menor qualidade para outros, nesse país a educação não é pública, ainda que paga com dinheiro do Estado. Um bem social é público quando é de igual acesso e qualidade para todos os cidadãos, mesmo que seja prestado por uma instituição privada. Quando um bem público é de uma qualidade para uns e de outra para outros, diz-se que existe desigualdade ou corporativismo. O público é um conceito que ultrapassa o estatal, sem desconhecer que as instituições públicas por excelência devem ser o Estado e as leis.”
  9. 9. DEMOCRACIA• “Não se pode pensar em ser democrata enquanto não se tiver experimentado o valor da solidariedade, do altruísmo, da responsabilidade social, do espírito cívico, do respeito por todos os bens comuns e, antes de tudo, o respeito pela pessoa humana”. (Daniel Herrera)• “Democracia serve para todos ou não serve para nada” (Hebert de Souza)
  10. 10. CONTROLE SOCIAL (Ester Scheffer)• “O ESTADO tem o poder de regulamentar e interferir para o bem e para o mal em todos os setores da sociedade. Só o cidadão através do CONTROLE SOCIAL e responsabilização dos agentes públicos, é quem tem o poder de fazer que os representantes de cada setor atuem de acordo com suas funções e não nas distorções.• O Combate à Corrupção!
  11. 11. PARTICIPAÇÃOCIDADÕ “Quem quer um mundo melhor tem que começar fazendo esse mundo.” – os incomodados que mudem o mundo!• ASSOCIAÇÃO: – ONGS – Rede de Controle Social – Organização, associação, oxigenação, soma.• “Não creio mais em salvadores. Creio em cidadania” (Hebert de Souza)
  12. 12. Hino da Cidadania
  13. 13. Carta da Terra• PREÂMBULO• Estamos diante de um momento crítico na história da Terra, numa época em que a humanidade deve escolher o seu futuro. À medida que o mundo torna-se cada vez mais interdependente e frágil, o futuro reserva, ao mesmo tempo, grande perigo e grande esperança. Para seguir adiante, devemos reconhecer que, no meio de uma magnífica diversidade de culturas e formas de vida, somos uma família humana e uma comunidade terrestre com um destino comum. Devemos nos juntar para gerar uma sociedade sustentável global fundada no respeito pela natureza, nos direitos humanos universais, na justiça econômica e numa cultura da paz. Para chegar a este propósito, é imperativo que nós, os povos da Terra, declaremos nossa responsabilidade uns para com os outros, com a grande comunidade de vida e com as futuras gerações.

×