SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
Baixar para ler offline
Escola Estadual “Dr Joaquim Vilela”
Disciplina: História
Professora: Claudia Rodrigues Costa dos Santos
Turma: 7º ano
Turno: Vespertino
Ano: 2013
CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA
Atividades abaixo*
AGOSTO
DATA HABILIDADE(S) ATIVIDADES
2ªSEM
D2 Localizar informações explícitas em um texto.
D3 Inferir informações implícitas em um texto.
D6 Identificar o gênero de um texto.
D7 Identificar a função de textos de diferentes
gêneros.
D10 Distinguir um fato da opinião relativa a esse
fato
Tópico 9. A agromanufatura do açúcar e a
escravidão
9.1. Analisar e compreender o processo de
implantação da agromanufatura do açúcar no
Nordeste brasileiro em conexão com o tráfico de
escravos e a fixação dos portugueses no território
brasileiro.
Aula expositiva dialogada sobre o tema.
3ªSEM
D2 Localizar informações explícitas
em um texto.
D3 Inferir informações implícitas em
um texto.
D6 Identificar o gênero de um
texto.
D7 Identificar a função de textos
de diferentes gêneros.
D10 Distinguir um fato da opinião
relativa a esse fato
Tópico 9. A agromanufatura do açúcar e a escravidão
9.1. Analisar e compreender o processo de implantação da
agromanufatura do açúcar no Nordeste brasileiro em conexão com o
tráfico de escravos e a fixação dos portugueses no território brasileiro.
Interpretação de textos, exposição de ideias dos alunos, produção
de texto individual e coletiva (professor vai escrevendo no quadro
as ideias dos alunos e mediando a produção)
4ªeSEM
D2 Localizar informações explícitas
em um texto.
D3 Inferir informações implícitas em
um texto.
D6 Identificar o gênero de um
texto.
D7 Identificar a função de textos
de diferentes gêneros.
D10 Distinguir um fato da opinião
relativa a esse fato
Tópico 9. A agromanufatura do açúcar e a escravidão
9.1. Analisar e compreender o processo de implantação da
agromanufatura do açúcar no Nordeste brasileiro em conexão com o
tráfico de escravos e a fixação dos portugueses no território brasileiro.
Consolidar com a prova das informações (ler os textos e
retirar informações importantes)
SETEMBRO
DA
TA
HABILIDADE(S) ATIVIDADES
1ªSEM
D2 Localizar informações explícitas em um texto. Tópico 9. A agromanufatura do açúcar e a
escravidão
Responder cruzadinha sobre a
agromanufatura do açúcar.
2ªSEMANA
D2 Localizar informações explícitas em um texto. Tópico 9. A agromanufatura do açúcar e a
escravidão
Atividade com lacunas, descobrir o caminhe
e cruzadinha sobre as economias brasileiras
e cultura negra.
3ªSEMANA D2 Localizar informações explícitas em um texto.
D3 Inferir informações implícitas em um texto.
D5 Inferir o sentido de uma palavra ou expressão.
D10 Distinguir um fato da opinião relativa a esse
fato.
D6 Identificar o gênero de um texto.
D20 Reconhecer diferentes formas de abordar
uma informação ao comparar textos que tratam do
mesmo tema.
Tópico 9. A agromanufatura do açúcar e a
escravidão
Bingo para consolidação do tema.
4ªSEM
D1 Identificar um tema ou o sentido global de um
texto.
D2 Localizar informações explícitas em um texto.
D3 Inferir informações implícitas em um texto.
D5 Inferir o sentido de uma palavra ou expressão.
D10 Distinguir um fato da opinião relativa a esse
fato.
D6 Identificar o gênero de um texto.
. Tópico 9. A agromanufatura do açúcar e a
escravidão
Analise de gráficos e imagens e produção de
texto como avaliação final.
OUTUBRO
DATA HABILIDADE(S) ATIVIDADES
1ªSEM
D1 Identificar um tema ou o sentido global
de um texto.
D2 Localizar informações explícitas em um
texto.
D3 Inferir informações implícitas em um
texto.
D5 Inferir o sentido de uma palavra ou
expressão.
D10 Distinguir um fato da opinião relativa a
esse fato.
D6 Identificar o gênero de um texto.
Top comp IV. As missões no Sul e delimitação do
território brasileiro
• Analisar as disputas sobre o território sul-americano
entre Portugal e outras potências europeias no
século XVIII por meio dos principais tratados do
período.
Analise de charges, mapas e textos sobre as
missões.
2ªSEMANA
D1 Identificar um tema ou o sentido global
de um texto.
D2 Localizar informações explícitas em um
texto.
D3 Inferir informações implícitas em um
texto.
D5 Inferir o sentido de uma palavra ou
expressão.
D10 Distinguir um fato da opinião relativa a
esse fato.
D6 Identificar o gênero de um texto.
Top comp IV. As missões no Sul e delimitação do
território brasileiro
• Analisar as disputas sobre o território sul-americano
entre Portugal e outras potências europeias no
século XVIII por meio dos principais tratados do
período..
- Criação de uma noticia em tom jornalístico
sobre a disputa territorial no Brasil
- Coelhinho sai da toca para consolidar
MATRIZ DE REFERÊNCIA (DESCRITORES)
I - PROCEDIMENTOS DE LEITURA
D1 Identificar um tema ou o sentido global de um texto.
D2 Localizar informações explícitas em um texto.
D3 Inferir informações implícitas em um texto.
D5 Inferir o sentido de uma palavra ou expressão.
D10 Distinguir um fato da opinião relativa a esse fato.
II – IMPLICAÇÕES DO SUPORTE, DO GÊNERO E/OU DO ENUNCIADOR NA
COMPREENSÃO DO TEXTO
D6 Identificar o gênero de um texto.
D7 Identificar a função de textos de diferentes gêneros.
D8 Interpretar texto que conjuga linguagem verbal e não-verbal.
III – RELAÇÃO ENTRE TEXTOS
D18 Reconhecer posições distintas entre duas ou mais opiniões relativas ao
mesmo fato ou ao mesmo tema.
D20 Reconhecer diferentes formas de abordar uma informação ao comparar textos
que tratam do mesmo tema.
IV – COERÊNCIA E COESÃO NO PROCESSAMENTO DO TEXTO
D11 Reconhecer relações lógico-discursivas presentes no texto, marcadas por
conjunções, advérbios, etc.
D12 Estabelecer a relação causa/consequência entre partes e elementos do texto.
D15 Estabelecer a relações entre partes de um texto
, identificando repetições ou substituições que contribuem para sua continuidade.
D16 Estabelecer a relações entre partes de um texto a partir de mecanismos de
concordância verbal e nominal.
D19 Identificar o conflito gerador do enredo e os elementos que compõem a
narrativa.
D14 Identificar a tese de um texto.
D26 Estabelecer relações entre a tese e os argumentos oferecidos para sustentá-la.
D27 Diferenciar as partes principais das secundárias em um texto.
V – RELAÇÕES ENTRE RECURSOS EXPRESSIVOS E EFEITOS DE SENTIDO
D23 Identificar efeitos de ironia ou humor em textos.
D28 Reconhecer o efeito de sentido decorrente da escolha de uma determinada
palavra ou expressão.
D21 Reconhecer o efeito de sentido decorrente do uso de pontuação e de outras
notações.
D25 Reconhecer o efeito de sentido decorrente do uso de recursos ortográficos e
morfossintáticos.
VI – VARIAÇÃO LINGÜÍSTICA
D13 Identificar marcas linguísticas que evidenciam o locutor e o interlocutor de um
texto.
O escravo não era cidadão, pois não possuía direitos civis básicos. Aqueles que
conseguiam a liberdade não encontravam em seu ambiente condições para o
exercício de direitos civis e políticos e acabavam, em sua maioria, por depender dos
grandes proprietários para morar, trabalhar e para se defender do poder do estado
e dos senhores de terras. Após a abolição não houve uma política de incorporação
da população escrava na sociedade. Muitos acabaram regressando para as
fazendas para retomar o trabalho por baixos salários. Outros se dirigiram à cidade
onde foram compor a grande parcela da população sem emprego fixo. Essa
herança histórica ainda é percebida em nossa sociedade. Nas palavras de José
Murilo de Carvalho: “As consequências disso foram duradouras para a população
negra. Até hoje essa população ocupa posição inferior em todos os indicadores de
qualidade de vida. É a parcela menos educada da população, com os empregos
menos qualificados, os piores salários, os piores índices de ascensão social” (CARVALHO,
José Murilo. Cidadania no Brasil: o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.p. 52.).
D1- Qual o assunto do texto?
D2- De acordo com o texto, por que o escravo não era considerado um cidadão?
D2- O que aconteceu com muitos escravos depois da abolição?
D3- Quais são as consequências de uma história de escravidão para a população negra?
D2- Que manifestação de cidadania aparece na imagem acima?
O incentivo à produção açucareira na colônia esteve ligado aos
perigos enfrentados por Portugal de perder suas possessões
americanas devido à concorrência com outras nações europeias
pelo domínio destas terras, o que gerou a necessidade de povoá-
las. Certo de que era preciso iniciar um processo de ocupação da
colônia americana e, não tendo encontrado metais preciosos nos
solos coloniais, Portugal precisou escolher um produto para ser
cultivado que lhe garantisse lucros. A escolha do açúcar não foi
aleatória. Esse era um produto de luxo, alcançava altos preços no
mercado europeu e apresentava boas perspectivas de ganho para
Portugal, que inclusive já realizava este tipo de atividade em
algumas ilhas próximas à costa africana.
A produção açucareira assentou-se sobre a grande propriedade e
sobre o trabalho escravo e estava voltada para o mercado externo.
A relação entre grande propriedade, monocultura e trabalho escravo
pode ser entendida como resultado do objetivo metropolitano de
garantir lucros com as novas terras conquistadas. A produção em
larga escala de apenas um produto garantia maior rentabilidade à
coroa. O trabalho escravo foi inserido, nesse contexto, devido à
realidade da existência e disponibilidade de grandes extensões de
terra na América Portuguesa. Sendo a terra livre, era necessário que
a mão-de-obra fosse cativa. O índio foi inicialmente utilizado, mas a
crescente escassez desse tipo de mão-de-obra gerou a necessidade
de substituí-la. A importação de escravos africanos foi a solução
mais adequada, visto que já havia uma estruturação do tráfico
negreiro.
O engenho era uma unidade de produção
complexa. A mão-de-obra escrava não era a
única utilizada. “A empresa do açúcar não
envolvia apenas senhores e escravos. Ela
abrigava um grupo diversificado de
trabalhadores especializados e agregados,
que orbitavam em suas franjas, prestando ao
senhor de terras, seus serviços. Eram
mestres de açúcar, purgadores, caixeiros,
calafates, caldeireiros, carpinteiros,
pedreiros, barqueiros, entre outros”
(PRIORE, Mary Del,VENÂNCIO, Renato Pinto.
ATIVIDADES
D3- Por que os portugueses tiveram que se
mudar para o Brasil?
D2- Por que os portugueses escolheram a cana
de açúcar para ser plantada no Brasil?
D2- A imagem abaixo representa a principal
mão de obra usada nos engenhos. Identifique.
D3- O índio foi inicialmente utilizado, mas a crescente escassez desse tipo
de mão-de-obra gerou a necessidade de substituí-la. Explique esse trecho.
Por que a mão de obra indígena entrou em decadência?
D2- Coloque na imagem acima, o que representa o tripé da economia
açucareira.
D2- Copie do texto a justificativa dada pela coroa para a escolha de
cada um dos elementos do tripé.
Leia as informações do quadro abaixo:
Um país dividido
Usando a metodologia do índice de desenvolvimento humano (IDH), da ONU, um
estudo demonstra que os negros do Nordeste ocupam os últimos lugares no
ranking brasileiro, dividido por estados. Os postos mais altos são ocupados pelos
brancos que vivem no Distrito Federal, Rio de Janeiro e São Paulo.
• No Maranhão, estado com o pior desempenho do IDH, a renda média familiar dos
brancos é de 230 reais mensais. Já um negro recebe apenas 93 reais.
• Na região Sudeste, primeira colocada no ranking do IDH brasileiro, a renda média
familiar de um branco é de 463 reais mensais, enquanto a de um negro não passa
de 212 reais.
• Se o Brasil fosse um país só de negros, apenas o Distrito Federal teria um alto
índice de desenvolvimento.
• Enquanto a expectativa de vida do homem branco no Brasil é de 69 anos, a do
homem negro é de 62 anos.
• Enquanto a taxa de alfabetização do homem branco no Brasil é de 92%, a do
homem negro é de 79%. VEJA, 19 jul.2000.p.103
ATIVIDADES
D1- Qual o tema central do texto?
D6- Identifique o gênero dos textos
acima (marque x)
a) humorístico b) instrucional
c) informativo d) interpessoal
D7- Qual a função do texto acima?
D10 – O que você acha que foi causa
dos baixos índices sociais da
população negra?
D3- Qual a sua conclusão a partir dos
dados acima?
Leia o seguinte documento abaixo:
A ação do movimento é legal, é legítima. Por quê? Porque todas as
ocupações se tornaram assentamentos (...) O que é ilegítimo é manter uma
estrutura fundiária como essa (Muita terra nas mãos de poucas pessoas),
gerando a fome, gerando a miséria, gerando o desemprego, quando se tem 182
milhões de hectares de terra que não produzem nada (...) Tem uma burguesia
agrária brasileira, do latifúndio, que é agarrada à propriedade privada. Quanto
mais terra, melhor e maior a riqueza. São os coronéis do passado (...) o coronel
quer a terra como poder. É uma questão de mentalidade: terra significa poder.
A última lei da terra que foi feita no Brasil é de 1850, nunca mais fizeram (...) O
Brasil cresceu, mas não democratizou a propriedade da terra, o que não foi o
caso da França, o que não foi o caso dos Estados Unidos, não foi o caso do
Japão pós-guerra. Entrevista de José rainha Júnior à revista Carta Capital, 5
fev. 1997.
D2 - Qual a situação fundiária do Brasil descrita por ele?
D6- Identifique o gênero dos textos acima (marque x)
a) humorístico b) instrucional c) informativo d) interpessoal
D2 - Segundo o entrevistado, qual a consequência da concentração de terra?
D3- Qual é o grande empecilho à divisão das terras de acordo com José Rainha?
D5- A que movimento o entrevistado se refere?
D3- Quais são os objetivos desse Movimento?
D10- Essa entrevista foi dada em 1997. Você acha que a estrutura fundiária no Brasil mudou desde então?
Leia os documentos abaixo:
Documento I
"[...] Pelo sertão nos pareceu, vista do mar, muito grande, porque,
a estender olhos, não podíamos ver senão terra com arvoredos,
que nos parecia muito longa. Nela, até agora, não pudemos
saber que haja ouro, nem prata, nem coisa alguma de metal ou
ferro; nem lho vimos. Porém, a terra em si é de muito bons ares,
assim frios e temperados, como os de Entre Doiro e Minho,
porque neste tempo de agora os achávamos como os de lá.
Águas são muitas; infindas. E em tal maneira é graciosa que,
querendo-as aproveitar, dar-se-á nela tudo, por bem das águas
que tem." Trecho da carta de Pero Vaz de Caminha.
Documento II
Assim passa, porque o açúcar é a principal cousa com que
todo este Brasil se enobrece e faz rico, e na lavra dele se
tem guardado até o presente esta ordem: os capitães-
mores que são sesmeiros por sua Majestade, cada um na
capitania sua jurisdição repartiram e repartem ainda agora
as terras com os moradores, dando a cada um deles
aquela quantidade a que as suas forças e possibilidades
são bastantes a granjear.
Ambrósio Fernandes Brandão - Diálogo das Grandezas do
Brasil (1618). Recife: Imprensa Universitária, 1966, p.84.
D1- Um dos textos fala do “descobrimento” do Brasil e o outro do processo de colonização identifique qual
se refere a cada assunto.
D15- Qual a relação entre os dois textos.
D3 - Quem foi Pero Vaz de Caminha? Em que contexto ele escreveu essa carta?
D2 - O que relata Caminha a respeito do potencial econômico da nova terra descoberta?
D2 - Qual a data do documento II? Sobre o que ele fala? Qual a atividade econômica destaca? Como essa
atividade é vista no documento?
Muitos estudiosos afirmam que só o trabalho compulsório
garantiria a existência do latifúndio e da monocultura no
Brasil.
D3- O que significa trabalho compulsório?
Leia atentamente.
Quem plantava, colhia, botava a cana para moer, acondicionava e transportava o açúcar até o mar? O escravo:
primeiramente o indígena e depois o africano. Deve-se lembrar de que, desde o século XV, no sul de Portugal e
posteriormente nas ilhas do norte da África, a escravidão de negros em associação com engenhos de açúcar era
comum. Intensificou-se, ao longo dos séculos XVI e XVII, graças ao tráfico para o Brasil. A importação de africanos
cobria a falta de mão-de-obra, uma vez que epidemias e mortalidade ligada ao trabalho forçado e ao rompimento
com as estruturas de vida social, associadas à fuga de tribos inteiras para o interior, acabaram por inviabilizar o
trabalho cativo de índios. Dizia o padre Anchieta ‘que os portugueses não têm índio amigos que os ajudem porque
os destruíram todos’. Se, por um lado, a escravidão indígena durou até o século XVIII no planalto paulistano
absorvido pela produção de trigo, por outro lado, a percentagem de escravos índios envolvidos na produção de
açúcar foi baixando a medida que os senhores enriqueciam e podiam importar africanos. Isso começou a acontecer,
principalmente na Bahia e em Pernambuco, a partir da segunda metade do século XVI.
(PRIORE, Mary Del,VENÂNCIO, Renato Pinto. O livro de ouro da história do Brasil. Rio de Janeiro: Ediouro,2001.p.62).
D1- Qual o assunto do texto?
D2- Que atividades eram desenvolvidas pelos negros africanos no processo de produção açucareira?
D2- Que povos foram usados como escravos durante o Brasil colônia?
D2- Por que os portugueses resolveram trazer os africanos para ser usados como escravos no Brasil?
D5- Explique os dizeres do padre Anchieta ‘os portugueses não têm índio amigos que os ajudem
porque os destruíram todos’
Escreva, no espaço abaixo, um texto relacionando as palavras
produção açucareira – latifúndio – mão-de-obra indígena – tráfico negreiro –
mão-de-obra escrava- engenho – cana-de-açúcar – senhor de engenho –
feitores-
Prova das Informações:
Procedimentos:
1- separar os alunos em grupos de 5.
2- Marcar o tema de estudo e mandar que eles estudem, (sem falar para
eles retirarem 5 informações importantes).Mandar que eles dividam a
matéria para estudarem.
3- Fazer um círculo na sala e mandar que os integrantes do grupo fiquem
pertos.
4- Pedir que eles falem oralmente 5 informações importantes que eles
retiraram dos textos estudados.
6- Proceder assim com todos os integrantes do grupo.
7- Nota máxima para o grupo que falar trinta informações.
OBJETIVO: Principalmente, despertar o cooperativismo, porque se um
do grupo não estudar todo o grupo ficará prejudicado. Elevar a alto
estima do aluno e provar para ele que com o estudo ele se sairá bem nas
avaliações.
DESCRITORES:
D2. Localiza informação
D1. Identifica Tema
D3 Inferir informações implícitas em um texto.
D5 Inferir o sentido de uma palavra ou expressão.
D15- Estabelece relação entre textos
D2- CRUZADINHA SOBRE A SOCIEDADE AÇUCAREIRA NO BRASIL COLÔNIA
1) Maior capitania produtora de cana-de-açúcar: _______________
2) Donos dos latifúndios produtores de cana-de-açúcar e dos engenhos: ________________________________
3) País que financiava, transportava e refinava o açúcar da colônia antes de ser levado para vender na Europa: ___________
4) Eram responsáveis em procurar os escravos fugitivos: _______________________________
5) Produto colonial que trouxe grandes lucros para a metrópole portuguesa: _____________________
6) Ao serem expulsos do Brasil, os holandeses desenvolveram o plantio de cana de açúcar nas ________.
7) Doença adquirida pelos negros de saudades da África: ________
8) Morada do senhor de engenho e sua família: _______________
9) Garantiam a estabilidade do sistema escravista, pois tinham a função de fiscalizar o trabalho dos negros:_____
10) Moradia dos escravos: __________________________
11) Justificava a escravidão negra, pois também recebiam uma porcentagem dos impostos arrecadados com o
tráfico negreiro: ____________________
12) Líder do maior quilombo do Brasil: _____________________
13) Os escravos negros eram trazidos da ____________________
14) Plantio de apenas um produto: ____________________
15) Holandês que fundou Nova Holanda na capitania de Pernambuco: _______________________
16) Navios que traziam os negros da África para o Brasil: ________
17) A cana-de-açúcar foi introduzida no Brasil por Martin Afonso de Souza na capitania de _______________.
18) Divisão do engenho onde se extraía o caldo da cana: ________
19) Divisão do engenho onde o caldo da cana era transformado em um melaço: __________________________
20) Divisão do engenho onde o melaço era batido e transformado em açúcar pronto para ser refinado pelos holandeses: ____
21) Maior quilombo do Brasil: _____________________
22) O maior quilombo localizava-se na serra da Barriga, onde hoje é o estado de ________________________.
23) Garantiam a produtividade da colônia. Eram as "mãos e os pés dos senhores de engenho": _____________.
- Em 1530, Martim Afonso de Sousa deu inicio á agricultura de ________________no Brasil.
- Construiu o primeiro ________________________e introduziu o plantio de cana de açúcar no _________________.
Criou a primeira vila ____________________________onde o ________________passou a ser a maior riqueza da colônia.
- O cultivo de cana desenvolveu-se principalmente em ______________, usando a mão de obra dos______________ africanos.
- O café nessa época era tomado com ____________________e servia como ___________.
- A monocultura de açúcar foi introduzida no Brasil, pelos portugueses, um país da _______
- A Holanda era responsável pelo ________________, ________________ e __________do açúcar na Europa.
- Em 1530, Martim Afonso de Sousa deu inicio á agricultura de ________________no Brasil.
- Construiu o primeiro ________________________e introduziu o plantio de cana de açúcar no _________________.
Criou a primeira vila ____________________________onde o ________________passou a ser a maior riqueza da colônia.
- O cultivo de cana desenvolveu-se principalmente em ______________, usando a mão de obra dos______________ africanos.
- O café nessa época era tomado com ____________________e servia como ___________.
- A monocultura de açúcar foi introduzida no Brasil, pelos portugueses, um país da _______
- A Holanda era responsável pelo ________________, ________________ e __________do açúcar na Europa.
* E *
C
O
N
O
M
* I
A
*
B
R
A
S
I
L
E
I
* R
* A
1-Produto responsável pelo desenvolvimento da colonização
brasileira (favoreceu povoamento, pois foi o primeiro a ser cultivado
no Brasil) nos séculos XVI e XVII.
2-Um dos produtos (feito a base de cana de açúcar) que os
traficantes usavam para trocar por escravos na África.
3- Lugar que foi um dos maiores centros produtores de açúcar no
período colonial.
4- Pessoas de um país da Europa que emprestaram dinheiro para
a montagem e o desenvolvimento da nossa empresa açucareira.
5-Produto que foi largamente explorado pelos portugueses e que
foi responsável pela mudança da capital do Brasil de Salvador para
o RJ.
6- Tipo de solo ideal para o plantio de cana de açúcar
7-Primeiro produto explorado pelo colonizador aqui no Brasil pré
colonial.
8- Pessoa que tem muito dinheiro no sistema econômico do Brasil.
9- Produto que também foi trocado por escravos na África. 
10-Economia que enriqueceu os senhores do engenho.
11-Economia que enriqueceu os barões do café e foi responsável
pela formação de cidades no Brasil .
12- Nome pelo qual foi chamado quem trabalhava na derrubada do
pau Brasil.
13- Economia que já estava em decadência na época da
Inconfidência Mineira.
14- Lugar onde moravam os escravos africanos.
15-Produto que dava mais lucro para o Brasil na época da
libertação dos escravos.
16- Capataz que cuidava e castigava os escravos africanos.
17-Lugar também conhecido como região das minas.
18- Pessoa contratado para capturar os escravos fugidos.
Marque (X) na resposta certa
1-Eram a elite agrária da
época do Brasil colônia...
(a ) funcionários públicos
(b) comerciantes.
(c )senhores de engenho
2-Era atribuição da sinhá:
( a) ajudar o marido no
trabalho.
(b) ajudar a cuidar dos
escravos
(c )dirigir os serviços
domésticos.
3-As moças casavam-se muito jovens e
geralmente com um primo ou tio por que:
(a) os jovens ricos preferiam as moças
estrangeiras
(b) a família não queria dividir as
propriedades com estranhos.
(c) tinham liberdade para escolher marido.
4-Era um barracão
sujo, sem, iluminação,
sem banheiro, as
pessoas dormiam
amontoadas
(a) sobrado
(b)senzala
(c) oca
7)-Complete a cruzadinha
A - Tipo de família em que o pai exerce poder total.
B - Nome pelo qual eram chamadas as escravas que
faziam as tarefas caseiras.
C - Nome pelo qual a mulher do senhor de engenho era
chamada.
D - Moradia dos senhores de engenho.
E - Padres que introduziram o ensino no Brasil.
F - Onde iam estudar os jovens que podiam cursar faculdade.
a
b
c
d
e
f
4-Identifique no jogo de palavras algumas contribuições do negro para a cultura brasileira. (Coloque na cruzadinha)
a /// C --
b /// U _ ///
c L
d /// T ///
e /// U ///
f /// T R ///
g /// A ///
///
H N
i /// E ///
G ///
l /// R ///
m /// A ///
A- culto religioso.
B- a mistura da cultura
negra, indígena e
______deu inicio a
cultura brasileira.
C- Como forma de
resistência á
escravidão os negro
fugiam para os__
D – Comida de origem
negra
E- tipo de feitiço
realizado no
candomblé.
F- local de prática dos
cultos religiosos.
G- tipo de jogo bastante
difundido na Bahia.
H- Nome dado aos
navios que traziam os
negros da África para o
brasil.
I- ritmo de dança muito
popular em Pernambuco
J – Povo que impediu os
negros de manterem sua
cultura no Brasil.
L-Tipo de comida
M- principal ritmo da
música popular
brasileira.
ESCOLA:
ALUNO:
PROFESSORA:
1 11 21 31 41
2 12 22 32 42
3 13 23 33 43
4 14 24 34 44
5 15 25 35 45
6 16 26 36 46
7 17 27 37 47
8 18 28 38 48
9 19 29 39 49
10 20 30 40 50
Objetivos: Estimular a aprendizagem, valorizar o estudo e a atenção, estimular o
raciocínio rápido e autoconfiança, segurança. Despertar também o espírito de
vencedor, conquistador.
Procedimento:
1- O professor fará 50 afirmativas. (a critério)
2- Falar as afirmativas, duas vezes e o número sorteado. (não repetir mais que
duas vezes),
3-Se o aluno concordar com a afirmativa, marca no nº correspondente CC( com
certeza) se não concordar marca no mesmo nº FS (fala sério)
4- Marcar só com caneta.
Competências: resolução de problemas inéditos - analisar, deduzir, antecipar,
explicar, avaliar, generalizar, aplicar, inferir, abstrair, resolver, criticar, prognosticar,
concluir.
Observem as figuras abaixo: Sociedade açucareira - Processo de produção do açúcar.
1- casa-
grande
3- senzala 5- moenda 7- cozimento
do caldo
9- roça 11- canavial 13- transporte de cana
2- capela 4- roda
d'água
6- fornalha 8- casa de
purgar
10- moradia
trabalhadores livres
12- roça dos
escravos
14- transporte de
lenha para a fornalha
Observando a imagem responda
D3- Qual é o tema central da imagem acima?
D2- Qual era o meio de transporte usado no
processo de produção açucareira?
D3- As roças apresentadas na imagem ficam
próximas da senzala e das casas dos
trabalhadores livres. Explique a existência delas.
D5- Descreva o processo de produção de
açúcar depois da colheita?
D5- Observe a pirâmide ao lado e descreva a
sociedade açucareira.
D3- Na época açucareira
ANALISE o ritmo de crescimento da população colonial entre os séculos XVII e XVIII
D2- Que atividades econômicas predominavam na época descrita no gráfico (colônia)?
D10- Por que você acha que a população indígena não cresceu durante o Brasil colônia?
D2- Que economia teve mais destaque de 1750 e 1760?
D3- De acordo com o gráfico o que motivou o crescimento da população colonial?
D2- Quais foram os dois principais produtos de exportação do Brasil colônia?
A escravidão estimulou pensamentos racistas. Os negros foram escravizados porque eram considerados
seres humanos inferiores aos europeus.
D3- Leia as afirmativas relativas à escravidão.
I - Os africanos foram escravizados por serem mais dóceis e aceitarem com serenidade a
escravidão.
II - A justificativa dada para buscar negros na África e que os nativos brasileiros eram
preguiçosos e não eram dados ao trabalho.
III - A busca de negros na África para serem escravizados só se justifica pelos altos lucros
obtidos com o tráfico.
IV – A Igreja foi a única do período colonial que condenava a escravidão negra.
São CORRETAS as
afirmativas
A) Apenas a I e II
B) Apenas a I e III
C) Apenas a II e III
D) Apenas a I, III e IV
D3- Analisando o gráfico sobre a economia do
Primeiro Reinado, podemos CONCLUIR que
a) a economia brasileira mantinha o mesmo perfil
do período colonial baseada na agricultura de
subsistência.
b) a atividade açucareira ainda era a principal fonte
de renda e o açúcar o produto mais exportado.
c) o fumo e o couro eram os principais produtos
exportados visto que eram usados na compra de
escravos.
d) o café surgiu como principal produto de
exportação superando os demais produtos.
Escreva um texto dizendo a contribuição de cada
povo no trabalho nos engenhos.
Os jesuítas e as missões
Os jesuítas eram padres da Igreja Católica integrantes da Companhia de Jesus.Estes foram encaminhados aos
continentes africano, americano e asiático. Com o objetivo de transformar os nativos em novos católicos, através da
catequização (ensino da língua portuguesa, doutrina católica e hábitos europeus). Esta ordem religiosa foi fundada em
1534 por Inácio de Loiola, após a Reforma Protestante (século XVI), como uma forma de barrar o avanço do
protestantismo no mundo. Portanto, esta ordem religiosa foi criada no contexto da Contra-Reforma Católica.
Objetivos dos jesuítas:
- Levar o catolicismo para as regiões recém descobertas, no século XVI, principalmente à América;
-Catequizar os índios americanos, transmitindo-lhes as línguas portuguesa e espanhola,os costumes europeus e a religião
católica
- Construir e desenvolver escolas católicas em diversas regiões do mundo.
Jesuítas que vieram ao Brasil- Padre Manoel da Nóbrega, Padre José de Anchieta e Padre Antônio Vieira.
- Alegando conspiração contra o reino português, o marquês de Pombal expulsou os jesuítas do Brasil, confiscando os bens da ordem.
D2- Responda
1-Quem eram os jesuítas?
2-O que eram as missões?
3-Qual foi o principal objetivo dos jesuítas no Brasil e na América?
4- Por que os Jesuítas foram expulsos do Brasil?
Guerra Guaranítica - violentos conflitos entre os índios guaranis e as tropas espanholas e portuguesas no sul do Brasil após
a assinatura do Tratado de Madri, em 1750. ( Substituiu o tratado de Tordesilhas e estabeleceu as fronteiras entre as colônias
portuguesas e espanholas na América do Sul : Portugal cedia a Colônia do Sacramento , e receberia os estados de Santa
Catarina e Rio Grande do Sul -território das missões jesuíticas espanholas); Os índios guaranis da região dos Sete Povos das
Missões recusam-se a deixar suas terras.Com o apoio parcial dos jesuítas,os índios começam a impedir os trabalhos de
demarcação da fronteira e anunciam a decisão de não sair da região dos Sete Povos. Em resposta, as autoridades enviam
tropas contra os nativos, e a guerra eclode em 1754..Sepé Tiaraju-líder dos índios- justifica a resistência ao tratado em nome de
direito legítimo dos índios em permanecer nas suas terras. Comanda milhares de nativos até ser assassinado.Essas missões
constituíam "a tentativa mais bem sucedida da Igreja Católica para cristianizar e assegurar um refúgio às populações indígenas,
ameaçadas de absorção ou escravização.Como justificativa para resistir os guaranis diziam: "Como poderá a vontade de Deus
ser que vós tomeis e arruineis tudo o que nos pertence? Aquilo que possuímos é exclusivamente o fruto de nossas fadigas, e o
nosso rei não nos deu coisa alguma... Não somos apenas os sete povos da margem esquerda, mas doze outras reduções estão
decididas a sacrificarem-se conosco desde que tenteis apoderar-vos de nossas terras. . ."
Os jesuítas ficaram entre a cruz e a espada. Se apoiassem os indígenas seriam considerados rebeldes- culpados de crimes de
lesa-majestade . Se não se solidarizassem com eles, perderiam sua confiança. Foi à heróica resistência desses índios à
ocupação de suas terras e à escravização que se deu o nome de "Guerras Guaraníticas". Apesar da inferioridade, no tocante a
armamentos e a instrução militar, resistiram a ataques de portugueses e espanhóis .
Para Pombal, a resistência indígena era obra da hostilidade jesuítica. Em 1759 foram expulsos, por ordem do marquês, de
Portugal e demais domínios do reino.
A questão fronteiriça do sul continuaria, só sendo resolvida por novos acordos em 1777, Santo Ildefonso, e 1801, Badajós, que
acomodariam os dois grandes impérios da América do Sul sobre as cinzas dos Povos das Missões. Estes não conseguiram
resistir.
D2- 1- O que foi a Guerra Guaranítica?
D2- 2- O que foi o tratado de Madri?
D3- 3- Por que aconteceu essa guerra?
D3- 4- Que justificativa davam os índios para a guerra?
D2- 5- O que era o crime de lesa – majestade?
D2- 6- Por que Pombal expulsou os jesuítas de Portugal e do Brasil?
D12- 7- Qual foi a causa da guerra guaranítica? E qual foi a consequência desse conflito?
Fronteiras do Brasil-
1-- Tratado de Tordesilhas, dividia as terras do Brasil entre Portugal e Espanha.
2--Tratado de Madri,dava ao Brasil território parecido com o atual. Portugal entregaria a região de Sacramento à Espanha e
receberia os Sete Povos das Missões no Rio Grande do Sul.
3-- Tratado de El Pardo, os Sete Povos continuaria com a Espanha mas já estava em declínio econômico pois estavam sem os
jesuítas e restavam poucos índios.
4-- Tratado de Santo Ildefonso onde Portugal ficaria com a Ilha de Santa Catarina, enquanto que a Espanha ficaria com os Sete
Povos das Missões e Sacramento. A desvantagem territorial portuguesa no sul do Brasil manteve os confrontos na região.
5-- Tratado de Badajós entre Portugal e Espanha que daria ao Brasil o atual território, ficando Sacramento com a Espanha e os
Sete Povos das Missões com o Brasil.
Numere de acordo com os Tratados entre Portugal e Espanha sobre a s fronteiras do Brasil:
( )Tratado que dividia as terras do Brasil entre Portugal e Espanha.
( )Tratado que deu ao Brasil o território atual.
( ) Tratado causou a guerra dos guaranis.
( )Primeiro acordo entre Portugal e Espanha sobre as terras do Brasil.
( )Acordo que deixava Portugal sem uma parte da região sul do Brasil.
( )Acordo que deixava para a Espanha Sete Povos das Missões que corresponde a uma parte do atual RS.
(Fonte: NOVAES, Carlos Eduardo & LOBO, César. História do Brasil
D2- As charges a cima retratam de maneira irônica a forma como foram resolvidas as disputas pelos direitos de
posse e exploração das novas terras entre Portugal e Espanha. Uma das consequências da expansão marítima
que foi a divisão das terras do novo mundo entre Portugal e Espanha. Que acordo esses países assinaram
para essa divisão?
a) Acordo da União Ibérica
b) Tratado de Tordesilhas.
c) tratado de Madri
d) Acordo Papal.
D6- Identifique o gênero textual que é comum aos textos acima (marque x)
a) humorístico b) publicitário c) informativo d) interpessoal
D5- Explique a expressão “Nada de gracinhas para o meu lado, hein!” usada na charge 1
D5- Explique a expressão “só isso?” usada na charge 2.
Observe os mapas.
D1- Qual o assunto abordado?
D2- Quando a território brasileiro recebeu a configuração atual? Em questão de fronteira internacional?
D3- Qual foi o tratado que deu a primeira configuração territorial brasileira?
O Brasil depois
de descoberto
será assim!!
A delimitação dos limites do território brasileiro, desde o descobrimento, não ocorreu sem conflitos. A região do Rio da Prata, no
Sul do Brasil, foi alvo de disputa das coras portuguesas e espanholas, principalmente nos territórios nos quais as missões
jesuíticas de catequização de índios se encontravam. Os vários acordos firmados para resolver as divergências fronteiriças
entre Portugal e Espanha nessa região configuraram os limites geográficos do Brasil atual. Desde o século XVI, Portugal e
Espanha haviam fundado na região do Rio da Prata pequenos núcleos de povoamento que, ao se expandirem, geraram
discórdia em relação aos limites impostos pelo Tratado de Tordesilhas. A criação da Colônia do Sacramento em 1680, por
Portugal, às margens do Rio da Prata, acelerou as divergências acerca desses limites. A fixação dos jesuítas espanhóis nessa
região, ao longo do século XVII e XVIII se deu a partir das chamadas reduções ou missões. Estas consistiam num
aglutinamento de indígenas catequizados ordenadas em torno de atividades produtivas e religiosas controladas pelos jesuítas.
O conflito entre as coroas portuguesa e espanhola nesse território envolveu diretamente essas redes de povoados controlados
pelos jesuítas que defendiam sua autonomia e independência em relação às decisões reais. Este conflito acabou por gerar tanto
a destruição das missões jesuíticas quanto forçar a superação do Tratado de Tordesilhas, através da instituição do Tratado de
Madri (1750) e do Tratado de Santo Idelfonso (1777).
D2- Coloque V ou F
( ) A delimitação dos limites do território brasileiro aconteceu sem conflitos
( ) A região do Rio da Prata, no Sul do Brasil, foi disputada pelas coras portuguesas e espanholas
( ) Na região das missões jesuíticas acontecia a catequização de índios.
( ) Os vários acordos firmados para resolver as disputas por fronteiras entre Portugal e Espanha configuraram os
limites geográficos do Brasil atual.
D2- O que eram as reduções das missões?
D3- Quem eram os jesuítas?
D12- Qual foi a consequência da destruição das missões jesuíticas?
Mapa I
O mapa mostra a região das missões jesuíticas
no sul do Brasil. Identifique:
a) As fronteiras do Brasil (contorne as fronteiras
de verde)
b) Os países vizinhos (contorne as fronteiras de
marrom)
c) A quem pertencia a região definida no mapa I
Mapa II
Tratado de Tordesilhas (1494) –
linha divisória sobre o território
do Brasil.
a) Qual o nome desse tratado?
b) Qual a data do Tratado? O
Brasil já tinha sido descoberto?
c) O que esse tratado
determinava?
Mapa III
Tratado de Madri (1750)
a) Qual o nome desse tratado?
b) Ele mostra a configutaçao atual do
mapa do Brasil?
Leia os documentos abaixo referentes ao Tratado de Madri:
Documento I
“A proposta compreendia numa
mudança figurativa da linha da
fronteira: a substituição de uma
linha reta (a de Tordesilhas) por
uma curva (a sinuosidade das
margens dos rios)”.
(História por Voltaire Schilling)
Documento II
“Das povoações ou aldeias que cede sua
Majestade Católica na margem oriental do
rio Uruguai, sairão os missionários com
todos os moveis, e efeitos, levando consigo
os índios para aldear outras terras da
Espanha (...) e entregarão a coroa
portuguesa todas suas casas, igrejas,
edifícios e a posse do terreno.”
(Adaptação de uma clausula do Tratado de Madri 1750)
Documento III
“No século XVIII, os jesuítas retomaram a
construção das missões do lado esquerdo das
margens do Rio Uruguai, formando os
chamados Sete Povos das Missões (São
Nicolau, São Luis, São Lourenço, Santo
Ângelo, São João, São Miguel e São Borja).
Era exatamente esta área que a Espanha
entregou para o Império Português”.
(História por Voltaire Schilling)
1- D1- Qual o tema central dos textos acima?
2- D15- Que situação em comum, apresentam os três documentos?
3- D2- Entre quais países acontecia a disputa territorial no Brasil?
4- D15 - Visualize a ampliação ocorrida no território do Brasil comparando com o Tratado de Madri, mapa III com o
tratado de Tordesilhas a partir do mapa II. Leia os textos para responder.
Observe as figuras e leia o texto:
Documento I
Missão Jesuítica
Documento II Documento III
Aldeia dos índios coroados
“A palavra ´redução´ sintetiza o preceito de reduzir, delimitar o espaço físico para aculturar os indígenas.
Pretendia-se introduzir nos nativos a forma de sociedade europeia, reunindo-os em aldeias. Essas aldeias
eram escolhidas por índios e missionários e estes locais deveriam possuir terras férteis, água em
abundância e outros recursos que facilitassem a construção de casa e templos; deviam também ter fácil
acesso e localizar-se 20 ou 30 km de distância entre si. Formavam uma vila organizada, pois possuíam
Igreja, escola, refeitório, casa para as famílias e oficinas. Criavam gado, plantavam, aprendiam ofícios,
música , religião e obedeciam regras preestabelecidas pela Coroa Espanhola (algumas eram mescladas
com as guarani)”.
(CCM – Centro de Cultura Missioneira).
Responda as questões:
• O que as figuras I e II mostram? Descreva.
• Como o espaço físico é organizado nas figuras I e II?
• Quem morava nesses lugares?
• O que a figura III mostra?
• Como o espaço físico é representado na figura III?
• Quem morava nessas aldeias?
• Compare os dois ambientes: das missões e da aldeia. O que vocês podem perceber?
• Os índios que iam morar nas aldeias precisavam se adaptar à sua nova realidade. Com base
nas figuras, responda qual era essa nova realidade? O que era diferente nessa realidade nova?
• Observe o desenho de cruzes nas figuras I e II. O que a cruz representa?
• Há desenho de cruz na figura III? O cristianismo era a religião dos índios antes desses terem
contato com o homem branco?
• O que significava a presença de cruzes nas missões?
De acordo com o doc II os jesuítas espanhóis e os índios aldeados teriam que se deslocar da margem oriental do Rio Uruguai e
abandonar suas terras. E, de acordo com o doc III, estas mesmas terras teriam sido posteriormente ocupadas, formando Sete
Povos das Missões. Escreva um pequeno texto jornalístico narrando esse acontecimento ressaltando as mudanças
propostas pelo Tratado de Madri e imaginando como teria sido realizado o deslocamento desses índios e jesuítas (teriam eles
aceitado tal mudança? Teriam resistido? Ressalte as guerras guaraníticas). Você é o jornalista... Conte esse fato como
se estivesse acontecendo hoje.
COELHINHO SAI DA TOCA:
Objetivo: Tornar a avaliação mais agradável, tirar o medo que o aluno tem da
avaliação oral, estimular o estudo, a participação o interesse e principalmente o
cooperativismo.
DESCRITORES:
Na elaboração dos descritores foram consideradas as seguintes competências:
básicas: operações que fazem presente o objeto do conhecimento - apontar,
localizar, ler, constatar, nomear, descrever, observar, discriminar, perceber,
posicionar, identificar, reconhecer, representar, indicar.
operacionais: operações que pressupõem o estabelecimento de relações entre e
com os objetos de estudo - associar, estabelecer, estimar, classificar, interpretar,
comparar, justificar, conservar, medir, modificar, compor, ordenar, organizar,
compreender,
caracterizar, decompor, relacionar, diferenciar, representar.
globais: operações mais complexas que envolvem a aplicação de conhecimentos
e/ou resolução de problemas inéditos - analisar, deduzir, antecipar, explicar, avaliar,
generalizar, aplicar, inferir, abstrair, resolver, criticar, prognosticar, concluir.
Procedimentos:
1- Combinar regras. (5 pontos para quem for o último)
2- Levar para a quadra da escola.
3- Desenhar círculos no chão.
4- Cada aluno fica dentro de um círculo, apenas um fica fora.
6- O professor diz coelhinho sai da toca e todos devem sair dos seus lugares e
entrar em outra “toca”
5-Para quem ficou sem “toca” o professor fará uma pergunta. Se ele acertar
continua na brincadeira.
6- Os dois que ficarem por ultimo decidem quem ganha os 5 pontos no par ou
impar.
7- Os dois têm direito de responder quantas questões conseguirem. Valendo nata
extra.
8- cada questão respondida vale uma nota (1 ponto?)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cruzadinha de História - Expansão Maritima Portuguesa
Cruzadinha de História   - Expansão Maritima PortuguesaCruzadinha de História   - Expansão Maritima Portuguesa
Cruzadinha de História - Expansão Maritima PortuguesaMary Alvarenga
 
Cruzadinha sobre a Roma Antiga
Cruzadinha sobre a  Roma AntigaCruzadinha sobre a  Roma Antiga
Cruzadinha sobre a Roma AntigaMary Alvarenga
 
Palavras cruzadas - feudalimso
Palavras cruzadas  - feudalimso  Palavras cruzadas  - feudalimso
Palavras cruzadas - feudalimso Mary Alvarenga
 
Cruzadinha ciclo do ouro
Cruzadinha ciclo do ouroCruzadinha ciclo do ouro
Cruzadinha ciclo do ouroTalita Barreto
 
Prova Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho Gabarito
Prova Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho GabaritoProva Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho Gabarito
Prova Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho GabaritoJana Bento
 
8 ano revolução industrial e revolução francesa 2018
8 ano revolução industrial e revolução francesa 20188 ano revolução industrial e revolução francesa 2018
8 ano revolução industrial e revolução francesa 2018ingarac
 
Cruzadinha - A Grécia Antiga
Cruzadinha  - A Grécia AntigaCruzadinha  - A Grécia Antiga
Cruzadinha - A Grécia AntigaMary Alvarenga
 
Cruzadinha revolução industrial
Cruzadinha revolução industrialCruzadinha revolução industrial
Cruzadinha revolução industrialÓcio do Ofício
 
L ista de exercicios 8º ano abdamides
L ista de exercicios 8º ano abdamidesL ista de exercicios 8º ano abdamides
L ista de exercicios 8º ano abdamidesAbdamides Carvalho
 
Prova historia topico 8. o “sistema colonial” e a realidade efetiva da coloni...
Prova historia topico 8. o “sistema colonial” e a realidade efetiva da coloni...Prova historia topico 8. o “sistema colonial” e a realidade efetiva da coloni...
Prova historia topico 8. o “sistema colonial” e a realidade efetiva da coloni...Atividades Diversas Cláudia
 

Mais procurados (20)

Cruzadinha de História - Expansão Maritima Portuguesa
Cruzadinha de História   - Expansão Maritima PortuguesaCruzadinha de História   - Expansão Maritima Portuguesa
Cruzadinha de História - Expansão Maritima Portuguesa
 
Cruzadinha sobre a Roma Antiga
Cruzadinha sobre a  Roma AntigaCruzadinha sobre a  Roma Antiga
Cruzadinha sobre a Roma Antiga
 
Palavras cruzadas - feudalimso
Palavras cruzadas  - feudalimso  Palavras cruzadas  - feudalimso
Palavras cruzadas - feudalimso
 
Cruzadinha ciclo do ouro
Cruzadinha ciclo do ouroCruzadinha ciclo do ouro
Cruzadinha ciclo do ouro
 
atividades sobre a Primeira Guerra Mundial
atividades sobre a Primeira Guerra Mundialatividades sobre a Primeira Guerra Mundial
atividades sobre a Primeira Guerra Mundial
 
Atividades discursivas grécia antiga
Atividades discursivas grécia antigaAtividades discursivas grécia antiga
Atividades discursivas grécia antiga
 
Prova Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho Gabarito
Prova Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho GabaritoProva Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho Gabarito
Prova Parcial 8serie A 2 Etapa Emei Vicente Fialho Gabarito
 
Cruzadinha feudalismo
Cruzadinha feudalismoCruzadinha feudalismo
Cruzadinha feudalismo
 
Pré barra mundo feudal
Pré barra mundo feudalPré barra mundo feudal
Pré barra mundo feudal
 
Atividades Revolução Francesa
Atividades   Revolução FrancesaAtividades   Revolução Francesa
Atividades Revolução Francesa
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 
8 ano revolução industrial e revolução francesa 2018
8 ano revolução industrial e revolução francesa 20188 ano revolução industrial e revolução francesa 2018
8 ano revolução industrial e revolução francesa 2018
 
Exercicio revolução russa
Exercicio revolução russaExercicio revolução russa
Exercicio revolução russa
 
Cruzadinha - A Grécia Antiga
Cruzadinha  - A Grécia AntigaCruzadinha  - A Grécia Antiga
Cruzadinha - A Grécia Antiga
 
Cruzadinha revolução industrial
Cruzadinha revolução industrialCruzadinha revolução industrial
Cruzadinha revolução industrial
 
Atividades de independencia do brasil 2013
Atividades de independencia do brasil 2013Atividades de independencia do brasil 2013
Atividades de independencia do brasil 2013
 
Cuzadinha sobre a era vargas
Cuzadinha sobre a era vargasCuzadinha sobre a era vargas
Cuzadinha sobre a era vargas
 
L ista de exercicios 8º ano abdamides
L ista de exercicios 8º ano abdamidesL ista de exercicios 8º ano abdamides
L ista de exercicios 8º ano abdamides
 
Questões áfrica e civilizações pré colombianas
Questões áfrica e civilizações pré colombianasQuestões áfrica e civilizações pré colombianas
Questões áfrica e civilizações pré colombianas
 
Prova historia topico 8. o “sistema colonial” e a realidade efetiva da coloni...
Prova historia topico 8. o “sistema colonial” e a realidade efetiva da coloni...Prova historia topico 8. o “sistema colonial” e a realidade efetiva da coloni...
Prova historia topico 8. o “sistema colonial” e a realidade efetiva da coloni...
 

Semelhante a Cronograma intervenção hist 7 ano

Matriz de referência de História 9° anoEF
Matriz de referência de História 9° anoEFMatriz de referência de História 9° anoEF
Matriz de referência de História 9° anoEFLauri Rene Reis Filho
 
Itens de língua portuguesa
Itens de língua portuguesaItens de língua portuguesa
Itens de língua portuguesaGiselly2
 
Itens de língua portuguesa
Itens de língua portuguesaItens de língua portuguesa
Itens de língua portuguesaGiselly2
 
Prova Enem 2016 - Caderno Rosa - Primeiro dia/Segunda aplicação
Prova Enem 2016  - Caderno Rosa - Primeiro dia/Segunda aplicaçãoProva Enem 2016  - Caderno Rosa - Primeiro dia/Segunda aplicação
Prova Enem 2016 - Caderno Rosa - Primeiro dia/Segunda aplicaçãoEnem Te Conto
 
Enem Slides
Enem SlidesEnem Slides
Enem Slidesceama
 
Caderno rosa 1 dia 2014
Caderno rosa 1 dia 2014Caderno rosa 1 dia 2014
Caderno rosa 1 dia 2014Marcus Matozo
 
Apostila enem 2014
Apostila enem 2014Apostila enem 2014
Apostila enem 2014LeciOne
 
Itens de geografia relacionados à matriz de referência língua portuguesa
Itens de geografia relacionados à matriz de referência língua portuguesaItens de geografia relacionados à matriz de referência língua portuguesa
Itens de geografia relacionados à matriz de referência língua portuguesaAtividades Diversas Cláudia
 
Prova Enem 2016 - Caderno Amarelo - Primeiro dia/Segunda aplicação
Prova Enem 2016  - Caderno Amarelo - Primeiro dia/Segunda aplicaçãoProva Enem 2016  - Caderno Amarelo - Primeiro dia/Segunda aplicação
Prova Enem 2016 - Caderno Amarelo - Primeiro dia/Segunda aplicaçãoEnem Te Conto
 

Semelhante a Cronograma intervenção hist 7 ano (20)

Matrizde referência história
Matrizde referência históriaMatrizde referência história
Matrizde referência história
 
Matriz de referência de História 9° anoEF
Matriz de referência de História 9° anoEFMatriz de referência de História 9° anoEF
Matriz de referência de História 9° anoEF
 
Matrizde referência história
Matrizde referência históriaMatrizde referência história
Matrizde referência história
 
Cronograma intervenção hist 6 ano
Cronograma intervenção hist 6 anoCronograma intervenção hist 6 ano
Cronograma intervenção hist 6 ano
 
Itens de língua portuguesa
Itens de língua portuguesaItens de língua portuguesa
Itens de língua portuguesa
 
Itens de língua portuguesa
Itens de língua portuguesaItens de língua portuguesa
Itens de língua portuguesa
 
Prova Enem 2016 - Caderno Rosa - Primeiro dia/Segunda aplicação
Prova Enem 2016  - Caderno Rosa - Primeiro dia/Segunda aplicaçãoProva Enem 2016  - Caderno Rosa - Primeiro dia/Segunda aplicação
Prova Enem 2016 - Caderno Rosa - Primeiro dia/Segunda aplicação
 
Enem Slides
Enem SlidesEnem Slides
Enem Slides
 
Cronograma intervenção hist 3 ano
Cronograma intervenção hist 3 anoCronograma intervenção hist 3 ano
Cronograma intervenção hist 3 ano
 
Cronograma intervenção hist 3 ano
Cronograma intervenção hist 3 anoCronograma intervenção hist 3 ano
Cronograma intervenção hist 3 ano
 
Cronograma intervenção hist 3 ano
Cronograma intervenção hist 3 anoCronograma intervenção hist 3 ano
Cronograma intervenção hist 3 ano
 
Caderno rosa 1 dia 2014
Caderno rosa 1 dia 2014Caderno rosa 1 dia 2014
Caderno rosa 1 dia 2014
 
Caderno enem 2014 dia 1 rosa
Caderno enem 2014 dia 1 rosaCaderno enem 2014 dia 1 rosa
Caderno enem 2014 dia 1 rosa
 
Apostila enem 2014
Apostila enem 2014Apostila enem 2014
Apostila enem 2014
 
Itens de geografia relacionados à matriz de referência língua portuguesa
Itens de geografia relacionados à matriz de referência língua portuguesaItens de geografia relacionados à matriz de referência língua portuguesa
Itens de geografia relacionados à matriz de referência língua portuguesa
 
Prova diagnostica historia 3
Prova diagnostica  historia 3Prova diagnostica  historia 3
Prova diagnostica historia 3
 
Cronograma intervenção hist 2 ano
Cronograma intervenção hist 2 anoCronograma intervenção hist 2 ano
Cronograma intervenção hist 2 ano
 
Cronograma intervenção hist 2 ano
Cronograma intervenção hist 2 anoCronograma intervenção hist 2 ano
Cronograma intervenção hist 2 ano
 
Prova Enem 2016 - Caderno Amarelo - Primeiro dia/Segunda aplicação
Prova Enem 2016  - Caderno Amarelo - Primeiro dia/Segunda aplicaçãoProva Enem 2016  - Caderno Amarelo - Primeiro dia/Segunda aplicação
Prova Enem 2016 - Caderno Amarelo - Primeiro dia/Segunda aplicação
 
Cronograma intervenção hist 2 ano (1)
Cronograma intervenção hist 2 ano (1)Cronograma intervenção hist 2 ano (1)
Cronograma intervenção hist 2 ano (1)
 

Mais de Atividades Diversas Cláudia

Atividade interdisciplinar portugues ensino religioso sobre familia.doc
Atividade interdisciplinar portugues ensino religioso sobre  familia.docAtividade interdisciplinar portugues ensino religioso sobre  familia.doc
Atividade interdisciplinar portugues ensino religioso sobre familia.docAtividades Diversas Cláudia
 
1 guerra Russia Ucrania atividade interdisciplinar historia geografia portugu...
1 guerra Russia Ucrania atividade interdisciplinar historia geografia portugu...1 guerra Russia Ucrania atividade interdisciplinar historia geografia portugu...
1 guerra Russia Ucrania atividade interdisciplinar historia geografia portugu...Atividades Diversas Cláudia
 

Mais de Atividades Diversas Cláudia (20)

Atividade interdisciplinar portugues ensino religioso sobre familia.doc
Atividade interdisciplinar portugues ensino religioso sobre  familia.docAtividade interdisciplinar portugues ensino religioso sobre  familia.doc
Atividade interdisciplinar portugues ensino religioso sobre familia.doc
 
FILME nao olhe para cima.doc
FILME nao olhe para cima.docFILME nao olhe para cima.doc
FILME nao olhe para cima.doc
 
1 guerra Russia Ucrania atividade interdisciplinar historia geografia portugu...
1 guerra Russia Ucrania atividade interdisciplinar historia geografia portugu...1 guerra Russia Ucrania atividade interdisciplinar historia geografia portugu...
1 guerra Russia Ucrania atividade interdisciplinar historia geografia portugu...
 
Atividades campanha da fraternidade 2022 e
Atividades campanha da fraternidade 2022 eAtividades campanha da fraternidade 2022 e
Atividades campanha da fraternidade 2022 e
 
Atividades sobre fake news
Atividades sobre fake newsAtividades sobre fake news
Atividades sobre fake news
 
1 primeiro dia de aula novo melhor
1 primeiro dia de aula novo melhor1 primeiro dia de aula novo melhor
1 primeiro dia de aula novo melhor
 
2 primeiro dia de aula novo amanha
2 primeiro dia de aula novo amanha2 primeiro dia de aula novo amanha
2 primeiro dia de aula novo amanha
 
3 primeiro dia de aula novo
3 primeiro dia de aula novo3 primeiro dia de aula novo
3 primeiro dia de aula novo
 
4 primeiro dia de aula novo hoje
4 primeiro dia de aula novo hoje4 primeiro dia de aula novo hoje
4 primeiro dia de aula novo hoje
 
5 primeiro dia de aula novo desafios
5 primeiro dia de aula novo desafios5 primeiro dia de aula novo desafios
5 primeiro dia de aula novo desafios
 
6 primeiro dia de aula novo motivacao
6 primeiro dia de aula novo motivacao6 primeiro dia de aula novo motivacao
6 primeiro dia de aula novo motivacao
 
Prova de geografia 9 ano 4b pet 4 (1)
Prova de geografia 9 ano 4b pet 4 (1)Prova de geografia 9 ano 4b pet 4 (1)
Prova de geografia 9 ano 4b pet 4 (1)
 
Prova de geografia 8 ano 4b pet 4
Prova de geografia 8 ano 4b pet 4Prova de geografia 8 ano 4b pet 4
Prova de geografia 8 ano 4b pet 4
 
Prova de geografia 9 ano 4b pet 4
Prova de geografia 9 ano 4b pet 4Prova de geografia 9 ano 4b pet 4
Prova de geografia 9 ano 4b pet 4
 
Prova de ensino religioso 8 ano 4b pet 4
Prova de ensino religioso 8 ano 4b pet 4Prova de ensino religioso 8 ano 4b pet 4
Prova de ensino religioso 8 ano 4b pet 4
 
Prova historia 1ano pet4
Prova historia 1ano pet4Prova historia 1ano pet4
Prova historia 1ano pet4
 
Prova de historia 2ano 4bimestre
Prova de historia 2ano 4bimestreProva de historia 2ano 4bimestre
Prova de historia 2ano 4bimestre
 
Prova de arte 4b 9 ano1
Prova de arte 4b 9 ano1Prova de arte 4b 9 ano1
Prova de arte 4b 9 ano1
 
Prova de arte 4b 8 ano
Prova de arte 4b 8 anoProva de arte 4b 8 ano
Prova de arte 4b 8 ano
 
Prova de arte 4b 7 ano (reparado)
Prova de arte 4b 7 ano (reparado)Prova de arte 4b 7 ano (reparado)
Prova de arte 4b 7 ano (reparado)
 

Cronograma intervenção hist 7 ano

  • 1. Escola Estadual “Dr Joaquim Vilela” Disciplina: História Professora: Claudia Rodrigues Costa dos Santos Turma: 7º ano Turno: Vespertino Ano: 2013 CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA Atividades abaixo* AGOSTO DATA HABILIDADE(S) ATIVIDADES 2ªSEM D2 Localizar informações explícitas em um texto. D3 Inferir informações implícitas em um texto. D6 Identificar o gênero de um texto. D7 Identificar a função de textos de diferentes gêneros. D10 Distinguir um fato da opinião relativa a esse fato Tópico 9. A agromanufatura do açúcar e a escravidão 9.1. Analisar e compreender o processo de implantação da agromanufatura do açúcar no Nordeste brasileiro em conexão com o tráfico de escravos e a fixação dos portugueses no território brasileiro. Aula expositiva dialogada sobre o tema. 3ªSEM D2 Localizar informações explícitas em um texto. D3 Inferir informações implícitas em um texto. D6 Identificar o gênero de um texto. D7 Identificar a função de textos de diferentes gêneros. D10 Distinguir um fato da opinião relativa a esse fato Tópico 9. A agromanufatura do açúcar e a escravidão 9.1. Analisar e compreender o processo de implantação da agromanufatura do açúcar no Nordeste brasileiro em conexão com o tráfico de escravos e a fixação dos portugueses no território brasileiro. Interpretação de textos, exposição de ideias dos alunos, produção de texto individual e coletiva (professor vai escrevendo no quadro as ideias dos alunos e mediando a produção) 4ªeSEM D2 Localizar informações explícitas em um texto. D3 Inferir informações implícitas em um texto. D6 Identificar o gênero de um texto. D7 Identificar a função de textos de diferentes gêneros. D10 Distinguir um fato da opinião relativa a esse fato Tópico 9. A agromanufatura do açúcar e a escravidão 9.1. Analisar e compreender o processo de implantação da agromanufatura do açúcar no Nordeste brasileiro em conexão com o tráfico de escravos e a fixação dos portugueses no território brasileiro. Consolidar com a prova das informações (ler os textos e retirar informações importantes) SETEMBRO DA TA HABILIDADE(S) ATIVIDADES 1ªSEM D2 Localizar informações explícitas em um texto. Tópico 9. A agromanufatura do açúcar e a escravidão Responder cruzadinha sobre a agromanufatura do açúcar. 2ªSEMANA D2 Localizar informações explícitas em um texto. Tópico 9. A agromanufatura do açúcar e a escravidão Atividade com lacunas, descobrir o caminhe e cruzadinha sobre as economias brasileiras e cultura negra.
  • 2. 3ªSEMANA D2 Localizar informações explícitas em um texto. D3 Inferir informações implícitas em um texto. D5 Inferir o sentido de uma palavra ou expressão. D10 Distinguir um fato da opinião relativa a esse fato. D6 Identificar o gênero de um texto. D20 Reconhecer diferentes formas de abordar uma informação ao comparar textos que tratam do mesmo tema. Tópico 9. A agromanufatura do açúcar e a escravidão Bingo para consolidação do tema. 4ªSEM D1 Identificar um tema ou o sentido global de um texto. D2 Localizar informações explícitas em um texto. D3 Inferir informações implícitas em um texto. D5 Inferir o sentido de uma palavra ou expressão. D10 Distinguir um fato da opinião relativa a esse fato. D6 Identificar o gênero de um texto. . Tópico 9. A agromanufatura do açúcar e a escravidão Analise de gráficos e imagens e produção de texto como avaliação final. OUTUBRO DATA HABILIDADE(S) ATIVIDADES 1ªSEM D1 Identificar um tema ou o sentido global de um texto. D2 Localizar informações explícitas em um texto. D3 Inferir informações implícitas em um texto. D5 Inferir o sentido de uma palavra ou expressão. D10 Distinguir um fato da opinião relativa a esse fato. D6 Identificar o gênero de um texto. Top comp IV. As missões no Sul e delimitação do território brasileiro • Analisar as disputas sobre o território sul-americano entre Portugal e outras potências europeias no século XVIII por meio dos principais tratados do período. Analise de charges, mapas e textos sobre as missões. 2ªSEMANA D1 Identificar um tema ou o sentido global de um texto. D2 Localizar informações explícitas em um texto. D3 Inferir informações implícitas em um texto. D5 Inferir o sentido de uma palavra ou expressão. D10 Distinguir um fato da opinião relativa a esse fato. D6 Identificar o gênero de um texto. Top comp IV. As missões no Sul e delimitação do território brasileiro • Analisar as disputas sobre o território sul-americano entre Portugal e outras potências europeias no século XVIII por meio dos principais tratados do período.. - Criação de uma noticia em tom jornalístico sobre a disputa territorial no Brasil - Coelhinho sai da toca para consolidar
  • 3. MATRIZ DE REFERÊNCIA (DESCRITORES) I - PROCEDIMENTOS DE LEITURA D1 Identificar um tema ou o sentido global de um texto. D2 Localizar informações explícitas em um texto. D3 Inferir informações implícitas em um texto. D5 Inferir o sentido de uma palavra ou expressão. D10 Distinguir um fato da opinião relativa a esse fato. II – IMPLICAÇÕES DO SUPORTE, DO GÊNERO E/OU DO ENUNCIADOR NA COMPREENSÃO DO TEXTO D6 Identificar o gênero de um texto. D7 Identificar a função de textos de diferentes gêneros. D8 Interpretar texto que conjuga linguagem verbal e não-verbal. III – RELAÇÃO ENTRE TEXTOS D18 Reconhecer posições distintas entre duas ou mais opiniões relativas ao mesmo fato ou ao mesmo tema. D20 Reconhecer diferentes formas de abordar uma informação ao comparar textos que tratam do mesmo tema. IV – COERÊNCIA E COESÃO NO PROCESSAMENTO DO TEXTO D11 Reconhecer relações lógico-discursivas presentes no texto, marcadas por conjunções, advérbios, etc. D12 Estabelecer a relação causa/consequência entre partes e elementos do texto. D15 Estabelecer a relações entre partes de um texto , identificando repetições ou substituições que contribuem para sua continuidade. D16 Estabelecer a relações entre partes de um texto a partir de mecanismos de concordância verbal e nominal. D19 Identificar o conflito gerador do enredo e os elementos que compõem a narrativa. D14 Identificar a tese de um texto. D26 Estabelecer relações entre a tese e os argumentos oferecidos para sustentá-la. D27 Diferenciar as partes principais das secundárias em um texto. V – RELAÇÕES ENTRE RECURSOS EXPRESSIVOS E EFEITOS DE SENTIDO D23 Identificar efeitos de ironia ou humor em textos. D28 Reconhecer o efeito de sentido decorrente da escolha de uma determinada palavra ou expressão. D21 Reconhecer o efeito de sentido decorrente do uso de pontuação e de outras notações. D25 Reconhecer o efeito de sentido decorrente do uso de recursos ortográficos e morfossintáticos. VI – VARIAÇÃO LINGÜÍSTICA D13 Identificar marcas linguísticas que evidenciam o locutor e o interlocutor de um texto.
  • 4. O escravo não era cidadão, pois não possuía direitos civis básicos. Aqueles que conseguiam a liberdade não encontravam em seu ambiente condições para o exercício de direitos civis e políticos e acabavam, em sua maioria, por depender dos grandes proprietários para morar, trabalhar e para se defender do poder do estado e dos senhores de terras. Após a abolição não houve uma política de incorporação da população escrava na sociedade. Muitos acabaram regressando para as fazendas para retomar o trabalho por baixos salários. Outros se dirigiram à cidade onde foram compor a grande parcela da população sem emprego fixo. Essa herança histórica ainda é percebida em nossa sociedade. Nas palavras de José Murilo de Carvalho: “As consequências disso foram duradouras para a população negra. Até hoje essa população ocupa posição inferior em todos os indicadores de qualidade de vida. É a parcela menos educada da população, com os empregos menos qualificados, os piores salários, os piores índices de ascensão social” (CARVALHO, José Murilo. Cidadania no Brasil: o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.p. 52.). D1- Qual o assunto do texto? D2- De acordo com o texto, por que o escravo não era considerado um cidadão? D2- O que aconteceu com muitos escravos depois da abolição? D3- Quais são as consequências de uma história de escravidão para a população negra? D2- Que manifestação de cidadania aparece na imagem acima? O incentivo à produção açucareira na colônia esteve ligado aos perigos enfrentados por Portugal de perder suas possessões americanas devido à concorrência com outras nações europeias pelo domínio destas terras, o que gerou a necessidade de povoá- las. Certo de que era preciso iniciar um processo de ocupação da colônia americana e, não tendo encontrado metais preciosos nos solos coloniais, Portugal precisou escolher um produto para ser cultivado que lhe garantisse lucros. A escolha do açúcar não foi aleatória. Esse era um produto de luxo, alcançava altos preços no mercado europeu e apresentava boas perspectivas de ganho para Portugal, que inclusive já realizava este tipo de atividade em algumas ilhas próximas à costa africana. A produção açucareira assentou-se sobre a grande propriedade e sobre o trabalho escravo e estava voltada para o mercado externo. A relação entre grande propriedade, monocultura e trabalho escravo pode ser entendida como resultado do objetivo metropolitano de garantir lucros com as novas terras conquistadas. A produção em larga escala de apenas um produto garantia maior rentabilidade à coroa. O trabalho escravo foi inserido, nesse contexto, devido à realidade da existência e disponibilidade de grandes extensões de terra na América Portuguesa. Sendo a terra livre, era necessário que a mão-de-obra fosse cativa. O índio foi inicialmente utilizado, mas a crescente escassez desse tipo de mão-de-obra gerou a necessidade de substituí-la. A importação de escravos africanos foi a solução mais adequada, visto que já havia uma estruturação do tráfico negreiro. O engenho era uma unidade de produção complexa. A mão-de-obra escrava não era a única utilizada. “A empresa do açúcar não envolvia apenas senhores e escravos. Ela abrigava um grupo diversificado de trabalhadores especializados e agregados, que orbitavam em suas franjas, prestando ao senhor de terras, seus serviços. Eram mestres de açúcar, purgadores, caixeiros, calafates, caldeireiros, carpinteiros, pedreiros, barqueiros, entre outros” (PRIORE, Mary Del,VENÂNCIO, Renato Pinto. ATIVIDADES D3- Por que os portugueses tiveram que se mudar para o Brasil? D2- Por que os portugueses escolheram a cana de açúcar para ser plantada no Brasil? D2- A imagem abaixo representa a principal mão de obra usada nos engenhos. Identifique. D3- O índio foi inicialmente utilizado, mas a crescente escassez desse tipo de mão-de-obra gerou a necessidade de substituí-la. Explique esse trecho. Por que a mão de obra indígena entrou em decadência? D2- Coloque na imagem acima, o que representa o tripé da economia açucareira. D2- Copie do texto a justificativa dada pela coroa para a escolha de cada um dos elementos do tripé.
  • 5. Leia as informações do quadro abaixo: Um país dividido Usando a metodologia do índice de desenvolvimento humano (IDH), da ONU, um estudo demonstra que os negros do Nordeste ocupam os últimos lugares no ranking brasileiro, dividido por estados. Os postos mais altos são ocupados pelos brancos que vivem no Distrito Federal, Rio de Janeiro e São Paulo. • No Maranhão, estado com o pior desempenho do IDH, a renda média familiar dos brancos é de 230 reais mensais. Já um negro recebe apenas 93 reais. • Na região Sudeste, primeira colocada no ranking do IDH brasileiro, a renda média familiar de um branco é de 463 reais mensais, enquanto a de um negro não passa de 212 reais. • Se o Brasil fosse um país só de negros, apenas o Distrito Federal teria um alto índice de desenvolvimento. • Enquanto a expectativa de vida do homem branco no Brasil é de 69 anos, a do homem negro é de 62 anos. • Enquanto a taxa de alfabetização do homem branco no Brasil é de 92%, a do homem negro é de 79%. VEJA, 19 jul.2000.p.103 ATIVIDADES D1- Qual o tema central do texto? D6- Identifique o gênero dos textos acima (marque x) a) humorístico b) instrucional c) informativo d) interpessoal D7- Qual a função do texto acima? D10 – O que você acha que foi causa dos baixos índices sociais da população negra? D3- Qual a sua conclusão a partir dos dados acima? Leia o seguinte documento abaixo: A ação do movimento é legal, é legítima. Por quê? Porque todas as ocupações se tornaram assentamentos (...) O que é ilegítimo é manter uma estrutura fundiária como essa (Muita terra nas mãos de poucas pessoas), gerando a fome, gerando a miséria, gerando o desemprego, quando se tem 182 milhões de hectares de terra que não produzem nada (...) Tem uma burguesia agrária brasileira, do latifúndio, que é agarrada à propriedade privada. Quanto mais terra, melhor e maior a riqueza. São os coronéis do passado (...) o coronel quer a terra como poder. É uma questão de mentalidade: terra significa poder. A última lei da terra que foi feita no Brasil é de 1850, nunca mais fizeram (...) O Brasil cresceu, mas não democratizou a propriedade da terra, o que não foi o caso da França, o que não foi o caso dos Estados Unidos, não foi o caso do Japão pós-guerra. Entrevista de José rainha Júnior à revista Carta Capital, 5 fev. 1997. D2 - Qual a situação fundiária do Brasil descrita por ele? D6- Identifique o gênero dos textos acima (marque x) a) humorístico b) instrucional c) informativo d) interpessoal D2 - Segundo o entrevistado, qual a consequência da concentração de terra? D3- Qual é o grande empecilho à divisão das terras de acordo com José Rainha? D5- A que movimento o entrevistado se refere? D3- Quais são os objetivos desse Movimento? D10- Essa entrevista foi dada em 1997. Você acha que a estrutura fundiária no Brasil mudou desde então? Leia os documentos abaixo: Documento I "[...] Pelo sertão nos pareceu, vista do mar, muito grande, porque, a estender olhos, não podíamos ver senão terra com arvoredos, que nos parecia muito longa. Nela, até agora, não pudemos saber que haja ouro, nem prata, nem coisa alguma de metal ou ferro; nem lho vimos. Porém, a terra em si é de muito bons ares, assim frios e temperados, como os de Entre Doiro e Minho, porque neste tempo de agora os achávamos como os de lá. Águas são muitas; infindas. E em tal maneira é graciosa que, querendo-as aproveitar, dar-se-á nela tudo, por bem das águas que tem." Trecho da carta de Pero Vaz de Caminha. Documento II Assim passa, porque o açúcar é a principal cousa com que todo este Brasil se enobrece e faz rico, e na lavra dele se tem guardado até o presente esta ordem: os capitães- mores que são sesmeiros por sua Majestade, cada um na capitania sua jurisdição repartiram e repartem ainda agora as terras com os moradores, dando a cada um deles aquela quantidade a que as suas forças e possibilidades são bastantes a granjear. Ambrósio Fernandes Brandão - Diálogo das Grandezas do Brasil (1618). Recife: Imprensa Universitária, 1966, p.84. D1- Um dos textos fala do “descobrimento” do Brasil e o outro do processo de colonização identifique qual se refere a cada assunto. D15- Qual a relação entre os dois textos. D3 - Quem foi Pero Vaz de Caminha? Em que contexto ele escreveu essa carta? D2 - O que relata Caminha a respeito do potencial econômico da nova terra descoberta? D2 - Qual a data do documento II? Sobre o que ele fala? Qual a atividade econômica destaca? Como essa atividade é vista no documento? Muitos estudiosos afirmam que só o trabalho compulsório garantiria a existência do latifúndio e da monocultura no Brasil. D3- O que significa trabalho compulsório?
  • 6. Leia atentamente. Quem plantava, colhia, botava a cana para moer, acondicionava e transportava o açúcar até o mar? O escravo: primeiramente o indígena e depois o africano. Deve-se lembrar de que, desde o século XV, no sul de Portugal e posteriormente nas ilhas do norte da África, a escravidão de negros em associação com engenhos de açúcar era comum. Intensificou-se, ao longo dos séculos XVI e XVII, graças ao tráfico para o Brasil. A importação de africanos cobria a falta de mão-de-obra, uma vez que epidemias e mortalidade ligada ao trabalho forçado e ao rompimento com as estruturas de vida social, associadas à fuga de tribos inteiras para o interior, acabaram por inviabilizar o trabalho cativo de índios. Dizia o padre Anchieta ‘que os portugueses não têm índio amigos que os ajudem porque os destruíram todos’. Se, por um lado, a escravidão indígena durou até o século XVIII no planalto paulistano absorvido pela produção de trigo, por outro lado, a percentagem de escravos índios envolvidos na produção de açúcar foi baixando a medida que os senhores enriqueciam e podiam importar africanos. Isso começou a acontecer, principalmente na Bahia e em Pernambuco, a partir da segunda metade do século XVI. (PRIORE, Mary Del,VENÂNCIO, Renato Pinto. O livro de ouro da história do Brasil. Rio de Janeiro: Ediouro,2001.p.62). D1- Qual o assunto do texto? D2- Que atividades eram desenvolvidas pelos negros africanos no processo de produção açucareira? D2- Que povos foram usados como escravos durante o Brasil colônia? D2- Por que os portugueses resolveram trazer os africanos para ser usados como escravos no Brasil? D5- Explique os dizeres do padre Anchieta ‘os portugueses não têm índio amigos que os ajudem porque os destruíram todos’ Escreva, no espaço abaixo, um texto relacionando as palavras produção açucareira – latifúndio – mão-de-obra indígena – tráfico negreiro – mão-de-obra escrava- engenho – cana-de-açúcar – senhor de engenho – feitores-
  • 7. Prova das Informações: Procedimentos: 1- separar os alunos em grupos de 5. 2- Marcar o tema de estudo e mandar que eles estudem, (sem falar para eles retirarem 5 informações importantes).Mandar que eles dividam a matéria para estudarem. 3- Fazer um círculo na sala e mandar que os integrantes do grupo fiquem pertos. 4- Pedir que eles falem oralmente 5 informações importantes que eles retiraram dos textos estudados. 6- Proceder assim com todos os integrantes do grupo. 7- Nota máxima para o grupo que falar trinta informações. OBJETIVO: Principalmente, despertar o cooperativismo, porque se um do grupo não estudar todo o grupo ficará prejudicado. Elevar a alto estima do aluno e provar para ele que com o estudo ele se sairá bem nas avaliações. DESCRITORES: D2. Localiza informação D1. Identifica Tema D3 Inferir informações implícitas em um texto. D5 Inferir o sentido de uma palavra ou expressão. D15- Estabelece relação entre textos
  • 8. D2- CRUZADINHA SOBRE A SOCIEDADE AÇUCAREIRA NO BRASIL COLÔNIA 1) Maior capitania produtora de cana-de-açúcar: _______________ 2) Donos dos latifúndios produtores de cana-de-açúcar e dos engenhos: ________________________________ 3) País que financiava, transportava e refinava o açúcar da colônia antes de ser levado para vender na Europa: ___________ 4) Eram responsáveis em procurar os escravos fugitivos: _______________________________ 5) Produto colonial que trouxe grandes lucros para a metrópole portuguesa: _____________________ 6) Ao serem expulsos do Brasil, os holandeses desenvolveram o plantio de cana de açúcar nas ________. 7) Doença adquirida pelos negros de saudades da África: ________ 8) Morada do senhor de engenho e sua família: _______________ 9) Garantiam a estabilidade do sistema escravista, pois tinham a função de fiscalizar o trabalho dos negros:_____ 10) Moradia dos escravos: __________________________ 11) Justificava a escravidão negra, pois também recebiam uma porcentagem dos impostos arrecadados com o tráfico negreiro: ____________________ 12) Líder do maior quilombo do Brasil: _____________________ 13) Os escravos negros eram trazidos da ____________________ 14) Plantio de apenas um produto: ____________________ 15) Holandês que fundou Nova Holanda na capitania de Pernambuco: _______________________ 16) Navios que traziam os negros da África para o Brasil: ________ 17) A cana-de-açúcar foi introduzida no Brasil por Martin Afonso de Souza na capitania de _______________. 18) Divisão do engenho onde se extraía o caldo da cana: ________ 19) Divisão do engenho onde o caldo da cana era transformado em um melaço: __________________________ 20) Divisão do engenho onde o melaço era batido e transformado em açúcar pronto para ser refinado pelos holandeses: ____ 21) Maior quilombo do Brasil: _____________________ 22) O maior quilombo localizava-se na serra da Barriga, onde hoje é o estado de ________________________. 23) Garantiam a produtividade da colônia. Eram as "mãos e os pés dos senhores de engenho": _____________.
  • 9. - Em 1530, Martim Afonso de Sousa deu inicio á agricultura de ________________no Brasil. - Construiu o primeiro ________________________e introduziu o plantio de cana de açúcar no _________________. Criou a primeira vila ____________________________onde o ________________passou a ser a maior riqueza da colônia. - O cultivo de cana desenvolveu-se principalmente em ______________, usando a mão de obra dos______________ africanos. - O café nessa época era tomado com ____________________e servia como ___________. - A monocultura de açúcar foi introduzida no Brasil, pelos portugueses, um país da _______ - A Holanda era responsável pelo ________________, ________________ e __________do açúcar na Europa. - Em 1530, Martim Afonso de Sousa deu inicio á agricultura de ________________no Brasil. - Construiu o primeiro ________________________e introduziu o plantio de cana de açúcar no _________________. Criou a primeira vila ____________________________onde o ________________passou a ser a maior riqueza da colônia. - O cultivo de cana desenvolveu-se principalmente em ______________, usando a mão de obra dos______________ africanos. - O café nessa época era tomado com ____________________e servia como ___________. - A monocultura de açúcar foi introduzida no Brasil, pelos portugueses, um país da _______ - A Holanda era responsável pelo ________________, ________________ e __________do açúcar na Europa.
  • 10. * E * C O N O M * I A * B R A S I L E I * R * A 1-Produto responsável pelo desenvolvimento da colonização brasileira (favoreceu povoamento, pois foi o primeiro a ser cultivado no Brasil) nos séculos XVI e XVII. 2-Um dos produtos (feito a base de cana de açúcar) que os traficantes usavam para trocar por escravos na África. 3- Lugar que foi um dos maiores centros produtores de açúcar no período colonial. 4- Pessoas de um país da Europa que emprestaram dinheiro para a montagem e o desenvolvimento da nossa empresa açucareira. 5-Produto que foi largamente explorado pelos portugueses e que foi responsável pela mudança da capital do Brasil de Salvador para o RJ. 6- Tipo de solo ideal para o plantio de cana de açúcar 7-Primeiro produto explorado pelo colonizador aqui no Brasil pré colonial. 8- Pessoa que tem muito dinheiro no sistema econômico do Brasil. 9- Produto que também foi trocado por escravos na África. 10-Economia que enriqueceu os senhores do engenho. 11-Economia que enriqueceu os barões do café e foi responsável pela formação de cidades no Brasil . 12- Nome pelo qual foi chamado quem trabalhava na derrubada do pau Brasil. 13- Economia que já estava em decadência na época da Inconfidência Mineira. 14- Lugar onde moravam os escravos africanos. 15-Produto que dava mais lucro para o Brasil na época da libertação dos escravos. 16- Capataz que cuidava e castigava os escravos africanos. 17-Lugar também conhecido como região das minas. 18- Pessoa contratado para capturar os escravos fugidos. Marque (X) na resposta certa 1-Eram a elite agrária da época do Brasil colônia... (a ) funcionários públicos (b) comerciantes. (c )senhores de engenho 2-Era atribuição da sinhá: ( a) ajudar o marido no trabalho. (b) ajudar a cuidar dos escravos (c )dirigir os serviços domésticos. 3-As moças casavam-se muito jovens e geralmente com um primo ou tio por que: (a) os jovens ricos preferiam as moças estrangeiras (b) a família não queria dividir as propriedades com estranhos. (c) tinham liberdade para escolher marido. 4-Era um barracão sujo, sem, iluminação, sem banheiro, as pessoas dormiam amontoadas (a) sobrado (b)senzala (c) oca 7)-Complete a cruzadinha A - Tipo de família em que o pai exerce poder total. B - Nome pelo qual eram chamadas as escravas que faziam as tarefas caseiras. C - Nome pelo qual a mulher do senhor de engenho era chamada. D - Moradia dos senhores de engenho. E - Padres que introduziram o ensino no Brasil. F - Onde iam estudar os jovens que podiam cursar faculdade. a b c d e f 4-Identifique no jogo de palavras algumas contribuições do negro para a cultura brasileira. (Coloque na cruzadinha) a /// C -- b /// U _ /// c L d /// T /// e /// U /// f /// T R /// g /// A /// /// H N i /// E /// G /// l /// R /// m /// A /// A- culto religioso. B- a mistura da cultura negra, indígena e ______deu inicio a cultura brasileira. C- Como forma de resistência á escravidão os negro fugiam para os__ D – Comida de origem negra E- tipo de feitiço realizado no candomblé. F- local de prática dos cultos religiosos. G- tipo de jogo bastante difundido na Bahia. H- Nome dado aos navios que traziam os negros da África para o brasil. I- ritmo de dança muito popular em Pernambuco J – Povo que impediu os negros de manterem sua cultura no Brasil. L-Tipo de comida M- principal ritmo da música popular brasileira.
  • 11. ESCOLA: ALUNO: PROFESSORA: 1 11 21 31 41 2 12 22 32 42 3 13 23 33 43 4 14 24 34 44 5 15 25 35 45 6 16 26 36 46 7 17 27 37 47 8 18 28 38 48 9 19 29 39 49 10 20 30 40 50 Objetivos: Estimular a aprendizagem, valorizar o estudo e a atenção, estimular o raciocínio rápido e autoconfiança, segurança. Despertar também o espírito de vencedor, conquistador. Procedimento: 1- O professor fará 50 afirmativas. (a critério) 2- Falar as afirmativas, duas vezes e o número sorteado. (não repetir mais que duas vezes), 3-Se o aluno concordar com a afirmativa, marca no nº correspondente CC( com certeza) se não concordar marca no mesmo nº FS (fala sério) 4- Marcar só com caneta. Competências: resolução de problemas inéditos - analisar, deduzir, antecipar, explicar, avaliar, generalizar, aplicar, inferir, abstrair, resolver, criticar, prognosticar, concluir.
  • 12. Observem as figuras abaixo: Sociedade açucareira - Processo de produção do açúcar. 1- casa- grande 3- senzala 5- moenda 7- cozimento do caldo 9- roça 11- canavial 13- transporte de cana 2- capela 4- roda d'água 6- fornalha 8- casa de purgar 10- moradia trabalhadores livres 12- roça dos escravos 14- transporte de lenha para a fornalha Observando a imagem responda D3- Qual é o tema central da imagem acima? D2- Qual era o meio de transporte usado no processo de produção açucareira? D3- As roças apresentadas na imagem ficam próximas da senzala e das casas dos trabalhadores livres. Explique a existência delas. D5- Descreva o processo de produção de açúcar depois da colheita? D5- Observe a pirâmide ao lado e descreva a sociedade açucareira. D3- Na época açucareira
  • 13. ANALISE o ritmo de crescimento da população colonial entre os séculos XVII e XVIII D2- Que atividades econômicas predominavam na época descrita no gráfico (colônia)? D10- Por que você acha que a população indígena não cresceu durante o Brasil colônia? D2- Que economia teve mais destaque de 1750 e 1760? D3- De acordo com o gráfico o que motivou o crescimento da população colonial? D2- Quais foram os dois principais produtos de exportação do Brasil colônia? A escravidão estimulou pensamentos racistas. Os negros foram escravizados porque eram considerados seres humanos inferiores aos europeus. D3- Leia as afirmativas relativas à escravidão. I - Os africanos foram escravizados por serem mais dóceis e aceitarem com serenidade a escravidão. II - A justificativa dada para buscar negros na África e que os nativos brasileiros eram preguiçosos e não eram dados ao trabalho. III - A busca de negros na África para serem escravizados só se justifica pelos altos lucros obtidos com o tráfico. IV – A Igreja foi a única do período colonial que condenava a escravidão negra. São CORRETAS as afirmativas A) Apenas a I e II B) Apenas a I e III C) Apenas a II e III D) Apenas a I, III e IV D3- Analisando o gráfico sobre a economia do Primeiro Reinado, podemos CONCLUIR que a) a economia brasileira mantinha o mesmo perfil do período colonial baseada na agricultura de subsistência. b) a atividade açucareira ainda era a principal fonte de renda e o açúcar o produto mais exportado. c) o fumo e o couro eram os principais produtos exportados visto que eram usados na compra de escravos. d) o café surgiu como principal produto de exportação superando os demais produtos. Escreva um texto dizendo a contribuição de cada povo no trabalho nos engenhos. Os jesuítas e as missões Os jesuítas eram padres da Igreja Católica integrantes da Companhia de Jesus.Estes foram encaminhados aos continentes africano, americano e asiático. Com o objetivo de transformar os nativos em novos católicos, através da catequização (ensino da língua portuguesa, doutrina católica e hábitos europeus). Esta ordem religiosa foi fundada em 1534 por Inácio de Loiola, após a Reforma Protestante (século XVI), como uma forma de barrar o avanço do protestantismo no mundo. Portanto, esta ordem religiosa foi criada no contexto da Contra-Reforma Católica. Objetivos dos jesuítas: - Levar o catolicismo para as regiões recém descobertas, no século XVI, principalmente à América; -Catequizar os índios americanos, transmitindo-lhes as línguas portuguesa e espanhola,os costumes europeus e a religião católica - Construir e desenvolver escolas católicas em diversas regiões do mundo. Jesuítas que vieram ao Brasil- Padre Manoel da Nóbrega, Padre José de Anchieta e Padre Antônio Vieira. - Alegando conspiração contra o reino português, o marquês de Pombal expulsou os jesuítas do Brasil, confiscando os bens da ordem.
  • 14. D2- Responda 1-Quem eram os jesuítas? 2-O que eram as missões? 3-Qual foi o principal objetivo dos jesuítas no Brasil e na América? 4- Por que os Jesuítas foram expulsos do Brasil? Guerra Guaranítica - violentos conflitos entre os índios guaranis e as tropas espanholas e portuguesas no sul do Brasil após a assinatura do Tratado de Madri, em 1750. ( Substituiu o tratado de Tordesilhas e estabeleceu as fronteiras entre as colônias portuguesas e espanholas na América do Sul : Portugal cedia a Colônia do Sacramento , e receberia os estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul -território das missões jesuíticas espanholas); Os índios guaranis da região dos Sete Povos das Missões recusam-se a deixar suas terras.Com o apoio parcial dos jesuítas,os índios começam a impedir os trabalhos de demarcação da fronteira e anunciam a decisão de não sair da região dos Sete Povos. Em resposta, as autoridades enviam tropas contra os nativos, e a guerra eclode em 1754..Sepé Tiaraju-líder dos índios- justifica a resistência ao tratado em nome de direito legítimo dos índios em permanecer nas suas terras. Comanda milhares de nativos até ser assassinado.Essas missões constituíam "a tentativa mais bem sucedida da Igreja Católica para cristianizar e assegurar um refúgio às populações indígenas, ameaçadas de absorção ou escravização.Como justificativa para resistir os guaranis diziam: "Como poderá a vontade de Deus ser que vós tomeis e arruineis tudo o que nos pertence? Aquilo que possuímos é exclusivamente o fruto de nossas fadigas, e o nosso rei não nos deu coisa alguma... Não somos apenas os sete povos da margem esquerda, mas doze outras reduções estão decididas a sacrificarem-se conosco desde que tenteis apoderar-vos de nossas terras. . ." Os jesuítas ficaram entre a cruz e a espada. Se apoiassem os indígenas seriam considerados rebeldes- culpados de crimes de lesa-majestade . Se não se solidarizassem com eles, perderiam sua confiança. Foi à heróica resistência desses índios à ocupação de suas terras e à escravização que se deu o nome de "Guerras Guaraníticas". Apesar da inferioridade, no tocante a armamentos e a instrução militar, resistiram a ataques de portugueses e espanhóis . Para Pombal, a resistência indígena era obra da hostilidade jesuítica. Em 1759 foram expulsos, por ordem do marquês, de Portugal e demais domínios do reino. A questão fronteiriça do sul continuaria, só sendo resolvida por novos acordos em 1777, Santo Ildefonso, e 1801, Badajós, que acomodariam os dois grandes impérios da América do Sul sobre as cinzas dos Povos das Missões. Estes não conseguiram resistir. D2- 1- O que foi a Guerra Guaranítica? D2- 2- O que foi o tratado de Madri? D3- 3- Por que aconteceu essa guerra? D3- 4- Que justificativa davam os índios para a guerra? D2- 5- O que era o crime de lesa – majestade? D2- 6- Por que Pombal expulsou os jesuítas de Portugal e do Brasil? D12- 7- Qual foi a causa da guerra guaranítica? E qual foi a consequência desse conflito? Fronteiras do Brasil- 1-- Tratado de Tordesilhas, dividia as terras do Brasil entre Portugal e Espanha. 2--Tratado de Madri,dava ao Brasil território parecido com o atual. Portugal entregaria a região de Sacramento à Espanha e receberia os Sete Povos das Missões no Rio Grande do Sul. 3-- Tratado de El Pardo, os Sete Povos continuaria com a Espanha mas já estava em declínio econômico pois estavam sem os jesuítas e restavam poucos índios. 4-- Tratado de Santo Ildefonso onde Portugal ficaria com a Ilha de Santa Catarina, enquanto que a Espanha ficaria com os Sete Povos das Missões e Sacramento. A desvantagem territorial portuguesa no sul do Brasil manteve os confrontos na região. 5-- Tratado de Badajós entre Portugal e Espanha que daria ao Brasil o atual território, ficando Sacramento com a Espanha e os Sete Povos das Missões com o Brasil. Numere de acordo com os Tratados entre Portugal e Espanha sobre a s fronteiras do Brasil: ( )Tratado que dividia as terras do Brasil entre Portugal e Espanha. ( )Tratado que deu ao Brasil o território atual. ( ) Tratado causou a guerra dos guaranis. ( )Primeiro acordo entre Portugal e Espanha sobre as terras do Brasil. ( )Acordo que deixava Portugal sem uma parte da região sul do Brasil. ( )Acordo que deixava para a Espanha Sete Povos das Missões que corresponde a uma parte do atual RS.
  • 15. (Fonte: NOVAES, Carlos Eduardo & LOBO, César. História do Brasil D2- As charges a cima retratam de maneira irônica a forma como foram resolvidas as disputas pelos direitos de posse e exploração das novas terras entre Portugal e Espanha. Uma das consequências da expansão marítima que foi a divisão das terras do novo mundo entre Portugal e Espanha. Que acordo esses países assinaram para essa divisão? a) Acordo da União Ibérica b) Tratado de Tordesilhas. c) tratado de Madri d) Acordo Papal. D6- Identifique o gênero textual que é comum aos textos acima (marque x) a) humorístico b) publicitário c) informativo d) interpessoal D5- Explique a expressão “Nada de gracinhas para o meu lado, hein!” usada na charge 1 D5- Explique a expressão “só isso?” usada na charge 2. Observe os mapas. D1- Qual o assunto abordado? D2- Quando a território brasileiro recebeu a configuração atual? Em questão de fronteira internacional? D3- Qual foi o tratado que deu a primeira configuração territorial brasileira? O Brasil depois de descoberto será assim!!
  • 16. A delimitação dos limites do território brasileiro, desde o descobrimento, não ocorreu sem conflitos. A região do Rio da Prata, no Sul do Brasil, foi alvo de disputa das coras portuguesas e espanholas, principalmente nos territórios nos quais as missões jesuíticas de catequização de índios se encontravam. Os vários acordos firmados para resolver as divergências fronteiriças entre Portugal e Espanha nessa região configuraram os limites geográficos do Brasil atual. Desde o século XVI, Portugal e Espanha haviam fundado na região do Rio da Prata pequenos núcleos de povoamento que, ao se expandirem, geraram discórdia em relação aos limites impostos pelo Tratado de Tordesilhas. A criação da Colônia do Sacramento em 1680, por Portugal, às margens do Rio da Prata, acelerou as divergências acerca desses limites. A fixação dos jesuítas espanhóis nessa região, ao longo do século XVII e XVIII se deu a partir das chamadas reduções ou missões. Estas consistiam num aglutinamento de indígenas catequizados ordenadas em torno de atividades produtivas e religiosas controladas pelos jesuítas. O conflito entre as coroas portuguesa e espanhola nesse território envolveu diretamente essas redes de povoados controlados pelos jesuítas que defendiam sua autonomia e independência em relação às decisões reais. Este conflito acabou por gerar tanto a destruição das missões jesuíticas quanto forçar a superação do Tratado de Tordesilhas, através da instituição do Tratado de Madri (1750) e do Tratado de Santo Idelfonso (1777). D2- Coloque V ou F ( ) A delimitação dos limites do território brasileiro aconteceu sem conflitos ( ) A região do Rio da Prata, no Sul do Brasil, foi disputada pelas coras portuguesas e espanholas ( ) Na região das missões jesuíticas acontecia a catequização de índios. ( ) Os vários acordos firmados para resolver as disputas por fronteiras entre Portugal e Espanha configuraram os limites geográficos do Brasil atual. D2- O que eram as reduções das missões? D3- Quem eram os jesuítas? D12- Qual foi a consequência da destruição das missões jesuíticas? Mapa I O mapa mostra a região das missões jesuíticas no sul do Brasil. Identifique: a) As fronteiras do Brasil (contorne as fronteiras de verde) b) Os países vizinhos (contorne as fronteiras de marrom) c) A quem pertencia a região definida no mapa I Mapa II Tratado de Tordesilhas (1494) – linha divisória sobre o território do Brasil. a) Qual o nome desse tratado? b) Qual a data do Tratado? O Brasil já tinha sido descoberto? c) O que esse tratado determinava? Mapa III Tratado de Madri (1750) a) Qual o nome desse tratado? b) Ele mostra a configutaçao atual do mapa do Brasil? Leia os documentos abaixo referentes ao Tratado de Madri: Documento I “A proposta compreendia numa mudança figurativa da linha da fronteira: a substituição de uma linha reta (a de Tordesilhas) por uma curva (a sinuosidade das margens dos rios)”. (História por Voltaire Schilling) Documento II “Das povoações ou aldeias que cede sua Majestade Católica na margem oriental do rio Uruguai, sairão os missionários com todos os moveis, e efeitos, levando consigo os índios para aldear outras terras da Espanha (...) e entregarão a coroa portuguesa todas suas casas, igrejas, edifícios e a posse do terreno.” (Adaptação de uma clausula do Tratado de Madri 1750) Documento III “No século XVIII, os jesuítas retomaram a construção das missões do lado esquerdo das margens do Rio Uruguai, formando os chamados Sete Povos das Missões (São Nicolau, São Luis, São Lourenço, Santo Ângelo, São João, São Miguel e São Borja). Era exatamente esta área que a Espanha entregou para o Império Português”. (História por Voltaire Schilling) 1- D1- Qual o tema central dos textos acima? 2- D15- Que situação em comum, apresentam os três documentos? 3- D2- Entre quais países acontecia a disputa territorial no Brasil? 4- D15 - Visualize a ampliação ocorrida no território do Brasil comparando com o Tratado de Madri, mapa III com o tratado de Tordesilhas a partir do mapa II. Leia os textos para responder.
  • 17. Observe as figuras e leia o texto: Documento I Missão Jesuítica Documento II Documento III Aldeia dos índios coroados “A palavra ´redução´ sintetiza o preceito de reduzir, delimitar o espaço físico para aculturar os indígenas. Pretendia-se introduzir nos nativos a forma de sociedade europeia, reunindo-os em aldeias. Essas aldeias eram escolhidas por índios e missionários e estes locais deveriam possuir terras férteis, água em abundância e outros recursos que facilitassem a construção de casa e templos; deviam também ter fácil acesso e localizar-se 20 ou 30 km de distância entre si. Formavam uma vila organizada, pois possuíam Igreja, escola, refeitório, casa para as famílias e oficinas. Criavam gado, plantavam, aprendiam ofícios, música , religião e obedeciam regras preestabelecidas pela Coroa Espanhola (algumas eram mescladas com as guarani)”. (CCM – Centro de Cultura Missioneira). Responda as questões: • O que as figuras I e II mostram? Descreva. • Como o espaço físico é organizado nas figuras I e II? • Quem morava nesses lugares? • O que a figura III mostra? • Como o espaço físico é representado na figura III? • Quem morava nessas aldeias? • Compare os dois ambientes: das missões e da aldeia. O que vocês podem perceber? • Os índios que iam morar nas aldeias precisavam se adaptar à sua nova realidade. Com base nas figuras, responda qual era essa nova realidade? O que era diferente nessa realidade nova? • Observe o desenho de cruzes nas figuras I e II. O que a cruz representa? • Há desenho de cruz na figura III? O cristianismo era a religião dos índios antes desses terem contato com o homem branco? • O que significava a presença de cruzes nas missões?
  • 18. De acordo com o doc II os jesuítas espanhóis e os índios aldeados teriam que se deslocar da margem oriental do Rio Uruguai e abandonar suas terras. E, de acordo com o doc III, estas mesmas terras teriam sido posteriormente ocupadas, formando Sete Povos das Missões. Escreva um pequeno texto jornalístico narrando esse acontecimento ressaltando as mudanças propostas pelo Tratado de Madri e imaginando como teria sido realizado o deslocamento desses índios e jesuítas (teriam eles aceitado tal mudança? Teriam resistido? Ressalte as guerras guaraníticas). Você é o jornalista... Conte esse fato como se estivesse acontecendo hoje.
  • 19. COELHINHO SAI DA TOCA: Objetivo: Tornar a avaliação mais agradável, tirar o medo que o aluno tem da avaliação oral, estimular o estudo, a participação o interesse e principalmente o cooperativismo. DESCRITORES: Na elaboração dos descritores foram consideradas as seguintes competências: básicas: operações que fazem presente o objeto do conhecimento - apontar, localizar, ler, constatar, nomear, descrever, observar, discriminar, perceber, posicionar, identificar, reconhecer, representar, indicar. operacionais: operações que pressupõem o estabelecimento de relações entre e com os objetos de estudo - associar, estabelecer, estimar, classificar, interpretar, comparar, justificar, conservar, medir, modificar, compor, ordenar, organizar, compreender, caracterizar, decompor, relacionar, diferenciar, representar. globais: operações mais complexas que envolvem a aplicação de conhecimentos e/ou resolução de problemas inéditos - analisar, deduzir, antecipar, explicar, avaliar, generalizar, aplicar, inferir, abstrair, resolver, criticar, prognosticar, concluir. Procedimentos: 1- Combinar regras. (5 pontos para quem for o último) 2- Levar para a quadra da escola. 3- Desenhar círculos no chão. 4- Cada aluno fica dentro de um círculo, apenas um fica fora. 6- O professor diz coelhinho sai da toca e todos devem sair dos seus lugares e entrar em outra “toca” 5-Para quem ficou sem “toca” o professor fará uma pergunta. Se ele acertar continua na brincadeira. 6- Os dois que ficarem por ultimo decidem quem ganha os 5 pontos no par ou impar. 7- Os dois têm direito de responder quantas questões conseguirem. Valendo nata extra. 8- cada questão respondida vale uma nota (1 ponto?)