SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
José Saramago
   CAPÍTULO II
Os milagres conseguidos pelos franciscanos e o
   seu desejo na construção do convento.



Caracterização das mentalidades fradescas,
muito ligadas à crendice e a favores divinos em
troca de atos de honra e proveito.
Sequência de acontecimentos



• «o célebre caso da morte de Frei Miguel da Anunciação»    que
  conservara o corpo intacto;
• a locomoção da imagem de Santo António, numa janela,      que
  assustou os ladrões;
• a recuperação das lâmpadas do convento de S. Francisco,   que
  tinham sido roubadas…
• A gravidez da rainha.
• O desejo dos franciscanos, desde 1624, de construção de   um
  convento em Mafra.
Feita a promessa com base na profecia do
franciscanismo, havia que justificar a probidade
moral da Ordem. É o que faz o cronista no capítulo II,
em linguagem mimeticamente setecentista, de
acordo com a estética barroca. O narrador anuncia a
gravidez da rainha como o fruto de um feliz milagre,
embora dê a conhecer ao leitor que a Ordem há
muito ansiava construir por via administrativa um
convento em Mafra.
A Ordem Franciscana



A Ordem dos Franciscanos , é a ordem religiosa fundada por São Francisco de
Assis em Itália em 1209, vivendo em conventos. Os Franciscanos têm o seu
hábito de cor de castanho e cordão Branco, uns usam capucho e outros não,
pertencendo ao hábito.
Os Franciscanos não são monges, mas sim religiosos: realizam voto de pobreza,
castidade e obediência.

Princípios Franciscanos:
•Humildade significa acolhida para escutar;
•Simplicidade é o valor de quem sabe colocar tudo em comum, é a coragem da
partilha;
•Justiça é transparência, castidade, verdade. É revelar o melhor de si.
Milagres conseguidos pelos franciscanos: história de Frei Miguel da
Anunciação; história de S to António(milagres e castigos);

Roubo e recuperação das lâmpadas do convento de S. Francisco;

Concretização do sonho com o futuro descendente;

Desejo dos Franciscanos desde de 1624 da construção do Convento
de Mafra.
Resumo…



     Se a conceção da rainha ocorresse, seria vista como mais um milagre
     entre todos os outros relacionados à ordem de São Francisco. Diz-se,
     por exemplo, que o Frei Miguel da Anunciação, mesmo depois de
     morto, conservara o seu corpo intacto durante dias, atraindo, desde
     então, uma grande quantidade de devotos para a sua igreja.
     Outro caso, é o do furto de três lâmpadas de prata do Convento de S.
     Francisco de Xabregas no qual entraram ladrões passando junto ao
     altar de Santo António rico em prata, e nada roubaram.
     Entrando na igreja, os frades deram com ele às escuras, e verificaram
     que foram as lâmpadas que tinham sido levadas, ao observarem o
     local das lâmpadas repararam que as suas correntes abanavam tendo
     sido o roubou pouco tempo antes.
O frade que tinha ido verificar o que se tinha
passado, culpou Santo António por ter deixado
passar alguém, sem que nada lhe tirasse, e ir
roubar ao altar-mor, então este castigou Santo
António, tendo tirado toda a sua prata, toalhas
e adornos, a sua auréola e até o menino da
cruz.
Na manhã seguinte, bateu à porta do convento
um estudante que revelou o local onde
estavam as lâmpadas, no Mosteiro de Cotovia,
dos padres da Companhia de Jesus.
Desta forma, faz-nos desconfiar que o tal
estudante, apesar de querer ser padre, tenha
sido o autor do roubo e que, arrependido,
deixara lá as lâmpadas, por não ter coragem
de as devolver pessoalmente.
Citações acerca dos tópicos:



          Sobre a                        “ Ainda é cedo para falar deste que se
      concretização do                   prepara, aliás milagre não tanto, mas
        sonho com o                      simples obséquio divino(…)qual há-de
           futuro                        ser o nascimento do infante na hora
        descendente                      própria(…)”




“ Porém, era frei Miguel da Anunciação mesmo
depois de morto pagou o mal com o bem, e se                       Milagres
vivo fizera caridades, defunto obrava maravilhas,            conseguidos pelos
sendo a primeira desmentir os médicos que                      franciscanos:
temiam se corrompesse o corpo aceleradamente                  história de Frei
(…) passados três dias inteiros na igreja de Nossa               Miguel da
Senhora de Jesus onde esteve exposto, com                      Anunciação;
suavíssimo cheiro, e não se lhe enrijeceu o
cadáver, pelo contrário, brandamente os
membros todos se deixavam mover, como se
vivo estivesse”
“ E vós, santo, só guardais a prata que
vos toca e deixais levar a outra, pois
em paga disso não vos há-de ficar
nenhuma”                                           Milagres conseguidos pelos
                                                   franciscanos: história de Sto
                                                   António(milagres e castigos);


         “Foi o caso que no convento de S. Francisco de Xabregas entraram
        gatunos, ou gatuno entrou, pela clarabóia de uma capela contígua com
        a de Santo António, e foi, ou foram, ao altar-mor, e as três lâmpadas
        que lá estavam se sumiram pelo mesmo caminho em menos de um
        credo”páginas 26 e 27



                      Roubo e recuperação das lâmpadas do
                      convento de S. Francisco
Disciplina: Português
Prof.ª: Helena Maria Coutinho

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Memorial- Análise por Capítulos
Memorial- Análise por CapítulosMemorial- Análise por Capítulos
Memorial- Análise por CapítulosRui Matos
 
Capítulo XVI - MC
Capítulo XVI - MCCapítulo XVI - MC
Capítulo XVI - MC12anogolega
 
Memorial do convento - Capítulo XIX
Memorial do convento - Capítulo XIXMemorial do convento - Capítulo XIX
Memorial do convento - Capítulo XIXripmitchlucker
 
Memorial do convento narrador, espaço e tempo
Memorial do convento narrador, espaço e tempoMemorial do convento narrador, espaço e tempo
Memorial do convento narrador, espaço e tempoAntónio Teixeira
 
Memorial do convento dimensão crítica da história (1)
Memorial do convento dimensão crítica da história (1)Memorial do convento dimensão crítica da história (1)
Memorial do convento dimensão crítica da história (1)José Galvão
 
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/PoéticoFernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/PoéticoAlexandra Canané
 
Gil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereiraGil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereiraDavid Caçador
 
Memorial do Convento - linguagem e estilo
Memorial do Convento - linguagem e estiloMemorial do Convento - linguagem e estilo
Memorial do Convento - linguagem e estiloFilipaFonseca
 
Alberto Caeiro - poema I do guardador de rebanhos
Alberto Caeiro - poema I do guardador de rebanhosAlberto Caeiro - poema I do guardador de rebanhos
Alberto Caeiro - poema I do guardador de rebanhosBruno Meirim
 
Resumos de Português: Cesário verde
Resumos de Português: Cesário verdeResumos de Português: Cesário verde
Resumos de Português: Cesário verdeRaffaella Ergün
 
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana SofiaCesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana SofiaJoana Azevedo
 
Cesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-SistematizaçãoCesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-SistematizaçãoDina Baptista
 
Apresentação do Simbolismo N`Os Maias
Apresentação do Simbolismo N`Os MaiasApresentação do Simbolismo N`Os Maias
Apresentação do Simbolismo N`Os MaiasNeizy Mandinga
 

Mais procurados (20)

Memorial- Análise por Capítulos
Memorial- Análise por CapítulosMemorial- Análise por Capítulos
Memorial- Análise por Capítulos
 
Amor de perdição
Amor de perdiçãoAmor de perdição
Amor de perdição
 
Capítulo XVI - MC
Capítulo XVI - MCCapítulo XVI - MC
Capítulo XVI - MC
 
Memorial do convento - Capítulo XIX
Memorial do convento - Capítulo XIXMemorial do convento - Capítulo XIX
Memorial do convento - Capítulo XIX
 
Memorial do convento narrador, espaço e tempo
Memorial do convento narrador, espaço e tempoMemorial do convento narrador, espaço e tempo
Memorial do convento narrador, espaço e tempo
 
áLvaro de campos
áLvaro de camposáLvaro de campos
áLvaro de campos
 
Viriato
ViriatoViriato
Viriato
 
. Maias simplificado
. Maias simplificado. Maias simplificado
. Maias simplificado
 
Memorial do convento dimensão crítica da história (1)
Memorial do convento dimensão crítica da história (1)Memorial do convento dimensão crítica da história (1)
Memorial do convento dimensão crítica da história (1)
 
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/PoéticoFernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
 
Fernando Pessoa-Ortónimo
Fernando Pessoa-OrtónimoFernando Pessoa-Ortónimo
Fernando Pessoa-Ortónimo
 
Cesário verde
Cesário verdeCesário verde
Cesário verde
 
Baltasar e Blimunda
Baltasar e Blimunda Baltasar e Blimunda
Baltasar e Blimunda
 
Gil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereiraGil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereira
 
Memorial do Convento - linguagem e estilo
Memorial do Convento - linguagem e estiloMemorial do Convento - linguagem e estilo
Memorial do Convento - linguagem e estilo
 
Alberto Caeiro - poema I do guardador de rebanhos
Alberto Caeiro - poema I do guardador de rebanhosAlberto Caeiro - poema I do guardador de rebanhos
Alberto Caeiro - poema I do guardador de rebanhos
 
Resumos de Português: Cesário verde
Resumos de Português: Cesário verdeResumos de Português: Cesário verde
Resumos de Português: Cesário verde
 
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana SofiaCesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana Sofia
 
Cesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-SistematizaçãoCesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-Sistematização
 
Apresentação do Simbolismo N`Os Maias
Apresentação do Simbolismo N`Os MaiasApresentação do Simbolismo N`Os Maias
Apresentação do Simbolismo N`Os Maias
 

Destaque

Memorial convento- José Saramago
Memorial convento- José SaramagoMemorial convento- José Saramago
Memorial convento- José Saramagobecresforte
 
Capítulo iii memorial do convento
Capítulo iii   memorial do conventoCapítulo iii   memorial do convento
Capítulo iii memorial do convento12anogolega
 
Memorial do convento capitulo xviii
Memorial do convento capitulo xviiiMemorial do convento capitulo xviii
Memorial do convento capitulo xviii12anogolega
 
Captulo ii(memorial do convento)
Captulo ii(memorial do convento)Captulo ii(memorial do convento)
Captulo ii(memorial do convento)12anogolega
 
Captulo ii(memorial do convento)
Captulo ii(memorial do convento)Captulo ii(memorial do convento)
Captulo ii(memorial do convento)12anogolega
 
Capítulo XXII - MC
Capítulo XXII - MCCapítulo XXII - MC
Capítulo XXII - MC12anogolega
 
Capítulo i power point(1)
Capítulo i   power point(1)Capítulo i   power point(1)
Capítulo i power point(1)12anogolega
 
Memorial do convento
Memorial do conventoMemorial do convento
Memorial do convento12anogolega
 
Memorial do Convento
Memorial do ConventoMemorial do Convento
Memorial do Conventoguest304ad9
 
Memorial do convento - Personagens
Memorial do convento - PersonagensMemorial do convento - Personagens
Memorial do convento - PersonagensMiguelavRodrigues
 

Destaque (13)

Capítulo IV
Capítulo IVCapítulo IV
Capítulo IV
 
Memorial convento- José Saramago
Memorial convento- José SaramagoMemorial convento- José Saramago
Memorial convento- José Saramago
 
Capítulo iii memorial do convento
Capítulo iii   memorial do conventoCapítulo iii   memorial do convento
Capítulo iii memorial do convento
 
Memorial do convento capitulo xviii
Memorial do convento capitulo xviiiMemorial do convento capitulo xviii
Memorial do convento capitulo xviii
 
Portugues mc
Portugues mcPortugues mc
Portugues mc
 
Captulo ii(memorial do convento)
Captulo ii(memorial do convento)Captulo ii(memorial do convento)
Captulo ii(memorial do convento)
 
Capítulo viii
Capítulo viiiCapítulo viii
Capítulo viii
 
Captulo ii(memorial do convento)
Captulo ii(memorial do convento)Captulo ii(memorial do convento)
Captulo ii(memorial do convento)
 
Capítulo XXII - MC
Capítulo XXII - MCCapítulo XXII - MC
Capítulo XXII - MC
 
Capítulo i power point(1)
Capítulo i   power point(1)Capítulo i   power point(1)
Capítulo i power point(1)
 
Memorial do convento
Memorial do conventoMemorial do convento
Memorial do convento
 
Memorial do Convento
Memorial do ConventoMemorial do Convento
Memorial do Convento
 
Memorial do convento - Personagens
Memorial do convento - PersonagensMemorial do convento - Personagens
Memorial do convento - Personagens
 

Semelhante a Milagres Franciscanos

Memorial do Convento - Cap. II
Memorial do Convento - Cap. IIMemorial do Convento - Cap. II
Memorial do Convento - Cap. II12º A Golegã
 
Cadernos 23_4ec3ac277fe24
 Cadernos 23_4ec3ac277fe24 Cadernos 23_4ec3ac277fe24
Cadernos 23_4ec3ac277fe24Ifense Santarém
 
edoc.pub_santa-clara-de-asis.pdf
edoc.pub_santa-clara-de-asis.pdfedoc.pub_santa-clara-de-asis.pdf
edoc.pub_santa-clara-de-asis.pdfssuserc1f56a
 
Nsps 12 historia e explicacao manaus Jozef Grzywacz
Nsps 12 historia e explicacao manaus Jozef GrzywaczNsps 12 historia e explicacao manaus Jozef Grzywacz
Nsps 12 historia e explicacao manaus Jozef GrzywaczPe. José Grzywacz
 
Nª SªFátima e os Pastorinhos( Breve História)
Nª SªFátima e os Pastorinhos( Breve História)Nª SªFátima e os Pastorinhos( Breve História)
Nª SªFátima e os Pastorinhos( Breve História)Emilia Pereira
 
S.francisco de assis
S.francisco de assisS.francisco de assis
S.francisco de assisPAFB
 
3 A Contra Reforma
3 A Contra Reforma3 A Contra Reforma
3 A Contra ReformaHist8
 
Nsps 10 história datas Jozef Grzywacz
Nsps 10 história datas Jozef GrzywaczNsps 10 história datas Jozef Grzywacz
Nsps 10 história datas Jozef GrzywaczPe. José Grzywacz
 
A contra reforma parte 3
A contra reforma  parte 3A contra reforma  parte 3
A contra reforma parte 3Carla Teixeira
 
AS “APARIÇÕES” DE FÁTIMA, 1917 - por Joaquim Fernandes - Revista Athena.pdf
AS “APARIÇÕES” DE FÁTIMA, 1917 - por Joaquim Fernandes - Revista Athena.pdfAS “APARIÇÕES” DE FÁTIMA, 1917 - por Joaquim Fernandes - Revista Athena.pdf
AS “APARIÇÕES” DE FÁTIMA, 1917 - por Joaquim Fernandes - Revista Athena.pdfMatheusHenriqueFerna4
 
TERCEIRO SEGREDO DE FATIMA 13 agosto 1917-FATIMA
TERCEIRO SEGREDO DE FATIMA 13 agosto 1917-FATIMATERCEIRO SEGREDO DE FATIMA 13 agosto 1917-FATIMA
TERCEIRO SEGREDO DE FATIMA 13 agosto 1917-FATIMAELIAS OMEGA
 
Dramas da obsessão (cefak)
Dramas da obsessão (cefak)Dramas da obsessão (cefak)
Dramas da obsessão (cefak)PontoDeLuz
 
Aparições_de_Fátima -13 agosto 1917 part-1
Aparições_de_Fátima -13 agosto 1917 part-1Aparições_de_Fátima -13 agosto 1917 part-1
Aparições_de_Fátima -13 agosto 1917 part-1ELIAS OMEGA
 
Resumo - Memorial do Convento
Resumo - Memorial do ConventoResumo - Memorial do Convento
Resumo - Memorial do ConventoMariana Hiyori
 
Fraternitas maio 2012
Fraternitas maio 2012Fraternitas maio 2012
Fraternitas maio 2012scapolan
 
A Ordem Dos Cavaleiros Do Templo
A Ordem Dos Cavaleiros Do TemploA Ordem Dos Cavaleiros Do Templo
A Ordem Dos Cavaleiros Do TemploJNR
 

Semelhante a Milagres Franciscanos (20)

Memorial do Convento - Cap. II
Memorial do Convento - Cap. IIMemorial do Convento - Cap. II
Memorial do Convento - Cap. II
 
Livro
LivroLivro
Livro
 
Cadernos 23_4ec3ac277fe24
 Cadernos 23_4ec3ac277fe24 Cadernos 23_4ec3ac277fe24
Cadernos 23_4ec3ac277fe24
 
edoc.pub_santa-clara-de-asis.pdf
edoc.pub_santa-clara-de-asis.pdfedoc.pub_santa-clara-de-asis.pdf
edoc.pub_santa-clara-de-asis.pdf
 
Nsps 12 historia e explicacao manaus Jozef Grzywacz
Nsps 12 historia e explicacao manaus Jozef GrzywaczNsps 12 historia e explicacao manaus Jozef Grzywacz
Nsps 12 historia e explicacao manaus Jozef Grzywacz
 
Nª SªFátima e os Pastorinhos( Breve História)
Nª SªFátima e os Pastorinhos( Breve História)Nª SªFátima e os Pastorinhos( Breve História)
Nª SªFátima e os Pastorinhos( Breve História)
 
S.francisco de assis
S.francisco de assisS.francisco de assis
S.francisco de assis
 
3 A Contra Reforma
3 A Contra Reforma3 A Contra Reforma
3 A Contra Reforma
 
Santo António
Santo AntónioSanto António
Santo António
 
Nsps 10 história datas Jozef Grzywacz
Nsps 10 história datas Jozef GrzywaczNsps 10 história datas Jozef Grzywacz
Nsps 10 história datas Jozef Grzywacz
 
A contra reforma parte 3
A contra reforma  parte 3A contra reforma  parte 3
A contra reforma parte 3
 
AS “APARIÇÕES” DE FÁTIMA, 1917 - por Joaquim Fernandes - Revista Athena.pdf
AS “APARIÇÕES” DE FÁTIMA, 1917 - por Joaquim Fernandes - Revista Athena.pdfAS “APARIÇÕES” DE FÁTIMA, 1917 - por Joaquim Fernandes - Revista Athena.pdf
AS “APARIÇÕES” DE FÁTIMA, 1917 - por Joaquim Fernandes - Revista Athena.pdf
 
José saramago
José saramagoJosé saramago
José saramago
 
TERCEIRO SEGREDO DE FATIMA 13 agosto 1917-FATIMA
TERCEIRO SEGREDO DE FATIMA 13 agosto 1917-FATIMATERCEIRO SEGREDO DE FATIMA 13 agosto 1917-FATIMA
TERCEIRO SEGREDO DE FATIMA 13 agosto 1917-FATIMA
 
Dramas da obsessão (cefak)
Dramas da obsessão (cefak)Dramas da obsessão (cefak)
Dramas da obsessão (cefak)
 
Aparições_de_Fátima -13 agosto 1917 part-1
Aparições_de_Fátima -13 agosto 1917 part-1Aparições_de_Fátima -13 agosto 1917 part-1
Aparições_de_Fátima -13 agosto 1917 part-1
 
Agostoo
AgostooAgostoo
Agostoo
 
Resumo - Memorial do Convento
Resumo - Memorial do ConventoResumo - Memorial do Convento
Resumo - Memorial do Convento
 
Fraternitas maio 2012
Fraternitas maio 2012Fraternitas maio 2012
Fraternitas maio 2012
 
A Ordem Dos Cavaleiros Do Templo
A Ordem Dos Cavaleiros Do TemploA Ordem Dos Cavaleiros Do Templo
A Ordem Dos Cavaleiros Do Templo
 

Mais de Helena Coutinho

Santo antónio e padre antónio vieira – diferenças e semelhanças
Santo antónio e padre antónio vieira – diferenças e semelhançasSanto antónio e padre antónio vieira – diferenças e semelhanças
Santo antónio e padre antónio vieira – diferenças e semelhançasHelena Coutinho
 
Cap v repreensões particular
Cap v repreensões particularCap v repreensões particular
Cap v repreensões particularHelena Coutinho
 
Cap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geralCap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geralHelena Coutinho
 
Cap iii louvores particular
Cap iii louvores particularCap iii louvores particular
Cap iii louvores particularHelena Coutinho
 
Contexto histórico padre antónio vieira
Contexto histórico padre antónio vieiraContexto histórico padre antónio vieira
Contexto histórico padre antónio vieiraHelena Coutinho
 
. Batalha de alcácer quibir
. Batalha de alcácer quibir. Batalha de alcácer quibir
. Batalha de alcácer quibirHelena Coutinho
 
Ondados fios de ouro reluzente
Ondados fios de ouro reluzenteOndados fios de ouro reluzente
Ondados fios de ouro reluzenteHelena Coutinho
 
Sete anos de pastor jacob servia
Sete anos de pastor jacob serviaSete anos de pastor jacob servia
Sete anos de pastor jacob serviaHelena Coutinho
 
Oh! como se me alonga, de ano em ano
Oh! como se me alonga, de ano em anoOh! como se me alonga, de ano em ano
Oh! como se me alonga, de ano em anoHelena Coutinho
 
O dia em que eu nasci, morra e pereça
O dia em que eu nasci, morra e pereçaO dia em que eu nasci, morra e pereça
O dia em que eu nasci, morra e pereçaHelena Coutinho
 

Mais de Helena Coutinho (20)

Santo antónio e padre antónio vieira – diferenças e semelhanças
Santo antónio e padre antónio vieira – diferenças e semelhançasSanto antónio e padre antónio vieira – diferenças e semelhanças
Santo antónio e padre antónio vieira – diferenças e semelhanças
 
Relato hagiografico
Relato hagiograficoRelato hagiografico
Relato hagiografico
 
P.ant vieira bio
P.ant vieira bioP.ant vieira bio
P.ant vieira bio
 
Epígrafe sermao
Epígrafe sermaoEpígrafe sermao
Epígrafe sermao
 
Cap vi
Cap viCap vi
Cap vi
 
Cap v repreensões particular
Cap v repreensões particularCap v repreensões particular
Cap v repreensões particular
 
Cap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geralCap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geral
 
Cap iii louvores particular
Cap iii louvores particularCap iii louvores particular
Cap iii louvores particular
 
Cap ii louvores geral
Cap ii louvores geralCap ii louvores geral
Cap ii louvores geral
 
1. introd e estrutura
1. introd e estrutura1. introd e estrutura
1. introd e estrutura
 
Contexto histórico padre antónio vieira
Contexto histórico padre antónio vieiraContexto histórico padre antónio vieira
Contexto histórico padre antónio vieira
 
. O texto dramático
. O texto dramático. O texto dramático
. O texto dramático
 
. Batalha de alcácer quibir
. Batalha de alcácer quibir. Batalha de alcácer quibir
. Batalha de alcácer quibir
 
Fls figuras reais
Fls figuras reaisFls figuras reais
Fls figuras reais
 
. Enredo
. Enredo. Enredo
. Enredo
 
. A obra e o contexto
. A obra e o contexto. A obra e o contexto
. A obra e o contexto
 
Ondados fios de ouro reluzente
Ondados fios de ouro reluzenteOndados fios de ouro reluzente
Ondados fios de ouro reluzente
 
Sete anos de pastor jacob servia
Sete anos de pastor jacob serviaSete anos de pastor jacob servia
Sete anos de pastor jacob servia
 
Oh! como se me alonga, de ano em ano
Oh! como se me alonga, de ano em anoOh! como se me alonga, de ano em ano
Oh! como se me alonga, de ano em ano
 
O dia em que eu nasci, morra e pereça
O dia em que eu nasci, morra e pereçaO dia em que eu nasci, morra e pereça
O dia em que eu nasci, morra e pereça
 

Último

trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasRosalina Simão Nunes
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.keislayyovera123
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniCassio Meira Jr.
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 

Último (20)

trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 

Milagres Franciscanos

  • 1. José Saramago CAPÍTULO II
  • 2. Os milagres conseguidos pelos franciscanos e o seu desejo na construção do convento. Caracterização das mentalidades fradescas, muito ligadas à crendice e a favores divinos em troca de atos de honra e proveito.
  • 3. Sequência de acontecimentos • «o célebre caso da morte de Frei Miguel da Anunciação» que conservara o corpo intacto; • a locomoção da imagem de Santo António, numa janela, que assustou os ladrões; • a recuperação das lâmpadas do convento de S. Francisco, que tinham sido roubadas… • A gravidez da rainha. • O desejo dos franciscanos, desde 1624, de construção de um convento em Mafra.
  • 4. Feita a promessa com base na profecia do franciscanismo, havia que justificar a probidade moral da Ordem. É o que faz o cronista no capítulo II, em linguagem mimeticamente setecentista, de acordo com a estética barroca. O narrador anuncia a gravidez da rainha como o fruto de um feliz milagre, embora dê a conhecer ao leitor que a Ordem há muito ansiava construir por via administrativa um convento em Mafra.
  • 5. A Ordem Franciscana A Ordem dos Franciscanos , é a ordem religiosa fundada por São Francisco de Assis em Itália em 1209, vivendo em conventos. Os Franciscanos têm o seu hábito de cor de castanho e cordão Branco, uns usam capucho e outros não, pertencendo ao hábito. Os Franciscanos não são monges, mas sim religiosos: realizam voto de pobreza, castidade e obediência. Princípios Franciscanos: •Humildade significa acolhida para escutar; •Simplicidade é o valor de quem sabe colocar tudo em comum, é a coragem da partilha; •Justiça é transparência, castidade, verdade. É revelar o melhor de si.
  • 6. Milagres conseguidos pelos franciscanos: história de Frei Miguel da Anunciação; história de S to António(milagres e castigos); Roubo e recuperação das lâmpadas do convento de S. Francisco; Concretização do sonho com o futuro descendente; Desejo dos Franciscanos desde de 1624 da construção do Convento de Mafra.
  • 7. Resumo… Se a conceção da rainha ocorresse, seria vista como mais um milagre entre todos os outros relacionados à ordem de São Francisco. Diz-se, por exemplo, que o Frei Miguel da Anunciação, mesmo depois de morto, conservara o seu corpo intacto durante dias, atraindo, desde então, uma grande quantidade de devotos para a sua igreja. Outro caso, é o do furto de três lâmpadas de prata do Convento de S. Francisco de Xabregas no qual entraram ladrões passando junto ao altar de Santo António rico em prata, e nada roubaram. Entrando na igreja, os frades deram com ele às escuras, e verificaram que foram as lâmpadas que tinham sido levadas, ao observarem o local das lâmpadas repararam que as suas correntes abanavam tendo sido o roubou pouco tempo antes.
  • 8. O frade que tinha ido verificar o que se tinha passado, culpou Santo António por ter deixado passar alguém, sem que nada lhe tirasse, e ir roubar ao altar-mor, então este castigou Santo António, tendo tirado toda a sua prata, toalhas e adornos, a sua auréola e até o menino da cruz. Na manhã seguinte, bateu à porta do convento um estudante que revelou o local onde estavam as lâmpadas, no Mosteiro de Cotovia, dos padres da Companhia de Jesus. Desta forma, faz-nos desconfiar que o tal estudante, apesar de querer ser padre, tenha sido o autor do roubo e que, arrependido, deixara lá as lâmpadas, por não ter coragem de as devolver pessoalmente.
  • 9. Citações acerca dos tópicos: Sobre a “ Ainda é cedo para falar deste que se concretização do prepara, aliás milagre não tanto, mas sonho com o simples obséquio divino(…)qual há-de futuro ser o nascimento do infante na hora descendente própria(…)” “ Porém, era frei Miguel da Anunciação mesmo depois de morto pagou o mal com o bem, e se Milagres vivo fizera caridades, defunto obrava maravilhas, conseguidos pelos sendo a primeira desmentir os médicos que franciscanos: temiam se corrompesse o corpo aceleradamente história de Frei (…) passados três dias inteiros na igreja de Nossa Miguel da Senhora de Jesus onde esteve exposto, com Anunciação; suavíssimo cheiro, e não se lhe enrijeceu o cadáver, pelo contrário, brandamente os membros todos se deixavam mover, como se vivo estivesse”
  • 10. “ E vós, santo, só guardais a prata que vos toca e deixais levar a outra, pois em paga disso não vos há-de ficar nenhuma” Milagres conseguidos pelos franciscanos: história de Sto António(milagres e castigos); “Foi o caso que no convento de S. Francisco de Xabregas entraram gatunos, ou gatuno entrou, pela clarabóia de uma capela contígua com a de Santo António, e foi, ou foram, ao altar-mor, e as três lâmpadas que lá estavam se sumiram pelo mesmo caminho em menos de um credo”páginas 26 e 27 Roubo e recuperação das lâmpadas do convento de S. Francisco

Notas do Editor

  1. 6. Citações acerca dos tópicos: “ Ainda é cedo para falar deste que se prepara, aliás milagre não tanto, mas simples obséquio divino(…)qual há-de ser o nascimento do infante na hora própria(…)” página 23 Sobre a concretização do sonho com o futuro descendente “ Porém, era frei Miguel da Anunciação mesmo depois de morto pagou o mal com o bem, e se vivo fizera caridades, defunto obrava maravilhas, sendo a primeira desmentir os médicos que temiam se corrompesse o corpo aceleradamente (…) passados três dias inteiros na igreja de Nossa Senhora de Jesus onde esteve exposto, com suavíssimo cheiro, e não se lhe enrijeceu o cadáver, pelo contrário, brandamente os membros todos se deixavam mover, como se vivo estivesse”página 24 Milagres conseguidos pelos franciscanos: história de Frei Miguel da Anunciação;
  2. Nota: Clarabóia - é uma abertura no alto da capela que permite a entrada de luz ou a passagem de ventilação