Iluminismo

9.427 visualizações

Publicada em

Um mega resumo sobre as características desse pensamento reformador, além de questões cobradas pelos últimos vestibulares. Confira!

Publicada em: Educação
2 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.427
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
12
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
136
Comentários
2
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Iluminismo

  1. 1. Século XVIII – as ruas de Paris ficam tomadas por ambulantes vendendo panfletos que incitavam a população a desejar uma ordem social, política e econômica diferente.<br />Iluminismo<br />
  2. 2. Obra de Raymond Dumoux – O século das luzes<br />A panfletagem com ideias de uma nova sociedade<br />Uma sociedade ávida de mudanças e desejosa da queda do antigo regime (trevas)<br />Os filósofos e as suas ideias (luzes)<br />
  3. 3. Em 4 de julho de 1776, as treze colônias que vieram inicialmente a constituir os Estados Unidos da América (EUA) declaravam sua independência e justificavam a ruptura do Pacto Colonial. Em palavras profundamente subversivas para a época, afirmavam a igualdade dos homens e apregoavam como seus direitos inalienáveis: o direito à vida, à liberdade e à busca da felicidade. Afirmavam que o poder dos governantes, aos quais cabia a defesa daqueles direitos, derivava dos governados. Esses conceitos revolucionários que ecoavam o Iluminismo foram retomados com maior vigor e amplitude treze anos mais tarde, em 1789, na França. (Emília Viotti da Costa. Apresentação da coleção. In: Wladimir Pomar. Revolução Chinesa. São Paulo: UNESP, 2003 (com adaptações)). Considerando o texto acima, acerca da independência dos EUA e da Revolução Francesa, assinale a opção correta. (A) A independência dos EUA e a Revolução Francesa integravam o mesmo contexto histórico, mas se baseavam em princípios e ideais opostos. (B) O processo revolucionário francês identificou-se com o movimento de independência norte-americana no apoio ao absolutismo esclarecido. (C) Tanto nos EUA quanto na França, as teses iluministas sustentavam a luta pelo reconhecimento dos direitos considerados essenciais à dignidade humana. (D) Por ter sido pioneira, a Revolução Francesa exerceu forte influência no desencadeamento da independência norte-americana. (E) Ao romper o Pacto Colonial, a Revolução Francesa abriu o caminho para as independências das colônias ibéricas situadas na América.<br />Caiu no Enem em 2007:<br />
  4. 4. O iluminismo considerava digna uma vida voltada para o esclarecimento, que se obtém por meio da razão, abandonando-se o misticismo e a ignorância de outrora.<br />Resposta C<br />
  5. 5. Um jornalista de Berlim perguntou para Kant (1724-1804), filósofo alemão, o que significava esse tal de iluminismo que estava na boca do povo.<br /> Resposta de Kant:<br />“A saída do homem de sua minoridade, do qual é ele próprio o responsável. Minoridade, isto é, incapacidade de se servir do seu entendimento sem a direção de outrem (...) Tem a coragem de te servires do teu próprio entendimento. Eis aí a divisa do Iluminismo.”<br />Mas como definir esse tal de “iluminismo”?<br />
  6. 6. O movimento pretendia a laicização do mundo ocidental;<br /> tornar leigo, desvinculado<br /> das explicações religiosas.<br />A prevalência da razão sobre a religião;<br />O fim do absolutismo e a separação dos poderes;<br />A queda do antigo regime;<br />Ou seja...<br />
  7. 7. Cidadãos:<br /> O homem nasceu para a felicidade e para a liberdade, e em toda parte é escravo e infeliz. A sociedade tem por fim a conservação de seus direitos e a perfeição do seu ser, e por toda parte a sociedade o degrada e oprime. Chegou o tempo de chamá-la a seus verdadeiros destinos; os progressos da razão humana prepararam esta grande Revolução, e a vós especialmente é imposto o dever de acelerá-la. Para cumprir vossa missão, é necessário fazer precisamente o contrário do que existiu antes de vós.<br /> (Maximilien de Robespierre. Paris, 10 de maio de 1793.)<br />Maximiliende Robespierre foi um dos principais líderes da corrente jacobina da Revolução Francesa. Ao discursar na Convenção acerca dos fundamentos que deveriam orientar a elaboração da primeira Constituição Republicana na história do país, Robespierre aplicou princípios iluministas para defender a construção de uma nova ordem política e social.<br />a) Aponte uma medida adotada pelos jacobinos no contexto da radicalização do processo revolucionário francês (1792-1794).<br />b) Explique um princípio iluminista presente no documento.<br />Caiu na FVG em 2007<br />
  8. 8. a) Foram medidas adotadas pelos jacobinos no contexto da radicalização do processo revolucionário: a política do "terror"; a abolição dos escravos nas colônias; a "Lei do Máximo".<br />b) Para importantes pensadores iluministas, "a organização política da sociedade só é legítima quando defende os direitos do homem". Esse princípio iluminista está presente no discurso de Robespierre e deverá ser desenvolvido pelo candidato.<br />Resposta:<br />
  9. 9. O menino suspenso nas cordas recebe estímulos elétricos nos pés e assim, descobre-se que o corpo humano é um bom condutor. <br />As novidades que “colocaram pilha” no movimento...<br />
  10. 10. Lei da gravitação universal<br />Microscópio<br />Identificação dos vasos capilares e do trajeto da circulação sanguínea<br />Reconhecimento do princípio da vacina<br />Invenção da primeira máquina de calcular<br />Surgimento da Geologia, que apresentou uma nova teoria sobre o surgimento do mundo<br />Renascimento Iluminismo Revolução Industrial<br />
  11. 11. Os filósofos iluministas viveram sob o Antigo Regime, ou seja, quando havia uma monarquia absolutista, onde o rei, a nobreza e o clero acumulavam privilégios, enquanto a burguesia e os camponeses se esfolavam pagando impostos e sustentando o luxo da nobreza, isso tudo sem poder participar das decisões políticas do reino – e, se opunham radicalmente a esse cenário. O iluminismo foi, portanto uma tentativa de derrubar esse modelo de sociedade.<br />Na esfera econômica, os iluministas se opunham à intervenção do Estado na economia, pois acreditavam que a economia tem o poder de se autorregular através da lei da oferta e da procura.<br />As críticas...<br />
  12. 12. Charge ironizando a sociedade francesa do século XVIII<br />
  13. 13. Livraria Minerva, Viena- Venda de livros iluministas<br />
  14. 14. John Locke – (1632-1704)<br />Esse filósofo inglês é considerado o “pai do iluminismo”. Na esfera política, condenava o absolutismo e o direito divino dos reis, sendo favorável à liberdade dos cidadãos, à tolerância religiosa, à propriedade privada e à livre- iniciativa econômica.<br />“Sendo os homens, (...) por natureza, todos livres, iguais e independentes, ninguém pode ser expulso de sua propriedade e submetido ao poder político de outrem sem dar consentimento. (...)”<br />Locke, John. Segundo tratado sobre o governo. In: Locke. São Paulo, Abril, 1978. p. 43.<br />Os pensadores...<br />
  15. 15. François- Marie Arouet – Voltaire <br />Além de filósofo, foi também dramaturgo. Voltaire era um pseudônimo. Tornou-se um dos mais conhecidos pensadores do iluminismo, já que se mostrava bastante radical contra o clero católico e sua intolerância religiosa, assim como o poder absoluto dos reis. <br />“Para se ter alguma autoridade sobre os homens, é preciso distinguir-se deles. É por isso que os magistrados e os padres têm gorros quadrados.”<br />
  16. 16. Charles de Secondat Montesquieu <br />Foi um jurista cuja maior contribuição aos novos tempos que estavam por vir, foi a sugestão da separação do poder real em três poderes independentes: executivo, legislativo e judiciário. <br />Os burgueses consideraram bastante sensata e lógica sua teoria, razão pela qual até hoje, a maior parte dos gvernosdemocráticos, adota essa separação de poderes em suas constituições.<br />“Quando os poderes Legislativo e Executivo ficam reunidos na mesma pessoa ou instituição do estado, a liberdade desaparece (...).”<br />Montesquieu. O espírito das leis. São Paulo, Martins Fontes, 1996. p.168<br />
  17. 17. Jean Jacques Rousseau<br />Maior defensor da pequena burguesia - comerciantes, artesãos, etc.- sendo contrário à propriedade privada. Além disso, acreditava que o rei deveria agir de acordo com a vontade e a necessidade dos cidadãos, sendo assim um grande defensor da democracia.<br />“O verdadeiro fundador da sociedade civil foi o primeiro que, tendo cercado um terreno, disse isto é meu e encontrou pessoas suficientemente simples para respeitá-lo. Quantos crimes, guerras, assassinatos, misérias e horrores teria evitado à humanidade aquele que, arrancando as estacas desta cerca (...), tivesse gritado: Não escutem esse impostor pois os frutos são de todos e a terra é de ninguém.”<br />Rousseau, Jean-Jacques. Discurso sobre a origem e os fundamentos da desigualdade entre os homens. In: Rousseau . São Paulo, Abril, 1978. p. 259.<br />
  18. 18. Objetivando tornar o homem mais instruído, um grupo de filósofos, organizados por Denis Diderot e Jean D’Alembert, publicou a primeira enciclopédia da história, composta por 35 volumes e que levou cerca de vinte e um anos para ser concluída. <br />A ideia era reunir em uma só obra, todo o conhecimento produzido pela humanidade. Além dos filósofos mais ilustres da época terem contribuído, muitos artesãos também o fizeram, fornecendo informações sobre técnicas e equipamentos.<br />Em várias ocasiões, a Enciclopédia foi censurada. O rei da França, por exemplo, considerava tantas informações perigosas à segurança nacional.<br />Em uma época em que poucos sabiam ler, a Enciclopédia foi um sucesso de vendas: contou com um investimento inicial de 70 mil libras e um lucro de 2,5 milhões!<br />Marco do Iluminismo: a Enciclopédia<br />
  19. 19.
  20. 20. "Todavia, o recurso ao STF é um procedimento legítimo que não vem a interferir, mas a reforçar o equilíbrio entre os poderes. <br /> Ao contrário do que afirmam os deputados, independência não é sinônimo de autonomia plena, mas de inter-relação e controle mútuo." <br /> ("Folha de S. Paulo", Editorial, 02.Nov.2005)<br />O texto nos lembra, mais especificamente:<br />a) Diderot.<br />b) Voltaire.<br />c) Montesquieu.<br />d) Hobbes.<br />e) Rousseau.<br />Caiu na Pucpr em 2006:<br />
  21. 21. Com o objetivo de modernizar seus reinados, alguns monarcas procuram se orientar nas ideias iluministas. <br />Esta aliança de princípios filosóficos e poder real deu origem ao que chamamos de despotismo esclarecido.<br />Os reis que se destacaram nesse contexto foram: Frederico II, da Prússia; Catarina II, da Rússia; José II, da Áustria, entre outros.<br />Frederico II, discípulo de Voltaire, implementou as seguintes ideias iluministas em seu governo:<br />- liberdade de religião ao seu povo;<br />- educação básica e gratuita à toda população;<br />- fim da tortura e organização de um novo código de leis;<br />- liberdade de expressão, mas com submissão ao rei.<br />No entanto, muitos déspotas esclarecidos colocaram em prática somente as ideias que achavam conveniente à estabilidade do próprio governo, não governando em benefício da maioria da população. Em função disso, muitas revoluções viriam acontecer. Mas isso é uma história para a próxima unidade.<br />É possível um déspota ser esclarecido?<br />
  22. 22. Os pensadores iluministas teorizavam, debatiam e concluíam que somente a partir do uso da razão, os homens atingiriam o progresso político, social, material etc."Para a maior parte dos filósofos iluministas à mulher faltava a razão ou, na melhor das hipóteses, possuíam um raciocínio inferior.Segundo eles, não existem mulheres capazes de invenção, elas estão excluídas da genialidade, ainda que possam ter acesso e algum sucesso no campo da literatura e em certas ciências menores.Essa incapacidade é baseada numa psicologia "natural”. A mulher é um ser da paixão e da imaginação, não do conceito.Rousseau até acreditava que a mulher não fosse totalmente desprovida de razão, mas essa faculdade é, na mulher, mais simples e elementar do que nos homens e devem cultiva-la apenas para assegurar o cumprimento de seus deveres naturais (obedecer ao marido, ser-lhe fiel, cuidar da casa e dos filhos etc.).Segundo Rousseau, a mulher mantém-se perpetuamente na infância; ela é incapaz de ver tudo que é exterior ao mundo fechado da domesticidade que a natureza lhe legou, e daí resulta que ela não pode praticar as "ciências exatas".A única ciência, para além dos seus deveres domésticos, que ela deve conhecer é a dos homens que a rodeiam e, essencialmente, a do seu marido, e que é baseada no sentimento.O mundo doméstico – afirma Rousseau – é o livro das mulheres, e não há necessidade de qualquer outra leitura. A incapacidade de raciocinar como o homem gera na mulher a impossibilidade de compreenderem assuntos de ordem religiosa: é por essa razão que a filha deve ter a religião do pai e toda a mulher a do seu marido. A procura das verdades abstratas e especulativas, os estudos filosóficos e matemáticos não estão ao alcance do raciocínio das mulheres. Os seus estudos devem estar relacionados á prática; a elas cabe aplicar as soluções e propostas que o homem, com sua mente privilegiada, descobriu.Uma das preocupações do "século das luzes" é pensar a diferença feminina, diferença sempre marcada pela inferioridade. Trata-se de conferir ás mulheres apenas papéis sociais: esposa, mãe, dona de casa.....É por essa função doméstica que a mulher pode, de algum modo, ser cidadã.Mas cidadã sem a competência para se envolver em política, cuja análise só poderia estar ao alcance dos homens. Podemos dizer que a ideologia mais representativa do século XVIII consiste em considerar que o homem é a causa final da mulher.<br />Os limites do iluminismo:<br />
  23. 23. - o culto ao progresso;<br />- o apego à razão;<br />- a liberdade;<br />- valorização da ciência;<br />As heranças...<br />

×