Fundamentos do transporte

3.412 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.412
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
120
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fundamentos do transporte

  1. 1. FUNDAMENTOS DO TRANSPORTE TRANSPORTE significa... O movimento do produto de um local a outro, partindo do início da cadeia de suprimentos e chegando até o cliente. O TRANSPORTE exerce um papel crucial em toda a cadeia de suprimentos porque...... Os produtos raramente são fabricados e consumidos no mesmo local. O SUCESSO DE QUALQUER CADEIA DE SUPRIMENTOS ESTÁ ESTRITAMENTE LIGADO À BOA UTILIZAÇÃO DO TRANSPORTE. FABRICA TRANSPORTE DISTRIBUIDOR TRANSPORTE VAREJISTA CONSUMIDOR TRANSPORTE
  2. 2. FUNDAMENTOS DO TRANSPORTE A atividade de transporte no ano 2000 correspondeu a uma fatia de 3,28% do PIB ou seja R$ 36 bilhões; Estima-se que o transporte de cargas foi responsável por R$ 23,74 bilhões ou seja 65,94%; O cenário brasileiro na área de infra- estrutura de transporte de cargas é e será um grande entrave ao crescimento econômico do Brasil; A infra-estrutura do sistema de transporte de carga brasileiro, tal como se encontra hoje, acarreta perda de competitividade e, portanto, elevação do Custo Brasil. Qual é o Mapa da Rede Multimodal de transporte ??? RODOVIÁRIO – AEROVIÁRIO – FERROVIÁRIO – AQUAVIÁRIO - DUTOVIÁRO
  3. 3. FUNDAMENTOS DO TRANSPORTE A revista Exame de novembro de 2006 (Anuário Exame de Infra Estrutura) traz um perfil com relação a infra-estrutura de transporte Aeroportos: Internacionais: 31 Domésticos: 36 1.360.139 toneladas de carga transportada Ferrovias: Malha Pública: 28.225 km Malha Privada: 1.262 km 388.858.500 toneladas de carga transportada Hidrovias: Rios Navegáveis: 42.000 km Utilizáveis: 10.000 km 25.293.021 toneladas de carga transportada Portos: Públicos: 37 Privados: 3 620.720.545 toneladas de carga transportada 3.207.330 TEUs Rodovias (Extensão): Não Pavimentadas: 1.555.768 km Pavimentadas: 196.094 km (1,26%)
  4. 4. MODAIS NO BRASIL E NO MUNDO A cadeia Logística brasileira está baseada em uma matriz de transporte (ferroviário, rodoviário, hidroviário, aéreo e dutoviário) e é totalmente distorcida na utilização dos modais que a integram.
  5. 5. FATORES DE DESEMPENHO Seis fatores são fundamentais para o desempenho do transporte: Custo; Velocidade; Consistência; Capacitação; Disponibilidade; Freqüência. CUSTO: O custo de transporte é o pagamento pela movimentação entre dois pontos geográficos e as despesas relacionadas com o gerenciamento e a manutenção de estoque em trânsito; A função da logística é o de utilizar o transporte que apresente menor custo e satisfaça as necessidades do cliente; Entretanto o transporte mais barato nem sempre resulta no custo total mais baixo de movimentação física.
  6. 6. FATORES DE DESEMPENHO VELOCIDADE: É o tempo necessário para completar uma movimentação específica; A velocidade e o custo do transporte relacionam-se de duas maneiras. Um serviço mais rápido normalmente cobram taxas mais altas. Quanto mais rápido for o serviço de transporte, mais curto será o intervalo de tempo durante o qual o estoque ficará em trânsito e indisponível; Um aspecto crítico no processo de seleção do modal de transporte mais indicado é o equilíbrio entre a velocidade e o custo do serviço.
  7. 7. FATORES DE DESEMPENHO CONSISTÊNCIA: Representa a capacidade de cumprir os tempos previstos; A consistência é um reflexo da confiabilidade do transporte. Se uma movimentação específica levar dois dias na primeira vez e seis dias na vez seguinte, essa variação cria sérios problemas na operação logística. Sem consistência no transporte, será necessária a formação de maiores estoques de segurança como medida de proteção contra atrasos. Toda a logística pode ser inviabilizada se o serviço de entrega for esporádico e inconsistente
  8. 8. FATORES DE DESEMPENHO CAPACITAÇÃO: Está relacionada à possibilidade de um determinado modal trabalhar com diferentes volumes e variedades de produtos; Nesta dimensão o destaque é o modal aquaviário, que praticamente não tem limites sobre o tipo de produto que pode transportar, assim como do volume, que pode atingir centenas de milhares de toneladas. DISPONIBILIDADE: Refere-se ao número de localidades onde o modal se encontra presente; Nesta dimensão vantagem ampla e incontestável do modal rodoviário. FREQUÊNCIA: Ou seja o número de vezes em que o modal pode ser utilizado em dado horizonte de tempo.
  9. 9. FATORES DE DESEMPENHO Dutoviário Aquaviário Ferroviário Rodoviário Aeroviário Velocidade Consistência Capacitação Disponibilidade Frequência Total MODAL RODOVIÁRIO O Brasil possui 1,7 milhões de km de estrada e deste total somente 173 mil km estão asfaltadas; Uma avaliação feita pelo CNT em 2004 ao avaliar 74.681 km de estradas conclui que o estado geral de conservação sinalização e pavimentação das rodovias é deficiente, ruim ou péssima em 74,7 % ou seja 55.786 km; Envelhecimento da nossa frota. Idade média de 18 anos e 67% têm mais de 10 anos de idade. O Transporte Rodoviário de Carga no Brasil tem: 669.979 -> Autônomos (84,5 %) 121.982 -> Empresas de Transporte (14,4%) 591 -> Cooperativas (0,1%)
  10. 10. MODAL RODOVIÁRIO No Brasil as concessões rodoviárias, foram iniciadas em 1996. Desde a privatização até 2005, as operadoras aplicaram 10,5 bilhões de reais em reforma, ampliação e manutenção de 10.000 quilômetros de estradas. Hoje, 19 das 20 melhores rodovias brasileiras estão sob administração privada
  11. 11. MODAL RODOVIÁRIO Vantagens: Maior disponibilidade de vias de acesso; Possibilita o serviço de porta a porta; Adequado para curtas e médias distâncias; Maior rapidez na entrega; Favorece o embarque de pequenos lotes. Desvantagens: Menor capacidade de carga dentre todos os modais; Menos competitivo em longas distâncias; Maior risco de roubo e avarias. MODAL FERROVIÁRIO Com investimentos de 9,5 bilhões de reais de 1997 a 2005, as concessionárias mudaram a fisionomia das ferrovias brasileiras. Antes do arrendamento, o sistema gerava perdas diárias de US$ 1 milhão.
  12. 12. MODAL FERROVIÁRIO Em 2005, as empresas aplicaram 3,1 bilhões de reais em melhorias operacionais, locomotivas e vagões, novas tecnologias de controle de tráfego e treinamento de funcionários. Os resultados são eloqüentes: o volume de carga aumentou 55%, a produção (medida em TKU, o transporte de 1 tonelada à distância de 1 quilômetro) cresceu 62% e o índice de acidentes caiu 56% nas 11 concessões ferroviárias apesar de coexistir bitolas de 1.000, 1.435 e 1.600 mm Enquanto nos EUA a velocidade média de percurso (km/hora) é de 35,5 km/h no Brasil é de 23 km/h
  13. 13. MODAL FERROVIÁRIO Vantagens: Adequado para longas distâncias e grandes quantidades de carga; Menor custo no trajeto; Baixo consumo energético; Menor custo de infra-estrutura; Adaptação Rodo-Ferrovíario; Provê estoques em trânsito. Desvantagens: Diferença na largura de bitolas; Tempo de deslocamento longo; Menor flexibilidade no trajeto; Custos elevados quando da necessidade de transbordo.
  14. 14. MODAL AQUAVIARIO – CABOTAGEM E HIDROVIÁRIO MODAL AQUAVIÁRIO - CABOTAGEM A via marítima é o principal meio de transporte do comércio exterior brasileiro e do mundo; A navegação de longo curso, que realiza viagens internacionais, é responsável por 70% da carga transportada; A Cabotagem ( que faz a navegação entre portos brasileiros ) está voltando a ser uma nova realidade, em função dos menores custos; Vantagens: Maior capacidade de carga; Elevada economia de escala para grandes lotes em longas distâncias; Maior flexibilidade aos vários tipos de carga Altíssima efeciência energético; Desvantagens: Distância dos centros produtivos; Lentidão e necessidade de transbordo em outros portos; Pouco divulgado.
  15. 15. MODAL AQUAVIARIO – CABOTAGEM
  16. 16. MODAL AQUAVIARIO - HIDROVIÁRIO O número de terminais: EUA – 1.200 Brasil – 64 (estimado) Quantidade Movimentada ( milhões de toneladas): EUA – Somente o Rio Mississipi – 472 Brasil - 25 Apesar do enorme potencial de rios navegáveis, o país ainda investe pouco no sistema hidroviário. O principal entrave são as ações na Justiça envolvendo organizações ambientalistas, o Ministério Público e as administradoras regionais. As disputas judiciais giram em torno do impacto do transporte hidroviário no meio ambiente. Em 2005,o governo investiu 30 milhões de reais nas hidrovias. O Ministério do Transporte estima que sejam necessários de 50 a 60 milhões de reais anuais para a manutenção do sistema. Já alguns especialistas afirmam que a manutenção e e ampliação exigiriam investimentos de 150 milhões de reais por ano. Dos 42 mil km de rios navegáveis no país, 28 mil km são usados e destes apenas 10 mil são efetivamente utilizados;
  17. 17. MODAL AQUAVIARIO - HIDROVIÁRIO Vantagens: Elevada capacidade de transporte, por meio de rebocadores e empurradores; Fretes mais baratos que nos modais ferroviário (50%) e rodoviário (80%); Disponibilidade ilimitada; Favorece o uso da intermodalidade e da multimodalidade Desvantagens: Baixa velocidade; Capacidade variável em função do nível das águas; Rotas fixas; Necessidade de elevados investimentos.
  18. 18. MODAL AÉREO O mais rápido e mais caro modal; Quando há um aumento de exportação o que gera um falta de navios e containers, aumenta o transporte aerovíario de cargo Vantagens: Velocidade, eficiência e confiabilidade; Manuseio altamente mecanizado; Riscos mínimos de roubos e avarias; Atinge regiões inacessíveis a outros modais. Desvantagens: Menor capacidade em peso e volume; O frete mais caro dentre todos os modais; Forte restrição a inúmeros tipos de carga. MODAL DUTOVIÁRIO É o transporte de granéis líquidos e sólidos por gravidade ou pressão mecânica por meio de dutos adequadamente projetados para a finalidade que se destinam; Os dutos podem ser divididos em 3 categorias principais: Dutos: Para transporte de produtos líquidos; Minerodutos: Para transporte de minérios; Gasodutos: Para transporte de gases.
  19. 19. INTERMODAL e MULTIMODAL Qual a diferença entre transporte Intermodal e Multimodal? A multimodalidade e a intermodalidade são operações que se realizam pela utilização de mais de um modal de transporte. Isto quer dizer transportar uma mercadoria do seu ponto de origem até a entrega no destino final por modalidades diferentes. A intermodalidade caracteriza-se pela emissão individual de documento de transporte para cada modal, bem como pela divisão de responsabilidade entre os transportadores. Na multimodalidade, ao contrário, existe a emissão de apenas um documento de transporte, cobrindo o trajeto total da carga, do seu ponto de origem até o ponto de destino. Este documento é emitido pelo OTM, que também toma para si a responsabilidade total pela carga sob sua custodia.

×