SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 6
Baixar para ler offline
Agrupamento EscolasdeGolegã,AzinhagaePombalinho
Escola Básica2,3/sMestreMartinsCorreia
Português
Anoletivo2015/2016
CarlotaBoavista nº312ºA
DeJoséSaramago
Capítulo III
• Reflexão sobre Lisboa:
Condições de vida, visão
da cidade no Entrudo,
critica aos hábitos
religiosos.
• Explicação de tudo o que
se passa durante a
procissão da Penitência.
• A infidelidade das
mulheres e o
desinteresse dos homens
• Sonho de D. Maria Ana,
Rainha, com o seu
cunhado, D. Francisco.
⃰ Descrição dos costumes do Entrudo onde é referido o contraste entre o exagero de
riqueza de uns e a extrema miséria que levava à morte de outros.
“Correu o entrudo essas ruas, quem pôde empanturrou-se de galinha e de carneiro,
de sonhos e de filhos, deu umbigadas pelas esquinas,(...), bebeu-se vinho até ao arroto e
ao vomito, partiram-se panelas, tocaram-se gaitas (...).”
⃰ Término do Entrudo e entrada no tempo Quaresmal com a descrição da Procissão de
Penitência onde o autor aproveita para criticar os rituais e costumes da época.
“Porém, a quaresma, como o sol, quando nasce, é para todos.”
“Vai sair a procissão de penitência. Castigámos a carne pelo jejum, maceremo-la
agora pelo açoite. (...) o bispo vai fazendo sinaizinhos da cruz para este lado e para
aquele, enquanto um acólito balouça o incensório.”
⃰ Referência ao estado de imundice em que se encontrava Lisboa nesta época devido ao
desinteresse do rei pelo povo enfatizando que o Rei só se preocupava com o seu poder.
“(...) a cidade é imunda, alcatifada de excrementos, de lixo, de cães lazarentos e
gatos vadios, e lama mesmo quando não chove.”
Resumo
o Durante a Quaresma era o único momento em
que as mulheres podiam percorrer as igrejas
sozinhas, dando-lhes assim a liberdade que
permitia que estas se encontrassem com os
amantes.
“(...) é a mulher livre uma vez no
ano, (...) entre duas igrejas, foi a
encontrar-se com um homem, qual seja, (...)
o D. Maria Ana não podia usufruir dessa
liberdade pois, além de se Rainha, estava
grávida. Depois de rezar acompanhada pelas
suas damas adormece.
“De tais desafogamentos se veem
privadas as rainhas, principalmente se já
estão gravidas (...).”
“D. Maria Ana deitou-se muito cedo,
rezou antes de ir para a cama, em murmurado
coro com as damas que a servem (...).”
o D. Maria Ana durante o seu sono,
sonha com o seu cunhado, D.
Francisco.
“ (...) e subitamente um
homem a cavalo, que vem da caça (...)
rompe o homem em direção ao coche, de
espingarda na mão(...) dá-lhe na cara
a luz das tochas, é o infante D.
Francisco, de que lugares do sono veio
ele e porque virá tantas vezes.”
o Passado a Quaresma, as mulheres
voltam á rua rotina habitual
recolhidas em casa.
“Passou a Pascoa, que
acordou toda a gente, mas reconduziu
as mulheres à sombra dos quartos e ao
carrego das saias.”
Aspetossimbólicos
Cobertor- Símbolo de
afastamento, que marca o
casamente de convivência
entre o rei e a rainha.
Liga-se à frieza do amor,
à ausência de prazer e
esconde desejos
insatisfeitos
Numero “sete”- Símbolo
de sabedoria e de
descanso na fim da
criação; Simboliza a
totalidade perfeita:
sete dias da criação do
mundo, sete dias da
semana, sete pecados
mortais, sete cores do
arco-íris, numero de
dias do ciclo lunar que
regula os ciclos de vida
e de morte
Antítese- “ No geral do ano há quem morra por ter comido durante a vida toda
(...). Mas falta (...) que morra por ter comido pouco durante toda a vida (...)”.
Metáfora- “(...) esta cidade, mais que todas, é uma boca que mastiga de sobejo
para um lado e para o outro e de escasso para o outro (...)”
Paralelismo- “(...) entre o nariz rubicundo e o outro héctico, entre a nádega
dançarina e a escorrida, entre a pança repleta e a barriga agarrada às costas.”
Enumeração- “(...) a cidade é imunda, alcatifada de excrementos, de lixo, de cães
lazarentos e gatos vadios, e lama mesmo quando não chove.”
Comparação- “(...) não podendo falar, berra como toiro em cio(...).”
Ironia- “Lisboa cheira mal, cheira a podridão, o incenso dá sentido à fetidez, o mal
é dos corpos, que a alma, essa é perfumada.”

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A sátira e a crítica social no Memorial do Convento
A sátira e a crítica social no Memorial do ConventoA sátira e a crítica social no Memorial do Convento
A sátira e a crítica social no Memorial do ConventoJoana Filipa Rodrigues
 
Memorial- Análise por Capítulos
Memorial- Análise por CapítulosMemorial- Análise por Capítulos
Memorial- Análise por CapítulosRui Matos
 
Memorial do convento - o tempo
Memorial do convento - o tempoMemorial do convento - o tempo
Memorial do convento - o tempoCarla Luís
 
"Não sei se é sonhe, se realidade"
"Não sei se é sonhe, se realidade""Não sei se é sonhe, se realidade"
"Não sei se é sonhe, se realidade"MiguelavRodrigues
 
Ode Triunfal de Álvaro de Campos
Ode Triunfal de Álvaro de CamposOde Triunfal de Álvaro de Campos
Ode Triunfal de Álvaro de Camposguest3fc89a1
 
Ficha verificação leitura memorial
Ficha verificação leitura memorialFicha verificação leitura memorial
Ficha verificação leitura memorialFernanda Pereira
 
Simbologia de Memorial do Convento
Simbologia de Memorial do ConventoSimbologia de Memorial do Convento
Simbologia de Memorial do ConventoRui Couto
 
Álvaro Campos - 3ª Fase
Álvaro Campos - 3ª FaseÁlvaro Campos - 3ª Fase
Álvaro Campos - 3ª FaseDina Baptista
 
O amor em Memorial do Convento
O amor em Memorial do ConventoO amor em Memorial do Convento
O amor em Memorial do ConventoAntónio Teixeira
 
Sebastianismo: Os Lusíadas & Mensagem
Sebastianismo: Os Lusíadas & MensagemSebastianismo: Os Lusíadas & Mensagem
Sebastianismo: Os Lusíadas & MensagemInesa M
 
Memorial do Convento - linguagem e estilo
Memorial do Convento - linguagem e estiloMemorial do Convento - linguagem e estilo
Memorial do Convento - linguagem e estiloFilipaFonseca
 
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/PoéticoFernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/PoéticoAlexandra Canané
 
Memorial do convento espaço social e a crítica
Memorial do convento   espaço social e a críticaMemorial do convento   espaço social e a crítica
Memorial do convento espaço social e a críticaAntónio Teixeira
 
Fernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da InfânciaFernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da InfânciaSamuel Neves
 
Capítulo XVI - MC
Capítulo XVI - MCCapítulo XVI - MC
Capítulo XVI - MC12anogolega
 
Memorial do convento - Personagens
Memorial do convento - PersonagensMemorial do convento - Personagens
Memorial do convento - PersonagensMiguelavRodrigues
 
Características poéticas de Ricardo Reis
Características poéticas de Ricardo ReisCaracterísticas poéticas de Ricardo Reis
Características poéticas de Ricardo ReisDina Baptista
 

Mais procurados (20)

A sátira e a crítica social no Memorial do Convento
A sátira e a crítica social no Memorial do ConventoA sátira e a crítica social no Memorial do Convento
A sátira e a crítica social no Memorial do Convento
 
Memorial- Análise por Capítulos
Memorial- Análise por CapítulosMemorial- Análise por Capítulos
Memorial- Análise por Capítulos
 
Memorial do convento - o tempo
Memorial do convento - o tempoMemorial do convento - o tempo
Memorial do convento - o tempo
 
Memorial do convento
Memorial do conventoMemorial do convento
Memorial do convento
 
"Não sei se é sonhe, se realidade"
"Não sei se é sonhe, se realidade""Não sei se é sonhe, se realidade"
"Não sei se é sonhe, se realidade"
 
Ode Triunfal de Álvaro de Campos
Ode Triunfal de Álvaro de CamposOde Triunfal de Álvaro de Campos
Ode Triunfal de Álvaro de Campos
 
Ficha verificação leitura memorial
Ficha verificação leitura memorialFicha verificação leitura memorial
Ficha verificação leitura memorial
 
Simbologia de Memorial do Convento
Simbologia de Memorial do ConventoSimbologia de Memorial do Convento
Simbologia de Memorial do Convento
 
Álvaro Campos - 3ª Fase
Álvaro Campos - 3ª FaseÁlvaro Campos - 3ª Fase
Álvaro Campos - 3ª Fase
 
O amor em Memorial do Convento
O amor em Memorial do ConventoO amor em Memorial do Convento
O amor em Memorial do Convento
 
OCEANO NOX_Análise.ppsx
OCEANO NOX_Análise.ppsxOCEANO NOX_Análise.ppsx
OCEANO NOX_Análise.ppsx
 
Sebastianismo: Os Lusíadas & Mensagem
Sebastianismo: Os Lusíadas & MensagemSebastianismo: Os Lusíadas & Mensagem
Sebastianismo: Os Lusíadas & Mensagem
 
Memorial Do Convento
Memorial Do ConventoMemorial Do Convento
Memorial Do Convento
 
Memorial do Convento - linguagem e estilo
Memorial do Convento - linguagem e estiloMemorial do Convento - linguagem e estilo
Memorial do Convento - linguagem e estilo
 
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/PoéticoFernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
 
Memorial do convento espaço social e a crítica
Memorial do convento   espaço social e a críticaMemorial do convento   espaço social e a crítica
Memorial do convento espaço social e a crítica
 
Fernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da InfânciaFernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da Infância
 
Capítulo XVI - MC
Capítulo XVI - MCCapítulo XVI - MC
Capítulo XVI - MC
 
Memorial do convento - Personagens
Memorial do convento - PersonagensMemorial do convento - Personagens
Memorial do convento - Personagens
 
Características poéticas de Ricardo Reis
Características poéticas de Ricardo ReisCaracterísticas poéticas de Ricardo Reis
Características poéticas de Ricardo Reis
 

Destaque

Destaque (16)

LM6 December Update
LM6 December UpdateLM6 December Update
LM6 December Update
 
Antigone prod
Antigone prodAntigone prod
Antigone prod
 
RESUME_NAVEEN
RESUME_NAVEENRESUME_NAVEEN
RESUME_NAVEEN
 
Monografia de andra chavez 6º "j"
Monografia de andra chavez 6º "j"Monografia de andra chavez 6º "j"
Monografia de andra chavez 6º "j"
 
Taiyab CV
Taiyab CVTaiyab CV
Taiyab CV
 
LM6 December 2016 Update
LM6 December 2016 UpdateLM6 December 2016 Update
LM6 December 2016 Update
 
Final_Greenfield Business Model Canvas Presentation
Final_Greenfield Business Model Canvas PresentationFinal_Greenfield Business Model Canvas Presentation
Final_Greenfield Business Model Canvas Presentation
 
Stay_Authentic
Stay_AuthenticStay_Authentic
Stay_Authentic
 
Running for çuuem
Running for çuuemRunning for çuuem
Running for çuuem
 
CBHLive2015
CBHLive2015CBHLive2015
CBHLive2015
 
Dike 14-Doan Brook IBA Avian Survey Project
Dike 14-Doan Brook IBA Avian Survey ProjectDike 14-Doan Brook IBA Avian Survey Project
Dike 14-Doan Brook IBA Avian Survey Project
 
Rahul ranjan seca
Rahul ranjan secaRahul ranjan seca
Rahul ranjan seca
 
Swimming for çuuem
Swimming for çuuemSwimming for çuuem
Swimming for çuuem
 
LM6 Runcorn Whitehouse85 3pp
LM6 Runcorn Whitehouse85 3ppLM6 Runcorn Whitehouse85 3pp
LM6 Runcorn Whitehouse85 3pp
 
Bla bla for çuuem
Bla bla for çuuemBla bla for çuuem
Bla bla for çuuem
 
Saturn House , Knowsley, Merseyside
Saturn House , Knowsley, MerseysideSaturn House , Knowsley, Merseyside
Saturn House , Knowsley, Merseyside
 

Semelhante a Lisboa em contraste na obra de Saramago

Capítulo iii memorial do convento
Capítulo iii   memorial do conventoCapítulo iii   memorial do convento
Capítulo iii memorial do convento12anogolega
 
Capítulo iii memorial do convento
Capítulo iii   memorial do conventoCapítulo iii   memorial do convento
Capítulo iii memorial do convento12anogolega
 
Capítulo iii memorial do convento
Capítulo iii   memorial do conventoCapítulo iii   memorial do convento
Capítulo iii memorial do convento12anogolega
 
Fragmentos pre modernistas
Fragmentos pre modernistasFragmentos pre modernistas
Fragmentos pre modernistasKarin Cristine
 
A Cidade E As Serras
A Cidade E As SerrasA Cidade E As Serras
A Cidade E As SerrasKatitaKatita
 
literaturabrasileira-resumo-150521005228-lva1-app6891.pdf
literaturabrasileira-resumo-150521005228-lva1-app6891.pdfliteraturabrasileira-resumo-150521005228-lva1-app6891.pdf
literaturabrasileira-resumo-150521005228-lva1-app6891.pdfKennedy430427
 
A cidade e as serras anglo sj final 2
A cidade e as serras   anglo  sj final 2A cidade e as serras   anglo  sj final 2
A cidade e as serras anglo sj final 2Octávio Da Matta
 
Memorial iii (1)
Memorial iii (1)Memorial iii (1)
Memorial iii (1)Inês Roque
 
Carlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de AndradeCarlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de AndradeAdriana Masson
 
5. vida conventual e festas religiosas
5. vida conventual e festas religiosas5. vida conventual e festas religiosas
5. vida conventual e festas religiosasHelena Coutinho
 
Romantismo prosa
Romantismo prosaRomantismo prosa
Romantismo prosaRotivtheb
 
O Padre E A MoçA, Carlos Drummond De Andrade
O Padre E A MoçA, Carlos Drummond De AndradeO Padre E A MoçA, Carlos Drummond De Andrade
O Padre E A MoçA, Carlos Drummond De Andradecatiasgs
 

Semelhante a Lisboa em contraste na obra de Saramago (20)

Capítulo iii memorial do convento
Capítulo iii   memorial do conventoCapítulo iii   memorial do convento
Capítulo iii memorial do convento
 
Capítulo iii memorial do convento
Capítulo iii   memorial do conventoCapítulo iii   memorial do convento
Capítulo iii memorial do convento
 
Capítulo iii memorial do convento
Capítulo iii   memorial do conventoCapítulo iii   memorial do convento
Capítulo iii memorial do convento
 
Fragmentos pre modernistas
Fragmentos pre modernistasFragmentos pre modernistas
Fragmentos pre modernistas
 
A Cidade E As Serras
A Cidade E As SerrasA Cidade E As Serras
A Cidade E As Serras
 
literaturabrasileira-resumo-150521005228-lva1-app6891.pdf
literaturabrasileira-resumo-150521005228-lva1-app6891.pdfliteraturabrasileira-resumo-150521005228-lva1-app6891.pdf
literaturabrasileira-resumo-150521005228-lva1-app6891.pdf
 
Literatura brasileira resumo
Literatura brasileira resumoLiteratura brasileira resumo
Literatura brasileira resumo
 
A cidade e as serras anglo sj final 2
A cidade e as serras   anglo  sj final 2A cidade e as serras   anglo  sj final 2
A cidade e as serras anglo sj final 2
 
Barroco
Barroco Barroco
Barroco
 
Poetas de abril
Poetas de abrilPoetas de abril
Poetas de abril
 
Poetas de abril
Poetas de abrilPoetas de abril
Poetas de abril
 
Memorial iii (1)
Memorial iii (1)Memorial iii (1)
Memorial iii (1)
 
Carlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de AndradeCarlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de Andrade
 
5. vida conventual e festas religiosas
5. vida conventual e festas religiosas5. vida conventual e festas religiosas
5. vida conventual e festas religiosas
 
Caderno diário Sociedade de Ordens
Caderno diário Sociedade de OrdensCaderno diário Sociedade de Ordens
Caderno diário Sociedade de Ordens
 
Romantismo prosa
Romantismo prosaRomantismo prosa
Romantismo prosa
 
Entrevista a miguel torga
Entrevista a miguel torgaEntrevista a miguel torga
Entrevista a miguel torga
 
JUMP
JUMPJUMP
JUMP
 
Arcadismo 2010
Arcadismo 2010Arcadismo 2010
Arcadismo 2010
 
O Padre E A MoçA, Carlos Drummond De Andrade
O Padre E A MoçA, Carlos Drummond De AndradeO Padre E A MoçA, Carlos Drummond De Andrade
O Padre E A MoçA, Carlos Drummond De Andrade
 

Mais de 12º A Golegã

Memorial do Convento - Cap. II
Memorial do Convento - Cap. IIMemorial do Convento - Cap. II
Memorial do Convento - Cap. II12º A Golegã
 
Memorial do Convento - Cap. I
Memorial do Convento - Cap. IMemorial do Convento - Cap. I
Memorial do Convento - Cap. I12º A Golegã
 
Fichas de leitura do 2º Período (12º ano)
Fichas de leitura do 2º Período (12º ano)Fichas de leitura do 2º Período (12º ano)
Fichas de leitura do 2º Período (12º ano)12º A Golegã
 
Fichas de leitura do 1º Período (12º ano)
Fichas de leitura do 1º Período (12º ano)Fichas de leitura do 1º Período (12º ano)
Fichas de leitura do 1º Período (12º ano)12º A Golegã
 
Informação do exame de Português
Informação do exame de PortuguêsInformação do exame de Português
Informação do exame de Português12º A Golegã
 
Informação do exame de Matemática A
Informação do exame de Matemática AInformação do exame de Matemática A
Informação do exame de Matemática A12º A Golegã
 
Informação do exame de História
Informação do exame de HistóriaInformação do exame de História
Informação do exame de História12º A Golegã
 
Ficha de leitura - Sofia
Ficha de leitura - SofiaFicha de leitura - Sofia
Ficha de leitura - Sofia12º A Golegã
 
Ficha de leitura - Rodrigo
Ficha de leitura - RodrigoFicha de leitura - Rodrigo
Ficha de leitura - Rodrigo12º A Golegã
 
Ficha de leitura - Rita
Ficha de leitura - RitaFicha de leitura - Rita
Ficha de leitura - Rita12º A Golegã
 
Ficha de leitura - Mariana Mota Nunes
Ficha de leitura - Mariana Mota NunesFicha de leitura - Mariana Mota Nunes
Ficha de leitura - Mariana Mota Nunes12º A Golegã
 
Ficha de leitura - Mariana Guia
Ficha de leitura - Mariana GuiaFicha de leitura - Mariana Guia
Ficha de leitura - Mariana Guia12º A Golegã
 
Ficha de leitura - Mariana Afonso
Ficha de leitura - Mariana AfonsoFicha de leitura - Mariana Afonso
Ficha de leitura - Mariana Afonso12º A Golegã
 
Ficha de leitura - Maria José
Ficha de leitura - Maria JoséFicha de leitura - Maria José
Ficha de leitura - Maria José12º A Golegã
 
Ficha de leitura - Maria do Rosário
Ficha de leitura - Maria do RosárioFicha de leitura - Maria do Rosário
Ficha de leitura - Maria do Rosário12º A Golegã
 
Ficha de leitura - Maria Beatriz
Ficha de leitura - Maria BeatrizFicha de leitura - Maria Beatriz
Ficha de leitura - Maria Beatriz12º A Golegã
 
Ficha de leitura - Lourenço
Ficha de leitura - LourençoFicha de leitura - Lourenço
Ficha de leitura - Lourenço12º A Golegã
 
Ficha de leitura - João Afonso
Ficha de leitura - João AfonsoFicha de leitura - João Afonso
Ficha de leitura - João Afonso12º A Golegã
 

Mais de 12º A Golegã (20)

Memorial do Convento - Cap. II
Memorial do Convento - Cap. IIMemorial do Convento - Cap. II
Memorial do Convento - Cap. II
 
Memorial do Convento - Cap. I
Memorial do Convento - Cap. IMemorial do Convento - Cap. I
Memorial do Convento - Cap. I
 
Produções escritas
Produções escritasProduções escritas
Produções escritas
 
Fichas de leitura do 2º Período (12º ano)
Fichas de leitura do 2º Período (12º ano)Fichas de leitura do 2º Período (12º ano)
Fichas de leitura do 2º Período (12º ano)
 
Fichas de leitura do 1º Período (12º ano)
Fichas de leitura do 1º Período (12º ano)Fichas de leitura do 1º Período (12º ano)
Fichas de leitura do 1º Período (12º ano)
 
Informação do exame de Português
Informação do exame de PortuguêsInformação do exame de Português
Informação do exame de Português
 
Informação do exame de Matemática A
Informação do exame de Matemática AInformação do exame de Matemática A
Informação do exame de Matemática A
 
Informação do exame de História
Informação do exame de HistóriaInformação do exame de História
Informação do exame de História
 
Tornar-me mais Pessoa
Tornar-me mais PessoaTornar-me mais Pessoa
Tornar-me mais Pessoa
 
Ficha de leitura - Sofia
Ficha de leitura - SofiaFicha de leitura - Sofia
Ficha de leitura - Sofia
 
Ficha de leitura - Rodrigo
Ficha de leitura - RodrigoFicha de leitura - Rodrigo
Ficha de leitura - Rodrigo
 
Ficha de leitura - Rita
Ficha de leitura - RitaFicha de leitura - Rita
Ficha de leitura - Rita
 
Ficha de leitura - Mariana Mota Nunes
Ficha de leitura - Mariana Mota NunesFicha de leitura - Mariana Mota Nunes
Ficha de leitura - Mariana Mota Nunes
 
Ficha de leitura - Mariana Guia
Ficha de leitura - Mariana GuiaFicha de leitura - Mariana Guia
Ficha de leitura - Mariana Guia
 
Ficha de leitura - Mariana Afonso
Ficha de leitura - Mariana AfonsoFicha de leitura - Mariana Afonso
Ficha de leitura - Mariana Afonso
 
Ficha de leitura - Maria José
Ficha de leitura - Maria JoséFicha de leitura - Maria José
Ficha de leitura - Maria José
 
Ficha de leitura - Maria do Rosário
Ficha de leitura - Maria do RosárioFicha de leitura - Maria do Rosário
Ficha de leitura - Maria do Rosário
 
Ficha de leitura - Maria Beatriz
Ficha de leitura - Maria BeatrizFicha de leitura - Maria Beatriz
Ficha de leitura - Maria Beatriz
 
Ficha de leitura - Lourenço
Ficha de leitura - LourençoFicha de leitura - Lourenço
Ficha de leitura - Lourenço
 
Ficha de leitura - João Afonso
Ficha de leitura - João AfonsoFicha de leitura - João Afonso
Ficha de leitura - João Afonso
 

Último

Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfpaulafernandes540558
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxalessandraoliveira324
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 

Último (20)

Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 

Lisboa em contraste na obra de Saramago

  • 2. • Reflexão sobre Lisboa: Condições de vida, visão da cidade no Entrudo, critica aos hábitos religiosos. • Explicação de tudo o que se passa durante a procissão da Penitência. • A infidelidade das mulheres e o desinteresse dos homens • Sonho de D. Maria Ana, Rainha, com o seu cunhado, D. Francisco.
  • 3. ⃰ Descrição dos costumes do Entrudo onde é referido o contraste entre o exagero de riqueza de uns e a extrema miséria que levava à morte de outros. “Correu o entrudo essas ruas, quem pôde empanturrou-se de galinha e de carneiro, de sonhos e de filhos, deu umbigadas pelas esquinas,(...), bebeu-se vinho até ao arroto e ao vomito, partiram-se panelas, tocaram-se gaitas (...).” ⃰ Término do Entrudo e entrada no tempo Quaresmal com a descrição da Procissão de Penitência onde o autor aproveita para criticar os rituais e costumes da época. “Porém, a quaresma, como o sol, quando nasce, é para todos.” “Vai sair a procissão de penitência. Castigámos a carne pelo jejum, maceremo-la agora pelo açoite. (...) o bispo vai fazendo sinaizinhos da cruz para este lado e para aquele, enquanto um acólito balouça o incensório.” ⃰ Referência ao estado de imundice em que se encontrava Lisboa nesta época devido ao desinteresse do rei pelo povo enfatizando que o Rei só se preocupava com o seu poder. “(...) a cidade é imunda, alcatifada de excrementos, de lixo, de cães lazarentos e gatos vadios, e lama mesmo quando não chove.”
  • 4. Resumo o Durante a Quaresma era o único momento em que as mulheres podiam percorrer as igrejas sozinhas, dando-lhes assim a liberdade que permitia que estas se encontrassem com os amantes. “(...) é a mulher livre uma vez no ano, (...) entre duas igrejas, foi a encontrar-se com um homem, qual seja, (...) o D. Maria Ana não podia usufruir dessa liberdade pois, além de se Rainha, estava grávida. Depois de rezar acompanhada pelas suas damas adormece. “De tais desafogamentos se veem privadas as rainhas, principalmente se já estão gravidas (...).” “D. Maria Ana deitou-se muito cedo, rezou antes de ir para a cama, em murmurado coro com as damas que a servem (...).” o D. Maria Ana durante o seu sono, sonha com o seu cunhado, D. Francisco. “ (...) e subitamente um homem a cavalo, que vem da caça (...) rompe o homem em direção ao coche, de espingarda na mão(...) dá-lhe na cara a luz das tochas, é o infante D. Francisco, de que lugares do sono veio ele e porque virá tantas vezes.” o Passado a Quaresma, as mulheres voltam á rua rotina habitual recolhidas em casa. “Passou a Pascoa, que acordou toda a gente, mas reconduziu as mulheres à sombra dos quartos e ao carrego das saias.”
  • 5. Aspetossimbólicos Cobertor- Símbolo de afastamento, que marca o casamente de convivência entre o rei e a rainha. Liga-se à frieza do amor, à ausência de prazer e esconde desejos insatisfeitos Numero “sete”- Símbolo de sabedoria e de descanso na fim da criação; Simboliza a totalidade perfeita: sete dias da criação do mundo, sete dias da semana, sete pecados mortais, sete cores do arco-íris, numero de dias do ciclo lunar que regula os ciclos de vida e de morte
  • 6. Antítese- “ No geral do ano há quem morra por ter comido durante a vida toda (...). Mas falta (...) que morra por ter comido pouco durante toda a vida (...)”. Metáfora- “(...) esta cidade, mais que todas, é uma boca que mastiga de sobejo para um lado e para o outro e de escasso para o outro (...)” Paralelismo- “(...) entre o nariz rubicundo e o outro héctico, entre a nádega dançarina e a escorrida, entre a pança repleta e a barriga agarrada às costas.” Enumeração- “(...) a cidade é imunda, alcatifada de excrementos, de lixo, de cães lazarentos e gatos vadios, e lama mesmo quando não chove.” Comparação- “(...) não podendo falar, berra como toiro em cio(...).” Ironia- “Lisboa cheira mal, cheira a podridão, o incenso dá sentido à fetidez, o mal é dos corpos, que a alma, essa é perfumada.”