Egito antigo e atualidades 6º ano

3.216 visualizações

Publicada em

21 questões contextualizadas sobre o Egito Antigo.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.216
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
935
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
39
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Egito antigo e atualidades 6º ano

  1. 1. 7 Atividades de História 6º ano do Ensino Fundamental Antigo Egito e o contexto histórico do mundo atual Atenção leia as informações abaixo, que tratam sobre as grandes pirâmides egípcias, construídas na Antiguidade. Texto 1 Quem construiu as pirâmides? As pirâmides do Egito foram construídas por trabalhadores recrutados entre a própria população, que recebiam alguma forma de pagamento, na forma de alimentos e de peças de cerâmica. Portanto não foram escravos, embora as condições de vida dos homens livres pobres não fossem lá muito melhores que as dos cativos. E, ao contrário do que afirmam livros e documentários sensacionalistas, as pirâmides certamente não foram erguidas por extraterrestres - nenhum arqueólogo que se preze vai dizer que visitantes de outro planeta as construíram. A propósito: elas serviam para os faraós aproveitarem a vida após a morte. Por isso, achamos ali objetos que pertenciam a uma minoria. No Egito, encontramos muito menos vestígios arqueológicos que mostrem como viviam os pobres, a maioria da população. Isso acontece porque pobre morava em construções mais precárias, que não duravam tanto. Como foram construídas as pirâmides? Para erguer uma delas, era necessário o trabalho de milhares de homens ao longo de mais ou menos 25 anos. As estimativas variam, mas as pesquisas mais recentes falam de 10 mil a 40 mil trabalhadores (bem menos que as mais antigas, que mencionavam até 100 mil). Ao construí-las, era necessário investir praticamente todos os recursos do Estado. Blocos de calcário eram extraídos com martelos e outras ferramentas e transportados de barco pelo rio Nilo. Depois, eram arrastados até uma rampa em torno da primeira camada de pedras da pirâmide. Para isso, usavam-se trenós e rolos de feitos de troncos. Hoje, investir em obras que tivessem comparativamente a mesma magnitude levaria qualquer
  2. 2. 7 país à falência. Donde a expressão "obras faraônicas" para indicar coisas construídas com dinheiro público por políticos que gostam de se promover gastando muito mais do que podem. Disponível on-line em http://educacao.uol.com.br/historia/ult1690u4.jhtm Acesso em 17 ago 2010. Agora leia o texto 2, que fala da paralisação de uma obra pública em uma cidade brasileira atual. Texto 2 Fiscalização popular impede obra faraônica no interior paulista A mobilização de moradores de Paulínia, no interior de Säo Paulo, onde está localizada uma das principais refinarias da Petrobras, tornou-se exemplo do que a fiscalização popular pode ajudar no combate ao mau uso e desvio de recursos públicos. Criada em maio de 2005, a Associação de Moradores e Amigos de Paulínia (Ama-Paulínia), atualmente com 85 filiados, conseguiu impedir que o prefeito na época, Edson Moura (PMDB), construísse uma pirâmide de vidro de 20 metros de altura, batizada de Manto de Cristal. Integrada às obras de revitalização do centro da cidade, orçadas inicialmente em R$ 114,8 milhões, a pirâmide cobriria alguns prédios históricos, como a capela São Bento, um museu, a casa paroquial e a casa da banda. “Entramos na Justiça em 2005 e a obra está embargada até hoje”, afirmou o presidente da Ama-Paulínia, Valmor Amorim, ao Jornal do Senado. Ele estima que o projeto de modernização alcance R$ 145 milhões com os aditamentos ao contrato original. Disponível on-line em http://www.senado.gov.br/noticias/jornal/noticia.asp? codEditoria=521&dataEdicaoVer=20100316&dataEdicaoAtual=20100316&nomeEditoria=Especial+Cidadania&codN oticia=94552 Acesso em 17 ago 2010. 1 – Sobre as grandes obras do Egito Antigo, tais como as pirâmides, podemos afirmar que sua construção era realizada por: a) Trabalhadores assalariados. b) Principalmente por escravos capturados na guerra. c) Homens livres e pobres do povo egípcio. d) Pelos nobres e funcionários administrativos que viviam com o Faraó.
  3. 3. 7 2 – As pirâmides egípcias serviam para: a) Atrair turistas e visitantes de outros países. b) Abrigar o “corpo” administrativo do Faraó. c) Moradia do Faraó e de seus familiares. d) Sepultar o corpo do Faraó e de nobres poderosos, que esperavam reviver após a morte. 3 – A frase “Hoje, investir em obras que tivessem comparativamente a mesma magnitude [das pirâmides] levaria qualquer país à falência” nos indica que: a) Grandes obras como as pirâmides não são tão caras, por isso podem ser construídas sem problemas. b) Os países de hoje teriam problemas financeiros, caso tentassem construir obras grandiosas como as pirâmides da Antiguidade. c) Os países mais ricos conseguiriam construir obras tão grandes, quanto as pirâmides do Egito. d) A construção de grandes obras levaria os países de hoje à falência. 4 – O termo “obras faraônicas” é atual, mas tem inspiração no Egito Antigo. Nele, os poderosos Faraós construíam grandes obras para perpetuar seu nome e seu poder. Hoje aquele termo é empregado para caracterizar: a) Obras públicas que tem grande utilidade para a população, como escolas e hospitais. b) Grandes obras, como rodovias, pontes e usinas hidrelétricas. c) Pequenas obras públicas que pouco contribuem para a melhoria da vida da população. d) Grandes obras que tem pouca utilidade, e que só servem para promover políticos oportunistas. 5 – O assunto principal do texto 2 é: a) A construção de uma pirâmide de cristal em uma cidade do estado de São Paulo. b) O “desvio” de recursos públicos, isto é, dinheiro do povo, por políticos corruptos. c) O desejo do prefeito de Paulínia em divulgar seu nome e as obras de seu governo para a população de sua cidade.
  4. 4. 7 d) A paralisação de uma grande obra, que custaria caro e não teria utilidade alguma para o povo. 6 – A obra citada no texto 2 é definida como “obra faraônica” no título do texto porque: a) Era barata e de grande importância para o povo e para a cidade onde seria construída. b) Era uma pirâmide de cristal, parecida com as pirâmides que os faraós ergueram no Egito Antigo. c) Era grande, cara, de pouca utilidade social, servindo apenas como um instrumento para promoção do prefeito da cidade de Paulínia. d) Houve desvio do dinheiro público na obra de construção da pirâmide por políticos corruptos. 7 – Assinale a alternativa que apresente o valor financeiro inicial e o provável valor final que seria empregado na construção de obras da cidade, incluindo a pirâmide de cristal, citada no texto 2: a) 114,8 milhões e 145 milhões c) 145 milhões e 114,8 milhões b) 20 milhões e 80 milhões d) 114,8 milhões e 80 milhões 8 – Quem paralisou a obra da pirâmide de cristal foi: a) O Promotor de Justiça da cidade de Paulínia. b) O próprio prefeito da cidade, que após ouvir as queixas da população decidiu parar a obra. c) A Associação de Moradores e Amigos de Paulínia, após levar o caso para a justiça de sua cidade. d) Os vereadores da cidade, que impediram a continuidade da construção da pirâmide. 9 – A pirâmide de cristal de Paulínia foi paralisada porque: a) A obra não ficaria bonita no centro da cidade. b) Faltou dinheiro para a prefeitura continuar a construção da pirâmide.
  5. 5. 7 c) O prefeito preferiu investir os recursos da prefeitura na reforma de escolas e hospitais, e abandonou o projeto da pirâmide. d) A população não aprovou que o dinheiro público fosse utilizado na construção de uma obra que não teria tanta importância para a sociedade, quanto teria a reforma de escolas, hospitais e outros serviços relevantes. 10 – Em sua opinião, qual seria a atitude correta que o prefeito de uma cidade deveria adotar antes de gastar/investir o dinheiro público? a) Ouvir a opinião e os conselhos de seus secretários de governo. b) Enviar o seu projeto para a análise e discussão dos vereadores, que representam a vontade do povo. c) Ouvir apenas sua própria consciência e decidir o que for melhor para a cidade. d) Conversar com seus aliados políticos para saber o que fazer com os recursos públicos. 11 – Sobre a imagem junto ao texto 1, podemos afirmar que: a) As grandes pirâmides eram túmulos de altos sacerdotes do Egito Antigo. b) As menores pirâmides da fotografia serviam como tumba para o faraó e seus familiares. c) As grandes pirâmides eram túmulos para os faraós, já as menores eram túmulos para altos sacerdotes e ricos funcionários do Império Egípcio. d) As pequenas pirâmides eram túmulos para os camponeses e servos do faraó. O texto 3 fala um pouco sobre a utilização das águas do rio Nilo pelos egípcios em suas atividades econômicas, principalmente na prática da agricultura. Texto 3 Diques e reservatórios no rio Nilo O controle das cheias do rio foi condição essencial para o desenvolvimento da civilização na região, pois o seu leito não era suficiente para conter as águas que corriam do interior da África em direção ao mar
  6. 6. 7 Mediterrâneo, inundando a região entre julho e setembro. Assim, às margens do Nilo foram construídos diques e reservatórios, a fim de reter as águas que seriam utilizadas - por meio de canais de irrigação - no tempo de escassez das chuvas para a agricultura, a pecuária e o consumo humano. Com o retorno das águas ao leito do rio (entre dezembro e maio), ficava armazenado nas margens um precioso fertilizante, o húmus, que permitiu o surgimento de uma agricultura de alta produtividade. O húmus, um fertilizante natural de cor escura, era tão essencial aos egípcios, que esse povo chamava sua região de Kemet, "terra negra", em oposição às terras vizinhas, chamadas de Deshret, "terra vermelha", ou seja, o deserto. Disponível on-line em http://educacao.uol.com.br/historia/ult1704u98.jhtm Acesso em 17 ago 2010. Já o Texto 4 nos apresenta alguns impactos ambientais que a atividade agrícola tem gerado no mundo atual. Texto 4 Os impactos da agricultura A produção de alimentos é um dos maiores desafios do mundo moderno. A agricultura hoje produz alimentos para uma população estimada em 6,5 bilhões de pessoas em todo o planeta. O crescimento populacional excessivo tem feito com que o ser humano consuma quase tudo aquilo que o planeta tem para oferecer. Com uma população tão grande, é quase utópico imaginarmos uma produção de alimentos suficiente e sem impacto algum. Desmatamento – a derrubada de matas originais, inevitável devido ao crescimento populacional demasiado, vem sendo a causa dos maiores impactos ambientais. Esgotamento da água doce – muito se enganam os que pensam que o consumo doméstico gera os maiores gastos de água. Mais de 60% da água doce é utilizada na irrigação de campos agrícolas. Poluição de águas – o uso descontrolado de adubos e defensivos agrícolas vem causando sérios problemas de contaminação de águas por resíduos e materiais lixiviados no solo, que podem causar problemas inclusive com a eutrofização e contaminação de águas potáveis. Desertificação – O uso inadequado do solo, hoje liderado pela produção de gado e outros animais, vem desgastando os solos de forma espantosa, tornando-os quase totalmente inférteis. Isso vem fazendo com que quase nenhuma planta consiga sobreviver em muitas dessas áreas, tornando-as desertas. Esse processo, infelizmente, é irreversível.
  7. 7. 7 Disponível on-line em http://www.cultivando.com.br/saude_meio_ambiente_agricultura_sustentavel_impactos_agricultura.html Acesso em 17 ago 2010. 12 – De acordo com o texto 3, os canais e diques eram construídos pelos egípcios no rio para: a) aumentar o volume de água do rio, assim eles teriam mais água para irrigar suas terras. b) reduzir o volume d’água, pois sua intensidade prejudicava as plantações dos egípcios. c) reter a água do rio para utilizá-la na irrigação, quando as chuvas diminuíssem. d) eles possuírem uma reserva de água permanente, que seria empregada no uso doméstico e cotidiano. 13 - Entre os meses de dezembro e maio as águas do Nilo abaixavam, retornando para o leito normal do rio. Após esse fenômeno natural, as terras permitiam que a agricultura tivesse alta produtividade. Por que isto acontecia? a) Porque os egípcios cobriam o solo com esterco de origem animal, o que deixava a terra muito fértil. b) O solo era coberto por produtos químicos artificiais que fertilizavam a terra e elevavam a produtividade agrícola. c) Porque os egípcios eram hábeis agricultores e cultivavam muito bem suas plantações. d) Após o retorno das águas, o solo ficava coberto por um lodo que funcionava com um fertilizante natural e enriquecia a terra com nutrientes benéficos à agricultura. 14 – Observando o mapa junto ao texto 3 notamos que: a) O Nilo nasce nas proximidades do Mar Mediterrâneo, localizado no norte do Egito, e segue na direção sul. b) O rio não divide o território do Egito em duas partes. c) O rio corre no sentido Sul-Norte, percorrendo por toda a extensão do Egito. d) Apenas uma pequena parte da extensão territorial do Egito é cortada pelo rio Nilo.
  8. 8. 7 15 – O tema do texto 4 é: a) O aumento da população do planeta e o consumo de alimentos. b) Os problemas ambientais decorrentes do aumento da demanda da agricultura. c) Os problemas ambientais que ocorrem no mundo atual. d) A prática agrícola correta, que evita desmatamento e o uso de agrotóxicos na produção. 16 – Dentre os principais problemas ambientais gerados pela agricultura moderna, estão: a) A poluição das águas devido ao uso de agrotóxicos e o desmatamento para abertura de campos agricultáveis e pastagens para o gado. b) A poluição atmosférica e o aquecimento do planeta. c) O uso de fertilizantes naturais para enriquecer o solo provoca um efeito reverso. d) Construção de açudes para armazenar água da chuva, destinada ao gado e à irrigação. 17 – Para um agricultor que cultiva feijão e trigo ter maior produtividade em sua lavoura ele deve: a) Preservar as nascentes d’água, não desmatar todo o seu terreno, utilizar fertilizantes naturais. b) Utilizar adubos artificiais, “limpar” todo o terreno para o plantio, aproveitar toda a água disponível em suas terras para irrigar sua lavoura. c) Atear fogo na vegetação nativa do terreno onde ele pretende cultivar seus alimentos, para aproveitar toda a área com o plantio. d) Cuidar de sua lavoura com agrotóxicos modernos que evitam a proliferação de pragas. 18 – No Egito, até os dias de hoje, ao longo do vale do rio Nilo, a agricultura é altamente produtiva porque: a) Os agricultores utilizam muitos agrotóxicos em suas plantações. b) A terra é muito fértil, seus nutrientes são naturais, vem das águas do rio. c) A tecnologia agrícola dos egípcios era bastante eficiente. d) A área destinada ao plantio é muito vasta.
  9. 9. 7 19 – O desmatamento, isto é, a derrubada de árvores e a destruição de plantas nativas de uma região, e as queimadas irresponsáveis, tem a finalidade de abrir espaços para as pastagens de gado e para agricultura. Quais são os impactos ambientais gerados pelo desmatamento e queimadas? a) Aquecimento do clima, melhoria da qualidade de vida, desaparecimento de nascentes d’água. b) Perda de nutrientes do solo, aumento da produtividade e melhoria da qualidade da água. c) Morte de espécies animais e vegetais, destruição do solo e degradação de cursos d’água. d) Melhoria da qualidade da terra, ganho de produtividade e poluição d ar. 20 - Observe atentamente as imagens abaixo. Ambas as paisagens sofreram intervenções humanas, isto é, foram alteradas pelas ações ou interferências das pessoas. Qual delas aparenta ter maior vigor e riqueza em seu solo? Caso dois agricultores decidam plantar milho, cada qual em uma das paisagens abaixo, qual deles teria maior produtividade com sua lavoura? Explique sua reposta. Em qual paisagem seria mais barato e viável plantar milho ou outro gênero alimentício? Comente o que você nota de certo e errado nas duas imagens. Imagem 1 Imagem 2
  10. 10. 7 21 – Vamos colocar na ordem lógica. A partir das frases abaixo, redija um pequeno texto, organizando-as corretamente: Fertilização natural do solo Período de cheias do rio Alta produtividade agrícola

×