SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 74
Baixar para ler offline
Previnem




    Gravidez            IST’s



Permite a vivência da sexualidade de
      forma saudável e segura
Métodos
    contracetivos



Naturais      Não
             Naturais
Método do                           Método
Calendário       Método das      sintotérmico
                Temperaturas


         Método do        Método do
            coito           muco
       interrompido        cervical
Métodos Naturais
Eficácia

 O índice de falha deste método é muito grande,
aproximadamente 40 gravidezes por 100 mulheres por
ano.
Métodos Naturais




 É baseado na alteração térmica que o corpo
  apresenta quando ocorre a ovulação.

 Consiste na medição diária da temperatura no mesmo
  local, de preferência ser feito ao acordar e registar.
Gráfico




                                Ovulação
  Eficácia
 7 fracassos de gravidez por cada
100 mulheres ao ano.
Métodos Naturais




 Consiste na observação diária do muco cervical,
  retirando-o da vagina com dois dedos e observando
  e registando a sua elasticidade.

 No período fértil, o muco aumenta de elasticidade,
  chegando a atingir 15 a 20 cm.
Fertilidade




                        Muito fértil

Eficácia

 A eficácia é de 75%
Métodos Naturais




 Neste método, em vez de se utilizar um único
 parâmetro para conhecer o dia da ovulação, utilizam-
 se vários em conjunto.




       Método do           Método da            Método do
         muco             temperatura           calendário
 Dado que este método requer o conhecimento de
 vários dados, a sua utilização é mais complexa que a
 dos outros métodos e também a sua segurança é
 maior.



Eficácia



 2 em 100 mulheres no primeiro ano de uso.
Para todos os métodos contracetivos Naturais




                      Vantagens
    Favorece a observação do corpo;
    Muito utilizado por quem deseja engravidar;
    Não há custos;
    Não apresenta efeitos secundários;
    Não necessita de prescrição médica.
Desvantagens
 Exige muita disciplina;
 Algumas doenças que provocam febre podem confundir as
anotações da temperatura (método da temperatura basal);
 O risco de gravidez é maior que o de outros métodos;
 Não evita IST’S
 São imediatamente reversíveis;
 Necessita de abstinência ou uso de preservativo nos dias
férteis;
 Não é aconselhável para adolescentes.
Métodos Naturais




 Baseia-se na capacidade do homem em pressentir a
eminência da ejaculação e neste momento retira o pénis
da vagina;


 Pouco      seguro,   dado   que   os   fluidos       seminais
produzidos antes da ejaculação e que têm uma função
lubrificante, já podem conter espermatozóides
Eficácia


 A eficácia deste método é difícil de
se avaliar, acreditando-se que o índice de gravidez seja
acima de 25 gravidezes por 100 mulheres.
Vantagens                         Desvantagens
 Em situações inesperadas Provoca dor pélvica e tensão testicular
de não uso de nenhum em alguns homens;
contracetivo   reduz    um  A eficácia é baixa oferece alto risco de
pouco o risco de gravidez;   gravidez, pois a lubrificação que o pénis
 Inclui a participação do liberta, mesmo sem o orgasmo, já contém
homem na prevenção da espermatozóides;
gravidez.                     Pode gerar tensão ou ansiedade;

                              Muitas vezes a mulher não atinge o
                             orgasmo.
Métodos de
 barreira

Contraceção
 hormonal

   DIU

Contraceção
 cirúrgica
Métodos Não Naturais
                          Métodos de barreira




 Deve ser colocado no pénis assim que este
 fica ereto, antes da penetração, retirando-se
 após a ejaculação;
Modo de utilização




Eficácia
5 a 10 mulheres em 100 por ano.
Métodos Não Naturais - Métodos de barreira




   Possui nas pontas dois anéis flexíveis que facilitam na
sua colocação;
 A sua maleabilidade permite que se ajuste à vagina;
Cerca de 10 mulheres em 100 por
ano.
Precauções (preservativos feminino e masculino)

Utilizar marcas conhecidas e respeitar os prazos de
validade;
 Não lubrificá-lo com vaselina ou óleos, nem expô-lo ao
calor;
 Não abrir com objetos cortantes;
 Não usar dois preservativos ao mesmo tempo;
 Colocar o preservativo antes de qualquer contato com as
regiões genitais entre as duas pessoas;
Precauções (preservativos feminino e masculino)


Não utilizar o preservativo mais de que uma vez;
Não utilizar o preservativo feminino ao mesmo tempo
que o masculino;
 Retirar logo após a ejaculação, para que não escorra o
líquido seminal para dentro da vagina.
Vantagens
 Evita a gravidez;
 Protege contra as IST’s;
 Protege contra as doenças do cólo do útero;
 Não é necessário prescrição médica;
 Pode ser utilizado com outro método contracetivo;
 É ideal para relações ocasionais ou imprevistas;
 No caso do preservativo feminino, este é mais
resistente que o masculino.
Desvantagens                       Desvantagens
 Dificuldade na utilização;       Se for mal aplicado pode romper;
 Custo elevado;                   Como é de utilização única o custo
 De difícil aquisição;           de cada preservativo não é um fator
 Interfere com o ato sexual;     desprezível;
 O preservativo pode deslocar-  O látex ou o lubrificante podem
se durante o coito;               provocar reações alérgicas.
 Pode fazer barulhos durante o
ato sexual.
Métodos Não Naturais
                                Métodos de barreira



 São substâncias que se introduzem na vagina antes do
ato sexual;
 Matam os espermatozóides;
 Podem ser cremes, comprimidos vaginais, espumas,
cones ou esponjas;
 Têm maior eficácia quando utilizado em conjunto com
outros métodos contracetivos.
Modo de utilização




Eficácia

10 a 30 mulheres em 100 por ano.
Vantagens
 É de simples utilização;
 Não precisa de prescrição médica;
 Aumenta a lubrificação da vagina;
 Pode ser utilizado como coadjuvante de outros
métodos contracetivos.
Desvantagens
 Podem causar reacções alérgicas;
 Aumentam os riscos de infecções urinárias;
 Deve ser aplicado cerca de 30 minutos antes do ato sexual;
 A mulher só se deve lavar 6 a 8 horas após a relação sexual;
 Se tiver nova relação colocar nova dose de espermicida;
 Baixa taxa de proteção quando utilizado sozinho.
Métodos Não Naturais
                               Métodos de barreira




 É um pequeno anel flexível recoberto por uma película
de borracha ou silicone;
 Obstrui completamente a entrada do colo do útero,
impedindo que os espermatozóides fecundem o óvulo.
Para o Diafragma e o Capuz Cervical


       Vantagens                             Desvantagens
Não fazem mal à saúde,  Baixa eficácia;
nem    interferem   no      ciclo  Riscos de odor fétido e corrimento
menstrual;                       vaginal;
 Podem ser usados com  Alergia              ao     diafragma   ou   ao
creme espermicida e com espermicida;
preservativo;                     Infecções urinárias;
Baratos e reutilizáveis.        Pode ser inconveniente usar, limpar, e
                                 guardar.
Métodos Não Naturais - Contraceção hormonal




 Método contracetivo administrado por via oral;

 Liberta hormonas para o organismo que inibem a
ovulação.

              Existem dois tipos de pílulas:


        Pílula                                     Pílula
      combinada                                 progestativa
 Em que dia se deve começar a tomar a pílula?

     Se:                           Deve tomar no:
     Nunca tomou                   1º dia da Menstruação
     Está a tomar a embalagem de Interrompe-se 7 dias e começa-se
     21 comprimidos              nova embalagem
     Esta a tomar a embalagem de Começa-se após o 28º dia da
     28 comprimidos              pílula
Se se esquecer de tomar a pílula?
 1 pílula: tome-a assim que se lembrar e tome a próxima
 na hora habitual;

 2 pílulas: tome-as no dia seguinte e volte ao seu horário
 regular;

 3 ou mais pílulas: pare de tomar a pílula e passe a fazer
 uso de um outro método contracetivo até que o seu
 próximo ciclo menstrual comece, mas se por acaso isso
 não        ocorrer,       procure        o        médico.
Eficácia

 99.9%
Vantagens                            Desvantagens
 Ciclo       menstrual     menos  Exige o compromisso diário da
doloroso e com menos fluxo;         mulher;
 Melhora o acne;                    Alguns      efeitos       colaterais
 Regulação do ciclo menstrual;     (mudanças     de    peso,    náuseas,
 Muito       eficaz,   segura    e vómitos…);
reversível;                          Não protege das IST’s.
 Não interfere no ato sexual;
 Prevenção de certas doenças.
Métodos Não Naturais
                                 Contraceção hormonal




É   o único método contracetivo que é utilizado após a
relação sexual (tomado antes das 72 horas após o coito);
 Evita a gravidez após uma relação mal protegida ou em
caso de violação;
 Não constitui um método contracetivo de uso regular,
mas sim um recurso.
 Como funciona?
Aumenta o pH da vagina, eliminando os espermatozóides
de modo a que não ocorra fecundação; Inibe a nidação.


 Quando usar?
• Esquecimento da pílula;
• Rutura do preservativo;
• Falha em algum método natural.
Eficácia

 Se usada até 24 horas da relação – 42%;
 Entre 25 e 48 horas - 15 %;
 Entre 49 e 72 horas – 5%.

                            Vantagens
              Único método que pode ser usado após a
             relação sexual para prevenir a gravidez.
Desvantagens
 Náuseas, dores abdominais, fadiga, dor de cabeça,
diarreia, vómito, acne;
 Distúrbio no ciclo menstrual;
 Tensão mamária;
 Se tomada regularmente poderá levar à infertilidade;
 Não é eficaz se a gravidez já estiver em curso;
 Não protege contra as IST’s.
Métodos Não Naturais - Contraceção hormonal




 São hormonas injectadas via intra-muscular;


 Essas hormonas são administradas por via intra-
muscular em doses de longa duração.


Eficácia

0 a 1.3 mulheres em
100 por ano.
Métodos Não Naturais
                                Contraceção hormonal




 Microbastão de hormonas sintético, que é implantado
no antebraço (com anestesia local);
 Dura três anos;
 Inibe a ovulação por meio das hormonas libertadas
pelo bastão.
Modo de colocação




Eficácia

0 a 0.07 mulheres em 100 por ano.
Para o Injetável e o Implante

          Vantagens                      Desvantagens
 Eficaz, seguro e reversível;    Irregularidades        do      ciclo
 Não interfere no ato sexual;   menstrual;
 Duração prolongada;             Não protege de IST’s;
 Não exige compromisso diário  É relativamente dispendioso;
da mulher;                        Pode causar náuseas;
 Pode ser usada em qualquer  Necessita        de   um    profissional
idade.                           para    a     inserção   e    remoção
                                 (implante).
Métodos Não Naturais - Contraceção hormonal



 O anel vaginal é constituído por
um anel flexível impregnado de
hormonas;

 Essas hormonas são lentamente libertadas pelo anel e
absorvidas pela corrente sanguínea, inibindo a ovulação.
Modo de colocação




Eficácia

0.4 a 1.2 mulheres em 100 por ano.
Vantagens
 As hormonas serão absorvidos diretamente pela circulação evitando
alguns efeitos colaterais desagradáveis da pílula oral;
 Os perigos do esquecimento das tomas são minimizados, uma vez que
só há que trocar uma vez por mês;
 É de fácil utilização;
 É eficaz e reversível;
 Não interfere no ato sexual;
Períodos curtos e regulares;
 Pode proteger contra os cancros dos ovários ou do colo do útero;
 Previne o aparecimento de quistos nos ovários;
 Serviço de alerta por sms ou por e-mail.
Desvantagens


Não previne contra as IST’s;
 Pode haver perda ou aumento de peso;
 Podem provocar a irritação vaginal.
Métodos Não Naturais
                                 Contraceção hormonal



 É um adesivo fino de cor bege, para aplicação na pele;


 Liberta hormonas continuamente através da pele para
a corrente sanguínea, durante 7 dias.
 Como usar?
• É importante colocar numa superfície seca e limpa da
 pele;
• Aplicar   a   parte aderente do adesivo na pele e, em
 seguida retirar a outra metade do plástico transparente.
• Exerça força sobre o adesivo durante 10 segundos.
• Aplicar um novo adesivo a cada 7 dias.
ADESIVO     ADESIVO     ADESIVO        SEM
        1           2           3         ADESIVO




Eficácia

 Estima-se que a taxa de eficácia se aproxime
dos 98% mulheres em 100 por ano.
Vantagens                    Desvantagens
 Menstruações reguladas, podem  Não protege contra a IST’s;
ser mais leves e menos dolorosas;
 A mulher não tem de se preocupar
todos   os   dias    com   contraceção,
apenas tem de se lembrar de mudar
1 vez por semana o adesivo;
 É fácil de usar;
 Reversível.
Métodos Não Naturais




 Pequenas peças de plástico ou de metal, que se
inserem na cavidade uterina;
 Impendem a implantação do embrião no endómétrio;
 Pode estimular ainda uma reação inflamatória no
útero, que também é contracetiva.
Eficácia
0.1 a 2 mulheres em 100 por ano.



              Vantagens                          Desvantagens
   Eficaz;                              Não protege contra a IST’s;
   Não       interfere   com   o   ato  Menstruações mais abundantes;
  sexual;                                Custos elevados;
   Não exige cuidados diários;          Aumenta o risco de infeções;
   Reversível.                          Necessita de um profissional para
                                        a inserção e a remoção;
                                         Risco de perfuração uterina (muito
                                        raro).
Métodos Não Naturais
                              Contraceção cirúrgica




 Consiste em cauterizar ou amarrar uma secção das
trompas de Falópio;
 Assim, impede-se que os óvulos cheguem ao útero e
que os espermatozóides encontrem o óvulo, inibindo a
fecundação
Como se efetua?
Métodos Não Naturais
                                 Contraceção cirúrugica




 Consiste no corte dos canais deferentes;
 Os espermatozóides deixam de passar então para a
uretra;
 Após a cirurgia continua a haver ejaculação, embora o
líquido não contenha espermatozóides;
 Não é eficaz nos primeiros 3 meses.
Como se efetua?
Eficácia

Laqueação de trompas: 0.5 a 1.8 mulheres em 100 por ano
Vasectomia: 0.15 gravidezes por 100 homens/ano.


            Vantagens                             Desvantagens
   Um       único       procedimento  Requer um procedimento cirúrgico
  permite uma contraceção segura, por um profissional;
  eficaz e definitiva;                  Reverter   o   método   é   dificíl   e
   Não     interfere    com   o   ato oneroso;
  sexual;                               Podem surgir complicações pós-
   Não tem efeitos colaterais ou operatórias;
  riscos para a saúde, a longo  Não protege contra IST’s
  prazo.
Hepatite B    SIDA       Candidíase




             IST’s
Gonorreia               Herpes genital

              Sífilis
 Consequências:

• Transmite-se   ao feto;
• Infeções generalizadas e morte devido à perda do
sistema imunitário.
 Consequências:
• Lesões no sistema circulatório e nervoso;
• Malformação ou morte do recém-nascido.
 Consequências:
• Homem: esterilidade;
• Mulher: inflamação na pélvis, esterilidade e possível
cegueira do recém-nascido.
 Consequências:
• Pode contagiar o feto;
• Aumenta o risco de cancro do colo do útero.
 Consequências:
• Produz graves problemas no fígado;
• Pode causar a morte.
• Mais frequente na mulher;
• Não tem consequências.
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Metodos contraceptivos
Metodos contraceptivosMetodos contraceptivos
Metodos contraceptivosRazvan Balaci
 
Apresentação metodos anticoncepcionais
Apresentação metodos anticoncepcionaisApresentação metodos anticoncepcionais
Apresentação metodos anticoncepcionaisjoao11batista
 
Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisEdvaldo S. Júnior
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente TransmissíveisDoenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente Transmissíveislipe98
 
Métodos contraceptivos de barreira e naturais
Métodos contraceptivos de barreira e naturaisMétodos contraceptivos de barreira e naturais
Métodos contraceptivos de barreira e naturaisAntónio Luís
 
Sistema Genital Masculino
Sistema Genital MasculinoSistema Genital Masculino
Sistema Genital MasculinoMarcia Regina
 
Sistema reprodutor (masculino e feminino)
Sistema reprodutor (masculino e feminino)Sistema reprodutor (masculino e feminino)
Sistema reprodutor (masculino e feminino)Lucas Fontes
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMercitto
 
Educação sexual - Puberdade
Educação sexual - Puberdade Educação sexual - Puberdade
Educação sexual - Puberdade nandavcs
 
Infecções Sexualmente Transmissíveis
Infecções Sexualmente TransmissíveisInfecções Sexualmente Transmissíveis
Infecções Sexualmente Transmissíveiseborges
 
Gravidez na adolescência e métodos contraceptivos
Gravidez na adolescência e métodos contraceptivosGravidez na adolescência e métodos contraceptivos
Gravidez na adolescência e métodos contraceptivosjessica sanielly
 
Aula 8º ano - Métodos contraceptivos e DSTs
Aula 8º ano - Métodos contraceptivos e DSTsAula 8º ano - Métodos contraceptivos e DSTs
Aula 8º ano - Métodos contraceptivos e DSTsLeonardo Kaplan
 

Mais procurados (20)

Metodos contraceptivos
Metodos contraceptivosMetodos contraceptivos
Metodos contraceptivos
 
Apresentação metodos anticoncepcionais
Apresentação metodos anticoncepcionaisApresentação metodos anticoncepcionais
Apresentação metodos anticoncepcionais
 
Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveis
 
Contraceptivos
ContraceptivosContraceptivos
Contraceptivos
 
Menstruação
MenstruaçãoMenstruação
Menstruação
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente TransmissíveisDoenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente Transmissíveis
 
Métodos contraceptivos de barreira e naturais
Métodos contraceptivos de barreira e naturaisMétodos contraceptivos de barreira e naturais
Métodos contraceptivos de barreira e naturais
 
Sistema Genital Masculino
Sistema Genital MasculinoSistema Genital Masculino
Sistema Genital Masculino
 
ContracepçãO Geral
ContracepçãO   GeralContracepçãO   Geral
ContracepçãO Geral
 
Infecções sexualmente transmissíveis
Infecções sexualmente transmissíveisInfecções sexualmente transmissíveis
Infecções sexualmente transmissíveis
 
Ciclo menstrual
Ciclo menstrualCiclo menstrual
Ciclo menstrual
 
Sistema reprodutor (masculino e feminino)
Sistema reprodutor (masculino e feminino)Sistema reprodutor (masculino e feminino)
Sistema reprodutor (masculino e feminino)
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
Educação sexual - Puberdade
Educação sexual - Puberdade Educação sexual - Puberdade
Educação sexual - Puberdade
 
METODOS DE BARREIRA
METODOS DE BARREIRA METODOS DE BARREIRA
METODOS DE BARREIRA
 
Puberdade
PuberdadePuberdade
Puberdade
 
Infecções Sexualmente Transmissíveis
Infecções Sexualmente TransmissíveisInfecções Sexualmente Transmissíveis
Infecções Sexualmente Transmissíveis
 
Gravidez na adolescência e métodos contraceptivos
Gravidez na adolescência e métodos contraceptivosGravidez na adolescência e métodos contraceptivos
Gravidez na adolescência e métodos contraceptivos
 
Contracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivo
Contracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivoContracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivo
Contracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivo
 
Aula 8º ano - Métodos contraceptivos e DSTs
Aula 8º ano - Métodos contraceptivos e DSTsAula 8º ano - Métodos contraceptivos e DSTs
Aula 8º ano - Métodos contraceptivos e DSTs
 

Semelhante a Métodos contraceptivos

Métodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, Vitor
Métodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, VitorMétodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, Vitor
Métodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, Vitorjluis505
 
biologia 12º - Metodos contracetivos
biologia 12º - Metodos contracetivosbiologia 12º - Metodos contracetivos
biologia 12º - Metodos contracetivosDaniela Filipa Sousa
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivosCatir
 
Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivosGerson Melo
 
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3Pelo Siro
 
Métodos Contraceptivos
Métodos ContraceptivosMétodos Contraceptivos
Métodos ContraceptivosPeses Ourique
 
Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivosemrcja
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivosIsabel Lopes
 
Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)
Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)
Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)Maria Freitas
 
Métodos contraceptivos humanos
Métodos contraceptivos humanosMétodos contraceptivos humanos
Métodos contraceptivos humanosClécio Bubela
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivosJoseOliveiraPT
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivoswagneripo
 
5 mtodos-contracep-1233068264563111-3
5 mtodos-contracep-1233068264563111-35 mtodos-contracep-1233068264563111-3
5 mtodos-contracep-1233068264563111-3Pelo Siro
 
Métodos de Contraceção
Métodos de ContraceçãoMétodos de Contraceção
Métodos de Contraceçãotatianaalves13
 
Métodos contraceptivos hormonais
Métodos contraceptivos hormonaisMétodos contraceptivos hormonais
Métodos contraceptivos hormonaiszeopas
 
Métodos Anticoncepcionais
Métodos AnticoncepcionaisMétodos Anticoncepcionais
Métodos Anticoncepcionaisfabiozb
 

Semelhante a Métodos contraceptivos (20)

Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
Métodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, Vitor
Métodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, VitorMétodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, Vitor
Métodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, Vitor
 
biologia 12º - Metodos contracetivos
biologia 12º - Metodos contracetivosbiologia 12º - Metodos contracetivos
biologia 12º - Metodos contracetivos
 
Métodos Contracetivos
Métodos ContracetivosMétodos Contracetivos
Métodos Contracetivos
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivos
 
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
 
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
 
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
 
Métodos Contraceptivos
Métodos ContraceptivosMétodos Contraceptivos
Métodos Contraceptivos
 
Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivos
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)
Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)
Métodos Contracetivos Não Naturais Químicos (Guião)
 
Métodos contraceptivos humanos
Métodos contraceptivos humanosMétodos contraceptivos humanos
Métodos contraceptivos humanos
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
5 mtodos-contracep-1233068264563111-3
5 mtodos-contracep-1233068264563111-35 mtodos-contracep-1233068264563111-3
5 mtodos-contracep-1233068264563111-3
 
Métodos de Contraceção
Métodos de ContraceçãoMétodos de Contraceção
Métodos de Contraceção
 
Métodos contraceptivos hormonais
Métodos contraceptivos hormonaisMétodos contraceptivos hormonais
Métodos contraceptivos hormonais
 
Métodos Anticoncepcionais
Métodos AnticoncepcionaisMétodos Anticoncepcionais
Métodos Anticoncepcionais
 

Mais de Carolina Correia

Mais de Carolina Correia (7)

Poster cientifico
Poster cientificoPoster cientifico
Poster cientifico
 
Mutações e síndrome de turner
Mutações e síndrome de turnerMutações e síndrome de turner
Mutações e síndrome de turner
 
Jogo
JogoJogo
Jogo
 
Poster
PosterPoster
Poster
 
Certificado
CertificadoCertificado
Certificado
 
Folha de presença
Folha de presençaFolha de presença
Folha de presença
 
Doenças cardiovasculares - Carolina, Maria e Michelle
Doenças cardiovasculares  - Carolina, Maria e MichelleDoenças cardiovasculares  - Carolina, Maria e Michelle
Doenças cardiovasculares - Carolina, Maria e Michelle
 

Métodos contraceptivos

  • 1.
  • 2. Previnem Gravidez IST’s Permite a vivência da sexualidade de forma saudável e segura
  • 3. Métodos contracetivos Naturais Não Naturais
  • 4. Método do Método Calendário Método das sintotérmico Temperaturas Método do Método do coito muco interrompido cervical
  • 6. Eficácia  O índice de falha deste método é muito grande, aproximadamente 40 gravidezes por 100 mulheres por ano.
  • 7. Métodos Naturais  É baseado na alteração térmica que o corpo apresenta quando ocorre a ovulação.  Consiste na medição diária da temperatura no mesmo local, de preferência ser feito ao acordar e registar.
  • 8. Gráfico Ovulação Eficácia  7 fracassos de gravidez por cada 100 mulheres ao ano.
  • 9. Métodos Naturais  Consiste na observação diária do muco cervical, retirando-o da vagina com dois dedos e observando e registando a sua elasticidade.  No período fértil, o muco aumenta de elasticidade, chegando a atingir 15 a 20 cm.
  • 10. Fertilidade Muito fértil Eficácia  A eficácia é de 75%
  • 11. Métodos Naturais  Neste método, em vez de se utilizar um único parâmetro para conhecer o dia da ovulação, utilizam- se vários em conjunto. Método do Método da Método do muco temperatura calendário
  • 12.  Dado que este método requer o conhecimento de vários dados, a sua utilização é mais complexa que a dos outros métodos e também a sua segurança é maior. Eficácia  2 em 100 mulheres no primeiro ano de uso.
  • 13. Para todos os métodos contracetivos Naturais Vantagens  Favorece a observação do corpo;  Muito utilizado por quem deseja engravidar;  Não há custos;  Não apresenta efeitos secundários;  Não necessita de prescrição médica.
  • 14. Desvantagens  Exige muita disciplina;  Algumas doenças que provocam febre podem confundir as anotações da temperatura (método da temperatura basal);  O risco de gravidez é maior que o de outros métodos;  Não evita IST’S  São imediatamente reversíveis;  Necessita de abstinência ou uso de preservativo nos dias férteis;  Não é aconselhável para adolescentes.
  • 15. Métodos Naturais  Baseia-se na capacidade do homem em pressentir a eminência da ejaculação e neste momento retira o pénis da vagina;  Pouco seguro, dado que os fluidos seminais produzidos antes da ejaculação e que têm uma função lubrificante, já podem conter espermatozóides
  • 16. Eficácia  A eficácia deste método é difícil de se avaliar, acreditando-se que o índice de gravidez seja acima de 25 gravidezes por 100 mulheres.
  • 17. Vantagens Desvantagens  Em situações inesperadas Provoca dor pélvica e tensão testicular de não uso de nenhum em alguns homens; contracetivo reduz um  A eficácia é baixa oferece alto risco de pouco o risco de gravidez; gravidez, pois a lubrificação que o pénis  Inclui a participação do liberta, mesmo sem o orgasmo, já contém homem na prevenção da espermatozóides; gravidez.  Pode gerar tensão ou ansiedade;  Muitas vezes a mulher não atinge o orgasmo.
  • 18. Métodos de barreira Contraceção hormonal DIU Contraceção cirúrgica
  • 19. Métodos Não Naturais Métodos de barreira  Deve ser colocado no pénis assim que este fica ereto, antes da penetração, retirando-se após a ejaculação;
  • 20. Modo de utilização Eficácia 5 a 10 mulheres em 100 por ano.
  • 21. Métodos Não Naturais - Métodos de barreira  Possui nas pontas dois anéis flexíveis que facilitam na sua colocação;  A sua maleabilidade permite que se ajuste à vagina;
  • 22. Cerca de 10 mulheres em 100 por ano.
  • 23. Precauções (preservativos feminino e masculino) Utilizar marcas conhecidas e respeitar os prazos de validade;  Não lubrificá-lo com vaselina ou óleos, nem expô-lo ao calor;  Não abrir com objetos cortantes;  Não usar dois preservativos ao mesmo tempo;  Colocar o preservativo antes de qualquer contato com as regiões genitais entre as duas pessoas;
  • 24. Precauções (preservativos feminino e masculino) Não utilizar o preservativo mais de que uma vez; Não utilizar o preservativo feminino ao mesmo tempo que o masculino;  Retirar logo após a ejaculação, para que não escorra o líquido seminal para dentro da vagina.
  • 25. Vantagens  Evita a gravidez;  Protege contra as IST’s;  Protege contra as doenças do cólo do útero;  Não é necessário prescrição médica;  Pode ser utilizado com outro método contracetivo;  É ideal para relações ocasionais ou imprevistas;  No caso do preservativo feminino, este é mais resistente que o masculino.
  • 26. Desvantagens Desvantagens  Dificuldade na utilização;  Se for mal aplicado pode romper;  Custo elevado;  Como é de utilização única o custo  De difícil aquisição; de cada preservativo não é um fator  Interfere com o ato sexual; desprezível;  O preservativo pode deslocar-  O látex ou o lubrificante podem se durante o coito; provocar reações alérgicas.  Pode fazer barulhos durante o ato sexual.
  • 27. Métodos Não Naturais Métodos de barreira  São substâncias que se introduzem na vagina antes do ato sexual;  Matam os espermatozóides;  Podem ser cremes, comprimidos vaginais, espumas, cones ou esponjas;  Têm maior eficácia quando utilizado em conjunto com outros métodos contracetivos.
  • 28. Modo de utilização Eficácia 10 a 30 mulheres em 100 por ano.
  • 29. Vantagens  É de simples utilização;  Não precisa de prescrição médica;  Aumenta a lubrificação da vagina;  Pode ser utilizado como coadjuvante de outros métodos contracetivos.
  • 30. Desvantagens  Podem causar reacções alérgicas;  Aumentam os riscos de infecções urinárias;  Deve ser aplicado cerca de 30 minutos antes do ato sexual;  A mulher só se deve lavar 6 a 8 horas após a relação sexual;  Se tiver nova relação colocar nova dose de espermicida;  Baixa taxa de proteção quando utilizado sozinho.
  • 31. Métodos Não Naturais Métodos de barreira  É um pequeno anel flexível recoberto por uma película de borracha ou silicone;  Obstrui completamente a entrada do colo do útero, impedindo que os espermatozóides fecundem o óvulo.
  • 32. Para o Diafragma e o Capuz Cervical Vantagens Desvantagens Não fazem mal à saúde,  Baixa eficácia; nem interferem no ciclo  Riscos de odor fétido e corrimento menstrual; vaginal;  Podem ser usados com  Alergia ao diafragma ou ao creme espermicida e com espermicida; preservativo;  Infecções urinárias; Baratos e reutilizáveis. Pode ser inconveniente usar, limpar, e guardar.
  • 33. Métodos Não Naturais - Contraceção hormonal  Método contracetivo administrado por via oral;  Liberta hormonas para o organismo que inibem a ovulação. Existem dois tipos de pílulas: Pílula Pílula combinada progestativa
  • 34.  Em que dia se deve começar a tomar a pílula? Se: Deve tomar no: Nunca tomou 1º dia da Menstruação Está a tomar a embalagem de Interrompe-se 7 dias e começa-se 21 comprimidos nova embalagem Esta a tomar a embalagem de Começa-se após o 28º dia da 28 comprimidos pílula
  • 35. Se se esquecer de tomar a pílula?  1 pílula: tome-a assim que se lembrar e tome a próxima na hora habitual;  2 pílulas: tome-as no dia seguinte e volte ao seu horário regular;  3 ou mais pílulas: pare de tomar a pílula e passe a fazer uso de um outro método contracetivo até que o seu próximo ciclo menstrual comece, mas se por acaso isso não ocorrer, procure o médico.
  • 37. Vantagens Desvantagens  Ciclo menstrual menos  Exige o compromisso diário da doloroso e com menos fluxo; mulher;  Melhora o acne;  Alguns efeitos colaterais  Regulação do ciclo menstrual; (mudanças de peso, náuseas,  Muito eficaz, segura e vómitos…); reversível;  Não protege das IST’s.  Não interfere no ato sexual;  Prevenção de certas doenças.
  • 38. Métodos Não Naturais Contraceção hormonal É o único método contracetivo que é utilizado após a relação sexual (tomado antes das 72 horas após o coito);  Evita a gravidez após uma relação mal protegida ou em caso de violação;  Não constitui um método contracetivo de uso regular, mas sim um recurso.
  • 39.  Como funciona? Aumenta o pH da vagina, eliminando os espermatozóides de modo a que não ocorra fecundação; Inibe a nidação.  Quando usar? • Esquecimento da pílula; • Rutura do preservativo; • Falha em algum método natural.
  • 40. Eficácia  Se usada até 24 horas da relação – 42%;  Entre 25 e 48 horas - 15 %;  Entre 49 e 72 horas – 5%. Vantagens  Único método que pode ser usado após a relação sexual para prevenir a gravidez.
  • 41. Desvantagens  Náuseas, dores abdominais, fadiga, dor de cabeça, diarreia, vómito, acne;  Distúrbio no ciclo menstrual;  Tensão mamária;  Se tomada regularmente poderá levar à infertilidade;  Não é eficaz se a gravidez já estiver em curso;  Não protege contra as IST’s.
  • 42. Métodos Não Naturais - Contraceção hormonal  São hormonas injectadas via intra-muscular;  Essas hormonas são administradas por via intra- muscular em doses de longa duração. Eficácia 0 a 1.3 mulheres em 100 por ano.
  • 43. Métodos Não Naturais Contraceção hormonal  Microbastão de hormonas sintético, que é implantado no antebraço (com anestesia local);  Dura três anos;  Inibe a ovulação por meio das hormonas libertadas pelo bastão.
  • 44. Modo de colocação Eficácia 0 a 0.07 mulheres em 100 por ano.
  • 45. Para o Injetável e o Implante Vantagens Desvantagens  Eficaz, seguro e reversível;  Irregularidades do ciclo  Não interfere no ato sexual; menstrual;  Duração prolongada;  Não protege de IST’s;  Não exige compromisso diário  É relativamente dispendioso; da mulher;  Pode causar náuseas;  Pode ser usada em qualquer  Necessita de um profissional idade. para a inserção e remoção (implante).
  • 46. Métodos Não Naturais - Contraceção hormonal  O anel vaginal é constituído por um anel flexível impregnado de hormonas;  Essas hormonas são lentamente libertadas pelo anel e absorvidas pela corrente sanguínea, inibindo a ovulação.
  • 47. Modo de colocação Eficácia 0.4 a 1.2 mulheres em 100 por ano.
  • 48. Vantagens  As hormonas serão absorvidos diretamente pela circulação evitando alguns efeitos colaterais desagradáveis da pílula oral;  Os perigos do esquecimento das tomas são minimizados, uma vez que só há que trocar uma vez por mês;  É de fácil utilização;  É eficaz e reversível;  Não interfere no ato sexual; Períodos curtos e regulares;  Pode proteger contra os cancros dos ovários ou do colo do útero;  Previne o aparecimento de quistos nos ovários;  Serviço de alerta por sms ou por e-mail.
  • 49. Desvantagens Não previne contra as IST’s;  Pode haver perda ou aumento de peso;  Podem provocar a irritação vaginal.
  • 50. Métodos Não Naturais Contraceção hormonal  É um adesivo fino de cor bege, para aplicação na pele;  Liberta hormonas continuamente através da pele para a corrente sanguínea, durante 7 dias.
  • 51.  Como usar? • É importante colocar numa superfície seca e limpa da pele; • Aplicar a parte aderente do adesivo na pele e, em seguida retirar a outra metade do plástico transparente. • Exerça força sobre o adesivo durante 10 segundos. • Aplicar um novo adesivo a cada 7 dias.
  • 52. ADESIVO ADESIVO ADESIVO SEM 1 2 3 ADESIVO Eficácia  Estima-se que a taxa de eficácia se aproxime dos 98% mulheres em 100 por ano.
  • 53. Vantagens Desvantagens  Menstruações reguladas, podem  Não protege contra a IST’s; ser mais leves e menos dolorosas;  A mulher não tem de se preocupar todos os dias com contraceção, apenas tem de se lembrar de mudar 1 vez por semana o adesivo;  É fácil de usar;  Reversível.
  • 54. Métodos Não Naturais  Pequenas peças de plástico ou de metal, que se inserem na cavidade uterina;  Impendem a implantação do embrião no endómétrio;  Pode estimular ainda uma reação inflamatória no útero, que também é contracetiva.
  • 55. Eficácia 0.1 a 2 mulheres em 100 por ano. Vantagens Desvantagens  Eficaz;  Não protege contra a IST’s;  Não interfere com o ato  Menstruações mais abundantes; sexual;  Custos elevados;  Não exige cuidados diários;  Aumenta o risco de infeções;  Reversível.  Necessita de um profissional para a inserção e a remoção;  Risco de perfuração uterina (muito raro).
  • 56. Métodos Não Naturais Contraceção cirúrgica  Consiste em cauterizar ou amarrar uma secção das trompas de Falópio;  Assim, impede-se que os óvulos cheguem ao útero e que os espermatozóides encontrem o óvulo, inibindo a fecundação
  • 58. Métodos Não Naturais Contraceção cirúrugica  Consiste no corte dos canais deferentes;  Os espermatozóides deixam de passar então para a uretra;  Após a cirurgia continua a haver ejaculação, embora o líquido não contenha espermatozóides;  Não é eficaz nos primeiros 3 meses.
  • 60. Eficácia Laqueação de trompas: 0.5 a 1.8 mulheres em 100 por ano Vasectomia: 0.15 gravidezes por 100 homens/ano. Vantagens Desvantagens  Um único procedimento  Requer um procedimento cirúrgico permite uma contraceção segura, por um profissional; eficaz e definitiva;  Reverter o método é dificíl e  Não interfere com o ato oneroso; sexual;  Podem surgir complicações pós-  Não tem efeitos colaterais ou operatórias; riscos para a saúde, a longo  Não protege contra IST’s prazo.
  • 61.
  • 62. Hepatite B SIDA Candidíase IST’s Gonorreia Herpes genital Sífilis
  • 63.  Consequências: • Transmite-se ao feto; • Infeções generalizadas e morte devido à perda do sistema imunitário.
  • 64.
  • 65.  Consequências: • Lesões no sistema circulatório e nervoso; • Malformação ou morte do recém-nascido.
  • 66.
  • 67.  Consequências: • Homem: esterilidade; • Mulher: inflamação na pélvis, esterilidade e possível cegueira do recém-nascido.
  • 68.
  • 69.  Consequências: • Pode contagiar o feto; • Aumenta o risco de cancro do colo do útero.
  • 70.  Consequências: • Produz graves problemas no fígado; • Pode causar a morte.
  • 71. • Mais frequente na mulher; • Não tem consequências.