Métodos contracetivos

711 visualizações

Publicada em

A contraceção - Diana Quental - 8ºC

Publicada em: Educação
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
711
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Métodos contracetivos

  1. 1. Métodos contracetivos Imagem 1: ginecologista
  2. 2.  O que são os métodos contracetivos e como funcionam?  Os métodos contracetivos são utilizados por pessoas que têm vida sexual ativa e querem evitar uma gravidez. É essencial o conhecimento de seu funcionamento, a sua eficácia, vantagens e desvantagens. O desconhecimento desses fatores leva ao seu uso inadequado, com o risco de uma gravidez indesejada. É importante que se tenha em mente que antes de optar por um método contracetivo, é recomendável que se consulte um ginecologista, que irá dizer-lhe qual é o método ideal para o seu caso, já que nem todas as mulheres podem usar todos os métodos disponíveis.
  3. 3.  Dentro dos métodos contracetivos há os que são reversíveis e os que são irreversíveis. Os reversíveis, ou temporários, são aqueles que ao deixarem de ser utilizados, permitirão uma gravidez. Os métodos irreversíveis, ou definitivos, são aqueles que exigem uma intervenção cirúrgica.  Os métodos contracetivos são classificados em cinco grupos: • Métodos comportamentais; Estes métodos evitam a gravidez impedindo o encontro do espermatozoide com o óvulo.  Exemplos: - Tabelinha; - Temperatura basal; - Muco cervical; - Coito interrompido.
  4. 4.  Métodos de barreira: Os métodos de barreira impõem um obstáculo para dificultar ou impedir o movimento dos espermatozoides em direção ao trato reprodutivo feminino. São assim denominados aqueles que evitam a gravidez através do impedimento da ascensão dos espermatozoides ao útero.  Exemplos: -Preservativo; - Diafragma; - Esponjas; - Espermicidas;
  5. 5.  Dispositivo intrauterino (DIU)  Contraceção cirúrgica: Os métodos cirúrgicos ou de esterilização voluntária visam bloquear os canais que, no homem ou na mulher, são responsáveis pelo contacto entre o esperma e o óvulo permitindo a ocorrência de uma gravidez. Como se tratam de métodos potencialmente irreversíveis, estão indicados apenas para quem está seguro da decisão de não querer ter mais filhos. De acordo com a legislação portuguesa, a esterilização voluntária só pode ser feita por maiores de 25 anos.
  6. 6.  Contraceção hormonal: Existem vários tipos de contraceção, sendo que a hormonal será a mais adequada para mulheres jovens que querem viver a sua sexualidade, sem o risco de uma gravidez não desejada. É eficaz, segura e reversível. Exemplos: - Contracetivos orais; - Contracetivos injetáveis; - Implantes; - Anel vaginal; - Adesivos cutâneos; - Contraceção de emergência (pílula do dia seguinte);
  7. 7. Imagem 1: Preservativo masculino e comprimidos Pílula
  8. 8. O que é: A tabelinha consiste num cálculo estimado de quando será o período fértil da mulher. Normalmente, estima-se que esse período seja entre o 12º e o 15º dia do ciclo. A conta é feita a partir do primeiro dia da menstruação. Como funciona: No período fértil, deve evitar relações sexuais. Vantagens: Não usa medicamentos. Desvantagens: Só funciona com quem tem o ciclo menstrual regular e, mesmo assim, não é muito indicado porque, mesmo que os dias sejam marcados com perfeição, é muito difícil ter a certeza de que aqueles são os dias férteis da mulher. Portanto, a taxa de erro é alta. Principais métodos contracetivos Tabelinha
  9. 9. Imagem 3: Tabelinha
  10. 10. O que é e como funciona: O coito interrompido é quando o homem ejacula para fora da vagina da mulher. Vantagens: Não usa medicamentos. Desvantagens: O ato é considerado um método contracetivo, mas com eficácia duvidosa. Se homem retarda um segundo e deixa escapar um pouco de sêmen, o risco de gravidez é eminente. Sem dúvida não é um método recomendável. Principais métodos contracetivos Coito interrompido
  11. 11. O que é: É um revestimento de borracha fina, que é colocado no pénis quando o mesmo está enrijecido. Como funciona: Ela não permite que o esperma entre em contato com a vagina e também impede que microrganismos causadores das DSTs 1 sejam transmitidos. Modo de usar: É desenrolado sobre o pénis. Vantagens: Não apresentam os efeitos colaterais comuns aos métodos hormonais, dispensa manutenção diária já que é utilizado no momento da relação sexual e previne DSTs (por ex. SIDA 2). Além disso, ajuda a prolongar o tempo de ejaculação. 1 As doenças sexualmente transmissíveis (DST) são transmitidas, principalmente, por contato sexual sem o uso de preservativo com uma pessoa que esteja infetada, sendo que algumas delas manifestam-se por meio de feridas, corrimentos, bolhas ou verrugas. 2 A SIDA é uma doença causada pelo vírus HIV, que ataca as células responsáveis pela defesa do organismo, deixando a pessoa mais vulnerável a doenças oportunistas. A SIDA não tem cura, mas tem tratamento. Se a pessoa passar por alguma situação de risco (relações sexuais sem preservativo, uso de uma seringa contaminada, transmissão vertical) recomenda-se fazer o teste do HIV. Principais métodos contracetivos Preservativo masculino
  12. 12. Desvantagens: Sensibilidade masculina reduzida. Efeitos colaterais: Alergia ao látex, que pode provocar vermelhidão ou inchaço. Imagens 4 e 5 :Preservativo masculino Principais métodos contracetivos Preservativo masculino
  13. 13. O que é: É uma bolsa de plástico leve, que se adapta à vagina e protege o colo do útero e a vagina. Como funciona: Não permite que o esperma entre em contato com a vagina e também impede que microrganismos causadores das DSTs sejam transmitidos de um parceiro para outro. Modo de usar: O preservativo possui um anel leve e flexível em cada extremidade. A parte fechada do preservativo feminino é inserida até o fundo da vagina. O anel aberto permanece do lado de fora. Vantagens: Pode ser colocada até oito horas antes da relação sexual, impede a transmissão de doenças sexuais e a mulher não tem os efeitos colaterais dos métodos hormonais. Desvantagens: Difícil adaptação, diminuição do prazer, inapropriado para algumas posições sexuais. Além de ser pouco prática. Efeitos colaterais: Alergia ao produto Principais métodos contracetivos Preservativo feminino
  14. 14. Imagens 6e 7: Preservativo feminino
  15. 15. O que é: O diafragma é uma membrana de borracha que serve como uma espécie de tampa dentro do colo do útero. Como funciona: Impede que o espermatozoide progrida para as trompas. Modo de usar: A mulher vai precisar da ajuda do ginecologista para o médico medir o tamanho certo para a cavidade uterina da paciente e indicar o diafragma correto, que permita que a mulher se movimente sem que o contracetivo saia do lugar. Para usar o diafragma, o ideal é que a mulher aplique no contracetivo uma pomada ginecológica com espermicida. Depois, ela encaixa-o na cavidade uterina até seis horas antes da relação sexual e só é retirado 24 horas depois. Vantagens: Segura o fluxo menstrual quando usado durante a menstruação, oferece relativa proteção contra algumas DSTs, pode ser inserido até seis horas antes do ato sexual, é reutilizável e dura cerca de cinco anos. A reversibilidade para engravidar é imediata. Principais métodos contracetivos Diafragma
  16. 16. Desvantagens: Necessita de exame pélvico para determinar o tamanho adequado, pode ser difícil removê-lo e exige manutenção – precisa de ser lavado com água e sabão neutro e guardado dentro de um estojo próprio. Para o ginecologista, além de não ser um método prático, a margem de erro do diafragma é muito alta. O risco é grande e torna-se maior ainda quando a paciente usa o dispositivo de maneira errada e nem percebe. Efeitos colaterais: O espermicida pode causar irritação. A mulher pode ainda apresentar dor pélvica, cólicas ou retenção urinária. Principais métodos contracetivos Diafragma
  17. 17. Imagens 8 e 9: Diafragma
  18. 18. O que é: É um produto químico em forma de creme, espuma, pomada, ou supositórios. Como funciona: Causa a ruptura da membrana celular do espermatozoide, que afeta a mobilidade e a habilidade de fertilizar o óvulo. Por outras palavras, mata o espermatozoide. Modo de usar: Deve ser colocado cerca de 10 minutos antes da relação. Vantagens: Prático e aumenta a lubrificação vaginal. Desvantagens: A sua ação só dura uma hora, não previne contra DSTs e aumenta o risco de infeções. Efeitos colaterais: Úlceras e erosões genitais, queimaduras, especialmente se usado várias vezes ao dia. Alergia no local e lubrificação excessiva. Principais métodos contracetivos Espermicida
  19. 19. Imagens 10 e 11: Espermicida
  20. 20. O que é: É um anticoncecional com a forma de adesivo, com aproximadamente quatro centímetros de largura e altura, que deve ser colado na pele (braços, nádegas). Como funciona: O adesivo liberta aos poucos no organismo da mulher as hormonas que evitam a ovulação e dificultam a penetração dos espermatozoides no óvulo. Modo de usar: A mulher deve colar o adesivo sobre a pele e deixar durante sete dias. No oitavo, deve removê-lo e aplicar outro imediatamente. O adesivo deve ser utilizado durante 21 dias seguidos. Depois, é recomendável descansar uma semana e voltar a usá-lo. Principais métodos contracetivos Adesivo contracetivo
  21. 21. Vantagens: Não é necessário ingerir um medicamento todos os dias, como no caso da pílula. Desvantagens: Não pode ser utilizado por mulheres que pesam mais de 90kg porque, segundo estudos, a frequência de gravidez aumenta. Além disso, não previnem contra DSTs. Mas o maior problema está relacionado à cola do adesivo, já que ele só será trocado a cada sete dias. Se você toma um banho muito quente ou sua muito, o adesivo pode descolar. Efeitos colaterais: Dor de cabeça, náuseas e reação alérgica ao adesivo. Principais métodos contracetivos Adesivo contracetivo
  22. 22. Imagens 12 e 13: Adesivo Contracetivo
  23. 23. O que é: É um anel de plástico flexível e transparente, com diâmetro externo de 54 mm e espessura de 4 mm. Como funciona: Diariamente, o anel liberta uma quantidade de hormonas que impede a contraceção. Modo de usar: Cada anel é destinado a um ciclo de uso (que são três semanas de utilização), seguidas de uma semana sem o anel. É inserido pela própria mulher, como se fosse um absorvente interno. Principais métodos contracetivos Anel contracetivo
  24. 24. Vantagens: Diminui o fluxo menstrual, a frequência de cólicas, a incidência de efeitos colaterais é baixa e dispensa a ingestão oral diária. Desvantagens: A desvantagem do método é a mesma da pílula que combina dois hormônios: a contraindicação para algumas pacientes, como mulheres acima de 35 anos fumadoras. Além disso, para as mulheres que não querem ter a obrigação diária de ingerir o comprimido. Efeitos colaterais: Dor de cabeça, vaginite e dor abdominal. Principais métodos contracetivos Anel contracetivo
  25. 25. Imagens 14 e 15: Anel contracetivo
  26. 26. O que é: Existem dois tipos de DIU: o de cobre e o medicado. Os DIUs medicados e os de cobre têm durabilidades diferentes. O que é feito de cobre dura até 10 anos. Já o medicado pode ficar no corpo da mulher por cerca de cinco anos. Como funciona: Quando o dispositivo está instalado na cavidade uterina, ele dificulta a passagem do espermatozoide, altera as condições do endométrio (parede do útero que segura o embrião fecundado) e também age nas trompas. Como é aplicado: O DIU precisa ser colocado dentro da vagina por um ginecologista. Mas, antes disso, o médico vai analisar a paciente e fazer um exame ao útero. Somente depois de ver se a cavidade uterina está em perfeitas condições é que é feita a colocação. Vantagens: Longa duração, de fácil reversão e a mulher pode engravidar imediatamente após a retirada. Não diminui o prazer e não ocasiona os efeitos colaterais dos hormonais. Principais métodos contracetivos Dispositivo Intrauterino - DIU
  27. 27. Desvantagens: Requer pequeno procedimento para a remoção do dispositivo e pode deslocar-se e sair do útero. Uma das maiores contraindicações do DIU é o risco de infeção. Se houver algum deslize na colocação do dispositivo e isso gerar um processo infecioso, as trompas podem ser prejudicadas e a paciente tem o risco de enfrentar problemas de fertilidade. O dispositivo pode provocar um aumento na intensidade das cólicas e do volume menstrual e não previne contra DSTs. Efeitos colaterais: Alteração do fluxo menstrual e cólicas. Principais métodos contracetivos Dispositivo Intrauterino - DIU
  28. 28. Imagens 16 e 17: DIU (Dispositivo Intrauterino)
  29. 29. O que é: É um pequeno bastonete, de 4cm de comprimento e 2mm de diâmetro, que é inserido debaixo da pele. Como funciona: A haste contém hormonas, que são libertadas lentamente. Com isso, a mulher para de ovular e inibe a penetração dos espermatozoides. Modo de usar: O implante é colocado sob a pele na parte superior do braço. O procedimento só pode ser feito por um ginecologista. Vantagens: Para quem quer diminuir o tempo de menstruação é ideal. Reduz a tensão pré-menstrual e tem validade de três anos. Desvantagens: Não previne contra DSTs. Efeitos colaterais: Falta de menstruação, tonturas e náuseas. Principais métodos contracetivos Implante
  30. 30. Imagens 18 e 19: Implante
  31. 31. O que é: A laqueação de trompas, é uma cirurgia que impede o encontro do espermatozoide com o óvulo, rompendo as trompas de Falópio. É nelas que os materiais genéticos masculino e feminino se encontram. Como funciona: Com a obstrução nas trompas, o espermatozoide é impedido de chegar ao óvulo. Vantagens: Não apresenta efeitos colaterais a longo prazo, protege contra o cancro de ovário e reduz o risco de doença inflamatória pélvica. Desvantagens: É permanente e pode causar arrependimento, pois, a cirurgia de reversão é complexa e cara. Além disso, não protege contra DSTs. Efeitos colaterais: Dor nos primeiros dias, decorrente do procedimento cirúrgico. Principais métodos contracetivos Laqueação de trompas
  32. 32. O que é: É um método de contraceção feminino, à base de comprimidos. Como funciona: Inibe a ovulação, torna o muco cervical espesso, dificultando a passagem dos espermatozoides. Modo de usar: O contracetivo pode ser administrado de três diferentes formas: a mulher faz uma pausa de sete dias e continua o tratamento, quando a pausa é de quatro dias e a de uso contínuo. Para que a pílula faça efeito, a paciente tem que administrá-la da maneira correta, diariamente e de preferência, no mesmo horário. Vantagens: Regula o ciclo menstrual, previne anemia e reduz a incidência de cancro de ovário, doenças mamárias. Também pode ser importante no combate ao acne. Desvantagens: Requer motivação e uso diário, já que o esquecimento aumenta o índice de falha. Pode postergar o retorno à fertilidade e não protege contra DSTs. Principais métodos contracetivos Pílula contracetiva
  33. 33. Efeitos colaterais: Náuseas, dor de cabeça leve, sensibilidade mamária, leve ganho de peso e alteração de humor. Imagem 20 : Pílula Principais métodos contracetivos Pílula contracetiva
  34. 34. O que é: É uma injeção de hormonas que pode ser feita mensalmente ou trimestralmente, dependendo da formulação. As hormonas utilizadas são parecidas com as da pílula. Como funciona: Da mesma maneira que a pílula. Modo de usar: As hormonas em forma líquida são injetadas via intramuscular nas nádegas com o auxílio de uma injeção. Vantagens: A principal característica desse método é a que não há a necessidade de participação ativa da paciente. É só tomar a injeção mensal ou trimestralmente. Desvantagens: Sangramento irregular (excessivo ou escasso) em alguns casos, demora para a fertilidade voltar, não previne contra DSTs e precisa de ser aplicado numa farmácia. Principais métodos contracetivos Injeção contracetiva
  35. 35.  Efeitos colaterais: Ganho de peso. Outro problema que o contracetivo pode gerar é uma infertilidade temporária, cuja duração não é possível precisar.  Imagem 21 : Injeção contracetiva Principais métodos contracetivos Injeção contracetiva
  36. 36. O que é: O preservativo rompeu-se? Esqueceu-se da pílula? Não utilizou outro método contracetivo? O melhor é recorrer à pílula do dia seguinte. Como funciona: Ela dificulta a mobilidade do óvulo e dos espermatozoides nas trompas e deixa a parede que reveste o útero mais hostil à fixação dos mesmos. Modo de usar: Deve ser usada até 72 horas depois. Vantagens: É um último recurso para quem não quer engravidar sem proteção. Desvantagens: O uso rotineiro dessa pílula pode causar irregularidade no ciclo menstrual, eficácia diminuída e ocasionar problemas vasculares. Efeitos colaterais: Náuseas, dor de cabeça leve, sensibilidade mamária, leve ganho de peso e alteração de humor. Principais métodos contracetivos Pílula do dia seguinte
  37. 37. Imagens 22 e 23: Pilula do dia seguinte
  38. 38. Bibliografia  http://www.brasilescola.com/biologia/anticoncepcionais.htm  http://www.infoescola.com/sexualidade/metodos-anticoncepcionais/  http://www.terra.com.br/saude/infograficos/contraceptivos/  http://www.aids.gov.br/pagina/o-que-sao-dst  http://ateneulondrina.com.br/wp-content/uploads/2011/03/contraceptivo-1.jpg  http://revistavivasaude.uol.com.br/upload/imagens_upload/consulta_com_ginecologista.jpg  http://cdn2.mamaeonline.com.br/wp-content/uploads/2013/03/tabelinha1.jpg  http://www.dormenao.com/wp-content/uploads/2013/11/camisinha-masculina-1.jpg  http://www.hiperativo.com/wp-content/uploads/2012/08/Camisinha-masculina.jpg  http://www.saudecuidados.com.br/wp-content/uploads/2013/09/anel-contraceptivo-vantagens-e- desvantagens2.jpg
  39. 39.  http://agenciapatriciagalvao.org.br/wp-content/uploads/2014/09/Preservativo-feminino.jpg  http://www.saude.rs.gov.br/upload/HD_20120727082917_mg_7787.jpg  http://www.adolescencia.org.br/images/rte/350x263/saiba-mais/mac/diafragma.jpg  http://infodst4u.wikispaces.com/file/view/diafragma2.jpg/279410390/diafragma2.jpg  http://www.anticoncepcao.org.br/html/manual/corpo/cap9/espermicida.jpg  http://www.hospitaldaher.com.br/daher/wp-content/uploads/2015/01/adesivo-anticoncepcional- 20111020-size-620.jpg  http://www.hiperfeminina.com/blog/wp-content/gallery/adesivos-contraceptivos/adesivos- contraceptivos-9.jpg  https://todaperfeita.com.br/wp-content/uploads/2014/11/Como-funciona-o-m%C3%A9todo-do- anel-contraceptivo-1.jpg  http://www.saudecuidados.com.br/wp-content/uploads/2013/09/anel-contraceptivo-vantagens-e- desvantagens2.jpg
  40. 40.  http://www.infoescola.com/wp-content/uploads/2013/05/utilizacao-espermicida.jpg  http://www.abc.med.br/fmfiles/index.asp/::places::/abcmed/Dispositivo-intrauterino-DIU-como- funciona-Quais-as-vantagens-e-desvantagens-Quando-nao-deve-ser-usado-.jpg  http://unidadesmedicasdelamujer.mx/wp-content/uploads/2013/05/como-usar-el-diu.jpg  http://www.meuanticoncepcional.com/wp-content/uploads/2014/03/O-implante-contraceptivo- %C3%A9-t%C3%A3o-eficiente-quanto-o-anticoncepcional.jpg  http://intrometendo.com/wp-content/uploads/2013/10/Implante-anticoncepcional.jpg  http://www.gineco.com.br/wp-content/uploads/2013/04/injecao-anticoncpcional.jpg  http://infodst4u.wikispaces.com/file/view/pilula.jpg/279403366/375x277/pilula.jpg  http://www.canalgravidez.com.br/wp-content/uploads/2012/06/pilula-do-dia-seguinte.jpg  http://www.mdsaude.com/wp-content/uploads/2012/08/P%C3%ADlula-do-dia-seguinte.jpg
  41. 41.  EB 2/3 José Afonso Alhos Vedros  Disciplina: E.M.R.C / Professor: Pedro Nunes  Trabalho realizado por: Diana Quental, nº13 / 8ºC Fim

×